Você está na página 1de 31

Corregedoria Regional Eleitoral de São Paulo

Curso de Prática Cartorária e Legislação Eleitoral

Quitação Eleitoral
e
Códigos FASEs

Missão: Velar pela regularidade dos serviços eleitorais, assegurando a correta aplicação de princípios e normas.
 Resolução TSE n.º 21.823/2004 - Ementa

“O conceito de quitação eleitoral reúne a plenitude do gozo dos direitos


políticos, o regular exercício do voto, salvo quando facultativo, o atendimento a
convocações da Justiça Eleitoral para auxiliar os trabalhos relativos ao pleito, a
inexistência de multas aplicadas, em caráter definitivo, pela Justiça Eleitoral e
não remitidas, excetuadas as anistias legais, e a regular prestação de contas de
campanha eleitoral, quando se tratar de candidatos.
O controle da imposição de multas de natureza administrativa e da
satisfação dos débitos correspondentes deve ser viabilizado em meio eletrônico,
no próprio cadastro eleitoral, mediante registro vinculado ao histórico da
inscrição do infrator.
É admissível, por aplicação analógica do art. 11 do Código Eleitoral, o
pagamento, perante qualquer juízo eleitoral, dos débitos decorrentes de
sanções pecuniárias de natureza administrativa impostas com base no Código
Eleitoral e na Lei n.º 9.504/97, ao qual deve proceder consulta ao juízo de
origem sobre o quantum a ser exigido do devedor.”

 Resolução TSE n.º 21.920/2004

Ementa:
“Dispõe sobre o alistamento eleitoral e o voto dos cidadãos portadores de
deficiência, cuja natureza e situação impossibilitem ou tornem extremamente
oneroso o exercício de suas obrigações eleitorais.”

Artigo 1º, parágrafo único:


“Não estará sujeita a sanção a pessoa portadora de deficiência que torne
impossível ou demasiadamente oneroso o cumprimento das obrigações
eleitorais, relativas ao alistamento e ao exercício do voto.”

2
 Parte II, Título II, Capítulo II, das Normas de Serviço da Corregedoria

“CAPÍTULO II

ATUALIZAÇÃO DA SITUAÇÃO DO ELEITOR


(FASE)

Seção I

FORMULÁRIO DE ATUALIZAÇÃO DA
SITUAÇÃO DO ELEITOR - FASE

1. Para registro da situação do eleitor no cadastro, em meio magnético,


utilizar-se-á, como documento de entrada de dados em computador, o Formulário
de Atualização da Situação do Eleitor - FASE.

1.1. Fica dispensado o preenchimento do formulário FASE, quando o registro


de informações no histórico da inscrição for promovido diretamente no sistema
ELO, devendo o cartório arquivar em pasta própria os documentos que
originaram o registro da informação.

(Subitem 1.1 incluído pelo Provimento CRE/SP n.º 04/2004)

2. O cartório deverá realizar rigorosa conferência da digitação dos códigos


FASE, comparando os dados do eleitor com aqueles apresentados na tela de
digitação ou no relatório de FASE digitado, conforme o caso.

(Item 2 alterado pelo Provimento CRE/SP n.º 04/2004)

3. O cartório comandará FASE, mediante comprovação documental da


situação que se deseja registrar, somente para eleitores da própria zona, com
exceção dos códigos FASE 078; 264; 272 (zonas do mesmo município da
inscrição) e 167 (somente no prazo de 90 dias contados do dia da eleição, para as
justificativas recebidas no dia do pleito e não processadas nas urnas eletrônicas).

(Item 3 alterado pelo Provimento CRE/SP n.º 04/2004)

3
4. Deverá ser certificado seu comando no processo respectivo, se for o
caso, consignando-se o código e a data da emissão.

5. (Item 5 excluído pelo Provimento CRE/SP n.º 04/2004)

6. Os lotes de FASE devem ser fechados diariamente.

6.1. Os FASEs deverão, preferencialmente, ser digitados no modo individual


do ambiente on line, uma vez que os registros se refletem instantaneamente no
Cadastro, além de evitar qualquer ocorrência na crítica do FASE. Mesmo que
haja problemas de conexão com o TSE, é preferível aguardar o seu
restabelecimento a utilizar o ambiente off line.

6.2. Após o fechamento do lote de FASE e quando o lote estiver na situação


“Processado OK”, deverá ser acessado o relatório de FASE atualizado, para
conferência e controle.

7. O cartório deverá acessar diariamente o relatório de crítica de FASE,


através do menu Relatório/Processamento/Crítica do FASE, e proceder à análise
de cada caso nele incluído, confrontando os dados da ocorrência com aqueles
constantes no Cadastro Nacional de Eleitores e no documento ensejador do
comando do FASE, adotando as providências pertinentes para a regularização da
situação do eleitor.

(Itens 6, 7 alterados e subitem 6.2 incluído pelo Provimento CRE/SP n.º 04/2004)

Seção III

UTILIZAÇÃO DOS CÓDIGOS FASE

Subseção I

CÓDIGOS FASE UTILIZADOS SOMENTE PARA CONSULTA

4
051 - Cancelamento - maior de 70 anos

Era comandado quando o eleitor requeria ao Juiz o cancelamento de sua inscrição


por não desejar mais exercer o direito de voto. Não está mais sendo utilizado uma
vez que, ainda que não vote, o eleitor maior de 70 anos está quite com a Justiça
Eleitoral e não lhe deverá ser cobrada multa por ter deixado de votar.

060 - Cancelamento - incapacidade física

Excluído por não haver amparo legal para cancelamento de inscrição atribuída a
eleitor fisicamente incapaz. Aos eleitores portadores de deficiência que torne
impossível ou extremamente oneroso o exercício do voto, será atribuído, mediante
requerimento formulado com base na Res. TSE n.º 21.920, de 19.9.2004, código
FASE 396 (motivo 4), que obstará a cobrança de multas que decorreriam do não-
cumprimento das obrigações eleitorais.

108 - Votou em separado

Era comandado pela zona eleitoral quando a identidade do eleitor era impugnada
por fiscal de partido político, ou em outra hipótese prevista na legislação e, ainda
assim, fora admitido a votar. A utilização de urnas eletrônicas tornou impossível a
ocorrência de voto em separado.

116 - Cancelamento - transferência

Era comandado automaticamente, nos casos de transferência para outra Unidade


da Federação, para a inscrição anterior. Com a utilização do número único de
inscrição, não há mais cancelamento do número anterior e a utilização do código
ficou prejudicada.

