UNIVERSIDADE ESTADUAL DA PARAÍBA

Curso Superior de Licenciatura em Química Centro de Ciências e Tecnologias – UEPB/CCT
Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior - CAPES

Programa Institucional de Bolsa de Iniciação à Docência - PIBID

TÍTULO: DISCREPÂNCIAS NA ABORDAGEM DE CONTEÚDOS DA FÍSICA E DA QUÍMICA COMO UM FATOR QUE DIFICULTA A APRENDIZAGEM DE ELETROQUÍMICA.

Bolsista(s):

GICÉLIA MOREIRA LEONARDO ARCANJO DE ANDRADE NATALINE CANDIDO DA SILVA BARBOSA

Orientador: ANTÔNIO NÓBREGA DE SOUSA

Pesquisador(a)(es): JURACY REGIS DE LUCENA JUNIOR

CAMPINA GRANDE – PB 2010

Bolsista(s): GICÉLIA MOREIRA LEONARDO ARCANJO DE ANDRADE NATALINE CANDIDO DA SILVA BARBOSA Orientador: ANTONIO NÓBREGA DE SOUSA Pesquisador(a)(es): JURACY REGIS DE LUCENA JUNIOR CAMPINA GRANDE – PB 2010 .UNIVERSIDADE ESTADUAL DA PARAÍBA .UEPB PROGRAMA INSTITUCIONAL DE BOLSA DE INICIAÇÃO À DOCÊNCIA .PIBID CURSO: LICENCIATURA EM QUÍMICA ÁREA DO CONHECIMENTO: QUÍMICA LINHA DE PESQUISA: PARÂMETROS CURRICULARES TÍTULO: DISCREPÂNCIAS NA ABORDAGEM DE CONTEÚDOS DA FÍSICA E DA QUÍMICA COMO UM FATOR QUE DIFICULTA A APRENDIZAGEM DE ELETROQUÍMICA.

RESUMO: .Projeto PIBID – QUÍMICA (ESBOÇO) 1.

refletindo uma preocupação em estabelecer diretrizes que se adéquem a situação das escolas no Brasil. 1996) visando acompanhar o avanço das tecnologias principalmente nesse mecanismo de contextualização existente na sociedade. Inúmeras críticas são dirigidas à escola que se reflete na educação escolar. elaborado a partir de livros didáticos e por métodos de ensino baseados unicamente na transmissão de conhecimentos. 1999) divulgados pelo Ministério da Educação a fim de difundir os princípios da reforma do ensino em nível médio. é possível perceber discrepâncias relevantes que refletem negativamente no mecanismo ensino – aprendizagem. Em outra análise a cerca do Plano de Curso das escolas. principalmente no que diz respeito ao seu “tradicionalismo” expresso pela presença de um currículo fechado. INTRODUÇÃO As Orientações Curriculares para o Ensino Médio são elaboradas a partir de ampla discussão com as equipes técnicas dos Sistemas Estaduais de Educação.PCNEM (BRASIL. Considerando os Parâmetros Curriculares Nacionais para o Ensino Médio . ensino fundamental e médio (OCPEM. (BRASIL. Como exemplo. essencial para uma metodologia de ensino eficaz e organizada para que se possa chegar a uma aprendizagem significativa. É de extrema importância tratar com atenção assuntos relevantes quanto ao currículo de Química. 2006).1. podemos . apoiado em competências básicas para a inserção de nossos jovens na vida adulta (EJA. professores e alunos da rede pública e representantes da comunidade acadêmica. propuseram um novo perfil para o currículo. garantindo a democratização do acesso e as condições de permanência na escola durante as três etapas da educação básica – educação infantil. 1988). podemos perceber também uma série de pequenos fatores que aumentam o grau de desordem no currículo das disciplinas que traduzem um déficit de comprometimento das partes na elaboração do currículo favorável a situação escolar atual. Ao fazermos uma análise detalhada dos componentes que fazem parte do Plano de Aula de cada escola. Esse fato é passível de observação quando analisamos as inúmeras reformas que a educação brasileira vem sofrendo.

