Você está na página 1de 71

Terpenos-Esteróides

 ESTERÓIDES
 Os esteróides
existem em células
eucarióticas, na sua C D
maioria, sendo A B
derivados do núcleo
base , Ciclopentanoperhidrofenantreno
ciclopentanoperidrofe
nantreno
Terpenos-Esteróides
 Todos os terpenos e terpenóides com estrutura cíclica
não estabilizados por ressonância apresentam
confórmeros.
 Os confórmeros dos esteróides são muito importantes
porque permitem explicar os seus diferentes
comportamentos físico-químicos e biológicos.
 Sendo os esteróides derivados do
ciclopentanoperhidrofenantreno, os seus núcleos não
podem rodar livremente uns em relação aos outros,
apresentando por isso isomeria geométrica. Os isómeros
geométricos mais correntes são:
 1-entre os núcleos A e B podem ser cis e trans
 2-entre os núcleos B e C apenas trans
 3-entre os núcleos C e D podem ser cis e trans
Terpenos-Esteróides
 Como cada ciclohexano se
A B A B
encontra no seu confórmero
mais estável, a cadeira, e o cis trans

ciclopentano em barco, o
C
ciclopentanoperhidrofenantren
o pode apresentar dois B
confórmeros em geral, como trans
se mostra nas figuras abaixo.
D C D
C

trans
cis
Terpenos-Esteróides
13
11 12
2 10 17 16
1 9
8
14 15
3 4 6
5 7

A/B-trans B/C-trans C/D-trans

13
11 12 17
1 10 16
9
8
14 15
2 5 6
7
4
3

A/B-cis B/C-trans C/D-trans


Terpenos-Esteróides
 Quando o ciclopentanoperidrofenantreno se encontra
totalmente saturado dá-se o aparecimento de seis
centros quirálicos em C5, C8, C9, C10, C13 e C14.
 Quando qualquer outro átomo de carbono sofre
substituição do seu H, dá-se o aparecimento de um
novo centro quirálico. Como em C17 se liga uma cadeia
lateral que pode também apresentar centros quirálicos,
o número de estereoisómeros torna-se elevdíssimo.
 Exemplo:
 Segundo a Lei de Van´t Hoff 5 centros quirálicos
produzem 25=32 estereoisómeros
Lípidos-Esteróides
 Os principais grupos de esteróides são:
 1-Colesterol
 2-Ácidos Biliares
 3-Hormonas sexuais femininas
 4-Hormonas sexuais masculinas
 5-Hormonas das cápsulas supra-renais
 6-Vitaminas D
 7-Sapogeninas
 8-Glucosidos cardiotónicos
 9-Amargos
 10-Alcalóides esteróides
Lípidos-Esteróides
 1-Colesterol
 Este composto é um
componente maioritário
das membranas plásticas HO

animais. O seu grupo Colesterol


alcool confere-lhe fracas
propriedades anfotéricas
sendo esterificado por
ácidos gordos de cadeias
longas, formando ésteres HO
C=O
de colesteril (CH2) 16 CH3

Estearato de colesteril
Lípidos-Esteróides
 As plantas contêm muito pouco colesterol
mas sintetizam outros esteróides, o
mesmo acontecendo com procarióticos,
fungos e leveduras.
 Nos mamíferos o colesterol é precursor
metabólico das hormonas sexuais.
Lípidos-Esteróides
COOR2
R1

