Você está na página 1de 27

TREINAMENTO DE

COMBATE
PRINCÍPIO DE INCÊNDIO
COMPONENTES DO FOGO

Comburente
Combustível
( Oxigênio ) ( É tudo que pode pegar Fogo )

Calor - Ignição
COMBURENTE
É o elemento que possibilita vida as chamas e intensifica a combustão. O
mais comum é que o oxigênio desempenhe esse papel.

OXIGÊNIO: O ar que respiramos, dentre outros componentes, possui 21% de


oxigênio. Para o fogo ter início, basta apenas 16% de oxigênio. Se este
percentual estiver entre 8% e 16%, a queima torna-se lenta. Abaixo de 8%,
não haverá combustão.

Fonte: Adaptado pelo autor de apostila de formação de brigada eventual e profissional - Corpo de Bombeiros Militar do ES
TIPOS DE COMBUSTÍVEIS

 SÓLIDO: A maioria dos combustíveis sólidos transforma-se em vapores e,


então, reagem com o oxigênio.

 LÍQUIDO: O início da combustão requer a conversão do combustível para


o estado gasoso, o que se dará por aquecimento. Logo, o que queima são
os vapores e não o líquido.

 GASOSOS: Os gases não tem volume definido, logo tendem a ocupar


rapidamente, todo o recipiente em que estão contidos. Se o peso do gás é
menor que o do ar, o gás tende a subir e dissipar-se. Mas, se o peso do gás
é maior que o do ar, o gás permanece próximo ao solo e caminha na
direção do vento, obedecendo os contornos do terreno.
Fonte: Adaptado pelo autor de apostila de formação de brigada eventual e profissional - Corpo de Bombeiros Militar do ES
PROPAGAÇÃO DO FOGO
O calor de objetos com maior temperatura é transferido para aqueles
com temperatura mais baixa, levando ao equilíbrio térmico e podendo
causar o surgimento do fogo.

Existem três formas de propagação, veremos:

Fonte: Adaptado pelo autor de apostila de formação de brigada eventual e profissional - Corpo de Bombeiros Militar do ES
PROPAGAÇÃO DO FOGO
CONDUÇÃO: É a transmissão de calor que ocorre de molécula para molécula,
através do aumento do seu movimento vibratório, acarretando, também, em
um aumento de temperatura em todo o corpo.

Fonte: Adaptado pelo autor de apostila de formação de brigada eventual e profissional - Corpo de Bombeiros Militar do ES
PROPAGAÇÃO DO FOGO
CONVECCÇÃO: Quando a água é aquecida num recipiente de vidro, pode-se
observar um movimento, dentro do próprio líquido, de baixo para cima. À medida
que a água é aquecida, ela se expande e fica menos densa (mais leve) provocando
um movimento para cima. Da mesma forma, o ar aquecido se expande e tende a
subir para as partes mais altas do ambiente, enquanto o ar frio toma lugar nos
níveis mais baixos.

Fonte: Adaptado pelo autor de apostila de formação de brigada eventual e profissional - Corpo de Bombeiros Militar do ES
PROPAGAÇÃO DO FOGO
IRRADIAÇÃO: É a transmissão de calor por meio de ondas e raios que se
processa através do espaço vazio, não necessitando de continuidade
molecular entre a fonte e o corpo que recebe o calor. As ondas de calor
propagam-se em todas as direções.

Fonte: Adaptado pelo autor de apostila de formação de brigada eventual e profissional - Corpo de Bombeiros Militar do ES
MÉTODOS DE EXTINÇÃO
 RESFRIAMENTO: Mais usado, tem por finalidade baixar o calor do
material.

 ABAFAMENTO: Retira o Comburente(oxigênio) ou baixa sua concentração


a níveis abaixo 8%.

 RETIRADA DO COMBUSTÍVEL: Mais simples e barato pois só necessita


trabalho braçal.

 EXTINÇÃO QUÍMICA: Quebra da reação em cadeia através de produtos


químicos.
Fonte: Adaptado pelo autor de apostila de formação de brigada eventual e profissional - Corpo de Bombeiros Militar do ES
MÉTODOS DE EXTINÇÃO
CLASSES DOS INCÊNDIOS

CLASSE A: É o incêndio que ocorre em materiais sólidos ou fibrosos comuns,


que ao se queimarem deixam resíduos. Esses materiais queimam tanto em
superfície, quanto em profundidade. Exemplo: madeira, papel, tecido,
espuma etc.

Combate: Deve ser feito utilizando soluções aquosas através de resfriamento.


Fonte: Adaptado pelo autor de apostila de formação de brigada eventual e profissional - Corpo de Bombeiros Militar do ES
CLASSES DOS INCÊNDIOS
CLASSE B: É o incêndio que ocorre em materiais líquidos inflamáveis.
Esses materiais queimam somente em sua superfície e não deixam
resíduos. Exemplos: gasolina, querosene, álcool, tinta etc.

Combate: É feito por abafamento com uso de pós químicos e CO2 e


espuma químicas.
Fonte: Adaptado pelo autor de apostila de formação de brigada eventual e profissional - Corpo de Bombeiros Militar do ES
CLASSES DOS INCÊNDIOS
CLASSE C: Equipamentos elétricos energizados, oferecem risco a vida,
desligados transformam-se em classe “A”. Sua extinção é muito
perigosa ao combatente.