Porém. através de uma análise qualitativa dos currículos de três escolas Públicas e duas escolas Privadas de Campina Grande. A Eletroquímica se dedica ao estudo das reações químicas em meio eletrolítico por meio de . Por intermédio desses princípios.relembrar o Movimento da Escola Nova. Seguindo esse pensamento. 1999). teríamos uma proposta plausível para a reestruturação contínua de um currículo. integração e contextualização das informações apresentando como eixo central uma reorganização curricular integrada. Anísio Teixeira e Fernando de Azevedo. onde foram encontradas discrepâncias curriculares que desviam do objetivo real dos PCNEM proporcionando dificuldades no mecanismo de Ensino – Aprendizagem de ELETROQUÍMICA. no decorrer de nossa pesquisa. Dentre elas. idealizado aqui no Brasil em meados da década de 30 através de Lourenço Filho. visando à transição de conhecimentos e experiências adquiridos no decorrer do ano letivo. isso está longe de acontecer. existe uma preocupação com um ensino mais integrado e abrangente. onde os debates educacionais ganham destaque. Nos últimos anos.350). 1999. nesse mundo cada vez mais globalizado e conectado às novas tecnologias. enquanto as políticas que permeiam a elaboração de parâmetros curriculares basearem-se em metodologias de corpo fechado (MCF. p. visando interdisciplinaridade. os Parâmetros Curriculares Nacionais para o Ensino Médio (PCNEM) se tornam o braço de apoio para essa organização. onde o aluno resolveria problemas por meio de recursos experimentais ou materiais ou do seu comportamento reflexista. favorecendo a construção e a concretização das propostas curriculares de maneira mas rápida e ágil. o foco central da nossa pesquisa é a reorganização curricular do Ensino de Química. destaca-se a reforma no Ensino Médio na tentativa de reorganizar o currículo de maneira integrada. Para isso. que baseando-se nas ideologias de John Dewey que ansiava um aprendizado escolar ao invés de ser organizado a partir de uma hierarquização de matérias. Isso foi traduzido nas práticas pedagógicas do escolanovismo como “aprender é aprender a aprender” (CAMPOS e SHIROMA. no qual deveria ser organizado a partir da reconstrução das experiências o que promoveria uma aprendizagem auto-ativa.

São. Diferença de Potencial (DDP). essas e outras expressões são essenciais para uma aprendizagem eficaz de Eletroquímica. Corrente Elétrica. fugindo da interdisciplinaridade proposta pelo PCNEM. porém. quanto as do indivíduo" (PARRA apud SANT'ANNA et al. Os PCN’s são elaborados mediante políticas “burocratosócio-educativas” promovendo atividades contextualizadas e intrínsecas quanto ao mecanismo ensino-aprendizagem. para que o desenvolvimento da educação atenda tanto as necessidades da sociedade. Os PCN’s são elaborados com a finalidade de dar suporte aos Ensinos Fundamental e Médio e todo o país. como dito anteriormente. Os currículos encontrados nas mediações de nossa pesquisa.. funcionamento do Voltímetro (V). conteúdos e didática do ensino. resulta numa interdisciplinaridade mecânica. tendo em vista a situação presente e possibilidades futuras. bases físicas essências para o ensino do mesmo. O currículo de Química atual inclui o conteúdo Eletroquímica na 2º série do ensino médio. Célula Eletroquímica. o conhecimento foi se tornando cada vez mais acessível e passível a observações com alto nível de subjetividade.trocas de elétrons – corrente elétrica . 1995. Amperímetro (A). que apenas “está no . Noções como. uma referência para a transformação de objetivos. são apenas encontradas na 3º série do ensino médio na disciplina de Física em Física Elétrica. POJUCA 2010 a própria comunidade escolar de todo o país já está ciente de que os PCN’s não são uma coleção de regras que pretendem ditar o que os professores devem ou não fazer. p. resultando em uma demanda de conhecimento interdisciplinar. Orientados por este discurso elitista. Eletrodos. Equilíbrio Elétrico. podemos dizer que o planejamento curricular é um "processo contínuo que se preocupa com o 'para onde ir' e 'quais as maneiras adequadas para chegar lá'. 14). proporcionam a idéia de que a interdisciplinaridade promovida pela mudança nos parâmetros de 1999. Pois a decorrer dos anos.. nos deparamos com uma realidade desfavorável aos anseios do meio de estudo. isso sim. garantindo a todas as crianças e jovens o direito de usufruir do conjunto de conhecimentos necessários para a formação da cidadania. Nesse sentido.onde a mesma requer profundo conhecimento sobre física elétrica. baseando-se na interdisciplinaridade promovida pelo avanço do conhecimento. Segundo BATISTA 2009 et al.

