P. 1
ESTUDO DOS LOGARITMOS

ESTUDO DOS LOGARITMOS

4.73

|Views: 42.793|Likes:
Publicado porprofessor kaneko

More info:

Published by: professor kaneko on Sep 19, 2008
Direitos Autorais:Attribution Non-commercial

Availability:

Read on Scribd mobile: iPhone, iPad and Android.
download as PDF, TXT or read online from Scribd
See more
See less

08/21/2013

pdf

text

original

www.professorkaneko.blogspot.

com
1
Professor Cláudio Kaneko








LOGARITMO DE UM NÚMERO REAL
Sejam a e b números reais positivos e b ≠ ≠≠ ≠ 1.
Chama-se logaritmo de a na base b o expoente x tal
que b
x
= a.
Ou seja:
log
b
a = x ⇔ b
x
= a
Onde:
a → logaritmando ou antilogaritmo
b → base
x → logaritmo

Exemplo:
Determine:
a) log
2
8
Resolução:
Representando por x o valor procurado, temos:
log
2
8 = x ⇔ 2
x
= 8 ⇔ 2
x
= 2
3
⇔ x = 3
Portanto, log
2
8 = 3

b) log
3
9
Resolução:
Representando por x o valor procurado, temos:
log
3
9 = x ⇔ 3
x
= 9 ⇔ 3
x
= 3
2
⇔ x = 2
Portanto, log
3
9 = 2

APLICAÇÕES

01. Calcule:
a) log
2
16 e) log
2
2
b) log
3
243 f) log
17
1
c) log
7
(1/49) g) log
(5/3)
0,6
d) log
10
1000

02. Calcular o valor de x na igualdade: 27 3 log
9
= x.

03. Determine o valor de:
a) 5 5 log
5
c)
2
2
log
3
4

b) log
0,2
0,04 d) log
0,04
0,2

04. O valor de
3
8
16 log é:
a) 4/9 b) 4/3 c) 1/3 d) 3 e) 4

CONDIÇÕES DE EXISTÊNCIA
A partir dos exemplos abaixo, vamos estabele -
cer alguns critérios para a existência de um logaritmo.
Exemplos:
a) Não existe log
–3
27, pois não existe x real para que
se tenha (-3)
x
= 27.
b) Não existe log
0
7, pois não existe x real para que se
tenha 0
x
= 7.
c) Não existe log
1
3, pois não existe x real para que se
tenha 1
x
= 3.










Conclusão: a base de um logaritmo não pode ser
negativa, não pode ser igual a zero nem igual a um.

d) Não existe log
2
(-8) , pois não existe x real para que
se tenha 2
x
= -8.
e) Não existe log
5
0, pois não existe x real para que se
tenha 5
x
= 0.
Conclusão: o logaritmando não pode ser negativo e
nem igual a zero.
¹
´
¦
≠ <
>
1 b 0
0 a
: C.E.

CONSEQUÊNCIAS DA DEFINIÇÃO
Exemplo:
Considerando a definição e as condições de existên -
cia de um logaritmo, calcule:
a) log
5
1
Resolução:
Representando por x o valor procurado, temos:
log
5
1 = x ⇔ 5
x
= 1 ⇔ 5
x
= 5
0
⇔ x = 0
Ou seja: log
5
1 = 0

b) log
3
3
Resolução:
Representando por x o valor procurado, temos:
log
3
3 = x ⇔ 3
x
= 3
1
⇔ x = 1
Ou seja: log
3
3 = 1

c) log
2
2
5

Resolução:
Representando por x o valor procurado, temos:
log
2
2
5
= x ⇔ 2
x
= 2
5
⇔ x = 5
Ou seja: log
2
2
5
= 5

d)
25 log
5
5
Resolução:
Analisando o expoente temos:
log
5
25 ⇔ log
5
5
2
⇔ log
5
25 = 2
Substituindo o valor encontrado temos:
25 log
5
5 = 5
2
= 25
Ou seja:
25 log
5
5 = 25

A partir dos exemplos acima é possível observar
que:

log
b
1 = 0 log
a
a = 1



log
a
a
n
= n a b
a log
b
=


ESTUDO DOS LOGARITMOS
LOGARITMOS
E-mail: claudiokaneko@hotmail.com

www.professorkaneko.blogspot.com

APLICAÇÕES

05. Qual é o logaritmo de 49 na base 7? E o logaritmo
de 1/8 na base 4?

06. Calcular com o auxílio da definição:
a) 27 log
9
1
b) 27 log
3 3

07. Determinar o valor de base n que verifica a igualda -
de log
n
16 = 4

08. Calcule os seguintes logaritmos:
3 3 log a)
9
1

3
16
8 log f)
3
7
49
7
log b)
3
25
1
5 log g)

