Você está na página 1de 304

Unauthorized reproduction or distribution prohibitedฺ Copyright© 2013, Oracle and/or its affiliatesฺ

le
fe rab
tra ns
n -
no
a Administração
Workshopsde
r ) ha eฺ
do ฺExadata
m b u idDatabase Machine
ฺco dent G
k o
t ei Stu
o r te@ this
ฺ s up use Guia do Aluno – Volume 1
c
(te nse t o
o
k lice
o Tei
ic
Tecn

D73668BP11
Edição 1.1
Janeiro de 2013
D80374
Autor Copyright © 2012, Oracle e/ou suas empresas afiliadas. Todos os
direitos reservados.
Peter Fusek
Isenção de Responsabilidade

Revisores e Colaboradores Técnicos Este documento contém informações de propriedade da Oracle


Corporation e está protegido pela legislação de direitos autorais e
Akshay Shah Nilesh Choudhury outras leis de propriedade intelectual, podendo ser copiado e impresso
Ravindra Dani somente para uso individual em um curso de treinamento Oracle. O
Alex Tsukerman
Unauthorized reproduction or distribution prohibitedฺ Copyright© 2013, Oracle and/or its affiliatesฺ

documento não pode ser modificado nem alterado de forma alguma.


Amit Ganesh Raymond Dutcher Exceto em situações que constituam “uso justo” de acordo com a
Andrew Babb Richard Exley legislação de direitos autorais, não será permitido utilizar, compartilhar,
descarregar, carregar, copiar, imprimir, executar, reproduzir, publicar,
Aslam Edah-Tally Robert Carlin licenciar, divulgar, transmitir nem distribuir este documento – total ou
Barb Lundhild Robert Pastijn parcialmente – sem a expressa autorização da Oracle.
Bharat Baddepudi Roger Hansen
As informações contidas neste documento estão sujeitas a alterações
Bill Hodak Sabyasachi Banerjee sem aviso prévio. Se você encontrar algum problema no documento,
Boris Erlikhman Scott Gossett envie à Oracle Corporation ou à Oracle do Brasil Sistemas Ltda.
Sriram Palapudi Uma descrição de tal problema por escrito. Oracle University, 500
Branislav Valny Oracle Parkway, Redwood Shores, California 94065 USA. A Oracle le
Bruce Kyro
Caroline Johnston
Steven Lemme
Sue Lee este documento esteja isento de erros. fe rab
Corporation e a Oracle do Brasil Sistemas Ltda. não garantem que

Christian Craft Sugam Pandey


tr a ns
Dan Norris Sumeet Lahorani
Aviso de Direitos Restritos
n -
Dave Winter Sundararaman Sridharan no
Se esta documentação for entregue/distribuída ao Governo dos
a
David Hitchcock Tim Shelter s
Estados Unidos ou a qualquer outra parte que a licencie ou utilize
a
h eฺ
em nome daquele governo, a seguinte legenda será aplicável:
Douglas Utzig Umesh Panchaksharaiah r )
ฺ Guid
b
Ed Gilowski Uwe Hesse m
U.S. GOVERNMENT RIGHTS

Eric Siglin Varun Malhotra


k o ฺco dent
The U.S. Government’s rights to use, modify, reproduce, release,
perform, display, or disclose these training materials are restricted
Georg Schmidt Vern Wagman
t ei Stuby the terms of the applicable Oracle license agreement and/or the

te@ this
applicable U.S. Government contract.
Harald van Breederode Vijay Sridharan
James He Vikram Kapooro r
up use
Aviso de Marca Comercial
Jean-Francois Verrier ฺ s
Vimala Jacob
c e to
Jia Shi ( t eDesigner Oracle e Java são marcas comerciais registradas da Oracle

ko licens Gráfico
Corporation e/ou de suas empresas afiliadas. Outros nomes
Jim Hall i podem ser marcas comerciais de seus respectivos proprietários.
Jim Spiller T e Satish Bettegowda
ic o
Jim Viscusi
ecn
Joel Goodman
T Editores
Juan Loaiza Malavika Jinka
Kam Shergill Smita Kommini
Kevin Jernigan Aju Kumar
Kodi Umamageswaran
Krishnanjani Chitta Editor
Larry Justice
Michael Sebastian Almeida
Lawrence To
Louis Nagode
Mahesh Subramaniam
Maria Billings
Mark Fuller
Mark Scardina
Mark Van de Wiel
Marshall Presser
Martin Jensen
Michael Cebulla
Michael Nowak
Sumário
Unauthorized reproduction or distribution prohibitedฺ Copyright© 2013, Oracle and/or its affiliatesฺ

1 Introdução
Objetivos do Curso 1-2
Público e Pré-Requisitos 1-3
Conteúdo do Curso 1-4
Terminologia 1-5
Recursos Adicionais 1-6
le
Visão Geral do Exercício 1: Introdução ao Ambiente de Laboratório 1-7
fe rab
tra ns
2 Visão Geral do Exadata Database Machine
n -
Objetivos 2-2
a no
Introdução ao Database Machine 2-3 a s
h eฺ
Por Que o Database Machine? 2-4 r )
ฺ Guid
b
m
Introdução ao Exadata Storage Server 2-6
o ฺco dent
Visão Geral da Arquitetura do Exadata Storage Server 2-7
k
t ei Stu
Visão Geral dos Recursos do Exadata Storage Server 2-8
r te@ this
Detalhes de Hardware do Exadata Storage Server X2-2 (Sun Fire X4270 M2) 2-10
o
s up use
Especificações do Exadata Storage Server X2-2 2-11

( t ec se to
Database Machine X2-2 Full Rack 2-12
i ko licen
Detalhes de Hardware do Servidor de Banco de Dados X2-2 (Sun Fire
e
o T X4170 M2) 2-13
ic
Tecn Comece Pequeno e Cresça 2-14
Database Machine X2-8 Full Rack 2-15
Detalhes de Hardware do Servidor de Banco de Dados X2-8 (Sun Fire
X4800 M2) 2-16
Capacidade do Database Machine 2-17
Desempenho do Database Machine 2-18
Exadata Storage Expansion Racks 2-19
Rede InfiniBand 2-20
Visão Geral do Suporte ao Database Machine 2-21
Vantagens do Database Machine para Data Warehouse 2-22
Vantagens do Database Machine para OLTP 2-24
Questionário 2-25
Resumo 2-27

iii
3 Arquitetura do Exadata Database Machine
Objetivos 3-2
Visão Geral da Arquitetura do Database Machine 3-3
Arquitetura de Rede do Database Machine 3-5
Unauthorized reproduction or distribution prohibitedฺ Copyright© 2013, Oracle and/or its affiliatesฺ

Arquitetura da Rede InfiniBand 3-7


Topologia Leaf Switch Full Rack X2-2 3-8
Topologia Spine e Leaf 3-9
Desempenho e Capacidade Escaláveis 3-10
Cenários Típicos de Dimensionamento 3-11
Dimensionamento para Oito Racks 3-13
Dimensionamento para Mais de Oito Racks 3-14
le
rab
Interconectando Quarter Racks 3-15
Conectividade Externa da Rede InfiniBand 3-17 fe
Visão Geral da Arquitetura de Software do Database Machine 3-18
tra ns
n -
Detalhes da Arquitetura de Software do Database Machine 3-21
Entidades e Relacionamentos de Armazenamento em Disco 3-22 a no
a s
h eฺ
r )
Entidades e Relacionamentos de Armazenamento Flash 3-24
ฺ Guid
b
Configuração de Grupos de Discos 3-25 m
Questionário 3-26
k o ฺco dent
Resumo 3-30 t ei Stu
Recursos Adicionais 3-31
o r te@ this
ฺ s up use
Visão Geral do Exercício 3: Introdução à Arquitetura de Células do Exadata 3-32

( t ec se to
4
e i ko Recursos
Principais
l i c e n do Exadata Database Machine
T
Objetivos 4-2
o Modelo Clássico de Processamento de SQL e Entrada/Saída de Banco
ic
Tecn de Dados 4-3
Modelo do Exadata Smart Scan 4-4
Recursos de Armazenamento Inteligente do Exadata 4-5
Exemplo de Dimensionamento do Exadata Smart Scan 4-8
Visão Geral da Compressão EHCC (Exadata Hybrid Columnar Compression) 4-11
Organização de Dados da Compressão EHCC (Exadata Hybrid Columnar
Compression) 4-12
Visão Geral do Exadata Smart Flash Cache 4-13
Armazenamento em Cache Inteligente do Exadata Smart Flash Cache 4-14
Usando o Exadata Smart Flash Cache 4-15
Visão Geral do Exadata Smart Flash Log 4-17
Visão Geral do Exadata Storage Index 4-18
Exemplo de Índice de Armazenamento com Partições 4-20
Sistema de Arquivos do Banco de Dados 4-21
Visão Geral do I/O Resource Management 4-22

iv
Multiplicação de Benefícios 4-23
Questionário 4-24
Resumo 4-25
Recursos Adicionais 4-26
Unauthorized reproduction or distribution prohibitedฺ Copyright© 2013, Oracle and/or its affiliatesฺ

Visão Geral do Exercício 4: Introdução aos Recursos do Exadata 4-28

5 Configuração Inicial do Exadata Database Machine


Objetivos 5-2
Visão Geral da Implementação do Database Machine 5-3
Principais Documentos 5-5
Preparação do Local do Database Machine 5-6
le
rab
Visão Geral das Planilhas de Configuração 5-7
Planilha de Configuração Geral 5-8 fe
Escolhendo o Nível de Proteção Certo 5-10
tr ans
n -
Planilha de Configuração Geral de Rede 5-12
a
Planilha de Configuração da Rede de Gerenciamento 5-13
no
a s
h eฺ
r )
Exemplo de Alocação de Endereço IP da Rede de Gerenciamento 5-14
ฺ Guid
b
Planilha de Configuração da Rede de Acesso do Cliente 5-15
m
k o ฺco dent
Exemplo de Alocação de Endereço IP da Rede de Acesso do Cliente 5-16
t ei Stu
Planilhas de Configuração de Rede Opcional 5-17

o r te@ this
Planilha de Configuração de PDUs (Power Distribution Units) 5-18

ฺ s up use
Planilha de Configuração do Auto Service Request 5-19

( t ec se to
Planilhas de Configuração do Oracle Enterprise Manager Grid Control 5-20

e i ko licen
Planilha de Configuração de Envio de Alertas de Célula 5-21

o T
Etapas Posteriores às Planilhas de Configuração 5-22
ic
ecn
Visão Geral da Planilha do Configurador 5-23
T Gerando os Arquivos de Configuração 5-25
Visão Geral da Instalação do Hardware do Database Machine 5-26
Visão Geral da Configuração do Oracle Exadata Database Machine 5-27
Selecionando o Sistema Operacional do Servidor de Banco de Dados 5-28
Implantando o Solaris nos Servidores de Banco de Dados 5-29
Recuperando no Linux o Espaço em Disco Não Utilizado do Sistema
Operacional 5-30
Recuperando no Solaris o Espaço em Disco Não Utilizado do Sistema
Operacional 5-32
Executando a Configuração Inicial da Rede 5-33
Carregando as Informações de Configuração e Instalando o Software 5-35
Executando o OneCommand no Database Machine 5-36
Configuração do Armazenamento do Exadata 5-37
Resultado após a Instalação e a Configuração 5-39
Atividades de Configuração Adicionais Suportadas 5-40

v
Atividades de Configuração não Suportadas 5-41
Questionário 5-43
Resumo 5-45
Unauthorized reproduction or distribution prohibitedฺ Copyright© 2013, Oracle and/or its affiliatesฺ

6 Configuração do Exadata Storage Server


Objetivos 6-2
Visão Geral da Administração do Exadata Storage Server 6-3
Contas de Usuário Administrativo do Exadata Storage Server 6-4
Visão Geral do DCLI 6-5
Exemplos do DCLI 6-6
Testando o Desempenho do Servidor de Armazenamento com o Comando
le
rab
CALIBRATE 6-7
Exemplo do Comando CALIBRATE 6-8 fe
Configurando o Software do Exadata Cell Server 6-9
tra ns
n -
Configurando Discos de Células 6-11 a no
Iniciando e Interrompendo o Software do Exadata Cell Server 6-10

a s
h eฺ
Configurando Discos de Grade 6-12
r )
ฺ Guid
b
Discos de Grade Intercalados 6-13 m
k o ฺco dent
Discos de Grade Intercalados e ASM IDP (Intelligent Data Placement) 6-14
t ei Stu
Criando Discos de Grade Baseados em Flash 6-15

o r te@ this
Criando o Smart Flash Log 6-16

ฺ s up use
Configurando Hosts para Acessar Células do Exadata 6-17

( t ec se to
Configurando Instâncias ASM e do Banco de Dados para Acessar Células

e i ko licen
do Exadata 6-18

o T
Configurando Grupos de Discos ASM com o Armazenamento do Exadata 6-19
ic
ecn
Reconfigurando o Armazenamento do Exadata 6-20
T Tarefas de Configuração Opcionais 6-22
Visão Geral da Segurança do Armazenamento do Exadata 6-23
Implementação da Segurança do Armazenamento do Exadata 6-24
Questionário 6-26
Resumo 6-29
Recursos Adicionais 6-30
Visão Geral do Exercício 6: Configurando o Exadata 6-31

7 I/O Resource Management


Objetivos 7-2
Visão Geral do I/O Resource Management 7-3
Conceitos do I/O Resource Management 7-5
Planos do I/O Resource Management 7-6
Exemplo de Planos do I/O Resource Management 7-7
Arquitetura do IORM 7-10

vi
Introdução ao IORM 7-11
Definindo o Objetivo do IORM 7-12
Ativando o Gerenciamento de Recursos Dentro do Mesmo Banco de Dados 7-13
Exemplo de Plano dentro do Mesmo Banco de Dados 7-14
Unauthorized reproduction or distribution prohibitedฺ Copyright© 2013, Oracle and/or its affiliatesฺ

Ativando o IORM para Vários Bancos de Dados 7-15


Exemplo de Plano dentro do Mesmo Banco de Dados 7-16
Definindo Limites de Utilização de Entrada/Saída do Banco de Dados 7-17
Planos entre Diferentes Bancos de Dados e Atribuições de Banco de Dados 7-18
Exemplo de Plano de Categoria 7-19
Usando Métricas de Entrada/Saída de Banco de Dados 7-20
IORM e Memória Flash do Exadata Storage Server 7-21
le
rab
Exemplo Completo 7-22
Questionário 7-25 fe
Resumo 7-29
tr a ns
n -
Recursos Adicionais 7-30
a no
a s
8 Recomendações para Otimização do Desempenho )dehBancos e ฺ Dados
de
Objetivos 8-2 b r
ฺ Gu i d
o m
Otimizando o Desempenho 8-3
k o ฺc dent
Uso de Memória Flash 8-4 t ei Stu
Uso de Compactação 8-6rte@ his
Uso de Índice 8-8 up
o se t
Tamanho date c
Unidade
u do ASM 8-9
ฺs de tAlocação
o
( da
o Mínimo n e
sExtensão
Tamanho
e i k l i c e 8-10
T
o Questionário 8-11
i c
n Resumo 8-13
Tec Recursos Adicionais 8-14
Visão Geral do Exercício 8: Otimizando o Desempenho do Banco de Dados
com o Exadata 8-15

9 Usando o Smart Scan


Objetivos 9-2
Visão Geral do Exadata Smart Scan 9-3
Requisitos do Smart Scan 9-4
Situações que Impedem o Uso do Smart Scan 9-6
Monitorando o Smart Scan nos Planos de Execução de SQL 9-7
Exemplo de Plano de Execução do Smart Scan 9-8
Exemplo de Situação que Impede o Uso do Smart Scan 9-10
Processamento de Joins do Smart Scan com Filtros Bloom 9-11
Exemplo de Filtragem de Join do Smart Scan 9-12
Outras Situações que Afetam o Smart Scan 9-13

vii
Visão Geral das Estatísticas do Exadata Storage Server 9-14
Visão Geral dos Eventos de Espera do Exadata Storage Server 9-15
Exemplo de Estatísticas do Smart Scan 9-16
Exemplo de Eventos de Espera do Smart Scan 9-17
Unauthorized reproduction or distribution prohibitedฺ Copyright© 2013, Oracle and/or its affiliatesฺ

Exemplo de Transação Concorrente 9-18


Exemplo Extremo de Transação Concorrente 9-19
Exemplo de Linhas Migradas 9-20
Exemplo de Entrada/Saída Enviada Diretamente para o Servidor de Banco
de Dados para Balancear o Uso de CPU 9-21
Exemplo de Filtragem de Coluna 9-22
Resumo 9-23
le
rab
Questionário 9-24
Visão Geral do Exercício 9: Usando o Smart Scan 9-26 fe
tr ans
n -
10 Opções e Recomendações de Consolidação
Objetivos 10-2 a no
a s
h eฺ
Visão Geral de Consolidação 10-3
r )
ฺ Guid
b
Diferentes Tipos de Consolidação 10-4 m
k o ฺco dent
Princípios Básicos da Consolidação de Bancos de Dados 10-5
t ei Stu
Abordagem de Consolidação Recomendada 10-6

o r te@ this
Configuração de Armazenamento Recomendada para a Consolidação 10-7

ฺ s up use
Configurações de Armazenamento Alternativas 10-8

( t ec se to
Vantagens e Limitações das Configurações de Armazenamento Particionado 10-9

e i ko licen
Opções de Configuração de Cluster 10-10

o T
Recomendações de Parâmetros do Sistema Operacional 10-11
ic
ecn
Recomendações de Memória do Banco de Dados 10-13
T Recomendações sobre o Gerenciamento da CPU 10-14
Outras Recomendações 10-16
Isolando Atribuições de Gerenciamento 10-18
Recomendações para a Consolidação de Esquemas 10-20
Considerações sobre Manutenção 10-21
Questionário 10-22
Resumo 10-24

11 Migrando Bancos de Dados para o Exadata Database Machine


Objetivos 11-2
Visão Geral das Melhores Práticas de Migração 11-3
Executando o Planejamento da Capacidade 11-4
Considerações sobre a Migração do Database Machine 11-5
Escolhendo o Caminho de Migração Correto 11-6
Abordagens de Migração Lógica 11-7

viii
Abordagens de Migração Física 11-9
Reduzindo o Período de Indisponibilidade Durante a Migração com Tablespaces
Transportáveis 11-11
Outras Abordagens 11-12
Unauthorized reproduction or distribution prohibitedฺ Copyright© 2013, Oracle and/or its affiliatesฺ

Melhores Práticas de Pós-Migração 11-13


Questionário 11-14
Resumo 11-16
Recursos Adicionais 11-17
Visão Geral do Exercício 11: Migrando para o Database Machine com o Uso de
Tablespaces Transportáveis 11-19

le
rab
12 Carregamento de Dados em Massa Usando o Oracle DBFS
Objetivos 12-2 fe
tr
Visão Geral do Carregamento de Dados em Massa Usando o Oracle DBFS 12-3a ns
n -
Preparando os Arquivos de Dados 12-4
Testando os Arquivos de Dados 12-5 a no
a s
h eฺ
Configurando a Área de Teste 12-6
r )
ฺ Guid
b
Configurando o Banco de Dados de Destino 12-10
m
k o ฺco dent
Carregando o Banco de Dados de Destino 12-11
Questionário 12-13 t ei Stu
Resumo 12-15
o r te@ this
ฺ s up use
Recursos Adicionais 12-16

( t ec se to
Visão Geral do Exercício 12: Carregamento de Dados em Massa Usando o Oracle

e i ko licen
DBFS 12-17
T
n i c13o Introdução ao Monitoramento da Plataforma Exadata Database Machine
Tec Objetivos 13-2
Tecnologias e Padrões de Monitoramento 13-3
SNMP (Simple Network Management Protocol) 13-4
IPMI (Intelligent Platform Management Interface) 13-5
ILOM (Integrated Lights Out Manager) 13-6
Métricas, Limites e Alertas do Exadata Storage Server 13-7
ADR (Automatic Diagnostic Repository) 13-8
Enterprise Manager Grid Control 13-9
Enterprise Manager Database Control 13-10
Questionário 13-11
Resumo 13-12

14 Configurando o Enterprise Manager Grid Control 11g para Monitorar o Exadata


Database Machine
Objetivos 14-2

ix
Visão Geral da Arquitetura do Enterprise Manager Grid Control 14-3
Arquitetura de Monitoramento do Grid Control para o Exadata Database
Machine 14-4
Configurando o Grid Control para Monitoraro Exadata Database Machine 14-5
Unauthorized reproduction or distribution prohibitedฺ Copyright© 2013, Oracle and/or its affiliatesฺ

Implantando o Oracle Management Agent 14-6


Configurando Alvos do ASM e do Oracle Database 14-7
Visão Geral da Implantação dos Plugins de Monitoramento do Sistema 14-8
Estratégia Recomendada de Implantação de Plugins 14-9
Implantando o Plugin de Monitoramento do Sistema para o Oracle Exadata
Storage Server 14-10
Implantando o Plugin de Monitoramento do Sistema para o Oracle Exadata
le
rab
ILOM 14-12
Implantando o Plugin de Monitoramento do Sistema para o Oracle Exadata fe
InfiniBand Switch 14-13
tra ns
n -
Switch 14-14 a no
Implantando o Plugin de Monitoramento do Sistema para o Exadata Cisco

a s
h eฺ
r )
Implantando o Plugin de Monitoramento do Sistema para o Avocent MergePoint
ฺ Guid
b
Unity (KVM) Switch 14-15 m
k o ฺco dent
Implantando o Plugin de Monitoramento do Sistema para a PDU (Power
t ei Stu
Distribution Unit) do Oracle Exadata 14-16

o r te@ this
Configurando UDMs (User-Defined Metrics) para Monitoramento de Rede
Adicional 14-17
ฺ s up use
( t ec se to
Configurando o Grid Control para o Exadata Database Machine: Abordagem

e i ko licen
Alternativa 14-19

o T
Configurando os Plugins para Alta Disponibilidade 14-20
ic
ecn
Configurando um Dashboard e um Serviço Agregado do Exadata Database
T Machine 14-21
Questionário 14-23
Resumo 14-25
Recursos Adicionais 14-26

15 Monitorando Exadata Storage Servers


Objetivos 15-2
Visão Geral da Lição 15-3
Arquitetura de Métricas e Alertas do Exadata 15-4
Monitorando o Exadata Storage Server com Métricas 15-6
Monitorando Métricas de Célula do Exadata: Exemplos 15-8
Monitorando o Exadata Storage Server com Alertas 15-9
Monitorando Alertas de Célula e Criando Limites: Exemplos 15-11
Isolando Falhas com a Quarentena do Exadata Storage Server 15-13
Monitorando o Exadata Storage Server com Solicitações Ativas 15-15

x
Visão Geral do Monitoramento do Exadata Storage Server com o Grid
Control 15-16
Monitorando Falhas de Hardware e o Estado de Sensores 15-18
Monitorando a Disponibilidade do Exadata Storage Server 15-19
Unauthorized reproduction or distribution prohibitedฺ Copyright© 2013, Oracle and/or its affiliatesฺ

Verificando Alertas Não Entregues 15-20


Verificando Erros de Entrada/Saída de Disco 15-21
Verificando Erros de Rede 15-22
Monitorando o Espaço Livre no Sistema de Arquivos 15-23
Comparando Métricas entre Vários Servidores de Armazenamento 15-24
Monitorando Métricas em um Servidor de Armazenamento 15-25
Ferramentas de Monitoramento de Terceiros 15-26
le
rab
Questionário 15-27
Resumo 15-29 fe
Recursos Adicionais 15-30
tr a ns
n -
no
Visão Geral do Exercício 15: Monitorando o Exadata Storage Server 15-31
a
a s
h Database
16 Monitorando Servidores de Banco de Dados do Exadata
r ) d e ฺ Machine
Objetivos 16-2 m b
ฺ Gu i
Visão Geral do Monitoramento de Servidores
o ntde Dados 16-3
ฺc de dBanco
k o e
Monitorando o Hardware 16-4 tei tu
@ i s S
o r te th16-5
Monitorando o Sistema Operacional
Monitorando o Oracle
s u e
upGrid Infrastructure
s 16-6
Monitorandote

c eDatabase
o Oracle t o 16-7
( s
e i ko loicOracle
Monitorando e n Management Agent 16-8
T
Questionário 16-9
c nico Resumo 16-10
T e
17 Monitorando a Rede InfiniBand
Objetivos 17-2
Visão Geral do Monitoramento da Rede InfiniBand 17-3
Monitorando Manualmente os InfiniBand Switches 17-4
Monitorando os InfiniBand Switches com o Grid Control 17-5
Monitorando as Portas dos InfiniBand Switches 17-6
Monitorando as Portas InfiniBand nos Servidores do Database Machine 17-7
Monitorando o InfiniBand Fabric: Local do Mestre do Subnet Manager 17-8
Monitorando o InfiniBand Fabric: Topologia da Rede e Status dos Links 17-9
Questionário 17-10
Resumo 17-11
Recursos Adicionais 17-12

xi
18 Monitorando Outros Componentes do Exadata Database Machine
Objetivos 18-2
Monitorando o Cisco Catalyst Ethernet Switch 18-3
Monitorando as Sun PDUs (Power Distribution Units) 18-4
Unauthorized reproduction or distribution prohibitedฺ Copyright© 2013, Oracle and/or its affiliatesฺ