2-Ácidos biliares
Os ácidos biliares são ácidos
esteróides encontrados
predominantemente na bilís OH
dos mamíferos.
Os ácidos biliares produzidos
pelo fígado actuam
directamente sobre as R1 R2 Nome
gorduras, como detergentes, Ácido cólico
permitindo a acção das OH H
enzimas sobre as gorduras, Ácido
transformando-as em H H quenodeoxi
moléculas menores de ácidos cólico
gordos e colesterol.
Lípidos-Esteróides
Os ácidos biliares combinados com os ácidos graxos e
colesterol permitem a passagem das moléculas
pequenas através das células do intestino. Os ácidos
biliares são ácidos esteróides encontrados
predominantemente na bilís dos mamíferos. Os ácidos
biliares produzidos pelo fígado actuam directamente
sobre as gorduras como detergentes permitindo a acção
das enzimas sobre as gorduras transformando-as em
moléculas menores de ácidos gordos e colesterol. Os
ácidos biliares combinados com os ácidos gordos e
colesterol permitem a passagem das moléculas
pequenas através das células do intestino.
Lípidos-Esteróides
 Como os ácidos biliares são sintetisados
pelo fígado a partir de colesterol, este é
gasto. Além disso a absorção de lípidos
da dieta é diminuida, já que esta é feita
juntamente com a dos ácidos biliares.
Lípidos-Esteróides
 3-Hormonas sexuais femininas
 São formadas pelos estrogénios e progestinas.
 Os estrogênios são responsáveis principalmente
pela proliferação e crescimento de células
específicas no corpo, que são responsáveis
pelas características sexuais secundárias
femininas. As progestinas estão relacionadas
com a preparação final do útero para a gravidez
e dos seios para a lactação.
Lípidos-Esteróides
 Estrogéneos é o nome genérico de hormonas sexuais
produzidos especialmente nos ovários, que promovem o
estro e estimulam o desenvolvimento dos caracteres
femininos
 Estas hormonas são formadas principalmente pelos
ovários e muito pouco pelo córtex das cápsulas
suprarenais. Durante a gravidez a placenta também
forma grande quantidades de estrogénios.
 No plasma os principais estrogénios são: β-estradiol,
estrona e o estriol.
 Þ O β-estradiol e cerca de 12 vezes mais potente que
a estrona e 80 vezes mais potente que o estriol, como se
pode perceber o hormônio estradiol além de ser mais
potente que os outros dois que foram citados também é
mais abundante no plasma sanguíneo, sendo ele a
principal hormona estrogénia na mulher.
Lípidos-Esteróides
Lípidos-Esteróides
 Progestinas: estão relacionadas com a
preparação final do útero para a gravidez e dos
seios para a lactação.
A mais importante das progestinas é a
progesterona. Também é segregada a 17-α-
hidroxiprogesterona sendo as suas funções as
mesmas da progesterona mas a sua potência e
quantidade são significantemente reduzidas
comparadas com a progesterona.
Lípidos-Esteróides
 Nas mulheres não grávidas,
fisiologicamente a progesterona é
segregada apenas na 2º fase do ciclo
ovariano.
 Quer os estrogénios quer a progesterona
são sintetizados a partir do colesterol.
Lípidos-Esteróides
 A degradação da progesterona e dos
estrogénios ocorre no fígado:
 A progesterona poucos minutos após a sua
formação é degrada a outros esteróides que
não exercem qualquer efeito progesterónico,
sendo o produto final de sua degradação o
pregnadiol.
Os estrogênios são degradados em glicoronídios
e sulfatos que são lançados na bílis (cerca de
1/5), o restante é excretado por via urinária.
Lípidos-Esteróides
 A principal função dos estrogénios consiste em
determinar o crescimento e proliferação celular de
tecidos e órgãos sexuais que estejam relacionados com
a reprodução.
Os estrogénios durante a puberdade promovem o
crescimento do útero, do estroma endometrial e também
das glândulas endometriais.
 Os efeitos dos estrogénios sobre os seios são:
 1-desenvolvimento do estroma dos seios.
 2-crescimento de um sistema extenso e complexo de
ductulos.
 3-deposição de gorduras nos seios.
 É importante ressaltar que quem causa o
desenvolvimento final dos seios são a progesterona e a
prolactina.
Lípidos-Esteróides
 Os estrogénios actuam:
 1-estimulando as actividade dos osteoblastos e
produzindo um crescimento rápido das mulheres na
puberdade
 2-promovendo a união das epífises com as diáfises dos
ossos longos,
 3-aumentando a síntese protéica, principalmente
durante o desenvolvimento dos órgãos sexuais,
 4-aumentando o metabolismo geral de todo o corpo,
 5-estimulando o crescimento das trompas de Falópio,
por aumento do número de células epiteliais ciliadas que
revestem a tuba
Lípidos-Esteróides
 6- modificando o epitélio vaginal de tipo cubóide, que
passa a ser estratificado,
 7-deposição de gordura no púbis e nos grandes lábios e
aumento dos pequenos lábios na vagina.
 8-estimulação de altos níveis de fluxo sanguíneo uterino,
para preparar o recebimento do óvulo fertilizado,
 9-diminuição da freqüência e intensidade das contrações
uterinas, promovendo o aumento da secreção do
revestimento mucoso das trompas de Falópio
(secreções necessárias para a nutrição do ovo).
Lípidos-Esteróides
 Funções das progesteronas:
 1-Promover alterações secretoras do endométrio uterino
durante a segunda metade do ciclo mestrual feminino
para preparar o útero para o ovo fertilizado.
2-Promover o desenvolvimento dos lóbulos e alvéolos
dos seios, para estes adquirirem capacidade secretora
3-Promover o aumento do volume dos seios sendo
responsável pelo seu desenvolvimento final.
 4-Conjuntamente com os estrogénios, estimular o
crescimento de glândulas endometriais.
Lípidos-Esteróides
 Secreção de estrogénios, progesterona e sua
regulação:
 Efeitos de feedback:
 Os estrogénios exercem um forte efeito inibidor
sobre a produção de FSH e LH. Quando em
presença da progesterona este efeito é
multiplicado, embora a progesterona, por si só,
tenha pouco efeito. Esse feedback pode ocorrer
directamente sobre a adeno-hipófise ou, em
menor grau, sobre o hipotálamo, diminuindo a
secreção de GnRH.

