P. 1
ESTUDO DA CÉLULA

ESTUDO DA CÉLULA

|Views: 48|Likes:
Publicado porEduardo Ruis

More info:

Published by: Eduardo Ruis on Jan 05, 2012
Direitos Autorais:Attribution Non-commercial

Availability:

Read on Scribd mobile: iPhone, iPad and Android.
download as DOC, PDF, TXT or read online from Scribd
See more
See less

01/05/2012

pdf

text

original

ESTUDO DA CÉLULA

Introdução A célula é a unidade microscópica que constitui os seres vivos, e em geral definida como a menor porção da matéria viva dotada de autoduplicação independete. Alguns seres são constituídos por apenas uma célula, são os seres unicelulares; outros são formados por várias ou muitas células, são os seres pluricelulares e neste caso são constituídos por tecidos. A maior parte dos seres vivos são organizados por células típicas formadas por membrana plasmática, citoplasma e núcleo, sendo este envolvido pela membrana nuclear. Estes organismos são os eucariontes. Os organismos procariontes não apresentam núcleo envolvido por membrana, contêm o que chamamos de nucleóide e compreendem as bactérias, cianofíceas, as riquétsias e os micoplasmas (atualmente, estes três tipos de organismos são considerados bactérias). Os eucariontes compreendem as plantas (inclusive os fungos) e os animais típicos. Existem organismos eucariontes, principalmente os unicelulares, geralmente representados pelos protozoários e algas unicelulares, que não são animais ou vegetais típicos, e muitas vezes, apresentam características de ambos. Estes são enquadrados como protistas. Como se percebe, além dos seres animais e vegetais típicos, existem outros com características diferentes. Assim, para facilitar a compreensão, em 1969, R. H. Whittaker sugeriu a criação de um sistema com cinco reinos para enquadrar todos os organismos formados por células: Moneras (Procariontes ou Procariotos), Protistas, Fungos, Plantas e Animais. As moneras compreendem os procariontes: bactérias, micoplasmas, riquétsias e cianobactérias, estes outros também são tipos de bactérias. Os protistas, como já vimos, são eucariontes unicelulares ou pluricelulares, mas com organização inferior. Abrangem as algas unicelulares, como as pirrófitas (dinoflagelados), as crisófitas (diatomáceas) e as euglenófitas (euglenas) e as pluricelulares. Incluem-se também os protozoários. Neste reino estão muitos outros organismos, porém de difícil classificação.
Os fungos (cogumelos) estão em um reino próprio, pois apresentam características próprias e diferem muito de vegetais e animais. Não formam tecidos verdadeiros, são heterótrofos, não possuem celulose, armazenam glicogênio no lugar do amido, apresentam digestão externa, entre outras características. São eucariontes unicelulares e pluricelulares.

