Você está na página 1de 37

Sistemas de ar condicionado

Componentes A/C

•Conceitos básicos

•Circuito de A/C Compressor Condensador


•Tropicalização A/C
Filtro
•Manutenção A/C secante
•Comandos / Operação Pressostato Válvula de
expansão

Evaporador Eletro- Termostato


Ventilador
Temperatura é definido como o grau de agitação molecular de um corpo, ou
seja, quanto maior a agitação molecular, maior a temperatura do corpo.

Calor é uma forma de energia resultante da diferença de temperatura entre dois


corpos, ou seja, calor é a transmissão da energia térmica.

Condensação
Condensação, também conhecido como liquefação, é o processo em que uma
substância passa do estado de vapor para líquido. Este processo ocorre sempre
que se retira calor da substância. Nota-se que a condensação poderá também
ocorrer pelo aumento de pressão.

Evaporação
Evaporação, ebulição ou vaporização é o processo inverso da condensação, ou
seja, fornecemos calor para uma substância no estado líquido afim de passarmos
para o estado de vapor.
Mudança de estado
A - Aumentando a temperatura

Para mudar a água do estado líquido para o gasoso podemos aumentar a temperatura
do meio em que a água se encontra. Assim estaremos proporcionando uma diferença de
temperatura entre a água líquida e o meio. Assim estamos transferindo calor para a
água.

B - Abaixando a pressão
Mudança de estado . Vamos supor que temos água líquida a T = 30oC e P=1Atm .
Se abaixarmos a pressão chegaremos ao ponto de verificarmos ebulição ou mudança
de fase da água líquida para vapor . Isto é em decorrência do estado em que um
corpo pode existir.

Relação Temperatura x Pressão


Lei de Charles
“Para cada temperatura existe uma pressão correspondente”.
Isso quer dizer que, se elevarmos a temperatura de um fluido no interior de um
recipiente, sua pressão também se elevará.
REFRIGERANTES

Após nadarmos em um dia quente, nós sentimos uma sensação de frescor. Isto
ocorre porque a água retira calor do nosso corpo por evaporação. Pelo mesmo
motivo, nós sentimos frescor quando aplicamos álcool sobre nossos braços. O
álcool retira o calor dos braços também por evaporação.

Podemos obter o resfriamento, utilizando este fenômeno natural ou retirando calor


de uma substância.

Logo todos os fluidos para se evaporarem necessitam ganhar calor, e para se


liqüefazerem, precisam perder calor.

O termo refrigerante se refere ao fluido usado no sistema de ar condicionado para


produzir “frio” pela absorção de calor.

Em geral, um refrigerante é uma substância que circula através das partes do


sistema para obtenção do efeito refrescante, absorvendo calor através do processo
de evaporação.
CARACTERÍSTICAS

•Não ser inflamável ou explosivo como: Propano, Etano, Metano, Butano, NH3 em
mistura de 16 a 25% em volume com o ar torna-se inflamável e explosivo (Raramente esta
mistura ocorre);
•Não deve ser tóxico: R 12 não tóxico em concentração até 20% em volume para um
tempo de exposição de menos de 2 horas. R 22, R 11, R 502 um pouco mais tóxico que o R
12. NH3 letal para uma concentração de 1/2 a 1% em volume num período de exposição de
1/2 hora;
•Não deve ter efeito prejudicial sobre os metais: NH3 em presença de água reage com
cobre e suas ligas; usa-se tubulações de aço ou ferro em instalações que tem amônia como
fluido refrigerante. Freons utilizados com cobre, formam ácido que atacam a maioria dos
metais na presença de água. Atacam também a borracha natural. Para contornar este
problema podemos usar selos de vedações sintéticos;
•Não devem produzir danos aos produtos refrigerados caso ocorram fugas: (perigo
NH3 vapor). Os refrigerantes devem ser identificáveis em caso de fuga: ter odor forte e
coloração é interessante neste caso;
•Possuir baixa viscosidade: para provocar pequena perda de carga no sistema;
•Possuir boa condutividade térmica;
•Possuir estabilidade química: não se decomporem em altas temperaturas; .Possuir baixo
custo: NH3 < R 12 < R 22; 7.3.
Refrigerante R134 A

