Você está na página 1de 10

PSICOLOGIA E EDUCAÇÃO

NOSSA HISTÓRIA E NOSSA


REALIDADE

Psicologia Escolar
Nerilza Volpato Beltrame Alberton
HISTÓRIA

 Época colonial: preocupações com definição de objeto e


método do saber psicológico em três ordens: emoção,
sensação e fatos psicopatológicos.

 Séc. XIX: Psicologia desenvolve-se a partir da ideia de


organismo e, no Brasil, vinculada às primeiras
universidades de Medicina e Direito.

 Séc. XX: Demanda da Profissionalização da Psicologia


HISTÓRIA

 Waclaw Radecki – “Escola Superior de Psicologia”.

 Médico Emilio Mira y López – Orientação profissional

 Psicóloga e educadora Helena Antipoff – preocupação


sociocultural e desenvolvimento da personalidade sob
a perspectiva psicanalítica

 Manoel Bonfim – criador da primeira obra que trata


das relações entre pensamento e linguagem e diretor
de laboratório de Psicologia responsável pela
Mensuração de desempenho escolar e nível de
inteligência
HISTÓRIA

 Desenvolvimento da Psicologia para atender os


problemas da Educação, sobretudo a formação de
professores

 Faculdades de Filosofia inauguraram cursos básicos de


Psicologia

 Em 1953 foi aprovada a criação de um Instituto de


Psicologia que iniciou o primeiro curso universitário de
Psicologia no Brasil
HISTÓRIA

 Critérios para orientar reestruturação do curso:

- Sensibilizar os alunos para os problemas fundamentais


da pessoa humana;
- Estender os conhecimentos a todos os campos da
Psicologia científica;
- Após três anos, especialização no campo da Psicologia
clínica, educacional e industrial, com estágio;
- Trabalho de conclusão de curso.

 Em São Paulo a disciplina Psicologia Educacional, teve


sua origem em 1931.
O RECONHECIMENTO DA PROFISSÃO
 1953: Primeiro anteprojeto de Lei em que o curso teria
três anos Bacharelado e dois anos para Licenciatura

 1962: Governo reconhece a necessidade de aprimorar a


formação dos profissionais e restringir quaisquer
abusos em relação a prática da Psicologia

 Após a regulamentação do curso, o número de


profissionais cresceu rapidamente, a maioria como
profissionais liberais e também o mercado crescia na
área clínica, visto que a grade curricular privilegiava
essa área.
PSICÓLOGO NOS MEIOS EDUCACIONAIS

 Área pouco escolhida para atuação profissional

 Psicodiagnóstico e avaliação psicológica foram


consideradas atividades exclusivas dos psicólogo

 Culpabilização do indivíduo e sua família no que diz


respeito ao processo ensino-aprendizagem e pouca
relevância aos fatores sociais

 A disciplina vem ganhando nomes diferenciados a fim


de demonstrar que há locais além da escola que se faz
necessário práticas educacionais
RESULTADOS PRELIMINARES DA
PESQUISA

 11,76% sexo masculino / 88,24% sexo feminino

 Investigaram qual área da Psicologia é de preferência


dos estudantes, dentre as seguintes:

- Psicólogo do Trabalho
- Psicólogo Educacional
- Psicólogo Clínico
- Psicólogo do Trânsito
- Psicólogo Jurídico
- Psicólogo do Esporte
- Psicólogo Social
- Outros Psicólogos
RESULTADOS PRELIMINARES DA
PESQUISA

 Resultados:

- Não evidenciado interesse na área: Psicólogo no


Trânsito
- 56,5% na área: Psicólogo do Trabalho
- 50,7% na área: Psicólogo Clínico
- 1,53% na área: Psicólogo Educacional

 Nesse sentido podemos nos questionar: Qual a


formação obtida por esses alunos? O que efetivamente
aprenderam? Por que o maior interesse ainda
permanece na área clínica?
Psicologia e educação
nossa história e nossa realidade

ALMEIDA, Sandra Francesca Conte de. Psicologia


escolar: ética e competência na formação
profissional. Campinas, SP. Ed. Alinea, 2003.