124 - Cancelamento - interdição

Não é mais utilizado, pois a interdição é causa de suspensão de direitos políticos,


que é identificada por um código único – 337.

132 - Cancelamento - menor

Era utilizado para cancelar o alistamento efetuado indevidamente por pessoa


menor de 16 anos ou, em anos eleitorais, por pessoa menor de 15 anos que não
completaria 16 anos até a data do pleito. Atualmente, essa inscrição é
automaticamente rejeitada pelo sistema.

5
140 - Cancelamento - estrangeiro

Era utilizado para cancelar inscrições provisórias efetuadas por estrangeiros que
estavam em processo de naturalização. Vedado pela Constituição o alistamento
para estrangeiro, o código foi excluído.

159 - Votou fora da seção

Era comandado quando o eleitor com as prerrogativas do art. 145 do Código


Eleitoral (o Presidente da Mesa receptora de votos, Mesários, Secretários,
Suplentes e os Delegados e Fiscais de Partido, entre outros) era admitido a votar
fora de sua seção eleitoral. Nessa hipótese, a zona referente à seção onde o eleitor
compareceu para votar comunicava o fato à sua zona de inscrição para comando
do código 159. Seu uso ficou prejudicado pela implantação do voto informatizado
com a utilização da urna eletrônica, que contém apenas registros das inscrições
dos eleitores da seção.

191 - Inserida na Base Histórica

Este código transferia, automaticamente pelo sistema, para a base histórica, todas
as inscrições canceladas há mais de três anos. Este prazo era contado a partir da
data de processamento do código FASE que registrou o cancelamento da inscrição.
A Res. TSE n.º 21.538/2003 extinguiu a base histórica.

213 - Revertida da Base Histórica

Este código era utilizado pela Corregedoria-Geral da Justiça Eleitoral para resgatar
inscrições da base histórica para o cadastro de eleitores. A Res. TSE n.º 21.538/03
extinguiu a base histórica.

221 - Filiado a partido político

Era utilizado para registrar as filiações partidárias comunicadas pelos partidos


políticos. Atualmente, deixaram de ser registradas no cadastro, em face da criação
do Sistema de Filiação Partidária, aprovado pela Res. TSE n.º 21.574/2003.

310 - Eleito para o cargo de

Era utilizado para identificar eleitores que estavam exercendo mandato eletivo. Na
atualidade, essa informação não consta do histórico da inscrição e pode ser obtida
em sistemas próprios da Justiça Eleitoral.

6
329 - Perda de direitos políticos (com motivo/forma 1 – recusa de
cumprimento de obrigação a todos imposta)

A Constituição de 1988 não elencou o não-cumprimento do serviço militar


obrigatório como causa de perda de direitos políticos. A legislação
infraconstitucional identifica a situação como ensejadora de suspensão de direitos
políticos.

337 - Suspensão de direitos políticos (com motivo/forma 6 – outros)

Não é mais utilizado pois não é admitida a suspensão de direitos políticos por
motivo diverso daqueles previstos na Constituição.

400 – Desfiliado

Era utilizado para anotar as desfiliações comunicadas pelos partidos ou declaradas


pelo Juiz Eleitoral. Atualmente a anotação é feita no sistema de Filiação Partidária,
aprovado pela Res. TSE n.º 21.574/03.

434 - Data de nascimento validada

Era comandado para validar data de nascimento de eleitor que apresentava


documento de identidade do qual constava data de nascimento inválida, como, por
exemplo, 30 de fevereiro, ou incompleta, com apenas o mês e o ano, por exemplo.
Hoje a validação é feita no formulário RAE.

450 - Cancelamento por sentença de autoridade judiciária (com motivo/forma


1 – revisão de eleitorado)

Atualmente a hipótese é registrada por meio do código FASE 469.

477 - Cancelamento - Inscrição irregular

Era utilizado para identificar inscrições com algum dado inválido. Hoje o sistema as
rejeita.

523 - Liberação de coincidência - falha atribuída à Justiça Eleitoral

7
A regularização, na atualidade, é feita automaticamente pelo sistema, quando da
digitação da decisão da coincidência, gerando o código FASE 493.

574 - Mantida liberada - inscrição regular

Atualmente, a regularização de inscrição é feita pelo código FASE 493, gerado


automaticamente no ato da digitação da decisão na base de coincidências.

582 - Cancelamento - liberação por falha da Justiça Eleitoral

O cancelamento, na atualidade, é feito pelo código FASE 450, gerado


automaticamente, nos casos de duplicidade ou pluralidade, quando digitada a
decisão na base de coincidências. O código FASE 450 não admite
restabelecimento, exceção feita ao comando equivocado.

Subseção II

CÓDIGOS FASE UTILIZADOS NO BATIMENTO

027 - Cancelamento automático pelo sistema - duplicidade/pluralidade

Finalidade: cancelar inscrições envolvidas em duplicidade ou pluralidade com


situação não-liberada que não tenham sido decididas dentro do prazo estabelecido
pela Res. TSE n.º 21.538/2003.

Efeitos: altera a situação da inscrição de não-liberada para cancelada e torna


inativo o código FASE 418.

Comando: automático pelo sistema.

Data de ocorrência: data da finalização do processamento das decisões das


coincidências pela SI/TSE.

Observações:

1) possui motivo/forma que indica se o agrupamento envolveu situação de direitos


políticos ou não:
1- perda de direitos políticos

8
2- suspensão de direitos políticos
3- duplicidade/pluralidade sem marca de direitos políticos.

2) inscrição cancelada pelo código 027 pode ser regularizada. Se o motivo for:
- 1-perda, a inscrição só poderá ser regularizada pelo comando do código FASE
353, pela CGE;
- 2-suspensão, a regularização poderá ser efetuada pelo comando do código FASE
345, após comprovação de homonímia ou da cessação dos motivos da suspensão;
- 3-duplicidade/pluralidade, a regularização da inscrição só se dará por meio das
operações de transferência ou revisão.

086 - Regularização automática pelo sistema - duplicidade/pluralidade

Finalidade: regularizar as inscrições que foram envolvidas em duplicidade ou


pluralidade com situação liberada após a expiração do prazo para decisão.

Efeitos: altera a situação da inscrição de liberada para regular e torna inativo o


código FASE 566.

Comando: automático pelo sistema.

Data de ocorrência: data da finalização do processamento das decisões das


coincidências pela SI/TSE.

418 - Duplicidade/pluralidade - inscrição não-liberada

Finalidade: identificar inscrição envolvida em duplicidade ou pluralidade que


permaneceu não-liberada no cadastro e aguarda decisão de autoridade judiciária.

