Você está na página 1de 12

Física Pai d’égua

Belém. Ano 3, no 09. R$ 2,90.

Ondulatória e Acústica
Pss 2 e Prise 2
Conceitos
Velocidade da Onda
Reflexão e Refração
Difração
Ondas Estacionárias
Velocidade do Som
Qualidades Fisiológicas do Som
Cordas Vibrantes
Efeito Doppler

112 questões
 Física Pai d’égua

Ondulatória
Definições Classificação das
Pulso ondas
1. Quanto à natureza
É uma perturbação que se
a) Mecânicas: As ondas b) Eletromagnéticas
propaga em um meio.
mecânicas necessitam de Não necessitam de um meio Ondas Periódicas
um meio material para sua material para sua propaga- São formadas por pulsos
propagação. ção. emitidos por um intervalo
de tempo regular.
Ex.: A luz, raios X, radia-
Ex.: O som, as ondas na
ções ultravioleta e infraver-
superfície de um lago, as
Onda ondas que se formam em
melho, raios gama. Elementos de uma
Uma onda é formada por cordas. 2. Quanto ao tipo onda periódica
um conjunto de pulsos. a) Transversais: Em uma
onda transversal a direção 01. Amplitude (A): É o des-
de propagação é perpen- locamento máximo em rela-
dicular a direção de vibra- ção ao eixo de vibração.
ção.
02. Período (T): É o inter-
b) Longitudinais: Em uma valo de tempo entre a emis-
onda longitudinal a direção são de dois pulsos conse-
de vibração é igual a dire- cutivos.
Uma onda transporta energia sem transportar matéria. ção de propagação.

Onda periódica

Concordância e Oposição de Fases


Pontos em concordân- Pontos em oposição: a
cia: a distância entre distância entre pontos em
pontos em concordância oposição de fase é propor-
de fase é proporcional a cional a metade do com-
metade do comprimento primento de onda multi-
de onda multiplicado por plicado por um número
05. Velocidade de propa- um número par. impar.
03. Freqüência (f): Ë o nú- Unidades:
mero de pulsos emitidos na gação (v): uλ = km, m, cm.... l l
d =n d =n
unidade de tempo. uT = h, min, seg.... 2 2
uv = km/h, km/s, m/s.... n par n impar

Unidades:
uf = 1/ut = 1/s = Hz(hertz)
ou
rpm (rotações por minuto)

04. Comprimento de onda


(λ): É o espaço percorri-
do por um pulso no tempo
igual ao período.

EXPEDIENTE
Física Pai d’égua
Publicação Independente
Tiragem 1500 exemplares
A principal diferença desse jornal em relação aos demais está no seu foco.
Procurei colocar apenas um tópico do programa e escolhi ondulatória e acústica Diretor Responsável,
projeto gráfico, ilustração e
que é assunto do Pss2/Prise2 da Ufpa e da Uepa.
edição de arte
Podendo assim o aluno usar essa obra para estudar este em específico ou quando Solução de exercícios e provas
necessário tirar alguma dúvida. Orival Medeiros
A idéia também é que possa ser usado como material didádico pelos professores.
As questões não estão resolvidas justamente para que tivesse quantidade maior Redação e anúncios
(91)3222-1846
e de todo o conteúdo. No entanto todas as respostas estão no site. orival@fisicapaidegua.com
Basta acessar www.fisicapaidegua.com. www.fisicapaidegua.com
Bom estudo e boa sorete!
Impressão
mastergráfica (91)3249-3241
Orival Medeiros
Locais de Venda
Shoping Iguatemi: Revistaria
News Time
Yamada Plaza: Banca do Alvino
e melhores bancas.
Física Pai d’égua 
Exercícios Determine: 04. (UFMA) O comprimento 06. (Odonto-Diamantina)
01. (Moji) A figura abaixo a) o comprimento de onda de uma onda de 120 Hz de O Sol nos manda, entre ou-
representa uma onda que λ no SI; freqüência, que se propaga tras radiações, luz verme-
se propaga ao longo de b) a freqüência desse movi- com velocidade de 6 m/s lha, luz azul, calor, raios
uma corda, com freqüência mento; vale, em metro: X, raios γ. Todas essas ra-
de 100 Hz. Determine a ve- c) o período do movimento. diações têm em comum, no
locidade de propagação da vácuo, a(o) mesma(o):
a) 0,05
onda, em m/s. a) 320 cm/s e 18 cm
b) 0,2
c) 0,5 a) velocidade de propaga- b) 540 cm/s e 18 cm
d) 0,02 ção c) 270 cm/s e 9 cm
03. (PUC-MG) Uma corda, b) freqüência d) 90 cm/s e 3 cm
de comprimento 4,0 metros, c) comprimento de onda e) 30 cm/s e 3 cm
está fixa em uma de suas d) amplitude de onda
extremidades e, na outra, 05. (Unitau-SP) Uma onda e) período de vibração
possui um vibrador harmô- monocromática de freqüên-
02. (Moji) A figura mostra o 08. (Cesep-PE) Esta figura
nico simples de freqüência cia 2,0 x 1014 Hz propaga-se
perfil de onda de uma onda representa uma onda se-
igual a 10 Hz. Sendo a ve- no vácuo onde sua veloci-
mecânica propagando-se noidal propagando-se ao
locidade de propagação de dade é c = 3,0 x 108 m/s. O
no ar, com velocidade de longo de uma corda, com
pulsos nessa corda 20 m/s seu comprimento de onda
5,0 m/s. velocidade igual a 0,2 m/s.
e o oscilador colocado em em angstrons (OA) é: 07. (FUCMT) Uma onda se
funcionamento, dê: propaga ao longo de uma Qual a freqüência da onda
a) 2 x 102 corda com freqüência de em hertz?
a) o comprimento de onda;
b) o desenho do aspecto fi- b) 2 x 104. 30 Hz, conforme a figura.
nal da corda. c) 1,5 x 102. Nessas condições podemos
d) 1,5 x 104. afirmar que sua velocida-
e) 1,8 x 104. de e comprimento de onda
são, respectivamente:

a) 0,1 a) 1000 m/s c) transporte macroscópico em todos os meios a) 104 Hz


b) 1,0 b) 1300 m/s de matéria e da energia II. Quando uma onda se b) 107 Hz
c) 10 c) 1100 m/s d) transporte de uma ener- desloca em um meio, o meio c) 106 Hz
d) 20 d) 1200 m/s gia maior do que a energia como um todo permanece d) 105 Hz
e) 50 e) nda fornecida em repouso, só apresen- e) nda
e) transporte de uma quan- tando movimento no trecho
tidade de movimento maior afetado pela onda
do que a quantidade de mo- III. Numa onda transversal
09. (UFMA) Em um lago, 11. (FCC) Qual é a veloci- vimento inicial da onda a direção de propagação e a
16. (Mack-SP) Uma onda
o vento produz ondas pe- dade de uma onda que se direção da perturbação são
se propaga ao longo de uma
riódicas que se propagam propaga na superfície de paralelas
13. Em todo movimento corda com freqüência de 60
com velocidade de 2 m/s. O um meio líquido com uma
ondulatório ocorre Hz, como ilustra a figura.
compriemnto de onda é de freqüência de 10 ciclos por a) I
Nestas condições, podemos
10 m. a freqüência de osci- segundo e um comprimento b) II
a) somente transporte de afirmar que o comprimento
lação de um barco, quando de onda igual a 0,20 cm? c) III
energia de onda e a sua velocidade
ancorado nesse lago, em d) I e II
b) somente transporte de de propagação são, respec-
Hz, é de: a) 0,020 cm/s e) II e III
quantidade de movimento tivamente:
b) 0,20 cm/s
a) 0,5 c) 2,0 cm/s c) somente transporte de
b) 0,2 d) 20 cm/s massa
c) 2 e) 20 x 101 cm/s d) transporte de massa e de
energia 15. Os morcegos emitem
d) 5 ultra-sons. O menor com-
e) 10 e) transporte de energia e de
quantidade de movimento primento de onda produ-
zido por um morcego no
10. (PUCC) Calcule a
12. A propagação de ondas 14. Entre as afirma- ar é da ordem de 3,3 x 10-3
velocidade de propagação m. Qual será a freqüência
envolve, necessariamente: ções abaixo, assinale a(s)
de uma onda longitudinal mais elevada que os morce-
a) transporte de energia correta(s): a) 32 cm e 1920 cm/s
de 100 Hz de freqüência e gos podem emitir num local
através do meio b) 16 cm e 60 cm/s
11 m de comprimento de onde a velocidade do som
b) transporte macroscópico I. As ondas propagam-se c) 64 cm e 15 cm/s
onda. no ar é igual a 330 m/s?
das partículas com a mesma velocidade d) 32 cm e 60 cm/s
e) 32 cm e 960 cm/s

