Você está na página 1de 54

Saúde Coletiva III

Prof.: Guilherme Câmara


Aurélio Salgado
Caroline Pólvora
Cynthia Lima
Eder Garcia
Lilyane Damasceno
Ludmila Messias
Mariane Marques
Rachid Lauar
Rodrigo Magalhães
Pneumopatias
Ocupacionais

Afecções das vias aéreas, do parênquima pulmonar e


da pleura causadas por exposição a poluentes nos
locais de trabalho
O Sistema Respiratório
Mecanismos imunológicos de
defesa
Transporte Muco-ciliar:
- Vias aéreas proximais
- Proporção e concentração dos
constituintes
- Condições fisiológicas respiratórias
Fagocitose:
- Vias aéreas distais: macrófagos
alveolares
- Resposta celular e humoral
Pneumopatias
Ocupacionais
Pneumopatias
Ocupacionais
Silicose
Principal pneumoconiose no Brasil,
envolvendo milhares de trabalhadores em
diversas atividades industriais
Mineiros do metal, os cortadores de arenito e
de granito, os operários das fundições e os
oleiros
Maior parte dos casos diagnosticados no
Brasil provém da mineração subterrânea de
ouro, cerâmicas, fundições, pedreiras e
indústria de recuperação naval
Silicose
Agente patogênico: constituinte da areia
poeira de sílica livre -
quartzo
dióxido de silício
Fatores:
- Pequenas partículas < 5µ
- Concentração ou quantidade de partículas
- Duração da exposição
Silicose
Forma crônica:

- Nódulos silicóticos disseminados evoluindo


para fibrose maciça progressiva

- Mais frequente: pequenas concentrações por


vários anos

- Operações de fundição, mineração e


pedreiras
Silicose
Forma acelerada

- Grande quantidade de nódulos que tendem


a se confluir
- Surge por elevada concentração de sílica
em período curto
- Cavadores de poços no Nordeste e
atividade com jato de areia
Silicose
Forma aguda

- Preenchimento alveolar composto por


proteínas e lipídeos e corado fortemente por
PAS +
- Hipertrofia e hiperplasia de pneumócitos
tipo II
- Alta concentração de partículas de sílica
livre pequena
- Trabalhadores jovens: jateamento de areia,
indústria de sabão abrasivo ou ambientes
fechados
Silico-tuberculose
Associação ocorre em 75% dos silicóticos
Sintomas:
- Tosse produtiva
- Hipertermia
- Sudorese noturna
Exames de imagem:
- Raio X: presença de cavidades
- TC – padrão ouro
Silicose
Sintomas:

- Redução da capacidade para o trabalho


- Dispnéia de caráter progressivo
- Tosse improdutiva
- Expectoração – associado a bronquite
Silicose
Exame físico:
- Inicialmente sem alterações
- Espessamento pleural – redução do MV
- Expiração alongada
- Tiragem intercostal
Exames de imagem:
- RX : aumento da trama vascular e da
silhueta hilar
nódulos de 1 á 5mm difusos
imagem em casca de ovo
Silicose
Silicose
Silicose
Diagnóstico:

- História + de exposição á sílica


- Sintomas clínicos
- Aspecto radiológico

Diagnóstico diferencial:

- Carcinoma de pulmão
- Tuberculose
Silicose
Tratamento

- Interrupção da exposição à sílica

- Medicamentos que dilatam os brônquios e


expelem as secreções das vias aéreas
Silicose
Asbesto
Termo genérico para diferentes silicatos
minerais
Maior exposição:
Mineração
Construção Civil
Pintores INDIRETOS

Eletricistas
Asbestose
Doença fibrosante intertiscial difusa
relacionada com a intensidade e duração da
exposição, podendo levar ao câncer
Clínica: semelhante a fibrose

Diagnóstico: Raio – X de tórax

Não existe cura possível

Recomenda-se evitar futura exposição


Asbestose
Asbestose
N.S trabalhou mais de 20 anos
na Brasilit. Hoje luta por
indenização. Tem asbestose: o
amianto vai endurecer seu
pulmão até a morte por
asfixia
Antracose
Lesão pulmonar caracterizada por
pigmentação por sais de carbono
Maior exposição:
grandes centros urbanos ou áreas poluídas
mineradores
fumantes
Antracose
 As partículas de carvão permanecem no tecido
pulmonar ou nos linfonodos por toda a vida
 Quando de forma excessiva podem causar
fibrose pulmonar
Sd. de Caplan – artralgia de pequenas
articulações proximais + sinais flogísticos +
história ocupacional de exposição a poeiras
minerais
Antracose
Antracose
Asma Ocupacional
Conhecida desde o século XVIII
Ramazzini – peneiradores de cereais

Obstrução variável das vias aéreas, reversível,


induzida por agentes inaláveis, presentes no
ambiente de trabalho sob forma de poeira,
gases, vapores e fumos
Asma Ocupacional
 Reflexa: ação direta do contato. História

pregressa + de hiperreatividade ou asma

 Inflamatória: episódicos e limitados, evolução

em meses, com hiper-reatividade brônquica

 Farmacológica: agentes atuam como agonistas

farmacológicos

 Imunológica: reação mais comum


Asma relacionada ao trabalho: Categoria dos agentes
mais frequentes associados com casos de asma
relacionada ao trabalho, 1993-1999

