Você está na página 1de 103

Bibliografia:

4 ed. Revista atualizada – André Luis – Vade Mecum

Reclamação Trabalhista

Natureza jurídica: qual a serventia disso para o direito?

A natureza jurídica da reclamação trabalhista é de petição inicial.

E tem seus artigos 840 CLT e 282 CPC.

Artigo 840 CLT:

1) Juiz – endereçamento:

EXCELENTÍSSIMO SENHOR DOUTOR JUIZ DA ... VARA DO TRABALHO


DE ...

- Competência territorial do art. 651 CLT:

Local da prestação de serviços.

Exceções:

§ 1º empregado viajante - neste caso a ação deve ser proposta no


local onde o empregado prestar serviços e for subordinado, sendo
que na falta de cumulatividade desses requisitos a ação será proposta
onde o empregado reside ou na localidade mais próxima.

§ 3º empregador viajante – neste caso a ação deve ser proposta


tanto no local da contratação como também no da prestação dos
respectivos serviços (Ex: caso o circo tenha passado por várias
cidades).

§ 2º empregador contratado no Brasil para trabalhar no exterior – o


empregado contratado no Brasil para prestar serviço no exterior pode
propor ação trabalhista, tanto no país da contratação, como também
no da prestação de serviço. Contudo, qualquer que seja o local da
propositura da ação, o processo será regido pela lei do país da
prestação dos serviços.

- Ver súmula do 207 do TST.


2) Qualificação

“A”, nacionalidade, estado civil,


profissão, nome da mãe, data de nascimento, número do RG, número
do CPF, Número e série da CTPS, número do PIS, endereço completo
do com CEP, por seu advogado que essa subscreve, vem à presença
de Vossa Excelência, com fulcro nos artigos 840 da CLT e 282 do
CPC, propor a presente

RECLAMAÇÃO TRABALHISTA

Pelo rito ordinário, em face de “B”, número do CNPJ, endereço


completo com CEP, pelos motivos de fato e direito a seguir expostos:

3) Comissão de conciliação prévia – CCP – Art. 625-A

- Da Comissão de Conciliação Prévia

Cumpre ressaltar inicialmente que o STF, por meio das ADINS 2.139-
7 e 2.160-5, declarou inconstitucional a obrigatoriedade da passagem
do reclamante pela Comissão de Conciliação Prévia, motivo pelo qual
acessa o autor diretamente a via judiciária.

DO CONTRATO DE TRABALHO

O reclamante iniciou suas atividades laborativas na reclamada


em ../../.., exercendo as funções de ..., trabalhando sempre das
..às .. horas, de ...à.... Foi demitido sem justa causa em ../../..
quando então percebia o salário de R$..., por ....

DAS HORAS EXTRAS

Como mencionado, o reclamante laborava 10 horas diárias,


jornada essa que ultrapassa o limite máximo de 8 horas previsto nos
artigos 7º, XIII da CF e 58 da CLT.

Por serem habituais, requer seus reflexos nas verbas


contratuais (13º Salário, Férias mais 1/3, DSR e FGTS), bem como
nas rescisórias (aviso prévio, saldo de salário, 13º proporcional, férias
proporcionais mais 1/3 e multa rescisória de 40% sobre o FGTS).

Por esse motivo, faz jus o autor a 2 horas extras diárias com
adicional de 50%, conforme o § 1º do art. 59 da CLT.

### Adendo (verbas contratuais):

13º Sal, Férias, DSR, FGTS.


V. Rescisória:

Aviso prévio, Saldo de salário, 13º salário proporcional, Férias


proporcionais, 40% sobre o FGTS.

Para OAB todos os adicionais são habituais.

Reflexos devem ser discriminados, e tudo que integra salário ou


remuneração integra o reflexo.

DO PEDIDO

Pelo exposto, pleiteia:

a) 2 horas extras por dia __________________________ a apurar;

b) Reflexo das horas extras nas verbas contratuais já descritas;

c) Reflexo das horas extras nas verbas rescisórias já descritas;

DAS PROVAS

Protesta provar o alegado por todos os meios de provas


admitidos em direito, pelo depoimento pessoal do reclamado, oitiva
de testemunhas, sem prejuízo de outras provas eventualmente
cabíveis.

DA NOTIFICAÇÃO

Requer, por fim, a notificação do reclamado para que conteste os


itens supra arguidos sob pena de seres admitidos como verdadeiros,
o que por certo, ao final restará comprovado, com a conseqüente
decretação da total procedência dos pedidos, nos termos expostos

DO VALOR DA CAUSA

Dá-se a causa o valor de R$...

Nesses Termos

Pede deferimento

Local e data

Nome e assinatura do advogado

Número de OAB
Livro de prática – pág 71. Peça 1 e 5

### Adendo, peça 1.

Artigo 483, “d”, da CLT e D.L. 368/68 – RESCISÃO INDIRETA – 3


meses de salário atrasado.

A rescisão indireta concede o direito do obreiro receber todas as


verbas rescisórias.

Sempre que pedir verba rescisória tem que pedir entrega de guias
TRCT (fundo de garantia) e SD (seguro desemprego).

Havendo rescisão do contrato o art. 477, § 6º da CLT estabelece que


as verbas rescisórias devem ser pagas até o primeiro dia útil
subseqüente, em caso de aviso prévio trabalhado, ou em dez dias
corridos caso o aviso seja indenizado, ou em sua ausência.

O art. 477, §8º estabelece a multa de um salário do empregado em


seu favor caso esses prazos não sejam observados.

Sempre que pedir verbas rescisórias tem que pedir multa do 477, §
8º, salvo se decorrer de verba rescisória.

Art. 467 da CLT – Saldo de salário e férias vencidas são


incontroversos em caso de justa causa.

Sempre que pedir multa do 477 da CLT, devo pedir multa do 467 da
CLT, inclusive rescisão indireta, mas só se esta for por atraso de
salário.

Quando o empregado não for registrado, tem que pedir vínculo de


emprego (art. 3 e 29 da CLT).

Sempre que pedir vínculo de emprego, tem que pedir depósito de


FGTS e INSS.

Sempre que tiver vínculo de emprego a ser reconhecido, ele deve ser
o primeiro pedido a ser requerido.

### Adendo – Peça 5

Turno ininterrupto de revezamento: empregado que trabalha em


empresa de 24h.

Art. 7, XIV da CF
“A” Rcte – horas, 6 e 14, 14 e 22, 22 e 6. Turno de revezamento é de
6 horas.

2 horas extra por dia, reflexos em verbas contratuais e rescisórias.

Súmula alterou 380, 307 SBDI-1.

Agora a empresa que não conceder o intervalo mínimo ao


empregado, pagará a hora mínima mais 50%.

Caldeira produz calor excessivo – Insalubridade, e falou de EPI é


adicional de insalubridade e pedir perícia.

Reflexos nas verbas contratuais e rescisórias.

Excelentíssimo Senhor Doutor Juiz da .. Vara do Trabalho de ..

“A”, nacionalidade, estado civil, caldeireiro,


nome da mãe, data de nascimento, número do RG, Número do CPF,
Número e Série da CTPS, Número do PIS, endereço completo com
CEP, por seu advogado que esta subscreve, vem à presença de Vossa
Excelência, com fulcro nos artigos 840 da CLT e 282 do CPC, propor a
presente

RECLAMAÇÃO TRABALHISTA

Pelo rito ordinário, em face de “B”, número do CNPJ, endereço


completo com CEP, pelos motivos de fato e de direito a seguir
expostos:

Da Comissão de Conciliação Prévia

Cumpre ressaltar inicialmente que o STF, por


meio das ADINs 2139-7 e 2160-5 declarou inconstitucional a
obrigatoriedade da passagem pelo reclamante na Comissão de
Conciliação Prévia, motivo pelo qual acessa o autor diretamente a via
judiciária, nos termos do artigo 625-“D”, § 3º da CLT.
Do Contrato de Trabalho

O reclamante iniciou suas atividades


laborativas na reclamada em 10 de janeiro de 1991, para exercer a
função de caldeireiro, trabalhar sempre das 6 às 14 horas, das 14 às
22 horas e das 22 às 6 horas em turno de revezamento. Foi demitido
sem justa causa em 30 de abril de 2001, quando percebia o salário
de R$ 5,00 por hora.

Das Horas Extras

Como mencionado, o reclamante sempre


laborou 8 horas diária, carga horária extra que ultrapassa o limite
máximo permitido pela os trabalhadores que revezam semanalmente.

Isso porque o artigo 7º, XIV da CF prevê


uma jornada máxima de 6 horas diárias para esse tipo de
empregado, o que denota o direito do peticionário ao recebimento de
duas horas extras por dia com adicional de 50%, como determina o
artigo 59, § 1º da CLT.

Por serem habituais, requer seus


reflexos nas verbas contratuais (13º salário, Férias mais 1/3, DSR e
FGTS), bem como nas rescisórias (Aviso prévio, Saldo de Salário, 13
proporcional, Férias proporcionais mais 1/3 e multa de 40% sobre o
FGTS).

### Adendo – Se na prova não citar sobre Férias vencidas, não


computa.

Do Intervalo

No curso do contrato de trabalho o empregado


sempre usufruiu de um intervalo de 30 minutos, período este que não
corresponde a 1 hora exigida pelo artigo 71 da CLT para os
trabalhadores que laboram mais de 6 horas.

A recém publicada OJ 380 da SDI-1 do TST,


destaca o direito do reclamante a uma hora de intervalo, já que
habitualmente trabalhava mais de 6 horas. E como só usufruía de 30
minutos descritos, faz jus, nos termos da OJ 307 da SDI-1 do TST, a
1 hora extra diária com adicional de 50%, como prerroga o artigo 71,
§ 4º da CLT.
Igualmente por serem habituais, requer seus
reflexos nas verbas contratuais e rescisórias descritas no item
anterior.

Da Insalubridade

Durante seu trabalho, o obreiro sempre


desempenhou suas funções como caldeireiro, fato este que de acordo
com o artigo 187 e 188 da CLT, torna seu ambiente de trabalho
nocivo.

O artigo 189 da CLT, estabelece que todas as


atividades que exponham os empregados à agentes nocivos acima
dos limites de tolerância serão consideradas insalubres, o que
claramente ocorre em no caso em tela.

Por este motivo requer adicional de


insalubridade a ser fixado por perícia técnica, como preceitua o artigo
189 da CLT.

Mais uma vez por se tratar de verba habitual,


requer também seus reflexos nas verbas contratuais e rescisórias
descritas item pertinente as horas extras.

Do Adicional Noturno

Em razão da sua jornada de trabalho, por


diversas ocasiões o peticionários laborou em jornada noturna,
requerendo desde já o adicional de 20% previsto no artigo 73 da CLT,
levando-se em conta a jornada reduzida de 52 minutos e 30
segundos.

Ainda em razão de sua habitualidade, faz jus


também aos reflexos nas verbas contratuais e rescisória já apontada.

Do Pedido

Pelo exposto, pleiteia:

a) Duas horas extras por dia .................................. a apurar;

b) Reflexo das horas extras nas verbas contratuais já descritas....


a apurar;

c) Reflexo das horas extras nas verbas rescisórias já descritas ....


a apurar;
d) 1 hora extra pelo não concessão do intervalo ........ a apurar;

e) Reflexo dessa hora extra nas verbas contratuais já descrita... a


apurar;

f) Reflexo dessa hora extra nas verbas rescisória já descrita ..a


apurar;

g) Adicional de insalubridade .......................... a apurar;

h) Reflexo do adicional de insalubridade nas verbas contratuais já


descritas .................................................. a apurar;

i) Reflexo do adicional de insalubridade nas verbas rescisória já


descritas .................................................. a apurar;

j) Adicional noturno ....................................... a apurar;

k) Reflexo do adicional noturno nas verbas contratuais já descritas


................................................................a apurar;

l) Reflexo do adicional de noturno nas verbas rescisória já


descritas .................................................. a apurar;

Das Provas

Protesta provar o alegado por todos os


meios de provas admitidos em direito, especialmente pelo
depoimento pessoal do reclamado, oitiva de testemunhas, perícia,
sem prejuízo de outras provas eventualmente cabíveis.

Da Notificação

Requer, por fim, a notificação do


reclamado para que conteste os itens supra argüidos, sob pena de
serem admitidos como verdadeiros, o que, por certo, ao final restará
comprovado, com a conseqüente decretação da total procedência dos
pedidos, nos termos expostos.

Do Valor da Causa

Dá-se a causa o valor R$ ...


Nesses Termos,

Pede deferimento

Local e data

Nome e assinatura do advogado

Número da OAB

TUTELA ANTECIPADA

A tutela é um pedido, a cautelar é uma ação.

A tutela é regida pela prova inequívoca, ao contrário do fumus que é


aparenta ser verdadeiro.

Sempre que for pedir reintegração de empregado estável utiliza-se


tutela antecipado.

Artigo 659, X, da CLT.

Questão prática número 8.

4h de horas extra por semana, mais reflexos.

Insalubridade, mais reflexos.

Tutela pra reintegrar o empregado, não condiz com pedidos de


verbas contratuais e rescisórias.

Caso Vossa Excelência entenda por bem que transforme a


reintegração em indenização.

Lembrar das guias.

Lembrar que o pedido de estabilidade tem que está no prazo da


mesma.

Estudar a questão prática 2 e 3, e fazer a 8. Questão prática 9 (como


advogado de “A” apresente os seus direitos, fundamentando.
Questão: “A” foi admitido foi “B” em 1981 como não optante pelo
FGTS. Após completa 13 anos de trabalho foi demitido sem justa
causa.

Como advogado de “A” apresente os seus direitos e fundamentos.

PROCEDIMENTOS TRABALHISTAS

www.leonepereira.com.br

Processo do Trabalho = 4 procedimentos (ritos)

1 – Procedimento comum (ordinário):

CLT / mais complexo / Valor da causa acima de 40 salários mínimos.

2 – Procedimento sumário (dissídio de alçada):

Não está previsto na CLT, na Lei 5.584/70, art. 2º, §§ 3º e 4º.

Valor da causa até 2 salário mínimo. Mais célere.

3 – Procedimento sumaríssimo:

Arts. 852-A à 852-I da CLT, pela lei 9.957/2000.

Célere.

Valor da causa seja maior que 2 SM e não exceda 40 SM.

Prevalece o entendimento na doutrina e na jurisprudência que o


advento do procedimento sumaríssimo não revogou o procedimento
sumário.

4 – Procedimentos especiais:

a) Inquérito judicial para apuração de falta grave.

b) Dissídio Coletivo.

c) Ação de cumprimento.

d) Ação de consignação em pagamento.

e) Ações possessórias.

f) Ação de prestação de contas.


g) Ação rescisória.

h) Mandado de Segurança, Habeas Corpus, Habeas Data.

Primeira régua processual: Procedimento ordinário (da inicial até a


sentença).
Recebida e protocolada será aberto o prazo de 48h

Inércia quebrada com a RT (840 CLT)

Notificação inicial postal automática do reclamado (Art. 841 da CLT)

OBS: nesse prazo o servidor da secretaria da vara remeterá ao


reclamado a segunda via da RT (contrafé) e a notificação, para que
ele querendo compareça em audiência e apresente a sua defesa.

Recebimento da notificação postal.

OBS: conforme a súmula 16 do TST presumisse a notificação no


prazo de 48h de sua postagem. Trata-se de presunção relativa de
forma que o não recebimento, ou a entrega após o decurso do prazo
constitui ônus da prova do destinatário (empregador).

Prazo mínimo de 5 dias entre o recebimento da notificação e a


audiência.

_______________________________________________________

Audiência

Regra: Art. 849 da CLT que seja UMA. Primeiro ato da audiência é a
tentativa de conciliação (Art. 846 da CLT).

Defesa do reclamado: Contestação, Excecão, Reconvenção. A réplica


não é prevista na CLT.
Instrução (art. 848 da CLT)

Razões Finais (Art. 850 da CLT)

_______________________________________________________

2ª Tentativa de conciliação

Sentença

Peças que podem cair: Reclamação trabalhista, notificação,


recebimento da notificação, audiência, defesa do reclamado,
Memoriais escritos, segundo tentativa de conciliação.

Dicas de elaboração da prova:

I – Peça (rascunho):

- Identificar os dados principais do problema (não inventar).

- Empregado e empregador, função, datas de admissão e despedida,


prescrição, motivo da extinção do contrato de trabalho, remuneração
e salário, tudo que envolve a duração do trabalho e etc.

II – Identificação e previsão legal da peça profissional, procedimento


e endereçamento.

Fazer uma linha do tempo dos atos processuais.

III – Teses e fundamentos jurídicos legais e jurisprudenciais.

Dividir em tópicos: a cada um (silogismo) – premissa maior, premissa


menor e conclusão.

Logo:

Fatos

Fundamentos (pautado em ordem de pesquisa - índices)

1) CF (art. 7 a 11 / 111 a 116)

2) Legislação infraconstitucional = CLT, CPC, CC, CDC e etc.

3) Jurisprudência consolidada: súmulas e OJs. STF, TST, STJ.


Conclusão
4) Pedidos e Conclusões (item 3).

Dicas de questões discursivas:

1 – Identificar a matéria: em tese é direito do trabalho e processo do


trabalho, a maioria é processo.

2 – Identificar o tema: depósito recursal, estabilidades.

2 espécies de resposta:

1) Resposta direta + fundamentação

2) Dissertação (introdução, desenvolvimento, conclusão)

RECLAMAÇÃO TRABALHISTA

COM PEDIDO DE DANOS MORAIS

Peça:

Sob a alegação de que os empregados estariam subtraindo produtos


farmacêuticos de uma de suas fábricas, a diretoria da empresa Delta
Indústria Farmacêutica Ltda. Determinou a realização de revista
íntima diária em todos os empregados, inclusive nas mulheres. Maria,
empregada na empresa havia cinco anos, recusou-se a despir-se
diante da supervisora do setor, que era, naquele momento,
responsável pela revista íntima das mulheres. Visando a não
favorecer movimento generalizado dos trabalhadores contra
deliberação da empresa, a direção resolveu como medida educativa,
demitir Maria por justa causa, argüindo ato de indisciplina e de
insubordinação. Segundo argumento a empresa, o procedimento de
revista íntima encontraria suporte no poder diretivo e fiscalizador da
empresa, além de constituir medida eficaz contra o desvio de
medicamentos para o consumo sem o devido controle sanitário.