Monitorando o Avocent MergePoint Unity KVM Switch 18-5


Questionário 18-6
Resumo 18-7
Recursos Adicionais 18-8

19 Outras Ferramentas Úteis de Monitoramento


Objetivos 19-2
le
rab
Visão Geral de Exachk 19-3
Executando o Exachk 19-4 fe
Saída do Exachk 19-5
tra ns
n -
Visão Geral de DiagTools 19-6
Usando o ADRCI em Exadata Storage Servers 19-7 a no
a s
h eฺ
Visão Geral de Imageinfo 19-8
r )
ฺ Guid
b
Visão Geral de Imagehistory 19-9 m
Visão Geral de OSWatcher 19-10
k o ฺco dent
Questionário 19-11 t ei Stu
Resumo 19-13
o r te@ this
Recursos Adicionais 19-14
ฺ s up use
( t ec se to
20 Backup
e i koe Recuperação
l i c e n
T
o Objetivos 20-2
i c
n Visão Geral de Backup e Recuperação 20-3
Tec Usando o RMAN com o Database Machine 20-4
Recomendações Gerais para o RMAN 20-5
Estratégia de Backup Baseado em Disco 20-7
Recomendações sobre o Backup Baseado em Disco 20-8
Estratégia de Backup Baseado em Fita 20-10
Arquitetura de Backup Baseado em Fita 20-11
Recomendações sobre o Backup Baseado em Fita 20-12
Conectando o Servidor de Mídia Usando a Ethernet 20-14
Recomendações sobre o Backup Baseado em Fita 20-15
Estratégia de Backup Híbrida 20-16
Recomendações de Restauração e Recuperação 20-17
Backup e Recuperação do Software do Database Machine 20-18
Questionário 20-19
Resumo 20-21
Recursos Adicionais 20-22

xii
Visão Geral do Exercício 20: Usando Otimizações do RMAN para o Database
Machine 20-23

21 Tarefas de Manutenção do Exadata Database Machine


Unauthorized reproduction or distribution prohibitedฺ Copyright© 2013, Oracle and/or its affiliatesฺ

Objetivos 21-2
Visão Geral da Manutenção do Database Machine 21-3
Ligando e Desligando o Database Machine 21-4
Fazendo Shutdown de um Único Exadata Storage Server com Segurança 21-5
Substituindo um Disco Físico Danificado 21-6
Substituindo uma Placa Flash Danificada 21-8
Movendo Todos os Discos de uma Célula para Outra 21-9
le
rab
Usando o Procedimento de Resgate do Software de Célula do Exadata 21-10
Questionário 21-12 fe
Resumo 21-15
tra ns
n -
22 Aplicando Patches no Exadata Database Machine a no
a s
h eฺ
Objetivos 22-2
r )
ฺ Guid
b
Visão Geral de Patches e Atualizações 22-3
m
k o ฺco dent
Mantendo o Software do Exadata Storage Server 22-4
t ei Stu
Maintendo o Software do Servidor de Banco de Dados 22-6

o r te@ this
Aplicação de Patches Assistida Usando o OPlan 22-7

ฺ s up use
Mantendo Outros Softwares 22-8

( t ec se to
Processo Recomendado de Aplicação de Patches 22-9

e i ko licen
Recomendações sobre o Sistema de Teste 22-11

o T
Questionário 22-12
ic
ecn
Resumo 22-13
T Recursos Adicionais 22-14

23 Ecossistema de Suporte Automatizado do Exadata Database Machine


Objetivos 23-2
Visão Geral do Auto Service Request 23-3
O Processo ASR 23-4
Requisitos do ASR 23-5
Configurando o ASR Manager 23-6
Configurando o Exadata Database Machine para ASR 23-7
Ativando Ativos ASR 23-8
Aprovar e Verificar Ativos ASR 23-9
Visão Geral do Oracle Configuration Manager 23-10
Configurando o Oracle Configuration Manager 23-11
Questionário 23-12
Resumo 23-15

xiii
Recursos Adicionais 23-16

24 Gerenciamento de Qualidade do Serviço


Objetivos da Lição 24-2
Unauthorized reproduction or distribution prohibitedฺ Copyright© 2013, Oracle and/or its affiliatesฺ

Background do Gerenciamento de Qualidade de Serviço 24-3


Visão Geral do Gerenciamento de Qualidade de Serviço 24-4
Gerenciamento de Qualidade de Serviço e Exadata Database Machine 24-5
Foco do Gerenciamento de Qualidade de Serviço 24-6
Vantagens do Gerenciamento de Qualidade de Serviço 24-7
Visão Geral da Funcionalidade do Gerenciamento de Qualidade de Serviço 24-9
Conjuntos de Políticas de Gerenciamento de Qualidade de Serviço 24-11
le
rab
Pools de Servidores 24-12
Classes de Desempenho 24-14 fe
Classificação e Tagging 24-16
tra ns
n -
Políticas de Desempenho 24-17
Classificações das Classes de Desempenho 24-18 a no
a s
h eฺ
Objetivos de Desempenho 24-19
r )
ฺ Guid
b
Métricas de Atendimento de Desempenho 24-20
m
k o ฺco dent
Substituições de Diretivas de Pools de Servidores 24-21
Visão Geral de Métricas 24-22t ei Stu
o r te@ this
Arquitetura do Gerenciamento de Qualidade de Serviço 24-24

ฺ s up use
Recomendações do Gerenciamento de Qualidade de Serviço 24-25

( t ec se to
Implementando Recomendações 24-27

e i ko licen
Questionário 24-29

o T
Resumo 24-31
ic
ecn
Recursos Adicionais 24-32
T
A Gerenciando o Exadata Database Machine com o Enterprise Manager Cloud
Control 12c
Objetivos A-2
Visão Geral da Lição A-3
Configurando o Exadata Database Machine como um Alvo do Enterprise
Manager A-4
Visualizando o Exadata Database Machine no Enterprise Manager A-5
Monitoramento do Exadata Storage Server A-6
Administração do Exadata Storage Server A-7
Monitoramento do Desempenho do Exadata Storage Server A-8
Monitoramento da Integridade do Exadata Storage Server A-9
Monitoramento da Rede InfiniBand do Exadata Database Machine A-10
Administração da Rede InfiniBand do Exadata Database Machine A-11
Resumo A-12

xiv
Unauthorized reproduction or distribution prohibitedฺ Copyright© 2013, Oracle and/or its affiliatesฺ

Introdução

le
fe rab
tr ans
n -
a no
a
h eฺ s
r
ฺ Guid
b )
m
k o ฺco dent
t ei Stu
o r te@ this
s p use
uOracle
c ฺ
Copyright © 2012,
e t oe/ou suas empresas afiliadas. Todos os direitos reservados.
t
o ( ense
i k lic
o Te
ic
Tecn
Objetivos do Curso

Após concluir este curso, você será capaz de:


• Descrever os principais recursos do Exadata Database
Unauthorized reproduction or distribution prohibitedฺ Copyright© 2013, Oracle and/or its affiliatesฺ

Machine
• Identificar as vantagens de usar o Exadata Database Machine
para diferentes classes de aplicações
• Descrever a arquitetura do Exadata Database Machine e sua
interação com o Oracle Database, o Oracle Clusterware e o
Oracle ASM r a ble
n s fe
• Concluir a configuração inicial do Exadata Database Machine
n - tra
• Descrever as diversas abordagens recomendadas
a no para efetuar
a migração para o Exadata Database Machine
) h as ฺ
• Configurar o I/O Resource Management
m ฺbr Guide
• Monitorar a integridade do Exadata
k o ฺco dDatabase
e nt Machine e
e i t u
otimizar o desempenho @t r
S
te this
o
p use
uOracle
c ฺ s
Copyright © 2012,
t oe/ou suas empresas afiliadas. Todos os direitos reservados.
t e
i k o ( ense
o Te lic
ic
Tecn

Workshop de Administração do Exadata Database Machine 1 - 2


Público-Alvo e Pré-Requisitos

• Este curso se destina principalmente aos administradores


Unauthorized reproduction or distribution prohibitedฺ Copyright© 2013, Oracle and/or its affiliatesฺ

que configurarão e administrarão o Oracle Exadata


Database Machine
• Ele leva em consideração o prévio conhecimento e
entendimento dos seguintes itens:
– Oracle Database 11g Release 2, incluindo RAC e ASM
– Conceitos gerais de sistema operacional, rede, le
armazenamento e administração de sistemas fe rab
tra ns
• Treinamento prévio recomendado: n -
– a
Oracle Database 11g: Workshop de Administração I
no
a s
h eฺ II
– )
Oracle Database 11g: Workshop derAdministração
ฺ Guid
b
– Oracle 11g: Administração da m
co ent
Infraestrutura de Grade e RAC
o ฺ
– teik Linux
Administração do Sistema tudou Solaris
@ his S
r t
o se te
u p
c ฺs Oracletoe/ouusuas empresas afiliadas. Todos os direitos reservados.
Copyright © 2012,
e
t
o ( ense
i k
Tese destinalicprincipalmente aos administradores que configurarão e administrarão
Este curso
o
on
c ic Exadata Database Machine.
Oracle
T e Lembre-se dos pré-requisitos porque este curso não ensina todos os aspectos das
tecnologias usadas no Exadata Database Machine. Ele se concentra apenas nos tópicos
específicos ao Exadata Database Machine.
Este curso leva em consideração o conhecimento prévio e o entendimento do Oracle
Database 11g Release 2, incluindo o ASM (Automatic Storage Management) e o RAC (Real
Application Clusters). Também leva em conta um conhecimento prático do Unix/Linux,
juntamente com o domínio dos conceitos gerais de redes, armazenamento e administração
de sistemas.
Para alunos que não atendem aos pré-requisitos, o treinamento prévio recomendado inclui os
seguintes cursos:
• Oracle Database 11g: Workshop de Administração I
• Oracle Database 11g: Workshop de Administração II
• Oracle 11g: Administração da Infraestrutura de Grade e RAC
Além disso, o treinamento anterior sobre os conceitos básicos de administração do sistema
Linux ou Solaris é recomendado.

Workshop de Administração do Exadata Database Machine 1 - 3


Conteúdo do Curso

1. Introdução (Esta Lição) 14. Configurando o Enterprise Manager Grid


2. Visão Geral do Exadata Database Machine Control 11g para Monitorar o Exadata
Unauthorized reproduction or distribution prohibitedฺ Copyright© 2013, Oracle and/or its affiliatesฺ

3. Arquitetura do Exadata Database Machine Database Machine


4. Principais Recursos do Exadata Database 15. Monitorando Exadata Storage Servers
Machine 16. Monitorando Servidores de Banco de
5. Configuração Inicial do Exadata Database Dados do Exadata Database Machine
Machine 17. Monitorando a Rede InfiniBand
6. Configuração do Exadata Storage Server 18. Monitorando Outros Componentes do
7. I/O Resource Management Exadata Database Machine
19. Outras Ferramentas Úteis de
8. Recomendações para Otimização do
le
rab
Desempenho de Bancos de Dados Monitoramento
20. Backup e Recuperação fe
9.
10.
Usando o Smart Scan
Opções e Recomendações de 21.
tr
Tarefas de Manutenção do Exadata ans
Database Machine n -
11.
Consolidação
Migrando Bancos de Dados para o 22.
a no
Aplicando Patches no Exadata Database
Exadata Database Machine Machine a
h eฺ s
12. Carregamento de Dados em Massa 23. r
ฺ Guid
b )
Ecossistema de Suporte Automatizado do
m Exadata Database Machine
ฺc24.o dent
Usando o Oracle DBFS
Gerenciamento de Qualidade do Serviço
13. Introdução ao Monitoramento da
k o
Plataforma Exadata Database Machine t ei Stu
o r te@ this
s p use
uOracle
c ฺ
Copyright © 2012,
e t oe/ou suas empresas afiliadas. Todos os direitos reservados.
t
o ( ense
i k lic das lições deste curso.
Te a ordem
O slideomostra

e c nic
T

Workshop de Administração do Exadata Database Machine 1 - 4


Terminologia

• Durante todo o curso, 'Database Machine' é usado como


uma abreviação de 'Oracle Exadata Database Machine'.
Unauthorized reproduction or distribution prohibitedฺ Copyright© 2013, Oracle and/or its affiliatesฺ

– Em geral, Database Machine refere-se ao sistema completo,


incluindo hardware e software. No entanto, às vezes, há
referências específicas aos componentes de hardware ou
software do Database Machine.
• Durante todo o curso, os termos 'célula do Exadata' ou
simplesmente 'célula' podem ser usados como uma
r a ble
abreviação de 'Exadata Storage Server'. sfe a n
– Em geral, essas referências dizem respeito à combinação n- t r de
software e hardware usada no Exadata Storage n o
s a Server. No
entanto, às vezes, há referências específicas
r ) ha eao ฺ hardware
ou ao software do Exadata Storage
m ฺb Server. u id
– Este curso se refere ao Exadata ฺco dStorage G
nt Server X2-2 que se
k o e
baseia no hardware Sun. t ei Stu
o r te@ this
s p use
uOracle
c ฺ
Copyright © 2012,
e t oe/ou suas empresas afiliadas. Todos os direitos reservados.
t
o ( ense
i k lic
Te as convenções
O slideoindica usadas neste curso, para abreviar os nomes de produtos
i c
ecn
formais do Exadata Storage Server e do Oracle Exadata Database Machine.
T

Workshop de Administração do Exadata Database Machine 1 - 5


Recursos Adicionais

• Demonstrações (Viewlets)
Unauthorized reproduction or distribution prohibitedฺ Copyright© 2013, Oracle and/or its affiliatesฺ

– http://www.oracle.com/technetwork/tutorials/index.html
– Acesse a Oracle Learning Library e procure demonstrações
cujo título contenha os termos Exadata ou Database
Machine.
• Home Page do Oracle Exadata
– http://www.oracle.com/exadata le
fe rab
• Home Page do Oracle Technology Network (OTN) ns
a
Exadata n-tr no
a
– http://otn.oracle.com/server-storage/engineered-
s
a
systems/exadata/index.html r) h eฺ ฺb id
• Fóruns de Discussão do OTNco m t Gu
Exadata
i k oฺ uden
– http://forums.oracle.com/forums/forum.jspa?forumID=829
@ te St
o r te this
s p use
uOracle
c ฺ
Copyright © 2012,
e t oe/ou suas empresas afiliadas. Todos os direitos reservados.
t
o ( ense
i k lic
o Te
ic
Tecn

Workshop de Administração do Exadata Database Machine 1 - 6


Visão Geral do Exercício 1:
Introdução ao Ambiente de Laboratório
Neste exercício, será apresentado a você o ambiente de
Unauthorized reproduction or distribution prohibitedฺ Copyright© 2013, Oracle and/or its affiliatesฺ

laboratório usado como apoio a todos os exercícios durante


este curso.

le
fe rab
tr ans
n -
a no
a
h eฺ s
r
ฺ Guid
b )
m
k o ฺco dent
t ei Stu
o r te@ this
s p use
uOracle
c ฺ
Copyright © 2012,
e t oe/ou suas empresas afiliadas. Todos os direitos reservados.
t
o ( ense
i k lic
o Te
ic
Tecn

Workshop de Administração do Exadata Database Machine 1 - 7


Unauthorized reproduction or distribution prohibitedฺ Copyright© 2013, Oracle and/or its affiliatesฺ

Tecn
ic
oT e i
( t
ฺ s
ko licen
o r
ec se to
t
up use
k o
te@ this
ei Stu
m b r )
ฺco dent
a s
ฺ Guid
a
h eฺ
no n - tr
a
ns fe rab
le
Unauthorized reproduction or distribution prohibitedฺ Copyright© 2013, Oracle and/or its affiliatesฺ

Visão Geral do Exadata Database Machine

le
fe rab
tr ans
n -
a no
a
h eฺ s
r
ฺ Guid
b )
m
k o ฺco dent
t ei Stu
o r te@ this
s p use
uOracle
c ฺ
Copyright © 2012,
e t oe/ou suas empresas afiliadas. Todos os direitos reservados.
t
o ( ense
i k lic
o Te
ic
Tecn
Objetivos

Após concluir esta lição, você será capaz de:


Unauthorized reproduction or distribution prohibitedฺ Copyright© 2013, Oracle and/or its affiliatesฺ

• Fornecer uma descrição geral do Exadata Storage Server


e das diferentes configurações do Database Machine
• Descrever as principais especificações de capacidade e
desempenho do Database Machine
• Descrever as principais vantagens associadas ao
le
Database Machine
fe rab
tr ans
n -
a no
a
h eฺ s
r
ฺ Guid
b )
m
k o ฺco dent
t ei Stu
o r te@ this
s p use
uOracle
c ฺ
Copyright © 2012,
e t oe/ou suas empresas afiliadas. Todos os direitos reservados.
t
o ( ense
i k lic
o Te
ic
Tecn

Workshop de Administração do Exadata Database Machine 2 - 2


Introdução ao Database Machine

• Plataforma totalmente integrada para o


Unauthorized reproduction or distribution prohibitedฺ Copyright© 2013, Oracle and/or its affiliatesฺ

Oracle Database
• Baseado na tecnologia de
armazenamento Exadata Storage Server
• Alto desempenho e alta disponibilidade
para todas as cargas de trabalho do
Oracle Database
r a ble
• Configurações de hardware n s fe
balanceadas n - tra
a no
• Perfeito como plataforma de as ฺ
) h
ฺ Guide
consolidação de bancos de dados br
m
• ฺco nt
Simples e fácil de implementar
k o ude
t e i t
@ s S
o r te thi
s p use
uOracle
c ฺ
Copyright © 2012,
e t oe/ou suas empresas afiliadas. Todos os direitos reservados.
t
o ( ense
i k
TeMachinelicé uma plataforma Oracle Database totalmente integrada, baseada na
O Database
o
ic de armazenamento Exadata Storage Server. O Database Machine é uma solução
ecn
tecnologia
T de alto desempenho e altamente disponível para todas as cargas de trabalho de banco de
dados, desde aplicações de data warehouse de muitas varreduras até aplicações OLTP
altamente concorrentes.
Foi dada atenção especial para garantir que o Database Machine fosse uma plataforma
bem balanceada. Em toda a arquitetura de hardware do Database Machine, componentes
e tecnologias foram especialmente combinados para eliminar gargalos e, ao mesmo tempo,
manter uma boa utilização do hardware.
Utilizando os recursos exclusivos de gerenciamento de cargas de trabalho e clusterização
do Oracle Database, o Database Machine é excelente para consolidar vários bancos de
dados em um único Database Machine. Fornecido como um pacote completo de software,
servidores e armazenamento, o Database Machine é simples e fácil de implementar.
Observação: embora o Database Machine seja uma solução de plataforma totalmente
integrada, composta de componentes específicos de hardware e software, a Oracle oferece
esses componentes como uma série de itens adquiridos separadamente. Os clientes podem
escolher entre diferentes configurações de hardware disponíveis. O licenciamento adequado
do Oracle Database e do software de célula do Exadata também é necessário. Além disso, o
Database Machine é altamente complementado com operações paralelas e de clusterização.
Dessa forma, o Oracle Real Application Clusters e o Oracle Partitioning são opções de
software altamente recomendadas para o Database Machine.
Workshop de Administração do Exadata Database Machine 2 - 3
Por Que o Database Machine?

O Database Machine foi projetado para tratar de problemas comuns:


Unauthorized reproduction or distribution prohibitedฺ Copyright© 2013, Oracle and/or its affiliatesฺ

• Problemas de Data Warehousing:


– Suportando consultas grandes e complexas
– Gerenciando bancos de dados muito grandes
• Problemas de OLTP:
– Suportando grandes populações de usuários e grandes volumes
de transações le
– Fornecendo tempos de resposta rápidos e consistentes r a b
fe ns
• Problemas de consolidação: t r a
no
– Suportando com eficiência cargas de trabalho mistas n-
a
– Priorizando cargas de trabalho as ) h eฺ
• Problemas de Configuração: b r
ฺ Guid
m
– Criando uma configuração o
k ฺco dentsem gargalos
balanceada
– Criando e mantendo um t eisistema
S turobusto operacional
r @
te thi s
o
p use
uOracle
c ฺ s
Copyright © 2012,
t oe/ou suas empresas afiliadas. Todos os direitos reservados.
t e
i k o ( ense
TeMachinelicé um sistema projetado para tratar de problemas comuns enfrentados
O Database
o
pelaicmaioria dos usuários de banco de dados, especialmente à medida que o tamanho e a
Tecncomplexidade desses bancos aumentam. Durante este curso, você aprenderá sobre as
tecnologias e as práticas do Database Machine que tratam dos seguintes problemas e
requisitos:
• Problemas de Data Warehousing:
- Suportando consultas grandes e complexas:
• Obtém throughput suficiente de entrada/saída para suportar um grande número
de varreduras.
• Encaminha o throughput de entrada/saída pela rede de armazenamento.
• Evita entrada/saída não produtiva.
• Permite processamento paralelo.
- Gerenciando bancos de dados muito grandes:
• Gerencia de forma fácil e eficaz o espaço de armazenamento.
• Utiliza os recursos com eficiência ao mesmo tempo em que restringe consultas fora
de controle.
• Oferece compactação eficiente dos dados.

Workshop de Administração do Exadata Database Machine 2 - 4


• Problemas de OLTP:
- Suportando grandes populações de usuários e grandes volumes de transações:
• Obtém entradas/saídas suficientes por segundo.
• Armazena no cache os dados acessados com frequência.
- Fornecendo tempos de resposta rápidos e consistentes:
• Minimiza a latência de entrada/saída.
Unauthorized reproduction or distribution prohibitedฺ Copyright© 2013, Oracle and/or its affiliatesฺ

• Permite o processamento eficiente de commit.


• Problemas de consolidação:
- Suportando com eficiência cargas de trabalho mistas:
• Suporta cargas de trabalho diferentes no mesmo sistema.
• Isola as cargas de trabalho para evitar conflito.
- Priorizando cargas de trabalho:
• Gerencia os recursos com base nas prioridades estabelecidas. le
• fe rab
Ajusta dinamicamente as alocações de recursos com base na configuração atual do
sistema e
tr a ns
em observações das cargas de trabalho. n -
• Problemas de Configuração: no
a
- Criando uma configuração balanceada sem gargalos: a s
h eฺ
b r )
ฺ Gpara ido sistema.
• Os componentes de hardware são dimensionados
m u
o ntpara os recursos de software.
• As especificações de hardware sãoฺc adequadas
k o de
- Criando e mantendo um sistema t ei robusto t uoperacional:
S firmware e software.
• Oferece compatibilidade r t e @de hardware,
h i s
p o práticase t
u
• Utiliza as melhores
ฺsde suporte. u s de configuração contribuindo para a consistência e a
c
facilidade
t e t o
( nse inteligentes de monitoramento.
• o Oferece ferramentas
e i k l ice
T
c n ico
T e

Workshop de Administração do Exadata Database Machine 2 - 5


Introdução ao Exadata Storage Server

• Armazenamento de alto desempenho


Unauthorized reproduction or distribution prohibitedฺ Copyright© 2013, Oracle and/or its affiliatesฺ

Exadata Storage para o Oracle Database


Server
• Servidor Sun Fire baseado em Intel de
64 bits
• Software pré-instalado:
– Software do Exadata Storage Server
r a ble
– Oracle Linux x86_64
n s fe
– Drivers e Utilitários -tra on
• Disponível somente com o
a n
Database
s
Machine ) ha eฺ ฺbr Guid
m
k o ฺco dent
t ei Stu
o r te@ this
s p use
uOracle
c ฺ
Copyright © 2012,
e t oe/ou suas empresas afiliadas. Todos os direitos reservados.
t
o ( ense
i k ic é altamente otimizado para uso com o Oracle Database. Ele
TeStorage lServer
O Exadata
o
ic um excelente desempenho do processamento SQL e de entradas/saídas para
ecn
oferece
T aplicações de data warehousing e OLTP (Online Transaction Processing).
O Exadata Storage Server usa um servidor Sun Fire baseado em Intel de 64 bits. A Oracle
fornece o software de servidor de armazenamento para transmitir inteligência de banco de
dados ao armazenamento e uma integração sólida com o Oracle Database e seus recursos.
Cada Exadata Storage Server vem com todos os componentes de hardware e software pré-
instalados, incluindo o respectivo software, o sistema operacional Oracle Linux x86_64 e os
drivers do protocolo InfiniBand.
O Exadata Storage Server está disponível somente para uso com o Database Machine.
Exadata Storage Servers individuais podem ser adquiridos, no entanto, eles devem ser
conectados a um Database Machine. Não há suporte para configurações personalizadas com
o uso de Exadata Storage Servers em novas instalações.