Efeitos: torna não-liberada a situação da inscrição e impede sua movimentação


(transferência, revisão ou 2ª via).

Comando: automático pelo sistema.

Data de ocorrência: data do batimento.

Complemento: número da coincidência.

Observações:
1) inscrição com o código FASE 418 em situação ativa não poderá constar da folha
de votação. Atualmente, observados os prazos fixados, a cada pleito, pelo Tribunal
Superior Eleitoral no Cronograma Operacional do Cadastro Eleitoral, todos os
agrupamentos de duplicidade ou pluralidade são atualizados antes da impressão
das folhas de votação.

9
493 - Regularização - sentença de autoridade judiciária

Finalidade: regularizar a inscrição envolvida em coincidência.

Efeitos: torna regular a inscrição, inativa o código FASE 566 e permite a conclusão
da operação de alistamento eleitoral que gerou o agrupamento da coincidência.

Comando: é gerado automaticamente pelo sistema após a atualização do cadastro


com as decisões de regularizar na base de coincidências, pelo juízo competente
para a apreciação do agrupamento.

Data de ocorrência: data da decisão.

Complemento: número do processo em que foi determinada a regularização da


inscrição, no formato “Proc. n.º/ano-órgão/UF”.

Observações:
1) as inscrições agrupadas com códigos 81/82 não poderão ser regularizadas com
o comando do código 493, mas com o 507 (Regularização – homônimo/cessação
do impedimento).

507 - Regularização – homônimo de pessoa com perda de direitos


políticos/cessação do impedimento

Finalidade: regularizar a inscrição envolvida em coincidência com marca de perda


de direitos políticos.

Efeitos: torna regular a inscrição, inativa o código FASE 566 e permite a conclusão
da operação de alistamento eleitoral que gerou o agrupamento da coincidência.

Comando: é gerado automaticamente pelo sistema após a atualização do cadastro


com as decisões de regularizar na base de coincidências.

Data de ocorrência: data da decisão.

Complemento: número do processo em que foi determinada a regularização da


inscrição, no formato “Proc. n.º/ano-CGE”.

Observações:
1) a regularização de inscrição envolvida em coincidência com marca de perda de
direitos políticos somente se dará com a comprovação da homonímia ou da
cessação do impedimento.

10
566 - Duplicidade/pluralidade - inscrição liberada

Finalidade: identificar inscrição envolvida em duplicidade ou pluralidade que


permaneceu liberada no cadastro e aguarda decisão de autoridade judiciária.

Efeitos: torna liberada a situação da inscrição e impede sua movimentação


(transferência, revisão ou 2ª via).

Comando: automático pelo sistema.

Data de ocorrência: data do batimento.

Complemento: número da coincidência.

Observações:
1) inscrição com o código FASE 566 ativo constará da folha de votação.
Atualmente, observados os prazos fixados, a cada pleito, pelo Tribunal Superior
Eleitoral no Cronograma Operacional do Cadastro Eleitoral, todos os agrupamentos
de duplicidade ou pluralidade são atualizados antes da impressão das folhas de
votação.

450 - Cancelamento – sentença de autoridade judiciária

Finalidade: cancelar a inscrição quando houver determinação de autoridade


judiciária nesse sentido e não se tratar de revisão de eleitorado ou perda de direitos
políticos.

Efeitos: cancela a inscrição.

Comando: automático pelo sistema, quando da digitação de decisão na base de


coincidência, ou pela zona eleitoral da inscrição nas demais hipóteses. É admitido
para inscrições já canceladas por outros motivos.

Data de ocorrência: data da decisão.

Complemento: número do processo em que foi determinado o cancelamento da


inscrição, no formato “Proc. n.º/ano-órgão/UF”.

Observação:
1) O motivo/forma identifica a razão do cancelamento. Possui os seguintes
motivos/formas:
2 - Estrangeiro
3 - Duplicidade/pluralidade
4 - Outros

11
2) O motivo/forma 3, além de ser gerado automaticamente pelo sistema, pode ser
comandado pela zona eleitoral, na hipótese de decisão relativa a
duplicidade/pluralidade não agrupada pelo batimento.
3) O motivo/forma 1 é utilizado somente para consulta.

Subseção III

CÓDIGOS FASE UTILIZADOS PARA REGISTRO DE SITUAÇÕES


RELACIONADAS AO EXERCÍCIO DO VOTO

035 - Cancelamento – ausência às urnas por três eleições consecutivas

Finalidade: cancelar inscrição não utilizada para o voto por três pleitos
consecutivos, sem que tenha sido justificada a ausência às urnas ou ocorrido o
pagamento das multas correspondentes.

Efeitos: cancela a inscrição.

Comando: para as inscrições com anotação de grau de instrução diferente de


“analfabeto” e com três ou mais registros do código FASE 094 em situação ativo
inseridos em período em que o eleitor tenha menos de setenta ou mais de oitenta
anos. É comandado automaticamente pelo sistema.

Data de ocorrência: data prevista no cronograma aprovado pelo TSE para o


procedimento de cancelamento por ausência a três pleitos consecutivos.

Observações:
1) inscrição cancelada pelo código FASE 035 poderá ser regularizada pelas
operações de transferência ou revisão, desde que quitados os débitos
correspondentes ou comprovada a justificação da ausência às urnas.

094 - Ausência às urnas

Finalidade: registrar o não-comparecimento do eleitor às urnas no turno


correspondente.

Efeitos: gera anotação de débito relativo ao turno correspondente. Quando o FASE


167 é processado antes do respectivo FASE 094, o FASE 167 fica ativo. Neste
caso, o processamento do FASE 094 torna inativo o código FASE 167 comandado
para o mesmo turno.

Comando: automático pelo sistema quando do processamento dos arquivos de


faltosos oriundos da urna eletrônica ou, excepcionalmente, pela zona eleitoral

12
quando houver falha na geração dos arquivos da urna, com o processamento dos
comprovantes de votação que permaneceram na folha de votação.

Data de ocorrência: data da eleição.

167 - Justificativa de ausência às urnas

Finalidade: registrar apresentação de justificativa de ausência às urnas para


impedir a cobrança da multa correspondente.

Efeitos: torna inativo o código FASE 094 comandado para o mesmo pleito,
descaracterizando o débito relativo à ausência às urnas.