o ovócito possui de 100 à 200 µm de diâmetro.1 µm de diâmetro. As fibras musculares estriadas esqueléticas e os neurônios podem ter vários centímetros de comprimento. há indícios de que derivem de bactérias que foram fagocitadas e não digeridas que permaneceram como simbiontes nas células eucariontes hospedeiras originando um metabolismo mutuamente benéfico e que com o passar do tempo tornou-se irreversível. Por exemplo. Origem da Célula Eucarionte É bastante provável que as células eucariontes (ou eucarióticas). Quanto aos cloroplastos e mitocôndrias. O processo deve ter ocorrido através de invaginações da membrana plasmática. De modo geral. Os Vírus não estão incluídos em nenhum dos cinco reinos. Todos são eucariontes. que são as menores células possuem 0. aumentando com isso a eficiência do metabolismo celular. Forma das Células . seu tamanho médio varia entre 10 e 50 µm. No homem. São parasitas obrigatórios das células. com composição enzimática específicas e apresentando funções variadas. as células são microscópicas. são cristalizáveis e comportam-se como se fossem um mineral.O reino animal abrange todos os animais invertebrados e vertebrados.Entre as plantas estão os vegetais intermediários (briófitas e pteridófitas) e os vegetais superiores (gymnospermas e angiospermas).2 a 0. A invaginação da membrana foi de extrema importância para a evolução das células eucarióticas. que são formados por vesículas ou por sistemas tubulares. Quando estão fora das células não possuem comportamento de seres vivos. caracterizadas pelo seu elaborado sistema de membranas. as células das algas Nitella. Apresentam uma organização e um comportamento peculiar. As bactérias possuem em média 3 µm e os micoplasmas. Só se reproduzem no interior destas e não por divisão dos pré-existentes mas por montagem de componentes virais sintetizados pela célula hospedeira. o retículo endoplasmático e outros. certas células nervosas podem ter apenas 6 µm de diâmetro e as hemácias 7 µm. Porém. pois não são formados por células. Chara e Acetabularia que costumam ter vários centímetros de comprimento. Tamanho das Células Na sua grande maioria. as células vegetais costumam ser maiores que as células animais. devido a mutações ocorridas nos simbiontes. tenham surgido através de um processo de evolução contínua de células procariontes (ou procariotas). como os lisossomos. pois deu origem a inúmeros compartimentos intracelulares. Como exemplos de células macroscópicas citamos a gema do ovo. o aparelho de Golgi.

Estas células realizam uma função específica para a qual foram ou são produzidas. A célula corresponde a unidade morfofisiológica dos seres vivos. Desde bactérias. glúcides. Ao passo que a matéria não viva ou bruta é formada por apenas duas ou três substâncias diferentes. Propriedades dos Seres Vivos a) Organização celular – A vida se organiza em células. mas não são considerados seres vivos típicos. formando tecidos altamente especializados. células discóides como as hemácias de mamíferos. também são células diferenciadas. Mesmo no indivíduo adulto existem células indiferenciadas capazes de se reproduzirem em outras células diferentes com funções determinadas. fungos. c) Estado físico – Para que exista vida é necessário que a matéria orgânica do protoplasma esteja dissolvida em água. sais. vegetais e animais. células estreladas ou ramificadas como os neurônios. células fusiformes como as fibras ou células musculares ou isodiamétricas como as da tiróide. as que se transformam nos espermatozóides ou as que se transformam nas células ósseas são células indiferenciadas. ácidos nucleicos. células prismáticas ou colunares forrando o estômago e outros órgãos. que no protoplasma são . Nisto consiste a diferenciação celular. Os vírus são os únicos seres viventes na Terra sem organização celular. lípides. como as fibras musculares estriadas ou os neurônios são células diferenciadas. b) Composição química – A matéria viva apresenta uma composição química complexa. células esféricas como os ovócitos e os glóbulos brancos do sangue. As células resultantes dessa diferenciação. algas. As hemácias. Diferenciação Celular Todo organismo começa com uma só célula. a célula ovo. etc. Todos os seres vivos são formados por células. As células que se transformam nas células sangüíneas. formando soluções coloidais. Em uma mesma célula existem dezenas de diferentes aminoácidos. constituindo um conjunto de células com funções específicas. Existem células achatadas ou pavimentosas revestindo os vasos sangüíneos e outras partes do corpo. proteínas. todos são formados por células. hormônios. etc. protozoários. Estas soluções apresentam partículas chamadas micelas. vitaminas. que é capaz de se reproduzir em outras diferentes dela.A forma das células é bastante variada e geralmente relacionada com sua função. certas células conjuntivas ou epiteliais. pigmentos. constituída por dezenas de elementos químicos que se combinam em milhares de substâncias diferentes.

