Você está na página 1de 57

7ª AULA (1ª aula teórica) SOBRE MEDIUNIDADE – RESUMO HISTÓRICO – EVOLUÇÃO

DA MEDIUNIDADE – MÉDIUNS- (Bibliografia “Mediunidade” Caps. 1 a 6)

Natural  conquista do homem através da sua evolução


MEDIUNIDADE moral/cultural e desprendimento material
NATUREZA
Prova ou Tarefa Faculdades psíquicas emprestadas em
condições precárias precisando Reforma Íntima

1ª. a da Mistificação
2ª. a da Ilusão
3ª. a Demoníaca
4ª. a dos Elementais
5ª. a dos Cascões Astrais
6ª. a da Loucura
7ª. a da Emoção
TEORIAS 8ª. a do Automatismo Psicológico
9ª. a da Força Psíquica
10ª. a de São Marinho
11ª. a do Dom
12ª. a do Batismo do Espírito Santo
13ª. a do Personalismo
14ª. a do Animismo
15ª. a da Teoria Espírita

Regime Patriarcal Na Homero, Sócrates, Pitágoras,


RESUMO Colégios Sacerdotais Apolônio de Tiana , Simão da
HISTÓRICO Seitas e Fraternidades Antiguidade Samaria

Velho Testamento  Moisés: extraordinário médium de efeitos físicos e


inteligentes (praga dos piolhos, rãs, gafanhotos, o maná,
BÍBLIA o Decálogo)
Novo Testamento  Jesus
As curas – levitação – transfiguração

Concílio de Nicéa em 325 oficializou o Cristianismo. Formação de duas


RELIGIÃO correntes opostas. Desejavam continuar com o cristianismo puro: São
OFICIAL Gregório de Nissa, São Clemente de Alexandria, São Tomas de Aquino e
Santo Agostinho.

SEC. XVIII e XIX – Surgem as Naturalistas Desencadeamento da vingança


Filosofias baseadas na Razão e Realistas popular desenfreada

ADVENTO DO Lançam em campo Médiuns de KARDEC


ESPIRITISMO alta capacidade e Leon Denis, Flamarion, Richet,
Cientistas notáveis Lombroso, Aksakof, Bozzano, Delane

52
8ª AULA (2ª aula teórica)- SENSIBILIDADE INDIVIDUAL – DIVISÃO E CLASSIFICAÇÃO DAS
FACULDADES – ESTUDO DOS FLUIDOS - (Bibliografia “Mediunidade” Caps.7 e 8
“Passes e Radiações” Caps. 8 e 23 - “Gênese – Cap. 14)

Mundo Físico Matéria Sensibilidade – Condição Estática


SENSIBILIDADE e Energia
INDIVIDUAL Hiper Físico Espírito Mediunidade- Estado Dinâmico

MEDIUNIDADE  Desenvolvimento normal das glândulas cerebrais


FUNDO MEDIÚNICO  Forçamento por entidades inferiores por um desenvolvimento das
glândulas cerebrais

NATURAL MEDIUNIDADE Lucidez


MEDIUNIDADE e de QUANTO AO Incorporação
QUANTO Á PROVA ou FENÔNEMO Efeitos Físicos
NATUREZA TAREFA Fenômenos Correlatos

Local
Objetiva Espaço { por aparelhos
{ por desdobramento
VIDÊNCIA e
Rememorativa
Subjetiva Tempo Fatos Passados
Profética
Fatos Futuros
LUCIDEZ
Objetiva
AUDIÇÃO e
Subjetiva
PSICOMETRIA – leitura de impressões/recordações ao contato de objetos comuns
EXPANSÃO MENTAL –médium exteriorizado abandona mente menor penetra a
mente maior e reintegrado nesta, revive cenas/fatos do passado
TELEPATIA ou INSPIRAÇÃO – captação de idéias, pensamentos externos
INTUIÇÃO – ligação direta com Deus

SONO Freud
e Subconsciente
SONHO Reais

Psicografia
Transmissão PARCIAL Transmentação
Desenho e
Oral e Pintura
INCORPO- e
RAÇÃO Escrita TOTAL Transes: >Sonambúlico > Letárgico
>Cataléptico > Transfiguração
53
Levitações
EFEITOS Transporte
Tiptologia
FÍSICOS Materialização
Voz Direta
Escrita Direta

Bicorporeidade – 2 corpos :> projeção ideoplástica do indivíduo


FENÔMENOS Desdo ou > caracterização/simulação de espír.desenc.
bramen
CORRELATOS to Bilocação – dois lugares ao mesmo tempo :> por desdobramento
e incorporação, ou > por vidência/materialização

Dupla Personalidade

Cura

54
9ª AULA (3ª aula teórica)-FACULDADE DE LUCIDEZ – VIDÊNCIA – AUDIÇÃO – PSICOMETRIA
– EXPANSÃO MENTAL – TELEPATIA – INTUIÇÃO – SONO e SONHO
(Bibliografia “Mediunidade” Caps.9 e 10)

VIDÊNCIA (Vibração que o aparelho visual psíquico capta e transforma em imagem)

Vidência Olhos abertos No local


ou fechados (raros)
OBJETIVA (clarividentes) No tempo {Rememorativa
e {Profética
SUBJETIVA
Só de olhos No espaço Tubo Astral
abertos Linha.Fluídica
Desdobramento

Inferior
DENSIDADE Média
Superior  Mediunidade e Reforma Íntima caminham juntas

VISÕES COLETIVAS { Imagens mentais projetadas por espíritos dotados de alta


capacidade realizadora no campo das criações ideoplásticas.

AUDIÇÃO (Vibração que o aparelho auditivo psíquico capta e transforma em som)


Audição Objetiva  som atravessa a cortina fluídica protetora
Audição Subjetiva  som não atravessa a cortina fluídica. Ouve-se em todo o perispírito
Audição Direta  Espírito emissor dos sons age diretamente sobre atmosfera ambiente

INTUIÇÃO ( Mediunidade natural que busca a verdade diretamente na fonte)

TELEPATIA OU INSPIRAÇÃO (O Médium recebe idéias e pensamentos provindos de um


emissor encarnado ou desencarnado)

PSICOMETRIA (forma especial de vidência) – Telestesia  faculdade de ler impressões e


recordações ao contato de objetos comuns

EXPANSÃO MENTAL  deixa a Mente Menor e penetra na Mente Maior, reintegrando


nela, e revive determinadas cenas.

SONO (percepção espiritual vai de 01 a 99%)


Congestao Cerebral
Anemia Cerebral
Teorias sobre o sono Teoria dos Neurônios
Desintoxicação
Reparar as energias

1. assemelha-se ao estado acordado – Espírito fica mais receptivo


Estágios do Sono 2. alterações fisiológicas
3. Sono profundo
4. Sono mais profundo

Freud
Sonho Subconsciente
Reais
55
MECANISMO DA AUDIÊNCIA
O mentor espiritual responsável pela preparação do fenômeno da
audiência aproxima-se do médium e lhe aplica forças magnéticas sobre o
chacra coronário, sensibilizando e ativando a glândula pineal, o que faz com
que ela produz um hormônio denominado melatonina.
A melatonina é direcionada para o centro coclear, isolando-o
momentaneamente do nervo auditivo, que é responsável pela condução dos
sons ao cérebro. Como o nervo auditivo não receberá qualquer tipo de som, o
médium perderá temporariamente a audição física.
Em seguida, o mentor através de processos fluídicos, aumenta a tela
fluídica do chacra frontal, permitindo que os sons captados pelos ouvidos
perispirituais do médium cheguem até o nervo auditivo físico e, por intermédio
deste, sejam conduzidas até o cérebro físico, na parte do córtex cerebral
responsável pela audição. Desta forma, o médium passa a ouvir as coisas do
mundo espiritual.
Nesse processo fluídico, o mentor envia seus fluídos de ligação ao chacra
frontal do médium e, em seguia, ao cérebro físico, onde, por desativação da
audição física, chagam ao córtex cerebral os sons vindos do perispírito em
dimensões até então inaudíveis.

55-A
MECANISMO DA VIDÊNCIA
O mentor espiritual responsável pela preparação do fenômeno da vidência aproxima-se do médium e lhe
aplica forças magnéticas sobre seu chacra coronário, sensibilizando e ativando a glândula pineal, fazendo-a produzir
um hormônio chamado melatonina.
A melatonina é direcionada para o globo ocular físico, isolando-o momentaneamente o nervo óptico, que é
responsável pela condução das imagens ao cérebro. Como o nervo óptico não receberá imagens, o médium perderá
temporariamente a visão física.
Em seguia, o mentor espiritual, por processos fluídicos, aumenta a tela fluídica do chacra frontal, permitindo
que imagens vistas pelos olhos perispirituais do médium cheguem até o nervo óptico físico e, através deste, sejam
conduzidas até o cérebro físico, na parte do córtex cerebral responsável pela visão. Assim, o médium passa a ver as
coisas do mundo espiritual.
Nesse processo fluídico, o médium consegue ver as imagens vistas pelo perispírito, que estão em dimensões
que variam do ultra-violeta ao infra-vermelho e que, momentaneamente, são interpretadas pelo córtex cerebral físico.