Comando: para inscrições em situação regular, liberada, não-liberada ou


cancelada (exceção-FASE 329). É comandado pela zona eleitoral para registrar as
justificativas deferidas pelo Juiz Eleitoral recebidas fora do dia das eleições, e para
aquelas recebidas no dia das eleições nas mesas receptoras de justificativa e nas
seções eleitorais e não digitadas na urna eletrônica. É também comandado quando
do processamento dos arquivos de justificativas recebidas no dia das eleições nas
mesas receptoras de justificativa e nas seções eleitorais e digitadas na urna
eletrônica.

Observação:
1) O código FASE 167 também poderá ser utilizado para justificar ausência às
urnas de eleitores maiores de 70 anos, principalmente os maiores de 80 anos,
quando por eles requerido, ainda que após o prazo regular para justificativas.

Subseção IV

CÓDIGOS FASE UTILIZADOS PARA REGISTRO DE SITUAÇÕES


RELACIONADAS AOS TRABALHOS ELEITORAIS

175 - Justificativa de ausência aos trabalhos eleitorais

Finalidade: registrar apresentação de justificativa de ausência aos trabalhos


eleitorais para impedir a cobrança de multa correspondente.

Efeitos: torna inativo o código FASE 442 comandado para o mesmo pleito,
descaracterizando o débito relativo à ausência aos trabalhos eleitorais.

Comando: pela própria zona eleitoral, para inscrição regular ou liberada que tenha
o código FASE 183 com a mesma data de ocorrência em seu histórico. Não
necessita do comando prévio do FASE 442.

13
Data de ocorrência: data da eleição.

183 - Convocação para os trabalhos eleitorais

Finalidade: identificar os eleitores convocados para auxiliar os trabalhos no dia das


eleições.

Efeitos: gera débito para o eleitor que NÃO comparecer aos trabalhos eleitorais ou
NÃO justificar a ausência.

Comando: pela zona eleitoral da inscrição, que deve estar regular ou liberada.

Data de ocorrência: data da eleição.

Complemento: o complemento obrigatório identifica a função para a qual o eleitor


foi convocado:

01 - Presidente de Mesa Receptora 12 - Auxiliar de Escrutínio


02 - 1º Mesário 13 - Coletor de Justificativa
03 - 2º Mesário 14 - Supervisor de Informática
04 - 1º Secretário 15 - Técnico em Informática
05 - 2º Secretário 16 - Auxiliar de serviços eleitorais
06 - Suplente 17 -Técnico em urna eletrônica
07 - Presidente de Junta Eleitoral 18 - Supervisor de urna eletrônica
08 - Secretário Geral de Junta Eleitora 19 - Administrador de prédio
09 - Membro de Junta Eleitoral 20 - Auxiliar de transporte
10 - Secretário de Turma Apuradora 21 - Instrutor
11 - Escrutinador 22 - Auxiliar de divulgação

205 - Indicação para os trabalhos eleitorais

Finalidade: identificar o eleitor que foi apontado para auxiliar os trabalhos


eleitorais.

Efeitos: sugere a convocação do eleitor para os trabalhos eleitorais.

Comando: pela zona eleitoral da inscrição, que deve estar regular ou liberada.

Data de ocorrência: data da indicação.

442 - Ausência aos trabalhos eleitorais

14
Finalidade: registrar o não-comparecimento do eleitor convocado para os trabalhos
eleitorais.

Efeitos: gera anotação de débito para o eleitor relativo à ausência aos trabalhos
eleitorais.

Comando: pela zona eleitoral da inscrição, que deve estar regular ou liberada.

Data de ocorrência: data da eleição.

Subseção V

CÓDIGOS FASE UTILIZADOS PARA REGISTRO DE OCORRÊNCIAS


ENVOLVENDO DIREITOS POLÍTICOS

043 - Suspensão - conscrito

Finalidade: registrar a prestação do serviço militar obrigatório.

Efeitos: torna suspensa a inscrição.

Comando: pela zona eleitoral da inscrição, que deve estar regular ou suspensa.

Data de ocorrência: data da incorporação na organização militar da ativa ou da


matrícula em órgão de formação da reserva, ou, na falta dessas informações, a
data da comunicação pela autoridade militar.

Complemento: documento que comunicou a conscrição no formato “Of. n.º /ano-


órgão/local/UF”

Observações:
1) em tempos de paz, apenas os eleitores do sexo masculino são compelidos a
prestar o serviço militar obrigatório.

329 - Perda de direitos políticos

Finalidade: registrar o cancelamento de inscrição por perda de direitos políticos,


nas hipóteses decorrentes do sistema constitucional vigente.

Efeitos: cancela a inscrição e gera registro de perda de direitos políticos na Base


de Perda e Suspensão de Direitos Políticos.

15
Comando: pela Corregedoria-Geral, para inscrições regulares, suspensas ou
canceladas.

Data de ocorrência: data da publicação do decreto ou da portaria (nas hipóteses


de perda da nacionalidade ou de recusa de cumprimento de obrigação a todos
imposta anterior à Constituição de 1988) ou do trânsito em julgado da decisão (no
caso de cancelamento de naturalização).

Complemento: identificação da portaria ou do decreto que declarou a perda, no


formato “Port. MJ n.º/ano” ou “Dec. de (data)”, acompanhado do n.º do processo no
Ministério da Justiça, ou, ainda, do processo no qual decretado o cancelamento da
naturalização, no formato “Proc. n.º/ano-órgão/local/UF”.

Observações:
1) possui motivo/forma que indica a situação que deu ensejo à perda de direitos
políticos:
2 - Cancelamento de naturalização
3 - Perda da nacionalidade
2) o motivo/forma 1 do código FASE 329 permanece apenas para consulta.

337 - Suspensão de direitos políticos

Finalidade: registrar a suspensão de direitos políticos, nas hipóteses decorrentes


do sistema constitucional vigente.

Efeitos: torna suspensa a situação da inscrição.

Comando: pela zona eleitoral da inscrição, para inscrições regulares ou


suspensas.

Data de ocorrência: data do trânsito em julgado da sentença (nas hipóteses de


incapacidade civil absoluta, condenação criminal e improbidade administrativa),
data informada na comunicação feita pelo Ministério da Justiça (na hipótese de
opção pelo Estatuto da Igualdade entre brasileiros e portugueses) ou data da
decretação da suspensão dos direitos políticos (na hipótese de recusa de
cumprimento de obrigação a todos imposta ou recusa da prestação alternativa).

Complemento: número do processo em que houve a condenação criminal, a


declaração da incapacidade civil ou da improbidade administrativa, no formato
“Proc. n.º /ano-órgão/local/UF”; ou documento que comunicou a suspensão dos
direitos políticos nas hipóteses de opção pelo Estatuto da Igualdade ou do
documento que declarou a suspensão, no caso de recusa de cumprimento de
obrigação a todos imposta.

