Você está na página 1de 7

Giddens

Sociologia urbana II
A perspectiva marxista
• David Harvey
• O fenômeno urbano como efeito das transformações econômicas da
cidade
• O espaço urbano é construído a partir do desenvolvimento do
capitalismo industrial.
• Com o desenvolvimento da industrialização desaparece as barreiras
claras entre o campo e a cidade, já que tanto a indústria quanto a
agricultura são guiadas pela lógica da demanda.
• A cidade é formulada de acordo com as especulações imobiliárias.
• O crescimento da cidade acompanha os diferentes ciclos econômicos
• DIREITO À CIDADE: Direito coletivo de mudança de nós mesmos.

• A Cidade é produto do excedente obtido com a extração da mais


valia.
• É produto da expansão e criação de novos mercados
Casttels
• Preocupação com o desenvolvimento da cidade a partir de três polos:
O capital financeiro, os governos e os movimentos socais.
• Teoria das redes e das dependências para compreensão do fenômeno
urbano

• Harvey e Casttels se opõe à escola de Chicago, não enfatizam os


processos naturais de desenvolvimento da cidade, mas o poder social
e econômico.
Fenômenos e tendências urbanas
• Segregação étnico-racial nos subúrbios. (A periferia é o novo exilio-
Erminia Maricato)
• Decadência do centro- centro apenas para o comércio tende a se
desagregar, prédios deteriorados e pouco investimento em
infraestrutura urbana.
• Conflitos urbanos- resultado da segregação sócio-espacial
Tentativas de soluções

• Reciclagem- novas moradias devem ser feitas em área já urbanizada,


ocupação de edifícios e moradias.
• Melhorar o ambiente urbano- criação de áreas atrativas para a
moradia, com escolas, hospitais, centros de esporte e parques. Áreas
urbanas que desenvolvam u sentido de comunidade e segurança
pública para sua efetiva ocupação.
• Gerenciamento democrático- moradores com capacidade de gestão e
decisão. EX: Orçamento participativo.
Gentrificação urbana
• Fenômeno de valorização das áreas centrais pela expulsão dos pobres
por meio do encarecimento dos serviços ou da “arquitetura anti-
pobre”
• Deriva de gentry (nobre)

• Enobrecimento excludente - elitização de regiões