Você está na página 1de 3

Alegria Verdadeira

“Mas alegrai-vos no fato de serdes participantes das aflições de Cristo, para que também na revelação da sua glória vos regozijeis e
alegreis”
(1 Pe 4:13)

O verdadeiro sentido da vida é encontrado quando ao homem é revelado o Autor da


vida, nas palavras mencionadas neste versículo não encontramos nenhuma
racionalidade, e nenhum sentido lógico, ao passo que, alguém poderia indagar; como
alegrar-se por ser participante de aflição? O versículo não traz em primeira ordem a
alegria na glória, mas a princípio, alegria nas aflições. Alegria por ser participante das
aflições de Cristo, este é o sentido genuíno da verdadeira alegria e a raiz de uma vida
vencedora em Cristo.

O que então podemos enumerar como propulsor desta alegria em relação a


alegria que é encontrada na vida natural? Vejamos que, o homem natural possui
alegria natural, proporcionadas por circunstâncias que fatalmente lhe são favoráveis;
ou seja; quando a situação é de bonança, de prazer, de gozo ou de prosperidade, a
tendência natural do homem é alegrar-se naquilo que lhe traz gozo, naquilo que lhe é
prazeroso, que lhe preenche a esfera física ou a esfera mental e emocional. Portanto
podemos afirmar que de forma sintética a alegria é um estado de satisfação.

A ALEGRIA COMO FRUTO DO ESPÍRITO

A alegria proveniente de Deus tem origem em seu Espírito, e é concedida ao homem


como “Fruto” do Espírito, da qual o homem recebe unicamente através da Graça de
Deus. Esta é a distinção clara pela qual a diferenciamos da alegria natural; pois a
alegria natural tem origem no homem já a alegria como “fruto” tem origem em Deus
(Divinal), e esta não é manifestada conforme as circunstâncias (favorável ou contrária)
esta se manifesta conforme o manifestar do próprio Espírito de Deus, é Ele que realiza
a Alegria Divinal, pois esta é espiritual, tem origem em Deus, enquanto que a primeira
é carnal pois a sua origem é no mundo e o seu sistema artificial.

A origem da alegria natural (do mundo) provém de artifícios que o próprio mundo
produz, tais como glutonarias, vícios, entretenimento e orgias. Algo distante do
propósito real de Deus, onde precisamos discernir que, para tudo que é iniciado por
Deus, satanás possui como oposição, a mentira e o engano e a imitação, ou seja, a
alegria tem origem em Deus, mas o diabo também possui a sua alegria mundana como
forma de falsificação. Porém, a palavra de Deus nos ensina de forma antagônica, que o
nosso Senhor Jesus, através de Seu Espírito produz em nós a Verdadeira Alegria “porque
o reino de Deus não é comida nem bebida, mas Justiça, paz e alegria no Espírito Santo”
(Rm 14:17). Alegria no Espírito significa uma alegria provinda do Espírito, é algo que
provém de Deus independente das circunstâncias e do meio ambiente que cerca o
homem.
Alegria Incondicional

Um homem que perde a sua alegria em meio a adversidade não tem


profundidade no Senhor, quão glorioso é testemunharmos de nosso Senhor com
alegria, ainda que seja em meio a adversidade, a alegria de nosso Deus é que sejamos
fieis em amor ao Seu nome em meio a perseguições “Sê fiel até a morte e dar-te-ei a
coroa da vida”. Precisamos compreender o espírito de submissão e fidelidade que
corroborou nosso Senhor Jesus na sua jornada terrena e em sua obra expiatória, nesta
obra houve submissão, houve perfeição e também alegria (gozo). (Hb 12:2), ou seja
Jesus sabia que a sua obra não era apenas um simples martírio, e muito menos um ato
heróico, mas, era uma ato eternal de tratar não apenas com o pecado mas naquela
cruz Ele também trataria com o pecador, por isso a palavra diz que houve gozo em sua
obra, porque tudo o que Deus fez no principio, Ele se alegrou, se alegrou na obra das
suas mãos quando fez sua obra prima, e as mãos de nosso Deus que fez o que era
bom no principio foi as mãos de nosso Senhor Jesus que restaurou para o Pai e tornou
novamente em justiça todas as coisas. Alegramos-nos em Cristo, Ele é a nossa alegria
eterna “ainda que a figueira não floresça nem haja fruto na vide; o produto da oliveira
minta..todavia, eu me alegrarei no Senhor, exultarei no Deus da minha Salvação”Hc
(3:17-18).. Esta é uma revelação que deve sustentar todos os filhos de Deus na fé, e
saber que sobre Ele (Jesus) foi derramado óleos de alegrias e que fomos resgatados
não com espírito de tristeza mas, o nosso Senhor nos redimiu com plena alegria, esta
foi a obra que Ele nos fez, que embora, sendo Deus

A verdadeira alegria de um cristão não está embasada em circunstancias


favoráveis ou adversas. Nossa alegria é eternal tem origem em nosso Deus e, deve ser
direcionada sempre a Ele, rejeitemos pois, toda artificialidade satânica produzida pelo
sistema do mundo e sua mente maligna em “alegrar” o homem cativando-o ao seu bel
prazer, onde cada vez mais com suas astucias tenebrosas engoda toda a humanidade,
propagando a mentira no lugar da verdade, tenhamos percepção daquilo que se
distingue pelas aparências superficiais, saibamos pois, que por detrás de toda
“maravilha da invencionice” os entretenimentos, as tecnologias, as artes, as músicas
etc. como são cada vez mais são atraentes e poderosas em animar as pessoas e deixá-
las mais longe de seus problemas. Ou pelo menos veste esta embalagem, mas, se trata
apenas de uma embalagem o conteúdo é a mentira.

Alegrar-se no espírito
Nossa alegria deve atender aos requisitos de Deus. devemos alegrar-nos no
espírito, ainda que o semblante seja de dor ou a circunstância seja de adversidade,
este é o centro de nossa adoração e onde certamente Deus recebe a nossa adoração. O
Senhor disse aos seus discípulos “Mas, não vos alegreis porque se vos sujeitem os espíritos;
alegrai-vos antes por estarem os vossos nomes escritos nos céus.” Lucas 10:20. Esta
afirmação nos revela o primeiro motivo de nossa alegria, o fato de nossos nomes
estarem escritos no livro da vida, visto que, fomos resgatados de uma tristeza eterna,
portanto tenhamos em nosso entendimento de que deve fluir diariamente de nosso ser
a verdadeira alegria da obra realizada pelo nosso Senhor; este foi o encontro que
alegrou as nossas vidas, assim como João Batista se alegrou com Jesus ainda no ventre
de sua mãe “E aconteceu que, ao ouvir Isabel a saudação de Maria, a criancinha saltou no seu
ventre; e Isabel foi cheia do Espírito Santo” Lc 1:41. Quem se alegrou pela salvação em
Cristo se alegra também na adoração, no louvor em oração e na comunhão com os
santos “Alegrei-me quando me disseram: Vamos á casa do SENHOR”. Salmos 122:1 esta é a
genuína alegria: Servir ao Senhor nosso Deus, sem artifícios, sem “fermentos” mas de
espírito e coração quebrantado.
Salmos “Então irei ao altar de Deus, a Deus, que é a minha grande alegria, e com harpa te
43:4 louvarei, ó Deus, Deus meu.”

À Ele seja toda Honra, Glória, Louvor e Majestade pelos séculos dos séculos

Interesses relacionados