Diversos
químicos

Poeira
Material mineral e Poluentes
de inorganica do ar em
limpeza casa Produtos
de pirólise Isocianet
Solventes
o
Hidrocarbo
no PolímerosExposição
a solda
Asma Ocupacional
Exame físico:

- Dispnéia leve, moderada ou grave


- Tosse – produtiva ou não
- Sibilos e roncos
Exames:
- Testes cutâneos
- Determinação de IgE específico
- Provas de função pulmonar – substâncias
broncoconstritoras
- Peak-flow – mais utilizado
Asma Ocupacional
Pior prognóstico:

- Tardio
- Hiperreatividade brônquica
- Hábito tabágico
- Função pulmonar muito reduzida
- Necessidade constante do uso de corticóide
Asma Ocupacional
Inalação de Agrotóxicos
Tem causado diversas vítimas fatais, além de
abortos, fetos com má-formação, suicídios,
câncer, dermatoses e outras doenças
Segundo a OMS, há 20.000 óbitos/ano devido
da manipulação, inalação e consumo indireto
de pesticidas, nos países em desenvolvimento
Pneumonite por
Hipersensibilidade
 Pulmão do Fazendeiro: feno, palha, grãos mofados → Actinomycetes

Thermof

 Bagaçose: cana mofada →Thermoactinomyces viridis, T.sacharii

 PH dos manipuladores de malte, cortiça, boldo e cogumelos

→T.vulgaris et al

 PH dos Criadores de Aves: excrementos e penas → proteínas de

aves

 PH dos Manipuladores de Animais e Peixes → proteínas e saprófitos


Bissinose
Causada por uma reação alérgica ao pó
produzido durante o processamento do
algodão, linho, cânhamo ou sisal
Clínica: dispnéia da segunda feira e tosse

Diagnóstico : raio X de tórax, testes de função


pulmonar, gasometria arterial
Tratamento: broncodilatadores e
antihistamínicos
Beriliose
Pneumoconiose produzida pela inalação de sais ou
silicato de berílio, sob a forma de poeira, fumo ou
vapores
Maior exposição:
 Industria de lâmpadas fluorescentes
 Fabricação de tubos de raio X

Clínica:
 Primeira fase: febre, dermatite aguda, sintomas
respiratórios
 Segunda fase: Bronquiolite grave ou pneumonite química
aguda
Diagnóstico: teste cutâneo específico para berílio,
detecção de berílio na urina
Tratamento: corticóide e oxigenoterapia
Beriliose
Pneumonite Química
Inflamação dos pulmões ou dificuldade
respiratória provocada pela inalação de
produtos químicos nocivos:
- derivado de petróleo
- querosene
Clínica: Dispnéia, dor torácica e febre

Acomete trato respiratório superior e inferior


Síndrome do Edifício Doente
(SED)
Documentada em prédios recentemente
construídos e remodelados, com sistema de
ar condicionado central e janelas que não são
abertas
Os sintomas se relacionam com a quantidade
de tempo no ambiente e recorrem quando se
retorna ao mesmo
Conduta
..uma vez estabelecida a relação de causa e
efeito, o médico poderá atestar o nexo
causal, isto é, a relação entre a patologia e a
atividade do trabalhador

1. CAT – Comunicação de Acidente de Trabalho

2. Laudo de Exame Médico

3. Resultados dos exames laboratoriais

4. Solicitação de afastamento do trabalho e/ou readaptação ou

reabilitação profissional
Profilaxia
Normas efetivas de fiscalização e de controle

Exames periódicos semestral ou anual

Redução do tempo de exposição

Troca e adequação do local de trabalho


Prevenção
• Deve conter no mínimo
18% de O
2 .

• Redução do teor de
AR poluentes a níveis
RESPIRÁVEL seguros
• Deve encontrar-se no
estado
apropriado de pressão,
temperatura e umidade
• Não ter odores
Significa que: desagradáveis
Profilaxia
A silicose teve sua incidência drasticamente
reduzida na América do Norte e na Europa,
quando medidas de controle ambiental foram
adotadas, como a simples aspersão de água
no processo de trabalho

Muitos são os materiais que podem


substituir o amianto como fibras de vidro,
pvc, pva, lã de vidro, alumínio, fibras de
celulose e de aramida
“ Por favor madame. Estou
tentando determinar qual é
o mais barato... Funerais ou
medidas de segurança.”
Conclusão
“Há maneiras de
proteger seu pulmão no
trabalho...

Descubra quais
são elas.”
BIBLIOGRAFIA
• BETHLEM, Newton. Pneumologia. 4. ed. São
Paulo: Livraria Atheneu, 2002.
• SILVA, Luiz Carlos Corrêa. Condutas em
Pneumologia. Rio de Janeiro: Editora Revinter,
2001.
• HARRISON, T.R. Medicina Interna. 16. ed. Rio de
Janeiro: Mc Graw Hill, 2006.
• CARVALHO, Yara Maria. Tratado de saúde coletiva.
São Paulo: Fiocruz, 2006.
Área de Segurança do Trabalho – GERDAU -
Treinamento "Gases e Seus Riscos".
http://www.saudeetrabalho.com.br/t-pneumopatias.ph

http://portal.saude.gov.br/