Você está na página 1de 4

Escatologia O cirandar de Simão.

O CIRANDAR DE SIMÃO.

Entretanto, antes que tudo isso aconteça, vos prenderão e perseguirão. E assim vos entregarão às sinagogas e aos cárceres, e sereis conduzidos à presença de reis e governadores, e tudo isso por causa do meu Nome”.

(Lucas 21. 12 Grifo Meu BKJ).

Não é de difícil dedução que algo sobrenatural acontece sobre nossas cabeças, sob nossos pés. As últimas tragédias climáticas em solo brasileiro nos fazem pensar que realmente estamos vivendo os últimos dias. Mas, será isso mesmo os últimos dias? Essas coisas sempre não aconteceram pelo mundo a fora? Claro que a resposta é sim! Então isso seria suficiente para afirmarmos que estamos no fim dos dias, no princípio das dores?

Não estamos no fim dos dias, por que simplesmente ainda há esperança e solidariedade. E é certo que no tão esperado tempo em que tudo vai acabar, essas coisas não existirão, e se existirem não serão vistas a olho nu (Mt 24. 12).

As profecias de Jesus apontam para um quadro caótico de acontecimentos, um quadro de eventos sincronizados e não simultâneos. Nesse tempo não haverá como as nações se ajudarem, todas elas estarão sofrendo as mesmas coisas. Isso acontecerá num ritmo que não aceitará previsão. Nesses dias um poder absoluto residirá no ESTADO, de uma forma que a História ainda não presenciou em lugar algum. Será um estilo de governo (e não uma filosofia) adotado por todos os países, e isso, se pode ver que já começou. Pois na crise financeira que abalou o mundo, os países onde o governo atuou na economia saíram melhor no fim de tudo, e o Brasil é exemplo disso. Mas, perto dos últimos dias, esse poder alcançará forma absoluta e incontestável. O objeto perfeito para os planos do anticristo. Mas, nada das coisas que descreverei a seguir acontecerá sem que antes (πρ ò, o grego aqui é bem claro em sua expressão) o ESTADO exija a dissolução imediata e total da igreja (Luc 21. 12). Esse tempo eu chamo de, "O CIRANDAR DE SIMÃO". Separa-se aqui o anel dos DEDOS (Tg 2. 1- 4).

Na última ceia com seus discípulos, Jesus alertou Pedro (Simão) para uma hora terrível que viria sobre ele, sobre os discípulos (Lc 22. 31). Satanás havia se oferecido para purificá-lo [sic]. Retirar dele a palha, deixá-lo trigo limpo. Jesus roga por ele, sem que, contudo o texto nos diga se valeu ou não a intercessão. Ora, sabemos o que aconteceu depois disso, e continuamos sem poder afirmar se o diabo fez aquilo para o qual se ofereceu. Essa seria somente a primeira vez que Satan pediria tal coisa. Uma perseguição global e sem limites virá sobre a igreja dos últimos dias. Os eventos descritos nas profecias de Jesus acontecem depois que a igreja é peneirada, pois nesses dias ela deixará de existir como é hoje, e tomará uma forma mais ágil, leve e humana. O que restar desse peneirar será a igreja do anticristo, aqueles que amaram o erro mais que a verdade. As bases da igreja que conhecemos por Laodiceia. Simão é o antigo nome de Pedro, o que ele achava ser de melhor, esse nome representa os que pensam que podem seguir Cristo de si mesmos, de suas próprias forças e méritos (Fil 3. 1- 11). Seus recursos lhe dão o direito de dizer que são capazes de dar a vida pelo Mestre. Mas, naquela hora, se apartarão dele, e dirão nunca O terem conhecido. Aí, uma igreja de pouco força atravessará todos os dias caóticos tão bem pintados nas profecias de Jesus. Sabemos pelas Escrituras que Jesus anunciou a vinda do Espírito para mais de 500 pessoas antes de ascender ao céu (I Cor 15. 6). No entanto, no referido dia de Sua vinda, somente 120 pessoas estavam no cenáculo (At 1. 15). Depois disso, milhares de conversões marcaram o início da igreja. E como começou, assim também terminará penso eu. Um pequeno e inexpressivo grupo de pessoas levará milhões de pessoas aos pés de Jesus nos últimos dias. Como não

O fim dos tempos

1

Escatologia O cirandar de Simão.

