Você está na página 1de 23

Minha Calopsita

Minha Familia
Origem:
Originária da Austrália onde podem
ser vistas na natureza, a Calopsita
é a menor da família das Cacatuas.
Seu nome científico é Nynphicus hollandicus
que significa 'Deusa da Nova Holanda"
nome da Austrália até 1804.
Em 1838, John Gould, ornitólogo inglês,
autor bem sucedido de livros sobre história natural,
visitou a Austrália objetivando conhecer sua fauna,
até então pouco conhecida e realizar ilustrações de aves.
Foi a partir de seu retorno em 1840, através dos livros
e ilustrações divulgadas, que o público teve sua atenção
chamada para a beleza das aves daquele continente,
especialmente a Calopsita.

Ainda é creditado a este


pesquisador o fato de ter sido a primeira pessoa
a levar Calopsitas para fora da Austrália,
contribuindo decisivamente para a divulgação da espécie.
Por volta de 1884, a Calopsita já se encontrava
bem estabelecida nos aviários europeus, entretanto,
como na natureza só existia um padrão de cor,
a disseminação maciça dessa ave somente
ocorreu a partir da primeira mutação,
era o Arlequim, pouco antes de 1950.
A partir daí, outros padrões de cores foram surgindo,
ganhando então a Calopsita, enorme popularidade,
sendo hoje um dos pássaros mais criados do mundo.
É o pássaro perfeito e o mais indicado
para quem quer uma relação mais íntima com uma ave.
São divertidos e leais ao bando,
do qual o dono passa a fazer parte.
Oque eu como:
A alimentação da Calopsita não é problema nos dias de
hoje, encontramos nos aviários e nos supermercados
misturas de sementes prontas, com a quantidade exata de
cada tipo de semente e muitas vezes até com
suplementos vitamínicos incorporados e também rações
balanceadas que explicaremos na página seguinte.
Vamos mostrar aqui os diversos tipos de semente que
normalmente compõe estas misturas.Esta é a mistura
normalmente encontrada: Composição: alpiste, arroz
cateto, painço amarelo, painço branco, painço verde,
painço vermelho, aveia descascada, girassol comum e
girassol rajado.
Alpiste ( Phalaris canariensis )
Grão rico em carboidratos. Ao contrário do que seu
nome em inglês "canaryseed" sugere, este grão não é
usado somente para canários, sendo, entretanto o
principal componente da maioria das misturas de grãos
para pássaros.
Arroz Cateto ( Oryza sativa )
Grão rico em carboidratos e de elevada digestibilidade.
Painço Amarelo ( Panicum milleaceum )
Grão também conhecido por milho alvo amarelo. São
grãos ricos em carboidratos e possuem fácil
digestibilidade.
Painço Branco ( Panicum milleaceum )
Grão também conhecido por milho alvo branco. São
grãos ricos em carboidratos e possuem fácil
digestibilidade.
Painço Verde ( Panicum milleaceum )
Grão também conhecido por milho alvo verde. São grãos
ricos em carboidratos e possuem fácil digestibilidade.
Painço Vermelho ( Panicum milleaceum )
Grão também conhecido por milho alvo vermelho. São
grãos ricos em carboidratos e possuem fácil
digestibilidade.
Aveia sem casca ( Avena sativa )
Grão rico em carboidratos, de ótima palatabilidade e
digestibilidade, portanto ingerido com muito gosto e
facilidade por pássaros no ninho. Em quantidades
demasiadas pode levar ao acúmulo de gordura.
Girassol Graúdo ( Helianthus annuus )
Este grão é rico em proteína, extrato etéreo, minerais e
vitamina E.
Girassol Rajado ( Helianthus annuus )
Este grão é rico em proteína, extrato etéreo, minerais e
vitamina E.
Esta é a mistura que você compra no aviário ou
supermercado, com as quantidades certas de cada
semente.
Mas ainda temos outras sementes que também podemos
oferecer as Calopsitas:
Cânhamo ( Cannabis sativa )
Grão inativado da planta Cannabis sativa. É rico em
extrato etéreo (óleos) e proteína. Contém THC, que
estimula o interesse sexual nos pássaros. Deve-se cuidar
para que não haja exageros na quantidade de cânhamo
oferecida aos pássaros, para evitar-se constipação e
excessiva excitação dos animais. Seu uso principal é nas
misturas de grãos para canários, pássaros exóticos,
pássaros silvestres, periquitos, periquitos grandes e
papagaios. Um dos melhores grãos para qualquer pássaro,
porém seu uso (principalmente no verão) nunca pode ser
excessivo.
Cártamo ( Carthamus tinctorius )
Planta da família das asteráceas. Grão rico em extrato
etéreo (óleos). Seu uso nas misturas para Calopsitas
enriquece a alimentação destes animais, contribuindo
para uma plumagem de melhor qualidade.
Dari Branco ou Sorgo ( Sorghum sp. )
Grão da família do painço. Contém elevado teor de
proteína, com aminoácidos de boa qualidade.
Linhaça ( Linum usitatissimum )
Grão da planta do linho. É rico em proteínas e extrato
etéreo (óleos), principalmente do grupo Omega 3,
essencial para uma excelente plumagem. Possui
propriedades terapêuticas, melhorando o trânsito do bolo
alimentar no tubo digestivo e contribuindo para uma
melhor digestão.
Níger ( Guizotia abyssinica )
Grão rico em extrato etéreo (óleos) e proteínas. Devido a
sua excelente palatabilidade, este grão é muito apreciado
por diferentes tipos de pássaros.
Perila ( Perilla frutescens )
É conhecida também como "a semente da saúde". Grão
rico em extrato etéreo (óleos), principalmente do grupo
dos Omega 6 e Omega 3. Importante na promoção de
um canto melodioso e uma plumagem exuberante. Seu
uso principal é nas misturas para curiós e outros pássaros
silvestres, canários e pássaros exóticos. É o melhor grão e o
mais importante para os pássaros, seu uso não pode ser
excessivo.
LEMBRE-SE DE QUE GRÃOS GORDUROSOS (como a
Linhaça, Níger, Perila, Cânhamo ) NÃO DEVEM SER
ADMINISTRADOS EM QUANTIDADE EXCESSIVA.
(principalmente no Verão).