Workshop de Administração do Exadata Database Machine 2 - 6


Visão Geral da Arquitetura do Exadata Storage Server
Servidores de Banco de Dados Oracle
Unauthorized reproduction or distribution prohibitedฺ Copyright© 2013, Oracle and/or its affiliatesฺ

le
fe rab
Célula do Célula do a ns
trLinux
SO Linux
n -
SO
Exadata
no
Software de Exadata Software de
célula do célula do
Exadata
s
Exadata a
) a
h eฺ
r
ฺ Guid…
b
… m
Disco
k o ฺco denDisco t
t ei Stu
o r te@ this
s p use
uOracle
c ฺ
Copyright © 2012,
e t oe/ou suas empresas afiliadas. Todos os direitos reservados.
t
o ( ense
i k ic é uma plataforma de armazenamento “self-contained" que
TeStorage lServer
O Exadata
o
ic armazenamento em disco e executa o software do Exadata Storage Server
ecn
hospeda
T fornecido pela Oracle. Um único Exadata Storage Server também é chamado de célula.
Célula é um componente fundamental para uma grade de armazenamento. Mais células
fornecem uma maior capacidade e mais largura de banda de entrada/saída. Em geral, os
bancos de dados são implantados em várias células, e vários bancos de dados podem
compartilhar o armazenamento fornecido por uma única célula. Os bancos de dados e
as células se comunicam entre si por meio de uma rede InfiniBand de alto desempenho.
Cada célula é puramente uma plataforma de armazenamento dedicada para arquivos do
Oracle Database, embora seja possível usar o DBFS (Database File System), um recurso
do Oracle Database, para armazenar seus arquivos de negócio dentro do banco de dados.
Como outros arrays de armazenamento, cada célula é um computador com CPUs, memória,
um barramento, discos, adaptadores de rede e os outros componentes que, normalmente,
são encontrados em um servidor. Ela também executa um sistema operacional (SO) que,
no caso do Exadata Storage Server, é o Linux x86_64. O software fornecido pela Oracle
residente na célula do Exadata é executado nesse sistema operacional. É possível acessar
o SO de modo restrito para administrar e gerenciar o Exadata Storage Server.

Workshop de Administração do Exadata Database Machine 2 - 7


Visão Geral dos Recursos do Exadata Storage Server
Servidores de Banco de Dados Oracle
Unauthorized reproduction or distribution prohibitedฺ Copyright© 2013, Oracle and/or its affiliatesฺ

entradas/saídas

entradas/saídas
Operações de entradas/saídas

50% de

16% de
34% de I/O Resource Management le
armazenamento
inteligente fe rab
Rede de armazenamento
tr a ns
de alto desempenho n -
a no
Smart Flash Cache a s
h eฺ Consolidação do
r )
ฺ Guid armazenamento
b
m
k o ฺco dent (Transparente para

ei Stu
bancos de dados)
t
o r e@ this de dados
tCompactação
s p use
uOracle
c ฺ
Copyright © 2012,
e t oe/ou suas empresas afiliadas. Todos os direitos reservados.
t
o ( ense
i k lic recursos associados ao Exadata Storage Server:
Te os principais
O slideoilustra
ic
Tecn• Uma vantagem importante do Exadata Storage Server é a capacidade de descarregar
parte do processamento do banco de dados nos servidores de armazenamento. Com o
Exadata Storage Server, o banco de dados pode descarregar projeções e filtros de
predicados de varredura de tabela única, processamento de joins com base em filtros
"bloom", juntamente com operações de descriptografia e descompactação que
consomem muitos recursos de CPU. Essa capacidade é conhecida como Smart Scan.
Além do Smart Scan, o Exadata Storage Server conta com outros recursos de
armazenamento inteligente, incluindo a capacidade de descarregar otimizações de
backups incrementais, operações de criação de arquivos etc. Essa abordagem
proporciona uma economia substancial de CPU, memória e largura de banda de
entrada/saída no servidor de banco de dados, o que poderá resultar em melhorias
de desempenho significativas quando comparada ao armazenamento convencional.
• Mesmo para consultas que não usam o Smart Scan, o Exadata Storage Server oferece
muitas vantagens em relação ao armazenamento convencional. Ele é altamente
otimizado para rápido processamento de consultas grandes. Ele foi cuidadosamente
arquitetado para garantir que não haja gargalos na controladora nem em outros
componentes do servidor de armazenamento. Ele faz um uso inteligente da memória
flash de alto desempenho para aperfeiçoar o desempenho e também usa uma rede
InfiniBand avançada que produz um throughput muito mais elevado do que as redes
de armazenamento convencionais.
Workshop de Administração do Exadata Database Machine 2 - 8
• O Exadata Storage Server inclui a compressão EHCC (Exadata Hybrid Columnar
Compression). Esse recurso oferece níveis muito altos de compactação de dados
implementada no servidor de armazenamento. A compressão EHCC (Exadata
Hybrid Columnar Compression) permite que o banco de dados reduza o número
de entradas/saídas necessárias para varrer uma tabela. Por exemplo, em geral, a
compressão EHCC (Exadata Hybrid Columnar Compression) oferece relações de
compactação de 10 para 1. Nesses casos, apenas 1 Gigabyte de entrada/saída é
Unauthorized reproduction or distribution prohibitedฺ Copyright© 2013, Oracle and/or its affiliatesฺ

necessário para varrer um conjunto de dados de 10 Gigabytes.


• O Exadata Storage Server garante que os recursos de entrada/saída sejam
disponibilizados a qualquer momento e para qualquer banco de dados que necessite
deles, com base nas prioridades e nas políticas definidas. O DBRM (Database
Resource Manager) e o IORM (I/O Resource Management) do Exadata Storage Server
operam em conjunto para gerenciar o uso de recursos de entrada/saída dentro do
mesmo banco de dados e entre diferentes bancos de dados, a fim de assegurar que
le
rab
os SLAs (Service Level Agreements, Contratos em Nível de Serviço) sejam atendidos
quando várias aplicações e bancos de dados compartilham o armazenamento do fe
Database Machine.
tra ns
n -

a no
O Oracle ASM (Automatic Storage Management) é usado para distribuir a carga de
armazenamento de maneira uniforme para cada banco de dados em todos os discos
a s
h eฺ
disponíveis no pool de armazenamento fornecido pelos Exadata Storage Servers. Cada
r )
ฺ Guid
b
banco de dados pode usar todos os discos disponíveis para maximizar o desempenho.
m
k o ฺco dent
O Exadata Storage Server requer o uso do Oracle Database 11g Release 2. Ele

t ei Stu
apresenta um bom desempenho tanto com bancos de dados de instância única
como com bancos de dados Oracle RAC (Real Application Clusters). Usuários e
r te@ this
administradores de banco de dados usam as mesmas ferramentas e conhecimento
o
s up use
com os quais já estão familiarizados. Como o Exadata Storage Server se baseia em

t ec se to
componentes e tecnologias padrão do setor, sua implantação não é cara. Além disso, a
(
e i ko licen
integração justa com o conjunto completo de recursos de alta disponibilidade do Oracle
T
Database garante o atendimento das necessidades de confiabilidade e integridade de
o
ic
ecn
ambientes críticos.
T

Workshop de Administração do Exadata Database Machine 2 - 9


Detalhes de Hardware do Exadata Storage Server
X2-2 (Sun Fire X4270 M2)
Unauthorized reproduction or distribution prohibitedฺ Copyright© 2013, Oracle and/or its affiliatesฺ

Processadores Dois Processadores Six-Core Intel® Xeon® L5640 (2,26 GHz)

Memória 24 GB (6 x 4 GB)

Unidades de Disco 12 SAS de Alto Desempenho de 600 GB 15K RPM


ou 12 SAS de Alta Capacidade de 3 TB 7,2K RPM
Flash 4 Placas PCle de 96 GB Sun Flash Accelerator F20 le
fe rab
Controladora de Disco Controladora de disco HBA com cache de 512 MB mantido
a n s por
bateria
n -t r
Rede Duas portas InfiniBand 4X QDR (40Gb/s) n o
(1 HCA PCIe 2.0 de porta dupla) s a
) a
h eฺ
Quatro portas Gigabit Ethernet rembutidas
m ฺ Guid
b
Gerenciamento Remoto 1 porta Ethernet (ILOM)
k o ฺco dent
Fontes de Alimentação t ei Stredundantes
2 fontes de alimentação u com "hot swap"
e @
rt e th i s
p o s empresas afiliadas. Todos os direitos reservados.
c ฺ suOracletoe/ouusuas
Copyright © 2012,

o (te nse
k ice
Tei uma ldescrição
O slideomostra do hardware do Exadata Storage Server X2-2.
n i c
T e c
Observação: todas as especificações de hardware, métricas de desempenho e métricas
de capacidade fornecidas neste curso foram atualizadas em 1º de março de 2012 e estão
sujeitas a alterações.
Planilhas de dados contendo especificações e métricas atualizadas podem ser encontradas
na home page do Oracle Exadata em http://www.oracle.com/exadata.

Workshop de Administração do Exadata Database Machine 2 - 10


Especificações do Exadata Storage Server X2-2

Discos HP Discos HC
Unauthorized reproduction or distribution prohibitedฺ Copyright© 2013, Oracle and/or its affiliatesฺ

Exadata Smart Flash Cache1 384 GB 384 GB

Capacidade do Disco Bruto1 7,2 TB 36 TB

Capacidade de Dados não Compactados2 3,25 TB 16 TB

Throughput de Disco Bruto 1,8 GB/s 1,3 GB/s

Throughput de Flash 5,4 GB/s 4,9 GB/s


le
Entradas/saídas de Disco por Segundo 3.600 2.000
fe rab
(IOPS)
Entradas/saídas Flash por Segundo (IOPS) 100.000 tr
100.000 a ns
n -
no
a
1 - Capacidade bruta calculada usando 1 GB = 1000 x 1000 x 1000 bytes e 1 TB = 1000 x 1000 x
1000 x 1000 bytes. a
h eฺ s
2 - Dados do Usuário: espaço real para dados descompactados b r )
ฺ também
do usuário idfinal, adequado
calculado após
espelhamento único (redundância normal do ASM), oferecendo m G u
o falhandot disco. A capacidade realpara
espaço o
restabelecimento da proteção por espelhamento após o ฺ cuma e de
eik Stud
dados do usuário varia de acordo com a aplicação.
t
o r te@ this
s p use
uOracle
c ฺ
Copyright © 2012,
e t oe/ou suas empresas afiliadas. Todos os direitos reservados.
t
o ( ense
i k ic está disponível em duas configurações: com discos de alto
O Exadata
o TeStorage lServer
e c nic
desempenho (HP) ou com discos de alta capacidade (HC). A tabela contida no slide lista
T as principais especificações de capacidade e desempenho para as duas opções de
configuração.
Observação: essas métricas não levam em conta a compactação. Com dados compactados,
é possível atingir taxas de throughput efetivas muito mais altas. Em todo o caso, o
desempenho real variará de acordo com a aplicação.

Workshop de Administração do Exadata Database Machine 2 - 11


Database Machine X2-2 Full Rack
Unauthorized reproduction or distribution prohibitedฺ Copyright© 2013, Oracle and/or its affiliatesฺ

14 Exadata Storage Servers 8 servidores de banco de


(todos de alto desempenho dados
ou alta capacidade) Sun Fire com duas CPUs
baseadas em Intel
1 Cisco Ethernet switch
(48 portas) Hardware KVM (Keyboard,
Video, Mouse)
le
3 Sun Datacenter InfiniBand e rab
2 PDUs (Power Distribution
f
Switches 36 n s
Units) na parte traseira
a
(switch QDR gerenciado de
n -t r
36 portas - 40 Gb/s) o
n Peças
Kit de
a
) h as ฺ Sobressalentes:

ฺbr Guide
•Duas unidades de disco rígido
(de alto desempenho ou alta
m
ฺco dent
capacidade)

k o •Duas placas de memória flash

t ei Stu de 96 GB

te@ this
•Cabos InfiniBand sobressalentes

o r
p use
ฺ s uOracle
t e c
Copyright © 2012,
t oe/ou suas empresas afiliadas. Todos os direitos reservados.

i k o ( ense
O Database
o TeMachinelicé oferecido atualmente em quatro configurações. O conteúdo de uma
e c nic
configuração do Database Machine X2-2 Full Rack é ilustrado no slide.
T Um tour interativo do Database Machine X2-2 pode ser encontrado em
http://oracle.com.edgesuite.net/producttours/3d/exadata22/index.html

Workshop de Administração do Exadata Database Machine 2 - 12


Detalhes de Hardware do Servidor de Banco de
Dados X2-2 (Sun Fire X4170 M2)
Unauthorized reproduction or distribution prohibitedฺ Copyright© 2013, Oracle and/or its affiliatesฺ

Processadores Dois Processadores Six-Core Intel® Xeon® X5675 (3,06 GHz)

Memória 96 GB (12 x 8 GB), expansível para 144 GB (18 x 8 GB)

Unidades de Disco Quatro discos SAS de 300 GB 10K RPM

Controladora de Disco Controladora de Disco HBA com cache de 512 MB mantido por
bateria le
Rede Duas portas InfiniBand QDR (40 Gb/s)
fe rab
(1 HCA PCIe 2.0 de porta dupla)
tr a ns
Quatro portas Ethernet de 1 Gb
n -
Duas portas Ethernet SFP+ de 10Gb no a
a
h eฺ s
(Uma placa de rede PCIe 2.0 de 10GbE de porta dupla baseada na
r
ฺ Guid
b )
tecnologia de Controlador Intel 82599 de 10GbE )

Gerenciamento Remoto 1 porta Ethernet (ILOM) m


k o ฺco dent
Fontes de Alimentação t ei Sturedundantes com "hot swap"
2 fontes de alimentação

o r te@ this
s p use
uOracle
c ฺ
Copyright © 2012,
e t oe/ou suas empresas afiliadas. Todos os direitos reservados.
t
o ( ense
i k
TeMachinelicX2-2 usa hardware de servidor de banco de dados padronizado,
O Database
o
ic em servidores Sun Fire com tecnologia Intel de 64 bits.
ecn
baseado
T

Workshop de Administração do Exadata Database Machine 2 - 13


Comece Pequeno e Cresça
Unauthorized reproduction or distribution prohibitedฺ Copyright© 2013, Oracle and/or its affiliatesฺ

le
fe rab
tra ns
n -
no a
a
h eฺ s
r )
ฺ Guid Full Rack
b
Quarter Half Rack m
Rack X2-2 o
X2-2
k ฺco dent X2-2
t ei Stu
o r te@ this
s p use
uOracle
c ฺ
Copyright © 2012,
e t oe/ou suas empresas afiliadas. Todos os direitos reservados.
t
o ( ense
e i k licMachine X2-2 Full Rack, que contém oito servidores de banco de
Além de
o T
um Database

e c nic 14 células do Exadata e três InfiniBand switches, a Oracle oferece duas outras
dados,
T configurações de Database Machine X2-2 que permitem aos clientes começarem pequenos e
crescerem:
• Um Quarter Rack contém dois servidores de banco de dados, três células do Exadata
e dois InfiniBand switches.
• Um Half Rack contém quatro servidores de banco de dados, sete células do Exadata e
três InfiniBand switches.
Todas as configurações do Database Machine X2-2 são fornecidas em um rack 42U de 19
polegadas padrão. Todas as configurações são pré-cabeadas e fornecidas com um Ethernet
switch e um KVM switch para concluir a configuração. Além disso, a Oracle oferece kits de
atualização de hardware, que permitem aos clientes fazerem o upgrade de um Quarter Rack
para um Half Rack ou de um Half Rack para um Full Rack.
O kit de peças sobressalentes que acompanha os Database Machines Half Rack e Quarter
Rack contém:
• Uma unidade de disco rígido (de alto desempenho ou alta capacidade).
• Uma placa de memória flash de 96 GB.
• Cabos InfiniBand sobressalentes.
Observe que um ambiente do Database Machine poderá ser expandido para além da
capacidade de um único rack. As configurações de vários racks são discutidas mais
adiante no curso.
Workshop de Administração do Exadata Database Machine 2 - 14
Database Machine X2-8 Full Rack
Unauthorized reproduction or distribution prohibitedฺ Copyright© 2013, Oracle and/or its affiliatesฺ

14 Exadata Storage Servers


2 servidores de banco de
(todos de alto desempenho
dados
ou de alta capacidade)
Sun Fire com oito CPUs
baseadas em Intel
1 Cisco Ethernet switch
(48 portas)

le
3 Sun Datacenter InfiniBand
fe rab
2 PDUs (Power Distribution
Switches 36 ns
Units) na parte traseira
tra
(switch QDR gerenciado de
36 portas - 40 Gb/s) n -
oPeças
n
Kit de
a
h a s Sobressalentes:
r ) d e ฺ
•Duas unidades de disco rígido

m b
ฺ Gu i
(de alto desempenho ou alta
capacidade)
o
ฺc dent •Duas placas de memória flash
k o
ei Stu
de 96 GB
t •Cabos InfiniBand sobressalentes

o r te@ this
s p use
uOracle
c ฺ
Copyright © 2012,
e t oe/ou suas empresas afiliadas. Todos os direitos reservados.
t
o ( ense
i k lic
e configurações
Além daso Ttrês do Database Machine X2-2, a Oracle oferece o Database
n i c
Machine X2-8, que está disponível apenas em uma configuração Full Rack. Não há
T e c
configurações menores.
Em muitos aspectos, o Database Machine X2-8 é basicamente o mesmo que o Full Rack
X2-2. Ambos contêm 14 células do Exadata X2-2, três InfiniBand switches, duas PDUs
(Power Distribution Units) e um Ethernet switch.
A principal diferença é que os oito servidores de banco de dados com duas CPUs do Full
Rack X2-2 são substituídos por dois servidores de banco de dados com oito CPUs. Cada um
dos servidores maiores contém mais RAM e é equipado com oito portas Ethernet de 10 Gb/s
para acesso de alta velocidade da rede cliente, além das portas Ethernet de 1 Gb/s que
oferecem suporte ao acesso administrativo.
O Database Machine X2-8 não é fornecido com hardware KVM.
O Database Machine X2-8 complementa os modelos X2-2. Como os modelos X2-2, foi
projetado para consolidação de bancos de dados, aplicações OLTP grandes e de data
warehouse. A configuração de memória de grande porte do Database Machine X2-8 o
transforma em uma plataforma especialmente boa para consolidação de bancos de dados.
Os clientes que atualmente executam suas aplicações em sistemas SMP de grande porte
podem ter mais conforto optando pelo Database Machine X2-8.
Um tour interativo do Database Machine X2-8 pode ser encontrado em
http://oracle.com.edgesuite.net/producttours/3d/exadata28/index.html

Workshop de Administração do Exadata Database Machine 2 - 15


Detalhes de Hardware do Servidor de Banco de
Dados X2-8 (Sun Fire X4800 M2)
Unauthorized reproduction or distribution prohibitedฺ Copyright© 2013, Oracle and/or its affiliatesฺ

Processadores 8 Processadores Ten-Core Intel® Xeon® E7-8870 (2,40 GHz)

Memória 2 TB (128 x 16 GB)

Unidades de Disco Oito discos SAS de 300 GB 10K RPM

Controladora de Disco Controladora de disco HBA com cache de 512 MB mantido por bateria le
fe rab
Rede Oito portas InfiniBand 4X QDR (40 Gb/s)
(4 módulos PCE 2.0 express de porta dupla)
tr a ns
n -
oito portas Ethernet de 1GbE e ano
Dois módulos Network Express (NEM), fornecendo um total de

Oito portas Ethernet SFP+ de 10 GbE a s


h de controlador
r )
(4 Fabric Express Modules (FEM) com tecnologia
d e ฺ Intel 82599 de 10GbE)
Gerenciamento Remoto 1 porta Ethernet (ILOM) om
b
ฺ Gu i
k o ฺc dent
Fontes de alimentação
t ei S
4 fontes de alimentação u
redundantes
t com "hot swap"

o r te@ this
s p use
uOracle
c ฺ
Copyright © 2012,
e t oe/ou suas empresas afiliadas. Todos os direitos reservados.
t
o ( ense
i k ic
Te uma ldescrição
O slideomostra do hardware do servidor de banco de dados usado no
i c
ecn
Database Machine X2-8.
T

Workshop de Administração do Exadata Database Machine 2 - 16


Capacidade do Database Machine

Quarter Half Full Full


Unauthorized reproduction or distribution prohibitedฺ Copyright© 2013, Oracle and/or its affiliatesฺ

Rack Rack Rack Rack


X2-2 X2-2 X2-2 X2-8
Capacidade Alto Desempenho 21 TB 50 TB 100 TB 100 TB
do Disco
Bruto1 Alta Capacidade 108 TB 252 TB 504 TB 504 TB

Capacidade do Flash1 1,1 TB 2,6 TB 5,3 TB 5,3 TB


able
Capacidade Alto Desempenho 9,5 TB 22,5 TB 45 TB 45 TB fer
de Dados do a n s
Alta Capacidade 48 TB 112 TB
r
224 TB n-t224 TB
Usuário2
a no
1 - Capacidade bruta calculada usando 1 GB = 1000 x 1000 x 1000 h
) ase 1 TBฺ = 1000 x 1000 x
bytes
1000 x 1000 bytes.
m ฺbr Guide
espelhamento único (redundância normal do ASM), o co entambém
2 - Dados do Usuário: espaço real para dados descompactados

oferecendo
dot usuário final, calculado após
espaço adequado para o
restabelecimento da proteção por espelhamento t e i kapós t
umau d
falha do disco. A capacidade real de
dados do usuário varia de acordo com a @ aplicação.s S
o r te thi
s p use
uOracle
c ฺ
Copyright © 2012,
e t oe/ou suas empresas afiliadas. Todos os direitos reservados.
t
o ( ense
e i k lic algumas métricas importantes de capacidade referentes às
A tabela
o T
do slide fornece

e c nic
configurações disponíveis do Database Machine.
T

Workshop de Administração do Exadata Database Machine 2 - 17


Desempenho do Database Machine

Quarter Half Full Full


Rack Rack Rack Rack
Unauthorized reproduction or distribution prohibitedฺ Copyright© 2013, Oracle and/or its affiliatesฺ

X2-2 X2-2 X2-2 X2-8


Alto Desempenho 5,4 GB/s 12,5 GB/s 25 GB/s 25 GB/s
Throughput
do Disco3 Alta Capacidade 4 GB/s 9 GB/s 18 GB/s 18 GB/s

Alto Desempenho 16 GB/s 37,5 GB/s 75 GB/s 75 GB/s


Throughput
de Flash3 Alta Capacidade 14,5 GB/s 34 GB/s 68 GB/s 68 GB/s le
fe rab
Alto Desempenho 10.800 25.000 50.000
a s
n50.000
IOPS de
n - tr
Disco4 Alta Capacidade 6.000 14.000 no
28.000
a 28.000

IOPS de Flash4 375.000 ) h as 1.500.000


750.000 ฺ 1.500.000
b
ฺ Gur i d e
o m
k o ฺc depico,
3 – Refere-se ao throughput de varredura física no horário de nt supondo que não há
compactação.
t ei baseSemtusolicitações de entrada/saída de 8 K
te@ this
4 – Entradas/saídas por segundo (IOPS) – com
o r
p use
ฺ s uOracle
t e c
Copyright © 2012,
t oe/ou suas empresas afiliadas. Todos os direitos reservados.

i k o ( ense
A tabela
o T e
acima mostra licalgumas métricas de desempenho de pico para as diferentes
e c nic
configurações do Database Machine.
T Observação: essas métricas não levam em conta a compactação. Como resultado, elas são
muito conservadoras. Com dados compactados, é possível atingir taxas de throughput muito
mais altas. Em todos os casos, o desempenho real variará de acordo com a aplicação.