55-B
10ª AULA (4ª aula teórica)- INCORPORAÇÃO E SUA DIVISÃO – INCORPORAÇÕES PARCIAIS
(Bibliografia “Mediunidade” Cap. 11)

Consciente – 50%
Faculdade de Incorporação { 80% Quanto ao Médium Semi-consciente – 28%
Inconsciente – 2%

A INCORPORAÇÃO se caracteriza pela transmissão oral e escrita:

Transmissão Oral – denomina-se PSICOFONIA


Transmissão Escrita - denomina-se PSICOGRAFIA
Psicofonia
Psicografia
Fenômenos Transfiguração
Transmentação
Sonambulismo (forma inconsciente)

> faculta entendimento direto e pessoal com os espíritos


A incorporação é uma das > possibilita doutrinação e esclarecimento aos espíritos na
formas mais interessantes escuridão mental: consciente e Inconsciente
e das mais úteis porque: (Ponto Importante: na doutrinação não discutir nem ferir os
Espíritos carentes)
> É a porta mais acolhedora para a manifestação objetiva
dos Espíritos no plano material.

> O Espírito comunicante se aproxima do médium, não mantém contato


perispiritual e telepaticamente lança as idéias que deseja enunciar.
> Lançada a idéia não pode interferir. O médium é quem verbaliza.
> Mediunidade dos tribunos, pregadores, e na forma escrita, dos poetas
e dos escritores.
FORMA > Pode não haver a comunicação:
CONSCIENTE 1. O médium tem receio de falar;
(O médium 2. O espírito lança a idéia que é elevada para o médium;
tem consciên 3. O médium é mais culto que o espírito.
cia do que se > Kardec informa que: os espíritos dão preferência a médiuns com
passa ao re- cérebro povoado de conhecimentos latentes, de vidas anteriores.
dor e lembra > Médium não pode ser autômato.
do que foi > Mediunidade por si só não basta, é preciso saber usá-la.
transmitido) > Espelho sepultado na lama não reflete o esplendor do sol.
> Elevar o padrão de conhecimentos. Apurar as qualidades da emoção.
> Os guias espirituais têm alto interesse em desenvolver as qualidades
morais dos médiuns dos quais se servem para as revelações do alto, por
isso esperam primeiramente o adiantamento no campo da evangelização
e do conhecimento espiritual.
Animismo  interferência dos fatores subconscientes do médium.
Utilidade do animismo Médium é obrigado a usar todos os elementos
que possui no campo mental para cumprir sua tarefa, o que não
desmerece sua atuação, pois não se pode afirmar onde termina a
Influência do espírito e começa a do médium.

56
> É preciso haver afinidade fluídica
> As manifestações são reguladas pela lei da afinidade fluídica
FORMA SEMI > Esta lei é a seguinte: Afinidade fluídica do perispírito do médium com o
CONSCIENTE perispírito do Espírito que quer se manifestar. Isto quer dizer que:
> o médium não pode servir de instrumento a todos Espíritos indistinta/.
> Espírito comunicante entra em contato com o perispírito do médium e
atua sobre o corpo físico – o órgão vocal do médium fica sob o controle do
espírito comunicante, sem o espírito do médium precisar se afastar.
> O médium sob a influência do espírito não pode se furtar, salvo não
queira dar passividade, deliberadamente.
> Afinidade fluídica – há exteriorização total do perispírito.
> Dá maior segurança à transmissão.
FORMA > Não haverá comunicação quando o espírito não encontrar afinidade
INCONSCIENTE fluídica.
(o espírito do > Afinidade fluídica - Afinidade moral
médium se > Entre um determinado espírito e um médium pode haver afinidade
exterioriza do fluídica e não ter afinidade moral e vice-versa.
corpo tempora- > O médium se desdobra em Transe sonambúlico (anda, fala, com o
riamente que corpo do médium) ou em Transe Letárgico (fala, mas o corpo do
fica mais ou médium fica imóvel, com rigidez ou não).
menos a dispo- > Transmissão é mais fiel, porque o Espírito usa suas idéias, ele mesmo
sição do contro fala com sua palavra, sem alteração que há na telepatia.
le do espírito > Quem promove o afastamento é o Espírito comunicante por
processo magnéticos, afastamento mais suave quanto mais afins as
vibrações fluídicas de ambos.
> IMPORTANTE: Superior dirige o inferior.

> O espírito pode assumir o aspecto físico, voz, maneiras, e revelar


detalhes da personalidade de vidas anteriores e manifestar no
momento. Observa-se neste fenômeno:
TRANSFIGURAÇÃO 1. O espírito operante adormece e desliga momentaneamente o
( Alteração no espírito do médium, fazendo um relaxamento nos centros nervosos e
aspecto físico do dos tecidos.
médium) 2. Interpõe-se entre o perispírito desligado e assume o comando
dos conjuntos dos órgãos.
3. Com sua vontade age fortemente, atraindo ao seu próprio
perispírito que passa a servir de molde temporário. Os tecidos
relaxados vão se adaptando ao novo molde dando características do
espírito operante.

O Espírito sobrepõe sua mente a do médium. Médiuns Especiais,


TRANSMENTAÇÃO sensibilidade apurada, perfeito equilíbrio psíquico:
(incorporação parcial) 1. Não há transmissão telepática. 2. Não há incorporação
Incorporação Mental 3. Médium não perde faculdades ambulatórias. 4. Usado por
espíritos superiores com alta capacidade mental. 5. Usam
energias cósmicas. 6. Lançam seus pensamentos através espaço.
> O Espírito comunicante utiliza-se do braço e das mãos do médium
previamente em condições. Geralmente o médium fica em estado
PSICOGRAFIA consciente ou semi consciente.
> A psicografia possibilita as belezas da literatura espiritual

57
complemento da 10ª aula - INCORPORAÇÃO - Curso De Médiuns INCORPORAÇÃO
 Para Ser Médium não
é necessário possuir
uma força psíquica
especial definida.
 Mediunidade é
capacidade de
percepção de
vibrações mais altas
 Todos possuem essa
capacidade em
maior/menor grau
 Mais útil e acessível
 Faculta entendimento
direto e pessoal
c/espíritos.
 Possibilita doutrinar
e esclarecer Espíritos
ainda inconscientes.
 Fenômenos: Psicofon.
Psicogr.,transmentaç.
transfigur.,Sonambul
 Divisões: Parcial e
Total
 Divisões: Consciente,
Semi-Consc., Insconc.

57-A
CONSCIENTE
Há uma exteriorização do perispirito do médium de apenas alguns centímetros.
O espírito comunicante se aproxima do médium sem manter contato perispiritual e transmite telepaticamente
as idéias que deseja enunciar. É a mediunidade dos tribunos e pregadores, que manifestam a "inspiração
momentânea".
O espírito emite o pensamento e influi sobre o aparelho fonador médium, que transmite as idéias
conforme as entende e usando seu próprio estilo, vocabulário e construção de frases. Ou seja, a idéia é do
espírito, mas o jeito de falar é do médium.
O médium sente a influência e capta o pensamento do espírito comunicante na origem, antes de falar.
Desta forma, ele pode avaliar antes da manifestação, tendo fácil controle do fenômeno.

SEMI-CONSCIENTE
Fenômeno comum a 28% dos médiuns psicofônicos, na psicofonia semi -consciente existe uma maior
exteriorização do perispírito do médium, mas ainda não completa. O espírito comunicante entra em contato
com o perispírito do médium, que se semi -exterioriza, e tua através deste sobre o corpo físico, ficando os
órgãos vocais do
médium parcialmente sob o controle do espírito que faz a comunicação.
Desta forma, o espírito tem maior atuação no órgão fonador, conseguindo falar melhor, em seu próprio
estilo. Ou seja, apenas as frases são do médium, mas o estilo e as idéias são do espírito.
Enquanto a mensagem é recebida, o médium sabe o que fala, sente o padrão vibratório e a intenção do
comunicante, podendo controlar e intervir se necessário. Porém, ao terminar a manifes tação, só recordará do
início e do final da mensagem, ficando apenas com uma vaga lembrança do tema abordado.

INCONSCIENTE
Na psicofonia inconsciente representa somente 2% dos casos de médiuns psicofônicos, há uma
exteriorização total do perispírito do mé dium, ficando apenas ligado pelo cordão fluídico. Inexiste ligação
entre o cérebro do médium e o espirito manifestante e mesmo entre sua própria mente perispiritual e o
cérebro físico. O fato do espírito do médium se exteriorizar do corpo físico temporaria mente faz com que se
passe a estar inteiramente à disposição e sob controle do espírito comunicante.
A atuação do espírito sobre o organismo físico do médium é mais direta, através do chacra laríngeo e
dos centros nervosos liberados. Assim, o comunicante t em maior intervenção material, modificando estilo,
gestos, e entonação de voz. Ou seja, as frases, o estilo e as idéias são todas do espírito.
A mensagem é transmitida sem que o médium guarde consciência cerebral dela, porém, em espírito, o
mesmo está consciente. Ao recobrar a consciência, o médium geralmente nada recorda a mensagem deixada.
A vantagem é que há maior liberdade para o espírito, que se identifica por gestos, entonação da voz e
atitudes.

57-B
57-C
11ª AULA (5ª aula teórica) - MEDIUNIDADE DE EFEITOS FÍSICOS – LEVITAÇÃO –
TRANSPORTE – TIPTOLOGIA – MATERIALIZAÇÃO – VOZ DIRETA – ESCRITA DIRETA
(Bibliografia “Mediunidade” Cap. 12)

Levitação
No campo da matéria ECTO Transporte
densa de natureza objetiva PLASMA Tiptologia
constatação direta sob o Materialização
OS ponto de vista científico Voz Direta
FENÔMENOS Escrita Direta
PODEM
SE DAR No campo da matéria
rarefeita, natureza Fluidos Curadores  Cura
subjetiva de
constatação indireta

ECTOPLASMA  substância fluídico-plástico pesado, emanação do corpo etéreo.

FLUIDOS CURADORES  Energia magnético-plástico que circula pelos chacras.