PP e etc. mecanismos baseados no funcionamento de pilhas (NÓBREGA.papel”. não se torna tão eficiente devido o mundo contextualizado que vivemos. CE. e esse conhecimento ele não é mais descoberto.. pois é primordial noções como DDP. havendo a necessidade de amplo conhecimento.. erradicando discrepâncias curriculares encontradas no Ensino de Eletroquímica. porém o objetivo deste trabalho é promover uma reestruturação interdisciplinar que resulte em melhorias no ensino de Eletroquímica. ministrado apenas na 3º série do EM.. 2007). observamos vários fenômenos baseados na transferência de elétrons por meios de soluções.. CG. que requer alto grau de conhecimento das Bases Físicas do Ensino de Física Elétrica (adaptado) visto o caráter das propriedades Eletrofísicas para as análises dos mecanismos eletrolíticos no Ensino de Química. No cenário da educação atual. o focalizamos no ensino de Eletroquímica. pois o conteúdo Eletroquímica é ministrado apenas na 2º série do ensino médio. . Não é possível ministrar tópicos de pilhas. reações de óxidoredução produzindo energia elétrica (SILVA. a aprendizagem significativa é objeto de anseio de todos os educadores e órgãos comprometidos com a educação. onde conhecimento extracurricular se faz necessário para o bom entendimento do mesmo. AUSUBEL & NOVAK 1976). ROR. aperfeiçoado a medida que precisamos evoluir. evidenciando políticas de corpo fechado. e sim moldado. se bases essenciais para o entendimento da mesma são vistas um ano depois de sua explanação? O sistema “quadro e giz” ainda adotado nas escolas. de novas metodologias. 2008). Munidos do pensamento construtivista interdisciplinar dos PCN’s. pontes salinas sem que haja interação direta com Eletrofísica. É pertinente ressaltar que professores do ensino médio possuam total ou parcial afinidade com a Eletrofísica. Na Química Eletrolítica. favorecendo a diminuição fragmática dos currículos. promovendo assim uma “anti-interdisciplinaridade” . encontra de maneira objetiva no Ensino de Física Elétrica. caráter potencial e padrão de uma pilha (SILVA.. 2008).. Como aprender Eletroquímica de maneira significativa. ao invés do eminente construtivismo que esses parâmetros foram construídos (PIAGET. 2000). baterias. pois se baseando na estrutura cognitiva dos indivíduos pode-se chegar a uma aprendizagem mas eficiente e abrangente (MOREIRA 2007 et al.

• Propor um plano de curso ideal para o ensino de eletroquímica. . podendo servir de base para futuras pesquisas. em que medida esta discrepância pode prejudicar a compreensão da Eletroquímica? 3. • Promover uma interdisciplinaridade entre Química e Física. OBJETICO GERAL Discorrer sobre a relevância dos conceitos da física elétrica para a eletroquímica e propor uma reestruturação curricular com vistas à superação de problemas de bases de conceitos para o ensino da eletroquímica no Ensino Médio. sobre os currículos de Química das escolas públicas e privadas de Campina Grande. os dados obtidos serviram também de alicerce para traçarmos uma comparação assintomática. 2. enquanto que Eletroquímica é dada no 2º ano. OBJETIVOS ESPECÍFICOS • Elaborar um questionário para os professores com a finalidade de verificar se o conteúdo de ELETROQUÍMICA é ministrado na 2º série do ensino médio. 4. • Propor a transferência do conteúdo ELETROQUÍMICA da 2º série para a 3º série do Ensino Médio. • Entrevistar os professores (educadores) de Química das escolas públicas e privadas. porém de caráter qualitativo. HIPÓTESE Dada a constatação de que a física elétrica é dada no 3º ano do Ensino Médio.Ao mesmo tempo que a pesquisa resulta na proposta de reestruturação curricular.