0,6 log c)
27
125
2 16 log h)
2

|
¹
|

\
|
+
125
93
2 log d)
1,4
0,001 log i)
100

169
144
log e)
12
13

7
7
1
7 7 log j)

09. Calcule o valor dos logaritmos abaixo:
a) log
2
32 h) log
3
(1/81)
b) log
3
81 i) log
0,01
1000
c) log
25
125 j) log
0,01
0,0001
d) log
4
2 k) log
0,0625
(1/1024)
e) log
10
0,001 l) log
5

|
|
¹
|

\
|
4 2
2
2 . 3
12

f) log
5
625
g) log
7
343

10. O valor de
|
|
¹
|

\
|
4 log
2
log
16
4
é:
a) 4 b) 1/2 c) 10 d) 1 e) 16

11. Calcule a soma S em cada caso:
5 log
9
1
log 8 log S a)
5 3 2
+ + =
2 log - 5 log 0,1 log S b)
2
3
25 100
+ =
2 log 0,001 log - 0,6 log S c)
8
1
10
5
3
+ =

12.(IME-RJ) Calcule o valor do logaritmo de 625 na ba-
se
3
5 5 .

IGUALDADE ENTRE LOGARITMOS
Dois logaritmos na mesma base serão iguais,
se, e somente se seus logaritmandos também forem
iguais.





Então:

log
b
a = log
b
c ⇔ a = c

Exemplo:
Sendo log
3
x = log
3
9, encontre o valor de x.
Resolução:
log
3
x = log
3
9 ⇔ x = 9

PROPRIEDADES OPERATÓRIAS
Os logaritmos apresentam algumas proprieda -
des que tornam fundamental a sua utilização, principal -
mente na simplificação de cálculos. Dentre elas
teremos:
P1) Logaritmo de Um Produto

log
a
(M . N) = log
a
M + log
a
N

P2) Logaritmo de Um Quociente

log
a
(M : N) = log
a
M - log
a
N

P3) Logaritmo de Uma Potência

log
a
n
k
= k . log
a
n

Exemplos:
a) log
3
(4 . 5) = log
3
4 + log
3
5
b) log
2
3 + log
2
7 = log
2
(3 . 7)
c) log
5
(10 : 5) = log
5
10 - log
5
5
d) log
3
27 - log
3
9 = log
3
(27 : 9)
e) log
2
8
3
= 3 . log
2
8
f) 2 . log
5
125 = log
5
125
2


APLICAÇÕES

13. Determinar o valor de log 6, sabendo que log 2 = a e
log 3 = b.

14. Se log
a
b = 1, então calcular log
a
(a . b).

15. Se log
2
b – log
2
a = 5, então determinar o quociente
b / a.

16.(Fuvest-SP) Resolvendo-se 3 log x = 2 log 8, iremos
obter:
a) x = ± 4 c) x = 4 e) x = ( 8 )
2/3

b) x = ± 1/4 d) x = 1/4

17. Considerando log
a
2 = 0,69 e log
a
3 = 1,10, calcular
4
a
12 log .

18. Considerando log 2 = 0,3010 e log 3 = 0,4771, cal-
cular:
a) log 8 g) log 0,0001
b) log 12 h) log 200
c) log 72 i) log 3000
d) 2 log j)
3
60 log
e) 108 log k)
4
1,2 log
f) log 5 l) log (0,54)
0,5



Matemática – Logaritmos – Professor Cláudio Kaneko
www.professorkaneko.blogspot.com
mudando para
base “c”

19. Calcule log 24, sabendo que log 2 = a e log 3 = b.

20.(FAAP-SP) Ache y real sabendo-se que:

log
2
y = log
2
3 + log
2
6 – 3 log
2
4

21.(Objetivo-SP) Se log
x
y = 2, então log
x
(xy) é:
a) 0 b) 1 c) 2 d) 3 e) 4

22.(FGV-SP) Considerando o valor de log
10
2 = 0,3010
e log
10
3 = 0,4771, então poderemos afirmar que o valor
de log
10
0,6 será igual a:
a) 1,7781 d) – 0,2219
b) – 0,7781 e) 0,2219
c) 0,7781

23.(PUC-SP) O valor de log
0,04
125 é igual a:
a) –2/3 b) –4/3 c) –3/2 d) 2/3 e) 4/3

24.(Fuvest-SP) Sabendo-se que a
2
+ b
2
= 70ab, calcule
( )
ab
b a
log
2
5
+
em função de m = log
5
2 e n = log
5
3.