LEVITAÇÃO Erguimento de objetos e pessoas, PARCIAL e


contrariando a lei da gravidade TOTAL

Local Entrada e saída de objetos No claro


TRANSPORTE ou de recintos hermeticamente e
a Distância fechados No escuro

TIPTOLOGIA Sematologia
(linguagem das Ponto de partida da doutrina espírita Tiptologia
pancadas) Raps

Isolamento a grande distância do ambie nte


Preparo do ambiente, assistentes
MATERIALIZAÇÃO Preparo dos Médiuns
Coleta dos fluidos pesados
Presença de espírito que vai se apresentar materializado

VOZ DIRETA
(Vozes do espírito que soa Fenômenos Inferior  só fluidos pesados colhidos do
no ambiente independente ambiente
do médium, através de uma de
garganta ectoplásmica) Superior  Do ambiente, exigem
Ordem purificação, filtragem e
combinação com fluidos
mais finos

ESCRITA DIRETA  Mão fluídica materializada escreve sem a participação do médium, só


com os fluidos.
58
complemento da 11ª aula - Efeitos Físicos - Curso de Médiuns

Levitação - Carmine Mirabelli

Ectoplasma fotografado saindo pela boca de Maria M.


médium de grande potencial para fenômenos de efeitos físicos.
58-A
12ª AULA (6ª aula teórica) - FENÔMENOS CORRELATOS – DESDOBRAMENTO – BILOCAÇÃO –
BICORPOREIDADE – DUPLA PERSONALIDADE – REGRESSÃO DE MEMÓRIA
(Bibliografia “Mediunidade” Cap. 13)

CONSCIENTE
e
DESDOBRAMENTO Encarnados
INCONSCIENTE e
Desencarnados Benfeitores espirituais
e obsessores

DESDOBRAMENT O Permanência normalmente curta, varia de acordo com a exigência


NO SONO COMUM do sistema encarnado

1
Emoções profundas
DESDOBRAMENTOS Depressões graves
MÓRBIDOS POR Misticismo exagerado
EFEITO DE Estado febril
ESTADOS ANORMAIS Fraqueza física
Desejo de desencarne
Estado de coma

Lucidez
Vidência
Premonição
Bilocação {Desdobramento relacionado com Telepatia
Tangibilidade
DESDOBRAMENTOS Incorporação
Autoscopia
PSÍQUICOS Autoscopia
TOMAM interna
ASPECTOS
DIFERENTES Bicorporeidade  Projeção ideoplástica. Caracterização

Dupla personalidade  Alteração profunda de personalidade.


Decepção, desilusão, aborrecimentos.

Regressão de Memória  Recuo da mente sob a influência de


uma força externa.

Passes mediúnicos
TRATAMENTO Preces
Desenvolvimento mediúnico
Auto Domínio

59
AULA 12 - CURSO DE MÉDIUNS - fenômenos correlatos - desdobramentos

Desdobramento durante o sono

59-A
13ª AULA (7ª aula teórica) -MEDIUNIDADE DE CURA
(Bibliografia “Mediunidade” Cap. 13)

CURA – FENÔMENO DE EFEITOS FÍSICOS  No campo da matéria rarefeita, de nat ureza


subjetiva de constatação indireta.

MÉDIUNS  Doam magnetismo próprio, fluidos leves, benignos, que captam das fontes
energéticas da natureza.

Atinge o campo celular


EFEITOS Atinge o perispírito
DA DOAÇÃO Manipulação de remédios fluídicos

Moléstia – causada por fluidos impuros por serem assimilados pelo


organismo ou por se produzirem nele.
Fundamento da cura pelo espiritismo – retirar os fluidos impuros e colocar
CURA PELO fluidos puros
ESPIRITISMO Sinergia – vontade do médium junto com a vont ade do espírito curador
O Doente precisa de fé.
No caso de criança – fé e oração dos pais
Focos que produzem os fluidos impuros – localizados no perispírito
Condição essencial de merecimento da cura espiritual – que se moralize
Todos os espíritos encarnados e desencarnados irradiam fluidos.

Materiais - atacam a doença superficialmente. Na manifestação física


REMÉDIOS cura o corpo (efeito)
Espirituais - Agem diretamente sobre a causa profunda que originou, sobre
as manchas apresentadas no perispírito

Fé Água Fluida
COMO MOVIMENTAR e e
OS FLUIDOS Oração Passes

OBSESSÃO Origem interna = auto obsessão Idéias mórbidas de


Origem externa = hetero obsessão encarnados e desencarnados

Simples
A OBSESSÃO APRESENTA Fascinação
CARACTERÍSTICAS DIVERSAS Possessão

Vingança
CAUSAS Inveja
Fraqueza moral

A SEGUIR, OUTROS APONTAMENTOS SOBRE OBSESSÃO

60
APONTAMENTOS SOBRE OBSESSÃO
I – CAUSAS FUNDAMENTAIS – 4 causas que exteriormente podem semelhar -se na produção de
perturbação espiritual ou distúrbios mentais:
Causas profundamente vinculadas a a.- Neurológicas => adoecimento do cérebro ( infecção,
desequilíbrios da própria alma desta ou de
encarnações anteriores. Entretanto, como
paralisia geral por sífilis, toximanias, demência senil,
esses desajustes já produziram marcas ou arteriosclerose, tumores intracranianos,
deformidades orgânicas, o seu campo de debilidade mental, imbecilidade, idiotia, epilepsia,
tratamento deverá ser clínico, auxiliado
espiritualmente.
hidrocefalia,etc.

Sementeiras inegáveis de b.- Perturbações transitórias => influenciação desequilibrada de


futuros quadros obsessivos ou espíritos perturbados (levianos), quais sejam:
de enfermidades orgânicas de
longo curso perturbado/perturbador, recem -desencarnado, de amigos, de paren tes, etc.

Drogas e produtos c.- Auto Perturbação => criatura que alimenta insatisfação íntima, que
farmacêuticos cria e sustenta anseios desequilibrados, ambições desmedidas.
ocasionam alterações São origem : orgulho, vaidade, preguiça avareza, ignorância, egoísmo,
somáticas consideráveis
má vontade, etc.

d.- Obsessão => “Ação persistente de um espírito mau sobre um


indivíduo” - definição trazida por Allan Kardec.
OBSESSÃO propriamente d.1. - Ação = desencarnado deseja revidar o mal recebido; para
dita. transformar em obsessão, movimentará recursos e circunstâncias
Para que haja obsessão é que venham ocasionar prejuízos efetivos ao encarnado.
necessário haver ação d.2. – Persistente = poderá da promessa de vingança passar à
persistente de um espírito ação que deverá ser contínua, persistente.
mau sobre um indivíduo d.3. – (de) Um = responsável principal, que acionará instr umentos,
espíritos para torturas.
d.4. – Espírito Mau = inteiramente consciente do que faz, das
dores que provoca intencionalmente. Ação nem sempre detectada,
nem sempre visível.

II – Variação do Fenômeno
1. – OBSESSÃO OCULTA => influência malévola, sem ch egar o obsediado a considerar -se sob a
ação de um espírito mau. Atribui a si mesmo decisões/pensamentos, mal chegando a perceber
o mal que está desencadeando na família/serviço/grupamento social/religioso.
1.a - Influência afetiva => sede dos sentimentos. A afetividade será impulsionada para
2 aspectos:

Não há grandes empeços para o


trabalho obsessivo, já que são
Egoísmo = impiedade, ciúmes, antipatia, indiferença,
raríssimos os homens que sus -
tentam um equilíbrio contínuo que sensualismo, avareza, etc.
possa protegê-los das Orgulho = paixões, ódio, rancor, vingança, cobiça, raiva,
influenciações exteriores maledicência, calúnia,etc.

1.b – Influência de ideação => a obsessão poderá se instalar em um desses departamentos de


nossa alma: inteligência–sensação–percepção–memória–associação–atenção–imaginação
–raciocínio–tendências–vontade–linguagem. (Nosso patrimônio ideativo é imenso e variado e
a obsessão pode instalar-se de acordo com nossas fraquezas pessoais num desses
departamentos da alma). 61
14ª AULA (8ª aula teórica) - EDUCAÇÃO DOS MÉDIUNS – PRÉ MEDIUNISMO
(Bibliografia “Mediunidade” Cap. 15 A 18)

Seriedade
Modéstia
Qualidades Morais Devotamento
QUALIDADES Abnegação
PARA SER UM Desinteresse
BOM MÉDIUM Serenidade

Flexibilidade
Adestramento Educação
Auto domínio

Protetores espirituais, para oferecer condi -


PARTEM DAS COLÔNIAS ESPIRITUAIS ções favoráveis, realizam complexo e deli ca
COM DESTINO Á TERRA TRABALHADORES do trabalho preparatório no:
PARA O CAMPO DA MEDIUNIDADE 1. corpo físico 2. ambiente doméstico
3. meio social 4. recursos materiais
5. processos reencarnatórios, etc.

FRACASSO  O maior fator é a falta de responsabilidade

Lei que preside o Estado de Evolução  Tarefa em comunhão com os


espíritos do bem

Desprezo da mediunidade
QUEDAS Mau procedimento
Lei que preside o Estado de Queda Vaidade
Suscetibilidade
Leviandade
Presunção
Orgulho exploração

Advertência
Benevolência
SUSPENSÃO Provação
TEMPORÁRIA Viagens
Serviços
Gestação
Período de Repouso

Circunstância do meio
AMADURECIMENTO Época em que vive
MEDIÚNICO Conforme o efeito que se precisa o bter por seu intermédio
Campo social

1. cérebro perturbado 2. Nervosismo


PRÉ-MEDIUNISMO – PERTURBAÇÃO PSÍQUICA 3. Sensação de peso na cabeça, ombros
E FÍSICA. AFETA MAIS OU MENOS 4. Desassossego 5. Insônia 6. Arrepio
PROFUNDAMENTE O AMBIENTE FAMILIAR 7. Falta de ânimo para o trabalho.
8. Profunda tristeza ou excessiva alegria
sem causa aparente.
62
Sífilis
Cura Material Exaustão Física
PERTURBAÇÃO Anemias

Cura espiritual  viciamento

Trabalho Profissional – p/ganhar o “pão” honestamente


PROGRAMA DE desenvolvendo qualidades:
TRABALHO . dever, direito, justiça,
Trab.p/aquisição conhecim.morais responsabilidade, caridade
simpatia, compreensão,
boa vontade

Trabalho p/conquistar a pessoa que estuda compreende melhor,


conhecim.intelectuais podendo vir a ser mais tolerante .