17. (UFES) Na propagação de propagação da onda propagar-se te apenas usa amplitude de


de uma onda há, necessa- c) transportando matéria b) I é transversal, II é longi- vibração, o que ocorre com
riamente, transporte de: na direção de propagação tudinal e III tanto pode ser a velocidade de propaga-
da onda transversal como longitudi- ção, o comprimento e a fre-
a) massa e energia d) do material de que é feita nal qüência das ondas?
b) quantidade de movimen- a corda c) I é longitudinal, II é trans-
to e partículas e) da elasticidade da corda versal e III é longitudinal
c) energia e quantidade de d) I e III podem ser longitu- 21. (Fuvest-SP) Em um
movimento dinais lago o vento produz ondas
d) massa e partículas 19. (ITA-SP) Considere os e) Somente III é longitudi- periódicas que se propa-
e) partículas e vibrações seguintes fenômenos on- nal gam com a velocidade de
dulatórios: 2 m/s. O comprimento de
I. Luz 20. (Fuvest-SP) Um vibra- onda é 10 m. Determine o
II. Som (no ar) dor produz, numa superfí- período de oscilação de um
18. (UFPA) Uma onda me- III. Perturbação propagan- cie líquida, ondas de com- barco:
cânica é dita transversal se do-se numa mola helicoidal primento 5,0 cm que se
as partículas do meio mo- esticada propagam à velocidade de a) quando ancorado nesse
vem-se: 3,0 cm/s. lago
Podemos afirmar que: b) quando se movimenta
a) perpendicularmente à a) Qual a freqüência das em sentido contrário ao da
sua direção de propagação a) I, II e III necessitam de ondas? propagação das ondas, com
b) paralelamente à direção um suporte material para b) Caso o vibrador aumen- uma velocidade de 8 m/s
 Física Pai d’égua

Reflexão de Pulsos Refração de Pulsos


Um pulso sofre reflexão quando em movimento encontra A refração é a passagem de um pulso de um meio para
uma superfície, ou meio diferente, e volta com ou sem outro com características diferentes. Nos casos abaixo a
oposição de fase. densidade das cordas são diferentes.

a) com extremidade fixa: o b) com extremidade livre: o a) o pulso é transmitido de uma corda menos densa para
pulso reflete-se com inver- pulso reflete-se em concor- uma mais densa:
são de fase. dância de fase com o pulso
incidente.

• pulso refratado sem inversão de fase


• pulso refletido com inversão de fase Todas as respostas desse
jornal no site. Acesse e
b) o pulso é transmitido de uma corda mais densa para confira:
outra com densidade menor:
www.fisicapaidegua.com

RESPOSTAS
• pulsos refratado e refletido sem inversão de fases

Os pontos M e P são fixos. versão. 25. Considere um siste- mento de onda na corda B.
Exercícios Responder os dois testes III – A perturbação que pas- ma formado por duas cor-
22. (F. Carlos Chagas-
seguintes conforme o códi- sa para II e a que se reflete das diferentes, sendo que 27. (Omec-SP) Quando
SP) Ao chegar ao extremo
go: em N e continua em I são a corda 1 tem maior densi- uma radiação passa de um
de uma corda, um pulso
ambas dirigidas para bai- dade linear do que a 2. Um meio para o outro:
transversal, que nela se
xo. pulso P propagando-se na
propaga, sofre:
corda 1 atinge o ponto de I – sua freqüência varia e
junção das cordas e origina seu comprimento de onda
a) reflexão com inversão de
24. Logo após a primeira dois pulsos, um refletido e permanece constante.
fase se o extremo for livre
reflexão em M e em P, veri- outro refratado. II – sua velocidade varia e
b) refração com inversão de
fica-se o seguinte: sua freqüência permanece
fase s e o extremo for livre
a) só a afirmação I é corre- constante.
c) refração sem inversão de
ta I – Uma perturbação para III – a velocidade varia e o
fase se o extremo for fixo
b) só a afirmação II é cor- baixo percorre a corda I de comprimento de onda per-
d) reflexão sem inversão de
reta M a N e outra para cima manece constante
fase se o extremo for livre
c) só a afirmação III é cor- percorre a corda II de P IV – a freqüência, a veloci-
e) reflexão sem inversão de
reta para N. Represente o aspecto que dade e o comprimento de
fase se o extremo for fixo
d) as afirmações I, II e III II – Uma perturbação para o sistema de cordas apre- onda permanecem cons-
são incorretas baixo percorre a corda II de senta logo após a incidên- tantes
e) as afirmações (a, b, c e d) P para N e outra também cia do pulso P no ponto de V – a freqüência, a veloci-
são inadequadas para baixo percorre a corda junção. dade e o comprimento de
Duas cordas, uma gros-
I de M para N. onda variam
sa (I) e de grande densi-
23. Logo após a chegada da III – As perturbações refle- 26. Uma onda propaga-se
dade linear, e outra fina
perturbação em N, pode-se tidas consideradas são am- numa corda A com veloci- É verdadeira a afirmação
(II) e de pequena densi-
esperar: bas dirigidas para cima. dade de 10 m/s e compri- de número:
dade linear, são unidas
I – A perturbação passa de I mento de onda de 20 cm.
conforme a figura. Admita
para II sem inversão. Ao atingir outra corda B, a) I
que,inicialmente,uma per-
II – a perturbação sofre sua velocidade passa para b) II
turbação única x propa-
uma reflexão em N com in- 25 m/s. Calcule o compri- c) III
gue-se no sentido indicado.