Fica evidente a dificuldade destes alunos em entender a eletroquímica. contempla grupos de disciplinas cujo objeto de estudo permite promover ações interdisciplinares. diferença de potencial. baterias. célula voltaica. são necessários a compreensão do conteúdo em questão. conteúdo este que é ministrado no terceiro ano do ensino médio. pilhas. Sem estas informações o ensino de eletroquímica torna-se prejudicado. JUSTIFICATIVA O ensino de Química e. 5. com isso a proposta deste projeto é a reestruturação do currículo de química do ensino médio. FUNDAMENTAÇÃO TEÓRICA (REVISÃO DA LITERATURA) Uma proposta de organização curricular do ensino médio por áreas de estudo – indicada nas Diretrizes Curriculares Nacionais para o Ensino Médio (DCNEM). Analisando esta situação podemos verificar que para os alunos entenderem a eletroquímica como um todo é necessário e indispensável o conhecimento prévio de física elétrica. particularmente. estudado posteriormente ao estudo da Eletroquímica. potencia elétrico. pois conceitos básicos da física elétrica como a noção de corrente elétrica. Especificamente no conteúdo de Eletroquímica que é visto no segundo ano do ensino médio. força eletromotriz. encontramos uma dificuldade mais acentuada no processo ensino aprendizagem. transferindo o conteúdo de Eletroquímica do segundo ano do ensino médio para o terceiro ano do ensino médio.• Investigar a viabilidade da mudança curricular de Química no 2º ano do Ensino Médio. entre outros. geradores elétricos. portanto. No estudo da Eletroquímica é necessário um conhecimento prévio do conteúdo de Física Elétrica. Parecer CEB/CNE nº 15/98. abordagens . o ensino de Físico-Química não tem sido muito atraente aos alunos e estes encontram algumas dificuldades nesta área do conhecimento.

Resolveu todas as disputas. 2006. . com visão linear e fragmentada dos conhecimentos na estrutura das próprias disciplinas. afundou. ou a terra. Com suas proporções mais grosseiras. Dentro do campo tecnológico (outubro/2010). Ocupou seu lugar no firmamento. Molhado contra seco. e ar e oceano também. átomos discordantes Guerreando em total confusão: Não existia o Sol para iluminar o Universo. ou o firmamento. Mas terra onde nenhum homem pode andar. 101). com seus crescentes que lentamente se preenchem. substância em constante mudança. o ar Da estratosfera mais elevada. segundo o PCNEM de 2006. a despeito de inúmeras experiências levadas a cabo no âmbito de projetos pedagógicos influenciados pelos Parâmetros. Terra. e água onde Nenhum homem pode nadar.1 A Química 5. cuja sociedade interage de diversas maneiras. sobre o ar.complementares e transdisciplinares (OCPEM.1 Da Alquimia à Química Antes de o oceano existir. Isso pode ser confirmado pelas propostas pedagógicas configuradas nos diferentes materiais didáticos mais utilizados nas escolas – apostilas. p. apesar de já passados sete anos desde a divulgação dos PCNEM. E as coisas evoluíram. continua sendo predominantemente disciplinar. Nenhuma terra equilibrava-se no ar. existia. sem forma. duro contra macio. Caos era chamada. No entanto. O fogo. Sempre em guerra: No mesmo corpo. e ar que nenhum homem pode respirar. a terra. Até que Deus. e separou o Céu da Terra. a água da terra firme. sob ambos. com grandes contribuições específicas de cunho social. e a água Se colocou acima. A Natureza era toda igual. inerte.. Nenhum mar expandia-se na beira de longínquas praias. e em torno. esse elemento etéreo. Ar sem luz. uma liberação. O que era pesado coexistia com o que era leve. 5. econômico e político. achando seus lugares a partir Da cega confusão inicial. da terra. livros didáticos etc. quente lutava contra frio. Não existia a Lua.1. a química participa da elaboração de mecanismos científicos. ou a Natureza generosa. Com a matéria bruta. a prática curricular corrente. sem dúvida.