haverá mais liberdade de culto para os Cristãos professos. Tudo voltará a ser de casa em casa; o partir do pão, as orações; o tudo em comum; o pouco que se tem. Não valerão de nada os templos (igreja não é templo) tão luxuosos hoje construídos. Eles em breve encontrarão sua ruína. O que não for confiscado pelo ESTADO, por acaso resistirá às guerrilhas urbanas? E quanto à desordem pública generalizada? Que prédio resistirá a mais de 100 abalos de terra por dia? E se algo ficar de pé, certamente servirá de abrigo para os milhares de moradores de rua, vitimas de doenças terríveis. Pessoas abandonadas por suas famílias à sorte, por causa da fome que virá sobre todo mundo. Essas coisas acontecerão no tempo de uma geração. Não sei precisar a velocidade dos eventos, e nem desejo arriscar. Por causa dessas coisas muitos tem perdido sua credibilidade e respeito. Não anuncio uma data, mas a minha compreensão sobre os fatos como os vejo. Não vejo esse nosso modelo de igreja avançando nos últimos dias da História dos Gentios. Ele é em excesso comprometido com o que há debaixo do telhado, com o que ficou no campo, com o que ficou para trás (Mt 24. 17, 18). Uma igreja técnica, que sabe bem como, mas, não o que deve falar. A igreja impedida, mas renovada, avança pelos últimos dias de História, no poder da comunhão e pelo sangue de Jesus. Tendo vencido a desigualdade (At 2. 16- 21) e o egoísmo, ela marcha em sua missão de fazer à última e grande colheita. Os frutos e o NOME são para eles a grande motivação de tudo, e como no início, os que recebem a fé, trazem os bens que tem aos líderes da igreja. E à medida que as necessidades surgem, elas são supridas. Isso também é feito por causa do confisco de bens que o ESTADO impõe aos crentes convertidos a Cristo. Nesses dias a igreja de trigo não tem nome, divisões, denominações e CNPJ. Ela volta a se chamar O caminho, e muitas pessoas obedecem à fé. A tradição oral e o testemunho são restaurados em sua função plena. Alguns chamam essa igreja de Filadélfia, a igreja sem recursos, mas, de amor fraternal. Humanamente falando ela não tem capital para nada. Mas, Cristo vai adiante dela e lhe abre as portas necessárias para o cumprimento de sua missão. Nesse tempo a igreja de palha, o braço religioso do ESTADO levanta grande perseguição contra ela. E por medo, os pais entregam os filhos e os filhos aos pais. A sinagoga ESTATAL (pois igreja será uma palavra proibida) confisca todos os bens das famílias hibridas e isso causa mais traição e abandono familiar. Por conta da perda material se desperta um grande ódio ao Nome e aos seguidores de Jesus. Pelas ruas, milhares de pessoas são arrastadas pelos seus parentes e lançadas em cárceres adaptados, que outrora nas igrejas eram salas de ensino Bíblico. Aguardam a polícia religiosa que os levará a julgamento por crimes contra a ordem e fé pública.

A seguir passarei a expor em ordem o meu ponto de vista dos acontecimentos. Seguindo a sequência descrita em Lucas 21. 5 ao 19).

† O CIRANDAR DE SIMÃO. É o tempo em que Deus permite a igreja ser tocada. Logo, Simão se

separa de Pedro. É a separação do anel (o que parece ser) dos DEDOS (do real). O anel é aquilo que achamos embelezar a igreja; a filosofia e doutrinas permissivas dos homens. O anel é Laodicéia, a igreja que

vai para a tribulação. A mão (os dedos) representa os cinco dons de Cristo (Ef 4. 11). Ela simboliza a sobriedade/simplicidade de Cristo, que se fez pobre, para nos fazer em tempos vindouros, ricos para Deus Pai. Essa igreja sem aparente beleza vai para o céu, e lá, receberá o anel mais importante e belo (Ap 3. 17, 18). O peneirar de Simão dá origem a igreja remanescente (Pedro). Esse ato provoca a última e derradeira reforma da fé (Rm 9. 6; 11. 5/Am 9. 13). Essa igreja avançará sobre o caos que se descreve nas profecias de Jesus encontradas em Lucas e Mateus. Daqui em diante a igreja deixa de ser técnica e volta a ser totalmente espiritual. Até aqui todos sabiam como falar, mas, não o que falar. A separação do anel dos DEDOS trará uma poderosa dependência aos crentes em Cristo (I Pe 4. 17), e isso resultará em uma sabedoria irresistível. Dar-se-á assim, pois não temos ideia dos argumentos de acusação por parte do ESTADO (Lc 20. 26; 21. 15). E sabemos que a perseguição não é de origem humana.