Workshop de Administração do Exadata Database Machine 2 - 18


Exadata Storage Expansion Racks

Quarter Rack Half Full


Rack Rack
Unauthorized reproduction or distribution prohibitedฺ Copyright© 2013, Oracle and/or its affiliatesฺ

Exadata Storage Servers 4 9 18

InfiniBand Switches 2 3 3

Capacidade do Flash1 1,5 TB 3,4 TB 6,75 TB

IOPS de Flash4 425.000 950.000 1.900.000

Capacidade do Alto Desempenho 28 TB 64 TB 128 TB


Disco Bruto1
Alta Capacidade 144 TB 324 TB 648 TB

Capacidade de Alto Desempenho 13 TB 29 TB 58 TB le


Dados do Usuário2
Alta Capacidade 64 TB 144 TB 288 TB
fe rab
Throughput do Alto Desempenho 7,2 GB/s 16 GB/s
tra
32 GB/s ns
Disco3 n -
Alta Capacidade 5 GB/s 11,5 GB/s
no 23 GB/s
a 97 GB/s
Throughput de Alto Desempenho 21,5 GB/s 48,5 GB/s
a s
h44 GB/s eฺ 88 GB/s
Flash3
Alta Capacidade 19 GB/s
b r )
ฺ 18.000 id
IOPS de Disco 4 Alto Desempenho 8.000 m
o nt G u 36.000
ฺ c
o14.400ude 32.000
Alta Capacidade
t e i k t
64.000

1, 2, 3, 4 – Consulte as observaçõese @páginas


nas i s S
anteriores.
r t
o se t h
u p
c ฺs Oracletoe/ouusuas empresas afiliadas. Todos os direitos reservados.
Copyright © 2012,
e
t
o ( ense
e i k lic Expansion Rack foi projetado para ser a maneira mais simples,
O Oracle
o TExadata Storage
ic e eficiente de adicionar mais capacidade de armazenamento a um Exadata Database
ecn
rápida
T Machine. Uma extensão natural do Exadata Database Machine, o Exadata Storage
Expansion Rack é oferecido em três configurações. A tabela do slide descreve o conteúdo
de cada Exadata Storage Expansion Rack, junto com as principais métricas de capacidade
e desempenho.
Observe que os Exadata Storage Expansion Racks Full Rack e Half Rack são dotados de
três InfiniBand Switches QDR (40 Gb/sec) de 36 portas, o que permite interconectá-los a
vários outros Full Racks e Half Racks (Database Machine ou Storage Expansion Racks). Os
Exadata Storage Expansion Racks Quarter Rack apresentam dois InfiniBand Switches QDR
(40 Gb/sec) de 36 portas, o que permite a interconectividade em um conjunto mais limitado
de circunstâncias. Detalhes sobre a interconexão de vários racks são fornecidos mais adiante
no curso.

Workshop de Administração do Exadata Database Machine 2 - 19


Rede InfiniBand

InfiniBand:
Unauthorized reproduction or distribution prohibitedฺ Copyright© 2013, Oracle and/or its affiliatesฺ

• É a estrutura de interconexão do Database Machine:


– Fornece o desempenho máximo disponível – 40 Gb/s em cada direção
– É amplamente usada em computação de alto desempenho desde 2002
• É usada para redes de armazenamento, interconexão do RAC
e conectividade externa de alto desempenho:
– Menos configurações, custo mais baixo e melhor desempenho
• Semelhante à Ethernet normal para hospedagem de software:
a b le
– Todas as ferramentas baseadas em IP operam de forma transparente – fe r
TCP/IP, UDP, SSH etc. a n s
n -t r
• Apresenta a eficiência de uma SAN: o
– Recursos de cópia zero e reserva de buffer a n
• Usa o protocolo ZDP InfiniBand de alto desempenho ) h as ฺ (RDS V3):
– Protocolo ZDP (Zero-loss Zero-copy Datagram m ฺbr Protocol)
u ide
– Software de código-fonte abertoo ฺ co entpela
desenvolvido
G Oracle
– Overhead muito baixo de CPU t eik Stud
o r te@ this
s p use
uOracle
c ฺ
Copyright © 2012,
e t oe/ou suas empresas afiliadas. Todos os direitos reservados.
t
o ( ense
i k licrede de armazenamento com suporte no Database Machine devido ao
Teé a única
A InfiniBand
o
seuic
ecn
desempenho e histórico operacional comprovado na computação de alto desempenho. A
T InfiniBand é semelhante à Ethernet normal, mas é muito mais rápida. Ela tem a eficiência de
uma SAN, usando os recursos de cópia zero e reserva de buffer. Cópia zero significa que os
dados são transferidos pela rede sem cópias intermediárias do buffer nas várias camadas de
rede. A reserva do buffer é usada de forma que o hardware sabe exatamente onde colocar
buffers com antecedência. Trata-se de duas características importantes, que diferenciam a
InfiniBand da Ethernet normal.
O protocolo Zero Data loss UDP (ZDP) é usado em conjunto com a InfiniBand. O ZDP é um
software de código-fonte aberto desenvolvido pela Oracle. Ele é semelhante ao UDP, porém,
mais confiável. Seu nome técnico completo é RDS (Reliable Datagram Sockets) V3. O
protocolo ZDP apresenta um overhead de CPU muito baixo, com testes mostrando uma
utilização de apenas 2% da CPU na transferência de 1 GB/s de dados.
A InfiniBand fornece uma estrutura de rede unificada para o armazenamento do Database
Machine e a interconexão do Oracle RAC. Isso resulta em uma configuração mais fácil, bem
como em menos cabos e switches. A rede InfiniBand do Database Machine também pode ser
usada para conectividade externa de alto desempenho, como, por exemplo, para conectar
servidores de backup, servidores ETL e bibliotecas de fita. Além disso, ela é usada para
conectar o Oracle Exalogic Elastic Cloud, fornecendo conectividade de alto desempenho
entre as aplicações do middle-tier e os bancos de dados hospedados no Database Machine.
Workshop de Administração do Exadata Database Machine 2 - 20
Visão Geral do Suporte ao Database Machine

Ofertas de Suporte Principais Recursos


Unauthorized reproduction or distribution prohibitedฺ Copyright© 2013, Oracle and/or its affiliatesฺ

• Incluída com o Database Machine, duração de um ano


• Acesso Web permanente, acesso por telefone em horário comercial local
Oracle Hardware
• Reposta em quatro horas durante o horário comercial normal
Warranty
• Resposta no local e troca de peças em dois dias úteis, sujeito à
disponibilidade e ao local
• Suporte ao Oracle Database e ao software de célula do Exadata
Oracle Premier • Acesso Web em qualquer horário ou acesso por telefone
Support • Aprimoramentos, correções e upgrades de software
• Ferramentas proativas, incluindo alertas e orientação sobre configuração
r a ble
• Suporte a hardware e firmware de servidor e de armazenamento; inclui
Oracle Linux n s fe o
Oracle Premier
• Acesso Web em qualquer horário ou acesso por telefone -tr
a
Support for Systems
• Resposta de hardware no local em duas horas se onDatabase o n Machine
estiver em uma área de cobertura de serviço deaduas horas

) h ascom falhasฺ
Oracle Customer Data
• Fornece substituições de unidades de
• O cliente retém as unidades de disco b
ฺ Gur disco
com i
falhasd e
and Device Retention
• Fornece segurança adicional o m
c edados
para t sensíveis
o ฺ n
t eik Stud
Consulte também http://www.oracle.com/support/policies.html
o r te@ this
s p use
uOracle
c ฺ
Copyright © 2012,
e t oe/ou suas empresas afiliadas. Todos os direitos reservados.
t
o ( ense
i k
e umliconjuntoc
A Oracleo Tfornece completo e integrado de ofertas de suporte ao Database
n i c
Machine. Os clientes podem usar um único ponto de contato para acessar todos os serviços
T e c
de suporte destacados no slide. Também há um único ponto de responsabilidade, o que
significa que os problemas nunca permanecerão sem solução enquanto organizações de
suporte separadas aguardam o andamento entre si.
Os serviços de suporte destacados no slide são modulares, de forma que os clientes podem
escolher o nível correto de suporte para as suas necessidades. A Oracle Hardware Warranty
está incluída em cada Database Machine e é o nível mínimo de suporte. Em geral, o
Database Machine é implantado para aplicações importantes de negócio em escala
corporativa e, nesses casos, a Oracle recomenda que os clientes adquiram o Oracle Premier
Support e o Oracle Premier Support for Systems. O Oracle Customer Data and Device
Retention é recomendado quando os requisitos de segurança ou de privacidade obrigam
os clientes a garantir que dados sensíveis nunca deixem a empresa.
Além das ofertas de suporte destacadas aqui, a Oracle oferece serviços de instalação e de
configuração do Database Machine. Esses serviços são altamente recomendados para
garantir um início eficiente e sem problemas do Database Machine. Há serviços adicionais
para ajudar os clientes com upgrades de Quarter Rack para Half Rack ou de Half Rack para
Full Rack. Um serviço especializado também está disponível para os clientes que desejarem
interconectar vários racks do Database Machine.

Workshop de Administração do Exadata Database Machine 2 - 21


Vantagens do Database Machine para
Data Warehousing
• Blocos modulares de células de armazenamento são organizados
Unauthorized reproduction or distribution prohibitedฺ Copyright© 2013, Oracle and/or its affiliatesฺ

em uma grade de armazenamento paralela fornecendo elevado


throughput de entrada/saída
• A rede de armazenamento InfiniBand é muito mais rápida do que
as redes de armazenamento SAN tradicionais, o que ajuda a
atingir o potencial da grade de armazenamento
• O processamento de consultas é movido para o armazenamento a
fim de reduzir drasticamente os dados enviados aos servidores e,rabl
e
ao mesmo tempo, aliviar a carga das CPUs dos servidores nsf
e
• A compressão EHCC (Exadata Hybrid Columnar Compression) n - tra
reduz o número de entradas/saídas físicas para a no
varreduras de
a s
h eฺ
tabelas grandes r )
• A consulta paralela na memória é uma m b
ฺ eficiente
u idestratégia
G
ฺco denot Exadata Storage
o
alternativa de consulta que complementa
k
Server t ei Stu
@ s r te thi
o
p use
uOracle
c ฺ s
Copyright © 2012,
t oe/ou suas empresas afiliadas. Todos os direitos reservados.
t e
i k o ( ense
Uma dasT
e ic
principais lvantagens do Database Machine é permitir o desempenho máximo das
i c o
aplicações de data warehousing. A maioria dos ganhos de desempenho resulta da arquitetura
e c
e
ndos recursos exclusivos associados à grade do Exadata Storage Server no Database
T Machine.
Essa grade trata de três dimensões importantes de entrada/saída de banco de dados que
podem afetar o desempenho do data warehouse:
• O Exadata Storage Server suporta inerentemente uma arquitetura paralela, que fornece
inúmeras conexões para transportar mais dados a uma velocidade maior entre os
servidores de armazenamento e os servidores de banco de dados. Cada Database
Machine contém entre três e 14 células do Exadata, cada uma com 12 discos físicos, o
que permite oferecer o elevado throughput de entrada/saída necessário para satisfazer a
consultas grandes de data warehousing.
• A rede de armazenamento do Database Machine é construída usando pipes amplos que
fornecem larguras de banda extremamente alta entre os servidores de armazenamento e
os servidores de banco de dados. O Database Machine usa a InfiniBand como a rede de
armazenamento, oferecendo um throughput de 40 Gb/s com uma latência muito baixa.
Essa largura de banda é muito maior do que a fornecida pelas redes de armazenamento
SAN tradicionais.
• O Exadata Storage Server é database-aware e é capaz de enviar apenas os dados
necessários para satisfazer às solicitações SQL, o que resulta no envio de um menor
volume de dados entre os servidores de armazenamento e os servidores de banco de
dados.
Workshop de Administração do Exadata Database Machine 2 - 22
Essencialmente, a grade do Exadata Storage Server no Database Machine reduz o volume
de dados transportados e move-os com mais rapidez quando comparada a outros sistemas
baseados no armazenamento SAN tradicional.
O Exadata Storage Server fornece recursos adicionais que podem melhorar ainda mais o
desempenho do data warehouse.
A compressão EHCC (Exadata Hybrid Columnar Compression) oferece níveis muito alto
Unauthorized reproduction or distribution prohibitedฺ Copyright© 2013, Oracle and/or its affiliatesฺ

de compactação de dados implementada no Exadata Storage Server. Ela se beneficia de


varreduras de grande escala, normalmente usadas em data warehousing, varrendo, de forma
eficiente, grandes volumes de dados, com uma fração das entradas/saídas. Relações de
compactação de 10 para 1 são comuns, o que significa que uma tabela de 10 TB pode ser
varrida usando 1 TB de entradas/saídas do disco.
A total integração entre o Oracle Database e o Exadata Storage Server resulta em uma
plataforma inteligente para data warehousing. A solução completa usa uma variedade de
tecnologias para produzir o melhor resultado, não se baseia em apenas uma abordagem le
para solucionar o problema. Um exemplo disso é o novo recurso de consulta paralela na
fe rab
memória do Oracle Database 11g Release 2.
tra ns
n -
Normalmente, o Smart Scan seria usado para executar partes de uma consulta no Exadata
no
Storage Server e retornar o volume mínimo de dados para o servidor de banco de dados. Em
a
a s
alguns casos, no entanto, pode ser mais eficiente ler todos os dados solicitados na memória
h eฺ
r )
ฺ Guid
nos servidores de banco de dados e processar a consulta dessa forma.
b
m
k o ฺco defísica
A consulta paralela na memória aperfeiçoa o desempenho
ntdaadicional
consulta, minimizando ou
t e i
até mesmo eliminando completamente a entrada/saída
t u de uma consulta
específica. O Oracle Database decide,
e @de forma i s Sautomática, se um objeto acessado com
r t
o sdo
uma execução paralela se beneficiará h
tarmazenamento no cache do buffer do banco de
u
dados. A decisão de armazenar
p
s to uum
e
objeto no cache é baseada em um conjunto bem definido
c ฺ
o (te ontamanho
de heurísticas, incluindo
s e do objeto e a frequência em que ele é acessado.
A consulta e
T ik lnaicmemória
paralela e aproveita a memória agregada em todo um cluster de banco
de dados
i c o para operações paralelas, permitindo o dimensionamento, uma vez que o número
n
Tec
de nós em um cluster aumenta. Em um ambiente Oracle RAC, o Oracle Database mapeia
fragmentos do objeto em cada um dos caches do buffer, nas instâncias ativas. Com a criação
desse mapeamento, o Oracle Database sabe qual cache do buffer acessar para encontrar
uma parte ou partição específica de um objeto. Usando essas informações, o Oracle
Database evitará que várias instâncias leiam as mesmas informações do disco
repetidamente, maximizando, dessa forma, a quantidade de memória que pode ser usada
para armazenar os objetos no cache.
A consulta paralela na memória complementa muito bem o Exadata Storage Server. Com
essa combinação, algumas consultas podem ser executadas de forma eficiente com pouca
ou nenhuma entrada/saída adicional, retendo as tabelas no cache de buffer do banco de
dados, enquanto outras podem tirar proveito da funcionalidade do Smart Scan no Exadata
Storage Server.

Workshop de Administração do Exadata Database Machine 2 - 23


Vantagens do Database Machine para OLTP

• Blocos modulares de células de armazenamento são


organizados em uma grade de armazenamento paralela
Unauthorized reproduction or distribution prohibitedฺ Copyright© 2013, Oracle and/or its affiliatesฺ

fornecendo elevado throughput de entrada/saída


• A rede de armazenamento InfiniBand é muito mais rápida do
que as redes de armazenamento SAN tradicionais, o que ajuda
a atingir o potencial da grade de armazenamento
• Servidores de banco de dados balanceados e eficientes com
grandes volumes de RAM ajudam a suportar grandes
populações de usuários e grandes caches de buffer de banco de r a ble
dados n s fe
n - tra
• O Exadata Smart Flash Cache fornece um cache secundário
n o de
a
alto desempenho para objetos acessados coms frequência, o que
h a ฺ
r)
é excelente para absorver consultas aleatórias drepetidas
e ฺb Gui
m
Centenas de
k o ฺco dent Dezenas de Milhares
Entradas/Saídas
t e i t u de Entradas/Saídas
por Segundo
r t e @ his S por Segundo

u p o se t
c ฺs Oracletoe/ouusuas empresas afiliadas. Todos os direitos reservados.
Copyright © 2012,
e
t
o ( ense
i k lic
e características
Algumas o Tdas fundamentais da arquitetura do Database Machine que são
i c
n para o data warehousing são igualmente relevantes e vantajosas para o OLTP (Online
úteis
T e c
Transaction Processing). A rede InfiniBand de alto desempenho e baixa latência, usada em
conjunto com a arquitetura intensamente paralela da grade de armazenamento do Database
Machine, é ideal para suportar milhares de usuários simultâneos.
Além disso, os servidores de banco de dados do Database Machine foram projetados para
serem eficientes e balanceados. Eles contêm volumes significativos de RAM, até 2 TB por
servidor no Database Machine X2-8, para suportar grandes números de conexões de cliente
e grandes caches de buffer, o que é vantajoso para o desempenho do OLTP.
Por fim, a introdução do Exadata Smart Flash Cache é particularmente benéfica ao
desempenho do OLTP. O Exadata Smart Flash Cache permite que cada célula do Exadata
faça transmissões de até 100.000 IOPS. Portanto, para as leituras aleatórias repetidas
frequentemente associadas às aplicações OLTP, o Exadata Smart Flash Cache fornece um
cache secundário, permitindo que lookups mais rápidos sejam executados nos dados que
não estão no cache de buffer do banco de dados. Além disso, o Oracle Database e o
Exadata Smart Flash Cache funcionam em uma sólida integração. Essa cooperação
otimiza o uso do Smart Flash Cache de forma que somente os dados acessados com
mais frequência e sensíveis ao desempenho são armazenados no cache. Os usuários
têm maior controle de quais objetos de banco de dados devem ser armazenados no cache
em detrimento de outros, e quais não devem ser armazenados no cache de forma alguma.
Workshop de Administração do Exadata Database Machine 2 - 24
Questionário

Quantos Exadata Storage Servers existem em um Database


Unauthorized reproduction or distribution prohibitedฺ Copyright© 2013, Oracle and/or its affiliatesฺ

Machine Full Rack, Half Rack e Quarter Rack?


a. 16, 8, 4
b. 14, 7, 3
c. 12, 6, 3
d. 8, 4, 2
le
fe rab
tr ans
n -
a no
a
h eฺ s
r
ฺ Guid
b )
m
k o ฺco dent
t ei Stu
o r te@ this
s p use
uOracle
c ฺ
Copyright © 2012,
e t oe/ou suas empresas afiliadas. Todos os direitos reservados.
t
o ( ense
i k lic
Resposta:
o Tbe
e c nic
T

Workshop de Administração do Exadata Database Machine 2 - 25


Questionário

Quais são as três vantagens exclusivas do Exadata Storage


Unauthorized reproduction or distribution prohibitedฺ Copyright© 2013, Oracle and/or its affiliatesฺ

Server em relação aos servidores de armazenamento


tradicionais?
a. Discos maiores
b. Recursos de armazenamento inteligente
c. Maior largura de banda da rede de armazenamento
d. Maior capacidade de RAM r a ble
n s fe
e. Gerenciamento integrado de recursos de entrada/saída
tra de
n -
banco de dados no a
a
h eฺ s
r
ฺ Guid
b )
m
k o ฺco dent
t ei Stu
o r te@ this
s p use
uOracle
c ฺ
Copyright © 2012,
e t oe/ou suas empresas afiliadas. Todos os direitos reservados.
t
o ( ense
i k
e c, e lic
Resposta:
o Tb,
e c nic
T

Workshop de Administração do Exadata Database Machine 2 - 26


Resumo

Nesta lição, você aprendeu a:


Unauthorized reproduction or distribution prohibitedฺ Copyright© 2013, Oracle and/or its affiliatesฺ

• Fornecer uma descrição geral do Exadata Storage Server


e das diferentes configurações do Database Machine
• Descrever as principais especificações de capacidade e
desempenho do Database Machine
• Descrever as principais vantagens associadas ao
le
Database Machine
fe rab
tr ans
n -
a no
a
h eฺ s
r
ฺ Guid
b )
m
k o ฺco dent
t ei Stu
o r te@ this
s p use
uOracle
c ฺ
Copyright © 2012,
e t oe/ou suas empresas afiliadas. Todos os direitos reservados.
t
o ( ense
i k lic
o Te
ic
Tecn

Workshop de Administração do Exadata Database Machine 2 - 27


Unauthorized reproduction or distribution prohibitedฺ Copyright© 2013, Oracle and/or its affiliatesฺ

Tecn
ic
oT e i
( t
ฺ s
ko licen
o r
ec se to
t
up use
k o
te@ this
ei Stu
m b r )
ฺco dent
a s
ฺ Guid
a
h eฺ
no n - tr
a
ns fe rab
le
Unauthorized reproduction or distribution prohibitedฺ Copyright© 2013, Oracle and/or its affiliatesฺ

Arquitetura do Exadata Database Machine

le
fe rab
tr ans
n -
a no
a
h eฺ s
r
ฺ Guid
b )
m
k o ฺco dent
t ei Stu
o r te@ this
s p use
uOracle
c ฺ
Copyright © 2012,
e t oe/ou suas empresas afiliadas. Todos os direitos reservados.
t
o ( ense
i k lic
o Te
ic
Tecn
Objetivos

Após concluir esta lição, você será capaz de:


Unauthorized reproduction or distribution prohibitedฺ Copyright© 2013, Oracle and/or its affiliatesฺ

• Descrever a arquitetura de rede do Database Machine


• Descrever a arquitetura de software do Database Machine
• Descrever as entidades de armazenamento do Exadata
Storage Server e seus relacionamentos
• Descrever como vários Database Machines podem ser
interconectados r a ble
e s f
tra n
n on-
s a
) a
h eฺ
r
ฺ Guid
b
m
k o ฺco dent
t ei Stu
o r te@ this
s p use
uOracle
c ฺ
Copyright © 2012,
e t oe/ou suas empresas afiliadas. Todos os direitos reservados.
t
o ( ense
i k lic
o Te
ic
Tecn

Workshop de Administração do Exadata Database Machine 3 - 2


Visão Geral da Arquitetura do Database Machine

O Database Machine fornece uma plataforma de


Unauthorized reproduction or distribution prohibitedฺ Copyright© 2013, Oracle and/or its affiliatesฺ

elevado desempenho altamente disponível para


o Oracle Database, com base na arquitetura
clusterizada suportada pelo Oracle RAC. Os
principais componentes incluem:
• Armazenamento compartilhado avançado e
inteligente fornecido pelo Exadata Storage
Server
r a ble
• Espelhamento do armazenamento fornecido
n s fe
pelo ASM
n - tra
• Rede de armazenamento e interconexão de
a no
cluster de alta largura de banda e baixa has
latência baseadas na tecnologia InfiniBandr ) d e ฺ
m b
ฺ Gu i
o
c ente
• Servidores de banco de dados ฺeficientes
k o
balanceados unidos em um teiclustertud
@ his S
r t
o se te
u p
c ฺs Oracletoe/ouusuas empresas afiliadas. Todos os direitos reservados.
Copyright © 2012,
e
t
o ( ense
i k
TeMachinelicfornece uma plataforma resiliente de alto desempenho para
O Database
o
ic
ecn
implementações clusterizadas e não-clusterizadas do Oracle Database. A arquitetura
T fundamental subjacente ao Database Machine é a mesma arquitetura básica na qual o
software Oracle RAC (Real Application Clusters) se baseia. Os principais elementos da
arquitetura do Database Machine são apresentados a seguir e mais detalhes são fornecidos no
restante desta lição:
• Armazenamento compartilhado: o Database Machine fornece armazenamento
compartilhado inteligente e de alto desempenho para implementações de uma única
instância e RAC do Oracle Database usando a tecnologia Exadata Storage Server. O
armazenamento fornecido pelos Exadata Storage Servers é disponibilizado para os
bancos de dados Oracle por meio do recurso ASM (Automatic Storage Management) do
Oracle Database. O ASM adiciona resiliência ao armazenamento do Exadata Database
Machine fornecendo um esquema de espelhamento que pode ser usado para manter
cópias redundantes dos dados em Exadata Storage Servers separados. Isso garante
proteção contra a perda de dados em caso de perda de um servidor de armazenamento.
A proteção normal garante que duas cópias dos dados sejam mantidas em Exadata
Storage Servers separados, enquanto a proteção de alto nível mantém três cópias dos
dados em três Exadata Storage Servers distintos.