Considerando a situação hipotética apresentada, na qualidade de


advogado constituído por Maria, redija a medida judicial mais
apropriada para defender os interesses de sua cliente. Fundamente a
peça processual com toda a argumentação que entender cabível.
Rascunho:

1 – Dados principais do problema.

2 – Identificação, previsão legal da peça,

Art. 840, § 1º da CLT cominado com 282 do CPC / Art. 5º, V e X da


CF; 186 e 927 do CC.

Se o problema não der o salário, utilizar o procedimento ordinário.

3 – Endereçamento: Vara do trabalho.

4 – Teses e fundamentos

A - Da Competência material da justiça do trabalho: Art. 114, VI, CF


(Ec 45/2004, súmula 392 do TST), a JT e competente para julgar
ações de danos materiais e morais.

B – Da revista íntima e do cabimento de danos morais:

Fatos: revista íntima / as alegações da empresa (poder empregatício


+ para evitar desvio de medicamento.

C – Fundamentos:

CF art. 5, V e X – inviolabilidade da intimidade e da vida privada /


indenização por danos materiais e morais.

CC – arts. 186 e 927 CC, Art. 8º da CLT

Aquele que causar prejuízo a outrem, ainda que exclusivamente


moral comete ato ilícito, gerando o dever de indenizar.

Rechaçar a alegação de poder empregatício – não é absoluto,


encontra limites constitucionais e infraconstitucionais. Limite da
dignidade do empregador (art. 1, III da CF, dignidade da pessoa
humana).

Art. 373-A, VI – trás a vedação da revista íntima feminina.

Dessa forma a empregada faz jus ao pagamento de danos morais por


ter sido submetida a ilegal e inconstitucional revista íntima, conforme
fundamentação acima explanada.
Terceira tese:

DA CONVERSÃO DA DESPEDIDA POR JUSTA CAUSA EM SEM JUSTA


CAUSA.

Fatos: recusa / ato de indisciplina e insubordinação.

Para estudo: Art. 482, “h” da CLT

Com base nos fatos apontados, bem como no abuso do poder


empregatício, a recusa da reclamante não constitui descumprimento
de ordens patronais gerais ou pessoais quem ensejam a despedida
por justa causa, devendo esta ser convertida em sem justa causa.

Plantão de Dúvidas

Dados da Peça:

Reclamante = Cássia Eller ; Banco dinheiro vivo s/a = reclamanda

Função = escriturária II

Blumenal-SC

01/03/2000 a 01/09/2008

R$ 1000,00

01/09/2006 – transferida para o RJ, por 3 meses

Não recebeu adicional de transferência (não recebeu)

05/2008 – agressão física + dinheiro

Afastamento por 13 dias

Dano material – 4.687,00

CCT 2008/2009 – cesta básica de R$ 200,00

10/09/2010 – Rcte

Aviso prévio indenizado, ok verbas rescisórias


Peça

Excelentíssimo Senhor Doutor Juiz da ... Vara do Trabalho de


Blumenau-SC. (art. 651 da CLT)

Cássia Eller, nacionalidade, estado civil,


escriturária II, nome da mãe, data de nascimento, número do RG,
número do CPF, número e série da CTPS, endereço completo com
CEP, por seu advogado que esta subscreve, vem à presença de Vossa
Excelência, com fulcro nos arts. 840 da CLT e 282 do CPC cominado
com o 769 da CLT, propor à presente

Reclamação Trabalhista

Pelo rito ordinário, em face do Banco Dinheiro Vivo S/A, número do


CNPJ, endereço completo com CEP, pelos fatos e direitos que a seguir
expostos:

Comissão de Conciliação Prévia

Cumpre ressaltar inicialmente que o STF, por


meio das ADINS 2.139-7 e 2.160-5, declarou inconstitucional a
obrigatoriedade da passagem do reclamante pela Comissão de
Conciliação Prévia, motivo pelo qual acessa o autor diretamente a via
judiciária.

Do Contrato de Trabalho

&&&&&&

Adicional de Transferência

Fundamento = 469 da CLT, OJ 113 SDI-I.

Da Cesta Básica
Art. 7, XXVI da CF, OJ 61 SDI – I

Do Dano Moral

Art. 7, XXII da CF; Art. 5, V e X; Art 186 e 927 do CC; art 8 §1º da
CLT, art. 114 da CF, Súmula 392 do TST.

Do Dano Material

Art. 5, V e X, art. 944 do CC; art. 8 § 1º da CLT.

Do Pedido

Adicional de transferência a apurar

Reflexos nas verbas contratuais e rescisórias do adicional de


transferência a apurar

Indenização pelo dano moral a apurar

Indenização pelo dano material

Indenização pela cesta básica

Das Provas

Da Notificação

Peça

Excelentíssimo Senhor Doutor Juiz da ... Vara do Trabalho de ...


Qualificação completa, 12 itens

Artigos – 840 CLT, 282 CPC, 273 do CPC

RT com pedido de Tutela Antecipada

Pelo rito ordinário

Qualificação da reclamada, 3 itens

CCP 2139 e 2160

Do Contrato de Trabalho

Da Tutela Antecipada (FFC) – Art. 273 falar dos requisitos,


Verossimelhança, docs. que comprovam as doenças, perigo da
demora (sem emprego como ele vai se manter).

Requerer a reintegração (lei 9029/95, arts. 1 e 4), OJ 142 SDI-2 do


TST,

Do Dano Moral (discriminação)

Do Pedido

Anulação da dispensa e a reintegração liminarmente;

Pagamento de todas as despesas suprimidas;

Indenização do Dano Moral

Das Provas

Da Notificação

Do Valor da Causa

Questões –

1 - Lei 11901/09, art. 5º

2 – OJ 386 TST
3 – OJ 385 do TST

4 - Súmula 350 do TST

5 – 890 e 900 do CPC

Questão:

A microempresa Alfa foi demandada por Antônio, demitido por justa


causa dois meses antes. Na audiência de julgamento, não obstante
terem sido preenchidas, na carta de preposição, as formalidades
legais e ter o advogado de Alfa argüido que o preposto era
conhecedor dos fatos, o juiz não aceitou a presença do preposto
enviado por Alfa, sob o argumento de que ele não possuía vínculo
trabalhista com a empregadora, e aplicou a pena de confissão.

Considerando a situação hipotética acima apresentada, informe, à luz


da legislação aplicável na espécie e da jurisprudência do Tribunal
Superior do Trabalho, se o juiz agiu corretamente. Apresente os
argumentos necessários à melhor interpretação do caso concreto.

Reposta:

Resposta direta, mais fundamentação; identificação da matéria;


processo do trabalho;

Tema(s): Audiência, preposto;

Índices – ordem de pesquisa;

Voltando a resposta:

Art. 843, § 1º da CLT – Temos a representação processual do


empregado em audiência.

O preposto está em nome alheio, defendendo direito alheio.

Representante: gerente ou qualquer outro preposto que tenha


conhecimento dos fatos e cujas declarações obrigarão o preponente.

Surge a dúvida: o preposto precisa ter presenciado os fatos? A


corrente majoritária pondera que não é preciso. Isso fez surgir um
novo problema na justiça do trabalho, a “indústria do preposto” ou a
“profissão de preposto”.
Aplicação da Súmula do 377 do TST.

O preposto deve ostentar a condição de empregado, ou seja portar a


carta de preposição e/ou CTPS.

A Súmula comporta duas exceções:

1) Empregador doméstico – o preposto pode ser qualquer pessoa


da família, capaz, do local de prestação dos serviços.

2) LC 123/2006 (estatuto nacional da microempresa e da empresa


de pequeno porte). Art. 54 micro ou pequeno empresário
poderá ser representado por qualquer terceiro que tenha
conhecimento dos fatos, independentemente de vínculo
trabalhista ou societário.

Questão:

No processo do trabalho, uma empresa que tenha sido condenada em


primeira instância deverá efetuar o pagamento do depósito recursal
para que possa interpor o recurso. Sendo assim, questiona-se: a
necessidade de efetuar o depósito recursal como condição para o
prosseguimento do recurso é compatível com o princípio do duplo
grau de jurisdição? Justifique sua resposta.

Resposta:

Resposta direta + fundamentação;

Matéria: proc. Trabalho

Tema (s): depósito recursal/duplo grau de jurisdição.

A CF não há previsão expressa do duplo grau de jurisdição;

Decorre de interpretação sistemática e teleológica do ordenamento


jurídico vigente, ou seja, competem as leis processuais
infraconstitucionais – regras procedimentais.

Depósito recursal possui natureza jurídica híbrida (mista).

CLT - §§ do art. 899. Trata-se de pressuposto recursal, objetivo


(extrínseco), objetivo (garantia do juízo para futura execução por
quantia a ser promovida pelo empregado).

Conclusão: exigência do depósito recursal para recorrer –


constitucional.
### Outra coisa###

Procedimento sumário (dissídio de alçada) – Art. 2, §§ 3º e 4º da lei


5.584/70.

Cabe recurso?

Em regra não, porém cabe recurso ao STF se ferir matéria


constitucional. Com recurso extraordinário, art. 102, III da CF.

O próprio artigo supracitado diz que para causa decidida em única ou


última instância.

Questão:

Uma entidade filantrópica figurou como reclamada em reclamação


trabalhista movida por um ex-empregado e obteve o benefício da
assistência judiciária gratuita deferida pelo juiz. Após a instrução
processual, o juiz proferia sentença, julgando procedente o pedido
formulado pelo reclamante na inicial, tendo o valor da condenação
alcançado o montante de R$ 9.500,00.

Nessa situação hipotética, caso a entidade filantrópica tenha interesse


em interpor recurso ordinário contra a sentença proferida pelo juiz,
ela deve proceder ao recolhimento do depósito recursal? Justifique
sua resposta.

Resposta:

Matéria: Processo do Trabalho;

Temas: benefício da justiça gratuita/depósito recursal/empregador

Índices:

I) Assistência judiciária Gratuita:

Artigo 14 e segs. Lei 5584/70

Prestada pelo sindicato

Exclusivamente ao trabalhador

Independentemente de ser associado ou não

II) Critério de salário:

Igual ou inferior a 2 sm/salário maior e comprovar a sua situação de


necessidade econômica.
Conceito: direito ao patrocínio gratuito da causa por um advogado –
geralmente por sindicato.

III) Benefício da Justiça Gratuita

Representa a isenção de custas e despesas processuais, art. 790, §


3º CLT. Concessão – faculdade do poder judiciário, juízo ou tribunal
(qualquer instância), de ofício ou a requerimento da parte, critério do
salário.

É possível a concessão do benefício da justiça gratuita ao


empregador?

Visão tradicional diz que o fato do artigo 790 parágrafo terceiro dizer
que um dos requisitos é receber salário, não cabe o empregador
receber salário.

Visão moderna diz que sim, para quais empregadores que, na visão
da jurisprudência/doutrina:

- Entidade Filantrópica

- Empregador doméstico

- Empregador pessoa física

- Micro ou pequeno empresário

Isenção de custas:

Art. 5º, LXXIV da CF – Estado prestará assistência jurídica integral e


gratuita e aos que comprovarem insuficiência de recursos. (assim
abarca tanto o pólo ativo quanto o passivo).

Princípio da interpretação das leis em conformidade com a


constituição.

Depósito Recursal?

Visão tradicional: não, visto que o objetivo é a garantia do juízo.

No entanto, foi atualizado pela LC 132/2009 (DPU).

Essa lei trouxe a inclusão do inciso III ao art. 3º da lei 1060/1950.

Exercício do contraditório e ampla defesa – art. 5º, LV da CF.


Questão:

Pedro estava cumprindo o período referente ao aviso prévio quando


registrou sua candidatura a cargo de dirigente sindical.

Nessa situação específica, deveria ser aplicada a Pedro a regra da


estabilidade prevista no art. 543, § 3º da CLT? Fundamente,
juridicamente, a sua resposta.

Resposta:

Resposta direta + fundamentação;

Matéria: D. Trabalho

Temas: estabilidade/ dirigente sindical/ aviso prévio.

Fundamentação:

Art. 8º, VIII, CF – estabilidade provisória.

Registro da candidatura e, se eleito, até o 1º ano após o final do


mandato. Isso vale tanto para os titulares quanto para os suplentes.

Súmula 369, V, TST – registro da candidatura no curso (NÃO HÁ


ESTABILIDADE).

###ESTRUTURA DO SINDICATO ###

Art. 522 da CLT:

Diretoria: mínimo 3 membros e no máximo 7 membros.

Conselho Fiscal: 3 membros.

Com o advento da CF/88, o art. 8º, “caput”, princípio da autonomia e


liberdade sindical, ou seja, pode haver mais diretores, contudo
somente os máximo (7) ter estabilidade.

Súmula 369, II, TST – limite de 7 diretores do art. 522 CLT foi
recepcionado pela CF, para gozar de estabilidade provisória.

Membro de Conselho Fiscal possui estabilidade?

OJ 365 SDI-1 – Conselho fiscal atua na gestão financeira do sindicato


e não na defesa dos interesses da categoria.
Questão 9:

Estabilidade decenal – perspectiva do direito – 1966 em diante


passou a ser híbrido (os próprios empregados optavam pelo sistema
decenal ou FGTS). Em 1988, pela CF, extinguiu a possibilidade de
contratação pelo regime decenal. Hoje existe a indenização de um
salário por cada ano de serviço prestado, conforme art. 478 da CLT.

Resposta:

A CF/88 extinguiu a possibilidade de contratação de empregado sob o


regime da estabilidade decimal, garantindo o direito adquirido, o que
não se aplica no caso em tela, pois quando da promulgação da atual
constituição “A” ainda não tinha dez anos de serviço, não sendo,
portanto, estável decenal.

Assim, o artigo 478 da CLT estabeleceu uma indenização


compensatória pertinente a um mês de salário para cada ano de
serviço prestado, o que garante a esse empregado o direito a 7
salários.

Peça 8:

4 horas extras semanais, por serem habituais - reflexos

Adicional de insalubridade, com reflexos

Reintegração Ant. Tut. Súmula 378 do TST, art. 118 da lei 8213/91

Se V.E. assim não entender, que converta a

Excelentíssimo Senhor Doutor Juiz da ... Vara do Trabalho de ...


Monteiro Lobato de Almeida, nacionalidade,
estado civil, ajudante geral, nome da mãe, data de nascimento,
número do RG, número do CPF, número e série da CTPS, número do
PIS, endereço completo com CEP, por seu advogado que esta
subscreve, vem à presença de Vossa Excelência, com fulcro nos
artigos 840 da CLT, 282 e 273 do CPC, propor a presente

RECLAMAÇÃO TRABALHISTA

COM PEDIDO DE TUTELA ANTECIPADA

Pelo rito ordinário, em face de MMM ltda, número do CNPJ, endereço


completo com CEP, pelos motivos de fato e de direito a seguir
expostos:

Da Comissão e Conciliação Prévia

Cumpre ressaltar inicialmente que o STF, por


meio das ADINs 2139-7 e 2160-5, declarou inconstitucional a
obrigatoriedade da passagem do reclamante pela comissão e
conciliação prévia, motivo pelo qual acessa o autor diretamente a via
judiciária.

Do Contrato de Trabalho

O reclamante iniciou suas atividades laborais


na reclamada em 01.04.2001, exercendo a função de ajudante geral,
trabalhando sempre das 8 às 17 horas de segunda à sábado. Foi
demitido sem justa causa no dia 01.03.2002, quando então percebia
o salário de R$ 351,00 por mês.

Das Horas Extras

Como mencionado, o reclamante laborava 9


horas de segunda à sábado, carga horária esta que levando-se em
conta o intervalo intra jornada de 1 hora, perfaz 8 horas diárias e 48
horas semanais.

Referida jornada suplementa o limite máximo


permitido pelo artigo 7º, XIII da CF, que é de 44 horas semanais.

Por esta razão, faz jus o autor a 4 horas


extras por semana, com adicional de 50%, conforme artigo 59, § 1º
da CLT.
Pela sua habitualidade, requer seus reflexos
nas verbas contratuais (13º salário, férias + 1/3, DSR e FGTS), bem
como nas rescisórias oportunamente descritas, se houver.

Do adicional de Insalubridade

No curso do contrato de trabalho, o


reclamante desenvolvia suas funções em local insalubre, pois
trabalhava com ruído excessivo que chegava a atingir 90 dB.

O art. 189 da CLT é claro ao expor que toda


atividade insalubre deve ser compensada com o pagamento adicional
correspondente, o que desde já se requer nos termos do artigo 192
da CLT, a ser fixado por perícia técnica nos moldes do artigo 195
Consolidado.

Também em razão de sua habitualidade,


requer seus reflexos nas verbas contratuais já descritas e rescisórias
requeridas posteriormente, se houver.

Da Tutela Antecipada

Durante o trabalho, mais especificamente no


dia 10.02.2002, o peticionário sofreu acidente típico de trabalho,
ficando afastado de suas funções por 18 dias, pelo que passou a
receber o benefício previdenciário.

Ao retornar o serviço foi demitido sem justa


causa, o que deixa clara a desobediência do reclamado ao teor do
artigo 118 da Lei 8.213/91, recepcionado pelo TST de maneira
pacífica ao garantir a estabilidade do obreiro por meio da Súmula
378.

Em virtude da garantia do emprego


angariada, a demissão se torna indevida, o que denota o direito do
autor a sua reintegração, o que desde já se requer na forma da
antecipação de tutela, face ao preenchimento dos requisitos previstos
no artigo 273 do CPC, com base analógica do artigo 659, X da CLT.

Das Verbas Rescisórias

Caso Vossa Excelência, entenda por bem em


converter a reintegração requerida em indenização correspondente, é
indispensável frisar o cabimento das verbas rescisórias até então não
recebidas nos seguintes termos: Aviso prévio, saldo de salário, 13º
proporcional, férias proporcional + 1/3 e multa de 40% sobre o FGTS

Neste caso deverão ser efetuadas as entregas


de guias para levantamento de depósitos fundiários e seguro
desemprego.

