AS ERAS GEOLÓGICAS

A Geologia divide a história da Terra em eras geológicas, que correspondem a grandes intervalos de tempo divididos em períodos que, por sua vez, são subdivididos em épocas e idades. Cada uma dessas subdivisões corresponde a algumas importantes alterações ocorridas na evolução do planeta.

Escala Geológica do Tempo
Eras Período Duração Ocorrências Geológicas Cenozóic Quaternár 1 milhão de anos • Surgimento do homem. a io • Última glaciação • Atuais contornos dos continentes e oceanos Terciário 70 milhões de • Dobramentos modernos anos • Surgimento de aves, mamíferos e primatas Mesozóic Cretáceo Cerca de 170 • Divisão do grande a ou Jurássico milhões de anos continente da Pangéia, em Secundár Triássico Laurásia e Gondwana ia • Surgimento dos grandes répteis (como os dinossauros) Paleozóic Permiano Cerca de 320 • Rochas sedimentares e a ou Carbonífe milhões de anos metamórficas Primária ro • Formação de grandes Devonian florestas: origem das bacias o sedimentares Siluviano • Glaciações Ordovicia • Surgimento da Pangéia há no 200 milhões de anos, bem Cambrian como de peixes e vegetais o • Primeiros insetos e répteis Pré – Proterozói Cerca de 4 • Surgimento da vida Cambrian co milhões de anos unicelular a Arqueozói • Formação dos escudos ou co cristalinos e das rochas Primitiva magmáticas

A CROSTA TERRESTRE EM MOVIMENTO
Em 1912, o cientista alemão Alfred Wegener elaborou a teoria da deriva dos continentes. Observando a semelhança entre os contornos dos litorais da América e África, começou a pensar na possibilidade da união pretérita desses continentes. A partir dessa hipótese, Wegener iniciou uma pesquisa sistemática, com o objetivo de

De acordo com essa teoria. Apesar de guardar a mesma ideia central. deslizariam sobre um manto semilíquido e com maior densidade. esta segunda teoria se desenvolveu muito e deu conta de explicar inúmeros fenômenos que ocorrem na superfície terrestre. provocando encontros e desencontros. Três fenômenos lhe chamaram atenção: • Identidade geológica. com isso há a formação das cordilheiras mesoceânicas. da mesma espécie. De acordo com sua formulação. Por sua vez. pouco densos. na década de 1960. A partir dessas e outras evidencias. que foram encontrados em áreas correspondentes nos dois litorais. • Fosseis de animais extintos. como por exemplo a existência de depósitos de carvão mineral na Groenlândia que só poderiam ter sido formados por florestas equatoriais. a litosfera está dividida em placas de tamanhos e formas diferentes. os continentes.levantar dados que sustentassem a idéia dessa união. o material pastoso do manto vai sendo levado a preencher os espaços deixados pelas placas. • Fatos até então de difícil explicação. Um fenômeno como esse pode ser explicado pela deriva dos continentes. pois há a possibilidade de a Groenlândia ter estado numa zona tropical e. rochas de igual idade e formação nos dois continentes. essas diversas placas estão sobre a astenosfera. Ao longo do tempo outros elementos foram sendo incorporados a essa teoria até se chegar na Teoria da Tectônica de Placas. Mas esse movimento não é muito ordenado. . posteriormente. como se fosse uma colcha de retalhos. na qual há correntes de convecções. Os limites entre as placas podem ser de dois tipos: • Zonas de expansão: conforme as placas vão se afastando. ou seja. elas se movem em direções diversas. que podem ser construtivos ou destrutivos. que fazem com que as placas se movam. Wegener formulou Teoria da Deriva Continental. migrado para sua atual posição.

A pressão do magma sobre estas estruturas antigas provoca fraturas ou falhas na litosfera e.• Zonas de subducção: são limites de destuição de placas. Resultam da acumulação de sedimentos provenientes do desgaste das rochas. É nestas estruturas que se formam importantes recursos minerais energéticos. Os dobramentos modernos são os trechos da crosta de formação recente e. por essa razão. situadas relativamente próximas às zonas de contato entre placas. Devido à essa pressão de uma placa sobre a outra. como por exemplo. epirogênese e dos falhamentos. cobre. a crosta terrestre é formada por três tipos de estruturas geológicas. prata. esta parte da crosta dobra-se num processo lento e contínuo. dando origem às montanhas. Essa subducção provoca muita atividade sísmica e muito vulcanismo. compostos por rochas mais flexíveis e maleáveis. como o petróleo e o carvão mineral. Datam da era Pré-Cambriana e são constituídos basicamente por rochas magmáticas e metamórficas. Nos maciços que se formaram na era Proterozóica ocorrem as jazidas de minerais metálicos. manganês. alumínio. são os terrenos mais antigos da crosta terrestre. Essas estruturas geológicas são os dobramentos modernos. A ESTRUTURA GEOLÓGICA Nas áreas emersas. Os maciços antigos. ESTRUTURA GEOLÓGICA NO BRASIL . as de ferro. posteriormente. os maciços antigos e as bacias sedimentares. e pelo tempo geológico em que surgiram. estanho. ou mesmo de camadas de lavas vulcânicas solidificadas. soerguendo e rebaixando a superfície. também chamados escudos cristalinos. ouro. o deslocamento vertical de grandes blocos. além da orogênese. de organismos vegetais ou animais. As bacias sedimentares começaram a se formar apenas na era Paleozóica. as quais são caracterizadas pelos tipos de rochas predominantes e o seu processo de formação.

O território brasileiro encontra-se distante da zona de instabilidade tectônica. mas sem registro de destruição de edifícios. .A estrutura geológica do Brasil apresenta maciços antigos e bacias sedimentares. Poliedro. Nessa posição geográfica. CRUZ. São Paulo: Saraiva. 3 ed. Alguns tremores de terra já foram detectados. Geografia – Livro 1. está livre de vulcanismo. São José dos Campos. pontes ou cidades.. não se verificando a existência de dobramentos modernos. situados próximos às regiões onde ocorre o choque entre as placas Sul-americana e Nazca. Murilo Medici Navarro. 2005. Elian Alabi. Geografia Geral e do Brasil. no Chile e Peru. o que acontece na Colômbia. 2009. Fontes: LUCCI.

Sign up to vote on this title
UsefulNot useful