Workshop de Administração do Exadata Database Machine 3 - 3


• Rede de armazenamento: o Database Machine contém uma rede de armazenamento
baseada na tecnologia InfiniBand. Isso permite acesso com alta largura de banda e
baixa latência aos Exadata Storage Servers. A tolerância a falhas é incorporada na
arquitetura de rede por meio de vários switches de rede redundantes e do acoplamento
de interfaces de rede.
• Cluster de servidores: os servidores de banco de dados do Database Machine foram
projetados para serem eficientes e balanceados de modo que não haja gargalos na
Unauthorized reproduction or distribution prohibitedฺ Copyright© 2013, Oracle and/or its affiliatesฺ

arquitetura do servidor. Eles são equipados com todos os componentes necessários


para o Oracle RAC, permitindo que os clientes implantem facilmente o Oracle RAC em
um único Database Machine. Quando os requisitos de processamento excedem a
capacidade de um único Database Machine, os clientes podem unir vários Database
Machines a fim de criar um cluster de servidores unificado.
• Interconexão de cluster: as características de alta largura de banda e baixa latência
da InfiniBand são ideais para os requisitos da interconexão de cluster. Por esse motivo,
le
o Database Machine é configurado, por default, para também usar o armazenamento
de rede InfiniBand como a interconexão de cluster. fe rab
• tra ns
Cache compartilhado: em um ambiente RAC, os caches de buffer de instância são
n -
a no
compartilhados. Se uma instância tiver em seu cache um item de dados necessário
a outra instância, esses dados serão enviados para o nó adequado por meio da
a s
h eฺ
interconexão de cluster. Esse atributo-chave da arquitetura RAC melhora
)
b r
ฺ Guid
significativamente o desempenho, uma vez que a transferência de informações entre
m
k o ฺco dent
memórias por meio da interconexão é muito mais rápida do que a gravação e a leitura
ei Stu
das informações com o uso do disco. Com o Database Machine, o recurso de cache
t
tecnologia InfiniBand. o r te@ this
compartilhado usa a interconexão de cluster de alto desempenho baseada na

ฺ s up use
( t ec se to
e i ko licen
o T
ic
Tecn

Workshop de Administração do Exadata Database Machine 3 - 4


Arquitetura de Rede do Database Machine
Unauthorized reproduction or distribution prohibitedฺ Copyright© 2013, Oracle and/or its affiliatesฺ

le
fe rab
tr a ns
n -
no a
a
h eฺ s
r
ฺ Guid
b )
m
k o ฺco dent
t ei Stu
o r te@ this
s p use
uOracle
c ฺ
Copyright © 2012,
e t oe/ou suas empresas afiliadas. Todos os direitos reservados.
t
o ( ense
i k ic slide mostra como os principais componentes do Database Machine
Tecontidolno
O diagrama
o
icestão conectados entre si. O diagrama mostra o hardware KVM, o Ethernet switch, as
ecn
X2-2
T PDUs (Power Distribution Units) e os InfiniBand switches. Para fins de clareza, somente um
servidor de banco de dados e um servidor Exadata são mostrados. O Database Machine
contém três tipos de rede:
• Gerenciamento/ILOM: trata-se de uma rede Ethernet/IP padrão usada para gerenciar o
Database Machine. Com essa rede, os administradores podem acessar os servidores
de banco de dados e os Exadata Storage Servers usando o hardware KVM ou recursos
de login remoto, como o SSH (Secure Shell). Os servidores de banco de dados e os
Exadata Storage Servers também fornecem uma interface Ethernet para o ILOM
(Integrated Lights-Out Management). O ILOM fornece um poderoso conjunto de
recursos de administração remota. Utilizando o ILOM, os administradores podem
monitorar e controlar, de forma remota, o estado do hardware do servidor. Os InfiniBand
switches e as PDUs também fornecem portas Ethernet para fins de gerenciamento e
monitoramento remotos.
• Acesso do Cliente: trata-se também de uma rede Ethernet padrão, que é usada
principalmente para fornecer conectividade de banco de dados por meio do software
Oracle Net. Na configuração inicial do Database Machine, os clientes podem optar por
configurar os servidores de banco de dados com uma única interface de rede do cliente
(NET1) ou configurar uma interface de rede acoplada (usando NET1 e NET2).
Workshop de Administração do Exadata Database Machine 3 - 5
Uma interface de rede de acesso do cliente acoplada poderá oferecer proteção se
ocorrer uma falha na interface de rede. No entanto, o uso de interfaces acopladas pode
exigir configurações adicionais na rede do cliente. Cada servidor de banco de dados
X2-2 também contém uma porta Ethernet sobressalente (NET3) que pode ser usada
para configurar uma rede adicional de acesso do cliente.
Cada servidor de banco de dados X2-2 também é dotado de duas interfaces Ethernet
de 10 gigabits (10 GbE) que podem ser usadas para conectividade do cliente. Essas
Unauthorized reproduction or distribution prohibitedฺ Copyright© 2013, Oracle and/or its affiliatesฺ

interfaces podem estar acopladas ou conectadas a redes separadas. Os clientes devem


ter a infraestrutura de rede necessária para 10 GbE a fim de usar essas interfaces.
• InfiniBand: a rede InfiniBand fornece uma rede de armazenamento de alta velocidade
confiável e interconexão de cluster para o Database Machine. Ela também pode ser
usada para fornecer conectividade externa de alto desempenho com servidores de
backup, servidores ETL e servidores de middleware, como o Oracle Exalogic Elastic
Cloud. Cada servidor de banco de dados e Exadata Storage Server é conectado à rede
le
descrita em mais detalhes mais adiante nesta lição. fe rab
InfiniBand por meio de uma interface de rede acoplada (BONDIB0). A rede InfiniBand é

tra ns
A arquitetura de rede do Database Machine X2-8 é essencialmente a mesma do Database
n -
Machine X2-2, com as diferenças:
a no
a s
• Cada servidor de banco de dados contém dois Network Express Modules fornecendo
h eฺ
r )
um total de oito portas de rede de 10 GbE e oito portas Ethernet de 1 Gb. Isso significa
ฺ Guid
b
m
que há muito mais portas que podem ser usadas para acesso do cliente.
o ฺco dent
• Cada servidor de banco de dados é configurado com quatro interfaces de rede
k
t ei Stu
InfiniBand acopladas (BONDIB0, BONDIB1, BONDIB2, BONDIB3) que são conectadas
à rede InfiniBand.
o r te@ this
ฺ s up use
• O Database Machine X2-8 não contém hardware KVM. Em vez disso, o acesso remoto
t ec se to
à console é fornecido através da console ILOM. Os servidores também podem ser
(
e i ko licen
acessados para fins de administração por meio de recursos de login remoto, como
SSH.
o T
ic
Tecn

Workshop de Administração do Exadata Database Machine 3 - 6


Arquitetura da Rede InfiniBand
• Switches QDR (40 Gb/s) gerenciados de 36 portas Sun Datacenter.
– 2 leaf switches usados para conectar as portas InfiniBand do servidor
Unauthorized reproduction or distribution prohibitedฺ Copyright© 2013, Oracle and/or its affiliatesฺ

– 1 spine switch somente em configurações Full Rack e Half Rack


• Exadata Storage Servers e Servidores de Banco de Dados X2-2
– Cada servidor tem um HCA Infiniband QDR (40 Gb/s) de porta dupla
– Cada porta HCA é conectada a um leaf switch diferente para alta
disponibilidade
– Acoplamento ativo-passivo com um único endereço IP
le
rab
— O desempenho é limitado pelo barramento PCIe, portanto, o acoplamento
ativo-ativo não é necessário
fe
• Servidores de Banco de Dados X2-8 ns tra
n -
– Cada servidor tem quatro HCAs InfiniBand QDR (40 Gb/s)
a no de porta
dupla
) h as diferentes

– Cada par de portas HCA é conectado a leaf
ฺ b r switches
i d e para
alta disponibilidade
om nt G u
– Acoplamento ativo-passivo para ฺ c
o cadaudpare acoplado
e i k
t na fábrica t
• As conexões são cabeadas @ s S
o r te thi
s p use
uOracle
c ฺ
Copyright © 2012,
e t oe/ou suas empresas afiliadas. Todos os direitos reservados.
t
o ( ense
e i k c
DentroodoTDatabaseliMachine, a principal atribuição da rede InfiniBand é fornecer uma

e c nic
interconexão de alta disponibilidade confiável para oferecer suporte às comunicações entre o
T servidor de banco de dados e o servidor de armazenamento. Também é usada para facilitar
a comunicação e a coordenação entre os servidores de banco de dados usando os softwares
Oracle Clusterware e o Oracle RAC (Real Application Clusters). É importante observar que a
rede InfiniBand é interna ao Database Machine e não há necessidade de uma infraestrutura
InfiniBand adicional na rede do cliente.
Cada configuração do Database Machine usa, pelo menos, dois InfiniBand switches QDR (40
Gb/s) gerenciados de 36 portas Sun Datacenter. Cada servidor de banco de dados e cada
célula do Exadata é conectada aos dois switches usando uma ou mais interfaces de rede
acopladas. O acoplamento ativo-passivo e a redundância de switches garantem alta
disponibilidade. Se ocorrer uma falha no switch, a rede InfiniBand poderá ser mantida pelo
outro switch sem perda de desempenho. Os switches que conectam os servidores de banco
de dados e as células do Exadata em um rack são conhecidos como leaf switches.
As configurações Full Rack e Half Rack do Database Machine contêm um terceiro InfiniBand
switch, conhecido como spine switch. O spine switch conecta os dois leaf switches e também
é usado para conectar vários racks do Database Machine. As configurações Quarter Rack
não apresentam um spine switch.
A implementação da tecnologia InfiniBand no Database Machine usa o RDS/Open Fabrics
Enterprise Distribution (OFED) de código-fonte aberto. Os pacotes OFED são incluídos na
pilha de software do Database Machine.
Workshop de Administração do Exadata Database Machine 3 - 7
Topologia Leaf Switch Full Rack X2-2
Unauthorized reproduction or distribution prohibitedฺ Copyright© 2013, Oracle and/or its affiliatesฺ

le
fe rab
tra ns
n -
no a
a
h eฺ s
r
ฺ Guid
b )
m
k o ฺco dent
t ei Stu
o r te@ this
s p use
uOracle
c ฺ
Copyright © 2012,
e t oe/ou suas empresas afiliadas. Todos os direitos reservados.
t
o ( ense
i k c como os dois leaf switches em cada Database Machine X2-2 Full
Tedo slideliilustra
O diagrama
o
icsão conectados aos servidores de banco de dados, aos servidores do Exadata e entre
ecn
Rack
T si. Cada servidor de banco de dados e cada célula do Exadata é configurada com uma
interface de rede acoplada (BOND0) que usa as duas portas HCA InfiniBand no servidor.
É usado um acoplamento ativo/passivo. Em todos os servidores, cada porta InfiniBand é
conectada a um leaf switch diferente.
Conforme ilustrado no diagrama, em um sistema Full Rack, as conexões ativas e passivas
são distribuídas entre todos os leaf switches para fins de balanceamento da carga de
trabalho. Nas configurações Half Rack e Quarter Rack, todos os links ativos são conectados
a um leaf switch e todos os links passivos são conectados ao outro leaf switch.
Além disso, os leaf switches são conectados entre si por meio de sete links inter-switch.
Todas as conexões são pré-cabeadas na fábrica.
O Database Machine X2-8 tem essencialmente a mesma topologia ilustrada anteriormente,
porém, cada um dos dois servidores de banco de dados tem quatro interfaces de rede
acopladas (BONDIB0, BONDIB1, BONDIB2, BONDIB3) com conexões distribuídas entre os
leaf switches. Assim como no Database Machine X2-2 Full Rack, os links de servidor ativos
e passivos são distribuídos entre os leaf switches para balanceamento da carga de trabalho.
Observação: os mapeamentos de portas de switch mostrados no diagrama são apenas
ilustrativos.

Workshop de Administração do Exadata Database Machine 3 - 8


Topologia Spine e Leaf
Unauthorized reproduction or distribution prohibitedฺ Copyright© 2013, Oracle and/or its affiliatesฺ

le
fe rab
tra ns
n -
no a
a
h eฺ s
r
ฺ Guid
b )
m
k o ฺco dent
t ei Stu
o r te@ this
s p use
uOracle
c ฺ
Copyright © 2012,
e t oe/ou suas empresas afiliadas. Todos os direitos reservados.
t
o ( ense
i k c o spine switch adicionado, que existe somente nas configurações
Teno slidelimostra
O diagrama
o
Fullic
ecn
Rack e Half Rack do Database Machine. Conforme mostrado no diagrama, cada leaf
T switch é conectado ao spine switch usando um único link de rede. A finalidade do spine
switch é facilitar a conexão de vários racks, criando uma única grade de banco de dados de
grande escala.
Observação: os Quarter Racks podem ser interconectados a outros racks em situações
limitadas que são discutidas mais adiante nesta lição.

Workshop de Administração do Exadata Database Machine 3 - 9


Desempenho e Capacidade Escaláveis
Unauthorized reproduction or distribution prohibitedฺ Copyright© 2013, Oracle and/or its affiliatesฺ

le
fe rab
Escalável Redundante e Tolerante n asFalhas
r a
• Escalável para oito racks
adicionando cabos
• A falha de qualquer
é tolerada. no
n-t componente
• Escalável de 9 para 36 racks com a • Os dados s asão espelhados em
) a
h os servidoresฺ
adição de dois InfiniBand switches
ฺ b todos
r i d e de
• Escalável para centenas de m tG u
armazenamento.
servidores de armazenamento paraoฺco e n
oferecer suporte a bancos deteik tu d
dados de vários petabytes @ s S
o r te thi
s p use
uOracle
c ฺ
Copyright © 2012,
e t oe/ou suas empresas afiliadas. Todos os direitos reservados.
t
o ( ense
i k lic Full Rack e Half Rack, bem como os Racks de Expansão de
Te Machines
Os Database
o
e c nic
Armazenamento Full Rack e Half Rack, podem ser interconectados para aumentar o
T desempenho ou a capacidade de uma configuração do Database Machine de rack
único. É possível o escalonamento para até oito Full Racks com o simples acréscimo
de cabeamento entre eles. Há portas livres suficientes nos InfiniBand switches e largura
de banda suficiente para oito Database Machines Full Rack em execução no desempenho
total e com redundância completa.

Workshop de Administração do Exadata Database Machine 3 - 10


Cenários Típicos de Escalonamento
• Sistema monolítico grande:
– Vários racks do Database Machine X2-2
Unauthorized reproduction or distribution prohibitedฺ Copyright© 2013, Oracle and/or its affiliatesฺ

— Possivelmente em conjunto com Exadata Storage Expansion Racks


– Vários racks do Database Machine X2-8
— Possivelmente em conjunto com Exadata Storage Expansion Racks
• Consolidação de plataformas:
– Vários racks do Database Machine X2-2 ou X2-8
— Possivelmente em conjunto com Exadata Storage Expansion Racks
• Capacidade máxima:
le
– Um rack do Database Machine X2-2 ou X2-8 em conjunto com Exadata
fe rab
Storage Expansion Racks
a ns
• n-tr
Capacidade adicional de armazenamento de alto desempenho:
no
– Vários racks do Database Machine com discos de alto desempenho
s a
Possivelmente com os servidores de banco de dadosaadicionais

r ) h e ฺ desativados
• Armazenamento em camadas:
m ฺb Guid
– Um ou mais racks do Database Machine
k o ฺco dX2-2 e ntou X2-8 com discos de alto
desempenho, em conjunto com
t ei umSoutumais Exadata Storage Expansion
Racks
o r te@ this
s p use
uOracle
c ฺ
Copyright © 2012,
e t oe/ou suas empresas afiliadas. Todos os direitos reservados.
t
o ( ense
i k licde escalonamento são apresentados aqui. Esta não é uma lista
Cinco o Te típicos
cenários

e c nic Ela fornece apenas exemplos de situações comuns que exigem vários racks
completa.
T interconectados:
• Os sistemas monolíticos grandes podem exigir capacidade de computação, capacidade
de armazenamento ou throughput de entrada/saída maiores do que os oferecidos por
um único rack. Nesses casos, geralmente são implantados vários vários racks do
Database Machine. A implantação também poderá usar Exadata Storage Expansion
Racks para aumentar ainda mais a capacidade de armazenamento. Em um sistema
monolítico grande, uma combinação de Database Machines X2-2 e X2-8 não é
considerada, pois não é possível ter um único ambiente de banco de dados contendo
servidores de banco de dados dos racks X2-2 e X2-8.
• A consolidação de plataformas poderá reunir vários sistemas que juntos exigem
capacidade de computação, capacidade de armazenamento ou throughput de
entrada/saída maiores do que os oferecidos por um único rack. Nesses casos, podem
ser implantados vários racks do Database Machine, possivelmente em conjunto com
Exadata Storage Expansion Racks. Além disso, é possível interconectar modelos
do Database Machine X2-2 e 2-8 de modo que os bancos de dados executados
nos diferentes modelos possam compartilhar uma única grade de armazenamento
consolidada que abrange os dois tipos de racks. Em outras palavras, você poderá ter
uma única grade de armazenamento entre os dois modelos de Database Machine, mas
não uma única grade de banco de dados que abranja ambos os modelos.
Workshop de Administração do Exadata Database Machine 3 - 11
• Os requisitos de processamento de vários sistemas podem ser atendidos com um
único rack do Database Machine, entretanto, a capacidade de armazenamento do
sistema poderá ser insuficiente. Nesses casos, o rack do Database Machine poderá
ser interconectado a um ou mais Exadata Storage Expansion Racks para oferecer a
capacidade de armazenamento necessária.
• Em alguns casos, uma capacidade adicional é necessária, entretanto, discos de alto
desempenho precisarão ser usados em todo o sistema. Nessa circunstância, vários
Unauthorized reproduction or distribution prohibitedฺ Copyright© 2013, Oracle and/or its affiliatesฺ

Database Machines contendo discos de alto desempenho podem ser interconectados.


Também é possível desativar (desligar) todos os servidores de banco de dados
excedentes. Isso eliminará o consumo desnecessário de energia, bem como ajudará
a otimizar os requisitos de licença de software.
• Em várias situações, os clientes usam discos de alto desempenho em seus Database
Machines, mas desejam discos de alta capacidade para fins de backup e arquivamento
de dados on-line. Esse requisito é facilmente atendido com a adição de Exadata
le
Storage Expansion Racks aos Database Machines. Assim, o armazenamento poderá
ser configurado em camadas, de modo que todos os discos de alto desempenho dos fe rab
tra ns
Database Machines sejam alocados a grupos de discos de dados, enquanto os discos
n -
no
de alta capacidade dos racks de expansão de armazenamento podem ser alocados a
a
grupos de discos que oferecem suporte à FRA ou a outra área dedicada ao
arquivamento on-line. a
h eฺs
b r )
ฺ é orientadoid a capacidade, os
Observação: nos três últimos casos, quando o requisito m G u
clientes também podem comprar Exadata Storage
k o ฺcoServers
e n tindividuais e colocá-los em um
rack separado. Embora essa opção sejate i
possível,
S udnão é abordada em detalhes neste
ela
t
curso devido ao grande número deeopções
todos esses casos, o ambiente o r t @ tdeixará
resultante h isconfiguração
de
de ser
que poderiam ser usadas. Em
padrão e, portanto, seu suporte se
u p s e
ua Oracle recomenda interconectar os racks por meio
e ฺs motivo,
tornará mais difícil. Porcesse
t o
das técnicas padrão t
( descritas
ousando senaStorage
próxima seção desta lição, em vez de montar configurações
personalizadasi k e n
Exadata Servers individuais.
T e l ic
n i co
Tec

Workshop de Administração do Exadata Database Machine 3 - 12


Dimensionamento para Oito Racks

• Rede InfiniBand única baseada em uma topologia Fat


Unauthorized reproduction or distribution prohibitedฺ Copyright© 2013, Oracle and/or its affiliatesฺ

Tree
– Até oito racks suportados com os switches existentes
– Cabeamento de servidor de armazenamento e banco de
dados sem alterações
• Exemplo com dois racks:
le
fe rab
tr a ns
n -
no a
a
h eฺ s
r
ฺ Guid
b )
m
k o ฺco dent
t ei Stu
o r te@ this
s p use
uOracle
c ฺ
Copyright © 2012,
e t oe/ou suas empresas afiliadas. Todos os direitos reservados.
t
o ( ense
i k lic ou Half Racks são conectados para formar uma grade de banco
Quando
o Te Full Racks
vários
ic de grande escala, a rede InfiniBand é modificada tornando-se semelhante a uma
dendados
c
e
T topologia Fat Tree. As conexões dos servidores de banco de dados e de armazenamento
com os leaf switches permanecem inalteradas.
Em um Database Machine Full Rack ou Half Rack autônomo, cada leaf switch tem oito links
que o conectam ao outro leaf switch no rack (sete links) e ao spine switch (1 link). Quando
vários racks estão interconectados, esses oito links são redistribuídos para os spine switches.
O diagrama contido no slide ilustra isso usando um exemplo com dois racks. Conforme
mostrado no diagrama, os sete links inter-switch que, originalmente, conectavam os leaf
switches em cada rack foram redistribuídos para que cada leaf switch tenha quatro links
para cada spine switch. Não há links diretos entre os spine switches e entre os leaf switches.
Para conectar oito racks, os oito links entre os leaf switches e os spine switches em cada
leaf switch são configurados para fornecer exatamente um link para cada spine switch. Para
configurações entre dois e oito racks, os oito links entre os leaf switches e os spine switches
em cada leaf switch são distribuídos com o máximo de uniformidade possível entre o número
total de spine switches.
A Oracle oferece suporte à interconexão de até oito racks usando os switches existentes em
cada rack. É possível interconectar até três Database Machines usando os cabos fornecidos
pela fábrica. Para interconectar mais do que três Database Machines, é necessário adquirir
cabos adicionais.
Workshop de Administração do Exadata Database Machine 3 - 13
Dimensionamento para Mais de Oito Racks

• Rede InfiniBand única baseada em uma topologia Fat Tree


Unauthorized reproduction or distribution prohibitedฺ Copyright© 2013, Oracle and/or its affiliatesฺ

– Dimensione para 36 racks adicionando dos spine switches externos


– É adicionado um nível à topologia Fat Tree
• Exemplo:

le
fe rab
tr a ns
n -
no a
a
h eฺ s
r
ฺ Guid
b )
m
k o ฺco dent
t ei Stu
o r te@ this
s p use
uOracle
c ฺ
Copyright © 2012,
e t oe/ou suas empresas afiliadas. Todos os direitos reservados.
t
o ( ense
i k lic entre 9 e 36 racks podem ser criadas com a adição de dois spine
Te contendo
Configurações
o
e c nic externos de 36 portas. O resultado é uma única rede InfiniBand ainda baseada em
switches
T uma topologia Fat Tree. Os spine switches externos simplesmente adicionam outro nível à
árvore.
A topologia de rede estendida é criada por meio do agrupamento dos racks, de modo
que cada grupo contenha entre 2 e 8 racks. Em cada grupo, os racks são interconectados
conforme descrito na página anterior. Os grupos de racks são interconectados ainda mais
adicionando-se um link entre o spine switch em cada rack e cada um dos dois spine switches
externos. Um exemplo é mostrado no diagrama do slide.
Como são necessários hops de rede adicionais para a comunicação entre os grupos de
racks, é recomendável agrupar os racks de forma a remover todas as comunicações
desnecessárias entre os grupos. Por exemplo, faria sentido criar uma configuração
de 10 racks com um grupo contendo seis racks e outro quatro racks se os grupos não
uniformes resultassem em uma redução significativa das comunicações entre grupos
em relação a dois grupos com cinco racks cada.

Workshop de Administração do Exadata Database Machine 3 - 14


Interconectando Quarter Racks

• É possível interconectar Quarter Racks nas seguintes situações


Unauthorized reproduction or distribution prohibitedฺ Copyright© 2013, Oracle and/or its affiliatesฺ

limitadas:
– Interconectar dois Quarter Racks
— Conecte cada leaf switch em cada Quarter Rack aos dois leaf switches
no outro rack usando dois links para cada conexão
– Conectar um Quarter Rack a um Half Rack ou a um Full Rack
— Conecte cada leaf switch no Quarter Rack aos dois leaf switches no
outro rack usando dois links para cada conexão le
– Conectar um Quarter Rack a um grupo de até oito racks fe rab
interconectados
tr a ns
n -

Rack no
Remova os sete links inter-switch entre os leaf switches no Quarter
a
a
h eฺ s
Conecte cada leaf switch no Quarter Rack a cada spine switch nos

outros racks r
ฺ Guid
b )
m
Use dois links para cada conexão

k o ฺcseosehouver
houvertaté quatro racks adicionais
d e nmais de quatro racks adicionais
— i
Use um link para cada conexão
te Stu
r @
te this
o
p use
uOracle
c ฺ s
Copyright © 2012,
t oe/ou suas empresas afiliadas. Todos os direitos reservados.
t e
i k o ( ense
É possível
o lic Quarter Racks nas seguintes situações limitadas. Observe que,
Teinterconectar
ic contexto, um Quarter Rack poderá ser um Database Machine Quarter Rack ou um
ecn
neste
T Rack de Expansão de Armazenamento Quarter Rack:
• Interconectar dois Quarter Racks: para isso, conecte cada leaf switch em cada
Quarter Rack aos dois leaf switches no outro rack. São usados dois links para cada
conexão inter-switch entre os racks. Os sete links inter-swicth existentes entre os leaf
switches permanecem inalterados.
• Conectar um Quarter Rack a um Half Rack ou a um Full Rack: para isso, conecte
também cada leaf switch no Quarter Rack aos dois leaf switches no outro rack.
São usados dois links para cada conexão inter-switch entre os racks. Os sete links
inter-swicth existentes entre os leaf switches permanecem inalterados. O spine switch
no Half Rack ou no Full Rack e os respectivos links no rack também permanecem
inalterados.