Das Multas dos Artigos 467 e 477, § 8º da CLT

Sendo mantida a rescisão contratual, as


verbas rescisórias devidas se revestem de natureza incontroversa,
pelo que requer seu pagamento na audiência inaugural, sob pena de
ser acrescida de 50%, conforme artigo 467 da CLT.

Ainda na hipótese da manutenção da decisão,


observa-se que os prazos para pagamento das verbas rescisórias
estabelecidos no artigo 477, § 6º da CLT não foram observados pelo
reclamado, motivo pelo qual requer a penalidade de 1 salário em
favor do reclamante, nos termos do § 8º do dispositivo legal citado.

Do Pedido

Pelo exposto, pleiteia:

Recuperar a aula

PLANTÃO DE DÚVIDAS

Dados da peça:

Obreiro – Alemão

Empregador – Bom Prato em São Paulo

Função – Garçom

Mesma função de João – 2 meses antes de Alemão

João = 1000; Alemão = 700 + gorjetas não discriminadas (200)

2ª a 6ª – 8 às18 h – 1 hora de intervalo

Sábado – 8 às 12 sem intervalo

Dispensado sem justa causa.

Verbas rescisórias ok.


Alemão era incompetente, lento e burro.

Excelentíssimo Senhor Doutor da ... Vara do Trabalho de São Paulo

Alemão, nacionalidade, estado civil, garçom,


nome da mãe, data de nascimento, número do RG, número do CPF,
número e série da CTPS, número do PIS, por seu advogado que esta
subscreve, vem à presença de Vossa Excelência, com fulcro nos
artigos 840 da CLT, 282 e 769 do CPC, propor a presente

Reclamação Trabalhista

Pelo rito ordinário, em face de Bom Prato, número do CNPJ, endereço


completo com CEP, pelos motivos de fato e direito a seguir expostos:

Da Comissão de Conciliação Prévia

Cumpre ressaltar inicialmente que o STF, por


meio das ADINs 2139-7 e 2160-5, declarou inconstitucional a
obrigatoriedade da passagem do reclamante pela comissão e
conciliação prévia, motivo pelo qual acessa o autor diretamente a via
judiciária.

Do Contrato de Trabalho

O reclamante iniciou suas atividades laborais


em .../.../..., exercendo a função de garçom, de segunda à sexta-
feira das 8 às 18 horas, com intervalo intrajornada de 1 hora e aos
sábados das 8 às 12 horas, sem intervalo. Foi demitido em .../.../...,
quando percebia o salário de R$ 700,00, mais R$ 200,00 de gorjeta.

Da Equiparação Salarial

O autor percebia o salário de R$ 700,00,


exercendo a mesma função de João que percebia o salário de R$
1000,00.
Art. 461, § 1º, Súmula 6 do TST (localidade).

Habitualidade – pede reflexos nas verbas contratuais e rescisórias.

Integração das Gorjetas

Como mencionado no item do contrato, o


reclamante recebia gorjetas que em média no importe de R$ 200,
contudo não era

Art. 457 da CLT

Houve habitualidade, logo reflexos (FGTS + 40%, 13º, férias)

Não reflete: HE, Aviso, Ad. Noturno, DSR. Súmula 354 TST

Horas Extras

Art. 7, XIII e XVI da CF

Art. 59 da CLT – trás a quantidade de excesso diário permitido

- 1 hora diária ou 5 horas semanais

Reflexos

Dano Moral

Artigo 5, V e X da CF

Artigo 186 e 927 da CC – 8º Par. Único CLT

Art. 114, VI da CF; Súmula 392 TST

Pedido

Equiparação salarial mais reflexos

Integração das gorjetas mais reflexos de acordo com a súmula

Hora extra mais reflexos

Indenização por dano moral

- Não tem que pedir as guias nem as multas, porque recebeu as V.R

Notificação – lembrar: total procedência dos pedidos da ação

Nova Questão do plantão:


Obreira - Márcia

Empregadora – R. Mulher em alta LTDA

Admissão: 01.02.1978 – não optante pelo FGTS

Função: agente comercial

R$ 3.000

Concorrente R. homem em baixa ltda., passando informações


sigilosas.

Rescindir esse contrato.

Obreira está suspensa a 2 dias para apuração de falta grave.

Art. 853 da CLT

Não tem CCP.

Art. 482, g da CLT

Das provas – acrescentar que podem ser até 6 testemunhas.

Da Notificação – sem novidades

Perguntas:

a) Sim, os pressupostos extrínsecos estão corretos.

b) Conforme a súmula 128, também deve ser conhecido.

###Adendo

Preparo = custas + depósito recursal

Custas = 2%, guia DARF

Depósito Recursal = visa garantir o juízo

Procedente Improcedente Parc. Proced. Extinto SEM

XXX Custas Nada Custas

C + DR XXX C + DR XXX
O rcte não paga custa pela justiça gratuita, massa falida

O rcmd falência ...

Pergunta 2:

a) Está correto conforme a súmula 122 do TST e artigo 840 da


CLT.

Inicial Unna Instrução

RCTE Arquiva Arquiva 5, 9, 74 TST

RCDA Revel e confi Revel e Conf idem

b) Estava errado. Art. 320 do CPC.

Questão 3:

R: Está correto. Art. 896, § 6º da CLT

Questão 4:

a) Sim, pela justa causa. Art. 482-A

b) O quanto antes, imediatidade pode dá perdão tácito.

Questão 5:

Art. 461, caput da CLT, tem que possuir o mesmo empregador.

RESPOSTA DO RÉU (Leone)

Teoria Geral – Artigos 846, 847 da CLT – não havendo acordo, defesa
do reclamado de forma oral, após a leitura da reclamação, quando
esta não for dispensada por ambas as partes (princípio da oralidade).
Prática leva-se defesa escrita.
- Art. 799/802 da CLT – exceções de incompetência relativa e de
suspeição.

A CLT apresenta lacunas, assim aplica subsidiariamente o CPC. Art.


297 do CPC, espécies de defesa do réu, o qual temos: Contestação,
Exceções rituais, Reconvenção.

Esse rol é taxativo ou exemplificativo? Esse rol é meramente


exemplificativo. Ex: impugnação ao valor da causa, intervenção de
terceiro provocado (nomeação autoria, denunciação a lide e
chamamento ao processo, reconhecimento da procedência do
pedido).

- Aspectos procedimentais:

Artigo 299 do CPC, 2 regras:

1) Contestação e reconvenção serão oferecidas simultaneamente em


peças autônomas. A parte pode apresentar as duas ou uma ou outra.
A doutrina e a jurisprudência admitem a reconvenção no bojo da
própria contestação. Fundamentos: princípio da informalidade,
simplicidade e do jus postulandi.

2) a exceção será processadas em apenso aos autos principais,


porém a doutrina e a jurisprudência admitem a exceção com
preliminar de contestação, fundamentos, idem supracitado.

O oferecimento da exceção leva a suspensão do processo – artigos


799 da CLT, 265 III e 306 CPC.

CONTESTAÇÃO

É a principal defesa do reclamado, é regida por 2 princípios:

1) Princípio da impugnação específica/ ou do ônus da impugnação


especificada: compete ao réu impugnar especificadamente cada fato
afirmado pelo autor na petição inicial. Fato não impugnado torna-se
incontroverso, havendo a presunção relativa de veracidade. (art. 302
do CPC. Nessa afirmação, não cabe a contestação por negativa geral.

- Alguns sujeitos poderão contestar por negativa geral: parágrafo


único do art. 302 do CPC.

- Fatos não impugnados especificadamente não se tornam


incontroverso - incisos do artigo 302 do CPC.
2) Princípio da eventualidade/ ou concentração de defesas (art. 300
do CPC):

Compete ao réu alegar toda a matéria de defesa no bojo da


contestação (ordem):

- defesa processual: vícios processuais, ou preliminares de


contestação, art. 301 do CPC, sendo as principais: carência de ação
(ausência de uma das condições da ação: possibilidade jurídica do
pedido, interesse processual, legitimidade das partes), incompetência
absoluta (incompetência material da JT, art. 114 CF (EC 45/2004),
Inépcia da petição (art. 295, § único, CPC).

- Defesa indireta de mérito: o réu reconhece o fato constitutivo do


direito do autor, mas alega existência de fato impeditivo,
modificativo, ou extintivo. Essas regras de distribuição do ônus da
prova (818 da CLT e 333 do CPC).

Autor: provar fato constitutivo do seu direito

Réu: provar fato impeditivo, modificativo ou extintivo do direito do


autor.

Fato impeditivo: justa causa; prestação de serviços na qualidade de


mero trabalhador.

Fato modificativo: depósito do FGTS em parte do período pleiteado


pelo reclamado.

Fato extintivo: prescrição, decadência e compensação.

- Defesa direta de mérito: defesa por excelência pela qual o réu nega
o fato constitutivo do direito do autor. Ex: negativa de prestação de
horas extras com a juntada de cartão de ponto.

PRESCRIÇÃO TRABALHISTA

Conceito: é a perda da pretensão de reparação do direito violado pela


inércia do titular no decurso do tempo.

Atingem ações condenatórias, art. 7, XXIX da CF. A EC 28/00, trouxe


a igualdade de prazos prescricionais entre empregados urbanos e
rurais, derrogando o artigo 11 da CLT.
Vigência do CT 2 anos - bienal

|_________________|_________________|____________|______

Admissão sofre lesão Extinção da CLT

5 anos

Teoria da “actio nata”

Não existe prescrição bienal na vigência do contrato de trabalho,


somente qüinqüenal.

O TST adotou o entendimento que do ajuizamento reclamação


trabalhista ele consegue salvar os 5 anos anteriores. Súmula 308, I.

Exceções:

1) ações meramente declaratória – imprescritível

Art. 11, § 1º da CLT.

2) contra menor de 18 anos não corre nenhum prazo prescricional –


art. 440 do CLT, art. 10, § único lei 5889/73.

Ex:

2 anos a partir dos 18

_|_________________|_____________|_____________|________

16 anos 17 anos 18 anos 19 anos e 6 meses

(admissão) (despedida) (ajuíza RT)

18 anos

| | | | |

16 anos 23 anos 23 anos e 6 meses

(admissão) (extinção) (ajuíza o prazo)


Se o prazo qüinqüenal cair dentro do prazo em que o trabalhador era
menor, irá salvar todo o prazo qüinqüenal.

3) FGTS – 2 regras:

a) pedido principal – Súmula 362 do TST, que envolve os depósitos e


recolhimentos. A prescrição é trintenária na vigência do contrato,
respeitável os 2 anos após a extinção do contrato de trabalho.

b) parcela acessória: Súmula 206 TST, já como reflexo. Será


observada a regra geral da prescrição qüinqüenal e bienal.

# a lei 11280/06 – revogou o art. 194 do CC e modificou a redação


do § 5º do art. 219 CPC. Agora o juiz pronunciará, de ofício, a
prescrição. Essas alterações são aplicável ao processo do trabalho?

TST – 6/09/2010 – Min. Maurício Godinho – A prescrição de ofício é


inaplicável ao processo do trabalho, pelos seguintes fundamentos,
dignidade da pessoa do trabalhador, valores sociais e da livre
iniciativa, o direito do trabalho é um direito social, natureza alimentar
das verbas trabalhistas.

OJ 392 do SDI – 1. Protesto interruptível de prescrição.

DECADÊNCIA

Conceito: é a perda do próprio direito material pela inércia do titular


no decurso do tempo. A decadência fulmina o direito material. A
decadência atinge ações constitutivas.

3 exemplos no Proc. Trabalho:

1 – Prazo decadencial de 30 dias, contados da suspensão do


empregado para inquérito judicial para apuração de falta grave.

2 - 2 anos (trânsito em julgado) da ação para ação rescisória.

3 – 120 dias, da ciência do fato, para impetrar mandado de


segurança.

COMPENSAÇÃO

Defesa indireta de mérito; fato extintivo; forma indireta de extinção


das obrigações – Arts.368 e SS. CC.

Autor e Réu – simultaneamente credores e devedores.


Art. 767 da CLT – é argüida como matéria de defesa. Súmula 48 TST
– contestação.

1º exemplo – art. 487, § 2º CLT – empregado pede demissão e não


cumpre o aviso prévio. Empregado poderá descontar os salários dos
dias respectivos.

2º exemplo – art. 462, § 1º CLT, desconto no salário do empregado


em caso de dano. Em caso de dolo, ou se a possibilidade tenha sido
expressamente acordada.

ESBOÇO DA CONTESTAÇÃO

1. Endereçamento

2. Identificação do número do processo

3. Qualificação completa da reclamada, nome e endereço


completo do advogado; nome do reclamante; espécie de defesa
e fundamento legal.

4. Defesa processual (preliminar)

5. Defesa indireta de mérito (ex: prescrição, decadência,


compensação).

6. Defesa direta de mérito.

7. Pedidos (acolhimento de eventuais preliminares e a


conseqüente extinção do processo sem resolução do mérito /
acolhimento de eventuais defesas indiretas de mérito e a
conseqüente extinção do processo com resolução do mérito /
improcedência do pedidos ventilados pelo reclamante.

8. Requerimentos finais (requerer a dedução / compensação dos


direitos trabalhistas pagos pelos mesmos títulos no curso do
contrato de trabalho / protestos por provas etc.)

9. Encerramento

RECONVENÇÃO

Conceito: é o contrataque do réu em face do autor, na mesma


relação jurídica processual.

Natureza jurídica: ação


A ação oridinária B

|______________________________________________________|

Autor/reclamante réu/reclamado

Atualmente prevalece o entendimento que a reconvenção é


perfeitamente compatível com o processo do trabalho. É
indispensável à aplicação do artigo 769 da CLT e 315 a 318 do CPC

Réu – reconvinte; autor – reconvindo.

Requisitos para o cabimento da reconvenção:

1 - Juiz competente para o julgamento das duas ações, art. 109 CPC;

2 - procedimento idêntico para ambas as ações.

OBS: prevalece o entendimento de que a reconvenção não é cabível


nos procedimentos sumário e sumaríssimo.

Aplicação subsidiária dos arts. 278, § 1º do CPC e 31 da Lei


9.099/95. Nesse caso cabe o pedido contraposto no bojo da
contestação.

3 - Causa pendente;

4 - que a reconvenção seja conexa com a ação principal ou com o


fundamento de defesa. Art. 315, “caput”, CPC.

Ex: devolução de equipamento da empresa

OBS: não é cabível a reconvenção quando o autor atuar na qualidade


de substituto processual. Art. 315, parágrafo único. Por causa do
princípio bilateral, ou seja pleitear direito alheio.

### Ações dúplices (de natureza dúplice): além de se defender,


pode atacar através do pedido contraposto. Dessa forma, não é
cabível a reconvenção nas ações dúplices.

Exemplo de ação dúplice: inquérito judicial para apuração de falta


grave. Art. 495 da CLT – o empregado (requerido) além de se
defender poderá pedir que caso o inquérito seja julgado
improcedente, ele seja reintegrado no ambiente de trabalho com o
pagamento dos salários e demais direitos correspondes ao período de
afastamento.
Ação de consignação e pagamento, ações possessórias, ação de
prestação de contas.

Aspectos procedimentais

Art. 316 do CPC – adaptá-lo ao processo do trabalho – oferecida a


reconvenção em audiência o juiz deverá suspender e marcar uma
nova data para sua continuação, respeitado o prazo mínimo de 5 dias
artigo 841 da CLT.

Conforme o artigo 317 do CPC, a desistência ou extinção da ação


originária não obsta o prosseguimento da reconvenção (princípio da
autonomia da reconvenção), art. 317 do CPC.

A reconvenção tem natureza jurídica de ação autônoma.

Por fim, com base no artigo 318 do CPC serão julgadas na mesma

Sentença as duas ações.

Questão:

O representante legal da empresa Antares Topografia apresentou ao


advogado da empresa cópia de petição inicial em nome de ex-
empregado, por meio da qual o trabalhador requer o afastamento de
justa causa a ele aplicada em virtude de acidente de trânsito. Relatou
o reclamado ao advogado que o trabalhador colidira veículo da
empresa com uma árvore. Apresentou, ainda, cópia de aludo oficial
comprovando que o reclamante estava completamente alcoolizado na
ocasião do sinistro, bem como cópia da nota fiscal relativa aos custos
do conserto do veículo.

Em face dessa situação hipotética, responda, de forma


fundamentada, às seguintes indagações.

- Pode a empresa buscar o ressarcimento dos danos por meio de


resposta na referida reclamação trabalhista ou deve ajuizar ação
própria para tanto?

- Pode o advogado da empresa, sob sua responsabilidade pessoal,


declarar à justiça do trabalho a autenticidade da cópia da
documentação recebida de seu cliente?

- Pode a justiça do trabalho intimar a parte, por meio de seu


advogado, para a apresentação das cópias autenticadas ou dos
próprios originais dos documentos?
Respostas:

1 – Só cabe pedido contraposto em ação dúplice, como a suposta


petição é inicial com rito ordinário, a medida correta é a reconvenção
de acordo com os artigos 315 e SS. CPC, aplicados subsidiariamente
por força do artigo 769 da CLT. A reconvenção é uma espécie de
resposta do reclamado, que goza da natureza jurídica de ação, e será
conexa com o fundamento de defesa.

2 – Pode, com base no artigo 830, “caput” da CLT (lei 11925/2009).

3 – é possível com base no artigo 830, parágrafo único da CLT, desde


que seja impugnada a autenticidade.

Questão:

Jair é juiz de direito investido de jurisdição trabalhista no município


de Santana. Seu tio Marcos e seu primo Lino propuseram
reclamações trabalhistas distintas contra o frigorífico Transcarnes,
antigo empregador dos dois, que se localiza no referido município.

Em face dessa situação hipotética, responda, de forma


fundamentada, às seguintes indagações.

- Jair é obrigado a declarar-se suspeito para o julgamento de ambas


às lides?

- No caso de oposição de exceção de suspeição pelo advogado da


empresa, cabe recurso da decisão se esta não tiver cunho
terminativo?

- Caso seja julgada procedente a exceção de suspeição, de que forma


deverá ocorrer a substituição de Jair?