Conhecimentos espirituais

Aplicação de todos esses conhecimentos

O homem que sabe, tem o conhecimento, mas guarda para si, é um homem cheio,
mas inútil.

O homem que escreve com clareza, mas guarda para si. é um homem claro, preciso,
mas inútil.

O homem que transmite com clareza daquilo que sabe é um homem útil.

63
15ª AULA (9ª aula teórica) - VERIFICAÇÕES INICIAIS – ADAPTAÇÃO PSÍQUICA
(Bibliografia “Mediunidade” Cap. 20 a 21)

90% são de fundo espiritual necessitando cura e auto-evangelização

PERTURBAÇÕES 10% mediunidade campo espiritual Maior luminosidade e


a desenvolver assume aspecto vibração do chacra
característico coronário principalmen-
te glândulas cerebrais e
plexos.
Maior sensibilidade às
influências externas

Com reflexos na vida subjetiva, alergias, angústia, depressões,


SEGUEM temores, alheamento à vida, manias, amnésias, perturbações mais
COMPLICAÇÕES graves que requerem isolamento em sanatório .

> Defeitos Morais.


AGENTES DESSAS > Influências diretas e indiretas de forças e entidades espirituais
PERTURBAÇÕES inferiores.

Individual
Ambiente Doméstico
Social
TRATAMENTO
Contato com as correntes espirituais

Tratamento direto Passes


Sessões de Cura Espirituais

Promover o equilíbrio orgânico


Disciplinar a causa perturbadora
ADAPTAÇÃO Dar ao médium harmonia e serenidade
PSÍQUICA Interna – higienizar a mente
Classificar a mediunidade

PASSES – CÂMARA e SALA DE PASSES – RADIAÇÃO Poderoso agente de tratamento


tanto material como espi ritual

64
16ª AULA (10ª aula teórica) - SINAIS PRECURSORES – PASSIVIDADE MEDIÚNICA –
OPORTUNIDADE DE DESENVOLVIMENTO
(Bibliografia “Mediunidade” Cap. 22 a 24)

*Disciplinar - *Harmonizar
*Conhecimento da técnica Dominar as influências. Adquire con -
MEDIUNIDADE *Equilibrar. *Contato com fiança em si mesmo e no ambiente
DEVIDAMENTE as correntes espirituais em que se acha.
CANALIZADA *Tratamento
*Auto-evangelização Passa a exercer o princípio:
*Assiduidade “O SUPERIOR COMANDA O INFERIOR”

Médium extremamente passivo.


PASSIVIDADE
MEDIÚNICA Faculdade que obriga Incorpor. inconsciente Deve ocorrer só no
a essa passividade e de Efeitos Físicos trabalho mediúnico

> Disciplina
> Ao chegar, entrar em sintonia com o plano maior, através da meditação ou
da leitura.
REGRAS > Deixar-se envolver somente no momento oportuno.
> Criar ambiente espiritualizado, e cada elem ento é responsável.
> Tudo bem organizado a manifestação deve se dar um de cada vez, somente
os instrutores no início do adestramento.

OPORTUNIDADE Época - juventude


DE Consolidação - meia idade
DESENVOLVIMENTO Declínio – no mesmo período de declínio orgânico

Alergia
SINAIS Além das psíquicas e físicas Angústia
PRECURSORES Temores
Peso na cabeça

> Sonha com intensidade e com


NA FACULDADE nitidez cada vez maior. A vidência é projetada no
DE > Em estado mais avançado em campo visual, ou ela penetra
LUCIDEZ plena vigília passa a distinguir diretamente nas esferas espir.
as cores áuricas.

AUDIÇÃO  Ouve vozes rumores e zumbidos

ALHEAMENTO Exteriorização para uma semi incorporação


VERTIGEM ou incorporação total  Mas só nos trabalhos mediúnicos
65
Que vem de desencarnados ou Agindo em determinadas regiões do
FLUIDOS encarnados presentes organismo físico

BALLONEMENT Sensação de dilatação, estufamento, inchação das mãos, pés,


(deslocamento rosto do médium, fenômeno que ocorre antes do transe
do perispírito)

IDÉIAS E REAÇÕES Tem impulsos e Analisar para procurar


ESTRANHAS pensamentos estranhos dominar as influenciações

> Adormecimentos provocados por instrutores àqueles que não conse -


INCORPORAÇÃO guem concentrar ou dominar -se,agindo sobre as causas perturbadoras.
> Cansaço, condições físicas impróprias.

66
17ª AULA (11ª aula teórica) - AS COMUNICAÇÕES – O TRABALHO DOS GUIAS –
AUXILIARES INVISÍVEIS
(Bibliografia “Mediunidade” Cap. 30, 31 E 33)

Ação caridosa Pela própria imperfeição presta opera com efeitos


da doutrinação auxílio aos planos inferiores

ALVO DO
TRABALHO Grandiosa tarefa Médium mais evangelizado
MEDIÚNICO de implantar a mantém intercâmbio com opera com a causa
verdade nas massas Entidades Superiores
(esta é a finalidade maior)

> Não discutir nem ferir


DOUTRINAÇÃO > Não estão sob a nossa verdade
(Modo de tratar > Em ambiente espiritualizado são forçados a manter atitudes
os espíritos respeitosas
inferiores) > A força moral é o nosso maior argumento

> Pelas doutrinações ouvidas


> Pelos fluidos reparadores da corrente
BENEFÍCIOS > Pelo efeito vibratório das preces
> Pelo efeito vibratório da s concentrações

Espíritos errantes
1ª. categoria Espíritos familiares
Protetores espirituais

COMUNICAÇÃO Por interferência de terceiros


sofredores Término de prova
2ª. categoria (se beneficiam) Por efeito de preces

obsessores Atraídos por condições morais


do assistido.

Choque com a carne


NOSSA COLABORAÇÃO Contato com as correntes magnéticas
Emoções da presença de seus entes queridos

67
Vigilantes
Auxiliares
TRABALHO Magnetizadores
DOS GUIAS Padioleiros
Corrente Médica
Dirigentes

> Inicia com a leitura ou meditações.


> Entrelaçamento das duas correntes
CORRENTE de encarnados e desencarnados .
MAGNÉTICA > Pode estabelecer permuta com
outros grupos semelhantes.
Força Vital
> Médiuns começam a ser Equilíbrio próprio
influenciados de acordo com a Grau de desenvolvim. mediúnico
sua resistência Adiantamento Moral

> Cooperadores invisíveis atuam sobre os médiuns pre parando-os


para o trabalho.
ANTES DAS > Estabelece equilíbrio dos centros vitais
INFLUENCIAÇÕES > Regeneração dos centros de energia
> Terminada a sessão a corrente se desfaz, mas os efeito s de bem
estar, perduram no espírito de cada um.

Protetor individual
AUXILIARES
INVISÍVEIS Guias Espirituais de encarnação
de evolução

> Conhecimento doutrinário


> Evangelização
DESENVOLVIMENTO Percepção de fluidos
MEDIÚNICO > Treinamento técnico Aproximação
das faculdades com Contato
base nas seguintes fases: Envolvimento
Manifestação espír. comunicante

68
18ª AULA (12ª aula teóric a)- 1ª AULA DE PSIQUISMO
(“Métodos Espíritas de Cura - 2ª parte - ” Cap. 01”)

O ENCÉFALO
PSIQUISMO – conjunto das faculdades da alma, ou seja, seus pensamentos e sentimentos que traduzi
rão, no corpo físico, as atitudes e os padrões que caracterizam sua personalidade.
ENCÉFALO – conjunto de estruturas especializadas, contido no crânio, que o envolve e protege.
É formado de:

1. Cérebro – apresenta dois hemisférios, ligados pelo corpo caloso:


Hemisfério direito => associado à criatividade.mediunismo. Intuição, memória. Domina
o lado esquerdo do corpo
Hemisfério esquerdo => associado ao raciocínio lógico, análises e pensamentos
matemáticos. Domina o lado direito do corpo.
O Cérebro possui regiões específicas:
a. lobos frontais => discernimento, vida intelectual. Atividade psíquica
b. lobos parietais => tato, sensibilidade geral
c. lobos occipitais => visão
d. lobos temporais => audição, paladar, olfato

2. Diencéfalo – a. Tálamo => regula sensibilidade. Retransmite impulsos nervosos p/córtex.


b. Hipotálamo => principal centro integrador das atividades dor órgãos viscerais.
Faz ligação entre o sistema nervoso e o endócrino.
b.1- Glândula Hipófise: produz hormônios influenciando demais glândulas
b.2 - Glândula Epífise: mediunidade. Estimula atividade encéfalo perispir.