constituindo um ensino de Química distanciado do mundo cultural e tecnológico no qual vivem. • os conhecimentos anteriores.. de Ovídio (43 a. e fez com que as águas se Espalhassem e elevassem. que lhes são cobradas para que sejam aprovados em seus cursos. A dança do universo – Dos mitos de criação ao Big. • a integração no grupo-classe. São Paulo. 2004). p. evidenciando e propondo alternativas para a melhoria do Ensino de Química. inúmeros trabalhos na literatura nacional e internacional sobre ensino de Química evidenciam que a aprendizagem dos alunos vem sendo geralmente marcada pela memorização de uma grande quantidade de informações. é de extrema importância as pesquisas sobre o ensino de Química para a formação e atuação docente. em Marcelo Gleiser. • o domínio da linguagem: compreensão do vocabulário e da • sintaxe. • a autonomia de pensamento e de trabalho. C. que do Caos Trouxe ordem ao Universo. • a cultura científica. sob a ação dos ventos uivantes [. Elas são articuladas de investigações da nova área da didática das ciências. dando-lhe Divisão. Ele moldou a terra na forma de um grande globo. .Esse Deus.] (Trecho de Metamorfoses. subdivisão..). vários fatores podem ser citados como agravantes no mecanismo aprendizagem dos alunos: • a motivação para com a escola e a disciplina. No entanto. investigando. 1997. • a compreensão dos raciocínios. As pesquisas possuem um grande papel na melhoria das metodologias adotadas.Bang. quem quer que ele seja. De acordo com SOUSSAN (2003). nº 20. Simétrica em todos os lados. 32) 5. facilidade de expressão.2 O Ensino de Química O ensino de Química é marcado por várias contribuições. enfatizando a relevância de sua divulgação junto a professores através dos meios de publicação (QNEsc. Companhia das Letras. segundo ROSELI (2004).

Segundo Atkins. a dificuldade em definir objetivos e construir progressões suscetíveis de levar o maior número de alunos a obter as aprendizagens necessárias. É importante ressaltar que esse e outros aspectos da heterogeneidade implicam na caracterização de várias classes. e com uso da eletricidade para forçar a reações químicas não espontâneas acontecerem. Podem ser usados para monitorar a composição e o pH das soluções e para determinar o pKa dos ácidos. a Eletroquímica também nos permite monitorar a atividade do nosso cérebro e coração. daí. o estudo da eletroquímica mostra-se uma maneira de se obter energia a partir de reações químicas. Monitorando os parâmetros e a epistemologia da eletroquímica. Além do mais. baseando-se em Técnicas Eletroquímicas (TE) – procedimentos baseados na eletroquímica que permitem a utilização de equipamentos eletrônicos para monitorar a composição e o pH das soluções. o pH do nosso sangue e a presença de poluentes em mananciais e áreas afins.• a riqueza cultural e o equilíbrio do círculo familiar. . Parâmetros Curriculares Nacionais para o Ensino de Química – PCN/Química Química Eletrolítica – ELETROQUÍMICA Segundo ATKINS (2001). • a apreensão da escola pelo círculo familiar. Eletroquímica é o ramo da química que trabalha com uso de reações químicas espontâneas para produzir eletricidade. implicam assim em uma dificuldade de adaptação para cada aluno. assim como em escolher atividades e métodos de trabalho apropriados. o texto dos programas e das instruções não deixa aparecer claramente a importância relativa a ser atribuída às aquisições de conhecimentos e aos métodos de raciocínio. os conteúdos dispostos em sala de aula são em muitos casos exageradamente volumosos.

fontes de eletricidades portáteis mais eficientes.ELETROFÍSICA O CURRÍCULO CURRÍCULO EM VIGOR NAS ESCOLAS .2010 Escola Estadual de Ensino Fundamental Profissionalizante Dr. Funções Oxigenadas (Sugestão – lista de 50 Exercícios). • Termoquímica Cinética. • Trabalhar com Pesquisa (Petróleo). Física Elétrica . III • Reações Orgânicas (Adição.Balanceamento (tentativa e REDOX) • Gases (transformações – Isobárica. • Funções: Nitrogenadas. Atômica.Tipos de Reações . • Estrutura tômica. • Continuação II de Estrutura. Clapeyron) • Soluções • • • Ligações Químicas. Hidrocarbonetos. Combustão completa e incompleta). (Química dos Alimentos. Isotérmica e Isocórica). eletrônica e habitações espaciais. Cadeias Carbônicas. • Isomeria. Oxidação: NOX • Reações Químicas: . principalmente na medicina. • Trabalhar com Pesquisa (Química Ambiental). medicamentos e cosméticos) I • Princípios de Química. Sulfuradas e Mistas. • Tabela Periódica • Continuação de gases (Equação Geral e Eq. Eliminação. Trabalhar com Pesquisa. Elpídeo de Almeida – PRATA e Médio e Plano de Curso de Química 2010 UNIDADE (Bimestre) 1º Ano 2º Ano • Número de 3º Ano • REVISÃO – O carbono. Substituição. .