Lípidos-Esteróides
 Secreção pós-ovulatória das hormonas
ovarianas e depressão das gonadotrofinas
hipofásicas:

A- Fase entre ovulação e menstruação.

Corresponde à fase de secreção de grande
quantidade de progesterona, estrogénios e
inibição por efeito combinado de feedback
negativo sobre a adeno-hipófise e
hipotálamo, reprimindo a secreção de FSH e
LH.
Lípidos-Esteróides
 B-Fase de crescimento folicular
 Ocorre regressão do corpo lúteo, quase que
totalmente, 2 a 3 dias antes da menstruação,por
libertação dos efeitos de feed-back da adeno-hipófise
e do hipotálamo. Cerca de um dia após o início da
menstruação, começa a secreção de FSH e vários
dias depois a secreção de LH. Estas hormonas
promovem o novo crescimento de folículos ovarianos
e determinam o aumento da secreção dos
estrogénios, que atinge seu pico de secreção dentro
de 12,5-13 dias após o inicio do novo ciclo menstrual.
Lípidos-Esteróides
 4-Hormonas sexuais
masculinas
 Os testículos segregam
diversas hormonas sexuais
masculinas que O
genericamente se designam
por androgénios, e incluem a
testosterona, a
diidrotestosterona e a
androstenediona.
 O termo androgénio refere-se
a qualquer hormona esteróide O
capaz de exercer efeitos
masculinizantes. androstenediona
Lípidos-Esteróides
 A diferença entre a testosterona e a
dihidrotestosterona resulta da adição electrofílica
na dupla ligação.
Lípidos-Esteróides
 A testosterona é sintetizada e excretada pelas células
intersticiais de Leydig, que se localizam nos interstícios
entre os tubos seminíferos. Durante a infância estas
células são quase inexistentes mas nos adultos
correspondem à cerca de 20 a 25% da massa dos
testículos.
 A testosterona é muito mais abundante que as outras
hormonas, porém nos seus tecidos alvos quase toda
testosterona é convertida numa hormona mais potente a
dihidrotestosterona.
 Estas hormonas sexuais masculinas podem ser
produzidas nas glândulas suprarenais mas os seus
efeitos correspondem a apenas 05% do total.
Lípidos-Esteróides
 Metabolismo da testosterona:
 Após ser secretada, cerca de 97% de toda a
testosterona liga-se a proteínas plasmáticas
como a albumina e β-globulina, circulando no
sangue entre 30 minutos a várias horas.
 Os 0,3% de testosterona que não se ligam a
proteínas plasmáticas, vão para o fígado onde
são degradados e excretados pela bilis.
 Ao chegar à próstata a testosterona é convertida
em diidrotestosterona que é mais potente.
Lípidos-Esteróides
 Funções da testosterona:
 1-Responsável pelo desenvolvimento das características
masculinas.
 Estas características já começam a manifestar-se
durante a sétima semana de vida embrionária porque é
induzida pelo cromossoma masculino que estimula a
sua secreção pela crista genital e posteriormente pelo
testículo fetal para executar as seguintes funções:
 1.1 Estimulação no feto do desenvolvimento do pénis e
da bolsa escrotal
 1.2 Inibição dos órgãos sexuais femininos.
 2-Estimula o crescimento de pêlos na púbis, no
abdómem, na face, e por todo o resto do corpo mas
menos intensamente.
Lípidos-Esteróides
 3-Promove o engrossamento da voz, através da
hipertrofia da mucosa da laringe e também do aumento
deste órgão.
 4-Estimula o anabolismo das proteínas produzindo o
crescimento muscular, que geralmente é de cerca de
50% superior ao das mulheres.
 5-Estimula a retenção de cálcio e aumenta a sua