† CAOS RELIGIOSO. Dá-se fim a fé de raiz universal. O espírito do anticristo lança os fundamentos de

sua religião estatal. São chegados os dias da mulher de Ló, surge um misto de culto ao corpo e ao vil metal.

O fim dos tempos

2

Escatologia O cirandar de Simão.

A dissolução da igreja de Cristo gera um caos na família (v. 16/II Tm 3. 1- 4). É instalado o descrédito pré-

tribulacional (Mt 24. 12). Sem sua mais importante coluna moral, a sociedade experimenta ruína em todos os seguimentos. A religião se torna numa coisa local e excessiva. E sabemos que o excesso de opções confunde mais do que ajuda. Todas essas coisas são “o mar do surgimento”. A estrada do falso profeta. Nesse tempo o conflito árabe-israilense chega ao seu ponto máximo e os judeus resolvem retaliar pesado às ações palestinas. Eles decidem destruir a Cúpula da Rocha e purificar a área do antigo templo. Nesse período também se levantará muitos falsos profetas e cristos, dizendo: Paz, paz, paz. Essa é a mensagem mais terrível de todas. Pois mais dorido que a falta de paz, é a falsa esperança. Colocar o coração em uma coisa que nunca virá. Surge um quase que irresistível amor ao oculto. Filmes, livros, teatros, tudo exalta a cultura da noite, do desconhecido (Leia João 20. 31, e descubra que a espiritualidade que se deve amar é aquela já revelada).

† CAOS CIVIL (Efeito colateral da dissolução da igreja/família. Sem Deus governando). Golpes, atentados, fraudes, rebeliões, greves generalizadas, corrupção, esmagamentos políticos, enfrentamentos e discriminação de todas as formas. Surgem os dias de Noé. Nesse tempo a igreja de Jesus se reúne secretamente. O ESTADO alcança seu poder máximo e palavras como “LIBERDADE DE

EXPRESSÃO” não caminham mais juntas. Essa forma de ESTADO jamais vista, exerce forte controle sobre todos os meios de transporte de massa (Mt 24. 20). E ela usa todo esse poder para separar as cidades

e assim abafar os constantes protestos. Nos dias de clima desfavorável ao trabalho e em feriados, o

ESTADO desliga a máquina de transporte para evitar ajuntamentos rebeldes. A venda de combustível também é atribuição do ESTADO, e sua carteira de clientes é muito conveniente aos seus interesses. Também exerce rigoroso controle sobre as taxas de natalidade. Muitas mulheres têm filho sem a autorização do ESTADO. Nos dias de fuga seus crimes serão revelados, e uma vez presas, serão separadas de seus filhos e até mesmo levadas ao aborto obrigatório (Mt 24. 19). Se você acha emprego público valorizado hoje, espere para ver seu valor no governo do homem do pecado.

† CAOS MILITAR/POLÍTICO (Sem o governo de Deus). Implantação da cultura do medo/vigilância (BBBesta). A ONU não existe mais, a OTAN e a ASEAN são sombra do que um dia foram. Começa um tempo de isolamento global, reafirmação cultural e endurecimento das políticas continentais. Surge por causa da escassez de alimentos o “fantochismo financeiro”. Em todos os lugares se levantam grupos armados para lutar contra a nova forma de ESTADO. Os palestinos são forçosamente convidados a se retirar de Jerusalém. Falta pouco tempo para a manifestação do homem do pecado. O lugar do antigo templo se torna num enorme canteiro de obras, de dia e de noite máquinas trabalham sem parar para remover os entulhos e os restos do antigo cemitério. Fim dos três poderes, o ESTADO ASSUME toda a macro e micro responsabilidade de criar leis, julgar e aplicar pena. O ESTADO não é mais laico. Ele é a religião e a religião é sempre correta em suas ações. Nesse tempo surge “A NOVA ROMA”, com o ideal de ser a cidade luz, o novo caminho para fugir do que está devastado. Um novo coliseu é construído com o propósito de unificar todos os tipos de cultura e espetáculos (???). ESSA ROMA É CHAMADA A CIDADE DO PÃO E DA PAZ.

