Você está na página 1de 19

UNIVERSIDADE PAULISTA

SÉRGIO FERREIRA LUIZ FILHO

WILLIAM EDWARD DEMING – VIDA E OBRA


II

Araraquara
2011
I

UNIVERSIDADE PAULISTA

SÉRGIO FERREIRA LUIZ FILHO

WILLIAM EDWARD DEMING – VIDA E OBRA

Trabalho para obtenção de nota no


primeiro bimestre, disciplina de
Qualidade, referente ao curso de
graduação em Engenharia de Controle
e Automação.

Profº. Roberval

Araraquara
2011
II

“Acredito em Deus, todos os outros


devem apresentar dados e fatos.”

Edward Deming
III

RESUMO

William Edwards Deming foi um estatístico, professor universitário, autor,


palestrante e consultor estadunidense.
Deming é amplamente reconhecido pela melhoria dos processos produtivos
nos Estados Unidos durante a Segunda Guerra Mundial, sendo porém mais
conhecido pelo seu trabalho no Japão. Lá, a partir de 1950, ele ensinou altos
executivos como melhorar projeto, qualidade de produto, teste e vendas (este último
por meio dos mercados globais) através de vários métodos, incluindo a aplicação de
métodos estatísticos como a análise de variantes e teste de hipóteses.

Palavra chave: Deming.


IV

ABSTRACT

William Edwards Deming was an American statistician, professor, author,


lecturer, and consultant.
He is perhaps best known for his work in Japan. There, from 1950 onward, he
taught top management how to improve design (and thus service), product quality,
testing and sales (the last through global markets) through various methods,
including the application of statistical methods.

Keyword: Deming.
V

LISTA DE ILUSTRAÇÕES

FIGURA 01 – William Edwards Deming .................................................................9


FIGURA 02 – Ciclo do PDCA …………................................................................16
SUMÁRIO

RESUMO.............................................................................................................. III
ABSTRACT.......................................................................................................... IV
LISTA DE ILUSTRAÇÕES................................................................................... V
1 INTRODUÇÃO.................................................................................................. 8
2 BIOGRAFIA....................................................................................................... 9
3 ESTUDOS DA QUALIDADE.............................................................................12
3.1 14 Passos..............................................................................................12
3.2 Doenças mortais da administração.......................................................14
3.3 PDCA.....................................................................................................15
CONCLUSÃO....................................................................................................... 17
REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS..................................................................... 18
8

1 INTRODUÇÃO

Alguns conceitos de Deming até hoje são difundidos por todo o mundo, mais Os
14 pontos de Deming para a melhoria da qualidade, as cinco doenças mortais da
qualidade e os 12 grandes obstáculos tornaram-se uma referência universal no
ensino e na prática da qualidade. A vida e a obra de Deming foram objeto de quatro
livros biográficos que se tornaram best-sellers da gestão.
9

2 BIOGRAFIA

William Edwards Deming nasceu em Sioux City, estado de Iowa, em 14 de


outubro de 1900. Embora tenho sido reconhecido através do mundo como um "guru
do gerenciamento da qualidade" ele insistia em ser reconhecido como "consultor em
estudos estatísticos". Seu caminho para a fama obtida como estatístico foi
transversal e cheia de eventos circunstanciais.

Figura 1

Após sua graduação em Engenharia, em 1921, na Universidade de Wyoming,


ele permaneceu mais um ano para estudar Matemática. Foi neste ano que ele
recebeu uma carta da Escola de Minas do Colorado. Na carta o professor de física
informava que sabia que ele era um bom tocador de flauta e o convidava a lecionar
na Universidade, pois desejava contar com seu talento para formar uma banda. Ele
aceitou o convite e após um ano resolveu fazer mestrado em Matemática e Física na
Universidade. Logo após obter seu diploma, um de seus professores que tinha
estudado em Yale com Willard Gibbs (matemático e físico bem conhecido) o
recomendava para esta instituição. Como conseqüência Yale ofereceu a ele isenção
de taxas e um emprego em tempo parcial como instrutor que ele aceitou sem
hesitar.