Ao comprar sementes certifique-se sempre que não


estejam emboloradas e nunca compre em grandes
quantidades pois acabará envelhecendo e ficando
rançosa.
Na gaiola e no viveiro sempre mantenha tudo limpo,
comedouros, potes de água e outros alimentos que
tenham sido oferecidos. Cuidado para que as aves não
molhem as sementes ou as sujem com fezes. Assim sua
Calopsita estará segura quanto a qualquer tipo de
contaminação através do alimento.
A água pode ser considerada o nutriente mais importante
para as Calopsitas (depois do oxigênio), economicamente
representa o nutriente de mais baixo custo e o maior
constituinte do corpo de todos os animais. A Calopsita
pode perder quase toda a sua gordura corporal
armazenada, bem como mais de metade das suas
proteínas e ainda sobreviver. No entanto, a perda de 10%
da água corporal, pode causar doenças graves. Sem a
reposição da água que é perdida, o resultado será a
morte. Certifique-se de que sua ave sempre tenha água
limpa e fresca a disposição.
Oque eu NÂO como:
Alguns alimentos não devem ser oferecidos a Calopsita
pois podem inclusive levá-la à morte! É importante que
quem costuma tratar as Calopsitas e também todos os
membros da família, saibam quais são eles:
· Alface - Causa diarréia;
· Abacate - Leva a morte rapidamente;
· Cafeina - consumo totalmente proibido mesmo
em pequenas quantidades, pode causar
hiperatividade, vômitos, diarréia, batidas cardíacas
irregulares e morte;
· Chocolate - Causa os mesmos sintomas da
cafeína;
· Bebidas alcoólicas - O fígado das Calopsitas não
consegue metabolizar o álcool, podendo causar
lesões cerebrais e morte;
· Sal - Os psitacídeos não conseguem excretar sal
como nós. Por isso, o consumo de sal causa
excesso de urina e consumo de água, depressão,
hiperatividade, tremores e até morte.
· Gordura - o excesso de gordura pode causar
doenças hepáticas, obesidade, diarréia,
problemas nas penas, além de afetar a absorção
de nutrientes;
· Outros alimentos que devem ser evitados: folhas
de batata, tomate e feijão, sementes e caroços
em geral (principalmente os de maçã, damasco,
cereja, pêra, ameixa, pêssego).
Minhas cores:
Cinza ou Normal (Normal Grey): Essa é variedade
selvagem original, que se encontra na natureza,
com o corpo cinza e a bordas das asas brancas.
Os machos tem a crista e a cabeça amarela,
a fêmea é cinza amarelado com a cabeça cinza.
Ambos têm na cara manchas arredondadas
na cor vermelha, sendo que as fêmeas tem o tom
de vermelho mais suave. A cauda do macho é t
otalmente negra, já na fêmea intercala negro
com amarelo na parte de baixo. Em ambos os sexos,
os olhos são marrons e o bico cinza escuro,
pernas e pés, cinza escuro.