Resposta:

1 – Temas a procurar: exceção de suspeição, recursos.

R: Art. 801, “c” da CLT – O tio é suspeito até o 3º grau civil. O primo
não é suspeito, pois está no quarto grau.

Observação para estudo: estudar os artigos 134 e 135 do CPC.

2 – Artigo 799, § 2º da CLT –

- natureza jurídica de decisão interlocutória.


- irrecorribilidade imediata das decisões interlocutórias, art. 893, § 1º
da CLT.

- Nesse caso, incide um dos princípios fundamentais dos recursos


trabalhistas, que é a irrecorribilidade imediata dos recursos, por não
ter havido uma decisão terminativa, nesse caso não caberá esse
recurso.

Estudar Súmula 414 do TST.

# Se a decisão foi terminativa caberia a aplicação da súmula 214,


“c”, TST, recurso imediato x decisão interlocutória.

3 – Autorizado pela CF – artigo 112 (juiz de direito investido de


competência trabalhista). Segue o artigo 802, § 2º da CLT.

Questão:

Maria, empregada da empresa Fogo Dourado ltda., recebeu aviso


prévio indenizado, em 12/06/2009, na forma estipulada na CLT. Em
14/06/2009, ela recebeu exames laborais que comprovavam sua
gravidez e, no dia seguinte, apresentou os exames no setor de
pessoal da empresa, solicitando que lhe fosse garantia estabilidade. A
empresa negou o pedido, por entender que a gravidez, nos trinta dias
seguintes ao aviso prévio indenizado, não gera direito à estabilidade,
uma vez que a rescisão se opera automaticamente na data da
dispensa, sendo a previsão legal do período de trinta dias mera ficção
jurídica.

Considerando a situação hipotética apresentada, responda, de forma


fundamentada, se Maria faz jus à estabilidade provisória, indicando
se é possível a interposição de alguma medida judicial no caso.

Resposta:

Súmula 369, V do TST (não aplicá-la).

Súmula 344, III do TST (também não aplica).

Artigo 7º, I da CF – tese da aquisição da estabilidade provisória da


gestante no curso do aviso prévio indenizado. “Norma constitucional
de eficácia limitada, ou seja precisa de lei complementar”.

Art. 10, II, b do ADCT – estabilidade provisória da gestante.

Art. 487, § 1º da CLT – projeção ficta do aviso prévio indenizado.


OJ 82 e 83 da SDI-1/TST.

Fundamentos: dignidade da pessoa do trabalhador, valores sociais do

trabalho e da livre iniciativa, proteção constitucional da família.

André Luiz

Questão 39:

### ADENDO - sempre colocar no rascunho os pontos a rechaçar;


em síntese pleiteia o reclamado. (Prescrição qüinqüenal sempre
haverá).

- Fundamentação –

Horas extras: art. 224, § 2º da CLT, súmulas 102 e itens seguintes.

Juros: súmula 304 do TST.

Honorários advocatícios: súmula 219 do TST.

Excelentíssimo Senhor Doutor Juiz da ... Vara do Trabalho de ...

Processo nº ...

Banco G.O.L S/A, número do CNPJ, endereço


completo com CEP, por seu advogado que esta subscreve, nos autos
da reclamação trabalhista que lhe move vitória ..., vem à presença de
Vossa Excelência, com fulcro no artigo 847 da CLT, apresentar a sua

Contestação

Pelos motivos de fato e direito a seguir expostos:

Da Prescrição Quinquenal

Argui-se inicialmente a prescrição qüinqüenal


trazida pelo artigo 7º, XXIX da CF e artigo 11 da CLT, para que sejam
considerados extintos com exame de mérito os pedidos da
reclamante anteriores a 5 anos contados da propositura da presente
demanda.

Síntese dos Pedidos

Em síntese pleiteia a reclamante: horas extras


e reflexos, juros e honorários advocatícios.

Das Horas Extras

A reclamante postula duas horas extras


diárias, argumentando em seu favor que, por ser bancária estaria
submetida a jornada de 6 horas estabelecida no artigo 224 da CLT.
Contudo, não há como admitir o pedido da autora, já que a
empregada sempre exerceu função de confiança, percebendo,
inclusive, 1/3 de gratificação de função.

Tal fato, nos termos do parágrafo segundo, do


artigo 224 da CLT, exclui esse tipo de empregado da jornada
reduzida, fato este também trazido pela súmula 102, II, III, IV do
TST, que prerrogam com clareza que a jornada do trabalho do
gerente bancário é de 8 horas diárias, sendo considerado como
extras somente aquelas trabalhadas além deste horário.

Por este motivo improcede o pedido em tela e


sendo indevido o principal, cai por terra também seus acessórios,
pelo que não de se falar nos reflexos pretendidos.

Dos Juros

Na remota hipótese de condenação de pedido


supracontestado, fato este que admitimos apenas para argumentar,
não merece melhor sorte a reclamante no que diz respeito aos juros
pleiteados.

Isso porque a reclamada se encontra em


Liquidação Extrajudicial e a Súmula 304 do TST é clara ao dispor que
os débitos trabalhistas das entidades submetida a esse regime não
sofrem a incidência de juros de mora, o que deixa claro o
descabimento do pleito.

Dos honorários Advocatícios

Novamente por mera argumentação contesta


o reclamado o presente item nos seguintes termos:
Inicialmente vale ressalvar que a súmula 319
do TST limita os honorários advocatícios na Justiça do Trabalho em
15% e não 20% como requerido.

Em seguida, porque o texto sumulado exposto


impõe dois requisitos cumulativos para concessão de honorários no
âmbito trabalhista, quais sejam, assistência de advogado do sindicato
de classe e comprovação de insuficiência financeira, esta última não
trazida aos autos pela reclamante.

Por mais essa razão, merece improcedência o


pedido.

Das Provas

Protesta provar o alegado por todos os meios


de provas admitidos em direito, especialmente pelo depoimento
pessoal do reclamante, oitiva de testemunhas, sem prejuízo de
outras provas eventualmente cabíveis.

Da improcedência

Requer, por fim, se digne Vossa Excelência


primeiramente em acolher a prescrição suscitadas, para, em seguida
caracterizar a Total Improcedência dos Pedidos, nos termos expostos.

Nesses Termos,

Pede deferiento

Local e data

Nome e assinatura do advogado

OAB nº

Excelentíssimo Senhor Doutos Juiz da ... Vara do Trabalho de ...

Processo nº
Banco G.O.L S/A, já qualificada nos autos da
reclamação que lhe move Vitória..., por seu advogado que esta
subscreve, vem à presença de Vossa Excelência, com fulcro nos
artigos 315 e seguintes do CPC, propor a presente

Reconvenção

Pelos motivos de fato e de direito a seguir expostos:

Do Adiantamento Salarial

No curso do contrato de trabalho a


Reclamante solicitou e conseqüentemente obteve um adiantamento
salarial no importe de R$ 50.000,00.

Porém, logo em seguida ocorreu sua demissão


sem justa causa e nenhum valor pertinente ao adiantamento pode
ser descontado de sua rescisão, pois outros descontos já haviam
atingido o limite máximo de 1 salário previsto no artigo 477, §5º da
CLT.

Por esse motivo, requer a devolução integral


do adiantamento concedido.

Do Pedido

Pelo exposto, pleiteia:

a) Devolução do adiantamento salarial...................R$ 50.000,00

Das Provas

Protesta provar o alegado, por todos os meios


de prova admitidos em direito, especialmente pelo depoimento
pessoal da reconvinda, oitiva de testemunha, sem prejuízo de outras
provas eventualmente cabíveis.

Da Procedência

Requer, por fim, a devolução do valor integral


do adiantamento salarial, o que caracterizará conseqüentemente, a
total procedência do pedido, nos termos expostos.

Do Valor da Causa

Dá-se a causa o valor de R$ 50.000,00


Nesses termos,

Pede deferimento

Nome e assinatura do advogado

OAB nº...

Questão 41:

Não tem horas extras pelo art. 62, I da CLT.

Não tem direito ao sobreaviso pela OJ 49 SDI-1 da TST.

Não há integração do salário utilidade, súmula 367 do TST.

Excelentíssimo Senhor Doutor da ... Vara do Trabalho de São Paulo

Processo nº

DLX Ltda., número do CNPJ, endereço


completo com CPE, por seu advogado que esta subscreve, nos autos
da reclamação trabalhista que lhe move José Praxedes, vem à
presença de Vossa Excelência, com fulcro no artigo 847 da CLT
apresentar a sua

Contestação

Pelos motivos de fato e de direitos a seguir expostos:

Síntese dos pedidos

Em síntese pleiteia o reclamante: horas extras


e reflexos, sobreaviso e integração do salário utilidade no salário
utilidade na remuneração e reflexos.

Da Prescrição Quinquenal

Argui-se inicialmente a prescrição qüinqüenal


trazida pelo artigo 7º, XXIX da CF e artigo 11 da CLT, para que sejam
considerado extintos com exame de mérito os pedidos do reclamante
anteriores a 5 anos contados da propositura presente demanda.

Das Horas Extras

O reclamante postula horas extras alegando,


para tanto, que labora das 7:30 às 19:30 horas, com trinta minutos
de intervalo intrajornada, de segunda à sábado.

Todavia, não há como concordar com o pedido


em tela, já que o autor era vendedor externo não sujeito ao controle
de jornada e em sua CTPS constava seu enquadramento no artigo 72,
I da CLT.

O dispositivo legal citado exclui da jornada de


trabalho empregados como o autor, o que deixa claro o indeferimento
do pedido.

Sendo indevido o principal, conseqüentemente


descabe seus acessórios, pelo que não há de se falar nos reflexos
pretendidos.

Dos Sobreaviso

Postula também o reclamante horas de


sobreaviso, baseando seu pedido pelo simples fato de ter recebido do
reclamado um bip, o que não determina, só por este motivo, direito
ao instituto postulado.

Isso porque a OJ 49 da SDI-1 do TST é clara


ao dispor que somente o uso do bip não caracteriza o direito ao item
em tela, sendo indispensável que o empregado permaneça em sua
residência o chamado para o serviço.

Também por esse motivo merece


improcedência o referido adicional.

Do Salário Utilidade

Isso ainda não é tudo, pois o reclamante, no


curso do contrato de trabalho, recebeu também um carro e o
peticionário ainda lhe dava R$ 200 litros de combustível por mês para
desempenho de suas funções.
Em razão disso, o reclamante requer sua
integração como salário utilidade, não merecendo, contudo, melhor
sorte no caso.

A Súmula 368 do TST destaca que quando o


empregador fornecer o veículo ao empregado, este só terá natureza
salarial quando for dispensável para a realização do trabalho, fato
este que não se aplica no caso em tela, pois, como dito, tanto como o
veículo como também o auxílio combustível eram dados ao obreiro
para o exercício de suas funções.

Mais uma vez, sendo indevido o principal, cai


por terra também o reflexo pleiteado.

Das Provas

Protesta provar o alegado por todos os meios


de prova admitidos em direito, principalmente depoimento pessoal
do reclamante, pela oitiva de testemunha, sem prejuízo de outras
provas eventualmente cabíveis.

Da Improcedência

Requer, por fim, se digne Vossa Excelência


primeiramente em acolher a prescrição suscitada, para, em seguida,
caracterizar a total improcedência dos pedidos, nos termos expostos.

Nesses termos,

Pede deferimento

Local e data

Nome e assinatura do advogado

OAB nº

Se o valor requerido pelo reclamante foi maior que o valor que o


reclamante quer reaver, cabe compensação. Se o valor devido pelo
reclamante for menor que o que ele deve, cabe reconvenção.

A compensação só poderá ser argüida com a contestação. Súmula 48


do TST.
Reposta da questão 45:

Tutela para reintegração do emprego; art. 273, 543 clt, 0j 369;

Integração de diárias;

Horas extras;

Compensação;

Prescrição Quinquenal;

Exceção de incompetência;

Excelentíssimo Senhor Doutor Juiz da ... Vara do Trabalho de São


Paulo.

Processo nº...

Comps Ltda., número do CNPJ, endereço


completo com CEP, por seu procurador que esta subscreve, nos autos
da reclamação trabalhista que lhe move Wilson Carvalho, vem à
presença de Vossa Excelência, com fulcro no artigo 799 da CLT,
propor a presente

Exceção de Incompetência Relativa

Pelos motivos de fato e de direito a seguir exposto:

Da Incompetência do Foro

Apesar do reclamante ter sido contratado na


cidade de São Paulo, sempre desenvolveu suas atividades em
Campinas, o que deixa claro o local onde a presente demanda deveria
ser proposta.

A CLT, ao destacar a competência territorial


para a propositura da reclamação trabalhista assevera
cristalinamente que pouco importa o local da contratação do
empregado, mas sim onde este desempenhou suas atividades
laborais. É o que se extrai da leitura do artigo 651.
Por esse motivo, demonstrado está a
desobediência do texto legal supra descrito, o que torna
imprescindível à uma das Varas do trabalho de Campinas, esta sim a
cidade competente para processar e julgar a demanda.

Das Provas

Protesta provar o alegado por todos os meios


de provas admitidos em direito, especialmente o depoimento pessoal
do excepto, oitiva de testemunhas, sem prejuízo de outras provas
eventualmente cabíveis.

Da Procedência

Requer, por fim, se digne Vossa Excelência em


acolher a presente exceção, remetendo os autos a cidade
competente, o que caracterizará, consequentemente, a TOTAL
PROCEDÊNCIA DA EXCEÇÃO, nos termos expostos.

Nesses termos,

Pede deferimento.

Local e data.

Nome e assinatura do advogado

OAB nº

Excelentíssimo Senhor Doutor Juiz da ... Vara do Trabalho de São


Paulo.

Processo nº...

Comps Ltda., já qualificada na exceção de


incompetência relativa apresentada, por seu advogado que esta
subscreve, nos autos da reclamação trabalhista que lhe move Wilson
Carvalho, vem à presença de Vossa Excelência, com fulcro no artigo
847 da CLT, apresentar a sua
Contestação

Pelos motivos de fato e de direito a seguir expostos:

Síntese dos Pedidos

Em síntese pleiteia o reclamante: tutela


antecipada para reintegração do emprego, integração de diárias,
horas extras e reflexos.

Da Prescrição Quinquenal

Argui-se inicialmente a prescrição qüinqüenal


previsto pelos artigos 7º, XXIX da CF e 11 da CLT, para que sejam
considerados extintos com exame de mérito os pedidos do
reclamante anteriores a 5 anos contatos da propositura da presente
demanda.

Da Tutela Antecipada

O reclamante postula a concessão de liminar


por meio de medida antecipatória de tutela, com a finalidade de
reintegrá-lo no emprego. Alega, para tanto, que foi demitido no curso
de seu mandato como delegado sindical, o que lhe garantiria
estabilidade provisória, argumentação esta inadmissível por vários
motivos.

Primeiro porque o reclamante foi demitido por


justa causa, eis que incorreu no artigo 482, “a” e “f” da CLT, já que
colidiu o carro da empresa embriagado, fato este comprovado pela
polícia local por meio do teste do bafômetro.

A falta grave praticada, por si só, já afasta a


possibilidade de concessão de limitar, já que não há como vislumbrar
a prova inequívoca exigida pelo artigo 273 do CPC.

Em seguida, porque sequer a estabilidade


alegada existe no caso em tela, pois o artigo 543, § 3º da CLT,
resguarda esse direito ao dirigente sindical, cargo este nunca
exercido pelo autor.

Vale ressalvar que o cargo de delegado


sindical por ele ocupado não gera direito a estabilidade, como bem
destaca a OJ 369 da SDI-1 do TST.
Assim, por qualquer lado que se analise a
questão, impõe-se o indeferimento do pedido.

Das Diárias

O reclamante ainda postula a integração das


diárias que recebia para suas viagens no importe de R$ 800,00,
pedido este que por nova razão não merece prosperar.

Ocorre que o artigo 457, §§ 1º e 2º da CLT,


assim como as Súmulas 101 e 318 do TST, deixam claro que as
diárias só integram a remuneração quando ultrapassarem a metade
do salário do obreiro, o que jamais aconteceu no caso em tela, pois o
reclamante percebia R$ 2.000,00 mensais.

Também por esse motivo, não há que se falar


sobre a procedência do presente item.

Das Horas Extras

Isso ainda não é tudo, pois o reclamante


postula também horas extras pelo fato de trabalhar das 8 às 18 horas
sem intervalo para refeição e descanso.

Contudo, o autor exercia função externa


incompatível com a fixação de jornada, o que, nos termos do artigo
62, I da CLT, o exclui do regime da duração do trabalho,
configurando assim a impossibilidade de concessão das horas extras.

Sendo indevido o principal, cai por terra


também seus acessórios, motivo pelo qual descabe os reflexos nas
verbas contratuais pretendidas.

Da Compensação

Como mencionado, a falta grave que originou


a demissão do reclamante, decorreu de seu estado
comprovadamente alcoolizado e as avarias ao veículo de propriedade
da empresa foram orçada em R$ 32.000,00, valor este que deve ser
compensado na remota hipótese de condenação do reclamado, fato
esse que admitimos somente para argumentar.

Das Provas

...

Da Improcedência
...,

EMBARGOS DECLARATÓRIOS

535 CPC, 897-A CLT

Omissão, obscuridade, contradição;

Prazo de 5 dias; interrompe o prazo para o recurso principal;

O recurso ordinário pode REANALISAR matéria apreciada em sede de


embargos, agora se não tiver sido prequestionado nos embargos não
poderá ser ANALISADA no recurso ordinário.

Para a OAB sempre vai haver efeito modificativo (súmula 278 TST).

Pressupostos Extrínsecos (tempestividade, preparo).

### Se o juízo de admissibilidade denegar seguimento ao recurso


caberá Agravo de Instrumento. No entanto, se o juízo de mérito não
conhecer o recurso caberá Agravo Regimental, salvo se ocorrer
equivoco manifesto no exame dos pressupostos extrínsecos pelo juízo
de mérito, quando então caberam embargos declaratórios.

Peça 49:

Excelentíssimo Senhor Doutor da... Vara do Trabalho de ...

