Você está na página 1de 11

Avaliação da aprendizagem:

concepções e práticas
Profa. Ma. Thicianne Malheiros da Costa
Introdução
• A avaliação faz parte do cotidiano da humanidade em diferentes
épocas e aspectos.
• O processo educativo é único e acontece de maneiras diferentes ao
longo da história, bem como é vivenciado de formas diferentes para
cada aluno.
• Assim, quando se trata de ensino-aprendizagem não podia se
desligar dos processos avaliativos.
• Muitas vezes, porém, eles são entendidos como artificiais e
confundidos como um aspecto negativo, gerando muita ansiedade,
devido à forma como é realizado.
Avaliação da aprendizagem
• Quando se fala de avaliação da aprendizagem, geralmente o foco é
o estudante, especialmente quando o assunto é o fracasso escolar.

• Uma questão importante é: será que depende só do estudante ou


da instituição?

• Ao observar que a instituição também pode fracassar, foram


desenvolvidas as avaliações institucionais.

• Além disso, o professor também é avaliado, sendo uma das formas


observar o desempenho da turma como um todo, para ver o efeito
das suas aulas sobre o grupo – curva de aprendizagem da turma.
Avaliação da aprendizagem
• A Avaliação serve para subsidiar o desenvolvimento do aluno e
a prática pedagógica do professor, bem como o Projeto
Pedagógico.
• É permanente no processo de ensino-aprendizagem.
• Dá um diagnóstico que sinaliza se os resultados foram ou não
dentro da qualidade esperada.
• De modo que os resultados podem ser comparados com o que
se objetiva para identificar os progressos, as dificuldades,
possibilitando reorientar o trabalho quando necessário.
Avaliação da aprendizagem
• Assim, o ato de avaliar dá as qualidades da realidade para
promover uma intervenção.
• Tem um caráter Pedagógico, pois garante que se possa chegar
ao resultado desejado, sendo inclusiva e democrática, pois
deve estar disposta para todos os alunos.
• Também tem um caráter Político, pois propicia os educados em
investir na sua formação não apenas acadêmica, mas do papel
social.
Avaliação da aprendizagem
• Por fim, cabe destacar que a avaliação deve ajudar a construir o
processo de aprendizagem.

• Quanto melhor o professor conhecer a forma como seus alunos


aprendem, melhores podem ser suas intervenções.

• Dessa forma, as formas de avaliação escolhidas devem ser o mais


integradas com as atividades desenvolvidas pelo educador que
estejam comprometidas com a aprendizagem e a formação do
aluno.
Avaliação da aprendizagem
• As diferentes etapas desse processo:
• Avaliação diagnóstica: traça o perfil e serve de base para a
sistematização dos planos.

• Avaliação formativa: é realizada durante o processo e serve como


forma de acompanhar se os objetivos traçados estão sendo
alcançados, e proporcionar um feedback ao aluno.

• Avaliação somativa: acontece no final do processo, afim de verificar o


aprendizado do aluno, sendo formada pelos conteúdos mais
importantes do programa.
Instrumentos de avaliação
• Dentro da educação formal, têm o papel de verificação e
mensuração do aprendizado.
• Pensar na avaliação com o mesmo rigor da metodologia científica.
• Não significa que a avaliação seja afastada da subjetividade, mas
que os instrumentos devem ser bem construídos.
• Instrumento de avaliação precisa ter: sistematicidade (lógica),
linguagem compreensível, compatibilidade com o conteúdo
ensinado (nível de complexidade e metodologia como foi ensinado),
precisão (não pode ser uma pergunta genérica)
• O instrumento também precisa ter um critério para saber se o
resultado foi ou não satisfatório.
Instrumentos de avaliação
• Avaliação tem que dar um feedback para o aluno como para a
escola de como está o processo de ensino, influenciar no
planejamento do professor e da escola.
• Avaliação é formada por instrumentos diversos: entrevistas,
questionários, testes, listas de verificação, observação.

• As provas costumam ser vistas como instrumentos ruins, porém não


o são quando apresentam uma boa construção e possibilitam ao
educador dar um feedback ao aluno e proporcionar o pensamento
crítico do aluno, não apenas decorar conceitos, mas saber aplica-lo
em diferentes contextos.
Considerações finais
• O aprendizado é constante na formação do aluno e a avaliação faz
parte desse processo.
• Avaliação depende da formação do professor e do plano de ensino.
• Assim, possibilita não apenas conhecer o perfil dos alunos, como se
os objetivos da instituição estão sendo alcançados e o professor
consegue passar o conteúdo para toda a turma.
• Avaliação não se resume a provas, nem precisa ser fator
ansiogênico.
• Não há um instrumento único de avaliação que faça avaliação de
toda a realidade, mais importante é mesclar diferentes formas
qualitativas e quantitativas.
Referências Bibliográficas
• ALMEIDA, Ana Maria Bezerra de. Didática Geral. Ceará: Editora da Universidade
Estadual do Ceará, 2015. Disponível em:
<file:///C:/Users/Thicianne/Downloads/Didatica%20Geral_2015%20(1).pdf>
• DEPRESBITERIS, Léa; TAVARES, Marialva Rossi. Diversificar é preciso...:
instrumentos e técnicas de avaliação de aprendizagem. Senac, 2017.
• BARBOSA, Maria Rita Leal da Silveira; MARTINS, Angélica Pinho Rocha. Avaliação:
Uma prática constante no processo de ensino e aprendizagem, 2011. Disponível em:
<http://catolicaonline.com.br/revistadacatolica2/artigosv3n5/artigo27.pdf>.
• MENEZES, Ebenezer Takuno de; SANTOS, Thais Helena dos. Verbete avaliação
somativa. Dicionário Interativo da Educação Brasileira - Educabrasil. São Paulo:
Midiamix, 2001. Disponível em: <http://www.educabrasil.com.br/avaliacao-somativa/>.
Acesso em: 19 de fev. 2018.