A partir do padrão silvestre, surgiram muitas mutações


que acabaram fixando alguns
padrões de cores que destacaremos a seguir:

Calopsita CanelaCanela
Calopsita pérolaPérola
Calopsita LutinoLutino
Calopsita arlequimArlequim
Calopsita Cara brancaCara branca
Calopsita FulvoFulvo
Calopsita albinaAlbino
Calopsita cara amarelaCara amarela
Calopsita pastelPastel
Calopsita prata recessivoPrata Recessivo & Prata
Calopsita prata dominantePrata Dominante
Calopsita olivaOliva ou Esmeralda
Calopsita platinumPlatinum
Minha Saúde:
A Calopsita é um pássaro muito resistente,
dificilmente fica doente, mas muitas vezes
estão doentes e não percebemos, e não saber
identificar os sinais da doença pode
custar a vida do seu animalzinho.

Qualquer sinal de alteração na sua Calopsita


deverá ser levado a sério, devendo procurar
um Veterinário o mais rápido possível,
pois as aves após o desenvolvimento da doença,
podem morrer rapidamente
se não forem tratadas da forma adequada.
Perigos domésticos
As Calopsitas adoram ficar passeando dentro de casa,
mas isso pode ser perigoso e fatal para elas.
Aqui vamos falar dos principais perigos que
elas correm dentro de casa e os cuidados que devemos
tomar para que nossas amadas aves não se machuquem.
* Janelas, espelhos e vidros
Janelas e vidros podem ser muito perigosos ,
principalmente quando sua Calopsita não estiver
acostumada com o ambiente e não tiver as asas cortadas.
Em um vôo ela pode bater no vidro e se machucar
gravemente(fratura do bico, sangramentos,
traumatismo craniano) e inclusive levar a morte
(quebra do pescoço), por isso é importante que sempre
deixemos as cortinas fechadas para que a Calopsita
perceba a barreira. Outra solução é o corte das asas,
impossibilitando assim o vôo.
* Fogão, potes, panelas, xícaras e copos, pias e baldes
A cozinha é um dos lugares da casa mais perigosos
para as Calopsitas. Nunca devemos deixar que elas
fiquem na cozinha pois uma xícara de café ,
uma panela no fogo e um descuido podem causar
graves queimaduras e até mesmo a morte do animal.
Baldes ou a pia com liquidos podem causar afogamentos
pois a Calopsita não sabe nadar.
Todo cuidado é pouco na cozinha!
* Portas
Normalmente muito curiosa, a Calopsita anda por toda
parte e devemos tomar muito cuidado ao abrir ou fechar
uma porta, pois ela pode estar no chão e se machucar
gravemente, então antes de abrir ou fechar as portas
certifique-se de onde esta a ave e
abra a porta cuidadosamente.
Perigos domésticos
* Cigarros, charutos
A fumaça do cigarro é altamente tóxica para a Calopsita,
evite fumar próximo a gaiola ou no
mesmo ambiente que ela esteja.
* Lareiras e velas
Nunca deixe seu pássaro em ambientes que tenham
velas acesas ou lareiras, um descuido e
as queimaduras podem ser fatais.
* Outros animais
Cães com forte instinto de caça e principalmente gatos,
sempre são um perigo em potencial para as Calopsitas.
Nunca deixe sua ave sozinha com outros animais.