• Movimento Cicular Uniforme. Reações Nucleares Plano de Curso de Física . • 1º. Reações Nucleares. • Reações Químicas • • • Equilíbrio Químico.2010 UNIDADE (Bimestre) 1º Ano 2º Ano 3º Ano I II III IV • Medidas de Grandesas Físicas. • Trabalho e Energia • Impulso e Movimento. • TERMOLOGIA • ÓTICA GEOMÉTRICA • FENÔMENOS ONDULATÓRIOS • MOVIMENTO HARMONICO SIMPLES • ELETROSTÁTICA • ELETRODINÃMICA • ELETROMAGNETIS MO .IV • Funções Químicas. • Queda Livre dos Corpos. • • • Equilíbrio Químico. Eletroquímica. • Movimento retilínio Uniforme. Eletroquímica. • Lançamento de Projétil. 2º e 3º Leis de Newton. • Movimento Retilínio Uniformemente Variado.

Principios Elementares da Química. Isomeria: Conceitos e Classificação. Equilíbrio Químico . 2º Ano 3º Ano 1. Funções Halogenadas. Introdução a Química Orgânica. IV 1. 1. II 1. Funções Nitrogenadas e Oxigenadas III 2. Isomeria 1. Ligaçõe Químicas 1. “Premen”. 1. 2. Funções Inorgãnicas 1. Organometálico e Propriedades Físicas. 2. UNIDADE (Bimestre) I 1º Ano 1. Soluções. Hortênsio Sousa Ribeiro. Classificação Periódica dos Elementos Químicos. Cinética Química 1.Escola Estadual de Ensino Fundamental e Médio Dr. Termoquímica 1. 2. Sulfonadas. Teoria Atômica da Matéria 1. Reações Orgânicas 1. Continuação de Ligações Químicas. Funções Orgânicas: HIDROCARBONET OS. Cálculos Químicos e Unidades 3.

pois a partir do momento que as escolas se tornaram passíveis ao funcionamento do Projeto PIBID em suas mediações.6. das disciplinas de Química e Física do EM. que fora m aplicados a professores de Química do Ensino Médio das escolas também participantes do Programa PIBID. A obtenção de dados curriculares foi feita mediante visita nas escolas participantes do PIBID sem a necessidade de políticas burocráticas para a obtenção de dados. tais como o questionário e a observação sistemática. Fez-se necessário também a utilização de questionários com caráter qualitativo para a obtenção de informações a cerca do comportamento de disciplinas importantes para o ensino de Eletroquímica. METODOLOGIA OBS: NOSSA PESQUISA É DO TIPO DESCRITIVA. Em paralelo a essa coleta de dados efetuamos a pesquisa com a distribuição de questionários entre os . Capes/DEB nº 02/2010. e instrumentos como a observação DE CURRICULOS E PLANEJAMENTOS. São inúmeros os estudos que podem ser classificados como pesquisa descritiva e uma de suas características mais significativas é a utilização de técnicas padronizadas de coletas de dados.. Foi utilizada neste trabalho uma análise descritiva (pesquisa descritiva) de dados curriculares coletados qualitativamente em três escolas de Ensino Fundamental e Médio participantes do Projeto PIBID – UEPB/PIBID. assumiram a responsabilidade de garantir a transparências nas informações que se fazem necessárias para a continuidade do Projeto em si.

professores participantes do PIBID – Química e professores da Instituição também da disciplina de Química. ESPERAR COLETA DE CURRICULOS E RESULTADOS DOS QUESTIONÁRIOS .

5 Cuidados Éticos 7. Em paralelo a coleta dos currículos de Química e Física. Anexos SERÃO ANEXADOS OS CURRÍCULOS COLETADOS NAS ESCOLAS .1 Amostra ESPERAR COLETA DE CURRICULOS E RESULTADOS DOS QUESTIONÁRIOS A amostra utilizada para os fins desta pesquisa foram 03 (três) escolas de Ensino Fundamental e Médio da cidade de Campina Grande participantes do PIBID. Cronograma 8. 6.3 Procedimentos 6. Recursos Humanos e Materiais 9.6. ____ professores responderam um questionário de caráter qualitativo.2 Instrumentos 6.4 Tratamentos dos Dados 6.

Sign up to vote on this title
UsefulNot useful