Nome químico Tetra fluorine


composição química CF3 – CH2F
Ponto de ebulição - 26,3°C
Ponto de congelamento -101°C
Compressor de ar
1 linha de sucção
2 Linha de pressão
3 Abastecimento de óleo
PAG SP 20 (8460275)
4 Acoplamento magnético
5 Came
6 Pistao

Par aumentar a vida útil do sistema


de ar condicionado, este deverá ser
ligado no mínimo uma vez a cada
duas semanas
Tempo de
sucção

Enquanto o pistão se desloca para


baixo, a válvula de descarga
permanece fechada.
Ao mesmo tempo, a válvula de sucção
abre-se devido a ação do pistão,
permitindo a entrada de gás.
Tempo de
descarga

Enquanto o pistão estiver subindo, o gás


é forçado a sair, através da válvula de
descarga, sob alta pressão e temperatura.

Em função da alta pressão, a válvula de


sucção permanece fechada.
CONDENSADOR

Trata-se de um trocador de
calor formado de tubos e aletas
da mesma forma que o
"Radiador" do motor do
automóvel. São localizados na
frente do radiador de água e
resfriados pelo ar dinâmico ou
forçado, através de um
ventilador que é acionado pelo
motor diesel.
O condensador é responsável pela mudança de fase, do estado de
vapor para líquido do gás refrigerante pela remoção de temperatura
do mesmo. A troca de calor se dá por convecção, ou seja, o gás
refrigerante no estado de vapor entra no condensador a uma
temperatura de 60 a 110°C, cede calor para o meio ambiente (Ar
externo com temperatura média de 25 oC), se liquefaz e o deixa a
uma temperatura em torno de 50°C.
Condensador de
Escavadeira

Condensador de pa-
carregadeiras

Liebherr
Filtro secante
O filtro secante tem as seguintes
funções:

• Filtrar o líquido refrigerante


• Reservatório de refrigerante
• Desumidificador de líquido Indicador
refrigerante
• Indicação de contaminação do
líquido refrigerante Pressostato
• Pressostato indicador de alta ou
baixa pressão do sistema
Filtro secante
Pressostato:
Baixa pressão 2 bar off / 3,5 bar on
Alta pressão 25 bar off / 17 bar on
Esferas de indicação

Esfera de nível 1: Branca Indicadora de nível de refrigerante

Esfera indicadora 2: Azul Indicadora de saturação do líquido refrigerante OK

Esfera indicadora 2: Pink Feltro secante saturado, umidade no sistema


Umidade no sistema

A presença de umidade no circuito do produto refrigerante é uma causa freqüente


de deficiências de funcionamento do condicionador de ar. Poderá inclusive
provocar avarias por corrosão no compressor e a falhas de rendimento do
condicionador de ar por congelamento da válvula de expansão. Uma válvula de
expansão congelada é identificável pela entrada no habitáculo de ar quente e
resfriado, alternadamente.

A existência de umidade no produto refrigerante pode ter diversas causas:


A umidade contida no ar deposita-se, através da condensação, nos componentes
do condicionador de ar que não fiquem resguardados durante os reparos.
A umidade é colocada na reoperação do circuito.
Pode-se evitar a entrada de ar no circuito do fluido refrigerante através da
conveniente armazenagem dos componentes e de uma “purga” adequada, antes de
uma reoperação.

Os tampões de isolação dos componentes só poderão ser removidos somente no


momento de conectá-los. Além disso, o circuito só deverá permanecer aberto o
menos tempo possível com suas devidas proteções.