Processo nº

“B”, já qualificado nos autos da reclamação


trabalhista que lhe move “A”, por seu advogado que esta subscreve,
vem à presença de Vossa Excelência, opor tempestivamente e com
fulcro no artigo 897-A da CLT e artigo 535 do CPC

Embargos Declaratórios

Pelos motivos de fato e de direito a seguir expostos:

Histórico Processual

O embargado propôs reclamação trabalhista


em face do embargante postulando horas extras, reflexos e adicional
de insalubridade, ação esta julgada totalmente procedente.
No entanto, referida decisão não merece
prosperar, pois inteiramente omissa acerca de um de seus pontos
fundamentais. Senão vejamos:

Da Prescrição

A sentença embargada, além de não se


manifestar sobre a prescrição argüida, ainda condenou o peticionário
ao pagamento adicional de insalubridade sem a indispensável
realização de prova pericial, fato este, contudo, que só será discutido
no Recurso Ordinário oportuno, se houver necessidade.

Os presentes embargos declaratórios se


prestam exclusivamente a regularizar a prestação jurisdicional, isso
só se efetiva com uma sentença que analisa todos os pontos da
demanda.

Isso foi justamente o que ocorreu no caso em


tela, já que o julgado proferido por Vossa Excelência silenciou quanto
a prescrição bienal.

Dessa forma, torna-se indispensável a analise


do tema, legitimando assim a oposição dos presentes embargos.

Do Efeito Modificativo

Referida omissão certamente acarretará efeito


modificado do julgado, porque desde já se requer nos termos da
súmula 278 do TST e também do dispositivo legal celetista que
fundamenta a presente medida.

Conclusão

Pelo exposto, requer o conhecimento e


conseqüente provimento dos presentes embargos, sanando assim a
omissão apontada, o que caracterizará o efeito modificativo descrito
nos termos expostos.

Nesses termos,

Peça do plantão:

Dunga, ad: 10/01/00, vendedor externo anotada na CTPS, viajando


entre as cidades de pelotas, erechin, porto alegre (ficava matriz,
chefe Juliana). Envio de e-mails com conteúdo erótico. Aplicou 2
advertência, dispensado por justa causa. Reclamação trabalhista em
10/07/10. Pediu verbas rescisórias, horas extras.

Excelentíssimo Senhor Doutor Juiz da 1ª Vara do Trabalho de Pelotas

Processo nº

Excipiente: Bafanas LTDA

Excepto: Dunga

Bafanas LTDA, número do CNPJ, endereço


completo com CEP, por seu advogado que esta subscreve, nos autos
que lhe move Dunga..., vem à presença de Vossa Excelência com
fulcro no artigo 799 da CLT, apresentar

Exceção de Incompetência Relativa

Pelos motivos de fato e de direito a seguir exposto:

Da Incompetência do Foro

O excepto iniciou suas atividades laborais na


empresa Bafanas LTDA em 10/01/2000. Trabalhava viajando entre as
cidades de Pelotas, Erechim e Porto Alegre, sendo esta última a
matriz da empresa a qual o autor prestava conta do seu trabalho à
sua chefe, Sra. Juliana, entregando-lhe semanalmente relatório sobre
suas vendas.

Acontece, excelência, que o artigo 651, §1º


da CLT, declara que o empregado viajante precisa de dois requisitos
cumulados para configurar sua competência jurisdicional, sendo eles
a localidade em que a empresa tenha agência ou filial, e a esta o
empregado seja subordinado.

Conforme acima mencionado, a matriz


localizava-se em Porto alegre, sendo esta a empresa que o autor
prestava conta e era subordinado.

Desta forma, ficou comprovado a


desobediência do texto legal, e por assim dizer, requer a remessa dos
autos a uma das Varas do Trabalho da cidade de Porto Alegre que é
competente para processar e julgar a presente demanda.

Das Provas

Protesta provar o alegado por todos os meios


de prova admitidos em direito, especialmente pelo depoimento
pessoal do excepto, oitiva de testemunhas, sem prejuízo de outras
provas eventualmente cabíveis.

Da Procedência do Pedido

Requer, por fim, se digne Vossa Excelência em


acolher a presente exceção, remetendo os autos a cidade
competente, o que caracterizará, consequentemente, a TOTAL
PROCEDÊNCIA DA EXCEÇÃO, nos termos expostos.

Nesses termos,

Pede deferimento.

Local e data.

Nome e assinatura do advogado.

OAB nº

Excelentíssimo Senhor Doutor Juiz da 1ª Vara do Trabalho de Pelotas

Processo nº

Bafanas LTDA, número do CNPJ, endereço


completo com CEP, por seu advogado que esta subscreve, nos
autos que lhe move Dunga..., vem à presença de Vossa
Excelência, com fulcro nos artigos 769, 847 da CLT e 300 do
CPC, apresentar sua

Contestação

Pelos motivos de fato e direito a seguir expostos:

Da Síntese dos Pedidos


Em síntese o reclamante pleiteia: reversão
da justa causa e seus respectivas verbas rescisória decorrente
da sua dispensa e horas extras.

Prescrição Quinquenal

Argui-se inicialmente a prescrição


qüinqüenal trazida pelos artigos 7º, XXIX da CF e 11 da CLT,
que extingue com exame de mérito os pedidos do reclamante
anterior a 5 anos contados da data da propositura da ação, ou
seja antes de 10/07/2005.

Da Reversão da Justa Causa

O reclamante postula pela reversão da justa


causa, com o conseqüente pagamento das verbas rescisórias, por ser
imotivada.

Acontece, Excelência, que no último mês


antes da sua demissão o reclamante começou a enviar e-mails com
de conteúdo erótico e de conotação sexual para sua chefe. Para não
haver uma dispensa sumária o autor foi advertido por 2 vezes,
suspenso por 2 dias, contudo permaneceu enviando os e-mails,
ensejando sua dispensa por justa causa.

A CLT em seu artigo 482, “b”, constitui a justa


causa para o fato supramencionado, pelo que, deve ser mantida a
justa causa, com a conseqüente improcedência do pagamento as
verbas rescisórias.

(prosseguir em casa)

Peça 2 do plantão 3.

Teoria Geral dos Recursos Trabalhistas

Características / Peculiaridades

1) Prazos recursais uniformes

Regra geral de 8 dias, artigo 6º da lei 5.584/70, são eles:


Recurso Ordinário, Recurso de Revista, Embargos no TST, Agravo de
Instrumento e Agravo de Petição.

Exceções:

A – Embargos de Declaração – 5 dias, art. 897-A da CLT.

Em regra não há contrarrazões no bojo dos embargos declaratórios,

Todavia na hipótese de efeito modificativo ou infringente a parte


contrária deverá ser intimada para se manifestar no prazo de 5 dias,
sob pena de nulidade do julgado. OJ 142 SDI - 1 TST. Isso porque
causa um gravame a parte contrária, logo por meio de manifestação
prévia.

B – Recurso Extraordinário – artigo 508 do CPC.

C – Recurso de Revisão (pedido de revisão) – 48 horas – artigo


5.584/70. É o recurso cabível para a revisão de um valor da causa
fixado de ofício pelo juiz do trabalho, a ser realizado pelo presidente
do TRT.

D – Agravo regimental (interno) – regimento interno dos tribunais.


Em regra os TRTs vêem fixando o prazo em 5 dias. Já o TST fixou o
prazo em 8 dias. É o recurso cabível contra decisões monocráticas
proferidas pelos magistrados nos tribunais trabalhistas.

EX: TRT – VT

Contra despacho denegatório do seguimento de recurso ordinário


realizado pelo juiz “a quo” para o juízo ad quem cabe agravo de
instrumento, e despacho denegatório do seguimento de recurso
ordinário realizado pelo próprio juízo ad quem cabe recurso
regimental.

EX: ajuizar um ação rescisória no TRT e o relator despacha


monocraticamente indeferindo a petição inicial, neste caso, cabe
Agravo regimental.

Nesse caso o TST admite o conhecimento do Recurso Ordinário como


Agravo Regimental (OJ 69 SDI-2 do TST), com base no princípio da
fungibilidade ou da conversibilidade recursal. Requisito de aplicação
desse princípio:

-Inexistência de erro grosseiro.


-Existência de dúvida objetiva (é a dúvida na doutrina e na
jurisprudência)

-Respeito ao prazo do recurso correto.

E – Fazenda Pública (pessoas jurídicas de direito público – União,


Estados, Municípios, DF, autarquias e fundações públicas), neste caso
goza de prazo em dobro, artigo 1º, III, DL 779/1969. Prevalece o
entendimento que o prazo é simples para contrarrazões.

Ler súmula 331 do TST.

F – MPT – prazo em dobro para recorrer, artigo 188 do CPC,


prevalece o entendimento que o prazo é simples para contrarrazões.

O TST entende que o artigo 191 do CPC é inaplicável ao processo do


trabalho por incompatibilidade de princípio (Litisconsorte com
diferentes procuradores, prazo em dobro, para contestar, recorrer e
de modo geral para falar nos autos). OJ 310 SDI-1 do TST.

Questão:

Em determinada reclamação trabalhista, o juiz proferiu a sentença


em 5/3/2010 (sexta-feira), tendo, na oportunidade, dado
conhecimento sobre o teor a ambas as partes. Em 12/03/2010
(sexta-feira), o advogado da reclamada, uma indústria química,
interpôs o recurso de embargos de declaração via fac-símile. Em
19/03/2010 (sexta-feira), o recurso original foi devidamente
protocolizado no órgão competente.

Considerando a situação hipotética apresentada e sabendo que o


pedido dos embargos de declaração possui efeito modificativo,
responda, de forma fundamentada, se os embargos de declaração
devem ser considerados tempestivos.

R: a utilização do fax não exime a parte da juntada posterior dos


originais. Se o ato processual tiver prazo para cumprimento, o prazo
inicia-se após o termino do prazo (5 dias).

Agora se o ato processual não tem prazo, o prazo será contado a


partir do recebimento do faz.

|_______________________________________________|

Ed – 5 dias
(fax-símile)

O prazo de 5 dias para juntada dos originais tem como termo inicial
(dies a quo), o primeiro dia subseqüente ao termino do prazo do ato
processual, podendo coincidir com dia não útil. O fundamento dessa
regra é o fato da parte já ter ciência do seu ônus processual da
juntada dos originais. Súmula 387, III do TST.

Advento da Lei 11.410/2006 – Informatização do processo judicial


(processo virtual). Atentar para os artigos 4º, §§3º e 4º - regras de
contagem. Regras:

- é considerada data de publicação o primeiro dia útil subseqüente ao


dia da disponibilização da informação no diário da justiça eletrônico.

- a contagem inicia-se no primeiro dia útil subseqüente ao dia


considerado data de publicação.

2) Eles são dotados apenas do efeito devolutivo em regra – artigo


899, caput, CLT.

Fundamentos: Natureza alimentar das verbas trabalhistas (caráter


urgencial), Jus Postulandi, princípios das celeridade, informalidade e
simplicidade que vigoram no processo do trabalho (isso enseja a
extração da carta de sentença e inicia a execução provisória até a
penhora.

OBS: a ação cautelar é o meio próprio para a obtenção do efeito


suspensivo (súmula 414, I, parte final do TST).

- Classificação do efeito devolutivo (súmula 393 do TST)

A – Efeito devolutivo em extensão ou horizontal

O tribunal ao julgar o recurso fica adstrito aos pedidos ventilados nas


razões.

B – Efeito devolutivo em profundidade ou vertical

Relativo aos fundamentos, no artigo 515, §§ 1,2 do CPC

O tribunal ao julgar o recurso poderá analisar todos os fundamentos


da inicial e da defesa ainda que não ventilados nas razões ou
contrarrazões.
C – Serão interpostos por simples petição, art. 899, caput, CLT

Desnecessidade de fundamentação nos recursos trabalhistas, pelos


fundamentos: Jus Postulandi, princípios simplicidade e informalidade.

Acontece que essa posição é contrária ao entendimento da posição


moderna e do TST, que é majoritária, Súmula 422 do TST, há
necessidade de fundamentação, pelos seguintes fundamentos:
princípios constitucionais do contraditório e ampla defesa (art. 5, V da
CF). É o princípio da dialeticidade ou da discursividade).

D – Irrecorribilidade imediata das decisões interlocutórias, artigos


893, §1º e 799, §2º da CLT.

Essa regra comporta exceções, súmula 214 do TST:

- Decisões terminativas do feito – acontece quando a troca do TRT ou


de ramo do Poder Judiciário, nesse caso o RO.

- Ex: agravo regimental x decisão do relator que indefere petição


inicial

RECURSO ORDINÁRIO

- Cabe recurso ordinário para decisão definitiva da Vara do Trabalho.

- Quando o TRT atuar como primeira instância cabe RO para o TST.

Ex: dissídio coletivo, MS, HC, ação rescisória.

### A OJ 156 da SDI-2 do TST, entende que caso o TRT julgue o


Habeas Corpus não caberá Recurso Ordinário para o TST, mas sim
novo HC este a ser impetrado no TST.

- Matéria que não foi julgada, falta de tentativa de conciliação e


problema com qualquer tipo de prova dá nulidade, ou seja, devemos
pedir o retorno dos autos a primeira instância.

Peça 58:

Excelentíssimo Senhor Doutor Juiz da ... Vara do Trabalho de ...

Processo nº
“B”, já qualificado nos autos da reclamação
trabalhista que lhe move “A”, por seu advogado que esta subscreve,
vem à presença de Vossa Excelência, interpor tempestivamente e
com fulcro no artigo 895, I da CLT

Recurso Ordinário

Requerendo a remessa das anexas razões ao Egrégio Tribunal


Regional do Trabalho da ... Região, pelo que junta a presente o
comprovante do pagamento do depósito recursal e das custas
processuais para os devidos fins de direito.

Nesses termos,

Pede deferimento.

Local e Data

Assinatura do Advogado

OAB nº

Razões de Recurso Ordinário

Recorrente: “B”

Recorrido: “A”

Processo nº ...

Origem: ... Vara do Trabalho de ...

Egrégio Tribunal

Doutos Julgadores

Histórico Processual

O recorrido propôs reclamação trabalhista em


face do recorrente pleiteando nulidade de sua dispensa por ser
estável, ação esta julgada totalmente procedente após regular
instrução processual.
No entanto, referida decisão não merece
prosperar, pois inteiramente divorciada dos preceitos legais e
jurisprudenciais. Senão vejamos:

Da Estabilidade

Como mencionado, o reclamante, ora


recorrido, obteve êxito em sua pretensão, conseguindo a nulidade de
sua dispensa sem justa causa.

O Magistrado de primeiro grau entendeu que o


empregado era detentor da estabilidade decorrente do acidente de
trabalho, decisão esta que se encontra totalmente fora dos
parâmetros legais.

Isso porque o artigo 118 da Lei 8.213/91,


destaca que o empregado só terá direito a garantia de emprego
descrita se o seu afastamento for superior a 15 dias, fato este que
não ocorreu no caso em tela, já que o recorrido contou somente com
14 dias de afastamento.

Também vale mencionar que a simples leitura


da súmula 378 do TST, não só declara a constitucionalidade do texto
legal descrito, como também ressalva que o afastamento do
empregado superior a 15 dias e a conseqüente concepção do auxílio
doença acidentário são pressupostos indispensáveis para a concessão
da estabilidade, o que deixa claro o equivoco cometido no julgado de
primeiro grau.

Dessa forma, indispensável se faz a revisão do


julgado nos termos expostos.

Conclusão

Pelo exposto, requer o conhecimento e


conseqüente provimento apelo, o que caracterizará, a reforma
integral do julgado, com a condenação do recorrido as custas
processuais em reversão, tudo por ser medida da mais pura e lídima
justiça!

Local e data.

Assinatura do advogado
OAB nº

João da Silva propôs reclamação trabalhista contra invicta Ltda,


pleiteando horas extras, salários pagos “por fora”, incidência do FGTS
no aviso prévio indenizado e multa do artigo 477, §8º da CLT, uma
vez que as verbas rescisórias foram pagas no primeiro dia útil
subseqüente ao término dos trinta dias do aviso prévio. Em
audiência, o juiz indeferiu as duas únicas testemunhas do reclamante
alegando que ambas estariam litigando contra o reclamado. Ato
contínuo julgou todos os pedidos improcedentes.

Como advogado do prejudicado, atue.

Excelentíssimo Senhor Doutor da... Vara do Trabalho de...

Processo nº...

João da Silva, já qualificado nos autos da


reclamação trabalhista que move em face de Invicta Ltda., por seu
advogado que esta subscreve, vem a presença de Vossa Excelência
interpor tempestivamente e com fulcro no artigo 895, I da CLT

Recurso Ordinário

Requerendo a remessa das anexas razões ao Egrégio Tribunal do


Trabalho da... Região, pelo que junta a presente comprovante de
pagamento das custas processuais para os devidos fins de direito.

Nesses Termos,

Pede deferimento

Local e data.

Assinatura do advogado

OAB nº
Razões de Recurso Ordinário

Recorrente: João da Silva

Recorrido: Invicta Ltda.

Processo nº: ...

Origem: ... Vara do Trabalho de ...

Egrégio Tribunal

Doutos Julgadores

Histórico Processual

O recorrente propôs reclamação trabalhista


em face do recorrido pleiteando horas extras, salários pagos “por
fora”, incidência do FGTS no aviso prévio e multa do artigo 477, §8º
da CLT, ação esta que após irregular instrução processual foi julgada
improcedente.

No entanto, referida decisão não merece


prosperar, pois inteiramente divorciada dos preceitos legais e
jurisprudenciais. Senão vejamos:

PRELIMINARMENTE

DO CERCEAMENTO DO DIREITO

Durante audiência de instrução, o Magistrado


de primeiro grau agiu equivocadamente ao indeferir a oitiva das duas
únicas testemunhas do recorrente, lhe ocasionando sério prejuízo que
deve ser revertido por esse Tribunal.

A alegação do juízo “a quo” para indeferir as


testemunhas diz respeito ao fato de que ambas estavam litigando
contra o mesmo demandado e, portanto, seriam tidas como
suspeitas.