3. Tronco Cerebral – Mesencéfalo – Ponte - Bulbo ou Medula Oblonga

4. Cerebelo - semelhante a galhos de árvore. Localizado na região da nuca.

>Sede da inteligência
>Sede dos sentidos
CÉREBRO >Centro das atividades
motoras
ENCÉFALO
>Mantem equilíbrio do
CENTRAL CEREBELO corpo
>Coordena ativ.motoras
condutor estímulos
CÉREBRO BULBO Coordenador movim.cardía-
ESPINHAL cos,respirat., digest., etc.

SISTEMA
MEDULA Centro Nervoso de atos involuntários (com
NERVOSO ESPINHAL atos reflexos), condicionados ou incondic.

12 pares nervos cranianos => partem do encéfalo


PERIFÉRICO
31 pares nervos raquidianos => partem da medula

2 cordões nervosos
SIMPÁTICO 23 pares de gânglios nervosos
AUTÕNOMO
OU
NEURO VEGETATIVO PARASSIMPÁTICO [ Na sua totalidade é representado pelo vago

69
Estímulos e impulsos sensitivos => nervos => tálamo => hipotálamo => córtex
ATUAÇÃO nervos eferentes
Resposta motora => córtex ------------------diencéfalo => coluna => músculo
DO ESPÍRITO
Metabolismo psíquico (sensações): córtex => frontal => mente

Metabolismo psíquico (ordens):espírito =>mente=>coronário/frontal=>cortex

GLÃNDULA PINEAL - vista ao microscópio eletrônico

Aqui vemos pequenas esferas incrustadas nas paredes


internas da pineal, que são cristais de apatita.
Tudo indica que os cristais são estruturas previstas
no campo morfogenético da pessoa, quer dizer, cada
pessoa deve nascer com a pré -disposição a ter um
número de casulos dentro da glândula, onde se
aninham os cristais de apatita .

Através da difração de raio -X, constatou-se não só


que são cristais, pelos picos que formam a par tir da
difração, mas também que têm propriedades
diamagnéticas, repelem fracamente o campo
magnético.

Numa linguagem simples, podemos dizer que


é como se a onda batesse num cristal e fosse
ricochetada para outro, desse para outro,
e assim sucessivamente. Desse modo, o campo
magnético é seqüestrado pela glândula.

Quanto mais cristais a pessoa apresenta na glândula, maior é a capacidade de captar esse campo magnético, e
isso caracterizaria o fenômeno mediúnico propriamente dito, o que vem da dimensão espiritual, dos universos
paralelos, fenômeno de incorporação, e assim também o de telepatia. Ela captaria determinados planos do
mundo espiritual que estariam em sintonia ou ressonância com o tipo de onda que a pessoa produz ou elege
para seu próprio clima mental.

Dessa forma, a pineal funcionaria como uma caixa


de ressonância das ondas mentais, seria capaz de
intermediar o fenômeno mediúnico.

Na hipótese defendida por Dr. Sergio Felipe de Oliveira,


Médico Psiquiatra espírita, estudioso da glândula pineal,
essa glândula seria o órgão sensorial da mediunidade.
Tal como um telefone celular, capta as ondas do
espectro eletromagnético que vêm da dimensão
espiritual. O lobo frontal é o substrato cortical do juízo crítico da mensagem, auxiliad o pelas
demais áreas encefálicas.
70
complemento da 1ª AULA DE PSIQUISMO - o cérebro

70-A
70-B
Cérebro

O cérebro é o centro de comandos do nosso corpo. Ele controla todas as


atividades vitais para o corpo. Arquiva as informações que formam a nossa
memória, ou seja, a lembrança de bri ncar em um parque ou o do cheiro bom do
bolo da sua mãe. Todas as emoções, como o amor, o ódio, o medo, a ira, a
alegria e a tristeza, também são controladas pelo cérebro.

O cérebro faz parte do sistema nervoso central. Ele fica muito bem protegido no
crânio. É encontrado em quase todos os animais.

Tamanho do Cérebro (aproximadamente)


Humano adulto: 1000 g
Humano recém-nascido: 400 g
Chipanzé: 420 g
Cachorro (beagle): 72 g
Gato: 30 g
Rato: 2 g
(dados da Neuroscience for Kids)

O cérebro humano é formado por aproximadamente 100 bilhões de células


nervosas, os neurônios. Uau! É muita coisa mesmo. O neurônio é o mensageiro do
cérebro, capaz de levar mensagens para o corpo e também recebê -las.

As partes do cérebro

O cérebro é formado por diferentes estruturas, cada uma delas com funções
diferentes. Veja as principais:

Córtex Cerebral Responsável pelas funções de: Pensamento, Movim ento voluntário,
Linguagem, Julgamento e Percepção.
A palavra córtex vem do latim para "casca". O córtex é a camada externa do cérebro. Sua espessura
varia de 2 à 6 mm. É dividido em dois hemisférios. Em mamíferos superiores, como humanos, o
cérebro tem uma superfície irregular, cheia de áreas mais protuberantes (chamadas de giros),
intercaladas com pequenos vales (chamados de sulcos) e que dão à aparência de "enrugado" ao
cérebro.
Cerebelo Responsável pelas funções de: Movimento, Equilíbrio e Postura A palavra cerebelo vem
do latim para "pequeno cérebro." O cerebelo fica localizado ao lado do tronco encefálico. O cerebelo é
parecido com o córtex cerebral em alguns aspectos: o cerebelo é dividido em hemisférios e tem um
córtex que recobre estes hemisférios.
Tronco Encefálico Responsável pelas funções de: Respiração, Ritmo dos batimentos cardíacos e
Pressão Arterial.
O Tronco Encefálico é uma área do encéfalo que fica entre o tálamo e a medula espinhal. O Tronco
Encefálico possui ainda várias estruturas com o o bulbo, a ponte, a formação reticular e o tegmento.
Algumas destas áreas são responsáveis pelas funções básicas para a manutenção da vida como a
respiração, o batimento cardíaco e a pressão arteria.
Hipotálamo Responsável pelas funções de: Temperatura Corporal, Emoções, Fome,Sede e Ritmos
Biológicos
O Hipotálamo é composto de várias áreas na base do cérebro. Ele tem o tamanho de uma ervilha
(cerca de 1/300 do peso total do cérebro), mas é responsável por alguns comportamentos muito
importantes para o indivíduo. Uma das suas funções é o controle da temperatura corporal,
funcionando como um "termostato". Assim, se a temperatura corporal estiver alta, ele faz com que
os capilares que passam pela pele aumentem de diâmetro, permitindo que o esfriamento do s angue.
O Hipotálamo também controla a hipófise, que por sua vez controla o sistema endócrino.
70-C
Hipocampo Responsável pelas funções de: Aprendizado e Memória.
O Hipocampo é um área do sistema límbico que é muito importante na memória e aprendizado.
Mesencéfalo
Responsável pelas funções de: Visão,Audição, Movimento dos Olhos e Movimento do Corpo.O
mesencéfalo inclui áreas como o colículo superior, entre outras.

Esquerdo ou direito?

Embora as metades do cérebro tenham uma estrutura bem parecida, certas


funções são realizadas por um único hemisfério. Geralmente, o hemisfério
dominante de uma pessoa ocupa -se da linguagem e das operações lógicas, como
fazer contas, estudar, escrever, enquanto que o outro hemisfério controla as
emoções e as capacidades artí sticas e espaciais. Em quase todas as pessoas
destras, que têm mais habilidades com o lado direito do corpo para escrever,
chutar bola, o hemisfério dominante é o esquerdo. Nas pessoas canhotas, que
utilizam mais o lado esquerdo do corpo, o hemisfério que manda é o direito.

70-D
19ª AULA (13ª aula teórica) - 2ª AULA DE PSIQUISMO –
(“Métodos Espíritas de Cura - 2ª parte- Cap. 02”)

> Dendrites
CÉLULA NERVOSA > Corpo Celular
OU > Cilindro, eixo ou axônio
NEURÔNIO > Terminais

Motores  levam as ordens do córtex aos músculos


NEURÔNIOS
DO PONTO Sensitivosconduzem os impulsos sensitivos do exterior para zona cortical
DE VISTA
FUNCIONAL Interneurônios  estabelecem as ligações entre os neurônios

SISTEMA NERVOSO 12 pares de nervos cranianos


PERIFÉRICO 31 pares de nervos raquidianos

* Metabolismo
* Crescimento
SISTEMA NERVOSO Controla a atividade * Reprodução
AUTÔNOMO ou não voluntária de * Respiração
NEURO-VEGETATIVO diversos orgãos * Nutrição
* Digestão
* Circulação
* Temperatura Corporal

2 cordões nervosos
Simpático
SISTEMA NERVOSO (ação 23 pares de formam os plexos:Cardíaco,
AUTÔNOMO estimuladora) gânglios Solar, Mesentérico(intestino)
SISTEMA VEGETATIVO nervosos hipogástrico (bexiga)
(Orgãos funcionam
automaticamente por
impulsos vindos do Parassimpático Representado pelo coração,pâncreas
perispírito) (ação nervo vago e enerva estômago,pulmão
moderadora) os seguintes orgãos fígado,intestinos.

71
2ª AULA DE PSIQUISMO - imagens do sistema nervoso

Sist.Nerv.Raquidiano Periférico

Sist.Nerv.Autônomo

71-A
20ª AULA (14ª aula teórica) - 3ª AULA DE PSIQUISMO – REENCARNAÇÃO
(“Métodos Espíritas de Cura - 2ª parte- Cap. 03”)

Encéfalo Sistema Nervoso


TUBO Medula Central
SISTEMA
NERVOSO NERVOSO
DO FETO Cranianos Sistema Nervoso
PRIMITIVO Raquidianos Periférico

Cordões de Sistema Nervoso


Gânglios Simpático

O ESPÍRITO REENCARNANTE .No ato reencarnatório .Na elaboração das tarefas que
CONSCIENTE COLABORA há de realizar .Experiências e provas que deverá passa

> Organizadores da vida dan do


impulso a um novo metabolismo
ORIGEM DA da célula fecundada.
CELULA-OVO 46 UNIDADES GENS > Unidade energética influencian -
PELA UNIÃO NUCLEARES Estruturas do diretamente o setor físico.
TRANSPORTADORAS dentro dos > Ponte de transição entre a ma -
DA HERANÇA FÍSICA Cromossomos teria e as energias específicas do
psiquismo.