d) IV constante c) λA/λB = 3 31. (ESPM-SP) Uma onda, a) 0,5 m


e) V c) a freqüência se d) λA/λB = 1/3 propagando-se numa corda b) 1,0 m
mantém constante, a velo- e) λA/λB = 1 com velociade de 18 m/s e c) 2,0 m
28. Duas cordas de mesmo cidade e o comprimento de freqüência de 15 Hz, en- e) 3,0 m
comprimento estão emen- onda decrescem contra seu ponto de união
dadas como mostra a figu- d) a freqüência se 30. Ondas de rádio de 300 com outra corda, passando 33. (Unisa-SP) Se um te-
ra: mantém constante, a velo- m de comprimento no ar a se propagar nela com ve- lefone celular transmite
cidade e o comprimento de penetram na água, onde se locidade de 12 m/s. A ra- na freqüência de 825 MHz,
onda crescem verifica que o comprimento zão entre os comprimentos podemos dizer que o com-
e) a freqüência se man- de onda passa a ser 225 m. de onda na primeira e se- primento de ondade trans-
A corda A é mais leve que a tém constante, a velocidade A razão entre as velocida- gunda corda é, respectiva- missão vale (Considere a
corda B. Um trem de ondas decresce, e o comprimento des das ondas na água e no mente: velocidade de propagação
de freqüência f é enviado de de onda cresce ar é: igual a 300.000 km/s):
a para B. Quando as ondas a) 1/2
atingem B: 29. Na corda A do exercício a) 4/3 b) 2/5 a) 2,75 cm
anterior, a velocidade das b) ¾ c) 3/5 b) 3,64 cm
a) a freqüência cresce, a ve- ondas é de 20 m/s, e na c) 3/5 d) 3/2 c) 27,5 cm
locidade decresce, e o com- corda B é de 10 m/s. Sendo d) 5/3 e) 2/3 d) 36,4 cm
primento de onda se man- λA e λB os comprimentos de e) 1 e) 275 cm
tém constante ondas em A e em B, pode-s 32. (Med. Jundiai-SP) O
afirmar que: período de uma onda num
b) a freqüência decresce, a lago é 2,0 s e sua velocida-
velocidade cresce, e o com- a) λA/λB = 2 de, 1,0 m/s. Seu compri-
primento de onda se matem b) λA/λB = ½ mento de onda é:
Física Pai d’égua 

Ondas em meios bidimensionais Reflexão


N
RI RR

Onda circular Onda reta ou plana


i r

RI Raio Incidente
RR Raio Refletido
N Normal
i Ângulo de Incidência
r Ângulo de Reflexão
Leis da Reflexão
1a Lei: O raio incidente, o
raio refletido e a normal
estão contidos no mesmo
plano.
2a Lei: O ângulo de inci-
dência e o ângulo de refle-
xão são iguais.

i=r

ção vertical. Mas e possível


Refração também vibrarmos a ex- Difração
tremidade da corda em vá-
N rias direções; nesse caso, a A difração ocorre quan-
RI onda produzida tem vários do uma onda encon-
planos de vibração. Se, no tra uma fenda ou um
i entanto, a corda passa por obstáculo. As ondas
uma estreita fenda horizon- conseguem contornar
tal, a vibração só aconte- obstáculos e fendas, e
ce horizontalmente; é uma chegam a regiões que
r imposição física colocada à não seriam atingidas
onda mecânica. Transpos- caso apresentassem
RR ta a fenda, o único plano de apenas propagação re-
vibração observado na cor- tilínea.
da é horizontal. Dizemos Só ocorre difração
A refração é a passagem de que a onda está polarizada quando o comprimen-
uma onda de um meio para corda longa, podemos es- horizontalmente. to da onda incidente
outro com características Polarização colher faze-lo somente para A luz também pode ser po- é aproximadamente
diferentes. Uma vibração transversal é larizada. A imposição física
cima e para baixo. A onda igual as dimensões da
geralmente complexa, com- para que isso aconteça não
assim produzida é polariza- fenda.
Leis da Refração: preendendo vários planos
da, com um plano de vibra- é, entretanto, mecânica. A
1ª Lei: O raio incidente, o de vibração. Ao vibrar uma polarização da luz se deve
raio refratado e a normal a características eletro-
estão contidos no mesmo magnéticas, determinadas
plano. pelos arranjos moleculares
2ª Lei: Lei de Snell-Descartes das substâncias.
A polarização é um fenô-
meno que pode ocorrer ex-
clusivamente com as ondas
transversais. Assim sendo,
o som não é passível de po-
larização.

Meu nome é M.
Eu sou viciado em Física
Bem, minha experiência começou há mais ou menos 2 anos quando
lançaram esse jornal... Física Pai d’égua.
Nesse jornal eu passei a consumir Newton, Bohr, kepler e até Einstein.
Nesses dois anos o ritmo das madrugadas era: algumas equações de
MUV, Leis de Newton, refração e as vezes Física Quântica
viajando. Em noites de virada até uma relatividadezinha.
para ficar
Então o que sobrou? Nada. Então tá, espero que alguém possa se
beneficiar da minha experiência. Para aqueles que acham bobagem
desejo SORTE.

Testemunho de M, 18 anos.
Viciado em Física
 Física Pai d’égua

de ondas longitudinais con- fase d) 2,0


Exercícios siste no fato de que estas: d) amplitudes diferentes e e) 2,5
34. (Unifor-CE) Para que estejam em concordância
ocorra difração, a onda a) não produzem efeitos de de fase
deve encontrar: interferência e) mesma amplitude e este-
b) não se refletem jam em quadratura de fase 38. (Unicamp-SP) Ondas
a) um obstáculo de dimen- c) não se refratam planas propagam-se de um
sões muito menores que d) não se difratam meio 1 para um meio 2. No
seu comprimento de onda e) não podem ser polariza- 37. (FCC) Na figura abai- meio 1 as ondas têm veloci-
b) uma fenda de dimensões das xo estão representadas as dade v1 = 8,0 cm/s e com-
muito maiores que seu frentes de onda de uma primento de onda λ1 = 4,0
comprimento de onda onda que passa do meio (1) cm. Após atingirem a su-
c) uma fenda de dimensões 36. (UFSC) Para que haja para o meio (2). Qual é o ín- perfície de separação com o
muito menores que seu interferência destrutiva dice de refração do meio (2) meio 2, passam a ter com-
comprimento de onda total entre duas ondas de em relação ao meio (1)? primento λ2 = 3,0 cm.
mesma freqüência, é neces- 39. (FFCL Santa Cecília)
d) uma fenda ou obstácu- Ondas podem contornar
lo de dimensões da mesma sário que elas possuam: a) Qual é a velocidade de
propagação das ondas no obstáculos. Esse fenômeno
ordem de grandeza do seu é chamado:
comprimento de onda a) mesma amplitude e este- meio 2?
jam em oposição de fase
b) amplitudes diferentes b) Qual é o índice de refra- a) interferência
e estejam em oposição de ção do meio 2 em relação b) refração
35. (UFRS) A principal dife- c) difração
rença entre o comportamen- fase a) 0,50 ao meio 1?
c) mesma amplitude e es- b) 1,0 d) absorção
to de ondas transversais e e) nda
tejam em concordância de c) 1,5