* Janelas abertas
Por mais acostumadas ao nosso convívio e mansas que
possam parecer, as aves tem o instinto básico do vôo.
Muitas vezes já estamos nos sentindo seguros com
a calma e a tranquilidade da nossa Calopsita
e começamos a deixar frestas nas janelas, depois de
algum tempo já permanecemos com as janelas abertas
pois achamos que elas não vão mais fugir e pronto,
quando menos esperamos elas fogem. Antes de abrir
qualquer janela se pergunte "aonde estão as aves?".
Uma boa solução pára isso é o corte das asas.
* Envenenamentos
Muito cuidado com plantas e produtos de limpeza,
como é muito curiosa a Calopsita pode comer uma
planta venenosa ou entrar em contato
com algum produto tóxico.
Como saber se estou doente:
Deve-se prestar atenção aos comportamentos anormais
de sua ave, tais como: ave encorujada (no poleiro ou no
fundo da gaiola), apatia, perda ou aumento de apetite,
etc.
DOENÇAS INEXPLICÁVEIS
Frequentemente as pessoas levam seus animais ao
veterinário com a afirmativa "Meu bichinho estava bem
até ontem.". Na verdade provavelmente o animal
demonstrou alguns sinais sutis de doença que acabaram
passando desapercebidos pelo dono. A capacidade de
reconhecer estes sinais e como lidar com problemas de
saúde emergenciais são abordados neste site.
SINAIS CLÍNICOS MAIS DIFÍCEIS DE SEREM PERCEBIDOS
Muitas aves continuam a se alimentar e a ingerir água
mesmo estando doentes. Alguns sinais importantes como
penas do corpo eriçadas ou mudanças bruscas de
comportamento, como por exemplo, a ave que nunca foi
mansa repentinamente tornar-se mais quieta e amigável.
As aves escondem o máximo possível os sinais de doença,
pois na vida selvagem, uma ave que se comporta como
se estivesse doente acaba tornando-se um alvo fácil para
os predadores naturais, sendo morta facilmente. Por este
motivo, aves tentam não revelar sua doença,
comportando-se de forma normal o maior tempo possível.
É necessária muita perspicácia e atenção por parte do
proprietário para reconhecer um problema de saúde
através de modificações sutis do comportamento.
Converse com seu veterinário especialista em medicina
de aves sobre estes sinais.
Aumento no consumo de água:
Em média, as calopsitas ingerem em torno de 01 colher
de chá de água / dia. Mantenha sempre água limpa e
fresca todos os dias.
Estresse, tempo quente, aumento de atividade,
alimentação dos filhotes, diarréia ou certos medicamentos
(antibióticos) podem fazer com que sua ave beba mais
água. Um consumo excessivo de água pode indicar
doenças graves, tais como diabetes, doenças do fígado e
rim, infecções urinarias.
Aumento no apetite:
Aumento no gasto de calorias tais como - exercícios,
postura de ovos, filhotes, aumentam a necessidade de
ingestão de comida, especialmente proteínas.
Aumento de apetite sem razões aparentes podem indicar
diabetes, vermes, problemas no pâncreas ou intestino. Em
qualquer caso, havendo sinais de doença, procure um
veterinário.
Fezes:
As fezes deverão ser sólidas e tubulares, enroladas ou não,
particionadas ou não.
Elas não devem cheirar mal; quando isso ocorre, pode ser
sinal de infecções bacterianas.
LEVE IMEDIATAMENTE SUA AVE DE ESTIMAÇÃO AO
VETERINÁRIO SE:
A ave estiver inconsciente
Houver sangramento
Em caso de suspeita de fratura de ossos
A ave parecer fraca e não responsiva a estímulos
As penas estiverem arrepiadas
A ave não estiver comendo ou bebendo água
Se qualquer um dos sinais clínicos acima estiver presente
NÃO ESPERE.
Leve seu animal ao veterinário IMEDIATAMENTE!
Aspergilosis:
Causada por um fungo, a Aspergillus fumigatus produz
endotoxinas quando os esporos do fungo entram no
sistema respiratório da ave. Os sintomas incluem esforço
para respirar, respiração acelerada, mudanças na voz,
fezes
anormais, regurgitação, perda de apetite, aumento da
sede, definhamento, diarréia, anorexia, secreção nasal,