Contudo, o TST é pacífico ao não considerar


suspeitas as testemunhas que promovem ou até mesmo tenham
promovido reclamação trabalhista contra o mesmo empregador,
como deixa clara a súmula 357 do TST, pelo que inviabiliza a
manutenção da sentença.
Por este motivo, requer a nulidade parcial do
julgado e conseqüente retorno dos autos a instância de origem para a
correta instrução processual.

MÉRITO

DAS HORAS EXTRAS E SALÁRIOS PAGOS “POR FORA”

Os itens em tela, por se tratarem de matéria


de fato, só podem ser comprovado pelos depoimentos testemunhais
que, como dito foram indevidamente indeferidos, motivo pelo qual
deverão ser analisados quando do retorno dos autos a Vara do
Trabalho para oitiva testemunhal.

DA INCIDÊNCIA DO FGTS NO AVISO PRÉVIO

Já no que diz respeito ao presente item, a


reforma imediata perante esse Egrégio Tribunal se faz necessária,
mesmo porque independe do conteúdo probatório angariado com os
depoimentos das testemunhas.

A Vara do Trabalho indeferiu, por meio da


sentença proferida pelo Douto Magistrado, a incidência do FGTS do
aviso prévio indenizado, fato este que não podemos concordar.

Primeiro porque o artigo 489 da CLT só


considera efetivada a rescisão contratual após ser expirado o prazo
do aviso prévio, o que deixa claro que o aviso prévio, trabalho ou
indenizado contam como tempo de serviço e, sendo assim, a
conseqüência óbvia é a incidência do fundo de garantia, pois se trata
de verbas de natureza salarial.

Em seguida, porque a súmula 305 do TST é


nítida ao dispor que o pagamento relativo ao aviso prévio, ainda que
indenizado, está sujeito a contribuição fundiária, deixando evidente a
necessidade de reforma do julgado.

DA MULTA DO ARTIGO 477, §8º DA CLT

Também por independer da preliminar


suscitada, pleiteia o peticionário a reforma imediata quanto ao item
destacado neste tópico .

A sentença de primeiro grau indeferiu o


pedido a que trataram, certamente por considerar que as verbas
rescisórias foi efetivado em tempo hábil, decisão esta novamente em
descompasso com o texto legal.

De fato, as verbas rescisórias foram pagas no


primeiro dia útil subseqüente ao término do aviso prévio, prazo este
que nos termos do artigo 477, §6º, “a” da CLT, até estaria correta se
o aviso prévio fosse trabalhado, o que não se aplica no caso em tela,
já que o aviso foi concedida de forma indenizada, devendo o prazo
para pagamento ser aquele descrito na alínea “b” do dispositivo legal
citado, qual seja, de dez dias.

Assim, por qualquer lado que se analise a


questão, indispensável se faz a reforma do julgado.

CONCLUSÃO

Pelo exposto, requer o conhecimento e


conseqüente provimento do presente apelo para, num primeiro
momento, acolher a preliminar suscitada, decretando a nulidade
parcial do julgado e conseqüente retorno dos autos a instância de
origem para devida oitiva testemunhal e correta análise dos pedidos
de horas extras e salários pagos “por fora”, para, no mérito, reformar
o julgado de imediato no que tange aos pedidos remanescente,
condenando o recorrido as custas processuais em reversão, tudo por
ser medida da mais pura e lídima justiça.

Local e data.

Assinatura

OAB nº

Estudar página 151 – peça 53

RECURSO DE REVISTA

Amparo legal: art. 896 da CLT

Prazo: 8 dias (R/CR)

Preparo: custas + depósito recursal


- Hipóteses de cabimento: contra acórdãos proferidos pelos TRTs, em
dissídios individuais em grau de recurso ordinário.

OBS: dessa forma não é cabível RR em dissídios coletivos e nos


processos de competência originária dos TRTs (ação rescisória, MS,
ação cautelar, ação anulatória de cláusula contratual etc).

TST

TRT

AÇÃO --- VARA DO TRABALHO --- SENTENÇA

Juízo “a quo”: Presidente do TRT (§1º) - petição de interposição.

Juízo “ad quem”: razões – uma das 8 turmas do TST (caput).

# Súmula 126 do TST – RR – recuso trabalhista de natureza


extraordinária – não admite o reexame de fatos e provas, ou seja
somente analisa matéria de direito.

- Objetivo do RR: uniformização da jurisprudência pelos tribunais


trabalhistas.

- Fundamentos jurídicos do RR – Alíneas:

1 – “a” – divergência jurisprudencial na interpretação de lei federal.

Acórdão do TRT x Acórdão de outro TRT, Acórdão do SDI/TST,


Súmula do TST. Obs: súmula do 337 do TST, IN 23/2003 do TST.

- Obs 1: Acórdão paradigma – acórdão do mesmo TRT? Não pode


haver acórdão paradigma do mesmo TRT, incidente de uniformização
de jurisprudência, §3º do art. 896 do CLT, art. 476 a 479 do CPC, ou
seja, divergência entre TRT não cabe ao TST resolver, e sim o próprio
TRT.

Obs 2: acórdão do TRT x OJ? Sim, com base na OJ 219 SDI-1 do TST

2 – Alínea “b”: divergência jurisprudencial na interpretação de lei


estadual, CCT, ACT, sentença normativa e regulamento empresarial
de observância obrigatória em área territorial que exceda a
competência do TRT.

Obs: mesmos fundamentos da alínea “a”.

3 – Alínea “c”: acórdão do TRT x Lei Federal ou CF.

Hipóteses mais prováveis:

- acórdão do TRT x Súmula ou OJ do TST, Lei Federal ou CF.

PRESSUPOSTOS RECURSAIS ESPECÍFICOS DO RR:

1 – prequestionamento - súmula 297 do TST

Caso o tribunal seja omisso é cabível a oposição de embargados


declaratórios para fins de prequestionamento.

Inciso 3 da súmula – prequestionamento tácito.

2 – transcendência – art. 896 – A da CLT

TST examinará previamente se a causa oferece reflexos gerais de


natureza econômica social, política ou jurídica. EX: base de cálculo do
adicional de transferência.

Crítica: conceito vago que ainda depende de regulamentação


específica.

Obs 1 – é cabível RR em liquidação ou execução trabalhista?

É cabível em apenas 1 hipótese, quando o acórdão do TST x CF; art.


896, §2º CLT, súmula 266 TST.

EX: execução – JT – sentença (embargos à execução), agravo de


petição, acórdão afrontando CF pelo TRT, aí sim cabe RR para o TST.

No procedimento sumaríssimo somente é cabível RR em duas


hipóteses (art. 8, §6º da CLT):

Acórdão do TRT x súmula do TST ou CF.

Acórdão do TRT x OJ ? OJ 352 SDI-1 do TST não cabe RR por


ausência de previsão no Art. 896, §6º CLT.
#### Adendo Importante

Não confundir

OJ 219 SDI-1 (proc. Ord) x OJ 352 SDI-1 (proc. Sumaríssimo)

RR(sim) RR(não)

Questão:

Mário foi admitido, na empresa Comunicação e Eletricidade Ltda.,


para trabalhar na área de sistema elétrico de potência. Após o fim do
contrato de trabalho, ele ajuizou reclamação junto à 15ª Vara do
Trabalho de São Paulo, pleiteando o reconhecimento do direito ao
pagamento integral do adicional de periculosidade, cujo percentual
corresponderia a 30% calculados sobre o valor da remuneração. A
reclamada contestou, argumentando que nada era devido ao
reclamante, visto que, ao tempo do contrato de trabalho, já lhe
pagara o referido adicional. Alegou, ainda, que o empregado somente
teria direito à quantia correspondente ao tempo de exposição ao
risco, a qual deveria ser calculada no percentual de 12% sobre o
valor do salário, conforme previsto e autorizado em acordo coletivo.
O juiz julgou procedentes os pedidos constantes na ação e
reconheceu devido o adicional de periculosidade, conforme
demonstração do laudo pericial e em razão da atividade desenvolvia
pelo reclamante, que não havia recebido integralmente tal parcela no
curso da relação laboral. Quanto ao percentual, entendeu-o como
aquele descrito na petição inicial, o qual deveria incidir integralmente
sobre o valor da remuneração, independentemente do tempo em que
o empregado ficara exposto à situação de risco. Houve recurso
ordinário ao TRT, o qual foi improvido, tendo sido mantida a decisão
de 1º grau em seus exatos termos.

Em face dessa situação hipotética, na qualidade de advogado


contratado pela Comunicação e Eletricidade Ltda., redija a peça
processual cabível, expondo os argumentos legais pertinentes para a
defesa de sua cliente.

R:

Rascunho

Advogado (empresa)
Art. 896, alínea ...

Juízo “a quo”: Presidente do TRT 2ª Região

Razões – juízo “ad quem”: TST (uma das 8 turmas)

Teses:

Da Validade Jurídica do pagamento proporcional do adicional de


periculosidade.

Fatos: houve acordo coletivo – pagamento proporcional/12% do


salário.

Fundamentos:

CF – art. 7º, XXVI, 8º, VI da CF – é o reconhecimento da validade e


eficácia dos instrumentos de negociação coletiva.

Contrariou a CF, ou seja alínea “c”

Súmula 364 do TST – reconhece a validade do pagamento


proporcional ao adicional de periculosidade reconhecido pelo acordo
coletivo.

Contrariou a súmula, ou seja alínea “a”

Conclusão: dessa forma, com base nos argumentos acima apontados


o pagamento proporcional do adicional de periculosidade efetuado
pela empresa no caso em tela deverá ser considerado válido pelo
judiciário trabalhista.

EMBARGOS NO TST

- Amparo legal: art. 894 CLT.

- Reforma – lei 11.496/2007 (Embargos de nulidade foram extintos).

- Prazo: 8 dias (R/CR)

- Preparo: custas/depósito recursal

- Súmula 126 do TST – recursos trabalhistas de natureza


extraordinária, logo surge a necessidade prequestionamento –
Súmula 297 do TST.

Somente 2 espécies :

1) Embargos de divergência: art. 894, II da CLT


- divergência entre turmas do TST.

- divergência entre turma do TST e SDI/TST (incidência maior de


cair).

Ex: caso concreto – acórdão da Turma do TST xOJ da SDI-1/TST.

Obs 1 – não são cabíveis esses embargos quando a decisão estiver


em conformidade com Súmula ou OJ do TST ou do STF. Esses
embargos são julgado pela SDI.

2) Embargos infringentes – artigo 894, I, “a” da CLT.

Serão julgados pela SDC.

AGRAVO DE INSTRUMENTO

897,”b” da CLT

- Só serve para destrancar RO, em juízo de primeiro grau.

- A lei 9756/98 destaca que juntamente com as peças indispensáveis


a formação do instrumento do agravo, deverão ser juntadas também
e por cautela cópia do recurso denegado, posto que, se provido o
agravo o recurso denegado será imediatamente julgado.

Assim o agravado ao receber a intimação para se manifestar sobre o


agravo deverá, além de contraminutá-lo, contra-arrazoar o recurso
principal.

- Paga-se a metade do valor do depósito do recurso denegado.

- No juízo de admissibilidade denegou seguimento cabe agravo de


instrumento.

- Resolução administrativa 1418: a partir dessa resolução o agravo


de instrumento interposto contra despacho que denegou seguimento
ao recurso de revista não necessita mais das cópias que formam seu
instrumento.

- No RR tem que colocar prequestionamento, transcendência e dos


pressupostos de admissibilidade.

- Embargos no TST prequestionamento, pressupostos de


admissibilidade.
- Recurso Extraordinário tem prequestionamento, pressupostos de
admissibilidade, repercussão geral.

“A” propôs reclamação trabalhista no dia 10/04/2009 requerendo


reajuste salarial pactuado na convenção coletiva de sua categoria no
importe de 12% em face de “B”, bem como indenização decorrente
de estabilidade, pois foi demitido no dia 20/04/2008, quando então
faltavam 3 meses para o término de sua estabilidade como dirigente
sindical. Após regular instrução processual, ação foi julgada
improcedente, sob a alegação de que quando o reajuste foi obtido
pelo sindicato o empregado estava com o contrato suspenso,
suspensão esta acordada entre as partes para que o reclamante
fizesse um curso no exterior e, por essa razão, não seria devido o
aumento. Já, quanto ao pedido de indenização em decorrência da
estabilidade, este foi julgado inepto, pois, segundo o juízo, não foi
demonstrado “animus” de retornar ao emprego, já que o autor não
requereu reintegração. Ato contínuo, o prejudicado interpôs o recurso
cabível, recurso esse denegado pelo juízo de admissibilidade, o que
gerou novo recurso, este sob a alegação de que a recorrente era
detentor da justiça gratuita e não necessitaria recolher as custas
processuais, fato este que tinha sido objeto da denegação. Este
último recurso foi provido, o que acarretou o julgamento do recurso
anterior que manteve integralmente, o julgado inicial.

Como advogado do prejudicado atue.

RR – com base na alínea “c” e “a”.

Art. 471 da CLT, Súmula 393 do TST

Excelentíssimo Senhor Doutor Juiz presidente do Egrégio Tribunal


Regional do Trabalho da Região...

Processo nº...

“A”, já qualificado nos autos da reclamação


trabalhista que move em face de “B”, por seu advogado que esta
subscreve, vem à presença de Vossa Excelência, interpor
tempestivamente e com fulcro no artigo 896, “a” e “c” da CLT

Recurso de Revista

Requerendo a remessa das anexas razões ao Colendo Tribunal


Superior do Trabalho para os devidos fins de direito.

Nesses termos,

Pede deferimento.

Local e data.

Advogado e assinatura.

OAB nº

Razões de Recurso de Revista

Recorrente: “A”

Recorrido: ”B”

Processo nº ...

Origem: Tribunal Regional do Trabalho da ... Região

Colendo Tribunal

Doutos Ministros

Histórico Processual

O recorrente propôs reclamação trabalhista


em face do recorrido postulando reajuste salarial e indenização
decorrente de estabilidade, ação esta julgada improcedente, o que
originou a interposição de Recurso Ordinário cuja decisão manteve a
decisão originária após análise do agravo de instrumento.

No entanto, referida decisão não merece


prosperar, pois inteiramente divorciada dos preceitos legais e
jurisprudenciais. Senão vejamos:

Do Prequestionamento
Cumpre ressaltar inicialmente que a matéria
objeto do presente recurso foi devidamente prequestionada em peça
de embargos declaratórios, nos termos da súmula 297 deste Tribunal.

Da Transcendência

Ressalta também que a matéria é


transcendente em relação aos reflexos de natureza social, econômica,
jurídica ou política do país, conforme artigo 896-A da CLT.

Dos Pressupostos de Admissibilidade

Ressalta-se ainda que o presente recurso é


tempestivo, não tendo o recorrente recolhido as custas processuais
por ser beneficiário da justiça gratuita, estando as procurações
constantes as folhas..., como determina a IN 23 do TST.

Das Divergências

O acórdão proferido no recurso ordinário,


manteve a decisão inicial, julgando improcedente o pedido de
reajuste salarial no importe de 12%, obtida pelo sindicado da
categoria profissional do recorrete.

Alega, para tanto, que quando o sindicato


obteve o benefício o empregado estava suspenso e que, por isso, não
faria jus ao aumento.

Contudo, o artigo 471 da CLT é claro ao dispor


que os empregados que estão com o contrato de trabalho suspenso
ou interrompidos, terão direito a todas as vantagens obtidas pela sua
categoria profissional quando retornarem as atividades laborativas.

Assim, demonstrada está a divergência da lei


federal, legitimando a interposição do presente recurso de revista.

E isso ainda não é tudo, pois o acórdão


regional, ao manter a decisão monocrática, também indeferiu o
pedido de indenização decorrente de estabilidade, já que nata da
demissão do recorrente ainda faltavam 3 meses para o término de
sua estabilidade como dirigente sindical.

As decisões guerreadas consideraram o pedido


inepto, por entenderem que o empregado deveria ter pedido sua
reintegração no emprego e não somente a indenização como o fez.
Ainda que de fato esta seja a regra, no caso
em tela devemos aplicar a exceção, pois quando da propositura da
presente demanda, em 10.04.2009, o período estabilitário do
peticionário já havia se esgotado, fato este que ocorreu precisamente
no dia 20.07.2008.

A simples leitura da Súmula 396, I do TST, é


clara ao dispor que quando o período de estabilidade está exaurido, o
empregado somente deve requerer os salários do período.

Por nova razão, mais uma divergência foi


apontada, o que denota a indispensabilidade de reforma do julgado.

Conclusão

Pelo exposto, requer o conhecimento e


conseqüente provimento do presente apelo, revertendo assim as
decisões anteriores, tudo por ser medida da mais pura e lídima
justiça.

Local e data.

Assinatura do Advogado

OAB nº...

Fazer peça 65

“A” propôs reclamação trabalhista contra “B” requerendo rescisão


indireta do contrato de trabalho, em virtude de um atraso salarial de
5 meses. Em audiência, o reclamado pagou os salários em atraso e a
ação foi julgada procedente, o que originou a interposição de recurso
ordinário que atesta que o objeto do pedido inicial caiu quando do
pagamento dos salários em atraso e que a ação deveria ter sido
julgada improcedente.

Ressalte-se que o recorrente não recolheu o depósito recursal e as


custas processuais em razão de ser uma empresa que se encontra
em liquidação extrajudicial.

Como advogado de “A”, sendo intimado desse recurso, atue.

Plantão
Zé bigode

Ad: 02/01/06 – flores ; R$ 1.000,00

Excelentíssimo Senhor Doutor Juiz da 2ª Vara do Trabalho do RJ

- tempestivamente

- interpor

- recurso ordinário (art. 895, I da CLT)

- recolheu as custas processuais

- remessa das anexas razões ao TRT da 1ª região (art. 674 da CLt).

- Nesses termos, local e data ...

__________________________________________

Razões de Recurso Ordinário

Recorrente:

Recorrido:

Processo:

Origem:

- Histórico Processal

________________________________________________

Cabimento do Recurso Adesivo: Agravo de petição, RO, RR e


embargos no TST, súmula 283 do TST.

LIQUIDAÇÃO DE SENTENÇA

- Exigível em sentença ilíquida

- “na debeatur”: o que se deve.