40. (UFRS) O fenômeno de 42. (Unicap-PE) O som é a) a velocidade v2 de propa- 47. (UFRN) Um raio de luz
as ondas sonoras contor- uma onda longitudinal por- gação no meio 2 parte de um meio A, cujo
narem um edifício é conhe- que não apresenta: índice de refração é nA =
cido como: a) reflexão b) a razão entre os compri- 1,80, para um meio B, cujo
a) reflexão b) polarização a) reflexão mentos de onda em 1 e 2 índice de refração é nB =
b) refração c) refração b) refração 1,44. Qual o valor da rela-
c) dispersão d) interferência c) difração ção vA/vB entre as velocida-
d) interferência e) difração d) interferência des da luz no dois meio?
e) difração e) polarização 46. A figura mostra ondas
43. (Unicap-SP) A luz é que se propagam na água e a) 0,56
uma onda transversal, pois que estão passando do meio b) 0,80
41. (EN-RJ) Ao dobrarmos apresenta: 45. Em um tanque, as I para o meio II. O compri- c) 1,00
a freqüência com que vibra frentes de ondas planas na mento de onda no meio I é d) 1,25
a fonte de ondas produzi- a) reflexão superfície da água, ao pas- 4 cm e no meio II é 2 cm. e) 2,16
das na água, numa expe- b) polarização sarem de uma parte rasa Determine:
riência em um tanque de c) refração a outra profunda, o fazem
ondas, verificamos que: d) interferência sob ângulo de 30O e 45O,
e) difração conforme a figura. Sendo a
a) aumenta o período velocidade de propagação 48. Uma onda de certa in-
b) o comprimento de onda em 1 v1 = 30 cm/s, deter- tensidade e freqüência tem
se reduz à metade 44. (F.M.Pouso Alegre-MG) mine: no ar um comprimento de
c) aumenta a velocidade da O diagrama mostra ondas onda λ = 0,1 m. Sabendo-se
onda na água passando através que sua velocidade de pro-
d) diminui a velocidade da de um orifício numa barrei- pagação é de 340 m/s no
onda ra colocada dentro de um a) o seno de ângulo x ar, qual o seu comprimento
e) dobra o comprimento de tanque. O diagrama repre- de onda num meio no qual
onda senta o fenômeno ondula- b) a relação entre as veloci- sua velocidade é de 1360
tório denominado: dades nos dois meios m/s?

49. Um feixe de luz, cujo


comprimento de onda é 6 x Einstein mostrou a
10-7 m e cuja freqüência é 5
x 1014 Hz, passa do vácuo língua para não sorrir
para um bloco de vidro cujo
índice de refração é 1,50. A fotografia foi tirada no da agência UPI (United
Quais são os valores, no vi- dia 14 de março de 1951, Press International),
dro, da velocidade, da fre- em Princeton, Nova do qual nem a própria
qüência e do comprimento Jersey, nos Estados agência lembra o nome,
de onda da luz do feixe?
Unidos, durante a pediu para que desse
comemoração dos um sorriso, sua reação
72 anos do cientista. foi o oposto: mostrou a
Apesar da fama. língua, sem cerimônias.
Einstein tinha um estilo Mas, como Einstein
discreto e não gostava mesmo dizia, tudo é
da imprensa. O cientista relativo e ele gostou
não conseguia entender tanto da foto que, mais
como apesar de ter tarde, passou a mandá-
escritos livros de difícil la regularmente aos
compreensão, tinha se amigos em aniversários,
tornado tão popular. Natal etc.
Quando um fotógrafo
Física Pai d’égua 

ções se superpõem às ou- caracteriza pela amplitu-


Superposição de Pulsos Ondas Estacionárias tras que estão chegando à de variável de ponto para
São ondas resultantes da parede, originando o fenô- ponto, isto é, há pontos da
Construtiva Destrutiva superposição de duas on- meno das ondas estacioná- corda que não se movimen-
das de mesma freqüência, rias. tam (amplitude nula), cha-
mesma amplitude, mes- Uma onda estacionária se mados nós, e pontos que
mo comprimento de onda,
mesma direção e sentidos
opostos. Portanto, é um
caso particular de superpo-
sição de ondas.
Considere uma corda pre-
sa numa das extremidades.
Fazendo a outra extremida-
de vibrar com movimentos
verticais periódicos, origi-
Pulsos que se movem em Pulsos que se movem em nam-se perturbações re-
sentidos opostos e com a sentidos opostos e em opo- gulares, que se propagam
mesma fase se superpoem sição de fases se superpo- pela corda. Ao atingirem
somando suas amplitudes em diminuindo suas am- a extremidade fixa, elas
no instante do encontro. plitudes no instante do se refletem, retornando á
Após o encontro eles con- encontro. Após o encontro corda com sentido de des-
tiunam como se o outro eles contiunam como se o locamento contrário ao an-
pulso não existisse. outro pulso não existisse. terior.
Dessa forma, as perturba-

vibram com amplitude má- Por essa expressão, po-


xima, chamados ventres.
Velocidade da onda demos entender como se
É evidente que, entre os em uma corda produz uma melodia com
nós, os pontos da corda vi- A velocidade de propagação um instrumento de corda.
bram com a mesma freqü- v de uma onda transversal São três as variáveis. Du-
ência, mas com amplitudes na corda é determinada rante a execução, o músico
diferentes. por: controla o valor de l, por-
ção vibrante da corda ou
Observe que: muda de uma corda mais
1) como os nós estão em re- grossa para uma mais fina
pouso, não pode haver pas- (alterando µ). Ele controla
sagem de energia por eles, a intensidade da força de
não havendo então, numa Nessa expressão, F é a tra- tração ao fazer a afinação
onda estacionária o trans- ção a que fica sujeita a cor- do instrumento através
porte de energia; da, e µ é a densidade line- de roscas especiais (tarra-
2) a distância entre dois ar (massa por unidade de chas). É desse modo que
nós consecutivos vale (dis- comprimento): ele obtém as várias notas
tância nodal) λ/2. (freqüências).
3) a distância entre dois
ventres consecutivos vale
λ/2
4) a distância entre um nó
e um ventre consecutivo
vale λ/4.

Todo mundo lê
5) dois ventres ou dois nós
consecutivos estão em opo-
sição de fase.

52. Determine a velocidade 54. Uma corda de massa 57. (Univ. Maringá-PR) A
Exercícios de propagação de um pul- específica linear 10 g/m velocidade de propagácòa
so em uma corda de 3 m tem uma de suas extremi- de uma onda em uma cor-
50. Um arame de aço, com
de comprimento, 600 g de dades presa a um motor da fixa nas duas extremida-
1 m de comprimento e de
massa e sob tração de 500 ligado e a outra, após pas- des é de 2 m/s. A corda for-
10 g de massa, é esticado
N. sar por uma polia fixa, sus- ma uma onda estacionária
com uma força de tração
tenta um peso de 100 N. cujos nós estão espaçados
de 100 N. Determine a ve-
Nota-se, na parte mantida de 1 cm. A freqüência de vi-
locidade de propagação de
horizontal, a formação de 56. (Fac. Franciscanas-SP) bração da corda será de:
um pulso transversal nesse
ondas de comprimento de A figura mostra uma onda
arame.
25 cm. Ache a freqüência estacionária em uma corda a) 200 Hz
53. Um fio tem área de se- de vibração do motor. cuja freqüência é de 60 Hz. b) 400 Hz
ção transversal 10 mm2 e A velocidade de propagação c) 50 Hz
densidade 9 g/cm3. A ve- da onda, em m.s-1, é de: d) 100 Hz
locidade de propagação de e) 20 Hz
51. Calcule a velocidade
pulsos transversais no fio 55. Um fio de aço de
de propagação de um pul-
é 100 m/s. Determine a in- densidade 4 x 103 kg/m3
so transversal em um fio
tensidade da força que tra- tem área da secção trans-
em função da intensida-
ciona o fio. versal de 4 x 10-5 m2 e é
de da força que traciona o
tracionado com uma força a) 10.
fio (T), da área A da secção
de 81 N. Determine a velo b) 30.
transversal e da densidade
cidade com que uma onda c) 60.
d (densidade volumétrica)
transversal se propaga nes- d) 80.
do material que constitui o
sa corda. e) 90.
fio.
 Física Pai d’égua