conjuntivite, dispnéia, sonolência e lesões internas nos
órgãos respiratórios.
O tratamento é feito à base de antifúngicos (como
amphotericin, flucytosine, fluconazole, itraconazole) e
imunoestimulantes.
Aleijamento:
Uma ave aleijada não consegue usar (ou não possui) uma
ou as duas pernas. Causas comuns: infecção, dor nos pés,
fratura, luxação, torção, queimaduras, falta de exercício,
artrite, poleiros inadequados.
Alergias:
Diversos produtos podem causar alergia em calopsitas. Os
sintomas mais comuns são espirros, inflamação da cloaca.
É importante deixá-los longe de fumaça ou cigarros,
cheiros fortes (produtos de limpeza, sprays, tintas).
Coccidiose aviária:
A Coccidiose é uma doença do trato intestinal
(geralmente em pombos), disseminada por todo o mundo.
Quase todos os pombos têm coccídeos alojados no
intestino delgado.
A coccidiose representa uma constante ameaça às
criações de aves de produção, assim como também
pode afetar a criação de pássaros que vivem em cativeiro
tais como Calopsitas, bicudos, curiós, canários, periquitos,
etc.
Aves mal alimentadas, submetidas a "stress", e aquelas
que recebem rações pobres em nutrientes essenciais tais
como a vitamina A e proteínas, são mais facilmente
vítimas desta doença.
A transmissão da doença se dá através de oocistos que
são eliminados com as fezes e a urina, e ao contaminar os
alimentos, a água, e o meio ambiente, disseminam a
coccidiose no plantel.
Ao se instalar na parede do intestino, Eimeria e Isospora
causam lesões que serão responsáveis por danos à saúde
da ave, ao dificultar a absorção dos nutrientes.
Os sintomas da coccidiose são: penas arrepiadas,
sonolência, perda do apetite, diarréia de coloração
variando do esbranquiçado ao vermelho (sanguinolenta),
fraqueza, palidez na coloração da pele, magreza,
problemas na reprodução com aumento na mortalidade
dos filhotes etc.
O tratamento é feito através da administração de
medicamentos denominados de coccidiostáticos
dicionados à ração ou à água do bebedouro. A indústria
farmacêutica dispõe de vários produtos para prevenir e
curar a coccidiose, e amplos estudos vêm sendo
realizados nessaárea, em face da importância econômica
que ela representa.
Fezes:
As fezes deverão ser sólidas e tubulares, enroladas ou não,
particionadas ou não.
Elas não devem cheirar mal; quando isso ocorre, pode ser
sinal de infecções bacterianas.
Cores das fezes ou diarréia
- Amarela: deve-se à má absorção e digestão dos
alimentos por problemas no pâncreas ou fígado;
- Esbranquiçada: deve-se a excesso de urato causado por
problemas nos rins;
- Esbranquiçada e gordurosa: inflamação no pâncreas;
- Escura: pela presença de sangue coagulado e digerido,
originário de sangramento no sistema digestivo superior;
- Vermelha: devido a sangue vivo (ainda não coagulado)
vindo de sangramento no sistema digestivo inferior, cloaca
ou oviduto.
Cores da urina
- Uratos verdes ou amarelos: doença do fígado ou
anorexia;
- Uratos marrons: envenenamento por chumbo;
- Uratos ou urina vermelha: sangramento interno;
- Aumento na quantidade de uratos: desidratação ou
problemas nos rins;
- Aumento na quantidade de urina: aumento da ingestão
de água ou comida com alto teor de água.
Diarréia:
É um problema relativamente comum nas aves, porém
pode ser um prenuncio de alguma doença grave.
Normalmente as fezes são verdes e firmes, misturadas com
urina e uratos (parte branca). A diarréia pode ser causada
por problemas no trato digestivo e órgãos associados
(fígado e pâncreas) ou urinário, infecções bacterianas,
psitacose, giardíase, candidíase, mudanças na dieta
(frutas e folhas verdes). Remova frutas e vegetais da dieta,
administre soro caseiro, mas se a diarreia perdurar por
muito tempo, procure um veterinário com urgência, pois
pode tratar-se de doença em estagio avançado.