Após terminar seu doutorado em Yale em 1928, iniciou sua carreira como
funcionário do governo atuando como Físico Matemático no Laboratório de
Pesquisas de Fixação de Nitrogênio do Departamento de Agricultura (USDA),
permanecendo neste emprego até 1939. Suas 38 publicações deste período tinham
10

como tema as propriedades do assunto, mas várias refletiam seu interesse em


metodologia estatística. Foi-lhe perguntado certa vez porque um Físico Matemático
tornou-se um estatístico. Sua resposta foi:

"Assuntos de Engenharia e Levantamentos Amostrais me levaram a teoria dos erros


e ao estudar Física e Matemática eu aprendi muita probabilidade. Teoria Cinética dos
Gases, por exemplo, é uma teoria probabilística, assim como Termodinâmica e Astronomia.
Também Geodésia que envolve medições da superfície da terra com o objetivo de inferir
sobre sua curvatura e demais características que faz uso do Método dos Mínimos
Quadrados e eu tive professores muito bons sobre este assunto. Quando as pessoas tinham
problemas com dados experimentais, eu trabalhava sobre eles e me sentia capaz de fazer
contribuições ou sugerir alguma idéia e foi desta maneira que gradualmente eu me envolvi
com a estatística".

As análises de resultados experimentais de trabalhos em bacteriologia e


química deram a ele a oportunidade de aprender sobre o ajuste estatístico de dados.
Foram três artigos sobre as “aplicações dos mínimos quadrados" publicados no
periódico "Phisophical". No seu livro "Ajustamento Estatístico de Dados", publicado
em 1943, ele apresentou a fundamentação destes artigos e suas idéias sobre o
assunto. Este texto é ainda consultado como ajuda na aplicação do Método dos
Mínimos Quadrados em várias situações.

De 1930 até 1946 Deming foi um professor (leitor) especial de Matemática e


Estatística na Escola de Pós-Graduação do Departamento Nacional de
Padronização. Seus cursos inspiraram muitas palestras e artigos de seus alunos e
estes trabalhos foram a motivação para o estabelecimento, em 1947, do Laboratório
de Engenharia Estatística dentro do Escritório de Padronização. Durante o período
de 1933 a 1953 ele foi também chefe do Departamento de Matemática e Estatística
da Escola de Pós-Graduação do USDA (Departamento de Agricultura do Governo
Americano) e contribuiu para a educação estatística e matemática de toda uma
geração. Em 1936 ele foi para Londres para estudar a Teoria Estatística na
Faculdade Universitária da Universidade de Londres.

Enquanto fazia a graduação, Deming assistiu a palestras de Jerzy Neyman,


que era, na época, chefe do Laboratório de Biometria do Instituto Neeki em
Varsóvia, Polônia.

Neyman apresentou, em uma reunião da Sociedade Estatística Real (Royal


Statistical Society) um artigo revolucionário "Sobre dois aspectos diferentes do
11

método representativo: O método da amostragem estratificada e o método da


seleção purposive". Como resultado desta palestra e particularmente deste artigo,
que marcou o início de uma nova era na amostragem, foram tomadas providências
para que Neyman visitasse e lecionasse na Escola USDA de Pós-Graduação o que
ocorreu em 1937.

Deming tomou providências para que as aulas de Neyman em Washington tivessem


uma grande participação dos estatísticos que trabalhavam para o governo e
trabalhou durante um ano para produzir o livro "Palestras e Conferências em
Estatística Matemática". As palestras e o livro tiveram um grande impacto na teoria
da amostragem.

A sua entrada no mundo da melhoria da qualidade foi inspirada pelo livro:


Controle Econômico da Qualidade de Produtos Manufaturados, de 1931, escrito pelo
seu mentor Walter Shewhart, considerado o pai do CEP (Controle Estatístico do
Processo). Em 1938, ele tomou providências para que Shewhart fizesse uma série
de quatro palestras denominadas de "Métodos Estatísticos do Ponto de Vista do
Controle de Qualidade" na Escola USDA de Pós-Graduação. Estas palestras foram
publicadas pela escola em 1939, com a assistência editorial de W. Edwards Deming.

A cruzada que Deming criou para a melhoria da qualidade resultou, como


sabemos, no renascimento econômico do Japão e finalmente no seu
reconhecimento mundial como o "profeta da qualidade" e filósofo do gerencimento.

As extensivas contribuições de Deming para o pensamento estatístico são tantas


que não seria possível listar neste artigo. É suficiente dizer que, durante toda a sua
vida, ele cultivou a crença que a teoria estatística mostra como a matemática,
julgamentos e conhecimentos substantivos trabalham juntos para o melhor. Ele
mesmo mostrou isto, sendo um mestre na lógica e na arquitetura dos estudos
estatísticos.