deposição nos ossos o que aumenta a quantidade da
matriz óssea.
 6-Estimula o metabolismo basal, no ser humano até 15%,
na vida adulta pode variar entre 0,5% a 10%.
 7-Estimula a formação de eritrócitos entre 15% a 20%.
 8-Estimula a reabsorção de sódio nos túbulos distais dos
rins.
Lípidos-Esteróides
 Eixo Hipotálamo-hipófise/Testículos
Lípidos-Esteróides
 O nível de
testosterona
varia com a
idade, sendo
máxima nos
homens aos
vinte anos.
Lípidos-Esteróides
 O controle da secreção de testosterona ocorre por retro-
inibição, ou seja, quantidades elevadas de testosterona
inibem a secreção de LH e FSH, diminuindo a secreção
de testosterona.
 Quando os túbulos seminíferos não conseguem produzir
espermatozóides, a secreção de FSH pela adeno-
hipófise aumenta acentuadamente.
 Quando a espermatogénese é rápida, a secreção
hipofisária de FSH diminui. Acredita-se que a causa
desse efeito de retro-inibição sobre a hipófise anterior
seja a secreção da hormona inibina.
 Esta hormona actua de um modo paralelo, por
mecanismo de feedback negativo controlando a
secreção de testosterona.
Lípidos-Esteróides
 A inibina é uma hormona proteica
produzida pelos testículos (no homem) e
pelos folículos ováricos (na mulher), cuja
função principal é a retro-inibição da FSH
(hormona folículotrofina). A inibina é
sintetizada pelas células da granulosa dos
folículos ováricos.
Lípidos-Esteróides
 5-Hormonas das
cápsulas supra-renais
 Nos mamíferos, a
glândula supra-renal
ou adrenal é uma
glândula endócrina com
formato triangular,
envolvida por uma
cápsula fibrosa e
Cápsulas supra-renais
localizada acima do rim.
Lípidos-Esteróides
 A sua principal função está implicada na resposta ao
stress, e consiste na síntese e libertação de hormonas
corticosteróides e de catecolaminas,
 Os corticosteróides possuem diversas acções
importantes no corpo humano, possuindo um papel de
relevo no balanço electrolítico (equilíbrio de íons e
água), e na regulação do metabolismo. Situações em
que a sua produção está alterada levam a patologias
como a doença de Addison quando há diminuição de
produção, ou o síndrome de Cushing quando esta está
aumentada.
Lípidos-Esteróides
 A glândula supra-renal produz dois tipos
de hormonas esteróides (derivadas do
colesterol). Um desses tipos é constituído
por hormonas sexuais (como a
progesterona), e o outro pelos
corticosteróides. Dentro dos
corticosteróides distinguem-se duas
categorias, com diferentes efeitos
fisiológicos.
Lípidos-Esteróides
 Glicocorticóides como o cortisol e a
cortisona controlam o metabolismo dos
carbohidratos, gordura e proteínas e são
anti-inflamatórios por prevenirem a
liberação de fosfolipídios, diminuindo a
ação dos eosinófilos e diversos outros
mecanismos.
Lípidos-Esteróides
 O papel dos corticosteróides no
organismo é variado, estando associado à
actividade normal assim como à resposta
a stress de diversas origens (infecções,
lesão traumática, queimaduras,
hemorragias, dor, situação de medo e
luta). Actuam sobre:
 1-Metabolismo intermediário dos
açúcares, gorduras e proteínas
Lípidos-Esteróides
 2-Manutenção do tónus muscular dos
vasos sanguíneos
 3-Regulação do balanço hidroeléctrico

Cortisol ou hidrocortisona Cortisona


Lípidos-Esteróides
 Mineralocorticóides como a aldosterona
controlam os níveis de eletrólitos e água,
principalmente por promoverem a
retenção de sódio no rim.