Descoordenação:
Infecções, toxinas, tumores e deficiências vitamínicos
podem fazer com que sua ave fique cambaleante. Ao
apresentar alguns desses sintomas, procurar
imediatamente auxilio veterinário:
-Cabeça inclinada: as causas mais comuns são traumas
na cabeça (por exemplo, batidas durante o vôo),
envenenamento por metal pesado (chumbo), infecções
(no ouvido interno ougeneralizadas) e tumores.
- Fraqueza: se a sua Calopsita não consegue se manter no
poleiro, pode ser sinal de infecção generalizada, nutrição
deficiente (falta vitamina E ou selênio), fraturas, danos
nervosos, artrite,falta de cálcio no sangue ou tumores.
- Paralisia das pernas: tumores abdominais, infecções,
traumas, nutrição deficiente (falta vitamina E ou selênio),
ovo preso ou danos nervosos.
- Convulsões: podem ser causadas por envenenamento,
deficiência nutricional, epilepsia ou doença infecciosa.
Ganho de peso:
A obesidade em uma calopsita pode levá-la a
desenvolver diversos problemas de saúde, incluindo
diabetes, problemas respiratórios, cardíacos e hepaticos.
As causas poderão ser muitas, desde a ingestão de
calorias em excesso, oferta de alimentos errados e
gordurosos por parte de seu dono, falta de exercicios,
hereditariedade e hipotireiodismo.
Estar atento quanto aos alimentos gordurosos, veja mais
em alimentação.
Espirros:
Poderão ser causados por irritações passageiras ou
alergias, mas também podem indicar problemas
respiratórios, se acompanhados de tosse. Nesse caso, é
possível ouvir chiados na garganta ou mudanças na voz
ou canto. Geralmente a secreção nasal deixa as penas de
cima das narinas marrons. As causas das infecções são
grandes variações de temperatura no ambiente, gaiola ao
lado de aquecedores ou ar-condicionado, intempéries.
Envenenamento:
Se sua calopsita ingerir ácidos ou produtos a base de
petróleo, faça-a beber leite com pepto-bismol, clara de
ovo ou azeite. Não provoque vomito!
Se for qualquer outro produto, provoque vomito com
mostarda diluída colocada diretamente na garganta!
Hemorragia:
Se sua ave estiver sangrando após quebra de penas,
unhas ou da ponta do bico, umedeça em água gelada
um algodão ou uma gaze ou até mesmo um cotonete. E
pressione a área de onde provém o sangramento. Siga ao
veterinário tão logo o sangramento tenha sido controlado.
(Em alguns casos, esfregar uma barra de sabão ou pó
hemostático na superfície de onde vem o sangramento -
ponta da unha ou do bico - pode temporariamente ajudar
no controle da hemorragia). Nunca tente fazer um
torniquete para interromper o sangramento, nem tente
arrancar uma pena que porventura tenha sido quebrada e
esteja sangrando. O estresse desse procedimento pode
causar a morte de uma ave enfraquecida pelo
sangramento. Tente impedir que o animal se debata na
gaiola aumentando ainda mais a lesão e o sangramento.
Gentilmente embrulhe a ave em uma toalha e a
mantenha quieta e aquecida enquanto a transporta ao
veterinário.
Inchaços
Inchaços ou caroços que surgem podem ser causados
por traumas (batidas contra objetos, paredes, vidro) e
geralmente são benignos.
Existem outras causas tais como abscessos, cistos,
depósitos de gordura sob a pele, até mesmo tumores. Os
abscessos são inchaços quentes, doloridos, avermelhados,
causados por deposição de pus ( infecção bacteriana) e
geralmente encontrados embaixo dos olhos, pés e bico.
Perda de apetite:
Mudanças no apetite podem ser resultantes de vários
fatores, dentre eles: estresse, ambientes quentes, novos
membros na família, nova comida, etc.
É importante observar se o fato da calopsita não comer
está diminuindo sua atividade e estado de alerta, do
contrário, pode ser um indicador de problemas.
Uma ave doente que não come direito não consegue
manter sua temperatura corporal e então fica encorujada
para manter-se aquecida.
Piolhos:
Manter a gaiola sempre limpa. Se forem poucos, passar
solução de vinagre e água (1 colher de sopa para 1 litro
água ), vaporizando por 4 dias.Se não obtiver resultado, o
remédio mais eficiente é Kill Red (importado) é o menos
tóxico para sua ave.
Problemas no bico:
Existem varias doenças que afetam o bico, alterando a
cor, provocando quebras, crescimento anormal,
deformações, lesões e tumores.