Liebherr
Válvula de expansão

A válvula de expanção é montada no evaporador, medindo a


temperatura de saída, dosando o fluxo de líquido refrigerante
Ar condicionado\ aquecedor
6
1 ar frio/ quente
2 Ventilador
7 3 Sensor de temperatura
4 Evaporador
5 Válvula de expanção
6 Filtro de ar
4 7 Recirculação
7
2

3
1
ELETROVENTILADOR DA CAIXA DE AR

Responsável pela
passagem de ar forçado
pelo evaporador.
Ao ser ligado o circuito de
ar condicionado é forçado
a passagem de ar pela ação
do eletroventilador. Este
ar é proveniente do meio
externo ou da recirculação
interna (habitáculo),
conforme escolha do
usuário.
É acionado sempre na primeira velocidade (desde que o
usuário não tenha selecionado outra). Normalmente possui
seletor de velocidades de três ou quatro posições
Filtro de ar

Recirculação

Evaporador
Compressor

Pressostato Condensador

Filtro secante
Curva de temperatura

°C Distribuição de energia do refrigerante

Condensação

Compressão

expanção

Heat Exchange
On Suction / compression

Off
Circuito de ar condicionado

Evaporador
Sensor de temperatura

Válvula de expanção
Baixa pressão

Compressor
Pressostato
Condensador

Alta pressão Filtro secante


Processo de tropicalização

Vedação da Cabine

Tropicalização
Providências:

Vedação da Cabine

Aplicação de poliuretano
Fechamento dos flaps
inferiores de ventilação
Tropicalização

Aplicação de um novo compressor, de


maior capacidade e resistência
mecânica.
Compressor:SD7/H15 (sete pistões)
•Maior capacidade de refrigeração
(aproximadamente 10%);
•Proteção adicional contra poeira;
•Abastecido com óleo SP10PAG
(compatível com SR20);
•Menos vibração;
•Sete (7) pistões equipados com dois (2)
anéis de teflon
(menor fricção);
•Menor mistura do óleo ao
refrigerante.
Procedimentos de manutenção

1 - Filtros de Ar

O ar interno na cabine é succionado pelo ventilador


(fig.2 ), passando pelo filtro de ar interno da cabine
(fig. 1), atrás do assento do operador.

Fig. 1 Fig. 2
Conforme descrito no Manual de Operação, página 6.20, é necessário
executar a limpeza deste filtro a cada 500 h, e caso houver excesso de
poeira na cabine diminuir o intervalo. NUNCA UTILIZE O VENTILADOR
SEM O FILTRO DE AR. A poeira e a água condensada podem obstruir as
colmeias no evaporador formando placas.
O fluxo de ar que passa por este filtro atinge o evaporador onde ocorre o
resfriamento do ar. Caso ocorrer restrição neste fluxo, ocorre perda de
rendimento do sistema, podendo provocar quebra prematura do
compressor e demais componentes.
Para evitar maiores danos, recomendamos informar ao operador que não
DEPOSITE sacolas, roupas, revistas, etc., atrás do banco, pois
podem impedir a passagem de ar pelo filtro.
Devido ao alto grau de poeira em suspensão
existente no local de operação do equipamento,
sugerimos inspecionar o filtro de ar interno a
cada dois dias e, conforme a necessidade trocá-
lo.
2. Obstrução da água condensada no
evaporador

Durante a troca de calor ocorre a formação de água líquida, que


precipita por baixo da cabine quando o Sistema de Ar Condicionado
está em operação.
Caso não ocorra este “gotejamento”, é importante observar se há
água na bandeja abaixo do ventilador (Fig. 3). Esta água retida
pode provocar corrosão nos conectores elétricos e causar curto
circuito no sistema elétrico. Verifique se não existe obstrução na
passagem desta água.
3 - Filtro de ar externo
O sistema de Ar Condicionado possibilita a renovação do ar interno da cabine
através do botão S92 ( Veja Manual de Operação pág. 4.18 ). Nesta situação o ar
externo é succionado pelo filtro externo ( Fig. 4) e passa pela caixa do filtro de ar
no lado esquerdo, ( na figura abaixo esta fechada ).
Para obter um resfriamento mais rápido da cabine mantenha o botão de
recirculação em zero. Nesta condição o compressor opera de forma intermitente,
pois quando a temperatura do ar é reduzida, o sistema desliga o compressor.
Para obter um aumento da vida útil dos componentes, NUNCA ACIONE O AR
CONDICIONADO COM JANELA E/OU PORTA ABERTA.