Aldoesterona
Lípidos-Esteróides
 6-Vitaminas D
 A vitamina D (ou calciferol) é uma vitamina que
promove a absorção de cálcio (após a exposição à luz
solar), essencial para o desenvolvimento normal dos
ossos e dentes. É uma vitamina lipossolúvel obtida a
partir do colesterol como precursor metabólico através
da luz do sol, e de fontes dietéticas. Funcionalmente, a
vitamina D actua como uma hormona que mantém as
concentrações de cálcio e fósforo no sangue através do
aumento ou diminuição da absorção desses minerais no
intestino delgado. A vitamina D também regula o
metabolismo ósseo e a deposição de cálcio nos ossos.
Lípidos-Esteróides
 A vitamina D também é muito importante para
crianças, gestantes e mães que amamentam,
por favorecer o crescimento e permitir a fixação
de cálcio nos ossos e dentes.
 Além da importância na manutenção dos níveis
do cálcio no sangue e na saúde dos ossos, a
vitamina D tem um papel muito importante na
maioria das funções metabólicas e também nas
funções musculares, cardíacas e neurológicas.
A deficiência da vitamina D pode precipitar e
aumentar a osteoporose em adultos e causar
raquitismo, uma avitaminose, em crianças.
Lípidos-Esteróides
 Como fornecer vitamina D ao organismo?

Colecalciferol Ergocalciferol
Vitamina D3 Vitamina D2
Lípidos-Esteróides
 A exposição ao sol desencadeia a produção de vitamina
D na pele. Alguns alimentos também representam uma
fonte desta vitamina. O óleo de fígado de bacalhau foi
utilizado também como suplemento alimentar para evitar
o raquitismo, sendo hoje em dia facilmente substituível
por medicamentos contendo vitamina D.
 A vitamina D pode ser encontrada sob duas formas: o
ergocalciferol (vitamina D2) e o colecalciferol (vitamina
D3). O ergocalciferol é produzido comercialmente a
partir do esteróide ergosterol encontrado em vegetais e
leveduras, através de irradiação com luz ultravioleta.
Lípidos-Esteróides
 É utilizado como suplemento alimentar para
enriquecimento de alimentos como o leite com vitamina
D. O colecalciferol é transformado pela ação dos raios
solares a partir da provitamina D3 (7-dehidrocalciferol)
encontrada na pele humana. Ambas as formas D2 e D3
são hidroxiladas no fígado e rins a 25-hidroxicalciferol e
subsequentemente à forma biologicamente activa, o
1,25-di-hidroxicalciferol (calcitriol), que actua como
uma hormona na regulação da absorção de cálcio no
intestino e regulação dos níveis de cálcio em tecidos
ósseos e renais.
Lípidos-Esteróides
 A vitamina D é fundamental para a absorção do cálcio pelo
organismo. Como outras vitaminas, deve ser consumida em
quantidades adequadas, evitando faltas e excessos.
 A quantidade de vitamina D que um adulto precisa varia, de acordo
com a idade, de 5mg a 10mg, chegando a 15mg em idosos com
mais de 70 anos. Poucos alimentos são considerados fontes de
vitamina D, mas entre eles encontram-se a gema de ovo, fígado,
manteiga e alguns tipos de peixes como a cavala, o salmão e o
arenque. Embora em menor quantidade, a sardinha e o atum
também têm vitamina D.
 Nos Estados Unidos da América é obrigatório que o leite seja
reforçado com vitamina D. Outros alimentos e bebidas também
podem ser reforçados com vitamina D nos EUA, inclusive cereais
matinais prontos para comer, produtos lácteos, bebidas à base de
soja e sucos.
Lípidos-Esteróides
 Ergosterol (ergosta-5,7,22-trien-3β-ol), é um esterol precursor
biológico da Vitamina D2.
 É transformado em viosterol pela luz ultravioleta, que se modifica
em ergocalciferol, que é uma das formas de Vitamin D.