Workshop de Administração do Exadata Database Machine 3 - 15


• Conectar um Quarter Rack a um grupo de até oito racks interconectados: para
esta configuração, o grupo de outros racks interconectados deve atender aos seguintes
requisitos:
- Ele deve conter apenas Half Racks ou apenas Full Racks; uma combinação de
Half Racks e Full Racks não é permitida.
- O grupo de outros racks deve estar interconectado por meio da topologia Fat Tree
descrita anteriormente nesta lição.
Unauthorized reproduction or distribution prohibitedฺ Copyright© 2013, Oracle and/or its affiliatesฺ

Pressupondo que os requisitos sejam atendidos, o Quarter Rack poderá ser


interconectado ao grupo usando o seguinte procedimento:
- Remova os sete links inter-swicth entre os leaf switches no Quarter Rack.
- Conecte cada leaf switch no Quarter Rack a cada spine switch nos outros racks
Use dois links para cada conexão se o Quarter Rack estiver sendo conectado a
um grupo de até quatro racks. Use um link para cada conexão se houver mais de
quatro racks adicionais. le
fe rab
tra ns
n -
a no
a s
h eฺ
r )
ฺ Guid
b
m
k o ฺco dent
t ei Stu
o r te@ this
ฺ s up use
( t ec se to
e i ko licen
o T
ic
Tecn

Workshop de Administração do Exadata Database Machine 3 - 16


Conectividade Externa da Rede InfiniBand

• Seis portas em cada leaf switch são reservadas para


Unauthorized reproduction or distribution prohibitedฺ Copyright© 2013, Oracle and/or its affiliatesฺ

conectividade externa
• As portas de conectividade externa podem ser usadas
para:
– Conectar a servidores de mídia para fins de backup em fita
– Conectar a servidores ETL externos
le
– Acesso de clientes ou aplicações
fe rab
— Incluindo o Oracle Exalogic Elastic Cloud
ra ns
• Use interfaces de rede acopladas do dispositivoon -t
externo
para garantir alta disponibilidade a n
s a
ha leaf eswitches
– Conecte cada um dos links acopladosr ) d ฺ
ฺ b i
separados om t Gu
i k oฺc uden
@ te St
o r te this
s p use
uOracle
c ฺ
Copyright © 2012,
e t oe/ou suas empresas afiliadas. Todos os direitos reservados.
t
o ( ense
i k c switch são reservadas para conectividade externa. Essas portas
Teem cadalileaf
Seis portas
o
e c nic ser usadas para conectar os Database Machines diretamente aos servidores de mídia
podem
T usados para gerenciar dispositivos de armazenamento off-line, como bibliotecas de fitas. A
rede InfiniBand também pode ser utilizada para fornecer conectividade de alto desempenho
com servidores ETL associados a um data warehouse ou com servidores de middleware
associados a uma aplicação de negócios sensível ao desempenho.
É recomendável usar interfaces de rede acopladas no cliente ou no servidor externo, com
cada interface acoplada conectada a um leaf switch separado. O acoplamento ativo-passivo
deve ser usado para garantir a continuidade em caso de falha em um switch ou porta. Essa
recomendação indica que os clientes e os servidores externos se conectam à rede InfiniBand
essencialmente da mesma maneira que os servidores de banco de dados do Database
Machine e os Exadata Storage Servers.

Workshop de Administração do Exadata Database Machine 3 - 17


Visão Geral da Arquitetura de Software do
Database Machine
BD de única instância BD para RAC
Servidor de banco Servidor de banco Servidor de banco
de dados de dados de dados Enterprise
Unauthorized reproduction or distribution prohibitedฺ Copyright© 2013, Oracle and/or its affiliatesฺ

Instância de Instância de Instância de Manager


banco de dados banco de dados banco de dados
DBRM DBRM DBRM
Único ASM ASM
ASM
cluster ASM
LIBCELL LIBCELL LIBCELL

Protocolo le
iDB pela
Rede de Armazenamento InfiniBand
fe rab
InfiniBand com
Failover de
tr ans
Caminho Oracle Linux Oracle Linux n -
Oracle Linux
Controle de Células
CELLSRV CELLSRV a MS
CELLSRV
no
CLI MS MS
a
h IORMs
(cellcli/dcli)
IORM IORM r ) d e ฺ RS
SSH
RS RS
m b
ฺ Gu i
o
ฺc dent
k o
Célula do Exadata t eido Exadata
Célula S tu Célula do Exadata
e @
rt e th i s
p o s empresas afiliadas. Todos os direitos reservados.
c ฺ suOracletoe/ouusuas
Copyright © 2012,

o (te nse
k lice
eide
o T
A arquitetura software do Exadata Database Machine inclui componentes do servidor
i c
ecn
de banco de dados e da célula do Exadata. A arquitetura geral é ilustrada no slide. Os
T componentes a seguir residem no servidor de banco de dados:
• Os clientes podem escolher o Oracle Linux x86_64 ou o Solaris 11 Express for x86
como o sistema operacional dos servidores de banco de dados do Exadata Database
Machine.
• Os servidores de banco de dados do Database Machine executam o Oracle Database
11g Release 2. A release do patch específica do software do Oracle Database deve
ser compatível com o software do Exadata Storage Server e outros componentes de
software do Database Machine. My Oracle Support bulletin 888828.1 contém uma lista
atualizada das versões suportadas desses componentes.
• O ASM (Automatic Storage Management) é solicitado e fornece um sistema de arquivos
e um gerenciador de volume otimizados para o Oracle Database.

Workshop de Administração do Exadata Database Machine 3 - 18


• O Oracle Database se comunica com as células do Exadata usando uma biblioteca
especial chamada LIBCELL ($ORACLE_HOME/lib/libcell11.so). Em conjunto
com o kernel do banco de dados e o ASM, a LIBCELL mapeia de forma transparente
as operações de entrada/saída do banco de dados para operações avançadas do
Exadata Storage Server. A LIBCELL se comunica com as células do Exadata usando
o protocolo iDB (Intelligent Database). O iDB é um protocolo de transferência de dados
exclusivo da Oracle, baseado no RDS (Reliable Datagram Sockets), que é executado
Unauthorized reproduction or distribution prohibitedฺ Copyright© 2013, Oracle and/or its affiliatesฺ

no hardware de rede InfiniBand padrão do setor. A LIBCELL e o iDB permitem que as


instâncias ASM e do banco de dados utilizem os recursos do Exadata Storage Server,
como Smart Scan e I/O Resource Management.
• O DBRM (Database Resource Manager) está integrado ao IORM (Exadata Storage
Server I/O Resource Management). O DBRM e o IORM funcionam em conjunto para
garantir que os recursos de entrada/saída sejam alocados com base nas prioridades
definidas pelo administrador.
le
Observação: o slide ilustra a configuração recomendada na qual um único cluster ASM
é usado para consolidar o armazenamento para todos os seus bancos de dados. Como fe rab
tra ns
alternativa, você pode conectar vários ambientes ASM separados com grupos de discos
n -
distintos a um pool de Exadata Storage Servers.
a no
a s
h eฺ
r )
ฺ Guid
b
m
k o ฺco dent
t ei Stu
o r te@ this
ฺ s up use
( t ec se to
e i ko licen
o T
ic
Tecn

Workshop de Administração do Exadata Database Machine 3 - 19


Visão Geral da Arquitetura de Software do
BD de única instância
Database Machine
BD para RAC
Servidor de Servidor de Servidor de
banco de dados banco de dados banco de dados Enterprise
Unauthorized reproduction or distribution prohibitedฺ Copyright© 2013, Oracle and/or its affiliatesฺ

Instância de Instância de Instância de Manager


banco de dados banco de dados banco de dados
DBRM DBRM DBRM
Único ASM ASM
ASM
cluster ASM
LIBCELL LIBCELL LIBCELL

Protocolo le
iDB pela
Rede de Armazenamento InfiniBand
fe rab
InfiniBand com
Failover de
tr ans
Caminho Oracle Linux Oracle Linux n -
Oracle Linux
Controle de
CELLSRV CELLSRV CELLSRV
no
a MS
Células CLI MS MS
a
h IORMs
(cellcli/dcli)
IORM IORM r ) d e ฺ RS
SSH
RS RS
m b
ฺ Gu i
o
ฺc dent
k o
Célula do Exadata t ei do Exadata
Célula S tu Célula do Exadata
e @
rt e th i s
p o s empresas afiliadas. Todos os direitos reservados.
c ฺ suOracletoe/ouusuas
Copyright © 2012,

o (te nse
T eik de software
Os componentes l ice contidos em cada célula do Exadata incluem:
o
• icO Oracle Linux x86_64 é o sistema operacional do Exadata Storage Server.
ec n
T • O CELLSRV (Cell Server) é o principal componente de software do Exadata Storage Server e
oferece a maior parte dos serviços de armazenamento do Exadata. O CELLSRV é um servidor
multithread. O CELLSRV atende a solicitações de blocos simples, como leituras do cache de
buffer do banco de dados, e a solicitações do Smart Scan, como varreduras de tabelas com
projeções e filtros. O CELLSRV também implementa o IORM, que funciona junto com o DBRM a
fim de medir a largura de banda de entrada/saída para os diversos bancos de dados e grupos de
consumidores que emitem entradas/saídas. Finalmente, o CELLSRV coleta várias estatísticas
relacionadas às suas operações. Os processos do Oracle Database e do ASM usam a
LIBCELL para se comunicar com o CELLSRV, e a LIBCELL converte as solicitações de
entrada/saída em mensagens que são enviadas para o CELLSRV por meio do protocolo iDB.
• O MS (Management Server) fornece as funções de configuração e gerenciamento de células do
Exadata. Ele opera em conjunto com o utilitário CellCLI (cell command-line interface) do
Exadata. Cada célula é gerenciada individualmente com o CellCLI. O utilitário CellCLI pode ser
usado somente em uma célula para gerenciar essa célula; no entanto, é possível executar o
mesmo comando CellCLI remotamente em várias células com o utilitário dcli. Além disso, o MS
é responsável pelo envio de alertas e pela coleta de algumas estatísticas, além das reunidas
pelo CELLSRV.
• O RS (Restart Server) é usado para inicializar/fazer shutdown dos serviços do CELLSRV e do
MS, bem como monitora esses serviços para que sejam reiniciados automaticamente se
necessário.

Workshop de Administração do Exadata Database Machine 3 - 20


Detalhes da Arquitetura de
Software do Database Machine
Célula do Exadata Estruturas
Unauthorized reproduction or distribution prohibitedฺ Copyright© 2013, Oracle and/or its affiliatesฺ

Instância do RDBMS Instância ASM


Smart
SGA SGA
Impor- Flash Cache
tação ASM
Proc.
ASM
Proc.
dskm dskm
De De
entrada/saída entrada/saída
LIBCELL LIBCELL
/opt/oracle/cell/
cellsrv/deploy/ CellCLI
config cellsrv MS

cell_disk_ adrci diskmon css


config.xml Protocolo iDB Protocolo iDB
le
CELLSRV /etc/oracle/cell/network-config
fe rab
ns
cellinit.ora RS ADR

a cellinit.ora

n-tr
cellip.ora
bond0
Dicionário
interno MS
Listar células do
a no Listar IP de

as ฺ
Exadata acessíveis interface local
e
Rede InfiniBand
) h
ฺbr Guide
Parâmetros internos
CELLSRV e IP de
m
interface local
k o ฺco dent
t ei Stu
o r te@ this
s p use
uOracle
c ฺ
Copyright © 2012,
e t oe/ou suas empresas afiliadas. Todos os direitos reservados.
t
o ( ense
i k c
O diagrama
o Tedo slideliapresenta uma visão mais detalhada dos principais componentes de
i c
n do Database Machine e dos relacionamentos existentes entre eles. Além disso,
software
T e c
também são listados alguns dos principais arquivos de configuração específicos do Exadata.
O diagrama também mostra alguns processos adicionais executados nos servidores de
banco de dados que estão relacionados ao uso das células do Exadata para armazenamento
no Database Machine. O Diskmon verifica o estado da interface de rede do armazenamento
e a atividade das células; ele também executa a propagação do plano do DBRM para as
células do Exadata.
O Diskmon usa um processo-mestre no nível de nó (diskmon.bin) e um processo escravo
(DSKM) para cada instância do RDBMS ou ASM. O mestre executa o monitoramento e
propaga as informações de estado para os escravos. Os escravos usam o SGA para se
comunicar com os processos do RDBMS ou do ASM. Se houver uma falha no cluster, o
Diskmon executará o isolamento da entrada/saída para proteger a integridade dos dados. O
CSS (Cluster Synchronization Services) ainda decide o que isolar.
O Diskmon-mestre é iniciado com os processos de clusterware. Os processos Diskmon
escravos são processos de background iniciados e interrompidos junto com a instância
associada do RDBMS ou ASM.

Workshop de Administração do Exadata Database Machine 3 - 21


Entidades e Relacionamentos de
Armazenamento em Disco
Disco LUN CELLDISK GRIDDISK Disco ASM
Unauthorized reproduction or distribution prohibitedฺ Copyright© 2013, Oracle and/or its affiliatesฺ

Célula do Exadata CellCLI> CREATE GRIDDISK ...

Somente as duas
Partição de primeiras LUNs
Armazenamento Disco de
de Dados Grade
Área do Sistema le
Disco de fe rab
OU OU n spara
Visível
a
Célula -t r o ASM

n on
s
Disco ade Grade
LUN ) a
h eon-line)
(parte ฺ
Outras b r
ฺ GDisco i d
u de Grade
o m t
oฺc uden
dez LUNs (parte off-line)
i
te St k
r @
te this
o
p use
uOracle
c ฺ s
Copyright © 2012,
t oe/ou suas empresas afiliadas. Todos os direitos reservados.
t e
i k o ( ense
Cada o Tedo Exadata
célula lic contém 12 discos físicos. O software de célula do Exadata detecta
e c nic
automaticamente os discos físicos em cada servidor de armazenamento. Como
T administrador da célula, você pode somente visualizar um conjunto predefinido de atributos
do disco físico. Cada disco físico é mapeado para uma abstração lógica denominada LUN
(Unidade Lógica). Uma LUN expõe atributos de metadados predefinidos adicionais para o
administrador da célula. Você não pode criar nem remover uma LUN. Elas são criadas de
forma automática.
Cada um dos dois primeiros discos contém uma área do sistema que abrange várias
partições de disco. As duas áreas do sistema são cópias de espelho uma da outra, que são
mantidas por meio do espelhamento do software. As áreas do sistema consomem
aproximadamente 29 GB em cada disco. As áreas do sistema contêm a imagem do SO, o
espaço de swap, binários do software de célula do Exadata, o repositório de métricas e
alertas, além de vários outros arquivos de configuração e de metadados.
Um disco de célula é uma abstração de nível mais alto, que representa a área de
armazenamento de dados em cada LUN. No caso das duas LUNs que contêm as áreas do
sistema, o software de célula do Exadata reconhece a forma como a LUN está particionada e
mapeia o disco de célula para a partição de disco reservada para armazenamento de dados.
No caso dos outros 10 discos, o software de célula do Exadata mapeia o disco de célula
diretamente para a LUN.
Após a criação de um disco de célula, ele pode ser subdividido em um ou mais discos de
grade, que são expostos diretamente ao ASM.
Workshop de Administração do Exadata Database Machine 3 - 22
A colocação de vários discos de grade em um disco de célula permite ao administrador
segregar o armazenamento em pools com diferentes características de desempenho. Por
exemplo, um disco de célula pode ser particionado de forma que o disco de grade resida na
parte de melhor desempenho do disco (as faixas mais externas do disco físico), enquanto um
segundo disco de grade pode ser configurado na parte com desempenho mais baixo do disco
(as faixas internas). Em seguida, o primeiro disco de grade pode ser usado em um grupo de
discos ASM que contém dados altamente ativos (muito acessados), enquanto o segundo
Unauthorized reproduction or distribution prohibitedฺ Copyright© 2013, Oracle and/or its affiliatesฺ

disco pode ser usado para armazenar arquivos de dados menos ativos (pouco acessados).
A colocação de vários discos de grade em um disco de célula também permite que o
administrador divida o armazenamento em dois pools separados, que podem ser designados
a bancos de dados diferentes.
Nos casos em que a capacidade da célula inteira é necessária para um único banco de
dados ou quando é difícil definir claramente conjuntos de dados muito e pouco acessados,
em geral, o administrador de célula do Exadata definirá um único disco de grade que contém
todo o espaço em cada disco de célula.
r a ble
Observação: o diagrama contido no slide mostra os casos em que um ou dois discos n s fede
ra implica um
grade são criados a partir do espaço em um disco de célula. Entretanto, isso-tnão
n
no o Database
limite de dois discos de grade em cada disco de célula. Na verdade, quando
a
h a s na maioria dos discos
Machine é configurado inicialmente, três discos de grade são definidos
)
de célula. Detalhes das opções de configuração inicial dorDatabase
d e ฺ
Machine e de seus
ฺ b u i
resultados são descritos mais adiante no curso.
ฺ c om nt G
i k o ude
t e S t
r @
te thi s
o
up use
ฺ s
( t ec se to
e i ko licen
i c oT
Tecn

Workshop de Administração do Exadata Database Machine 3 - 23


Entidades e Relacionamentos de
Armazenamento Flash
Flash LUN CELLDISK GRIDDISK Disco ASM
OU
Unauthorized reproduction or distribution prohibitedฺ Copyright© 2013, Oracle and/or its affiliatesฺ

FLASHCACHE

Célula do Exadata CellCLI> CREATE FLASHCACHE ...


CellCLI> CREATE GRIDDISK ... FLASHDISK ...

Cache le
Flash fe rab
LUN Disco de tr a ns
Flash Célula
OU
n -
no
a
a s
h eCache
Flash
r ) d ฺ
m b
ฺ GDisco i
u de Grade
o t
i k oฺc uden
t e St Visível para

e @
rt e th i s o ASM

p o s empresas afiliadas. Todos os direitos reservados.


c ฺ suOracletoe/ouusuas
Copyright © 2012,

o (te nse
T ik lice
edo
Cada célula
em i c o placasExadata
quatro de
contém 384 GB de memória flash de alto desempenho distribuídos
memória flash PCI. Cada placa tem quatro módulos flash (FDOMs) para
e c n
um total de 16 módulos flash em cada célula. Cada dispositivo flash tem uma capacidade de
T 24 GB.
Basicamente, cada dispositivo flash é semelhante a um disco físico na hierarquia de
armazenamento. Cada dispositivo flash está visível para o software de célula do Exadata
como uma LUN. É possível criar um disco de célula usando o espaço em uma LUN baseada
em flash. Em seguida, você pode criar vários discos de grade em cada disco de célula
baseado em flash. Diferentemente dos dispositivos de disco físico, a ordem de alocação do
espaço flash não é importante da perspectiva do desempenho.
Embora seja possível criar discos de grade baseados em flash, o principal uso do
armazenamento flash é suportar o Exadata Smart Flash Cache, um mecanismo de
armazenamento em cache de alto desempenho para dados frequentemente acessados em
cada célula do Exadata.
Por default, o processo de configuração inicial da célula cria discos de célula baseados em
flash em todos os dispositivos flash e, em seguida, aloca a maior parte do espaço flash
disponível para o Exadata Smart Flash Cache. Para criar espaço para os discos de grade
baseados em flash, o Exadata Smart Flash Cache default deve ser eliminado primeiro. Em
seguida, um novo Exadata Smart Flash Cache e discos de grade baseados em flash podem
ser criados com os tamanhos escolhidos pelo administrador da célula.
Observação: o diagrama do slide mostra dois exemplos de como o espaço em um disco de
célula baseado em flash pode ser alocado. Entretanto, é possível alocar até uma área do
Exadata Smart Flash Cache e zero ou mais discos de grade baseados em flash a partir de
um disco de célula baseado em flash.
Workshop de Administração do Exadata Database Machine 3 - 24
Configuração de Grupos de Discos
Unauthorized reproduction or distribution prohibitedฺ Copyright© 2013, Oracle and/or its affiliatesฺ

SQL> CREATE DISKGROUP

r a ble
Célula do Exadata (CELL1) Célula do Exadata (CELL2) n s fe
n - tra
Grupo com Proteção para Falhas CELL1
Grupo de
Discos Grupo com Proteção a no
para Falhas CELL2
DATA_1

) h as ฺ
ฺbrcomG idepara Falhas CELL2
Grupo de
Discos Grupo Proteção
Grupo com Proteção para Falhas CELL1
FRA_1
m u
k o ฺco dent
t ei Stu
o r te@ this
s p use
uOracle
c ฺ
Copyright © 2012,
e t oe/ou suas empresas afiliadas. Todos os direitos reservados.
t
o ( ense
i k c discos de grade, é possível definir grupos de discos ASM para
Te
Após a configuração
o lidos
e c nic o armazenamento do Exadata. O slide ilustra um exemplo em que dois grupos de
consumir
discos ASM são definidos. O grupo de discos DATA_1 é definido em todos os discos de grade
T vermelhos, e o grupo de discos FRA_1 é definido nos discos de grade azuis. Quando os dados
são carregados em cada grupo de discos, o ASM os distribui de maneira uniforme entre todos
os discos de grade de cada grupo.
Para fornecer proteção contra a falha de um célula inteira do Exadata, grupos de discos para
falhas ASM separados são associados automaticamente a cada célula. O objetivo disso é
garantir que as extensões espelhadas do ASM sejam colocadas em diferentes células do
Exadata. Isso também é ilustrado no slide. Por default, quando grupos com proteção para falhas
são criados de forma automática, seus nomes correspondem ao nome da célula. Portanto,
diferentes grupos de discos podem ter os mesmos nomes de grupos com proteção para falhas.
Por exemplo, tanto o grupo de discos DATA como o grupo de discos FRA têm um grupo com
proteção para falhas chamado CELL1.
Como geralmente ocorre no caso do ASM, recomenda-se o uso da redundância NORMAL ou
HIGH do ASM com pelo menos três grupos com proteção para falhas em cada grupo de discos
no Database Machine. Isso garante que pelo menos duas cópias dos dados possam ser
acomodadas, mesmo em caso de falha em uma célula. Embora seja possível criar grupos de
discos com redundância EXTERNAL no Database Machine, não convém fazer isso, pois eles
não fornecem proteção contra falhas de armazenamento e impedem o uso de procedimentos de
manutenção de armazenamento on-line, como, por exemplo, a aplicação dinâmica de patches.
Observe que o processo de configuração inicial do Database Machine cria três grupos de discos
usando a redundância NORMAL ou HIGH do ASM. A configuração desses grupos de discos e das
opções de redundância associadas são discutidas em detalhes mais adiante no curso.
Workshop de Administração do Exadata Database Machine 3 - 25
Questionário

Quais são os três principais serviços do Exadata?


Unauthorized reproduction or distribution prohibitedฺ Copyright© 2013, Oracle and/or its affiliatesฺ

a. OMS
b. MS
c. GMON
d. CELLSRV
e. RS le
fe rab
tr ans
n -
a no
a
h eฺ s
r
ฺ Guid
b )
m
k o ฺco dent
t ei Stu
o r te@ this
s p use
uOracle
c ฺ
Copyright © 2012,
e t oe/ou suas empresas afiliadas. Todos os direitos reservados.
t
o ( ense
i k
e d, e lic
Resposta:
o Tb,
e c nic
T

Workshop de Administração do Exadata Database Machine 3 - 26


Questionário

Se você usar a redundância NORMAL do ASM para todos os


Unauthorized reproduction or distribution prohibitedฺ Copyright© 2013, Oracle and/or its affiliatesฺ

seus grupos de discos em conjunto com grupos de discos para


falhas ASM distribuídos em duas ou mais células do Exadata,
em quais dos seguintes cenários a disponibilidade dos dados
será mantida?
a. Falha em um único disco, em uma única célula
b. Falha simultânea de vários discos em uma única célula
r a ble
c. Falha simultânea de um disco em duas células n s fe
d. Falha total de uma única célula n - tra
no a
a
h eฺ s
r
ฺ Guid
b )
m
k o ฺco dent
t ei Stu
o r te@ this
s p use
uOracle
c ฺ
Copyright © 2012,
e t oe/ou suas empresas afiliadas. Todos os direitos reservados.
t
o ( ense
i k
Resposta:
o Ta,e b, d lic
An
c ic
configuração prescrita poderá oferecer proteção contra a falha simultânea de um disco em
T e duas células se e somente se não houver extensões de dados espelhadas nos dois discos
com falha. Para garantir a disponibilidade dos dados nos casos em que falhas simultâneas
afetam duas células, é necessário usar a redundância HIGH do ASM juntamente com grupos
com proteção para falhas distribuídos em, pelo menos, três células do Exadata.

