Você está na página 1de 26

HISTÓRIA DOS PLÁSTICOS

compostos de A palavra polímero


altos pesos (poly + mero, muitas
moleculares
partes), vem do
grego e foi criada
por Berzelius, em
1832.

1
No século XVI, com o advento dos descobrimentos,
espanhóis e portugueses tiveram o primeiro
contato com o produto extraído de uma árvore
natural das Américas (Havea brasiliensis). Esse
extrato, produto da coagulação e secagem do látex,
apresentava características de alta elasticidade e
flexibilidade desconhecidas até então.
Sua utilização foi bastante restrita até a
descoberta da vulcanização por Charles
Goodyear, em 1839.

Ao esquentar a borracha natural com enxofre, obteve-se um material que


tinha elasticidade e resistência mecânica, térmica e a solventes. Este
processo foi chamado de Vulcanização.

2
1846: Christiam Schónbien, químico alemão, tratou o
algodão com ácido nítrico, dando origem à
nitrocelulose, primeiro polímero semi-sintético.

1862: Alexandre Parker (inglês) dominou


completamente essa técnica, patenteando a
nitrocelulose.

1897: Krishe e Spittler, na Alemanha, conseguiram


um produto endurecido por meio da reação de
formaldeído e caseína (proteína constituinte do leite
desnatado).

3
1912: Sintetizado o primeiro polímero, produzido por
Leo Baekeland, obtido pela reação entre fenol e
formaldeído, resultando na baquelite.

4
1920: Staunger, cientista alemão, propõe a teoria da
macromolécula.

5
1930: A indústria de materiais plásticos avançou
seriamente a partir do desenvolvimento dos processos
químicos para produção de Nylon, uretanos e
fluorcarbonos (Teflon). Nesta época também se iniciou
a produção de celulose, acetato, melamina e compostos
moldáveis à base de estireno.

6
1930: Apareceram no mercado as primeiras
máquinas voltadas à produção industrial de peças
plásticas baseadas em injeção, sopro e vácuo.

7
ATUALMENTE
Produção anual de aproximadamente 6 milhões de toneladas de

resina;

Responsável pelo abastecimento total do mercado brasileiro de

commodities poliméricas;

Vendas correspondentes a cerca de 5,4%* do PIB do país;

Emprega cerca de 200 mil pessoas;

Essa cadeia é formada por cerca de 6 mil empresas, que variam de


grande porte (produtoras de insumos e de polímeros) a empresas de
médio, pequeno e micro porte (transformadores de polímeros).
Fonte: SEI/IBGE
8
* Perspectiva Econômica Global
Nos últimos anos tem havido um crescimento
crescente na industria de plásticos mas o maior
crescimento tem sido nos:

Tipos ou grades de cada polímero,


Polímeros quimicamente modificados,
Blendas ou misturas físicas
Novos processos de sínteses de
polímeros conhecidos (metalocenos).

É mais barato modificar química ou fisicamente os


polímeros existentes.
9
A Tabela 1 mostra, de forma bastante resumida, a
evolução dos principais polímeros comerciais
Tabela 1 - Primeira ocorrência e primeira produção industrial de alguns polímeros comerciais

Polímero 1ª Ocorrência 1ª Prod. Industrial


PVC 1915 1933
PS 1900 1936/7
PEBD (LDPE) 1933 1939
NYLON 1930 1940
PEAD (HDPE) 1953 1955
PP 1954 1959
PC 1953 1958

10
CONCEITOS FUNDAMENTAIS

POLÍMEROS

Material orgânico (ou inorgânico) de alta massa molecular


(acima de dez mil, podendo chegar a dez milhões), cuja
estrutura consiste na repetição de pequenas unidades
(meros). Podem ser de origem natural, artificial (polímeros
naturais modificados) ou sintética, constituídos por muitas
macromoléculas.
11
12
13
POLÍMEROS = MACROMOLÉCULA

NEM TODAS AS MACROMOLÉCULAS SÃO POLÍMEROS

Na grande maioria dos polímeros


industrializados, o peso molecular se
encontra entre 104 e 106

14
MACROMOLÉCULA POLÍMERO
15
MONÔMERO
São moléculas simples que dão origem ao polímero. Deve ter
funcionalidade de no mínimo 2 (ou seja, ser pelo menos bifuncional).

Moléculas bifuncionais são moléculas que possuem duplas


ligações reativas, dissociada com a formação de duas ligações
simples

Crescimento da cadeia Crescimento da cadeia

Pontos Reativos

POLÍMEROS 16
Moléculas Bifuncionais

 Aplicações:
 Muitas moléculas bifuncionais são
utilizadas para produzir medicamentos e
catalisadores, produção de poliéster,
poliamida.

17
MERO
Unidades químicas que se repetem na
cadeia polimérica

mero mero mero mero mero mero mero mero mero mero

18
EXEMPLOS DE MONOMEROS E MEROS

19
20
Grau de polimerização
 É o numero de unidades de repetição (meros)
na cadeia polimérica.

 Normalmente o grau de polimerização é acima


de 750.

 É uma forma alternativa para expressar o


tamanho médio da cadeia de um polímero.

21
Grau de polimerização = 8

Grau de polimerização = 20

Grau de polimerização = 6 22
Polimerização
É o conjunto das reações químicas que
provocam a união de pequenas
moléculas por ligações covalentes, para
a formação de cadeias
macromoleculares que compõem o
material polimérico

23
Reação de polimerização no polietileno

24
DEFINA:
a)Polímero
b)Monômero
c)Mero
d)Grau de polimerização
e)Polimerização
25
Qual a diferença entre uma
macromolécula e um polímeros?

26