os aminoácidos e os glúcides) teriam-se formado a partir dos gases metano (CH4). que se condensaram e se dissolveram nos oceanos primitivos. Ocorrem também mutações em certos indivíduos. Ajustes homeostáticos os adaptam ao meio em que vivem. A Origem da Vida em Nível Molecular Na década de 1920. sempre há o processo de reprodução na origem de qualquer organismo. que são combustíveis.essencialmente as proteínas e apresentam movimento contínuo. contendo um circuito elétrico e uma mistura de . ácidos graxos. I. d) Metabolismo – Para a realização de suas atividades biológicas. Segundo Oparim. independentemente e concomitantemente. os compostos orgânicos constituintes da matéria viva (por exemplo. as águas oceânicas foram gradualmente se enriquecendo dessa variedade de compostos orgânicos. por ação da energia radiante solar (raios ultravioleta) e das descargas elétricas atmosféricas (relâmpagos). Dessa forma. Admitiam que essas substâncias eram componentes da atmosfera primitiva da Terra e. Assim. enquanto novas espécies vão surgindo. as células primitivas. Oparim e o biólogo inglês J. Toda vez que o estado coloidal se desfaz. Os seres não vivos não apresentam metabolismo. enquanto que a desassimilação dessa matéria para obtenção de energia chama-se catabolismo. Em 1953. S. a célula morre. g) Adaptação ao Meio – Normalmente. publicado em 1936. Miller realizou uma experiência na qual aminoácidos. o bioquímico russo A. muito mais rudimentares que os procariontes conhecidos. eles consomem alimentos. Construiu um aparelho de vidro fechado. constituindo uma “sopa orgânica”. reagiram entre si formando compostos orgânicos. S. formularam uma teoria segundo a qual. amônia (NH3). Denominamos metabolismo ao conjunto desses dois processos. bases nitrogenadas e outros compostos orgânicos eram produzidos nas condições da Terra primitiva. tornandoos mais aptos à seleção natural e com isso vão se modificando com o passar das gerações. surgiram a partir dessa “sopa” aquecida. dá-se o nome de anabolismo. espécies vão desaparecendo. B. Para tanto. Haldane. hidrogênio (H2) e vapor d’água (H2O). f) Reprodução – Como todo ser vivo provém de outro pré-existente. e) Crescimento – Através da multiplicação das células se dá o crescimento dos organismos. dos quais retiram a energia necessária. os seres vivos gastam energia. A incorporação da matéria na célula. todos os organismos apresentam uma certa tolerância em relação ao ambiente em que vivem. Este crescimento é condicionado geneticamente a cada espécie. em seu livro “A Origem da Vida”.

os gases. essas moléculas proteicas e outras substâncias orgânicas se combinariam e se recombinariam nos mares primitivos milhões de vezes. formou-se um depósito vermelho escuro. as proteínas formam colóides e o aparecimento de coacervados. Em 1957. O aparelho permitia a circulação do vapor d’água. Após uma semana de funcionamento do aparelho com os gases circulando. hidrogênio e vapor d’água. Com o tempo. as supostas condições da atmosfera primitiva estavam ali reproduzidas. inclusive aminoácidos. Dissolvidas em água. que através dos rearranjos e mutações. Sidney Fox submeteu uma mistura dos aminoácidos secos a aquecimento prolongado e demonstrou que eles reagiram entre si. as condensações e as descargas elétricas.metano. provavelmente apareceram enzimas catalisadoras para controlar as reações químicas e as nucleoproteínas com capacidade de autoduplicação. Moléculas de proteínas e lípides se organizaram em torno dessas pequenas estruturas e assim estavam organizadas as primeiras células primitivas. Segundo a hipótese de Oparim. e as proteínas se multiplicariam quantitativamente e qualitativamente. . amônia. rico em compostos orgânicos. evoluíram para as células atuais. Havendo no aparelho o calor. que sofria resfriamento e se condensava como na formação de chuvas. formando pequenas cadeias proteicas.

You're Reading a Free Preview

Descarregar
scribd
/*********** DO NOT ALTER ANYTHING BELOW THIS LINE ! ************/ var s_code=s.t();if(s_code)document.write(s_code)//-->