QUANDO A ENERGÉTICA > O perispírito sofre um processo do encolhimento ocupando


ESPIRITUAL ESTÁ praticamente a zona uterina com suas irradiações
PREPARADA HÁ O > Perde a consciência
MERGULHO NA CARNE > Vai atraindo para si as energias em trânsito vindas do
corpo materno do centro de força genésico.

AS CÉLULAS ORGÃNICAS SE AGLUTINAM Grupo Celular Centros: Coronário, Fron-


DE ACORDO COM A DELICADEZA DA de acordo com tal, Laríngeo, Cardíaco,
ATIVIDADE ESPECÍFICA a região Gástrico e Genésico

72
Sede do pensamento
ESPÍRITO Sede do inconsciente
Sede da memória perene

CORPO MENTAL
ALMA
PERISPÍRITO Mediador energético entre corpo somático e espírito [AURA
HUMANA

DUPLO ETÉREO Inicia-se a gestação das emanações do campo uterino e


do perispírito reencarnante

> Invólucro do perispírito


FUNÇÕES ESPECÍFICAS > Zona de permutas e influências entre o perispírito e o corpo
DO denso.
DUPLO ETÉREO > Absorção pelos chacras de energias cósmicas para distribuir
pelo Sistema Nervoso do corpo físico.

AURA HUMANA
SÚBITO SENTIMENTO DE AMOR PURO
como o materno

73
A FECUNDAÇÃO - 3ª aula de Psiquismo

73-A
CORPOS DO PIRISPÍRITO - COMPLEMENTO DA 3ª AULA DE PSIQUISMO - REENCARNAÇÃO

73-B
21ª AULA (15ª aula teórica) - 4ª AULA DE PSIQUISMO – O ENCÉFALO ESPIRITUAL
(“Métodos Espíritas de Cura - 2ª parte - Cap. 04”)

1. Região onde há formação de juí zo e ondas de retorno


Centro De Força Frontal 2. Corresponde fisicamente ao córtex encefálico, que governa
as manifestações da individualidade encarnad a

CENTRO DE FORÇA CORONÁRIO

Tálamo – integração da dor .Análise. .Estudo


DIENCÉFALO . Discernimento.Virtudes morais
REGIÃO TALÂMICA
CAMPO VEGETATIVO . Meditação
E SENSITIVO Hipotálamo – estímulos metabolismo interno . Compreensão
. Reflexão

À Medida que o cérebro evolui 1. Região de hábitos e automatismo Zona Medular


Funciona em 3 regiões 2. Região das conquistas atuais Zona Mediana encéfalo
esquemáticas diferentes 3. Região das noções superiores  Lobos Frontais

1. zona medular - homem agindo automaticamente => fome, sede, andar, ouros hábitos
sem participação do raciocínio – automatismo milenar do perispírito.
2. zona mediana encéfalo – despende esforço para ter um melhor emprego, visando
usufruir melhores condições de vida. Estuda para ter título para ter m elhor colocação na
vida.
3. lobos frontais - homem procurando pesquisar e descobrir o que possa ser útil à
humanidade

No diencéfalo a Mente verte o 1. controla as percepções


pensamento e através do frontal audição, visão, tato, etc.
Centro de Força vem estimular a região cortical, 2. processo de inteligência em
Frontal(se repre espalhando-se em torno do corpo geral
senta no córtex) físico 3. ponto de controle dos
poderes psíquicos

Centro de Força 1. Assimila os estímulos do Plano Espiritual Superior


CORONÁRIO 2. Orienta a forma, a estabilidade, o movimento
Instalado na Região do 3. Metabolismo orgânico
Diencéfalo 4. Vida consciencial da alma
(sede da mente) 5. Supervisiona demais centros, transmitindo os impulsos vindos
do Espírito
6. Emite as energias de sustentação do Sist.Nervoso e do pensa -
mento.

74
OS
CHACRAS
E
SUA
LOCALIZAÇÃO
FRONTAL E DE
PERFIL

--------------------
RELAÇÃO
CENTROS
VITAIS E
CORPO FÍSICO

Centro Coronário Centro Frontal

Centro Laríngeo Centro Cardíaco

Centro Esplênico Centro Gástrico

Centro Genésico

74A
A MENTE. AREA PERISPIRITUAL FUNCIONA EM TRÊS SETORES

Representado Órgãos nervoso da cabeça, medula espinh al, gânglios,


pelo encéfalo demais expansões nervosas e todo o sistema nervoso
CONSCIENTE simpático/parassimpático
(personalidade)
Dividi-se 1. Orientação e movimento – 2. Sensações
em sete 3. Emoções - 4. Percepções
zonas 5. Afetividade - 6. Faculdades intelectuais
7. Criatividade e harmonia

SUPERCONSCIENTE Consciente com maiores horizontes -Zona nova em desenvolv.


(Lobos Frontais) material de ordem superior e desconhecida (zona silenciosa)

Variados processos mediúnicos formam a maioria


Atual dos conflitos e complexos facilmente tratados pela
psicologia moderna
INCONSCIENTE

Energética
Apropriada Arquivo das qualidades adquiridas leva energias no
Respondendo pela Passado consciente criando imagens belas , sadias e/ou
Individualidade deficientes

Puro Sugere o desenvolvimento do bem, a inteligência se


Energia alarga, o desejo se equilibra, a memória registra com
Superior harmonia, a imaginação com pureza.

75
complemento da 4ª aula de Psiquismo - curso de Médiuns

O ENCÉFALO ESPIRITUAL

75-A
o encéfalo espiritual - metabolismo psíquico

75-B
22ª AULA (16ª aula teórica) - ESTADOS CONSCIENCIAIS
(Bibliografia “Mediunidade” Cap. 26 E 27)

IMPORTÂNCIA DO > Na mediunidade


ESTUDO DA MENTE > Para nossa melhor vivência

ATIVIDADES NORMAIS DO ESPÍRITO:

CONSCIENTE - arcabouço nervoso

SUPERCONSCIENTE - lobos frontais

Onde são dados os conflitos, complexos e


Atual manifestações mediúnicas.

INCONSCIENTE
Passado Arquivo das qualidades levando energias ao conscie n
te, criando imagens sadias e/ou deficientes.

Puro Sugere o desenvolvimento do bem .

ÁREA CONSCIENTE . O que está sendo vivido


CONJUNTO DE . O que está sendo experimentado
ATIVIDADES . O que está sendo compreendido
PRESENTES . O que está sendo assimilado

AUTO-IMAGEM 1. Auto-biografia
IMAGINAÇÃO CONTROLADA PELA VONTADE 2. Questionário
RECONDICIONAMENTO DE HÁBITOS 3. Escrever algo repleto de emoções e
TÉCNICA PARA AUTO-ANÁLISE frustrações
4. Reflexões.

76
O INCONSCIENTE INFLUENCIA A NOSSA PERSONALIDADE com:

Psico-biológico  Impulso de auto conservação


Impulsos em
três níveis Psico-social  Sociabilidade; auto-afirmação
diferentes
Psico-espiritual  ético; religioso

SUPERINTENDÊNCIA DA RAZÃO:

ATENÇÃO Ato passivo ==> Mente voltada para um dado objeto

REFLEXÃO Há direcionamento do pensamento ao nosso próprio interior fazendo


Beta uma análise consciencial de atos realizados ou por realizar .

CONCENTRAÇÃO Ato Ativo ==> Mente centrada em clichês mentais com um


Alfa determinado objetivo

MEDITAÇÃO Mente inicialmente concentrada em dado ponto de interesse. Entra na


Teta intimidade pela sucessão contínua de detalhes remontando efeitos e
causas.

ÊXTASE > Estado seguinte ao da concentração.


Delta > Leva o espírito fora de seu corpo ligando-se as coisas do
A mente não consegue mundo etéreo, mediante o desprendimento do mundo
atuar o consciente físico.

77
23ª AULA (17ª aula teórica) - ESTÁGIOS DE DESENVOLVIMENTO
(Bibliografia “Mediunidade” Cap. 25)

Ordem
PREPARO DO AMBIENTE Campo material Método
É FUNDAMENTAL Silêncio
Disciplina

Campo espiritual A expressão doutrinária ganhou


elevação

Exame espiritual de mediunidade e tratamento espiritual


Familiarização com o ambiente
CONDIÇÕES Adaptação psíquica
Aura favorável – 1ª eclosão das faculdades
Exercício das faculdades

.Conhecimento geral da doutrina


Aculturação doutrinária .Conhecimentos especializados
DESENVOLVIMENTO (filosófica) sobre mediunidade
COM O
APRIMORAMENTO Evangelização [ Aprimoramento do sentimento e pensamento
(religioso)

Técnicas (científico)  [ Exercitamento prático

> Formação de médiuns novos


FINALIDADE > Inscrição de médiuns antigos para revisão dos conhecimentos e
DOS CURSOS aquisição de novos
> Despertar a sensibilidade ou apurar

> Recebe com segurança


MÉDIUM > Recebe com facilidade
JULGADO EM > Recebe com naturalidade
CONDIÇÕES > Sabe se controlar, sabe distinguir entidades, selecionar fluidos,
QUANDO: transmite claramente com lógica
> Está apto a receber espírito de hierarquia mais elevada

78
AS CINCO FASES:

. Os instrutores estudam o organismo


1ª FASE . Anotam os pontos sensíveis
PERCEPÇÃO . Medem a sensibilidade
. Projetam fluidos sobre e sses pontos

2ª FASE .O instrutor de aproxima do médium para se fazer sentir pessoalmente


.Fase mais difícil porque não há nenhuma ação direta sobre o médium
APROXIMAÇÃO .Cabe ao médium perceber a sua presença e aproximação.