Workshop de Administração do Exadata Database Machine 3 - 27


Questionário

O recurso de acoplamento é usado para as interfaces de rede


Unauthorized reproduction or distribution prohibitedฺ Copyright© 2013, Oracle and/or its affiliatesฺ

InfiniBand nos servidores do Database Machine para fornecer:


a. Tolerância a Falhas e Alta Disponibilidade
b. Maior Largura de Banda e Desempenho
c. As duas alternativas acima

le
fe rab
tr a ns
n -
no a
a
h eฺ s
r
ฺ Guid
b )
m
k o ฺco dent
t ei Stu
o r te@ this
s p use
uOracle
c ฺ
Copyright © 2012,
e t oe/ou suas empresas afiliadas. Todos os direitos reservados.
t
o ( ense
i k lic
Resposta:
o Tae
e c nicservidor de banco de dados e cada Exadata Storage Server é configurado com
Cada
T interfaces de rede acopladas, que usam as portas HCA InfiniBand no servidor. Como o
acoplamento ativo/passivo é usado, a largura de banda agregada dos links não é usada.
Para cada interface de rede acoplada, cada porta InfiniBand é conectada a um leaf switch
diferente. Essa configuração permite tolerância a falhas e alta disponibilidade, removendo o
InfiniBand switch como um ponto único de falha em potencial.

Workshop de Administração do Exadata Database Machine 3 - 28


Questionário

Quais das opções de escalabilidade a seguir são suportadas?


Unauthorized reproduction or distribution prohibitedฺ Copyright© 2013, Oracle and/or its affiliatesฺ

a. Upgrade de um Database Machine Quarter Rack para um


Database Machine Half Rack
b. Upgrade de um Database Machine Half Rack para um
Database Machine Full Rack
c. Interconexão de dois Database Machines Quarter Rack
d. Interconexão de dois ou mais Database Machines Full erab
le
Rack n s f
ra t
n on-
s a
) a
h eฺ
r
ฺ Guid
b
m
k o ฺco dent
t ei Stu
o r te@ this
s p use
uOracle
c ฺ
Copyright © 2012,
e t oe/ou suas empresas afiliadas. Todos os direitos reservados.
t
o ( ense
i k
Resposta:
o Ta,e b, c, dlic
e c nic
T

Workshop de Administração do Exadata Database Machine 3 - 29


Resumo

Nesta lição, você aprendeu a:


Unauthorized reproduction or distribution prohibitedฺ Copyright© 2013, Oracle and/or its affiliatesฺ

• Descrever a arquitetura de rede do Database Machine


• Descrever a arquitetura de software do Database Machine
• Descrever as entidades de armazenamento do Exadata
Storage Server e seus relacionamentos
• Descrever como vários Database Machines podem ser
interconectados r a ble
e s f
tra n
n on-
s a
) a
h eฺ
r
ฺ Guid
b
m
k o ฺco dent
t ei Stu
o r te@ this
s p use
uOracle
c ฺ
Copyright © 2012,
e t oe/ou suas empresas afiliadas. Todos os direitos reservados.
t
o ( ense
i k lic
o Te
ic
Tecn

Workshop de Administração do Exadata Database Machine 3 - 30


Recursos Adicionais

• Demonstrações da Lição
Unauthorized reproduction or distribution prohibitedฺ Copyright© 2013, Oracle and/or its affiliatesฺ

– Introdução ao Processo do Exadata


– Alta Disponibilidade do Exadata
– Hierarquia dos Objetos de Armazenamento do Exadata
• Tours Interativos
– Database Machine X2-2
le
– Database Machine X2-8
fe rab
tr ans
n -
a no
a
h eฺ s
r
ฺ Guid
b )
m
k o ฺco dent
t ei Stu
o r te@ this
s p use
uOracle
c ฺ
Copyright © 2012,
e t oe/ou suas empresas afiliadas. Todos os direitos reservados.
t
o ( ense
i k lic
o Te
ic
Tecn

Workshop de Administração do Exadata Database Machine 3 - 31


Visão Geral do Exercício 3:
Introdução à Arquitetura de Células do Exadata
Nestes exercícios, você se familiarizará com a arquitetura de
Unauthorized reproduction or distribution prohibitedฺ Copyright© 2013, Oracle and/or its affiliatesฺ

células do Exadata. Você executará as seguintes tarefas:


• Examinará os processos do Exadata
• Testará a alta disponibilidade do Exadata
• Examinará a hierarquia de objetos de célula
• Examinará o Exadata Cache Smart Flash
le
fe rab
tr ans
n -
a no
a
h eฺ s
r
ฺ Guid
b )
m
k o ฺco dent
t ei Stu
o r te@ this
s p use
uOracle
c ฺ
Copyright © 2012,
e t oe/ou suas empresas afiliadas. Todos os direitos reservados.
t
o ( ense
i k lic
o Te
ic
Tecn

Workshop de Administração do Exadata Database Machine 3 - 32


Unauthorized reproduction or distribution prohibitedฺ Copyright© 2013, Oracle and/or its affiliatesฺ

Principais Recursos do Exadata Database Machine

le
fe rab
tr ans
n -
a no
a
h eฺ s
r
ฺ Guid
b )
m
k o ฺco dent
t ei Stu
o r te@ this
s p use
uOracle
c ฺ
Copyright © 2012,
e t oe/ou suas empresas afiliadas. Todos os direitos reservados.
t
o ( ense
i k lic
o Te
ic
Tecn
Objetivos

Após concluir esta lição, você será capaz de descrever os


Unauthorized reproduction or distribution prohibitedฺ Copyright© 2013, Oracle and/or its affiliatesฺ

principais recursos do Exadata Database Machine.

le
fe rab
tr ans
n -
a no
a
h eฺ s
r
ฺ Guid
b )
m
k o ฺco dent
t ei Stu
o r te@ this
s p use
uOracle
c ฺ
Copyright © 2012,
e t oe/ou suas empresas afiliadas. Todos os direitos reservados.
t
o ( ense
i k lic
o Te
ic
Tecn

Workshop de Administração do Exadata Database Machine 4 - 2


Modelo Clássico de Processamento de SQL e
Entrada/Saída de Banco de Dados
SELECT customer_id 1 6
Linhas retornadas
Unauthorized reproduction or distribution prohibitedฺ Copyright© 2013, Oracle and/or its affiliatesฺ

FROM orders
WHERE order_amount>20000;

Processamento
Extensões identificadas 2 5 SQL: 2 MB
retornados rab
le
n s fe
tra
n on-
s a
a
h eฺEntradas/saídas
Entradas/saídas emitidas 3 4br)
m ฺ Guid executadas:
k o ฺco dent 10 GB retornados
t ei Stu
o r te@ this
s p use
uOracle
c ฺ
Copyright © 2012,
e t oe/ou suas empresas afiliadas. Todos os direitos reservados.
t
o ( ense
i k lic tradicional, toda a inteligência de banco de dados reside no software,
Te
Com ooarmazenamento
c ic
nonservidor de banco de dados. Para ilustrar como o processamento SQL é executado nessa
T e arquitetura, um exemplo de varredura de tabela é mostrado na figura contida no slide.
1. O cliente emite uma instrução SELECT com um predicado para filtrar uma tabela e
retornar somente as linhas de interesse do usuário.
2. O kernel de banco de dados mapeia essa solicitação para o arquivo e extensões que
contêm a tabela.
3. O kernel de banco de dados emite as Entradas/saídas para ler todos os blocos de
tabelas.
4. Todos os blocos da tabela que estiver sendo consultada são lidos na memória.
5. O processamento SQL é conduzido nos blocos de dados à procura de linhas que
atendam ao predicado.
6. As linhas necessárias são retornadas ao cliente.
Como quase sempre ocorre com consultas grandes, o predicado filtra a maioria das linhas
da tabela. Ainda assim, os blocos da tabela precisam ser lidos, transferidos pela rede de
armazenamento e copiados na memória. Muito mais linhas são lidas na memória do que o
necessário para concluir a operação SQL solicitada. Isso gera uma grande quantidade de
Entradas/saídas improdutivas, o que desperdiça recursos e afeta o throughput da aplicação
e o tempo de resposta.
Workshop de Administração do Exadata Database Machine 4 - 3
Modelo do Exadata Smart Scan

SELECT customer_id 1 6 Linhas retornadas


FROM orders
Unauthorized reproduction or distribution prohibitedฺ Copyright© 2013, Oracle and/or its affiliatesฺ

WHERE order_amount>20000;

Conjunto de resultados
Comando iDB
2 5 consolidados, criado a
criado e enviado às
partir de todas as le
células do Exadata células do Exadatarab
n s fe
tra
n on-
s a
Processamento SQL 3 4 r) h
a ฺ2 MB retornados
nas células do Exadata b
ฺ Gu i d e
c o m t ao servidor
k ฺ
o ude n
t e i t
@ s S
o r te thi
s p use
uOracle
c ฺ
Copyright © 2012,
e t oe/ou suas empresas afiliadas. Todos os direitos reservados.
t
o ( ense
i k lic as operações de banco de dados são tratadas de maneira diferente. As
Te Machine,
Em um Database
o
e c nic que executam varreduras de tabelas podem ser processadas nas células do Exadata e
consultas
retornar somente o subconjunto necessário de dados ao servidor de banco de dados. É possível
T executar filtragem de linhas e de colunas, processamento de joins e outras funções nas células
do Exadata. O Exadata Storage Server usa um mecanismo especial de leitura direta para o
processamento do Smart Scan. A figura acima ilustra como uma varredura de tabela funciona
com um armazenamento de célula do Exadata:
1. O cliente emite uma instrução SELECT para retornar algumas linhas de interesse.
2. O kernel do banco de dados determina que os dados sejam armazenados nas células do
Exadata; assim, um comando iDB que representa o comando SQL é criado e enviado para
as células do Exadata.
3. O software do Exadata Storage Server varre os blocos de dados para extrair as linhas e as
colunas relevantes que atendem ao comando SQL.
4. As células do Exadata retornam para a instância do banco de dados mensagens do iDB
contendo as linhas e as colunas de dados solicitadas. Esses resultados não são imagens de
blocos, então, não são armazenados no cache do buffer.
5. O kernel de banco de dados consolida os conjuntos de resultados de todas as células do
Exadata. É similar à forma pela qual os resultados de uma operação de consulta paralela são
consolidados.
6. As linhas são retornadas ao cliente.
A retirada do processamento SQL do servidor de banco de dados libera ciclos da CPU do servidor e
elimina uma grande quantidade de transferências de Entrada/saída improdutivas. Esses recursos ficam
livres para melhor atender a outras solicitações. Consultas são executadas com mais rapidez e uma
maior quantidade delas é processada.
Workshop de Administração do Exadata Database Machine 4 - 4
Recursos de Armazenamento
Inteligente do Exadata
• Filtragem de predicados:
Unauthorized reproduction or distribution prohibitedฺ Copyright© 2013, Oracle and/or its affiliatesฺ

– Somente as linhas solicitadas, e não todas as linhas de uma


tabela, são retornadas ao servidor de banco de dados.
• Filtragem de colunas:
– Somente as colunas solicitadas, e não todas as colunas de
uma tabela, são retornadas ao servidor de banco de dados.
– Exemplo:
able
fe r
SQL> SELECT name FROM employees WHERE LENGTH(name) > 5;
a n s
Com a filtragem de predicados e colunas, somente
t r
os- nomes
n

o
n enviados aos
de funcionários com mais de cinco caracteresasão
servidores de banco de dados.
) h as ฺ
ฺbr inteira e ser enviada
iddeve
Sem a filtragem, a tabela employees

m u
G de dados.
do armazenamento para o co ede
o ฺservidor n t banco
t eik Stud
o r te@ this
s p use
uOracle
c ฺ
Copyright © 2012,
e t oe/ou suas empresas afiliadas. Todos os direitos reservados.
t
o ( ense
i k
Te funçõeslicde banco de dados estão integradas ao Exadata Storage Server:
As seguintes
o
e c n• icO Exadata Storage Server permite a filtragem de predicados para varreduras de
T tabelas. Em vez de retornar todas as linhas para avaliação do banco de dados, o
Exadata Storage Server retorna somente as linhas que atendem à condição do filtro.
Os operadores condicionais suportados incluem =, !=, <, >, <=, >=, IS [NOT] NULL,
LIKE, [NOT] BETWEEN, [NOT] IN, EXISTS, IS OF type, NOT, AND, OR. Além disso,
várias funções SQL comuns podem ser avaliadas pelo Exadata Storage Server durante
a filtragem de predicados. Para obter uma lista completa das funções que podem ser
avaliadas pela célula do Exadata, use a consulta a seguir:
SELECT * FROM v$sqlfn_metadata WHERE offloadable = 'YES';
• O Exadata Storage Server permite a filtragem de colunas, também denominada
projeção de colunas, para varreduras de tabelas. Somente as colunas solicitadas são
retornadas ao servidor de banco de dados em vez de todas as colunas de uma tabela.
No caso de tabelas com muitas colunas ou colunas que contêm LOBs, a largura de
banda de Entradas/saídas salva pela filtragem de colunas pode ser muito grande.
Quando usadas juntas, a combinação da filtragem de predicados e da filtragem de colunas
aperfeiçoa, de forma considerável, o desempenho e reduz o consumo de largura de banda
de Entradas/saídas.

Workshop de Administração do Exadata Database Machine 4 - 5


Recursos de Armazenamento
Inteligente do Exadata
• Processamento de join:
Unauthorized reproduction or distribution prohibitedฺ Copyright© 2013, Oracle and/or its affiliatesฺ

– O processamento de joins em estrela é executado no


Exadata Storage Server
• Varreduras em dados criptografados
• Varreduras em dados compactados
• Scoring para Data Mining:
le
– Exemplo:
fe rab
tra ns
SELECT cust_id
n -
FROM customers
a no
WHERE region = 'US'
h s
ausing
r )
AND prediction_probability(churnmod,'Y' deฺ *) > 0.8;ฺb Gui
m
k o ฺco dent
t ei Stu
o r te@ this
s p use
uOracle
c ฺ
Copyright © 2012,
e t oe/ou suas empresas afiliadas. Todos os direitos reservados.
t
o ( ense
i k lic Server executa o processamento de joins para esquemas em
• Oo Te Storage
Exadata
nicestrela (entre tabelas grandes e tabelas de lookup pequenas). Isso é implementado
Tec usando Filtros "Bloom", que é um método probabilístico muito eficiente para determinar
se um elemento é membro de um conjunto.
• O Exadata Storage Server executa Smart Scans em tablespaces e em colunas
criptografados. No caso de tablespaces criptografados, o Exadata Storage Server pode
descriptografar blocos e retornar os blocos descriptografados ao Oracle Database, ou
pode executar a filtragem de linhas e de colunas em dados criptografados. É possível
fazer uma economia significativa de CPU no servidor de banco de dados
descarregando a tarefa de descriptografia, que exige muito da CPU, em células do
Exadata.
• O Smart Scan funciona em conjunto com a compressão EHCC (Exadata Hybrid
Columnar Compression), de forma que a projeção de colunas e a filtragem de linhas
podem ser executadas juntamente com a descompactação no nível do armazenamento,
com o fim de economizar ciclos da CPU nos servidores de banco de dados.
• O Exadata Storage Server pode executar funções de scoring, como
PREDICTION_PROBABILITY, para modelos de data mining. Esse procedimento
acelera a análise do data warehouse, ao mesmo tempo em que reduz o consumo de
CPU do servidor de banco de dados e a carga de entrada/saída entre esse servidor e
os servidores de armazenamento.
Workshop de Administração do Exadata Database Machine 4 - 6
Recursos de Armazenamento
Inteligente do Exadata
• Criar/estender tablespace:
Unauthorized reproduction or distribution prohibitedฺ Copyright© 2013, Oracle and/or its affiliatesฺ

– O Exadata formata blocos do banco de dados.


• Backup e recuperação:
– A Entrada/saída de backups incrementais é muito mais
eficiente porque somente os blocos alterados são retornados
ao servidor de banco de dados.
– O Exadata executa a restauração de arquivos do RMAN. le
fe rab
tra ns
n -
no a
a
h eฺ s
r
ฺ Guid
b )
m
k o ฺco dent
t ei Stu
o r te@ this
s p use
uOracle
c ฺ
Copyright © 2012,
e t oe/ou suas empresas afiliadas. Todos os direitos reservados.
t
o ( ense
i k lic
• Como Teo armazenamento do Exadata , a operação de criação/extensão de tablespaces
i c
n é executada com mais eficiência. Em vez de formatar blocos vazios na memória do
Tec servidor de banco de dados e gravá-los no armazenamento, um único comando iDB
é enviado ao Exadata Storage Server instruindo-o a formatar os blocos. O uso da
memória do servidor de banco de dados é reduzido, e a atividade de entrada/saída
associada à criação e à formatação dos blocos do banco de dados é eliminada com o
armazenamento do Exadata.
• Com o Exadata Storage Server, a velocidade e a eficiência dos backups incrementais
de banco de dados aumentam. Com o armazenamento do Exadata, as alterações são
controladas no nível de blocos individuais do Oracle, em vez de para um grupo grande
de blocos. Isso resulta em mais rapidez e menos largura de banda de Entrada/saída
consumida nos backups.
• Com o armazenamento do Exadata, a operação de restauração de arquivos do
RMAN é descarregada nas células. Esse procedimento é essencialmente o mesmo
que a otimização associada à criação ou à extensão de um tablespace (descrita
anteriormente).

Workshop de Administração do Exadata Database Machine 4 - 7


Exemplo de Dimensionamento do
Smart Scan do Exadata
Unauthorized reproduction or distribution prohibitedฺ Copyright© 2013, Oracle and/or its affiliatesฺ

Servidor de dbs1
Banco de Dados

Rede de Armazenamento
InfiniBand
Máximo de 40 Gb/s

le
Célula do
fe rab
Exadata edsc1 edsc2
… edsc13 edsc14
tra ns
n -
noa
Cada célula pode
transmitir 1,8 GB/s. a
h eฺ s
r
ฺ Guid
b )
m
ฺco dent
Total de 14 células
Discos
o
que podem transmitir
k
(12/célula)
ei = 25,2SGB/s
14 x 1,8
t tu
r @
te thi s
o
p use
uOracle
c ฺ s
Copyright © 2012,
t oe/ou suas empresas afiliadas. Todos os direitos reservados.
t e
i k o ( ense
ic a seguir ilustra o poder do Smart Scan de forma quantificável,
Tenos três lslides
O exemplo
o
ic um caso típico no qual várias células do Exadata são dimensionadas para
ecn
usando
T compartilhar uma carga de trabalho.
O servidor de banco de dados, ilustrado na parte superior do slide, está conectado com a
rede de armazenamento InfiniBand, que pode transmitir, no máximo, 40 gigabits por segundo
(Gb/s). Para manter o exemplo claro e simples, suponhamos que a rede InfiniBand possa
transmitir dados a 40 Gb/s sem overhead de mensagens. Também suponhamos que um
único servidor de banco de dados tenha acesso à largura de banda de Entrada/saída integral
de todas as células do Exadata.
Nesse cenário, há 14 células do Exadata, da mesma maneira que em um Database Machine
Full Rack. Supondo que cada célula do Exadata possa fornecer 1,8 gigabytes (GB) de
throughput de entrada/saída de disco por segundo, a capacidade de varredura potencial
de todas as células do Exadata é de 25,2 GB por segundo.

Workshop de Administração do Exadata Database Machine 4 - 8


Exemplo de Dimensionamento do
Smart Scan do Exadata
n
rt Sca
ma select /*+ full(lineitem) */ count(*)
mS
Unauthorized reproduction or distribution prohibitedฺ Copyright© 2013, Oracle and/or its affiliatesฺ

Se
from lineitem
where l_orderkey < 0;

Servidor de O banco de dados solicita a recuperação de todos


dbs1 os blocos fazendo uma varredura integral da tabela
Banco de Dados
e, em seguida, filtra as linhas correspondentes.

Se a tabela estiver distribuída de maneira uniforme entre


Se a tabela tiver 4.800 GB de todos os discos, cada célula não poderá enviar mais do que
tamanho, a varredura integral 40/14 = 2,85 Gb/s = 0,357 GB/s para a instância do banco
levará cerca de 16 minutos. de dados.
le
Célula do
… fe rab
Exadata edsc1 edsc2 edsc13 edsc14
tr a ns
n -
0,357 GB/s
Os discos são otimizados a no
pela largura de banda a
h eฺ s
da rede! r
ฺ Guid
b )
m
Discos
k o ฺco dent
(12/célula)
t ei Stu
o r te@ this
s p use
uOracle
c ฺ
Copyright © 2012,
e t oe/ou suas empresas afiliadas. Todos os direitos reservados.
t
o ( ense
i k c uma tabela de 4.800 gigabytes esteja distribuída uniformemente
Te
Agora,osuponhamos lique
e c nic14 células do Exadata, e é executada uma consulta que requer uma varredura integral
pelas
T da tabela. Como normalmente ocorre, suponhamos que a consulta retorne um pequeno
grupo de resultados.
Sem os recursos de Smart Scan, cada Exadata Storage Server se comporta como um
servidor de armazenamento tradicional, transferindo os blocos do banco de dados para
o banco de dados cliente.
Como a rede de armazenamento apresenta uma largura de banda limitada a 40 gigabits por
segundo, as células do Exadata não conseguem usar toda a sua potência. Nesse caso, cada
célula não pode transmitir mais do que 0,357 gigabytes por segundo ao banco de dados e
levaria cerca de 16 minutos para varrer toda a tabela.

Workshop de Administração do Exadata Database Machine 4 - 9


Exemplo de Dimensionamento do
Smart Scan do Exadata
Scan
art
Sm select /*+ full(lineitem) */ count(*)
mo
Unauthorized reproduction or distribution prohibitedฺ Copyright© 2013, Oracle and/or its affiliatesฺ

from lineitem
Co where l_orderkey < 0;

Servidor de dbs1 O banco de dados solicita que as células do Exadata


Banco de Dados enviem todas as linhas correspondentes.

Se a tabela tiver 4.800 GB de tamanho, a Se a tabela estiver distribuída de maneira uniforme entre
varredura integral da tabela será todos os discos, cada célula não poderá enviar mais do
concluída em cerca de três minutos e dez que 40/14 = 2,85 Gb/s = 0,357 GB/s para a instância do
segundos! banco de dados.
le
Célula do
… fe rab
Exadata edsc1 edsc2 edsc13 edsc14
tr a ns
Cada célula pode varrer n -
1,8 GB/s
a uma velocidade de
a no
1,8 GB/s, e enviar suas
linhas correspondentes à a
h eฺ s
r
ฺ Guid
instância de banco de
b )
m
dados. Isso representa
Discos
k o ฺco dent
uma varredura total a
uma velocidade
(12/célula)
t ei Stu de 25,2 GB/s!

o r te@ this
s p use
uOracle
c ฺ
Copyright © 2012,
e t oe/ou suas empresas afiliadas. Todos os direitos reservados.
t
o ( ense
i k
Te quelico Smart Scan seja aplicado à mesma consulta. O mesmo limite de
Agora,oconsidere

e c nic de banda da rede de armazenamento se aplica. No entanto, dessa vez, os 4.800 GB


largura
T não são transmitidos pela rede de armazenamento; somente as linhas correspondentes são
transmitidas de volta ao servidor de banco de dados. Assim, cada célula do Exadata pode
processar sua parte da tabela com a velocidade máxima, ou seja, aproximadamente 1,8 GB
por segundo. Nesse caso, a varredura total da tabela seria concluída em cerca de três
minutos e dez segundos.