25.(PUCCAMP-SP) O sistema
¹
´
¦
=
= +
5 3y - 4x
1 y log x log
2 2
tem so
lução, tal que x + y seja igual a:
a) 3 b) 1 c) –11/7 d) 41/12

MUDANÇA DE BASE

log
a
b
a log
b log
c
c


Exemplo:
Mudar para base “2” os logaritmos:
a) log
4
5
Resolução:
4 log
5 log
5 log
2
2
4
=
b) log
1/8
9
Resolução
(1/8) log
9 log
9 log
2
2
8
1
=

COLOGARITMO

colog
a
b = - log
a
b

Exemplo:
a) colog
2
8 = - log
2
8 = -3
b) colog
3
1/9 = - log
3
1/9 = -(-2) = 2

APLICAÇÕES

26. Considerando log 2 = 0,3010 e log 3 = 0,4771,
calcule:
a) log
6
4 c)
3
12 log e)
3
108 colog
b) 6 log d) colog 72 f) colog 15
-1



27. Considere log 2 = 0,301 e log 3 = 0,477 e mostre
que colog
3
2 = log
1/3
2.

28. Qual é a base de um sistema logarítmico, onde o
logaritmo é 1/2 e o antilogaritmo é
2
2
.

EQUAÇÕES LOGARÍTMICAS
São equações que apresentam a incógnita
localizada no logaritmando e/ou na base do logaritmo.
Exemplos:
a) log
3
(log
2
x) = 2
b) log
x
(x + 6) = 2
As equações logarítmicas podem se apresentar
em dois tipos básicos que são:

1º TIPO

Exemplos:
Determinar o conjunto solução das seguintes equa -
ções logarítmicas:
a) log
5
(log
2
x) = 0
Resolução:
Aplicando a definição, duas vezes, obtemos:
log
5
(log
2
x) = 0


log
2
x = 5
0

log
2
x =1
x = 2
1
⇔ x =2
S = { 2 }

b) log
x
(x + 6) = 2
Inicialmente aplicaremos a definição de logarit -
mo e, em seguida, resolveremos a equação do 2º grau.
Resolução:
log
x
(x + 6) = 2


x
2
= x + 6
x
2
– x – 6 = 0
a = 1; b = -1 e c = -6
∆ = (-1)
2
– 4 . 1 . (-6) = 25
¹
´
¦
=
= ±
=
3 x"
C.E.) a contraria pois convém, (não 2 - x'
2
5 1
x
S = { 3 }

APLICAÇÕES

29. Resolver as equações:
a) log
1/2
(log
9
x) = 1
b) log
3
(2x – 1) = 4

30. Resolver a equação log
2
[log
x
(x + 2)] = 1

31. Determine o conjunto verdade das seguintes equa -
ções logarítmicas:
a) log
7
(log
2
x) = 0
b) log
3
(log
5
x) = 1
c) log
2
(x + 4) = 3


Aquelas em que aplicaremos apenas a defini-
ção de logaritmo para sua resolução.
C.E: x > 0
C.E: x + 6 > 0 ⇔ x > -6
1 ≠ x > 0
Matemática – Logaritmos – Professor Cláudio Kaneko
www.professorkaneko.blogspot.com


2º TIPO

Exemplo:
Determinar o conjunto solução da equação logarítmi -
ca:
log
3
(x + 7) + log
3
(x – 1) = 2
Resolução:
Inicialmente aplicaremos a propriedade relativa
ao logaritmo do produto, ou seja:
log
3
(x + 7) + log
3
(x – 1) = 2
log
3
[(x + 7) . (x – 1)] = 2


(x + 7) . (x – 1) = 3
2

x
2
– x + 7x – 7 – 9 = 0
x
2
+ 6x – 16 = 0
a = 1; b = 6 e c = -16
∆ = 100
¹
´
¦
=
= ±
=
2 x"
convém) (não 8 - x'
2
10 6 -
x
S = { 2 }