Observações:

16
1) é possível incluir mais de um código FASE 337 para o mesmo eleitor.
2) o motivo/forma identifica a situação ensejadora da suspensão:
1 - Incapacidade civil absoluta
2 - Condenação criminal
3 - Improbidade administrativa
4 - Estatuto da Igualdade
5 - Recusa de cumprimento de obrigação a todos imposta
7 - Condenação criminal (LC n.º 64/90, art. 1º, I, e)
3) O motivo/forma 6 do código FASE 337 permanece apenas para consulta.

345 - Regularização – suspensão de direitos políticos

Finalidade: registrar a regularização de inscrição suspensa, quando cessados os


motivos geradores da suspensão, ou para regularizar inscrição cancelada pelo
FASE 027/2, pertencente a eleitor homônimo do eleitor com suspensão de direitos
políticos.

Efeitos: torna regular a inscrição suspensa ou cancelada pelo código FASE 027,
motivo/forma 2, e inativa o(s) registro(s) de suspensão (FASE 337 ou 043) ou de
cancelamento (FASE 027, motivo/forma 2).

Comando: pela própria zona eleitoral, para inscrições suspensas pelos códigos
FASE 337 ou 043 ou canceladas pelo FASE 027-motivo/forma 2.

Data de ocorrência: data da decisão.

Complemento: n.º do documento que comunicou o cumprimento das condições


para restabelecimento de direitos políticos ou n.º do processo da zona em que foi
apreciado o cumprimento dessas condições e determinado o comando do código
FASE 345, no formato “Proc. n.º/ano-ZE/UF”.

Observações:
1) possui motivo/forma 1 - direitos políticos restabelecidos ou 2 - eleitor diverso.
2) caso exista mais de um código FASE de suspensão no histórico da inscrição
(337 ou 043), o comando do código FASE 345 só pode ser efetuado quando
cessados todos os motivos ensejadores de suspensão.
3) Deve ser comandado uma única vez, mesmo que haja vários FASEs de
suspensão para o eleitor (337 e 043), pois um único FASE 345 inativa todos os
FASEs de suspensão existentes no histórico da inscrição.

353 - Regularização – perda de direitos políticos

Finalidade: registrar a regularização da inscrição cancelada por perda de direitos


políticos, quando cessados os motivos geradores da perda ou quando verificado
tratar-se de homonímia.

17
Efeitos: torna regular a inscrição cancelada e inativa o registro de perda de direitos
políticos (FASE 329) ou de cancelamento pelo código FASE 027, motivo/forma 1.

Comando: pela Corregedoria-Geral, para inscrições canceladas pelo código FASE


329, ou 027 com motivo/forma 1.

Data de ocorrência: data do decreto, da portaria ou da decisão.

Complemento: portaria ou decreto que ensejou a reaquisição dos seus direitos


políticos, no formato “Port. MJ n.º/ano” ou “Dec. de (data)”, acompanhado do n.º do
processo no Ministério da Justiça, ou, na hipótese do motivo/forma 2, número do
processo da Corregedoria-Geral em que foi verificada a homonímia, no formato
“Proc. n.º/ano-CGE”.

Observações:
1) possui motivo/forma 1 - direitos políticos readquiridos, ou 2 - eleitor diverso.
2) embora o comando do código FASE 329 gere registro na Base de Perda e
Suspensão de Direitos Políticos, a regularização da inscrição pelo código 353 não
desabilita a anotação da base, fazendo-se necessária a inativação do respectivo
registro, também de competência da CGE.

Subseção VI

CÓDIGOS FASE UTILIZADOS PARA REGISTRO DE OCORRÊNCIAS RELATIVAS


A ELEGIBILIDADE

540 - Inelegibilidade

Finalidade: identificar inscrição de pessoa considerada inelegível, por situação


prevista na Lei Complementar n.º 64/90.

Efeitos: impede o fornecimento de certidão de quitação eleitoral.

Comando: pela zona eleitoral para inscrição em qualquer situação.

Data de ocorrência: data da decisão que ensejou a inelegibilidade e, na hipótese


de ter sido decorrente de sentença judicial, data do respectivo trânsito em julgado.

Complemento: número do processo em que foi determinada a anotação da


inelegibilidade, no formato “Proc. n.º/ano-órgão/local/UF”, ou indicação do
documento que comunicou a inelegibilidade, no formato “Of. n.º/ano-
órgão/local/UF”.

18
Observação:
1) o código FASE 540 também deve ser comandado após o cumprimento ou
extinção da pena relativa à condenação criminal de que trata a Lei Complementar
n.º 64/90, art. 1º, I, e, a serem identificados no cadastro com o registro do código
FASE 345.

558 - Restabelecimento da elegibilidade

Finalidade: identificar a cessação dos motivos que ocasionaram a inelegibilidade.

Efeitos: inativa o registro de inelegibilidade (código FASE 540).

Comando: pela zona eleitoral para inscrição em qualquer situação em cujo


histórico exista código FASE 540 em situação ativa.

Data de ocorrência: data da decisão que ensejou a inelegibilidade e, na hipótese


de ter sido decorrente de sentença judicial, data do respectivo trânsito em julgado.

Complemento: número do processo em que foi determinada a anotação da


inelegibilidade, no formato “Proc. n.º/ano-órgão/local/UF”, ou indicação do
documento que ensejou/comunicou a cessação dos motivos da inelegibilidade, no
formato “Of. n.º/ano-órgão/local/UF”.

Subseção VII

CÓDIGO FASE UTILIZADO PARA REGISTRO DE FALECIMENTO

019 - Cancelamento - falecimento

Finalidade: registrar a ocorrência de falecimento de eleitor.

Efeitos: torna cancelada a inscrição.

Comando: pela zona eleitoral para inscrições em situação regular, suspensa ou


cancelada. Pode, também, ser comandado automaticamente pelo sistema quando,
por meio de convênio com o INSS, a Justiça Eleitoral tomar conhecimento de óbito
de eleitor.

Data de ocorrência: data do óbito.

19
Complemento: indicação do documento que comunicou o óbito ou do processo em
que foi determinado o comando, no formato “Of. n.º/ano-órgão/local/UF” ou “Proc.
n.º/ano-ZE/UF”.

Observação:
1) inscrição cancelada pelo código FASE 019 poderá ser regularizada pelas
operações de revisão ou transferência, ou, em se tratando de comando
equivocado, restabelecida pelo código FASE 361.