Tampa

Filtro Entrada de ar
4 - Direção do ar
resfriado
Outro ponto a ser observado é a utilização
das aberturas de saída de ar embaixo do
banco. O ar frio é mais pesado que o ar
quente, então o ar frio deve somente sair
pelas aberturas superiores ( Fig. 6 ). Feche
as aberturas inferiores (Fig. 7) e
somente as utilize quando for usar ar
quente.

Fig. 6

Fig. 7
Condicionador de ar
Equipamentos de movimentação de terra
Acionamento e controle
Série 4
Acionamento e controle de temperatura do ar quente

Acionamento do flap de recirculação/renovação do ar

Acionamento do ventilador e controle de velocidade

Acionamento do compressor e controle de temperatura do ar frio


Condicionador de ar
Equipamentos de movimentação de terra

Liga A/C

Controle da velocidade de
ventilação

Controle de
temperatura
Condicionador de ar
Equipamentos de movimentação de terra
LCD/Display
13-Recirculador de ar ativado.
14-Ar quente ativado.
15-Ar frio ativado.
16-Flap de ventilação traseiro aberto.
17-Flap de ventilação do painel de controle aberto.
18-Flap central inferior de ventilação.
19-Flap central inferior de ventilação aberto.
20-Módulo automatico.
21-Velocidade do ventiador(operação manual).
Chaves de controle 22-Simbolo de ventilador.
1-Liga ar frio. 23-Simbolo de aquecedor.
2-Aumenta temperatura.
24-Indicação de nível de aquecimento.
3-Diminui temperatura.
25-Leitura atual de temperatura/operação manual(op. manual) e código de
4-Liga/Desliga sistema. erros.
5-Ventilador do evaporador,automatico/manual. 26-Unidade de temperatura.
6-Liga ar quente.
7-ar quente manual/automático.
8-recirculação de ar.
9-controle do flap de ar traseiro.
10-Controle do flap de ar do painel.
11-controle do flap inferior.
12-Controle do flap inferior frontal.
Procedimentos para recolhimento e carga do sistema

A reoperação do sistema, pode ser efetuada através de equipamentos de


recolhimento / reciclagem, cilindros graduados e balanças eletrônicas.

Nota. No sistema automotivo, não se aconselha a carga do sistema efetuada


através de pressões (convencional) pois não se sabe no momento que é aplicada a
carga, a quantidade exata do fluído refrigerante, podendo causar danos ao
compressor (calço hidráulico), colocando o sistema do condicionador de ar em
risco.
Nos procedimentos que vamos seguir , a carga do sistema é feita com o
compressor em repouso, pois o fluído refrigerante será colocado no estado
líquido.
É de extrema importância que se saiba exatamente a quantidade de gás
refrigerante que contem o sistema de ar condicionado, desta forma para melhor
precisão foi padronizado que a quantidade a ser aplicada de R 134a em um
sistema se dará em razão da massa do mesmo.
Diagnóstico de Vazamentos

Para a verificação de possíveis vazamentos, utilizar diversas


formas descritas abaixo:

•Manchas de óleo ( visual)


•Cheiro de fluído refrigerante
•Detector de vazamentos do tipo sonda
•Imersão em água morna.
•Nitrogênio (N2)
•Ultra-violeta ( líquido florescente )
•Vácuo
Planilha de manutenção da cabine