58. (Arquit. Santos-SP) Um representada na figura. Sa- 62. Numa corda de 3 m de a) 47 m/s
fio de náilon de 60 cm de bendo que a freqüência de comprimento, formam-se b) 23,5 m/s
comprimento com extremos vibração é de 1000 Hz, a ondas estacionárias, ob- c) 0,94 m/s
fixos, vibra tracionado por velocidade de propagação servando-se a formação de d) 1,1 m/s
uma dada força e excitado das ondas ao longo da cor- seis ventres e sete nós. As e) outro valor
por uma fonte de 100 Hz de da vale: ondas parciais que se su-
a) L/3
freqüência, originando uma perpõem, originando as on-
b) 3L/2
onda estacionária de 3 nós. das estacionárias, propa-
c) 2L/3
A velocidade de propagação gam-se com velocidade de
d) L
da onda na corda será de: 1,2 m/s. Determine para
e) 3L
as ondas parciais:
a) 125 m/s 64. Uma onda estacionária
a) 30 m/s b) 250 m/s a) o comprimento de onda é estabelecida numa corda
b) 3000 m/s c) 400 m/s b) a freqüência de 3 m de comprimento,
c) 6000 m/s d) 500 m/s com extremos fixos. Saben-
61. Uma corda de violão
d) 60 m/s e) 4000 m/s 63. (ITA-SP) Uma onda do que a freqüência é 6 Hz
tem 0,60 m de compri-
transversal é aplica sobre e que em todo o seu com-
mento. Determine os três
um fio preso pelas extre- primento surgem 4 nós 3
comprimentos de ondas es-
midades, usando-se um vi- ventres, determine:
tacionárias que se pode es-
brador cuja freqüência é 50
59. (Cesgranrio-RJ) Uma 60. (Univ. Viçosa-MG) Uma tabelecer nessa corda.
Hz. A distância média entre a) o comprimento de onda
corda de 25 cm de com- onda estacionária é produ-
os pontos que praticamen- b) a velocidade de propaga-
primento, fixa nas extre- zida por uma corda de vio-
te não se movem é 47 cm. ção
midades P e Q, vibra na lão, como mostra a figura.
Então a velocidade das on-
configuração estacionária O comprimento da onda é:
das nesse fio é:

velocidade é maior nos só- Nível Sonoro (N)


Acústica lidos do que nos líquidos e
maior nos líquidos do que
Intensidade
É a qualidade do som que
Intervalo (i)
É a relação entre a maior
Parte da Física que estuda permite distinguir um som freqüência e a menor entre
as ondas sonoras. nos gases.
forte de um som fraco. dois sons.
Vsomsólido>Vsomliquido>Vsomgases
Ondas Sonoras A tabela abaixo nos dá a veloci- • maior intensidade 
São ondas mecânicas e lon- dade do som em algumas subs- mais forte • I  intensidade da fonte
gitudinais que vibram entre tâncias. • menor intensidade  com f2 > f1
sonora
20 Hz e 20.000 Hz. Substância Velocidade mais fraco • IO  menor intensidade
Ar a 0 Co
331 m/s A intensidade é definida fisica- • quando f2 = f1, i = 1 e os perceptível (I­O = 10-12 W/
Ar a 15oC 340 m/s mente como a quantidade de sons são denominados m2)
energia que chega em superfície uníssonos • N é medido em decibéis
Água a 20oC 1482 m/s na unidade de tempo.
Ferro 4480 m/s • quando f2 = 2f1, i = 2 e di-
• como o som é uma onda zemos que f2 está uma oita-
Aço 5941 m/s va acima de f1
mecânica não se propaga
Alumínio 6420 m/s ou
no vácuo
• por ser onda longitudinal No sistema internacional, a in- Níveis de intensidade de algumas fontes sonoras
não pode ser polarizada Qualidades do Som tensidade é medida em W/m2,
Fonte Sonora N(dB) I(W/m2) Descrição
pois P é medida em W (Watt) e
Altura A em m2. Qualquer 0 10-12 Limiar de audição
Velocidade do som É a qualidade do som que Respiração normal 10 10-11 Quase inaudível
A onda mecânica necessita permite distinguir som gra-
de um meio material para ves de sons agudos.
Timbre Escritório tranqüilo 50 10-7 Silencioso
É a qualidade fisiológica do Escritório barulhento 80 10-4 Som tolerável
sua propagação e quan-
• maior freqüência  mais som que permite distinguir Música numa discoteca 90 10-3 Som forte
to mais denso esse meio,
alto  mais agudo fontes diferentes que emi-
maior a velocidade de pro- Decolagem de um avião 150 103 Dor de ouvido
• menor freqüência  mais tem sons de mesma altura
pagação. O som é uma
baixo  mais grave e mesma intensidade.
onda mecânica, então sua

o som direto, percebemos Portanto, para que ocor-


Eco e Reverberação distintamente o som refle- ra o eco, devemos emitir o
O ouvido humano tem ca-
tido, ocorre o eco. som a, no mínimo, 17 m da
pacidade de perceber dois
Para ocorrer o eco, o inter- superfície refletora (x ≥ 17
sons idênticos distintamen-
valo de tempo entre a emis- m).
te, desde que o intervalo de
são do som e o retorno des- Caso nos encontremos
tempo entre a recepção dos
te ao ouvido deve ser de no a menos de 17 m da su-
mesmos seja maior ou igual
mínimo 0,1 s. perfície refletora, ocorre o
a um décimo de segundo
seguinte: antes de o som
(0,1 s).
direto se extinguir, rece-
Assim, quando gritamos
bemos o som refletido, que
diante de uma superfície
vem reforçar o som direto e
refletora, dependendo da
dar continuidade a ele; esse
distância que nos separa
fenômeno recebe o nome de
da superfície, podemos ou-
reverberação.
vir dois sons: um som di-
Como a onda sonora A reverberação pode ser
reto, ao gritarmos, e outro
percorre uma distância 2x facilmente percebida se
som por reflexão, após o
entre a ida e a volta, como cantarmos em um ambien-
pulso sonoro se refletir no
mostra a figura, e supondo te sem móveis ou cortinas
direto, ao gritarmos, e ou-
a velocidade do som no ar (que podem absorver o
tro som por reflexão, após
igual a 340 m/s, temos: som), pois ouviremos um
o pulso sonoro se refletir
som prolongado.

Todo mundo lê
no obstáculo e retornar ao
d = V.∆t  2x = 340 x 0,1 
nosso ouvido.
x = 17 m
Quando, após ouvirmos
Física Pai d’égua 