3ª FASE . Indiretamente sobre os chacras


. Diretamente sobre os plexos
CONTATO . Nos pontos de sensibilidade

. O instrutor espiritual procura assenhorear -se primeiramente da


4ª FASE mente do médium.
. Dependendo da afinidade fluídica, envolve todo o perispírito
ENVOLVIMENTO . Passo mais demorado, dando tempo a que os instrutores espirituais
procedam ao envolvimento segundo as necessidades.

5ª FASE . Arremate do processo


. Treino do maior período de tempo
MANIFESTAÇÃO . Estabelece-se uma regra de falar cada um por sua vez

79
24ª AULA (18ª aula teórica) - MISSÃO SOCIAL DOS MÉDIUNS – REVELAÇÃO e MEDIUNIDADE
(Bibliografia “Mediunidade” Cap. 39 e 40)

REVELAÇÃO > Desdobramentos do programa dos Guias do mundo.


ESPÍRITA > Visa sublimação das almas nos conhecimentos das verdades eternas

> Agentes materiais dessa revelação


MÉDIUNS > São porta-vozes humanos para esclarecer a grande massa

REFORMA DA > Instruir-se intelectualmente


HUMANIDADE > Aperfeiçoar-se moralmente

OS AGENTES DESSA REFORMA:


Sua Redenção [ pela prática do evangelho

Campo Individual  Extinguindo a chama das paixões animais


O sofrimento
Atinge agora a massa  Dominando o homem no seu orgulho/vaidade

Abrindo as portas do > Médiuns como elemento de alto valor


AS conhecimento espírita > Instrumentos hábeis de investigação
MANIFESTAÇÕES aproximando o no campo da inteligência e veículos de
MEDIÚNICAS homem a Deus iluminação no campo do sentimento

MÉDIUNS ==> apóstolos de ontem e de hoje ==> fermento que leveda a massa

. adestramento
MEDIUNIDADE Auxiliares poderosos da espiritualidade
EM AÇÃO . aprimoramento

1. Deveres Sociais [ Família / Sociedade

2. Trabalho para ganharmos honestamente o pão de cada dia

A justiça
PROGRAMA O direito
3. O Trabalho para aquisição O dever
DE de conhecimentos morais A responsabilidade
A boa vontade
AÇÃO A caridade
A simpatia, compreensão
O altruísmo, dignidade

4. Trabalho para conquistarmos conhecimentos intelectuais

5. Trabalho para acumularmos conhecimentos espirituais

6. Trabalho para bem aplicarmos os nossos conhecimentos.

80
25ª AULA (19ª aula teórica) - MEDIUNIDADE NOS ANIMAIS
(Bibliografia “Mediunidade” Cap. 13)

Primeiros seres da
evolução espiritual transformam o instinto =>inteligência {renascendo em corpos de
forma humana em organismo

O caminho que o espírito Infu sório


percorre na |
marcha evolutiva  Animal
|
Homem
|
ANJO

No animal encontramos
três elementos  O Espírito alma imortal sujeita
O perispírito às leis de
O corpo de carne evolução

O espírito dos animais


no mundo espiritual tem lugar próprio para ficar até nova encarnação

Animais possuem diversas formas de mediunidade:

. vidência . audição . pressentimento

Organização psíquica animal  não comporta consciência ativa nem capacidade de


raciocínio

O perispírito é denso e escuro  à medida que envolve o perispírito vai sendo


manipulado adaptando -se às formas mais perfeitas da
vida

LICANTROPIA  forma mais baixa de incorporação

Amor
CARACTERÍSTICAS Raiva
ENCONTRADAS Pânico
NOS ANIMAIS Ternura
Dor
Melancolia

As manifestações de sensibilidade  Mais freqüentes nas famílias mais evoluídas,


sobretudo naqueles que tem maiores contatos com
o homem
81
26ª AULA (20ª aula teórica) - 1ª aula
CORES BÁSICAS e CORES COMPLEMENTARES
(Bibliografia “Métodos Espíritas de Cura” 3ª parte - Cap. l e ll)

Raios cósmicos
Raios gama

ENERGIA Várias Raio X Terápicos médicos e dentários


RADIANTE Manifestações
Ultra-violeta
Raios solares
Infra-vermelho
Ondas hertezianas

LUZ VISÍVEL  Forma de energia radiante detectável pelos nossos órgãos de visão

CARACTERÍSTICAS 1. Propaga-se através de ondas eletro -magnéticas


IMPORTANTES 2. Comprimento de onda
DA ENERGIA 3. Freqüência ou vibração  medida em ciclos por segundo

VEÍCULO Turbilhão eletrônico gerador de força eletro -magnética com oscilações por
CARNAL segundo.

ONDA É uma partícula que se desloca com movimentos oscilatórios provocando um


campo magnético.

Longas – superior a 600 metros de comprimento


COMPRIMENTO Médias – de 150 até 600 metros de comprimento
DAS ONDAS Curtas - variam entre 10 e 150 metros de comprimento
Ultra-curtas – menores que 10 metros de comprimento

ORIGEM DA SOL Vermelho/alaranjado/amarelo/verde/azul/anil/violeta


LUZ NATURAL

CORES BÁSICAS  VIOLETA VERMELHO VERDE

Qualidades Específicas: Calmantes, refrescantes, quentes,m irritantes, excitantes

AAm
maarreelloo  VERDE e VERMELHO
AS CORES COMBINAM ENTRE SI. Azul  VERDE e VIOLETA
APRESENTAM GAMAS DE SUB -CORES Magenta  VIOLETA e VERMELHO

. Quando se mescla com o preto ou vermelho materializa -se


VERDE . Quando se mescla com o branco ou amarelo, ganha expressão espiritual

AZUL(religiosidade) – Quando se mescla com preto, cinza ou vermelho, mat erializa-se


VERMELHO  Veneza – Fogo – Escarlate – Carmim – Grená – Bordô
AZUL  Cobalto – Celeste – Ultra-Mar – Cinza – Turquesa
VERDE  Primavera – Esmeralda – Cinza – Garrafa – Samambaia
LLIILLÁÁSS 
 Cobalto – Magenta – Castanho
82
1ª AULA

A luz branca contém todas as 7 cores que conhecemos no arco -iris

Comprimento de onda : distância entre 2 cristas ou 2


depressões
Freqüência de onda: nº. de ciclos que a onda efetua
num segundo
A cor Vermelha tem vibração de baixa freqüência= 345
trilhões de ciclos por segundo, e a cor violeta é
freqüência mais elevada= 750 trilhões por segundo.
O vermelho não “consegue” penetrar no interior do
organismo, ao passo que o violeta penetra no âmago do
SE A ONDA EFETUA UM tecido, daí ser empregado em projeções em órgãos
CICLO POR SEGUNDO “doentes” e o vermelho usado como cicatrizante, nas
ELA TEM COMPRIMENTO periferias do corpo.
DE ONDA GRANDE

82A
27ª AULA (21ª aula teórica) - 2ª aula
PROPRIEDADES DAS CORES
(Bibliografia “Métodos Espíritas de Cura” - 3ª parte - Cap.lll)

RAIOS, ONDAS, CORRENTES E VIBRAÇÕES, MÉDIUNS E MENTES:


 Cada criatura com os sentimentos que lhes caracterizam a vida, emite raios específicos

OS MÉDIUNS LIDAM COM ELEMENTOS DELICADOS :


 Vibrações - Fluidos - Energias Cósmicas - Reações do Psiquismo - Reações do
metabolismo interno.

AS PROPRIEDADES DAS CORES:

BRANCO  Síntese de todas as demais cores – Alta freqüência


PRATEADO e DOURADO  Cores nobres de expressões elevadas
VERDE ESMERALDA  Energético
VERDE CLARO  Anti-séptico – sedativo – repousante
VERDE FOLHA  Reconstituição de tecidos (células em geral)
AZUL ESCURO  Estimulante
AZUL CLARO  Repousante
AZUL MAR  Tranqüilizador com energias potenciais
AZUL TURQUESA  Pára hemorragia
VERMELHO (vivo)
ALARANJADO Produz glóbulos vermelhos. Casos de anemia
AMARELO FORTE
VERMELHO FORTE  Dinamismo, multiplicador de energias
VERMELHO CLARO  Cauterização de tecidos e Cicatrização de feridas e cortes
ROSA  Tranqüilidade - Estimula as funções cardíacas e glandulares
ALARANJADO  Energético, produz calor
AMARELO FORTE  Estimulante mental, lesões oculares, anemia
AMARELO CLARO BRILHANTE  Limpeza – Desobstrução
VIOLETA  Higienização de feridas e infecções
LILÁS  Paralisador de infecções tem ação saneado ra – bactericida

NO CASO DAS CORES DENTRO DO ESPECTRO VISÍVEL :

VERMELHO - 345 trilhões de ondas por segundo – ondas mais longas, baixa freqüência
VERDE – 570 trilhões de ciclos por segundo
AZULADO – 620 trilhões de ciclos pó segundo
VIOLETA – 750 trilhões de ciclos por segundo – ondas mais curtas, alta freqüência