Subseção VIII

CÓDIGO FASE UTILIZADO PARA REGISTRO DE QUITAÇÃO DE MULTA

078 - Quitação de multa

Finalidade: registrar quitação de todos os débitos pecuniários existentes no


histórico do eleitor.

Efeitos: inativa os códigos FASE que registram débito pecuniário para o eleitor
(códigos FASE 094, 264 e 442).

Comando: pela zona eleitoral perante a qual foi quitado o débito, para inscrição em
situação regular ou liberada, em cujo histórico conste código FASE que informe a
existência de débito (094, 264 e 442) em situação ativa.

Data de ocorrência: data da quitação (por recolhimento da multa ou dispensa de


seu recolhimento).

Complemento: o complemento é gerado automaticamente pelo sistema e informa


a zona eleitoral responsável pelo registro.

Observação:
1) tem motivo/forma que identifica se a quitação se deu mediante recolhimento de
multa ou não:
1 - Recolhimento
2 - Dispensa de recolhimento
2) o motivo 2 não poderá ser utilizado para multas decorrentes da aplicação da Lei
n.º 9.504/97.
3) Deve ser comandado uma única vez, pois inativa todos os débitos existentes no
histórico da inscrição com data anterior à data de ocorrência consignado para o
FASE 078.

20
Subseção IX

CÓDIGO FASE UTILIZADO PARA RESTABELECIMENTO DE INSCRIÇÃO

361 - Restabelecimento de inscrição cancelada por equívoco

Finalidade: restabelecer inscrição para a qual tenham sido comandados, por


equívoco, os códigos FASE 019, 469 ou 450.

Efeitos: torna regular a inscrição e inativa o código FASE de cancelamento


comandado equivocadamente.

Comando: pela zona eleitoral da inscrição.

Data de ocorrência: data da determinação do restabelecimento.

Complemento: indicação do processo em que foi determinado o restabelecimento


da inscrição, no formato “Proc. n.º/ano-ZE/UF”.

Observação:
1) inscrições canceladas pelos códigos FASE 027, 035 e 329 não poderão ser
restabelecidas pelo código FASE 361, assim como aquelas cujos cancelamentos
não tenham sido decorrentes de comando equivocado.
2) antes do comando do código FASE 361, o histórico de FASE deve ser
atentamente analisado, com o objetivo de verificar a existência de registro de
suspensão (FASEs 043 e 337) em situação ATIVO, uma vez que o processamento
do código FASE 361 torna a inscrição regular.

Subseção X

CÓDIGOS FASE UTILIZADOS PARA REGISTRO DE SITUAÇÕES ESPECIAIS

248 - Homônimo

Finalidade: identificar o eleitor que comprovou a existência de homônimo, para que


não seja impedido de votar caso se veja agrupado em coincidência.

21
Efeitos: no caso de envolvimento em duplicidade ou pluralidade, a inscrição com o
código FASE 248 permanece com a situação liberada até decisão do agrupamento.

Comando: pela própria zona eleitoral, para inscrição regular ou suspensa.

Data de ocorrência: data da determinação da anotação.

256 - Gêmeo

Finalidade: identificar o eleitor que comprovou ser gêmeo, para que não seja
impedido de votar caso se veja agrupado em coincidência.

Efeitos: no caso de envolvimento em duplicidade ou pluralidade, a inscrição com o


código FASE 256 permanece com a situação liberada até decisão do agrupamento.

Comando: para inscrições regulares e suspensas, pela zona eleitoral da inscrição


ou automaticamente pelo sistema quando informada a condição de gêmeo no RAE.

Data de ocorrência: data da determinação de anotação ou do preenchimento do


RAE, na hipótese de comando automático.

396 - Portador de deficiência

Finalidade: identificar eleitor deficiente para que possa ser providenciado local
adequado para o voto ou inibida a geração de débito por ausência às urnas.

Efeitos: faz com que eventual registro de FASE 094 e 442 permaneçam na
situação INATIVO (somente quando o motivo/forma for 4).

Comando: pela própria zona eleitoral, para inscrição em situação regular ou


liberada.

Data de ocorrência: data da comunicação da deficiência.

Observação:
1) tem motivo/forma que identifica o tipo de deficiência.
1 - Deficiência visual
2 - Deficiência de locomoção
3 - Outros
4 - Dificuldade para o exercício do voto
2) apenas o motivo/forma 4 inibe a geração de débito por ausência às urnas.
3) é permitido incluir mais de um código FASE 396 para o eleitor.

22
485 - Retificação/comprovação de dados pessoais

Finalidade: anotar a comprovação de dados pessoais considerados inválidos ou


consignar a retificação desses dados diretamente pela Corregedoria-Geral no
cadastro.

Efeitos: evita o reexame de situações já analisadas.

Comando: pela Corregedoria-Geral.

Data de ocorrência: data da determinação ou do documento CRE que


encaminhou listagem (Provimento n.º 1/2003-CGE).

Complemento: número do processo CGE em que foi determinada a alteração de


dados, no formato “Proc. n.º/ano-CGE” ou do documento CRE que encaminhou a
listagem, no formato “Of. n.º /ano-CRE/UF”.

604 - Procedimento CGE

Finalidade: identificar inscrições em cujos históricos de RAE/FASE foram


promovidas alterações, em caráter excepcional, pela CGE, à exceção dos
comandos ordinários dos códigos FASE 329 e 353.

Efeitos: possibilita a averiguação de situações que demandaram providências


excepcionais pela Corregedoria-Geral, tais como exclusão de códigos FASE e
reversão de operações realizadas por equívoco.

Comando: pela Corregedoria-Geral.

Data de ocorrência: data da determinação.

Complemento: a indicação do processo em que foi determinada a providência, no


formato “Proc. n.º/ano-CGE”.

264 - Multa Eleitoral

Finalidade: registrar a aplicação de multas em razão de violação de dispositivos do


Código Eleitoral e da Lei n.º 9.504/97, à exceção daquelas de natureza criminal ou
decorrentes de ausência às urnas ou aos trabalhos eleitorais, que têm código FASE
próprio (094 e 442).

Efeitos: impede a obtenção de certidão de quitação eleitoral.

Comando: pela zona eleitoral que aplicou a multa para inscrições em qualquer
situação.

23
Data de ocorrência: data do trânsito em julgado da decisão de aplicação de multa.

Complemento: a indicação do processo em que foi aplicada a sanção, no formato


“Proc. n.º/ano-órgão/local/UF”.