Deficiências nutricionais (falta de proteínas ou excesso de
vitamina A) e infecções bacterianas podem causar
problemas.
Fratura de bico: Se a ave fraturou o bico, não tente fazer
uma bandagem para segurar o bico no local. Mantenha a
ave quieta e a leve imediatamente ao veterinário.
Problemas nos olhos:
Os sintomas mais freqüentes são piscadas freqüentes,
olhos fechados, vermelhidão, inchaço e secreção, e
podem ser causados por infecções bacterianas, vírus,
fungos, ácaros, brigas com outras aves, irritações (produtos
químicos). Havendo secreção, limpe com colírio
oftalmológico ou soro fisiológico.
Psitacose:
Causada pela bactéria Chlamydia Psittaci. É altamente
contagiosa, sendo transmitida por via aérea, fezes e fluidos
respiratório, através do contato com aves infectadas. Nas
aves a infecção pode ser aguda ou crônica. Pássaros
jovens e estressados (doentes, em nova dieta ou em
mudança) são os mais suscetíveis.
O tratamento, se feito corretamente, tem altas chances de
cura, e é feito a base de antibiótico tetraciclina
(oxitetraciclina, doxiciclina, vibramycin), durando 45 dias.
Durante o tratamento, qualquer fonte de cálcio deverá ser
eliminada. Um ponto a destacar é que a psitacose é uma
zoonose, ou seja, pode afetar o ser humano.
Perda de peso:
Pode ser causada por estresse, mudança na alimentação,
ou causas patológicas. Verificar se a ave não está
gostando da alimentação, trocar por outra que seja de
fácil aceitação e principalmente, seja saudável para ela!
Queimaduras:
Se for com gordura quente, passe farinha ou amido de
milho, depois disso colocá-la imediatamente em água
corrente para resfriar. Borrifar com água gelada diversas
vezes ao dia, passar pomada para queimaduras.
Regurgitação:
A regurgitação nada mais é do que a expulsão do
conteúdo do papo.
Algumas calopsitas podem regurgitar para brinquedos,
espelhos e pessoas, na tentativa de alimentá-los - isso é
uma profunda demonstração de afeto!
A regurgitação poderá ocorrer por bloqueio no papo,
aumento das glândulas tireóides, infecções no papo,
envenenamento por metais ou produtos químicos.
Sistema respiratório:
Respiração ofegante ou com o bico aberto: Se sua ave
sob a menor condição de estresse já começa a
apresentar respiração ofegante ou com o bico aberto, ela
deverá ser submetida a um exame médico. Este não é um
comportamento normal e provavelmente esteja
ocorrendo devido a infecções bacterianas ou por fungos
ou por ácaros.
Entre os principais sintomas envolvidos temos: dispnéia,
corrimento nasal, inchaço infra-orbital, movimento de
cauda, ruídos respiratórios e espirros. Bactérias e fungos são
os principais agentes causadores de doenças respiratórias.
Não devemos esquecer de vírus e ectoparasitas (a sarna
também pode afetar as narinas). Outros parasitas se
instalam na traquéia, prejudicando a vocalização das
aves. Um quadro clínico bastante comum é chamado de
Peito-Seco, onde a ave apresenta alteração respiratória,
diminuição do apetite e uma atrofia do músculo
peitoral. Tratamentos suporte, antibióticos e boa
ambientação, é o protocolo mais indicado.
Doenças respiratórias são altamente transmissíveis, e
evoluem em um tempo muito curto, portanto devem ser
detectados rapidamente e o tratamento iniciado o mais
rápido possível.
Sistema digestivo:
Os principais sintomas podem ser: vômito, anorexia (animal
pára de comer), diarréia, tenesmo (animal não evacua) e
fezes alteradas (alteração de cor, formato presença de
sangue, parasitas ou muco). Vômito e regurgitação.
Em geral, vêm acompanhados de outros sinais comuns a
todas as doenças:
- Fezes amolecidas, com sangue, mal cheiroso e
escorridas: São sintomas de Inflamação Intestinal. O
sangue é proveniente de hemorragias causadas pela
destruição de células intestinais. A região da cloaca fica
constantemente suja, o corpo tenso e as penas eriçadas.
Pode ser causada por alimentos embolorados, mais
comuns em épocas quentes, parasitas e microorganismos.
Nestes casos, aparece febre. Através de exame
determina-se a causa e o veterinário indica um
antifúngico, um antiparasitário ou um antibiótico.
Vermífugo:
A vermifugação é feita antes da época da procriação,
uma vez ao ano, em aves após aos 5 meses de idade.
Colocar Mebendazole Avitrin na água durante 5 dias.