† CAOS CLIMÁTICO (A figueira dos gentios, o sinal aberto e gratuito). A economia é o clima. O dinheiro verde (como o ICMS verde) é a moeda mais forte. Os ecossistemas do planeta estão em colapso e as ações são curativas. Todos os mecanismos de medição são superados pela intensidade de tudo. O desequilíbrio biológico e ambiental provoca inúmeros conflitos. Surge a “guerra verde”, com ações muito incomuns. Cidades como São Paulo, México, Tóquio e Nova Iorque são remodeladas, sob o preço do rodízio urbano, isso é, as famílias só podem morar nas capitais por 10 ou 20 anos. Cidades com mais de 300 metros acima do nível do mar, passam a serem consideradas as cidades mais caras do planeta para se morar. Não existem mais simbiose, e cadeia alimentar é só vista em livros de ciência.

O fim dos tempos

3

Escatologia O cirandar de Simão.

† CAOS SOBRENATURAL. O fim de todas as coisas está próximo e a ação de Deus reúne toda a criação mais uma vez. É chegada a hora Daquele que detém se afastar totalmente, e esse movimento abre espaço para o mistério da injustiça ser mais atuante. A mensagem da igreja remanescente varre as vilas, cidades, lugarejos. Em todos os lugares houve-se falar de coisas espantosas, miraculosas, sobrenaturais. O aumento da atividade sobrenatural é tão intenso que desaparece a condição de ateísmo (II Tes 2. 9- 12). Todos há essas alturas estão crendo em alguma coisa, todavia, a manifestação sobrenatural não provoca mudança de vida. A iniquidade está em estado de aceleração total. Durante as noites sinais espantosos no céu alardeiam e assustam as pessoas. Imagens e estatuas não somente vertem lágrimas, elas agora andam, se movimentam. O mundo está perplexo com milhares de visões de mortos e mensagens do além. Então em certo dia, um clarão mais brilhante que o sol se manifesta e subitamente milhares de pessoas desaparecem da terra (Mt. 24. 27/I Tes 4. 17). Rejeitados, com seus bens confiscados e considerados pelo ESTADO um problema, os crentes desaparecem sem fazer notícia. É manifesto então o HOMEM do PECADO. Sua presença, sua mensagem e seu poder unificam todas as lideranças continentais. Todo poder lhe é dado na terra e no céu. Na terra o poder político e religioso, no céu, o poder militar e econômico. Ele controla os religiosos, governantes e ricos. Controla os aviões militares, civis e os satélites de toda as espécies. Na NOVA ROMA ele é declarado o poder máximo, o grande poder! As multidões lhe dão unânime atenção, observam seus sinais e isso lhes trás grande gozo. Ele fecha acordo de paz em todo ORIENTE MÉDIO. Seu nome está em avenidas, ruas, colégios, hospitais e creches. Em todos os povos são encontradas suas raízes genealógicas. Ele parece ter vindo de todos os lugares, de todos os povos, e isso é mais uma parte desse mistério incrível que lhe cerca. No ano de sua manifestação, milhares de crianças são registradas com seu nome em masculino e feminino. Sua imagem vinculada vende qualquer coisa. Ele fala bem sobre tudo; religião, comportamento humano, política, ecologia, geografia, ciência, ocultismo. Seu poder seduz todas as correntes de pensamento para o encontro com seu desejo. Seu nome é o maior símbolo do NOVO ESTADO, sua palavra é a lei e a ordem. Como sua aparição está ligada aquele dia em que houve uma luz mais brilhante que o sol, muitos pensam que ele é um ser celestial. Outros dizem que a luz está ligada ao fato de ele vir de outra galáxia, de uma civilização mais avançada. Ele é um AVATAR, uma reencarnação de BUDA, o cristo que voltou. A única verdade é que em pouco tempo ele coloca ordem no mundo inteiro, e até o clima do planeta é salvo. Os habitantes da terra se alegrarão por causa dele e festejarão enviando presentes uns aos outros, pois não há entendimento que lhe possa resistir. Então nesses dias se dirá: “Há paz e prosperidade”.

Essa é a senha para a destruição final!

Vem Senhor Jesus, vem! Ney G. Ferreira Outono de 2010. http://graosdeentendimento.blogspot.com

O fim dos tempos

4