Observação:
1) quando a multa eleitoral for aplicada por tribunal regional ou pelo Tribunal
Superior Eleitoral, a comunicação deverá ser encaminhada à zona eleitoral da
inscrição para comando do respectivo FASE.
2) possui motivo/forma que indica a norma violada:
1-Código Eleitoral
2-Lei n.º 9.504/97

Subseção XI

CÓDIGOS FASE UTILIZADOS PARA ANOTAÇÃO RELATIVA A PRESTAÇÃO DE


CONTAS

230 - Omissão na prestação de contas

Finalidade: identificar candidatos que deixaram de prestar contas de suas


campanhas eleitorais.

Efeitos: impede a obtenção de certidão de quitação eleitoral durante o período do


mandato correspondente ao cargo a que concorria.

Comando: automático pelo sistema com base nas informações do SPCE -Sistema
de Prestação de Contas Eleitorais, ou, excepcionalmente, pela zona eleitoral, para
inscrições em qualquer situação.

Data de ocorrência: data da eleição.

Observação:
1) possui motivo/forma que indica a duração do mandato correspondente ao cargo
ao qual era candidato:
1-mandato de 4 anos
2-mandato de 8 anos
2) ao final do prazo indicado no campo motivo/forma, caso não tenha sido
comandado o código FASE 272 para o mesmo pleito, o código FASE 230 será
inativado automaticamente pelo sistema

272 - Regularização de prestação de contas

24
Finalidade: registrar a prestação de contas de candidato que não o fez no prazo
previsto na legislação.

Efeitos: inativa o código FASE 230, autorizando a emissão de certidão de quitação,


caso não haja outro débito no histórico do eleitor.

Comando: para inscrições regulares, suspensas ou canceladas, por qualquer zona


eleitoral do município da inscrição.

Data de ocorrência: data da eleição.

Subseção XII

CÓDIGOS FASE UTILIZADOS PARA CANCELAMENTO DE INSCRIÇÃO POR


DECISÃO JUDICIAL

450 - Cancelamento - sentença de autoridade judiciária


(vide subseção II)

469 - Cancelamento - revisão de eleitorado

Finalidade: registrar o cancelamento de inscrição por motivo de não-comprovação


de domicílio no processo de revisão de eleitorado.

Efeitos: cancela a inscrição e torna exigível a comprovação do domicílio para a sua


regularização (através de operação 3 ou 5, ou restabelecimento, este apenas no
caso de comando equivocado).

Comando: pela zona eleitoral da inscrição, para inscrições regulares ou


canceladas (à exceção de cancelamento pelo código FASE 450), após a
homologação do processo revisional pelo tribunal regional.

Data de ocorrência: data da homologação do processo revisional pelo TRE.

Complemento: indicação do processo em que foi determinado o cancelamento da


inscrição no formato “Proc. n.º/ano-órgão/UF”.

Observação:
1) ao ser digitado o código FASE, o sistema exige a informação sobre o município
cujo eleitorado foi revisado.

25
Seção V

TABELA DE CÓDIGOS FASE

FASE DESCRIÇÃO MOTIVO / FORMA COMPLEMENTO DATA DE ORIGEM


OCORRÊNCIA
019 Cancelamento - Inexistente Documento de origem: Data do óbito ZE/Sistema
Falecimento - N.º/ano do processo-
ZE/UF
- N.º/ano da
comunicação-
órgão/local/UF
Obrigatório
027 Cancelamento 1. Perda de direitos Inexistente Data da Sistema
automático pelo políticos finalização do
sistema - 2. Suspensão de processamento
duplicidade/plural direitos políticos das decisões das
idade 3. Duplicidade/Plural coincidências
idade sem marca pela SI/TSE
de direitos
políticos
035 Cancelamento - Inexistente Inexistente Data prevista no Sistema
ausência às cronograma
urnas por três específico
eleições
consecutivas
043 Suspensão - Inexistente Documento de origem:
Conscrito - N.º/ano da Data da ZE
comunicação- incorporação na
órgão/local/UF organização
Obrigatório militar da ativa
ou da matrícula
em órgão de
formação da
reserva
078 Quitação de 1. Recolhimento Zona Eleitoral que Data da quitação ZE
multa 2. Dispensa de determinou o comando
recolhimento Obrigatório
086 Regularização Inexistente Inexistente Data da Sistema
automática pelo finalização do
sistema - processamento
duplicidade/ das decisões das
pluralidade coincidências
pela SI/TSE
094 Ausência às Inexistente Inexistente Data da eleição ZE/Sistema
urnas
167 Justificativa de Inexistente Inexistente Data da eleição ZE/Sistema
ausência às
urnas
175 Justificativa de Inexistente Inexistente Data da eleição ZE/Sistema
ausência aos
trabalhos
eleitorais
183 Convocação Inexistente 01 – Presidente de Mesa Data da eleição ZE/Sistema
para os trabalhos Receptora

26
eleitorais 02 – 1º Mesário
03 – 2º Mesário
04 – 1º Secretário
05 – 2º Secretário
06 – Suplente
07 – Presidente da Junta
Eleitoral
08 – Secretário Geral da
Junta Eleitoral
09 – Membro da Junta
Eleitoral
10 – Secretário de Turma
Apuradora
11 – Escrutinador
12 – Auxiliar de Escrutínio
13 – Coletor de Justificativa
14 – Supervisor de
Informática
15 – Técnico em Informática
16 – Auxiliar de serviços
eleitorais
17 – Técnico em urna
eletrônica
18 – Supervisor de urna
eletrônica
19 – Administrador de
prédio
20 – Auxiliar de transporte
21 – Instrutor
22 – Auxiliar de divulgação
Obrigatório
205 Indicação para Inexistente Inexistente Data da ZE
trabalhos indicação
eleitorais

230 Omissão na 1. mandato de 4 anos Inexistente Data da eleição Sistema


prestação de 2. mandato de 8 anos
contas
248 Homônimo Inexistente Inexistente Data da decisão ZE

256 Gêmeo Inexistente Inexistente Data do RAE em ZE


que foi declarada
essa condição ou
da decisão
264 Multa eleitoral 1. Código Eleitoral Documento de origem: Data do trânsito ZE
2. Lei n.º 9.504/97 - N.º/ano do processo- em julgado da
órgão/UF sentença
272 Regularização de Inexistente Inexistente Data da eleição ZE
prestação de
contas
329 Perda de direitos 1. ... Documento de origem: Data da SISTEMA
políticos 2. Cancelamento da - N.º da portaria ou publicação do
naturalização decreto decreto ou da
3. Perda da - N.º do processo/ano- portaria (nas
nacionalidade órgão/local/UF hipóteses de
Obrigatório perda da
nacionalidade ou
de recusa de
cumprimento de