66. (U.F.Santa Maria-RS) a) menor nos líquidos que 69. (UFPA) A velocidade do 71. (PUC-SP) O som é uma
Exercícios Uma onda sonora de com- nos gases e sólidos som no ar depende: onda _________. Para se
primento de onda 0,68 m b) maior nos gases que nos propagar, necessita _______
65. (Fatec-SP) Ondas sono-
propaga-se no ar com ve- sólidos e líquidos a) da freqüência do som ____ e a altura de um som
ras são compressões e ra-
locidade de 340 m/s. O c) maior nos líquidos que b) da intensidade do som refere-se à sua ________.
refações do meio material
período e a freqüência da nos gases e sólidos c) do timbre do som no ar
através do qual se propa-
vibração produzida nas d) menor nos sólidos que d) da temperatura do ar a) plana/do ar/intensidade
gam. Podemos dizer que:
partículas do meio, devido nos líquidos e gases e) da freqüência do som no b) plana/do meio material/
à propagação dessa onda, e) maior nos sólidos que ar freqüência
são, respectivamente: nos líquidos e gases c) mecânica/do vácuo/fre-
a) o som pode propagar-se
qüência
através do vácuo
a) 4,3 x 10-3 s; 231,2 Hz 68. (Fatec-SP) A velocidade d) transversal/do ar/velo-
b) o som não pode propa- 70. (PUC Campinas-SP)
b) 500 s; 2,0 x 10-3 Hz do som na água, em com- cidade
gar-se através de um sóli- Quando uma onda sonora
c) 4,0 x 10-3 s; 250 Hz paração com sua velocida- e) transversal/do meio ma-
do tinge uma região em que a
d) 2,0 x 10-3 x; 500 Hz de no ar, é: terial/intensidade
c) o som somente se propa- temperatura do ar é dife-
e) 231,2 x; 4,3 x 10-3 Hz
ga através do ar a) maior rente, muda: 72. (FCM-MG) Comparan-
d) as ondas sonoras trans- b) menor do duas notas, dó e ré, que
mitem-se mais rapidamen- c) igual se seguem na escala musi-
te através de líquidos e sóli- d)diferente, mas não é pos- a) a freqüência cal, podemos concluir que:
67. (UFPA) em geral, com
dos do que através do ar sível dizer se maior ou me- b) o timbre
relação à propagação de
e) para as ondas sonoras nor c) a altura a) ambas as notas propa-
uma onda sonora, afirma-
não se verificam o s fenô- e) maior ou menor, depen- d) o comprimento de onda gam-se com a mesma velo-
mos corretamente que sua
menos de interferência nem dendo da freqüência do e) nenhuma das anteriores cidade, num determinado
velocidade é:
difração som que se propaga meio

b) dó possui mais energia 74. (UPCR) As qualidades b) Freqüência e compri- 77. (UECE) A mesma nota relacionado com sua veloci-
do que ré fisiológicas do som são: al- mento de onda musical, quando emitida dade de propagação
c) a freqüência de dó é tura, intensidade e timbre. c) Comprimento de onda e por uma flauta, é diferen- d) Podemos distinguir dois
maior do que a freqüência freqüência te quando emitida por um sons de mesma altura e
de ré I – Altura é a qualidade que d) Amplitude e comprimen- piano. O fato de o aluno mesma intensidade emiti-
d) o comprimento de onda permite distinguir um som to de onda do Curso de Música distin- dos por duas pessoas di-
de ambas as notas é o mes- forte de um som fraco de e) Amplitude e freqüência guir, perfeitamente, a nota ferentes, porque eles pos-
mo mesma freqüência. emitida por um dos dois suem timbres diferentes
e) a nota dó é mais aguda II – Intensidade é a qualida- instrumentos é devido: e) A intensidade de um som
do que a nota ré de que permite distinguir é caracterizada pela sua
um som agudo de um som a) a freqüências diferentes freqüência
73. (U. f. santa Maria-RS) grave. 76. (ITA-SP) O que permite b) a altura diferentes
Um pianista bate as teclas III – Timbre é a qualidade decidir se uma dada nota c) a timbres diferentes
do piano a com mais for- que permite distinguir dois musical provém de um vio- d) a intensidades diferen-
ça que as do piano B. Isso sons de mesma altura emi- lino ou de um trombone é: tes
nos possibilita afirmar que tidos por fontes diferentes. 79. (Osec-SP) Para que se
o som emitido pelo piano A perceba o eco de um som
tem maior _________ que o no ar, onde a velocidade
do piano B. A palavra que a) a diferença entre as altu- 78. (F.M.Pouso Alegre-MG) de propagação é 340 m/s,
melhor completa a lacuna ras dos sons Em relação às ondas sono- é necessário que haja uma
do texto acima é: b) a diferença entre os tim- ras, a afirmação correta é: distância de 17 m entre a
75. (UFRS) Quais as carac- bres dos sons fonte sonora e o anteparo
terísticas das ondas sono- c) a diferença entre as in- a) Quanto mais grave é o onde o som é refletido. Na
ras que determinam, res- tensidades dos sons som, maior será sua freqü- água, onde a velocidade de
a) intensidade pectivamente, as sensações d) a diferença entre as fa- ência propagação do som é 1600
b) timbre de altura e intensidade do ses das vibrações b) Quanto maior a amplitu- m/s, essa distância precisa
c) comprimento de onda som? e) o fato de que num caso de de um som, mais agudo ser de:
d) altura a onda é longitudinal e no ele será
e) período a) Freqüência e amplitude outro transversal c) O timbre de um som está a) 34 m

b) 60 m distância da parede é de: a) 25 m 83. O nível de ruído no in-


c) 80 m b) 50 m terior de uma estação de
d) 160 m a) 360 m c) 100 m metrô é de 100 dB. Calcule
e) Nenhuma das anteriores b) 300 m d) 750 m a intensidade física sonora
c) 330 m e) 1500 m no interior da estação. A
d) 165 m mínima intensidade física
e) 110 m sonora audível é IO = 10-12
W/m2.
80. (U.F.Uberlândia-MG)
Um estudante de Física se 81. (PUC-SP) Para pes-
encontra a uma certa dis- quisar a profundidade do 82. Num festival de rock, os
tância de uma parede, de oceano numa certa região, ouvintes próximos às cai-
onde ouve o eco de suas usa-se um sonar, instalado xas de som recebiam uma 84. (UC-PR) Uma fonte diz-
palmas. Desejando calcular num barco em repouso. O intensidade física sonora se sonora quando possui
a que distância se encontra intervalo de tempo decorri- de 10 W/m2. sendo 10-12 freqüência entre:
da parede, ele ajusta o rit- do entre a emissão do sinal W/m2 a menor intensidade

Todo
mo de suas palmas até dei- (ultra-som de freqüência física sonora audível, deter- a) 20 Hz e 2 000 Hz
xar de ouvir o eco, pois este 75000 Hz) e a resposta ao mine o nível sonoro do som b) 20 Hz e 20 000 Hz
chega ao mesmo tempo em barco (eco) é de 1 s. supon- ouvido por elas. c) 12 Hz e 12 000 Hz
que ele bate as suas mãos.
Se o ritmo das palmas é de
30 palmas por minuto e a
do a velocidade de propaga-
ção do som na água 1500
m/s, a profundidade do
d) 10 Hz e 10 000 Hz
e) 20 Hz e 2 000 Hz mundo lê
velocidade do som é aproxi- oceano na região conside-
madamente 330 m/s, a sua rada é de:
10 Física Pai d’égua