Ergosterol
Lípidos-Esteróides
 O Ergosterol é um componente das
membranas das células fúngicas, com a mesma
função que colesterol exerce nas células
animais.
 A presença de ergosterol nas membranas de
células de fungos torna-o importante como
substância anti-fúngica.
 Ergosterol é usado como fluidificador das
membranas celulares de tripanosomas,
responsáveis pela doença do sono.
 Os anti-fúngicos mais importantes como a
Anfotericina B e o Miconazole inibem a síntese
do ergosterol.
Lípidos-Esteróides
 7-Sapogeninas
 Las saponinas (del latín: sapo = sabão) são:
 1º- glicósidos de esteroides,
 2º-alcalóides esteróides (que possuem uma função
nitrogenada) 3º-triterpenos.
 Encontram-se em plantas e caracterizam-se pelas suas
propriedades detergentes (produzem abundante
espuma em meio aquoso).
 Os povos pré-hispânicos do centro do México
chamavam “amole” a estas plantas e eram usadas como
sabões.
Lípidos-Esteróides
 Na actualidade, em muitas comunidades rurais
mexicanas continua a usar-se o “amole” porque
evita que a roupa mais sensível se deteriore e é
um detergente neutro biodegradável.
 As saponinas também são usadas como
venenos de peixes, macerando um pouco do
orgão vegetal que o contém em água, tendo a
vantagem dos peixes mortos por este processo
não serem tóxicos.
Lípidos-Esteróides
 Provocam a hemólise dos glóbulos vermelhos, são
tóxicos para os animais de sangre frio e irritam as
mucosas. Utilizam-se muito en medicina devido aos
seus efeitos expectorantes.
 Injectadas na corrente sanguínea são muito tóxicas,
mas tomadas por vía oral são inócuas. A sarsaparrilla,
por exemplo, é uma bebida refrescante muito rica em
saponinas.
 Por hidrólise cindem-se em geninas e açúcares, sendo
os mais frequentes a glucose, sacarose, arabinose,
ramnose, xilose e ácidos urónicos relacionados.
Lípidos-Esteróides
 As geninas chamam-se sapogeninas, e são prácticamente
insolúveis en água.
 Em função da estructura da sapogenina as saponinas dividem-se
em :
 1º-Saponinas esteróides (triterpenóides tetracíclicos, com 27
carbonos), também chamadas saponinas neutras.
 São exemplos a dioscina e os ginsenósidos.
 2º-Saponinas triterpénicas pentacíclicas, (com 30 carbonos)
também chamadas saponinas ácidas.
 Por exemplo a glicirricina.
 Ambos os tipos de geninas unem-se à glicona mediante uma
ligação glicosídica entre o grupo OH em posição 3 e o OH
anomérico da glicona.
Lípidos-Esteróides
 8-Glucosidos cardiotónicos
 A insuficiência cardíaca congestiva é a incapacidade
do coração de bombear suficiente sangue rico em
oxígénio às células do organismo.
 Os glicósidos cardiotónicos aumentam a força de
contracção do coração e se utilizam para tratar
pacientes com insuficiência cardíaca.
 A sua administração deve estar muito controlada porque
a sua toxicidade é alta, já que são difíceis de eliminar e
com tendência a acumular-se nos tecidos.
 As agliconas ou geninas cardiotónicas são as
responsáveis pela sua actividade biológica.
Lípidos-Esteróides
 Estructura geral de um glucósido
cardiotónico
Lípidos-Esteróides
 A glicona é formada entre um a quatro
monossacaridos que se unem à aglicona pelo
seu grupo OH em posição 3β.
 Os monossacáridos que podemos encontrar
são: L-ramnose, D-glucose, D-digitoxose, D-
digitalose, D-diginose, D-sarmentose, L-valarose
e D-fructose (quase sempre em conformação β).
 A ordem em que aparecem os monossacaridos
é muito diversa e não afecta a actividade
biológica. O seu papel parece estar reduzido a
incrementar a solubilidade da molécula.
Lípidos-Esteróides
 As geninas cardiotónicas podem obter
a partir de diversos organismos:
 Da Digitalis purpurea e Digitalis lanata
obtêm-se a digoxina e digitoxina.
 Do Strophantus gratus e Strophantus
kombe (estrofantos) obtêm-se a
estrofantina e a ouabeína
 Da pele do Bufo bufo gargarizans e Bufo
bufo vulgaris (sapos) obtém-se a bufalina
Lípidos-Esteróides
 Cardenólidos (de origem vegetal)
 Bufadienólidos (de origem animal)
Lípidos-Esteróides
Lípidos-Esteróides
 Os glucosidos cardiotónicos primários
presentes na espécie Helebro são o
bufadienol, helebrina.
 A Helebrigenina, a aglicona da helebrina é
mais potente do que o próprio glucosido.
Lípidos-Esteróides
 9-Amargos
 São substâncias que transmitem o
sabor
amargo e formam-se no sumo de citrinos.
Lípidos-Esteróides
 Quando um fruto é macerado, para obter o
sumo a acção combinada dos ácidos do fruto e
uma enzima convertem o ácido aslimonóico em
limonina, que é extremamente amarga.
 Nos produtos citrinos é considerada como o
amargor da fruta.
 A ausência de amargor no fruto intacto e
presença no sumo diferencia o amargo da
limonina do amargo das flavonas
neohesperidosidos como a naringina da laranja
marga.
 Neste último caso o fruto intacto é tão amargo
quanto o sumo.
Lípidos-Esteróides
 Os neohesperidosidos não existem em alguns
citrinos como as laranjas (Citrus Sinensis),
limões (Citrus Lemon), limas (Citrus Aurantifolia)
mandarinas e tangerinas (Citrus Reticulata);
 A limonina, pelo contrário é ubíqua em todas as
espécies de citrinos embora não exista em
quantidade suficiente na fruta madura. Um
amargor tardio aparece no sumo da laranja
Navel e laranja Shamouti
 Após a formação do sumo não há modo de
suspender a reacção
Lípidos-Esteróides
 Há uma relação directa entre a concentração de
limonina e o amargo.
 De um modo geral a concentração de:
6 ppm = sem amargo
> 9 ppm = amargo
entre 24 e 30 ppm = extremamente amargo.
As variações na acidez e na doçura influenciam
subjectivamente as respostas ao amargo.
De facto uma solução aquosa 1 ppm de
limonina é considerada amarga.
Lípidos-Esteróides
 10-Glicoalcalóides
 Glicoalcalóides são compostos tóxicos
naturalmente presentes em todas as partes da
planta de batata (Solanum tuberosum L.) e
podem estar envolvidos no mecanismo de
defesa da planta contra a acção de insectos e
microrganismos. As concentrações mais
elevadas destes compostos encontram-se na
casca dos tubérculos e nos seus brotos.
Lípidos-Esteróides
 Os principais glicoalcalóides presentes nas
batatas são α–solanina e α–chaconina, ambos
sendo formas glicosiladas do alcalóide esteroidal
solanidina, e estes correspondem a 95% ou mais
dos glicoalcalóides totais.