27
obrigação a
todos imposta
anterior à
Constituição
Federal de 1988)
ou do trânsito em
julgado da
decisão (no caso
de cancelamento
de naturalização)
337 Suspensão de 1. Incapacidade civil Documento de origem: Data do trânsito ZE
direitos políticos absoluta - N.º/ano do processo- em julgado da
2. Condenação órgão/local/UF sentença, nas
criminal - N.º/ano do documento hipóteses de
3. Improbidade que comunicou a opção incapacidade
administrativa (motivo 4) civil absoluta,
4. Estatuto da - N.º/ano do documento condenação
Igualdade que declarou a criminal e
5. Recusa de suspensão (motivo 5) improbidade
cumprimento de
obrigação a todos Obrigatório administrativa.
imposta Data informada
6. ... na comunicação
7. Condenação feita pelo
criminal (LC Ministério da
64/90, art. 1º,I,e) Justiça, na
hipótese de
opção pelo
Estatuto da
Igualdade entre
brasileiros e
portugueses.
Data da
decretação da
suspensão dos
direitos políticos,
na hipótese de
recusa de
cumprimento de
obrigação a
todos imposta ou
prestação
alternativa.
345 Regularização - 1. Direitos políticos Documento de origem: Data da decisão ZE
suspensão de restabelecidos - N.º/ano do processo-
direitos políticos 2. Eleitor diverso ZE/UF
- N.º/ano da comunicação-
órgão/local/UF
Obrigatório
353 Regularização - 1. Direitos políticos Documento de origem: Data do decreto, Sistema
perda de direitos readquiridos - N.º da portaria ou da portaria ou da
políticos 2. Eleitor diverso decreto decisão
- N.º do processo/ano-
CGE
Obrigatório

361 Restabeleciment Inexistente Documento de origem: Data da decisão ZE


o de inscrição - N.º/ano do processo-
cancelada por ZE/UF
equívoco Obrigatório
396 Portador de 1. Deficiência visual Inexistente Data da ZE
deficiência 2. Deficiência de comunicação

28
locomoção
3. Outros
4. Dificuldade para o
exercício do voto
418 Duplicidade/ Inexistente - Número da coincidência Data do Sistema
pluralidade - Obrigatório batimento
inscrição não-
liberada
442 Ausência aos Inexistente Inexistente Data da eleição ZE/Sistema
trabalhos
eleitorais
450 Cancelamento - 1. .. Documento de origem: Data da decisão ZE/Sistema
sentença de 2. Estrangeiro - N.º/ano processo-órgão/UF
autoridade 3. Duplicidade/plural Obrigatório
judiciária idade
4. Outros
469 Cancelamento – Inexistente Documento de origem: Data da ZE
revisão de - N.º/ano processo-ZE/UF homologação do
eleitorado Obrigatório processo
revisional pelo
TRE
485 Retificação/ Inexistente Documento de origem: Data da Sistema
comprovação de -N.º/ano do processo-CGE determinação ou
dados pessoais -N.º/ano do documento- do
CRE/UF documento/CRE
que encaminhou
a listagem (Prov.
n.º 1/03-CGE)
493 Regularização - Inexistente Documento de origem: Data da decisão Sistema
sentença de - N.º/ano processo-órgão/UF
autoridade Obrigatório
judiciária
507 Regularização - Inexistente Documento de origem: Data da decisão Sistema
homônimo/cessa - N.º/ano processo-CGE/UF
ção do Obrigatório
impedimento
540 Inelegibilidade Inexistente Documento de origem: Data da decisão ZE
- N.º/ano do processo- que ensejou a
órgão/local/UF inelegibilidade e,
- N.º/ano da na hipótese de
comunicação- ter sido
órgão/local/UF decorrente de
Obrigatório sentença judicial,
data do
respectivo
trânsito em
julgado

558 Restabeleciment Inexistente Documento de origem: Data da decisão ZE


o da elegibilidade - N.º/ano do processo- que ensejou a
órgão/local/UF inelegibilidade e,
- N.º/ano da na hipótese de
comunicação- ter sido
órgão/local/UF decorrente de
Obrigatório sentença judicial,
data do
respectivo
trânsito em
julgado

29
566 Duplicidade/ Inexistente - Número da coincidência Data do Sistema
pluralidade - Obrigatório batimento
inscrição liberada

604 Procedimento Inexistente Documento de origem: Data da decisão Sistema


CGE - N.º/ano do processo-
CGE

JUSTIÇA ELEITORAL DO ESTADO DE SÃO PAULO


Juízo da ª Zona Eleitoral
NOME DA ZONA
ENDEREÇO DA ZONA - CEP - Tel.
CIDADE - SP
CERTIDÃO DE QUITAÇÃO ELEITORAL

Certifico que, de acordo com os assentamentos do Cadastro


Nacional de Eleitores e com o que dispõe a Resolução do Tribunal Superior
Eleitoral nº 21.823/2004, o(a) eleitor(a) abaixo qualificado(a) ESTÁ QUITE com
a Justiça Eleitoral na presente data.
Eleitor(a): ______________________________________________
Inscrição nº: _________________ Zona: _____ Seção: _____

30
Município: __________________ UF: ______
Data de nascimento: ___/___/___ Domiciliado(a) desde: ___/___/___
Filiação: _________________________________________
_________________________________________

O referido é verdade e dá fé.


CIDADE, em _____/_____/______.

__________________________________
NOME
Chefe de Cartório Eleitoral

Res. TSE nº 21.823/2004:


“O conceito de quitação eleitoral reúne a plenitude do gozo dos direitos políticos, o regular exercício do voto, salvo quando facultativo, o
atendimento a convocações da Justiça Eleitoral para auxiliar os trabalhos relativos ao pleito, a inexistência de multas aplicadas, em
caráter definitivo, pela Justiça Eleitoral e não remitidas, excetuadas as anistias legais, e a regular prestação de contas de campanha
eleitoral, quando se tratar de candidatos.”
A plenitude do gozo de direitos políticos decorre da inocorrência de: perda de nacionalidade; cancelamento de naturalização por
sentença transitada em julgado; interdição por incapacidade civil absoluta; condenação criminal transitada em julgado, enquanto
durarem seus efeitos; recusa de cumprir obrigações a todos imposta ou prestação alternativa; condenação por improbidade
administrativa; conscrição; inelegibilidade; e opção, em Portugal, pelo estatuto da igualdade.

31