CROMO + TERAPIA  é uma ciência divina

cor tr atamento

HOJE EM DIA NÃO MAIS DENOMINAMOS O TRATAMENTO COM CORES de


CROMOTERAPIA já que o termo deve ser utilizado apenas por profissionais da área.
83
28ª AULA (22ª aula teórica) - 3ª aula TRATAMENTO COM CORES
AS CORES NA AURA HUMANA e EFEITO DAS CORES NA CURA
(Bibliografia “Métodos Espíritas de Cura” - 3ª parte - Cap.IV e V)

Caráter
1. CAMPO ESTÁVEL Espiritualidade

Reações de Caráter
2. FAIXAS Circunstâncias Refletem condições Pensamentos
ONDULANTES da vida do espírito Sentimentos
exterior Virtudes
Defeitos morais

Cintilações, radiações Refletem Saúde


3. ESTRIAS que indicam condições As doenças
impulsos momentâneos do corpo Tônus energético

De baixo teor  ondulações e estrias sujas


OS PENSAMENTOS
E VIBRAÇÕES Elevados  Ondulações e estrias brilhantes e límpidas

MECANISMO DA CROMOTERAPIA – No físico => Aura => Perispírito => Físico

VERMELHO – quente, saúde, capacidade realizador a


SIGNIFICAÇÃO ccoom
m bboorrddaass aam
maarreellaass – sentimento de amor ao próximo
DAS CORES VERMELHO ESCURO – sobre os órgãos= moléstias e perturbações
NA AURA VIOLETA - predisposição para moléstias do aparelho digestório
AMARELO ESCURO - enfermidade dos rins
CINZA - Indica debilidade de caráter e saúde e , no órgão, moléstia

ELEMENTOS DA Devem ter noção No que consiste o tratamento da cromoterapia ;


CORRENTE clara e segura o processo; as propriedades das cores

Ectoplasma
ESSES ELEMENTOS Vibrações
DOAM Fluidos
Magnetismo Energia que circula pelo corpo físico e
perispiritual

Desejo de ajudar, servir. Alto teor vibratório


A TRANSMISSÃO Sentimento de amor ao próximo
DEPENDE Conhecimento da técnica
Preparo da corrente
Capacidade mental

84
29ª AULA (23ª aula teórica) - 4ª aula
APLICAÇÃO PRÁTICA
(Bibliografia “Métodos Espíritas de Cura” - 3ª parte - Cap. VI)

O Plano Espiritual há muito tempo utiliza as cores nos tratamentos efetuados nas
colônias e pronto-socorros espirituais.

A área médica já investiga a reação das cores no organismo humano, tendo


apresentado alguns resultados que corroboram as práticas já adotadas
dentro dos tratamentos espíritas.

Alerta É necessário que acompanhemos as descobertas da ciência nesse campo,


evitando ficarmos presos a especulações.

O tratamento provoca alterações vibratórias no campo celular, e no


com campo psíquico, como também provoca alterações no
perispírito, por exemplo, dos sofredores e obsess ores,
facilitando o trabalho das doutrinações e dos afastamentos

Exaltação nervosa => projeção de azul ou verde no bulbo e na coluna


Pontos No básico=> Projeções energéticas azuis e verdes para restabelecer o equilíbrio
de No coronário=> Projeção de amarelo dourado ou azul
Eleição No cardíaco => Rosa e verificar as reações na corrente sangüínea para acalmar
ou estimular

Conhecimento de anatomia e fisiologia do corpo humano


TÉCNICA Aplicação deve ser feita de maneira adequada, no tempo devido e de form a
prudente.

Azul claro da cabeça aos pés


APLICAÇÃO Alaranjado (*) dos pés até o bulbo, e descer
GERAL até o Plexo Solar para controlar o veget ativo
Acionar os centros de força (com verde garrafa) iniciando pelo coronário,
em seguida o frontal, laríngeo, cardíaco, gástrico e genésico
Aplicar o P.1
(*) – recentemente foi adotada por alguns grupos a substituição do alaranjado pelo rosa
brilhante, que se supõe não apresentar os efeitos colaterais do primeiro (exemplo: o
alaranjado é contra indicado para os hipertensos).

>Se julgado necessário, o operador toma nas suas as mãos do assistido


TRATAMENTO e lhe transfere de forma mais concentrada, as energias do Alto.
>Aplicações locais com cores,no nível dos chacras correspondentes aos
ESPECÍFICO órgãos afetados de acordo com diagnóstico médico ou exame espiritual.
> Longitudinal

OBS: no Livro Vivência do Espiritismo Religioso - editora Aliança - edição de 2006 - cap.6 -
pag.184 “Indicação prática do P.3A” está descrita a seqüência da aplicação do P3A.

85
Encarte da
29ª AULA (23ª aula teórica)- 4ª aula
APLICAÇÃO PRÁTICA
(Bibliografia “Métodos Espíritas de Cura” - 3ª parte - Cap. VI)

A EMANAÇÃO CURATIVA SE APRESENTA Os médiuns projetam fluidos na escala entre


DEBAIXO DE MIL E UMA NUANCES o ectoplasma e emanação perispiritual

PARA A CRIANÇA PRECISA -SE DE MÉDIUNS Porque a criança possui a matéria física
QUE DOEM FLUIDOS MAIS LEVES E SUTIS mais pura

>A aura a criança ao nascer é transparente


tíbia, frágil.
ATÉ SETE ANOS MAIS OU MENOS,A AURA >Até 6 meses adquire coloração azul claro
DA CRIANÇA NÃO ADQUIRIU AINDA SEUS >Até 1 ano de idade o azul fica mais forte
COMPONENTES DEFINITIVOS >Após 5 ou 7 anos começa ter coloração
amarela, quando começa a raciocinar

DADO QUE SE EXIGE MAIOR CAUTEL A, VEM AS SEGUINTES PERGUNTAS:

1. Quais as cores?  depende a doença

Depende do estado em que Quanto mais nova e


2. O tempo de projeção? se encontra. quanto + enfraquecida
5” até 30” Depende da sua idade = menos tempo e trata
Depende do seu mal mento + prolongado

A cabeça – requer energia mais leve, menos tempo


3. Depende da região? O tronco – energia normal
Os membros – são + resistentes, aceitam energia com + tempo
e cores mais densas (dentro das cores específicas p/criança)

* Aprimoramento da aplicação das cores associando


FATORES QUE AUMENTAM O conhecimento biológico
TEOR DOS BONS RESULTADOS *Grupo Homogêneo
*Informações a respeito da criança

86
Encarte da
29ª AULA (23ª aula teórica) - 4ª aula
APLICAÇÃO PRÁTICA
(Bibliografia “Métodos Espíritas de Cura” - 3ª parte - Cap. VI)

QUAIS AS CORES PARA A CRIANÇA?

Sem Medo de errar: AZUL, VERDE, ROSA, AMARELO (clarinhos)

VERDE CLARO  calmante, refrescante, anti -infeccioso, dilatador, anti -séptico

AZULCLARO  calmante, analgésico, repousante, absorvente

ROSA CLARO  cicatrizante, cauterizador

AMARELO CLARO  limpeza

ALARANJADO CLARO energético, fortificante para o estado de fraqueza física

LILÁS CLARO  soma do rosa claro com azul claro – p/ processos inflamatórios /infecções

Azul claro da cabeça aos pés


ROTEIRO Amarelo (ou rosa) dirigido dos pés até o bulbo
P.4A Aplicar os movimentos do P.4A (passe)
COM Caso Específico (com aplicação de mãos a partir dos 7 anos
CORES Ao final, longitudinal co m azul clarinho

87
Encarte da
29ª AULA (23ª aula teórica) - 4ª aula
APLICAÇÃO PRÁTICA
(Bibliografia “Métodos Espíritas de Cura” - 3ª parte - Cap. VI)

É importante no trabalho para as crianças, sabermos:

1. Precisamos de médiuns que especificame nte doem fluidos mais leves, mais sutis
2. Fatores que aumentam o teor dos bons resultados
3. As cores utilizadas para criança
4. 4. Tempo de duração das projeções
5. Roteiro
6. Casos específicos

As crianças possuem uma matéria física mais pura. A sua composição físico -espiritual sendo
mais pura, não fixou as mazelas como o adulto, nem começou a fixar como o adolescente.
Assim sendo, para o tratamento de criança, precisam de médiuns que especificamente doem
fluidos mais leves, mais sutis.

A emanação curativa se aprese nta debaixo de mil e uma nuances.


Os médiuns doam fluidos numa escala entre o ectoplasma e emanação de natureza
perispiritual.

É evidente que existem pessoas mais dotadas do que outras para cura, por se conseqüência
de uma faculdade bioenergética ou biofí sico.

Os médiuns curadores doam ectoplasma, matéria esta que serve para recuperação de
tecidos orgânicos, além das energias coloridas que os médiuns projetam.

Os fatores que aumentam o teor dos bons resultados:

 O conhecimento da aplicação das cores, a ssociando conhecimentos biológicos de


comportamento, de funções e de anatomia para a localização de todos os órgãos do corpo
humano.
 Fator importante na cura, informamos a respeito de como a criança vive, sobre seus
pais, irmãos e demais familiares. E prin cipalmente sobre o adulto que fica mais perto do
pequeno ser. Este adulto se desequilibrado, especialmente quando se trata de pessoa
emotiva, angustiada ou nervosa, cria em torno do ambiente da criança, um clima negativo
que sempre favorece o aumento do m al existente. Encaminhar este adulto para o
tratamento espiritual e até para o tratamento com cores (P.3A ou P.3AC) para ajudar a
recuperação do pequeno ser.
 Grupo homogêneo, criaturas afinadas por sentimento elevado, sendo condição básica.

88