Combate: É feito com substâncias menos condutoras de eletricidade com


pós químicos e gás carbônico.
Fonte: Adaptado pelo autor de apostila de formação de brigada eventual e profissional - Corpo de Bombeiros Militar do ES
CLASSES DOS INCÊNDIOS
CLASSE D: Metais pirofóricos como: magnésio, potássio, alumínio em pó,
que necessitam para sua extinção de agentes extintores
especiais(compostos halogenados) os quais se fundem com o metal
combustível, formando uma película (capa) que protege e isola do ar
atmosférico, interrompendo aí a combustão.

Fonte: Adaptado pelo autor de apostila de formação de brigada eventual e profissional - Corpo de Bombeiros Militar do ES
CLASSES DOS INCÊNDIOS
CLASSE K: Incêndios que envolvem meios de cozinha. Ex: banha, gordura e
óleo.

Combate: Nessa classe não deve-se, em hipótese nenhuma, utilizar o agente


água para seu combate. O Abafamento é a melhor forma de combate a esse
tipo de incêndio.
Fonte: Adaptado pelo autor de apostila de formação de brigada eventual e profissional - Corpo de Bombeiros Militar do ES
TIPOS DE EXTINTORES

Fonte: http://engenhariasafety.blogspot.com.br/2017/05/tipos-de-extintores-sinalizacoes-e-suas.html
TIPOS DE EXTINTORES

Fonte: https://www.escolaengenharia.com.br/tipos-de-extintores/
QUADRO INFORMATIVO DO USO
DOS EXTINTORES
Classe de
Incêndio ÁGUA ESPUMA PQS CO2 HALON

A SIM SIM INEFICAZ INEFICAZ INEFICAZ


Excelente Regular Só superfície Só superfície Só superfície

B SIM SIM SIM SIM


NÃO Excelente Excelente Bom Excelente
C SIM SIM SIM
NÃO NÃO Bom Excelente Excelente
D Pós especiais
NÃO NÃO NÃO NÃO
Alcance do jato 10 m 5m 5m 2,5 m 3,5 m
Tempo de 60 seg 60 seg 15 seg 25 seg 15 seg
descarga

Fonte: Adaptado pelo autor de apostila de formação de brigada eventual e profissional - Corpo de Bombeiros Militar do ES
COMPORTAMENTOS EXTREMOS
DO FOGO
Também denominados incêndios de propagação rápida, são eles:
 Generalização do incêndio (flashover)
 Explosão de fumaça (backdraft)
 Ignição da fumaça, dentre outros.

OBS: Todos são resultados do comportamento da fumaça no ambiente


sinistrado.
Fonte: Adaptado pelo autor de manual de combate a incêndio- Corpo de Bombeiros Militar do Distrito Federal
FLASHOVER

Ocorre quando todos os materiais presentes no ambiente, em virtude da


ação da fumaça quente e inflamável, entram em ignição (quase
simultaneamente) após sofrerem a pirólise.

Fonte: Adaptado pelo autor de manual de combate a incêndio- Corpo de Bombeiros Militar do Distrito Federal
BACKDRAFT

É a deflagração rápida e violenta da fumaça aquecida e acumulada no


ambiente pobre em oxigênio, no momento em que essa massa gasosa
entra em contato com o oxigênio.

Fonte: Adaptado pelo autor de manual de combate a incêndio- Corpo de Bombeiros Militar do Distrito Federal
INDICATIVOS DO BACKDRAFT

 Poucas chamas visíveis que surgem quando encontram o ar;


 Fumaça puxando corrente de ar para dentro do ambiente;
 Janelas enegrecidas e portas e maçanetas quentes (ar entra de forma
pulsante);
 Sons de assobio ou rugido;
 Fumaça densa e escura, rolando pelo ambiente, saindo em forma
pulsante por meio de frestas ou qualquer outra abertura.
Fonte: Adaptado pelo autor de manual de combate a incêndio- Corpo de Bombeiros Militar do Distrito Federal
GLP
Basicamente formado por Propano e Butano;

É incolor e inodoro (Mercaptana);

É armazenado a uma pressão de 15 kgf/cm2;

Propano - A faixa de inflamabilidade é de 2,1 a 9,5%;

Butano - A faixa de inflamabilidade é de 1,8% a 8,4%;

Apresenta-se na fase gasosa quando mantido na temperatura ambiente


e na pressão atmosférica.
Fonte: http://sites.petrobras.com.br/minisite/assistenciatecnica/public/downloads/manual-tecnico-gas-liquefeito-petrobras-assistencia-tecnica-petrobras.pdf
GLP
GLP

Afinal a botija de gás explode ou não?


GLP
Vejamos..

B.L.E.V.E
P 13
Fonte: https://www.marineinsight.com/tech/what-is-boiling-liquid-expanding-vapour-explosion-bleve-on-gas-carrier-ships/
Contato:
Inlocost@gmail.com
hans_icm@yahoo.com.br

(27) 99732-7086
(27) 99511-7291

Acesse: facebook.com/inlocost