85. (Odont. Santos-SP) “Si- 86. (FEI-SP) Se uma pes- 88. As ondas sonoras pro- 90. Qual é o nível da in-
lêncio é saúde.” A poluição soa, ao conversar, passa a duzidas em um jardim sos- tensidade sonora, em deci-
sonora nos dias de hoje é intensidade de sua voz de segado têm intensidade de béis, de um som que tem
um fato incontestável. Se 40 dB para 60 dB, quantas 10-7 W/m2. Determine o ní- intensidade 10-10 W/m2.
uma pessoa for exposta vezes aumenta a sua ener- vel sonoro neste jardim. considere a intensidade do
durante longo tempo a de- gia dispendida? limiar da percepção auditi-
terminados níveis sonoros, va igual a 10-12 W/m2.
além de lesões irreparáveis
do aparelho auditivo, ocor-
rem distúrbios da perso-
nalidade. O decibel (dB) é 89. O silêncio auditivo cor-
uma unidade para a me- 87. Uma britadeira produz responde à intensidade so-
dida do nível sonoro. Num sons com intensidade I = nora de 10-12 W/m2. Numa
“salão de Discoteque” este 10-1 W/m2. Determine o ní- oficina mecânica, o nível
valor normalmente é mais vel sonoro produzido pela sonoro é de 90 dB. Deter-
próximo de: máquina. mine a intensidade do som
ambiente nessa oficina.
a) 40 dB
b) 120 dB
c) 200 dB
d) 500 dB
e) 1 000 dB

vibra em dois, três ou mais 3º harmônico 


Cordas Vibrantes segmentos, dependendo da formula abaixo. O sinal
Consideremos uma corda
onda estacionária que se
Efeito Doppler positivo ou negativo é fei-
de comprimento l, fixa pe- Considere que uma fon-
estabelece: to tomando-se como refe-
las extremidades e esticada te sonora emita um som
rência a figura.
de modo a permanecer ten- com freqüência fF e um
sa quando submetida às observador que a ouça
fO  freqüência ouvida
forças de tração. n-ésimo harmônico  com freqüência fO. O ob-
pelo observador
Percutindo-a na parte servador pode perceber
fF  freqüência emitida
central originam-se vibra- uma alteração na freqü-
pela fonte
ções transversais que se ência emitida pela fonte
vSOM  velocidade do
propagam na corda, refle- devido o movimento re-
som
tindo-se nas extremidades, freqüência de vibração da lativo entre fonte e ob-
vOBS  velocidade do ob-
produzindo ondas estacio- corda vibrante servador. A freqüência
servador
nárias de velocidade v. ouvida pelo observador
vFONTE  velocidade da
Estas ondas estacionárias pode ser sintetizada na
fonte
provocam, no ar, regiões de
compressão e rarefação,
originando ondas sonoras.
1º harmônico 
Uma corda que vibra como
um todo produz sua freqü-
ência mais baixa, dita fre-
qüência fundamental, e o
som correspondente é cha-
mado fundamental. 2º harmônico
Percutindo a corda próxi-
mo a uma extremidade, ele

Todo mundo lê
Física Pai d’égua 11

do som no ar é de 340 m/s, 94. (Méd. Marília-SP) Dois 95. (FVE-SP) O apito de um e ouço a mesma nota com
Exercícios determine a freqüência do trens, A e B, em trajetórias guarda emite um som de sustenido (25/24 das vi-
som que o pedestre ouvirá retilíneas, paralelas, mo- freqüência F. Um motoris- brações da nota natural). A
91. Uma fonte sonora emi-
ao ser ultrapassado pelo vimentam-se em sentidos ta afastando-se do guarda, locomotiva tem uma veloci-
tindo um som de 900 Hz se
veículo. opostos com velocidades de ouve o som do apito, numa dade aproximada de (Vsom =
aproxima com a velocidade
72 km/h e 54 km/h, res- oitava abaixo. Se a veloci- 340 m/s):
de 72 km/h de um obser-
pectivamente. O condutor dade do som no ar é de 340 a) 13 m/s
vador que se encontra pa-
do trem A, antes de encon- m/s, a velocidade do moto- b) 15 m/s
rado. Supondo que a velo-
trar o trem B, apita com rista é de: c) 17 m/s
cidade do som no ar é 320
93. A velocidade de pro- freqüência de 600 Hz. A a) 130 m/s d) 19 m/s
m/s, determine a freqüên-
pagação do som no ar vale freqüência observada pelo b) 140 m/s e) 21 m/s
cia sonora ouvida pelo ob-
340 m/s. Calcule com que condutor do trem B tem c) 150 m/s
servador.
velocidade um observador valor aproximado de (con- d) 160 m/s
deve se aproximar de uma sidere a velocidade do som e) 170 m/s
fonte sonora cuja freqüên- igual a 340 m/s):
cia é de 18 000 Hz, para
que ele pare de ouvi-la, ad- a) 664 Hz
97. (ITA-SP) Uma corda de
mitindo-se que a freqüên- b) 710 Hz
92. Um automóvel com ve- comprimento igual a 50 cm
cia máxima audível seja 20 c) 324 Hz
locidade constante de 108 e massa m = 1,0 g está pre-
000 Hz. d) 324 Hz
km/h passa buzinando 96. (FVE-SP) Uma loco- sa em ambas as extremida-
e) Nenhuma das anteriores
por um pedestre parado. A motiva tem um apito que des sob tensão F = 80,0 N.
freqüência do som emitido dá o Lá normal (435 vibra- Calcule a freqüência fun-
pela buzina é de 500 Hz. ções completas por segun- damental de vibração da
Sabendo que a velocidade do). Vem ao meu encontro corda.

98. Uma onda estacionária 100. Numa corda de com- sidade da força de tração 104. (UFPR) Uma onda es-
é estabelecida numa cor- primento 120 cm, as ondas para que a freqüência do tacionária, de freqüência
da de 2 m de comprimen- formadas se propagam com novo som fundamental seja igual a 24 Hz, é estabele-
to com extremos fixos. Sa- velocidade de 90 m/s. De- igual a do segundo harmô- cida sobre uma corda vi-
bendo-se que a freqüência termine o comprimento da nico brante fixa nos extremos.
é de 8 Hz e que em todo o onda e a freqüência para Sabendo-se que a freqüên-
seu comprimento surgem 4 a vibração fundamental, o 103. (Fuvest-SP) Considere cia imediatamente superior
ventres e 5 nós, determine segundo e o terceiro har- uma corda de violão com a essa, que pode ser esta-
a freqüência do som funda- mônico que se estabelecem 50 cm de compriemnto que belecida na mesma corda, é
mental. nessa corda. está afinada para vibrar de 30 Hz, qual é a freqüên-
com uma freqüência fun- cia fundamental da corda?
damental de 500 Hz.
102. (U.F.Uberlândia-MG)
Uma corda de comprimen- a) Qual a velocidade de
to L = 2,0 m tem as duas propagação da onda nessa
101. Uma corda de 75 cm extremidades fixas. Procu- corda?
99. Uma corda de 2 m de de comprimento e densida- ra-se estabelecer um siste- b) Se o comprimento da
comprimento e densidade de linear 1,44 x 10-4 g/cm ma de ondas estacionárias corda for reduzido à meta- 105. (U.F.Viçosa-MG) A
linear 1,1 x 10-3 kg/m, fixa está fixa nas extremidades. com freqüência igual a 120 de, qual a nova freqüência corda ré de um violão tem
pelas extremidades, é sub- Ela emite o som fundamen- Hz, obtendo-se o terceiro do som emitido? a densidade linear de 0,60
metida a uma força de tra- tal quando submetida a harmônico. Determine: g/m e está fixa entre o ca-
ção de 11 N. Determine: uma força de tração 10 N. valete e o extremo do braço,
a) o comprimento de onda separados por uma distân-
a) a freqüência do som fun- a) Determine a freqüência b) a velocidade de propaga- cia de 85 cm. Sendo 294
damental emitido do som fundamental ção Hz a freqüência da vibra-
b) a freqüência do 2O har- b) Calcule o fator pelo qual c) a distância entre um nó e ção fundamental da corda,
mônico emitido se deve multiplicar a inten- um ventre consecutivo calcule:

a) a velocidade de propaga- 107. (UFRJ) Uma corda de 110. Uma corda sonora 112. (EM-RJ) Uma cor-
ção da onda transversal na cavaquinho tem 30 cm de a) 400 Hz emite o quarto harmônico da, fixa nos dois extremos,
corda comprimento. Sabendo-se b) 320 Hz de freqüência 900 Hz. Sen- possui massa igual a 20 g
b) a tração na corda. que a velocidade de pro- c) 200 Hz do o comprimento da corda e densidade linear de 4 x
pagação de uma onda nes- d) 100 Hz 1 m, calcule a velocidade 10-2 kg/m. Sabendo-se que
sa mesma corda é de 360 e) nenhuma das anteriores da onda na corda. vibra em ressonância com
m/s, pode-se afirmar que um diapasão que oscila na
a freqüência do som fun- freqüência de 400 Hz e que
damental que essa corda a onda estacionária que a
pode emitir, em Hz, é: 109. (UFMG) Uma corda percorre possui ao todo
a) 12,0 esticada produz um som 111. (Mack-SP) Uma cor- cinco nós, a força que tra-
106. (UFRS) Duas cordas b) 108 de freqüência fundamental da vibrante homogênea, ciona a corda tem intensi-
de violão foram afinadas de c) 216 1000 Hz. Para que a mes- de comprimento 1,6 m e dade de:
modo a emitirem a mesma d) 300 ma corda produza um som massa 40 g, emite o som
nota musical. Golpeando- e) 600 de freqüência fundamental fundamental quando está a) 256 N
se uma delas, observa-se 2000 Hz, a tensão da corda submetida a uma tração de b) 400 N
que a outra também oscila, deve ser: 160 N. A freqüência do 3O c) 800 N
embora com menor inten- harmônico desse som fun- d) 160 N
a) quadruplicada
sidade. Esse fen6onmeno é 108. (ITA-SP) Uma corda damental é: e) 200 N
b) dobrada
conhecido por: de comprimento L = 50,0
a) 200 Hz
cm e massa m = 1,00 g está c) multiplicada por 2 b) 150 Hz
a) batimento presa em ambas as extre-
c) 125 Hz
b) interferência midades sob tensão F = d) reduzida à metade
d) 100 Hz
c) polarização 80,0 N. Nessas condições, e) reduzida a um quarto
e) 75 Hz
d) ressonância a freqüência fundamental
e) amortecimento de vibração dessa corda é:
A luz Quando ocorre um relampago. Primeiro
É uma onda eletromagnética. É formada por oscilações de ondas vemos o raio para só depois ouvirmos o trovão.
elétricas e magnéticas. Isso ocorre porque a velocidade da luz é muito
maior que a velocidade do som. É cerca de um
Sua velocidade é representada pela letra “c” e vale: milhão de vezes maior.
c = 3 x 108 m/s

O Som
É uma onda mecânica e longitudinal que vibra com freqüência
entre 20 hz e 20.000 hz. Sua velocidade vale:
v = 340 m/s

O portuguesinho não
conseguia decorar
a tabuada do oito. Tio
eu toquei no seu ombro!
- Desculpe, senhor... É que
hoje é o meu primeiro dia
O garoto era uma nata,
mas a mãe estava
convicta de que, com
Manuel deu uma dica: como taxista. incentivo, ele poderia
- Ora rapaz, quando cair 8 - E o que o senhor fazia estudar bastante e superar
x 5, por exemplo,você muda antes? suas deficiências na escola.
para 5 x 8. Se for 8 x 6, - Até ontem eu era Foi assim que ela resolveu
muda para 6 x 8 e assim por motorista de carro estimula-lo com presentes,
diante. funerário! caso fosse aprovado nas
O garoto ficou feliz. provas. A primeira era
Quando voltou da escola, de Geografia e valia um
seu tio lhe perguntou:
- E aí, como foi? Ele,
N o funeral do Severino,
que foi peão de obra,
um sujeito desconhecido
videogame! O Garoto se
matou de estudar uma
desapontado: da família, chora semana, dia e noite. Na
- Tio, caiu 8 x 8! copiosamente. A viúva se véspera da prova, satisfeita,
aproxima dele e pergunta, a mãe pergunta:
- Então, querido? Estudou a
E lena falou pro marido:
- Élio! Esse dicionário
que você me deu não presta.
soluçando:
- Você era amigo do
Severino:
matéria?
- Claro mãe! Foi só o que eu
Faltam as palavras erói, - sim... Trabalhávamos fiz!
omem e ierarquia. juntos. As últimas palavras - Que lindo! - Disse a mãe,
dele foram para mim... pegando o livro – então me
– contou o sujeito, entre diga, meu amor, onde fica a
Austrália?
O cara pegou um táxi e
começou a estranhar
porque o motorista não
soluços.
- Nossa... Snif... O que foi
que ele disse:
E o filho, rapidinho e cheio
de moral:
falava nada durante o - Juca, não mexe no - Fica na página 43!!!!
percurso. E a maioria andaimeeeeeee!
dos taxistas adora puxar
conversa com o passageiro.
A quela paciente chata
e hipocondríaca se Os Autores
Aí o passageiro não
agüentou mais e cutucou
no ombro do motorista.
M aluf vai visitar o
Papa e, no final da
audiência. Sua Santidade
queixa ao doutor Pedro:
- Ai, doutor... Sempre que
Quando ele fez aquilo, o coloca a mão no bolso da ando do supermercado até
motorista se assustou e batina e diz: minha casa, eu fico exausta.
quase bateu num poste. O - Espere, meu filho. Eu vou Não sei mais o que fazer. O
passageiro comenta: lhe dar um terço... que o senhor me aconselha a
- Calma, moço... Não precisa - Nada feito! Só aceito se tomar, doutor?
tomar esse susto só porque for a metade! - Um táxi, dona Regina!

“O paraíso é o lugar
onde estou.” “Nunca se percebe o que
“Acontece em abril François Marie Arouet, já foi feito; a gente só Homer J. Simpson Orival R. de Medeiros
(...). Os boletins o Voltaire (1694-1778), nota o que ainda está
meteorológicos não se filosófo francês. por fazer.” Nascido e criado em Sprin- Professor de Física, forma-
lembram de anuncia- Marie Curie (1867- gfield. Filho de Abraham J. do pela UFPa. Atualmente
lo em linguagem “Não possuir uma 1934), Cientista Simpson e de Mona Simp- trabalha nos colégios Insti-
especial. (...) Discretos, coisa que desejamos é francesa. son. Casado com Marjo- tuto de Educação Estadual
silenciosos, chegaram os parte indispensável da rie Bouvier e pai de três do Pará, Rui Barbosa e Leo-
dias lindos. E aboliram, felicidade.” “O pensamento é apenas crianças Bartholomew Jojo nardo da Vinci. Nascido em
sem providência Bertrand Russell (1872- um lampejo entre duas Simpson, Lisa Simpson e Carolina-MA. Outros em-
drásticas, o estatuto do 1970), filósofo inglês. longas noites, mas esse Margaret Simpson. É Ins- pregos: secretário em esco-
calor.” lampejo é tudo.” la de natação, vendedor de
petor de Segurança na Cen-
Carlos Drummond de “O mundo não acontece. Henri Poincaré (1854-
tral Nuclear de Springfield. sucata, professor de infor-
Andrade (1902-1987), Ele simplesmente é.” 1912), Matemático e
Já teve outros empregos: mática, vendedor de picolé,
poeta mineiro. Hermann Weyl (1885- filósofo da Ciência.
Astronauta, webmaster, vendedor de bombons, pin-
1955), Matemático Francês.
alemão. professor, piloto de avião, tor, eletricista, webmaster,
designer de carros... designer de livros...