- “quantum debeatur”: Valor ou objeto da condenação, quanto se


deve.
- Natureza jurídica da liquidação de sentença: posição majoritária –
fase preparatória da execução/ processo único (sincrético).

- regramento legal: artigo 879 da CLT, aplicação subsidiária 475-A à


475 – H do CPC.

- Princípio da fidelidade à sentença líquida – juiz não poderá modificar


ou inovar a sentença liquidanda, nem discutir matéria pertinente à
causa principal. Art. 879, §1º do CPC. (proteção ao instituto da coisa
julgada material, art. 5º, XXXVI).

- Espécies de liquidação – “caput” do artigo 879 da CLT

1 – Liquidação por cálculo

É a mais simples e comum na JT, precisa apenas dos aritméticos em


memória discriminada e atualizada dos cálculos.

Súmulas 200 e 211 do TST. Pedidos implícitos de juros de mora e


correção monetária.

Conta-se o juros e mora a partir do ajuizamento da RT – 883 da CLT


(parte final).

2 – Liquidação por arbitramento

- quando houver necessidade de perícia (diferente de prova pericial).

A liquidação por arbitramento é determinada pela sentença,


convencionada pelas partes ou quando a natureza do objeto exigir.

Ex: percentual do salário in natura

- Juiz nomeará um árbitro – fixado prazo para entrega do laudo.

- Apresentado o laudo – partes (intimados) sobre o laudo.

3 – Liquidação por artigos

- quando precisar alegar e provar fato novo, sempre observando o


procedimento comum, não é aconselhável na justiça do trabalho por
ferir os princípios da simplicidade, informalidade e celeridade.

Questão:

Todas as espécies de liquidação poderão ser promovidas ex officio a


luz do artigo 878 da CLT? Existe uma que precisa do requerimento do
exeqüente, liquidação por artigos. Fundamentos: inércia da jurisdição
e da imparcialidade do juiz.

Na da impede a liquidação mista.

Liquidação por cálculo e impugnação à conta de liquidação (à


sentença de liquidação)

1 - espécie – forma tradicional – art. 884, §3º da CLT (exercício do


direito de defesa após a constrição judicial dos bens).

|________________|_________________|____________________

Sentença partes intimadas elaboração

Ilíquida ser previamente dos cálculos

Intimadas para a próprias partes

Apresentação dos ou órgãos

Cálculos e as auxiliares da JT

Contribuições sociais

Incidentes

Execução (...)

|_________________________|_____________________|_______

Homologação Mandado de CPA garantia da

Dos cálculos (citação, penhora e execução ou

Através de sentença avaliação) art. 880 penhorados os

De liquidação bens

5 dias 5 dias

|__________________|___________________________|________

Executado exeqüente será sentença

Intimado intimado para

Embargos à apresentar resposta


Execução aos embargos à execução

Art. 884, § 3º e/ou impugnação à

(impugnado à sentença de liquidação

Sentença de

Liquidação)

2 - espécie - moderna – artigo 879, §2º CLT (lei 8.432/92) –


exercício do direito de defesa antes da constrição judicial dos bens.

(Régua)

- sentença iliquida

- partes deverão ser previamente intimadas para apresentação dos


cálculos (incluindo as previdenciárias).

- elaboração dos cálculos

- elaboradas a conta e tornada líquida, o juiz poder abrir prazo


sucessivo de 10 dias às partes para impugnação fundamentada com
indicação dos itens e valores objeto da discordância, sob pena de
preclusão (art. 879, §2º CLT).

- sentença de liquidação

- execução propriamente dita

OBS: assim a intimação das partes para impugnação dos cálculos é


facultativa. De outra sorte, o INSS deverá ser intimado para que no
prazo de 10 dias apresente a impugnação sob pena de preclusão, por
causa das contribuições salariais.

Sentença de liquidação

Natureza jurídica: prevalece o entendimento que é uma decisão


interlocutória.

Recurso cabível: art. 475 – H do CPC (Agravo de instrumento), que


sistematizando para o recurso trabalhista, por sua vez,
irrecorribilidade imediata das decisões interlocutórias. Assim, para
sentença de liquidação NÃO CABE RECURSO, mas cabe ação
rescisória Súmula 399, II do TST, quando a sentença de liquidação
adentrar no mérito dos cálculos. Ex: quando o juiz explica porque
acolheu uma posição e não outra.

EXECUÇÃO TRABALHISTA

- realização prática de atos concretos e satisfeitos do direito do


credor.

- Regramento legal (hierarquia):

1 – CLT- arts 876 a 892 (20 artigos);

2 – Lei 6830/80 – lei de execução fiscal,

art. 889 da CLT – 2 requisitos cumulativos:

I) Lacuna na CLT

II) Compatibilidade de princípios e regras

3 – CPC – mesmos requisitos.

OBS: art. 13 da Lei 5584/70 – remição – pagamento.

Toda execução depende de 2 requisitos cumulativos:

1) Inadimplemento do devedor;

2) Título executivo (judicial ou extrajudicial);

Obrigação: líquida, certa e exigível.

TÍTULOS EXECUTIVOS TRABALHISTAS

- Art. 876, “caput”, CLT

a) Judiciais: “criação do poder judicial”.

sentença transitada em julgado (execução definitiva);

sentença impugnada por recurso desprovido de efeito suspensivo


(execução provisória que vai até a penhora), art. 899, “caput”, CLT;
acordo judicial.

b) Extrajudiciais: “criação das próprias partes”


TAC (termo de ajuste e conduta) firmado perante o MPT, artigo 5º,
§6º lei 7347/85.

Termo de conciliação celebrado na CCP – art. 625-E, §único da CLT.


Característica: eficácia liberatória geral, exceto quanto às parcelas
expressamente ressalvadas.

## a CLT prevê esses títulos acima, porém houve uma atualização:


EC 45/2004 (reforma do judiciário) – Art. 114, VII do CF, trouxe um
novo título extrajudicial – multas administrativas impostas aos
empregadores pelo MP e inscritas na certidão da dívida ativa da
união.

Obs: prevalece o entendimento que esse rol é taxativo.

COMPETÊNCIA (Art. 877 e 877-A CLT):

Onde tramitou o conhecimento, tramitará a execução.

Base 651 da CLT, para o 877-A.

LEGITIMIDADE

Ativa: art. 878 e 878-A da CLT.

Passiva: em regra o empregador é o executado. Todavia, em


situações excepcionais o próprio empregado poderá figurar no pólo
passivo, ex, devolução de equipamentos, honorários periciais.

EXECUÇÃO POR QUANTIA CERTA CONTRA DEVEDOR SOLVENTE

(régua)

- Mandado de CPA (citação, penhora e avaliação), art. 880 da CLT.

- abre-se prazo de 48 horas.

- O executado pode ter 4 comportamentos: pagar a dívida (art. 881


CLT).

- garantir a execução através da primeira forma (depósito da


importância), art. 882 da CLT

- garantir o juízo – nomeação de bens à penhora, art. 882 da CLT.

Ordem do art. 655 CPC.

- Inércia – penhora coativa (Oficial de Justiça), art. 883 da CLT.


- Garantida a execução ou penhorado os bens.

- executado será intimado a apresentar os embargos à execução (em


5 dias).

- exeqüente será intimado para resposta aos embargos


(contraditório), prazo de 5 dias.

- sentença, artigos 885 e 886 da CLT (aqui cabe Agravo de Petição).

- fase de expropriação dos bens art. 888 da CLT. ADJUDICAÇÃO,


ARREMATAÇÃO, REMIÇÃO.

- a execução pode iniciar de ofício desde que seja definitiva.

- execução provisória acontece quando se tem recurso.

- Carta de sentença – são cópias para que o juiz a quo possa


prosseguir a execução.

- Não é obrigado a mandar para o perito.

- Se o juiz opta por abrir vista as partes estas tem a obrigação de se


manifestar, sob pena de preclusão.

- palavra chave da questão HOMOLOGAÇÃO (Sentença de


liquidação).

- no mesmo ato em que o juiz homologa a liquidação ele determina o


mandado de penhora e avaliação.

- Após a homologação cabe ao exeqüente a impugnação dos cálculos,


e ao executado os embargos à execução, artigo 884 da CLT (ambas
são natureza jurídica de inicial).

- só cabem embargos à execução se houver garantia de juízo,


por isso surgiu a exceção de pré-executividade.

Exercício da página 201, exercício 81 e 82.

- se tiver pago tem é embargos à execução, se faltar bens é exceção


de pré-executividade.

- lembrar do carro do Renato: Embargos de terceiros, também com


natureza jurídica de inicial, e tem que ter valor da causa. Distribuição
por dependência.
- Do julgamento proferido na impugnação do exeqüente e na
análise de mérito da exceção de pré-executividade será proferida
uma sentença e desta caberá agravo de petição

O executado sempre paga as custas ao final.

AGRAVO DE PETIÇÃO

897, “a”, CLT

Petição de capa vai para a Vara do Trabalho e a minuta para o TRT.

Delimitar a matéria é mostrar a parte incontroversa e da parte


controvertida, parágrafo primeiro da mesma lei. Questão prática 86.

“A” propôs reclamação trabalhista contra “B” pleiteando adicional


noturno e verbas rescisórias, ação esta julgada procedente e que
originou a interposição de Recurso Ordinário que atualmente se
encontra pendente de julgamento no TRT. Paralelamente foi iniciada
a execução e após a tentativa frustrada de penhora de bens do
executado foi requerida e consequentemente deferida a
desconsideração de sua personalidade jurídica, o que gerou a
penhora de bens de “C”, antigo sócio de “B”, que se retirou da
sociedade 3 anos antes do início das atividades laborativas de “A” e
mesmo assim teve penhorado seu imóvel adquirido em dezembro de
2008, juntamente com outros 50.000 reais em sua conta corrente,
apesar do valor do imóvel ser 180,000 reais, valor este que já
garante a execução que é de 89,000 reais.

Como advogado de “D”, esposa do executado, casado em comunhão


parcial de bens no dia 15/01/2007, atue.

Excelentíssimo Senhor Doutor Juiz da ... Vara do Trabalho de ...


Processo nº...

Distribuição por dependência

“D”, nacionalidade, profissão, casada,


número do RG, número do CPF, endereço completo com CEP, por seu
advogado que esta subscreve, nos autos da reclamação trabalhista
que “A” move contra “B”, vem à presença de Vossa Excelência, opor
tempestivamente e com fulcro no artigo 1046, §3º do CPC

EMBARGOS DE TERCEIRO

Pelos motivos de fato e direito a seguir expostos, esclarecendo que as


custas processuais serão recolhidas ao final:

DO HISTÓRICO PROCESSUAL

O exeqüente propôs reclamação


trabalhista em face do executado principal, postulando adicional
noturno e verbas rescisórias, ação esta julgada procedente e que
originou a interposição de recurso ordinário que se encontra pendente
de julgamento. Iniciada a execução provisória e após a
desconsideração da personalidade jurídica da empresa, foi efetivada a
penhora de bens de “C.

No entanto, parte da penhora não


merece prosperar, pois inteiramente divorciada dos preceitos legais e
jurisprudenciais. Senão vejamos:

DA PENHORA

Como mencionado, a desconsideração


da personalidade jurídica da empresa cominou na penhora de bens de
“C”, tendo sido constricionado um imóvel adquirido em dezembro de
2008 e 50.000 reais em sua conta corrente, penhora esta que não
podemos concordar.
Isso porque a embargante é esposa do
executado, tendo contraído matrimônio em 15/01/2007, pelo regime
de comunhão parcial de bens.

O artigo 1658 do CC estabelece que


nesse regime de casamento os bens adquiridos após o matrimônio
comunicam-se e a súmula 134 do STJ é clara ao legitimar o cônjuge
do executado para defender sua meação, o que desde já se requer, já
que o imóvel objeto da penhora foi adquirido na constância do
matrimônio, mais precisamente em dezembro de 2008.

Também não merece prosperar a


penhora “on line’ realizada, pois a metade do imóvel já garante o
total da execução e a súmula 417, III do TST impõe que quando a
execução é provisória não há possibilidade de penhora em dinheiro,
desde que reservados outros bens que garantam a execução, o que,
como demonstrado, já ocorre com a metade do imóvel.

Assim, de qualquer lado que se analise a


questão , nota-se a inviabilidade da manutenção da penhora integral
do imóvel e da conta corrente efetifvada.

DAS PROVAS

Protesta provar o alegado...

DA NOTIFICAÇÃO

Requer, por fim, ...

DO VALOR DA CAUSA

Dá-se a causa o valor de 140.000 reais.

Nesses termos,

Pede deferimento.

Local e data...

Excelentíssimo Senhor Doutor Juiz da ... Vara do Trabalho de ...


Processo nº

“A”, já qualificado nos autos da


reclamação trabalhista, que move em face de “B”, por seu advogado
que esta subscreve, vem à presença de Vossa Excelência, com fulcro
nos artigos 900 da CLT, apresentar tempestivamente

CONTRARRAZÕES DE RECURSO ORDINÁRIO

Requerendo sua remessa das razões anexas ao Egrégio Tribunal


Regional do Trabalho da ... Região para os devidos fins de direito.

Nesses termos,

Pede deferimento.

....

CONTRARRAZÕES DE RECURSO ORDINÁRIO

Recorrente: “B”

Recorrido: “A”

Processo nº...

Origem: ... Vara do Trabalho de ...

EGRÉGIO TRIBUNAL

DOUTOS JULGADORES

HISTÓRICO PROCESSUAL

O recorrido propôs reclamação


trabalhista em face do recorrente, requerendo rescisão indireta do
contrato de trabalho, ação esta julgada procedente e que originou a
interposição de recurso ordinário que ora se debate.
Isso porque, referida decisão não
merece reparo, pois inteiramente consonante com os preceitos
jurisprudenciais. Senão vejamos:

DA DESERÇÃO

Cumpre salientar inicialmente que o


recurso ordinário interposto não apresenta condições de análise de
mérito, haja vista a inobservância no recolhimento das custas e do
depósito recursal.

A justificativa do recorrente diz respeito


ao fato de ser uma empresa em liquidação extrajudicial e, portanto,
estaria desincumbido deste pagamento, fato este que contraria
frontalmente a Súmula 86 do TST, que dispõe que as empresas
submetidas a esse regime deve arcar com o preparo na justiça do
trabalho.

Assim, não há que se falar no


processamento do apelo.

MÉRITO

DA RESCISÃO INDIRETA

Se superada a preliminar expostas, fato


este que admitimos somente para argumentar, não resta melhor
sorte ao recorrente no que tange ao objeto central da discussão.

Alega no recurso ordinário que o objeto


da rescisão indireta, que era o atraso salarial, caiu quando o então
reclamado pagou o salário em audiência, requerendo, diante disso, a
reversão do julgamento inicial, com a improcedência do pedido.

Todavia, a súmula 13 do TST dispõe que


o pagamento dos salários em audiência não descaracteriza o pedido
de rescisão indireta, pelo que não há de se falar em reforma do
julgado.

Sendo assim, indispensável se faz o não


atendimento das razões recursais.

CONCLUSÃO

Pelo exposto, o não conhecimento e


conseqüente improvimento do apelo do recorrente, mantendo
incólume a decisão inicial, tudo por ser medida da mais pura e lídima
justiça

Local e data...

Plantão:

Manter – geralmente é contrarrazão

Reformar – recurso

Excelentíssimo Senhor Doutor Juiz Presidente do E. TRT da 2ª Região

Processo nº

Lavanderia Pano Sujo

Reclamante

Advogado

Tempestividade

Verbo Interpor

Contrarrazões de Recurso de Revista

Remessa das anexas Razões

Colendo TST, artigo 900 da CLT

Nesses termos, pede deferimento, local e data, assinatura e OAB

Contrarrazões de recurso de revista

Recorrente: reclamante

Recorrido: lavanderia pano sujo

Processo nº

Origem: 4ª Turma do TRT da 2ª Região


Colendo Tribunal

Doutos Ministros

1 – Histórico Processual

2 – DA MANUTENÇÃO DO V. ACÓRDÃO – AUSÊNCIA DE


EQUIPARAÇÃO SALARIAL

Equiparação, paradigma, deficiente

- Requerer a manutenção do acórdão que julgou improcedente ...

Artigo 461, §4º

3 – CONCLUSÃO

Requer o não provimento do apelo, mantendo a condenação das


custas processuais, ... justiça!

Prequestionamento

Pressupostos ADM

# palavras chaves: (OJ 323 SDI-1 do TST) Acordo de compensação,


jornada de trabalho, semana espanhola.

Cabimento do artigo 894 da CLT

Ex. Sr. Dr. Min. Presidente do Colendo TST.

Processo nº

- Higienópolis LTDA

- Marcos

- Advogado

- Tempestivamente

- Embargos no TST

- Art. 894, II da CLT

- Interpor

- remessa das anexas razões a SDI.


- comprovar depósito recursal e custas.

Nesses termos, pede deferimento ...

Razões de embargos no TST

Embargante: higienópolis

Embargos: Marcos

Processo nº

Origem: 1ª Turma do TST

Colendo Tribunal, doutos ministros

1 – histórico processual

2 – requisitos: prequestionamento 297 do TST, pressupostos de


admissibilidade IN 23 do TST.

3 – Da divergência

F – 1ª turma manteve a decisão

F – OJ 323 SDI-1 do TST (afronta)

C – requer conhecimento e provimento, reformar o julgado anterior,


embargado as custas reversão, JUSTIÇA!

Local e data, nome assinatura do adv. OAB nº

Agravo Regimental

Excelentíssimo Senhor Doutor Ministro Presidente do Colendo TST

Processo nº

- João

- Construtora S/A

- Advogado

- Tempestividade (8 dias)

- Verbo Interpor

- Agravo Regimental

- Fulcro no artigo 338 da Resolução Administrativa 40-A do TST


- remessa das anexas minuta à SDI do TST.

Minuta de agravo regimental

Agravante: João

Agravado: Empresa Construtora S/A

Processo: nº

Origem: ... Turma do TST

1 – histórico processual

2 – Da necessidade de destrancamento dos embargos à SDI:

Palavra chave: aposentadoria espontânea.