RO
R= H Aglicona -Solanidina
Lípidos-Esteróides
 Na α–solanina R= α-L-ramnopiranosil-(1- 2) β-D-
glicopiranosil-(1-3) β-D-galactopiranosil
 Na α-chaconina R= α-L-ramnopiranosil-(1-2) α-
L-ramnopiranosil-(1-4β-D-glicopiranosil

α-solanina
Lípidos-Esteróides
 A razão α–chaconina: α–solanina é
cerca de 60:40 e a concentração
resultante da soma destes dois
compostos é expressa como
glicoalcalóides totais (GAT).
 Os glicoalcalóides parecem ter duas
acções tóxicas no organismo humano.
Lípidos-Esteróides
 1º-uma sobre a acetilcolinesterase, afectando o
sistema nervoso central e considerada
responsável por vários dos sintomas
neurológicos observados após ingestão de
glicoalcalóides,
 2º-Sobre as membranas celulares, causando
ruptura das membranas do tracto–
gastrointestinal com danos hemolíticos e
hemorrágicos e excesso de fluido nas cavidades
corpóreas.
Lípidos-Esteróides
 Alguns glicoalcalóides têm sido empregues
como inibidores da Acetilcolinesterase na
Doença de Alzheimer, entre ao quais a α-
onocerina e a cicloprotobuxina.
OH H
HC
H3C
CH3
H 3C 3 N(CH3)2
CH3
H H H
CH3
CH 3
(CH3) 2N
HO H3C H
H 3C CH3 CH3

α-onocerina cicloprotobuxina
Lípidos-Esteróides
 Bibliografia
 http://images.google.pt/imgres?imgurl=http://ww
w.ipv.pt/millenium/19_estr1.JPG&imgrefurl=http:
//www.ipv.pt/millenium/19_spec8.htm&h=461&w
=353&sz=15&hl=pt-
PT&start=41&tbnid=uYN8EnBnI0aXsM:&tbnh=1
28&tbnw=98&prev=/images%3Fq%3Dorganic%
2Bsolvents,%2Bprote%25C3%25ADnas%26star
t%3D40%26gbv%3D2%26ndsp%3D20%26hl%3
Dpt-PT%26sa%3DN