Você está na página 1de 2

Março 2011 2

BOLETIM DO INTERNO
Revisões, estudos, tratamentos, medicina baseada na evidência resumida, simplificada e
prática.
Declaração de interesses dos autores: nenhum a declarar. Contacto: dmsrodrigues@gmail.com journal club

QUANDO TRATAR OS OUTROS É MAU PARA A SAÚDE


Marisa A Pereira, interna do 3.º ano de MGF, USF Arandis

Na minha busca incansável de indivíduos que praticam exercício


conhecimentos que me permitam físico moderado a vigoroso,
tratar melhor os meus utentes, estavam associados a piores
deparei-me com um estudo de indicadores de função cardio-
2008 publicado na revista m e t a b ó l i c a e i n fl a m a ç ã o ,
“Diabetes Care” sobre o impacto nomeadamente maior perímetro
dos momentos de sedentarismo e abdominal, níveis de colesterol
das suas pausas na saúde. O HDL mais baixos e níveis mais
estudo, que contou com 4 757 elevados de PCR e triglicéridos.
indivíduos, procurou determinar a Foi também constatado que a
relação entre o tempo total frequência das pausas realizadas
dispendido sentado, as pausas contribuía para melhorar estes
feitas neste período de tempo e indicadores e que os indivíduos
vários indicadores de risco de que faziam mais pausas tinham
doença cardiovascular, doenças em média um perímetro
http://
metabólicas e processos abdominal 5,95 cm mais pequeno care.diabetesjournals.org/
content/31/4/661.abstract
inflamatórios. Os resultados que os que faziam menos.
revelaram que os períodos de
sedentarismo, mesmo nos
[1]
Os resultados deste estudo
fizeram-me reflectir sobre a prática
da Medicina Geral e Familiar e o
tempo dispendido sentados na
consulta. Percebi então o impacto
que esta informação pode ter na
forma como gerimos o nosso tempo
de consulta. Pretendo com este
artigo, de forma despretensiosa,
divulgar algumas das estratégias por
mim adoptadas de forma a minimizar
o impacto negativo dos períodos
sentada na consulta e assim inspirar
os colegas a incluírem na sua rotina Um gesto que sempre fiz questão de efectuar na
procedimentos de combate ao minha prática é receber cada utente à porta do
sedentarismo adaptados a cada um. consultório e na despedida acompanhá-lo à saída
O exame objectivo constitui o ou, pelo menos, despedir-me levantando-me da
momento de actividade física por cadeira. Isto, numa manhã com 16 consultas, resulta
excelência, no entanto, é possível em 32 deslocações. Sempre que necessito de falar
incluir outros no decorrer das com algum colega procuro dirigir-me ao seu gabinete
consultas. e as fotocópias de informações clínicas ou exames
são efectuadas por mim na recepção. O tempo
destas viagens não implica mais que 1 a 2 minutos e
tem ainda a vantagem de podermos ter um contacto
mais personalizado com os colegas de trabalho. A
meio da manhã não dispenso uma pequena pausa
de 5 minutos para ir à copa comer um pequeno
lanche, retemperando energias, aclarando ideias e,
mais uma vez, acrescentando “milhas” ao meu dia.
O que fazer? Outra rotina que criei nas consultas de Planeamento
Familiar é deixar a utente preparar-se para o exame e
solicitar o apoio da enfermeira directamente no seu
gabinete. Obviamente não pretendo servir de
exemplo a ninguém, mas espero que estas dicas
possam ser utilizadas ou meramente servir de
inspiração para a adopção de novas atitudes de
combate ao sedentarismo no período de trabalho.

Bibliografia
Healy G, Dunstan D, Salmon J, Cerin E, Shaw J, Zimmet P. Breaks in sedentary time: beneficial associations with metabolic risk. Diabetes Care
[Internet]. 2008 Feb 5 [cited 2011 Feb 5]; Available from:
http://care.diabetesjournals.org/content/early/2008/02/05/dc07-2046.full.pdf

[2]

Interesses relacionados