APLICAÇÕES

32. Resolver a equação log
2
(x – 1) + log
2
(x – 2) = 1.

33. Qual é o conjunto verdade da equação logarítmica a
seguir log
x
(3x + 4) = log
x
(4x + 2)?

34. Resolver a equação log
4
x + log
4
(x + 12) = 3.

35. Encontre o conjunto solução da equação abaixo:
log
3
(2x + 1) + log
3
(x + 8) = 3


GABARITO

QUESTÃO 01: a) 4 b) 5 c) –2 d) 3 e) 1 f) 0 g) -1

QUESTÃO 02: x = 5/4

QUESTÃO 03: a) 3/2 b) 2 c) –1/3 d) 1/2

QUESTÃO 04: A QUESTÃO 05: 2 e –3/2

QUESTÃO 06: a) –3/4 b) 2 QUESTÃO 07: n = 2

QUESTÃO 08: a) –3/4 b) 1/3 c) –1/3 d) 3 e) –2 f) 1/4
g) –1/6 h) 9/2 i) –3/4 j) –8/7

QUESTÃO 09: a) 5 b) 4 c) 3/2 d) 1/4 e) –3 f) 4 g) 3
h) –4 i)-3/2 j) 2 k) 5/2 l) 0

QUESTÃO 10: D QUESTÃO 11: a) 3/2 b) –14/6 c) 41/6

QUESTÃO 12: 3 QUESTÃO 13: a + b QUESTÃO 14: 2

QUESTÃO 15: 32 QUESTÃO 16: C QUESTÃO 17: 0,62

QUESTÃO 18: a) 0,9030 b) 1,0791 c) 1,8572 d) 0,1505
e) 1,0167 f) 0,6990 g) –4 h) 2,3010 i) 3,4771 j) 0,5927
k) 0,0198 l) –0,13385

QUESTÃO 19: 3a + b QUESTÃO 20: 9/32 QUESTÃO 21: D

QUESTÃO 22: D QUESTÃO 23: C QUESTÃO 24: 3m + 2n





QUESTÃO 25: A

QUESTÃO 26: a) 0,7736 b) 0,3890 c) 0,3597 d) –1,8572
e) –0,6777 f) 1,1761

QUESTÃO 27: -0,630 QUESTÃO 28: 1/2

QUESTÃO 29: a) 3 b) 41 QUESTÃO 30: 2

QUESTÃO 31: a) 2 b) 125 c) 4 QUESTÃO 32: 3

QUESTÃO 33: 2 QUESTÃO 34: 4 QUESTÃO 35: 1



AS MARAVILHAS DA MATEMÁTICA!

ACÚSTICA E LOGARITMO

A ciência, nas suas várias ramificações, foi
beneficiada pelo advento do logaritmo. A título de exemplo,
descreveremos uma dessas aplicações.
Ao estudar ondas sonoras, percebe-se que o som
apresenta características como: altura, intensidade e timbre.
No caso da intensidade (I), que representa a potência
de uma onda sonora por unidade de área (W/m
2
),
encontraremos detalhes interessantes como é o caso da
limitação
auditiva.
Para
perceber a on
da sonora, o
tímpano hu
mano neces
sita que ela
tenha, no mí
nimo, uma in
tensidade I
0
= 10
-12
(W/m
2
), chamado de limiar de
audibilidade e, no máximo, de 1 (W/m
2
), chamado de limiar
da dor.
O nível sonoro (N) representa a comparação entre a
intensidade sonora (I) e o limiar da audibilidade (I
0
). A sua
unidade usual chama-se decibel (dB).
A grandeza nível sonoro (N) obedece a uma escala
logarítmica, sendo definida por:

0
I
I
log . 10 N=

É possível relacionar esses conceitos com diversas
situações do cotidiano.
- O ouvido humano apresenta lesões irrecuperáveis
sempre que é exposto, por um determinado tempo, a
níveis sonoros (N) superiores a 80 (dB).
- As unidades bel (B) e decibel (dB) representam uma
homenagem ao físico escocês Alexander Graham Bell
(1847 – 1922).






Aquelas em que aplicaremos as proprie -
dades do logaritmo para a resolução.
C.E: x + 7 > 0 ⇔ x > -7
x – 1 > 0 ⇔ x > 1
Matemática – Logaritmos – Professor Cláudio Kaneko

You're Reading a Free Preview

Descarregar
scribd
/*********** DO NOT ALTER ANYTHING BELOW THIS LINE ! ************/ var s_code=s.t();if(s_code)document.write(s_code)//-->