F – OJ 361

C – requer o destrancamento dos Embargos no TST

3 – Conclusão

Conhecimento e provimento com o seguimento dos embargos


denegados ... justiça.

Questão:

O advogado da empresa Beta interpôs agravo de petição apresentado


fundamentação genérica, sem especificar a matéria e os valores
impugnados.

Considerando que nos processo do trabalho é cabível agravo de


petição das decisões do juiz do trabalho em execução, responda, de
forma justificada, à seguinte pergunta relativa à situação hipotética
apresentada acima.

O recurso interposto pelo advogado está apto a ser conhecido e


provido?

Não. Um dos pressupostos para o conhecimento do Agravo de Petição


é a delimitação justificada das matérias e dos valores impugnados,
conforme artigo 897, §1º da CLT e Súmula 416 do TST. Para que
possa prosseguir a execução da parte incontroversa até o final, o
que, no caso em tela, não existe. Por isso, não é cabível o agravo de
petição genérico, dessa forma o agravo de petição interposto pelo
advogado não está apto a ser conhecido e provido, tendo em vista os
argumentos acima apresentados.

Questão:

José foi vencedor em reclamação trabalhista proposta contra à


empresa XV, tendo o juiz determinado que ele apresentasse a
variação salarial incluída na sentença da ação cognitiva, para fins de
proceder à liquidação do julgado. Passados mais de três anos sem a
apresentação do ato, a empresa apresentou exceção/objeção de pré-
executividade, argüindo a ocorrência da prescrição da pretensão
executiva. O juiz acolheu a argüição e decretou a extinção do
processo.

Nessa situação hipotética, o juiz agiu corretamente? Fundamente sua


resposta.

Conceito: é a prescrição que ocorre no curso do processo, em


especial após o trânsito em julgado da decisão.

Realmente existe uma grande controvérsia doutrinária e


jurisprudencial.

1ª Corrente: Majoritária, diz que sim, dentre eles o STF com sua
Súmula 327.

- Princípios da efetividade e celeridade processual. Ex: inércia na


apresentação da variação salarial para fim de cálculos de liquidação/
inércia na liquidação por artigos.

PRAZO: Sumúla 150 STF - prescrição da execução da mesma ação,


ou seja, artigo 7, XXIX da CF, prescrição trabalhista.

Art. 884, §1º CLT – prescrição – matéria a ser argüidas nos


embargos à execução.

2ª Corrente: inaplicável (JT)

- doutrina tradicional.

- Súmula 114 TST.


- Princípio da proteção do empregado hipossuficiente,
indisponibilidade dos direitos trabalhistas, natureza alimentar das
verbas trabalhistas.

Exceção (Objeção) de Pré-executividade:

- Criação doutrinária e jurisprudencial.

- Objetivo: alegação de uma matéria de ordem pública ou questão


relevante sem a necessidade de prévia garantia do juízo. Exemplos
de matéria de ordem pública: falta de condições da ação ou de
pressupostos processuais. Ex: compensação, transação, novação
(sucessão trabalhista), pagamento.

Posição majoritária – prova pré-constituída, sem dilação probatória.

- decisão (acolhe) – extinção da execução.

Questão:

João promoveu execução provisória, no valor de R$ 50.000,00,


contra a empresa Mosoico Ltda., que, no momento oportuno, indicou
dois veículos de sua propriedade suficientes para garantia da
execução. Entretanto, o juiz de 1º grau, a fim de dar maior garantia
para o exeqüente, proferiu decisão estabelecendo a substituição
desses bens por dinheiro, atitude que afetou o fluxo de caixa e todo o
planejamento financeiro da empresa.

Em face dessa situação hipotética, na qualidade de advogado(a)


consultado(a) pela empresa Mosaico Ltda. E considerando incabível o
agravo de petição, indique, com a devida fundamentação , a solução
jurídica adequada para enfrentar a situação.

R: Por ser uma execução provisória a substituição fere direito líquido


e certo do executado, sendo cabível no presente caso o Mandado de
Segurança, conforme Súmula 417 do TST e artigo 620 do CPC.
Todavia, o executado promoveu a nomeação de veículos, de forma
tempestiva, que garantiu a execução. Por esse motivo não agiu
corretamente.

Questão:
Flávio moveu reclamação trabalhista contra a empresa Céu Azul
Ltda., alegando que desenvolvia suas atividades em local insalubre e
que jamais havia recebido da empresa adicional de insalubridade. A
empresa contestou o pedido, afirmando que Flávio não trabalhava em
local insalubre. O juiz designou perícia técnica para avaliação do local
onde Flávio trabalhava e facultou às partes a indicação de auxiliar
técnico para perícia. Para acompanhar o trabalho do perito oficial,
Flávio indicou um profissional de sua confiança, que lhe cobrou R$
800,00 de honorários.

Flávio foi vencedor em sua tese, já que a perícia oficial atestou que o
local onde ele trabalhava era realmente insalubre. Sendo vencedor no
objeto da perícia, Flávio formulou pedido de ressarcimento dos
honorários pagos ao assistente por ele indicado, pleiteando a
condenação da empresa Céu Azul Ltda. Em ta quantia.

Nessa situação hipotética, é devida a condenação da empresa Céu


Azul Ltda. A ressarcir Flávio dos honorários pagos ao assistente por
ele indicado? Justifique sua resposta.

Não. Art. 790-B – cuida dos honorários do perito, parte sucumbente


na pretensão objeto da perícia, salvo se for beneficiária da justiça
gratuita.

Art. 826 da CLT – cada parte poderia indicar um perito – REVOGADO


PELO ARTIGO 3º DA LEI 5584/70 – perito único – indicado pelo juiz,
que, fixará prazo para entrega do laudo.

- cada parte – faculdade da indicação de um assistente técnico –


laudo – mesmo.

- prazo (perito), sob pena de desentranhamento.

- OJ 98 SDI-2 do TST – é ilegal a exigência do depósito prévio dos


honorários periciais, cabendo MS.

- Se a parte for beneficiária da justiça gratuita a União arcará com os


honorários do perito – OJ 387 SDI-1 TST.

* Honorários do Assistente Técnico:

- Súmula 341 do TST – a parte que indicou o assistente deve arcar


com o pagamento, ainda que vencedora do objeto da pretensão.

AÇÃO RESCISÓRIA
485 CPC

Competência:

Depende do Trânsito em julgado

VT – TRT ; TRT – TRT; TST – TST;

Visa rescindir o processo de conhecimento.

Prazo decadencial de 2 anos do trânsito em julgado da decisão


rescindenda.

Excelentíssimo Senhor Doutor Juiz Presidente do Egrégio Tribunal


Regional do Trabalho da ... Região.

“A”, nacionalidade, estado civil,


profissão, nome da mãe, data de nascimento, número do RG, número
do CPF, número e série da CTPS, número do PIS, endereço completo
com CEP, por seu advogado que esta subscreve, vem à presença de
Vossa Excelência, propor tempestivamente e com fulcro nos artigos
836 da CLT e 485, V do CPC

AÇÃO RESCISÓRIA

Em face de “B”, número do CNPJ, endereço completo com CEP, pelos


motivos de fato e de direito a seguir expostos, pelo que comprova,
em anexo, o recolhimento das custas processuais para os devidos fins
de direito.

HISTÓRICO PROCESSUAL

O requerente propôs reclamação


trabalhista em face do Requerido, pleiteando os títulos contidos em
sua inicial ação esta julgada procedente e que originou a interposição
do recurso ordinário pelo então reclamado cujo acórdão reverteu a
decisão originária, gerando assim a interposição do recurso de revista
que não obteve processamento, configurando o trânsito em julgado
da ação.
No entanto, a decisão de mérito não
merece prosperar, pois inteiramente divorciada dos preceitos legais.
Senão vejamos:

DA PRESCRIÇÃO

Como mencionado, o recurso ordinário


julgado por este Egrégio Tribunal Regional reverteu a decisão inicial,
argumentando, para tanto, que ocorrera a prescrição bienal no
contrato de trabalho em questão, fato este que não podemos admitir.

Isso porque o peticionário era menor de


idade durante todo o período em que prestou serviço para o
requerido, o que deixa claro a impossibilidade de acolhimento da
prescrição, já que o artigo 440 da CLT é preciso ao dispor que contra
os menores de 18 anos não corre nenhum prazo prescricional.

Por esse motivo, requer rescisão integral


do julgado equivocadamente prolatado.

DAS PROVAS

Protesta provar o alegado por todos


meios de provas em direito admitidos.

DA NOTIFICAÇÃO

Requer, por fim, a notificação do


requerido para que conteste os itens supra-arguidos no prazo de 15 a
30 dias fixado pelo Juiz Relator, sob pena de serem admitidos como
verdadeiros, o que, por certo, ao final restará comprovado, com a
conseqüente decretação da total procedência do pedido, nos termos
expostos.

DO VALOR DA CAUSA

Dá-se a causa o valor de R$...

Nesses termos,

Pede deferimento.

Local e data
MANDADO DE SEGURANÇA

Competência com base na Autoridade coatora:

VT – TRT; TRT – TRT; TST – TST.

Quando a autoridade coatora for de órgão extrajudicial a Vara do


Trabalho será competente para processar a ação.

- No processo do trabalho a liminar tem que ser requerida, por haver


urgência (fumaça do bom direito e perigo da demora).

- Não pode ter protesto por provas (direito líquido e certo).

- Além de pedir a intimação da autoridade coatora, tem que pedir a


manifestação do litisconsorte e do representante do MPT.

- Valor da Causa.

Excelentíssimo Senhor Doutor Juiz Presidente do Egrégio Tribunal


Regional do Trabalho da 2ª Região.

Brasil S.A, número do CNPJ, endereço


completo com CEP, por seu advogado que esta subscreve, vem à
presença de Vossa Excelência, impetrar tempestivamente e com
fulcro no artigo 5º, LXIX da CF e Lei 12.016/2009.

MANDADO DE SEGURANÇA

Em face do MM. Juízo da 1ª Vara do Trabalho de São Paulo, pelos


motivos de fato e direito a seguir expostos:

HISTÓRICO PROCESSUAL

Maria ..., nacionalidade, estado civil,


profissão, nome da mãe, data de nascimento, número do RG, número
do CPF, número e série da CTPS, número do PIS, endereço completo
com CEP, ora litisconsorte propôs reclamação trabalhista em face do
impetrante requerendo tutela antecipada para incorporação da
gratificação anteriormente recebida, tutela esta concedida
liminarmente pela autoridade coatora.

No entanto, referida decisão não merece


prosperar, pois inteiramente divorciada dos preceitos
jurisprudenciais. Senão vejamos:

DA GRATIFICAÇÃO DE FUNÇÃO

Como mencionado, a litisconsorte


obteve a concessão de medida liminar antecipando assim a tutela
pretendida para que o impetrante reconsiderasse sua decisão de
revertê-la ao posto antes ocupado, com o conseqüente rebaixamento
da gratificação, fato este que não podemos concordar.

Isso porque a litisconsorte exerceu


função de confiança por 6 anos consecutivos, o que torna possível a
reversão e a retirada da gratificação de função.

Isso é exatamente o texto da Súmula


372, I do TST, que deixa claro que somente se o empregado perceber
a gratificação por 10 anos ou mais, esta não mais poderá ser
retirada, fato este que não se aplica no caso em tela, pois, repita-se,
a função de confiança foi exercida somente por 6 anos.

Por este motivo, indispensável se faz a


revogação da liminar equivocadamente concedida.

DA LIMINAR DE SEGURANÇA

Pela inequívoca presença da fumaça do


bom direito, bem como do perigo da demora, requer a concessão da
liminar de segurança, para o fim de revogar de imediato a liminar
concedida pela autoridade coatora.

DA INTIMAÇÃO

Requer, por fim, a intimação da


autoridade coatora, bem como do litisconsorte e do representante do
Ministério Público do Trabalho, para que se manifestem para
argüirem sobre os itens supra-arguidos, sob pena de serem admitidos
como verdadeiro, o que, por certo, ao final restará comprovado,
primeiramente com a concessão da liminar de concessão de
segurança para, em seguida, caracterizar a total procedência do
mandado, nos termos expostos.
DO VALOR DA CAUSA

Dá-se a causa o valor de R$...

MEDIDA CAUTELAR diferente TUTELA ANTECIPADA

Cautelar de Sequestro e Aresto:

Sequestro: ao bem que se litiga.

Aresto: pode ser qualquer bem, mesmo que seja determinado, porém
não é o bem que se litiga.

Cautelar tem a fumaça do bom direito e tutela prova inequívoca.

O sindicato dos hotéis, bares e restaurantes de São Paulo promove


uma greve do referido setor na capital paulista, cujo o objetivo da
paralisação corresponde ao requerimento de um reajuste salarial no
importe de 20%, tendo paralisado as atividades no Hotel Real Ltda.,
ocupando todas as entradas do estabelecimento e proibindo o acesso
de qualquer pessoa.

Como advogado do hotel, proponha a medida cabível para reaver a


posse e conseqüente acesso ao estabelecimento.

Excelentíssimo Senhor Doutor Juiz da ... Vara da Trabalho de São


Paulo

Hotel Real Ltda., número do CNPJ,


endereço completo com CEP, por seu advogado que esta subscreve,
vem à presença de Vossa Excelência, com fulcro nos artigos 920 e
seguintes do CPC, propor a presente

AÇÃO POSSESSÓRIA
Em face do Sindicato dos Hoteis, Bares e Restaurantes de São Paulo,
número do CNPJ, endereço completo com CEP pelos motivos de fato e
de direito a seguir expostos:

DA GREVE

O Sindicato reclamado promove


atualmente uma greve em seu setor de atividade, greve esta que
atinge a capital paulista, cujo objeto corresponde a um requerimento
de reajuste salarial no importe de 20% da categoria.

Todavia, durante o movimento


paredista, o Sindicato coordenou e promoveu a paralisação de todos
os empregados que laboram na empresa reclamante, o que gerou,
consequentemente, a paralisação das atividades do hotel.

Ocorre que como se já não bastasse o


prejuízo que o peticionário vem sofrendo em suas atividades, várias
pessoas que aderiram a greve ocuparam todas as entradas do
estabelecimento comercial que promove a presente demanda,
deixando claro a abusividade do movimento o que legitima, nos
termos da Súmula vinculante 23 do STF a propositura da presente
ação.

Por esse motivo requer a reintegração


de posse do autor para o devido retorno das atividades comerciais do
reclamante.

DO PEDIDO

Pelo exposto, pleiteia:

a) Reintegração da posse --------------------- inestimável

DAS PROVAS

Protesta provar o alegado por todos os


meios de prova em direito admitido, especialmente pelo depoimento
pessoal do reclamado, oitiva de testemunha, sem prejuízo de outras
provas eventualmente cabíveis.

DA NOTIFICAÇÃO

Requer, por fim, a notificação do


reclamado para que conteste os itens supra-arguidos, sob pena de
serem admitidos como verdadeiros, o que, por certo, ao final restará
comprovado, com a conseqüente decretação da TOTAL PROCEDENCIA
DO PEDIDO, nos termos expostos.

DO VALOR DA CAUSA

Dá-se a presente causa o valor R$...

Nesses termos,

Pede deferimento.

Local e data

Nome do advogado e assinatura

OAB nº

- Súmula 425 do TST – jus postulandi das partes limita-se às varas


do trabalho e aos TRTs.

- Lei n. 12.275 de 29 de junho de 2010 – nova redação ao inciso I do


§5º do art. 897 da CLT e inclusão do §7º ao art. 899 da CLT –
depósito recursal em agravo de instrumento;

- OJ 380 da SDI-1/TST – ultrapassada habitualmente a jornada de


seis horas, é devido o gozo do intervalo intrajornada mínimo de uma
hora;

- OJ 375 da SDI-1 – A suspensão do contrato de trabalho, em virtude


da percepção do auxílio-doença ou da aposentadoria por invalidez,
não impede a fluência da prescrição qüinqüenal;

- OJ 381 da SDI-1 – Intervalo intrajornada do empregado


rural/supressão total ou parcial/pagamento do período total/relação
com as OJs 307 e354 da SDI-1/TST; (natureza salarial);

- OJ 383 da SDI/TST – Terceirização/empregados da empresa


prestadora de serviços e da tomadora/isonomia/art. 12, “A”, da Lei n.
6.019/1974;

# na hipótese de terceirização na administração pública, embora não


seja possível a configuração do vínculo empregatício, os
trabalhadores terão os mesmos direitos trabalhistas dos empregados
da administração.

- OJ 386 da SDI – Férias / gozo na época própria pagamento fora do


prazo / dobra devida / arts. 137 e 145 da CLT;
# se o empregador não fizer o depósito do salário até dois dias antes
ao gozo,

- OJ 387 da SDI-1 – Honorários periciais / beneficiário da justiça


gratuita / responsabilidade da união pelo pagamento / resolução n.
35/2007 do CSJT;

- OJ 390 da SDI-1 – Participação nos lucros e resultados / rescisão


contratual anterior à data da distribuição dos lucros / pagamento
proporcional aos meses trabalhados / princípios da isonomia;

- OJ 392 da SDI-1 – Prescrição / interrupção / ajuizamento de


protesto judicial; (estudar súmula 268 do TST)

# protesto interruptivo da prescrição, cautelar para zerar interrupção.

- OJ 395 da SDI-1 – Turno ininterrupto de revezamento / hora


noturna reduzida / incidência; (6 horas diárias, salvo convenção
coletiva), (estudar súmula 213 do STF). Agora tem hora noturna
reduzida.

- OJ 399 da SDI-1 – Estabilidade provisória / ação trabalhista


ajuizada após o término do período de garantia no emprego. Abuso
do exercício do direito de ação. Não configuração.

- OJ 405 da SDI-1 – Embargos de divergência no TST / Procedimento


sumaríssimo / conhecimento / recurso interposto após a vigência da
Lei n. 11.496/07, que conferiu nova redação ao art. 894, II, da CLT.

- OJ 406 da SDI-1 – adicional de periculosidade / pagamento


espontâneo / caracterização de fato incontroverso / desnecessária a
perícia de que trata o art. 195 da CLT.

- OJ 410 da SDI e 411

# Estudar as súmulas vinculantes 4, 22, 23 e 25.