Você está na página 1de 8

As relações

interpessoais

Rita Nani
As relações interpessoais
 O processo de interação humana é complexo e se manifesta por meio de
comportamentos verbais e não verbais, manifestos ou não manifestos, e também por meio
das emoções (MOSCOVICI, 2010).

 Ao ingressar em um grupo, como o de trabalho, as pessoas compartilham suas impressões


acerca de vários assuntos ou atividades. Isso ocorre a partir da base interna que revela as
diferenças que cada um traz consigo. O modo como as diferenças são recebidas e
interpretadas pelos demais determinam o tipo de relacionamento que cada grupo
estabelece.

 Moscovici (2010) defende que a “primeira impressão” que as pessoas causam no contato
inicial exerce forte influência na forma como os relacionamentos irão se desenvolver. O
que se comunica ao outro, no contato inicial, está condicionado a experiências anteriores,
as quais se manifestam consciente ou inconscientemente, fazendo lembrar traços de outra
pessoa ou experiência. Quando a primeira impressão é positiva de ambos os lados, a
tendência natural é desenvolver uma interação fundamentada em simpatia e
aproximação, facilitando o relacionamento entre as pessoas e a realização do trabalho
em equipe. No entanto, quando a primeira impressão é positiva somente em relação a um
interlocutor, há uma assimetria de percepções iniciais, o que favorece um relacionamento
pouco amistoso e tenso, exigindo uma atenção maior para mudar esta primeira impressão,
o que pode ocorrer à medida que as interações se desenvolvem.
 No ambiente de trabalho dois grupos de competências são avaliados: as
competências técnicas e as competências comportamentais. Estas competências são
interdependentes e valorizadas de acordo com o tipo de atividade que cada
profissional realiza. Entre as competências comportamentais encontra-se a
competência interpessoal. Para Moscovici (2010, p. 72), a competência interpessoal é
a “habilidade de lidar eficazmente com outras pessoas de forma adequada às
necessidades de cada um e às exigências da situação”.

 A competência interpessoal conta com dois itens de grande importância em sua


composição, são eles: a percepção e a habilidade. Importante ressaltar que esse
processo da percepção necessita ser treinado para uma visão que seja
completamente cuidadosa acerca da situação interpessoal.

 Isso quer dizer que há um longo processo de crescimento pessoal, o que abrange a
autopercepção, a autoaceitação e a autoconscientização. Tudo isso como pré-
requisitos de possibilidades de percepção que sejam mais reais dos outros e da
situação interpessoal menos projeção dos meus conteúdos nos outros.

 Flexibilidade perceptiva e comportamental: significa enxergar as situações “por vários


ângulos ou aspectos da mesma situação e atuar de forma diferenciada, não-rotineira,
experimentando novas condutas percebidas como alternativas de ação” (Moscovici,
1981).
 Portanto, faz-se necessário desenvolver concomitantemente:

1. Soluções criativas ou propostas menos convencionais para atingir resultados


gratificantes para o indivíduo;
2. Habilidade para dar e receber feedback, o que fornecerá a possibilidade de identificar
aspectos que precisam ser aprimorados, sem os quais não seria possível estabelecer
relações interpessoais produtivas e éticas, e;
3. Fortalecer a dimensão afetivo-comportamental, pois em diversas situações
compreender o que ocorre nos relacionamentos afeta fortemente o componente
afetivo das relações, causando conflito entre as pessoas. O equilíbrio entre razão e
afeto ou emoção poupa os relacionamentos de danos que podem ser fatais para a
continuidade da interação.
 As relações interpessoais se estruturam por meio de um ciclo “atividades-interações-
sentimentos”, o que envolve a troca entre pessoas, ou seja, o relacionamento em
grupo, a aceitação das diferenças, a percepção do próprio comportamento do
indivíduo e do comportamento do outro, além do equilíbrio das emoções.
 Outro importante elemento presente nas relações interpessoais é a EMPATIA. Ter
empatia significa colocar-se no lugar do outro para compreender os motivos que o
levaram a comportar-se e sentir determinadas emoções. O termo empatia também foi
definido como a capacidade de uma pessoa de identificar os afetos do outro, por
meio de sutis pistas sociais. Tal habilidade baseia-se na autoconsciência emocional
(DEMENECK, 2008 apud SCHOLZE; DUARTE JÚNIOR; SILVA, 2009).
 Na área da saúde, a empatia é uma importante habilidade quando utilizada para
aproximar os profissionais dos pacientes. Quando um profissional se coloca no lugar
do outro (do paciente) torna-se sensível às suas necessidades porque passa a
entender os motivos que o levam a reagir à situação em que se encontra. Portanto, é
um recurso importante para a humanização na saúde.
A importância da comunicação,
da cooperação, do respeito e da proatividade
 De acordo com Lewin (1978), para que um grupo assegure produtividade e eficiência, ele
precisa mostrar-se solidário em suas relações interpessoais.

 A dificuldade que alguns têm em aceitar posições diferentes das suas convicções pode
levar a divergências e a um clima organizacional ruim.

 Contudo, há maneiras de evitar esta situação e de construir interações saudáveis e


produtivas. Entre os fatores que facilitam a construção de relações interpessoais
encontram-se a EMPATIA (querer entender bem o outro para construir relações
interpessoais saudáveis e produtivas). Portanto, considerar o outro é condição básica para
qualquer tipo de relacionamento.

 Por outro lado, a COMUNICAÇÃO POUCO CLARA, AS DIVERGÊNCIAS DE INTERESSES, A


DISPUTA PELA MESMA POSIÇÃO NO AMBIENTE DE TRABALHO E A DIFICULDADE DE
COMPREENDER O OUTRO promovem o surgimento de conflitos nas relações interpessoais.
 Para Bergamini (2005), o comportamento de um indivíduo com dificuldade de
ajustamento (ou adaptação) não é simplesmente o resultado do meio ou da época
em que vive. Há sempre uma razão individual, ligada à história de vida deste
indivíduo. Esta colocação reforça a importância da subjetividade no ambiente de
trabalho.
 O verdadeiro ajustamento é observado quando o indivíduo considera uma situação
difícil ou de frustração de maneira racional, com objetividade e amadurecimento. Esta
postura determina uma conduta realmente eficiente de enfrentamento e superação
do conflito.
 Portanto, o único caminho para ajustar-se no ambiente de trabalho e expressar os
comportamentos próprios e esperados nesse contexto (comunicação, cooperação,
respeito e proatividade), em detrimento do isolamento e da agressividade, é enfrentar
as dificuldades, respeitar as diferenças e buscar entendimento.

IMPORTANTE: Por definição, as relações interpessoais envolvem


duas ou mais pessoas. Portanto, todos os componentes de um
grupo ou equipe precisam realizar uma autoavaliação para
identificar os aspectos de seu comportamento que não favorecem
o entendimento. Somente desta forma você poderá buscar outra
maneira de interagir no trabalho.
Situação- Problema

 Agora vamos trazer o conteúdo do livro para a sala de aula. Imagine que
sua turma tenha importantes conflitos de relacionamento: todos falam ao
mesmo tempo, cada um quer mostrar que conhece a matéria mais do que
o outro, dificilmente ouvem e aproveitam a colaboração dos colegas. Seu
professor lhe pediu ajuda para encontrar uma forma de melhorar as
relações em sala de aula. Sugira uma atividade com base no que aprendeu
nessa aula.