P. 1
SIMULADO DE PORTUGUÊS 4º ANO

SIMULADO DE PORTUGUÊS 4º ANO

|Views: 43.836|Likes:
Trabalho utilizado dentro de sala de aula, zona rural de Piracuruca, com alunos de nove anos, nas aulas de Português.
Trabalho utilizado dentro de sala de aula, zona rural de Piracuruca, com alunos de nove anos, nas aulas de Português.

More info:

Categories:Types, School Work
Published by: Teresa Cristina Flordecaju on Sep 04, 2011
Direitos Autorais:Attribution Non-commercial

Availability:

Read on Scribd mobile: iPhone, iPad and Android.
download as PDF, TXT or read online from Scribd
See more
See less

11/23/2015

pdf

text

original

SIMULADO DE PORTUGUÊS – 4º ANO DO ENSINO FUNDAMENTAL UNIDADE ESCOLAR DOCA RIBEIRO – LOCALIDADE FURAMÃO – PIRACURUCA – PIAUÍ – BRASIL

Texto I Vovó,

Um bilhete para você!

Acordei cedo e fui olhar o nascer do sol lá na cancela. Sei que a senhora vai fazer cuscuz de milho para o café, então, chego às 7h30. Ah, deixe que eu passo pelo galinheiro e pego os ovos. Um cheiro no coração. Aninha. 01. Em que período do dia Aninha escreveu o bilhete para a avó? ( ) De manhã ( ) No almoço ( ) À tarde

( ) Antes de dormir

02. Por que aninha escreveu um bilhete para a avó? ( ) Para que a avó fizesse o café enquanto Aninha passeava. ( ) Para que a avó não ficasse preocupada por Aninha ter saído antes da avó acordar. ( ) Porque Aninha ia sempre visitar a avó logo de manhã cedo. ( ) Porque Aninha queria que a avó deixasse um pouco de café e cuscuz para ela.

Texto II

Troca de brinquedos Troca-se um carrinho de madeira Em bom estado de uso Por outro brinquedo para meninas. Preferência por uma boneca de pano. Tratar com dona Tê pelo email: escoladocaribeiro@gmail.com

03. O que se observa no texto lido? ( ) É um anúncio dos brinquedos de dona Tê ( ) Indica como fazer um contrato de brinquedos ( ) Dar informações sobre uma troca de bonecas ( ) Tem um título que indica do que trata o texto 04. Para falar com dona Tê, que meio de comunicação deve ser utilizado? ( ) O jornal ( ) A internet ( ) A carta ( ) O telefone _________________________________________________________________________________ Texto III A bicicleta

As meninas brincavam de amarelinha na calçada da igreja quando ouviram um choro de criança. A maior delas, muito preocupada, disse para as amigas: _ Vamos ver o que aconteceu? E qual não foi o espanto quando encontraram um menino chorando ao lado de uma bicicleta.

_ Por que você está chorando? – Perguntou a menina de cachos. _ Minha bicicleta quebrou_ falou choroso. Acontece que o pai da menina menor tinha uma oficina de bicicleta em casa. E como apenas tinha caído a corrente, logo o menino andava pedalando a bicicleta na rua. Era verão e os passarinhos cantavam na tarde que começava a esfriar. (Teresa Cristina Cerqueira de Sousa) 05. O trecho “Perguntou a menina de cachos”, juntamente com outros trechos, permite-nos ( ) identificar quantas meninas pulavam amarelinha. ( ) mostrar mudanças de locais dos acontecimentos. ( ) nomear o universo feminino. ( ) dar uma versão adolescente ao texto. 06. A última frase do texto indica que a história aconteceu ( ) no início da tarde. ( ) na tarde de ontem. ( ) pelo final da tarde. ( ) ao meio-dia. _________________________________________________________________________________ Texto IV Vitória-régia Uma noite, a lua chegou Redonda e amarela E atirou-se nas águas Para buscar a vitória-régia. Mas a planta estava presa ao lago! Então, a flor se abriu Branca e perfumada Pelo prazer da visita. (Teresa Cristina Cerqueira de Sousa) 07. No verso: “Então, a flor se abriu” a palavra destacada indica uma ação ( ) anterior ao fato de a lua chegar. ( ) posterior ao fato de a lua chegar. ( ) neste exato momento. ( ) que precisa da palavra visita para ter compreensão. 08. Leia: “Mas a planta estava presa ao lago!”. Uma palavra com sentido oposto a presa é ( ) encarcerada ( ) encerrada ( ) grudada ( ) livre _________________________________________________________________________________ Texto V A barata Olha a barata No descanso das horas Toda ligeira Sobe na pia Lambe a colher Prova do prato Come na panela He, he, he, he

Sempre com Mais vontade E entra e sai Da cozinha E faz flic, floc Na boca Então a mamãe Acende a luz E a barata Some na noite (Teresa Cristina Cerqueira de Sousa) 09. Considere os versos; “Come na panela/ He, he, he, he” e marque a alternativa CORRETA. ( A) O uso da onomatopéia funciona como o riso da barata. ( B) As repetições de he, he, he, he trazem a ideia do raspar na panela. ( C) Em: “Come na panela”, temos a comunicação com as baratas. (D) Os versos apontados são as falas da criança. 10. O poema “A barata” é composto por quatro estrofes. Em qual das estrofes há uma relação maior em relação à atitude de uma barata? ( ) 1ª estrofe ( ) 2ª estrofe ( ) 3ª estrofe ( ) 4ª estrofe

Professora Teresa Cristina Cerqueira de Sousa Formada em Letras – Português pela UESPI -2003

You're Reading a Free Preview

Descarregar
scribd
/*********** DO NOT ALTER ANYTHING BELOW THIS LINE ! ************/ var s_code=s.t();if(s_code)document.write(s_code)//-->