Workshop de Administração do Exadata Database Machine 4 - 10


Visão Geral da Compressão EHCC (Exadata
Hybrid Columnar Compression)

Compactação de Data Compactação de Arquivo


Unauthorized reproduction or distribution prohibitedฺ Copyright© 2013, Oracle and/or its affiliatesฺ

Warehouse
Otimizado para Velocidade Otimizado para Espaço
• Economia média de 10x de • Economia média de 15x de
armazenamento armazenamento
• Redução de 10x de entrada/saída – Até 50x em alguns dados
• Otimizado para desempenho de • Maior overhead de acesso
r a ble
consultas • Para dados sem interesse ou fe
históricos ans- tr
no n
Tamanho Reduzido de a Discos
Recuperar
Data Warehouse a s
Melhor Desempenho ) h Dados
Manter eฺ On-line
ฺbr Guid
o ntm
É possível combinar tipos k o
deฺccompactação
de por partição
t e i t u
para ILM (Information
e S
@ his Lifecycle Management)
r t
o se t
u p
c ฺs Oracletoe/ouusuas empresas afiliadas. Todos os direitos reservados.
Copyright © 2012,
e
t
o ( ense
e i k liccompactação básica e OLTP do Oracle Database 11g, o Exadata
Além dos
o Trecursos de

e c nic Server inclui a compressão EHCC (Exadata Hybrid Columnar Compression).


Storage
T É possível especificar a compressão EHCC no nível de tabela, partição e tablespace.
Você também pode escolher entre dois tipos de compressão EHCC para obter o equilíbrio
adequado entre o uso do disco e o consumo de CPU, dependendo dos seus requisitos:
• A compactação de data warehouse é otimizada para melhorar o desempenho das
consultas e destina-se a aplicações de data warehouse.
• A compactação de arquivos on-line é otimizada para maximizar as relações de
compactação e destina-se a dados raramente alterados.
Você pode usar a compressão EHCC em tabelas completas ou em conjunto com
compactação básica e OLTP, utilizando particionamento.
Observação: um Compression Advisor, fornecido pelo pacote DBMS_COMPRESSION, ajuda
a determinar a relação de compactação esperada de determinado método de compactação
e para uma tabela específica.

Workshop de Administração do Exadata Database Machine 4 - 11


Organização de Dados da Compressão EHCC
(Exadata Hybrid Columnar Compression)
Unidade de Compactação
Unauthorized reproduction or distribution prohibitedฺ Copyright© 2013, Oracle and/or its affiliatesฺ

Cabeçalho do Bloco Cabeçalho do Bloco Cabeçalho do Bloco Cabeçalho do Bloco


Cabeçalho da CU
C2 C5 C7 C8
C1 C4
C3
C2 C5 C6

le
• Uma unidade de compactação é uma estrutura lógica que fe rab
abrange vários blocos do banco de dados a n s
n -t r
• o
Cada linha fica contida em uma unidade de compactação
n
a
• Os dados são organizados por coluna) h as ฺ a sua carga
durante
• ฺbr Guide
Cada coluna é compactada separadamente
m
o ฺ co ent
• O Smart Scan é suportado
tei k tud
r t e @ his S
u p o se t
c ฺs Oracletoe/ouusuas empresas afiliadas. Todos os direitos reservados.
Copyright © 2012,
e
t
o ( ense
i k ic (Exadata Hybrid Columnar Compression), os dados são
Te
Com a compressão
o lEHCC
e c nic de compactação,
organizados
unidade
em conjuntos de linhas denominados unidades de compactação. Dentro de uma
os dados são organizados por colunas e, em seguida, compactados.
T A organização dos dados em colunas aproxima os valores similares, melhorando as
relações de compactação. Cada linha fica contida em uma unidade de compactação.
O tamanho de uma unidade de compactação é determinado automaticamente pelo Oracle
Database com base em vários fatores, a fim de produzir o resultado mais eficaz e manter,
ao mesmo tempo, um excelente desempenho das consultas. Embora o diagrama do slide
mostre uma unidade de compactação que contém quatro blocos de dados, isso não significa
que uma unidade de compactação sempre contenha quatro blocos.
Além de fornecer uma excelente compactação, a compressão EHCC (Exadata Hybrid
Columnar Compression) funciona juntamente com o Smart Scan, de forma que a projeção de
colunas e a filtragem de linhas podem ser executadas juntamente com a descompactação no
nível do armazenamento, com o fim de economizar ciclos da CPU nos servidores de banco de
dados.
Embora ajude na compactação, a organização em colunas não é adequada para operações
DML porque uma alteração aparentemente insignificante em uma linha poderá forçar a
reorganização de uma unidade de compactação inteira. Devido ao alto custo envolvido na
reorganização de dados organizados em colunas, essas operações são evitadas pela
compressão EHCC (Exadata Hybrid Columnar Compression). Em vez disso, as deleções são
essencialmente lógicas, enquanto as atualizações e as inserções de caminho convencional
resultam na inserção de novas linhas em unidades de compactação de bloco único. Portanto,
a compressão EHCC oferece excelentes relações de compactação para dados carregados de
caminho de direto e é recomendada no caso de dados que não são atualizados com
frequência.
Workshop de Administração do Exadata Database Machine 4 - 12
Visão Geral do Exadata Smart Flash Cache

• Cache de alto desempenho para objetos acessados com


Unauthorized reproduction or distribution prohibitedฺ Copyright© 2013, Oracle and/or its affiliatesฺ

frequência
• Excelente para absorção de leituras aleatórias repetidas
• Permite a otimização por tabela de aplicação
Centenas de Dezenas de Milhares
de Entradas/saídas por
Entradas/saídas por Segundo
Segundo le
fe rab
tr a ns
n -
no a
a
h eฺ s
r
ฺ Guid
b )
m
k o ฺco dent
t ei Stu
o r te@ this
s p use
uOracle
c ฺ
Copyright © 2012,
e t oe/ou suas empresas afiliadas. Todos os direitos reservados.
t
o ( ense
i k c de restrição do desempenho do armazenamento foi o número de
Por muitos
o Teanos, umlifator
e c nic
Entradas/saídas aleatórias por segundo (IOPS) que um disco pode produzir. Para compensar
T o fato de que até mesmo um disco de alto desempenho pode produzir somente algumas
centenas de IOPS, arrays de armazenamento de grande porte eram necessários para
produzir 100.000 IOPS.
O Exadata Storage Server fornece o Exadata Smart Flash Cache, um mecanismo de
armazenamento em cache para dados acessados com frequência, que é útil para absorver
leituras aleatórias repetidas, bem como para OLTP. Com o Smart Flash Cache, uma única
célula do Exadata pode oferecer suporte a 100.000 IOPS, duas células podem oferecer
suporte a 200.000 IOPS etc.
O Smart Flash Cache concentra-se em armazenar no cache dados acessados com
frequência e blocos de índice, juntamente com informações críticas de desempenho,
como arquivos de controle e cabeçalhos de arquivos. Além disso, os DBAs podem alterar
as prioridades de armazenamento no cache utilizando o atributo de armazenamento
CELL_FLASH_CACHE para objetos de banco de dados específicos.

Workshop de Administração do Exadata Database Machine 4 - 13


Armazenamento em Cache Inteligente do
Exadata Smart Flash Cache
O Exadata Smart Flash Cache reconhece diferentes tipos de entrada/saída
Unauthorized reproduction or distribution prohibitedฺ Copyright© 2013, Oracle and/or its affiliatesฺ

de banco de dados:
• Dados acessados com frequência e blocos de índice são armazenados
no cache.
• Leituras e gravações de arquivos de controle são
armazenados no cache.
• Leituras e gravações de cabeçalhos de arquivos
são armazenados no cache.
• O DBA pode alterar as prioridades de armazenamento no cache. le
fe rab
• Entradas/saídas para espelhar cópias não são
tra ns
armazenadas no cache. n -
• Entradas/saídas relacionadas a backup não são a no
armazenadas no cache.
) h as ฺ
• ฺbr Guideno cache.
Entradas/saídas do Data Pump não são armazenadas
m
• o é armazenada
A formatação de arquivos de dadosฺcnão n t no cache.
i k o d e
• te tu o cache.
Varreduras de tabelas não monopolizam
@ his S
r t
o se te
u p
c ฺs Oracletoe/ouusuas empresas afiliadas. Todos os direitos reservados.
Copyright © 2012,
e
t
o ( ense
i k ic caros e de grande porte introduziram caches de memória não
Te
Mais recentemente,
o larrays
e c nic e igualmente caros para melhorar o desempenho. Entretanto, como esses caches
voláteis
T desconhecem as aplicações que os utilizam, sua eficiência é limitada.
Com o armazenamento do Exadata, cada entrada/saída do banco de dados é marcada
com metadados que indicam o seu tipo. O Exadata Smart Flash Cache usa essa informação
para tomar decisões inteligentes sobre como usar o cache. Essa cooperação garante o uso
eficiente do Exadata Smart Flash Cache.
Por exemplo, com o espelhamento ASM ativado, várias cópias de cada bloco de dados
devem ser gravadas no disco, para proporcionar o nível desejado de proteção de dados. No
entanto, normalmente, não há necessidade de armazenar no cache a cópia secundária de
um bloco porque o ASM lerá a cópia principal, se ela estiver disponível. No uso de um array
de armazenamento tradicional, não se teria conhecimento dessa característica, o que levaria
à ineficiência do armazenamento no cache.
De forma semelhante, com arrays tradicionais de armazenamento, os backups e as
exportações geralmente fazem com que todos os dados sejam carregados no cache
embora a operação não os leia repetidamente. O Exadata Storage Server sabe que não
há necessidade de encher o cache com dados de backup e de exportação. O mesmo ocorre
em operações de formatação de arquivos de dados. Finalmente, o Exadata Storage Server
não sobrecarrega o cache com dados de varreduras integrais de tabela, como ocorre com a
maioria dos outros arrays de armazenamento.

Workshop de Administração do Exadata Database Machine 4 - 14


Usando o Exadata Smart Flash Cache

Operação de Gravação Operação de Leitura Operação de Leitura


em dados previamente em dados não
Unauthorized reproduction or distribution prohibitedฺ Copyright© 2013, Oracle and/or its affiliatesฺ

armazenados no cache armazenados no cache

DB 1 DB 1 DB

Solicitação de Leitura
Solicitação de Leitura
3 1 3 3
Confirmação

le
cellsrv

cellsrv

cellsrv
fe rab
a ns
2 2 n2-tr4
4
a no
a
h eฺ s
r
ฺ Guid
b )
m
k o ฺco dent
Exadata Smart
t ei Stu
te@ this
Flash Cache

o r
p use
ฺ s uOracle
t e c
Copyright © 2012,
t oe/ou suas empresas afiliadas. Todos os direitos reservados.

i k o ( ense
TeSmart Flash
O Exadata
o lic Cache é um mecanismo de armazenamento no cache para dados
ic com frequência em cada célula do Exadata. Ele opera em conjunto com o Oracle
ecn
acessados
T Database automaticamente para otimizar, de forma inteligente, a eficiência do cache.
Cada Entrada/saída do banco de dados é marcada com os seguintes metadados:
• A definição CELL_FLASH_CACHE do objeto associado à Entrada/saída:
- O DEFAULT especifica que o Smart Flash Cache seja usado normalmente.
- O KEEP especifica que o Smart Flash Cache seja usado de forma mais agressiva.
- NONE determina que o Smart Flash Cache não seja usado.
• Uma dica do cache, que é designada pelo banco de dados com base no motivo da
Entrada/saída:
- CACHE indica que a Entrada/saída deve ser armazenada no cache. Por exemplo,
a Entrada/saída se destinada a um lookup de índice.
- NOCACHE indica que a Entrada/saída não deve ser armazenada no cache. Por
exemplo, a Entrada/saída se destina a um bloco espelhado de dados ou é uma
gravação em log.
- EVICT indica que os dados devem ser removidos do cache. Por exemplo, quando
uma operação de rebalanceamento do ASM move dados entre discos diferentes,
as cópias no cache correspondentes ao local original são movidas do cache.

Workshop de Administração do Exadata Database Machine 4 - 15


Além disso, o Smart Flash Cache leva em consideração os seguintes itens ao processar a
Entrada/saída:
• Tamanho da Entrada/saída: Entradas/saídas grandes em objetos com
CELL_FLASH_CACHE definido como DEFAULT não são armazenadas no cache.
• Carga do cache atual: em geral, varreduras de tabela inteligentes são direcionadas
ao disco. No entanto, se o objeto tiver uma definição de CELL_FLASH_CACHE de KEEP,
algumas leituras podem ser atendidas usando o Smart Flash Cache a fim de melhor
Unauthorized reproduction or distribution prohibitedฺ Copyright© 2013, Oracle and/or its affiliatesฺ

utilizar o throughput combinado dos discos e do cache.


O Smart Flash Cache usa todas as informações mencionadas anteriormente para tomar
decisões inteligentes sobre quais dados são ou não adequados para o armazenamento
no cache.
Para operações de gravação, CELLSRV grava dados no disco e envia uma confirmação ao
banco de dados para que ele continue sem interrupções. Em seguida, se os dados não forem
adequados para o armazenamento no cache, eles serão gravados no Smart Flash Cache. O le
desempenho da gravação não é aperfeiçoado nem diminuído com esse método. No entanto,
fe rab
tra ns
se uma operação de leitura subsequente precisar dos mesmos dados, é provável que ela se
beneficie do cache. n -
no a
Para operações de leitura, o CELLSRV primeiro deve determinar se os dados solicitados já
a s
h eฺ
estão no Smart Flash Cache. O CELLSRV mantém uma tabela de hash na memória, que é
r
ฺ Guid
b )
usada para determinar, com rapidez, quais blocos de dados estão contidos no Smart Flash
m
usado para atender à solicitação de Entrada/saída.k o ฺco dent
Cache. Se os dados solicitados estiverem armazenados no cache, um lookup do cache será

t e i tu com o Smart Flash Cache,


Para operações de leitura que não podem @ sers S
atendidas
uma leitura de disco é executada,o r e t hi
tee as informações solicitadas são enviadas ao banco
u p
s os dados s
uforem adequados para o armazenamento no cache,
ecฺ Flash
de dados. Em seguida, se
serão gravados no(tSmart t o
i k o e n se Cache.
Quando ose
T l ic
dados adequados são inseridos em um cache cheio, um algoritmo LRU (menos
usado o
ic recentemente) priorizado determina quais dados serão substituídos. Objetos com o
c n definido como KEEP estão sujeitos a uma política de retenção no
Te
CELL_FLASH_CACHE
cache diferente dos objetos com o CELL_FLASH_CACHE definido como DEFAULT. Objetos
KEEP têm prioridade sobre objetos DEFAULT, de forma que novos dados de um objeto
DEFAULT não extrairão dados no cache de nenhum objeto KEEP. Para evitar que objetos
KEEP monopolizem o cache, é permitido que eles ocupem, no máximo, 80% do tamanho total
do cache. Além disso, para evitar que objetos KEEP não usados ocupem indefinidamente o
cache, eles são submetidos a uma política de classificação por vencimento adicional, que
expurga periodicamente dados de objetos KEEP não usados.

Workshop de Administração do Exadata Database Machine 4 - 16


Visão Geral do Exadata Smart Flash Log

• O Exadata Smart Flash Log fornece um armazenamento


Unauthorized reproduction or distribution prohibitedฺ Copyright© 2013, Oracle and/or its affiliatesฺ

temporário confiável de baixa latência e alto desempenho


para gravações de redo log:
– As gravações do log são direcionadas para o disco e para o
Exadata Smart Flash Log
– O processamento continua após uma confirmação mais rápida
– Conceitualmente semelhante aos redo logs multiplexados
– O Exadata Storage Server gerencia automaticamente o Smart rab
le
Flash Log e garante que todas as entradas do log sejam nsfe
a
mantidas no disco n-tr no
a
Registro de
) h as Confirmação
Continua Após

Redo Log ฺ b r i d e Mais
om nt G u Rápida
ฺ c
o ude
t e i k t
@ s S
o r te thi
s p use
uOracle
c ฺ
Copyright © 2012,
e t oe/ou suas empresas afiliadas. Todos os direitos reservados.
t
o ( ense
i k lic Log fornece um mecanismo para melhorar a latência das operações
TeSmart Flash
O Exadata
o
ic
ecn
de gravação de redo log do banco de dados. O Exadata Smart Flash Log usa uma pequena
T parte da memória flash de alto de desempenho do Exadata Storage Server como um
armazenamento temporário a fim de permitir gravações de redo log de baixa latência.
Com o Exadata Smart Flash Log, os registros de log são gravados simultaneamente nos
arquivos de redo log on-line baseados em disco e no Exadata Smart Flash Log. O software
do Oracle Exadata Storage Server espera pela operação de gravação mais rápida, seja
no disco rígido ou no Exadata Smart Flash Log. Quando os discos rígidos que contêm os
arquivos de redo log on-line têm problemas de desempenho temporários, como cargas
intensas de entrada/saída, as operações de gravação no Exadata Smart Flash Log
normalmente serão concluídas com mais rapidez e apresentarão um bom tempo de
resposta de maneira consistente.
O Exadata Smart Flash Log é conceitualmente semelhante aos arquivos de redo log on-line
multiplexados, disponíveis no Oracle Database por muitos anos. A principal diferença é que
o Exadata Smart Flash Log usa somente a memória flash para armazenamento temporário
de dados de redo log. Por default, o Exadata Smart Flash Log usa 32 MB em cada disco de
célula baseado em flash, para um total de 512 MB em cada Exadata Storage Server.

Workshop de Administração do Exadata Database Machine 4 - 17


Visão Geral do Exadata Storage Index

Storage Index na Memória Somente o primeiro bloco pode corresponder


Unauthorized reproduction or distribution prohibitedฺ Copyright© 2013, Oracle and/or its affiliatesฺ

Índice de Região
SELECT * FROM T1 WHERE B<2;

B:1/5 B:3/8
E:a/j
G:4/9
… …

1 AU do ASM
… 1MB
Região de
Armazenamento

1 Disco ASM
DBA
le
fe rab
Tabela T1 Tabela T1 ns
Tabela
traT2
o n -
A B C D A B C D a n
… 1 … … … 5 … … ) ha
s E F G

Mín B = 1
… 3 … … … 8 … m …ฺbrMínGBui=d3e a … 4
Máx B = 5
k o ฺco denMáx t B=8 d … 7
… 5 … …
t e…i 3 … t u …
e @ i s S j … 9
r t
o se t h
u p
c ฺs Oracletoe/ouusuas empresas afiliadas. Todos os direitos reservados.
Copyright © 2012,
e
t
o ( ense
e i k lic é uma estrutura baseada na memória que reduz o volume de
Um índiceTde armazenamento
o
e c nic
entrada/saída física em uma célula do Exadata. O índice de armazenamento acompanha os valores de
coluna mínimos e máximos, e essas informações são usadas para evitar Entradas/saídas inúteis.
T Por exemplo, o slide mostra a tabela T1 que contém a coluna B. A coluna B é rastreada no índice de
armazenamento. Dessa forma, sabe-se que a primeira metade da tabela T1 contém valores para a
coluna B no intervalo de 1 a 5. De forma semelhante, sabe-se que a segunda metade da tabela T1
contém valores para a coluna B no intervalo de 3 a 8. Qualquer consulta na tabela T1 à procura de
valores de B inferiores a 2 pode ser feita com rapidez, sem nenhuma atividade de entrada/saída na
segunda parte da tabela.
Levando-se em conta uma combinação favorável de distribuição de dados e predicados de consulta,
um índice de armazenamento pode ser usado para acelerar de forma drástica uma consulta, ignorando
rapidamente um grande número de entradas/saídas. Para outra consulta, o índice de armazenamento
pode oferecer pouca ou nenhuma vantagem. Em qualquer caso, a facilidade de manutenção e de
consulta do índice de armazenamento baseado em memória significa que qualquer Entrada/saída
salva por meio do seu uso aumenta efetivamente a largura de banda geral de Entrada/saída da célula,
consumindo muito poucos recursos da célula.
O espaço de armazenamento dentro de cada disco de célula é logicamente dividido em partes de 1 MB
denominadas regiões de armazenamento. Os limites das unidades de alocação (AUs) do ASM são
alinhados com os limites das regiões de armazenamento. Para cada uma dessas regiões, as
estatísticas de distribuição de dados são mantidas em uma estrutura de memória denominada índice
de região. Cada índice de região contém informações de distribuição de até 8 colunas. O índice de
armazenamento é um conjunto de índices de região.

Workshop de Administração do Exadata Database Machine 4 - 18


As estatísticas de armazenamento mantidas em cada índice de região representam a
distribuição de dados (valores mínimos e máximos) de colunas que são consideradas
bem clusterizadas. O Exadata Storage Server contém a lógica que determina, de forma
transparente, quais colunas são clusterizadas o suficiente para serem incluídas no índice de
região. Diversas partes da mesma tabela podem ter conjuntos diferentes de colunas em seus
índices de região correspondentes.
O índice de armazenamento funciona melhor nas condições a seguir:
Unauthorized reproduction or distribution prohibitedฺ Copyright© 2013, Oracle and/or its affiliatesฺ

• Os dados estão ordenados de forma que os mesmos valores de coluna estejam


clusterizados juntos.
• A consulta tem um predicado em uma coluna de índice de armazenamento que procura
=, <, > ou alguma combinação deles.
É importante observar que o índice de armazenamento funciona de forma transparente
sem intervenção do usuário. Não há necessidade de criar, eliminar nem ajustar o índice
de armazenamento. A única forma de alterá-lo é carregar suas tabelas usando dados le
pré-classificados.
fe rab
Além disso, como o índice de armazenamento é mantido na memória, ele desaparece
tr a ns
n -
quando a célula é reinicializada. As primeiras consultas executadas após a reinicialização
ano
da célula fazem com que o índice de armazenamento seja recriado automaticamente.
a s
h codificação
O índice de armazenamento funciona com tipos de dados )
r cuja
d e ฺ binária permita
b
que a comparação lexical binária no nível de bytes de ฺdois valores
m i
u do tipo de dados em
questão seja suficiente para determinar a ordenação ฺ o
c en dessest Gdois valores. Isso inclui tipos
de dados como NUMBER, DATE e VARCHAR2. k o ud os tipos NLS são um exemplo de
i No entanto,
tipos não incluídos para filtragem de@
t e S t
o r te índicethdeisarmazenamento.
ฺ s up use
( t ec se to
e i ko licen
i c oT
e c n
T

Workshop de Administração do Exadata Database Machine 4 - 19


Exemplo de Índice de
Armazenamento com Partições
ORDER# ORDER_DATE SHIP_DATE ITEM
Unauthorized reproduction or distribution prohibitedฺ Copyright© 2013, Oracle and/or its affiliatesฺ

(Chave da Partição)

1 2007 2007
2 2008 2008
3 2009 2009

• Consultas em SHIP_DATE não se beneficiam do le


particionamento de ORDER_DATE: fe rab
ns
– No entanto, SHIP_DATE está altamente correlacionado a-tra
ORDER_DATE non a
• as ฺ das
O índice de armazenamento melhora o desempenho
) h
consultas em SHIP_DATE: ฺbr uide m G
ฺco particionamento
– Aproveita a ordenação criadaopelo ent
t eik Stud
o r te@ this
s p use
uOracle
c ฺ
Copyright © 2012,
e t oe/ou suas empresas afiliadas. Todos os direitos reservados.
t
o ( ense
i k ic colunas correlacionadas. ORDER_DATE é altamente
O exemplo
o Teno slide lcontém
e c nic
correlacionado com SHIP_DATE. As datas são geralmente correlacionadas porque,
T em geral, uma data de envio é próxima a uma data de pedido.
Se a sua tabela for particionada por ORDER_DATE, e você executar uma consulta usando
ORDER_DATE como filtro, a remoção de partições será usada para que somente as partições
relevantes sejam lidas. No entanto, se você fizer uma consulta usando apenas SHIP_DATE
na cláusula WHERE, a remoção da partições não poderá ser usada para otimizar a consulta.
No entanto, se SHIP_DATE fizer parte do índice de armazenamento, esse índice será usado
para ignorar todos os blocos que não correspondam à sua consulta. Essa filtragem ocorre
no nível de armazenamento. O índice de armazenamento ajuda a consulta SHIP_DATE a
aproveitar a ordenação natural decorrente do particionamento de ORDER_DATE e a
correlação natural existente entre as colunas ORDER_DATE e SHIP_DATE.

Workshop de Administração do Exadata Database Machine 4 - 20


Database File System

• O DBFS (Database File System) permite que o banco de dados


Unauthorized reproduction or distribution prohibitedฺ Copyright© 2013, Oracle and/or its affiliatesฺ

seja usado como um sistema de arquivos.


• Os arquivos são armazenados como LOBs SecureFiles nas
tabelas de banco de dados:
– Protegidos como qualquer dado Oracle – espelhamento ASM, Data