Deming morreu silenciosamente enquanto dormia, assistido pela família, em 20


de dezembro de 1993.
12

3 ESTUDOS DA QUALIDADE

3.1 14 passos

Para Deming, a qualidade é definida consoante as exigências e as necessidades


do consumidor. Como elas estão em permanente mudança as especificações de
qualidade devem ser alteradas constantemente. Só que Deming considera não ser
suficiente cumprir as especificações. É preciso utilizar os intrumentos de controle
estatístico de qualidade, em vez da mera inspeção de produtos. Esta não melhora a
qualidade, não a garante e até aceita um certo número de defeitos. Ele recomenda
igualmente uma seleção criteriosa dos fornecedores com que a empresa trabalha.

Deming criticou o sistema empresarial norte-americano por não apostar na


participação dos trabalhadores no processo de decisão. Ele argumenta que os
gestores são responsáveis por 94% dos problemas de qualidade. O seu principal
papel é remover as barreiras na empresa que impedem a realização de um bom
trabalho. “Os executivos devem fazer os outros trabalhar melhor, e não apenas
mais”, é uma das suas frases famosas.

Os 14 pontos de Deming para a melhoria da qualidade, as cinco doenças


mortais da qualidade e os 12 grandes obstáculos tornaram-se uma referência
universal no ensino e na prática da qualidade. A vida e a obra de Deming foram
objeto de quatro livros biográficos que se tornaram best-sellers da gestão.

Os 14 passos recomendados por Deming:

1 - Crie na organização uma constância de propósitos no sentido da melhoria dos


produtos e serviços, de forma que se torne competitiva, mantenha-se no negócio e
gere trabalho;

2 - Adote a nova filosofia e assuma a liderança da mudança. Os competidores estão


fazendo isso e os consumidores têm expectativas crescentes;

3 - Abandone a inspeção como meio de obtenção da qualidade. A qualidade deve


13

ser construida através da redução das variações no processo. Se as variações nos


processos forem diminuídas, não haverá necessidade de inspecionar para separar
os defeitos;

4 - Abandone a prática de privilegiar negócios com base somente nos preços.


Caminhe no sentido de ter um fornecedeor preferencial para cada item e estabeleça
com ele um relacionamento de longo prazo, baseado na confiança e na fidelidade;

5 - Melhore sempre e constantemente cada processo de produção e prestação de


serviços, reduzindo suas variações. Assim, os custos cairão constantemente;

6 - Introduza o treinamento nos postos de trabalho. Pessoas sem treinamento


adequado produzirão com maiores variações;

7 - Institua a liderança no lugar de chefia no papel da supervisão. O objetivo deve


ser coordenar e dar suporte;

8 - Elimine o medo. Pessoas não realizaram um bom trabalho se não se sentirem


seguras;

9 - Elime as barreiras entre os departamentos, promovendo a visibilidade entre


várias áreas. As pessoas, nas várias atividades, deverão atuar como uma equipe;

10 - Elimine os slogans de exortação, que muitas vezes nada significam e criam um


clima de adversários;

11 - Elimine a gestão por objetivos com base em indicadores de quantidades. Esse


ponto é controverso, a menos que seja interpretado com o entendimetno das
variações naturais;

12 - Remova as barreiras que impedem os colaboradores em geral de sentirem


orgulho do seu trabalho;

13 - Crie um vigoroso programa de educação e de automelhoramento. Embora este


14

seja o 13º ponto, normalmente é um ponto de partida, e deve ser aplicado


imediatamente após o ponto um;

14 - Caracterize a mudança como sendo responsabilidade de todos e crie na


organização uma estrutura capaz de dar suporte a todos os pontos.

3.2 Doenças mortais da administração

W. Edwards Deming, Também ficou conhecido como o cientista que foi


ensinar qualidade e estatística aos japoneses durante a ocupação norte-americana
(porque os telefones no Japão não funcionavam direito), abaixo nos ensina as
famosas cinco "doenças mortais da administração" ("the administration’s five deadly
diseases"):

1- Falta de objetivos constantes. (Lack of constancy of purposes)


Não é possível realizar um bom trabalho se os objetivos gerencias mudam a cada
instante ou não estão bem claros e divulgados.

2- Ênfase em lucros imediatos a curto prazo. (Emphasis on short term profits)


Isso é muito comum no ocidente, em que a "taxa interna de retorno" manda mais
que o bom senso.

3- Sistema atual de avaliação dos assalariados que esconde uma administração


pelo medo. Uma boa avaliação leva tempo. (Annual rating of performance)
O desempenho é conseguido pelo medo, pelo castigo e não pela conscientização.
Erros são escondidos. A criatividade é castrada.

4- Imobilidade da administração. A alta direção deve ir aos locais de trabalho para


conhecer a raiz dos problemas. (Lack of mobility of the management)
Não fiquem sentados nos escritórios com ar condicionado imaginando quais são as
causas dos problemas.
15

5- Levantamento de dados e mais dados (só números) E o intangível? (Use of


visible figures only)
Por exemplo: como posso colocar em números qual o efeito multiplicador de um
cliente insatisfeito?

3.3 PDCA

O ciclo PDCA, ciclo de Shewhart ou ciclo de Deming, é um ciclo de


desenvolvimento que tem foco na melhoria contínua.

O PDCA foi introduzido no Japão após a guerra, idealizado por Shewhart e


divulgado por Deming, quem efetivamente o aplicou. Inicialmente deu-se o uso para
estatística e métodos de amostragem. O ciclo de Deming tem por princípio tornar
mais claros e ágeis os processos envolvidos na execução da gestão, como por
exemplo na gestão da qualidade, dividindo-a em quatro principais passos.

O PDCA é aplicado para se atingir resultados dentro de um sistema de gestão


e pode ser utilizado em qualquer empresa de forma a garantir o sucesso nos
negócios, independentemente da área de atuação da empresa.

O ciclo começa pelo planejamento, em seguida a ação ou conjunto de ações


planejadas são executadas, checa-se se o que foi feito estava de acordo com o
planejado, constantemente e repetidamente (ciclicamente), e toma-se uma ação
para eliminar ou ao menos mitigar defeitos no produto ou na execução.

Os passos são os seguintes:

• Plan (planejamento) : estabelecer uma meta ou identificar o problema (um


problema tem o sentido daquilo que impede o alcance dos resultados esperados,
ou seja, o alcance da meta); analisar o fenômeno (analisar os dados
relacionados ao problema); analisar o processo (descobrir as causas
fundamentais dos problemas) e elaborar um plano de ação.
16

• Do (execução) : realizar, executar as atividades conforme o plano de ação.


• Check (verificação) : monitorar e avaliar periodicamente os resultados, avaliar
processos e resultados, confrontando-os com o planejado, objetivos,
especificações e estado desejado, consolidando as informações, eventualmente
confeccionando relatórios. Atualizar ou implantar a gestão à vista.
• Act (ação) : Agir de acordo com o avaliado e de acordo com os relatórios,
eventualmente determinar e confeccionar novos planos de ação, de forma a
melhorar a qualidade, eficiência e eficácia, aprimorando a execução e corrigindo
eventuais falhas.

Figura 2
17

CONCLUSÃO

Baseado nos estudos e nas recomendações de Deming conclui que conforme


estudos de Deming toda empresa deve estar inserida na nova economia, acordar
para os desafios que o mercado está impondo, como as novas tecnologias, onde a
empresa deve estar adaptada ao ambiente, objetivando tornar-se competitiva e
manter-se em atividade. A qualidade é tudo aquilo que melhora o produto no ponto
de vista do cliente. A empresa deve atender as necessidades e desejos do cliente,
para isso deve melhorar de forma contínua seus processos, de modo a favorecer a
qualidade e produtividade para atender aos seus clientes.
Este estudo e esta concepção é representada pelo ciclo PDCA: As atividades de
planejar, fazer, verificar e agir, que enfatizam o clima organizacional da empresa,
onde deixa claro que todos os funcionários devem participar dos desafios que a
empresa enfrenta, destruindo as barreiras entre os departamentos, deve-se
trabalhar em equipe, pois a transformação da empresa é competência de todos.
Sendo assim a empresa deve estar bem-estruturada e harmônica para produzir com
qualidade.
18

REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS

Japonese Methods for Productivity and Quality (George Washington University,


1981).

Quality, Productivity and Competitive Position (MIT Press,-1982)-e-Out-of-the-Crisis-


(MIT-Press,1986).

PUCRS - PONTIFÍCIA UNIVERSIDADE CATÓLICA DO RIO GRANDE DO SUL.


Historia – Biografias: William Edward Deming. Disponível em:
http://www.pucrs.br/famat/statweb/historia/daestatistica/biografias/Deming.htm.
Acesso em: 10 de abr. 2011