Você está na página 1de 48

Física

Autor: Profº. Ronaldo Conceição da Silva

Aula 01 - Conceitos De Cinemática

A Finalidade da Física

A Física é uma das ciências mais antigas e é

responsável pelo alto nível de desenvolvimento científico alcançado pela humanidade.

Ela explica como o mundo que nos rodeia se

congrega e se transforma. Explica, por exemplo, por que a água se congela e como o Sol produz a luz.

O vocábulo física provém do grego physiké,

que quer dizer “natureza”. Portanto, no sentido amplo,

a Física deveria ocupar-se de todos os fenômenos naturais.

Atualmente, porém, o estudo da natureza é feito por diversos campos de pesquisa nos quais entram a Química, a Geologia, a Biologia, etc. Essa repartição do estudo dos fenômenos naturais em mais ramos deve-se à contínua expansão

de nosso conhecimento.

Com a ajuda da Física, podemos utilizar algumas formas de energia e fazê-las trabalhar para nós:

*energia elétrica: enceradeira, geladeira, computador, ferro elétrico, etc. *energia mecânica: pontes, naves espaciais, rodovias, prédios, etc. *energia sonora: rádio, disco, telefone, ultrassom, instrumentos musicais, etc. *energia luminosa: máquina fotográfica, telescópio, raio laser, análise de materiais, etc. *energia calorífica: máquinas a vapor, câmaras frigoríficas, motores de automóveis, etc. *energia nuclear: energia elétrica, bomba atômica, etc.

Conceitos Iniciais de Cinemática

Repouso, Movimento e Referencial

Um corpo está em repouso quando a distância entre este corpo e o referencial não variam com o tempo.

Um corpo está em movimento quando a distância entre este corpo e o referencial varia com o tempo.

Trajetória
Trajetória

Trajetória é a linha determinada pelas diversas posições que um corpo ocupa no decorrer do tempo.

Posição Escalar

Posição escalar de um corpo é a medida da distância do corpo até a origem das posições, acompanhada de um sinal positivo ou negativo.

posições, acompanhada de um sinal positivo ou negativo. Deslocamento e Espaço Percorrido Um corpo em movimento

Deslocamento e Espaço Percorrido

Um corpo em movimento sofre uma variação

de posição em relação a um determinado referencial.

A Distância Percorrida por um corpo ao longo do seu movimento é a medida da linha de trajetória do corpo. É como "esticar" a linha de trajetória do corpo e medir essa mesma linha. A medida obtida corresponde

ao valor da Distância Percorrida pelo corpo.

corresponde ao valor da Distância Percorrida pelo corpo. Já o deslocamento de um corpo é determinado

Já o deslocamento de um corpo é determinado medindo

em linha reta a diferença entre o ponto de partida e o ponto de chegada. Observe que os valores encontrados são diferentes; portanto, deslocamento e distância

percorrida são conceitos físicos diferentes. Entretanto,

a distância percorrida e o deslocamento podem ser iguais numa trajetória retilínea.

Exercícios

01. (IFSC/2012) Hoje sabemos que a Terra gira ao redor do Sol (sistema heliocêntrico), assim como todos os demais planetas do nosso sistema solar. Mas na Antiguidade, o homem acreditava ser o centro do Universo, tanto que considerava a Terra como centro do sistema planetário (sistema geocêntrico). Tal

consideração estava baseada nas observações cotidianas, pois as pessoas observavam o Sol girando em torno da Terra.

É CORRETO afirmar que o homem da Antiguidade concluiu que o Sol girava em torno da Terra devido ao fato que:

a)

considerou o Sol como seu sistema de referência.

 

b)

considerou a Terra como seu sistema de referência.

c)

esqueceu de adotar um sistema de referência.

 

d)

considerou a Lua como seu sistema de referência.

e)

considerou

as

estrelas

como

seu

sistema

de

referência.

02. (UNIMONTES/2011) Dois aviões do grupo de

acrobacias (Esquadrilha da Fumaça) são capazes de realizar manobras diversas e deixam para trás um rastro de fumaça. Nessas condições, para que os aviões descrevam duas semirretas paralelas verticais (perpendiculares ao solo, considerado plano), de tal

sorte que o desenho fique do mesmo tamanho, os pilotos controlam os aviões para que tenham velocidades constantes e de mesmo módulo.

Considerando o mesmo sentido para o movimento dos aviões durante essa acrobacia, pode-se afirmar corretamente que

a) os aviões não se movimentam em relação ao solo.

b) os aviões estão parados, um em relação ao outro.

c) um observador parado em relação ao solo está

Ao saltar de um avião a 4 km de altura, um paraquedista tem, no início, a mesma sensação de frio na barriga que você sente quando desce a primeira rampa de uma montanha-russa. Essa impressão se deve à atração gravitacional, que imprime uma aceleração uniforme ao corpo do paraquedista. Mas, ao contrário do que se imagina, no salto, o frio na barriga acaba antes que o paraquedas seja aberto. É que, em um determinado instante, a força de atração gravitacional é contrabalançada pela força de resistência do ar, e o corpo adquire uma velocidade constante de, aproximadamente, 200 km/h. A partir desse momento, o paraquedista não tem mais sensação de queda, mas, sim, de flutuação. No entanto, para chegar ao solo com segurança, é preciso reduzir ainda mais a velocidade. Ao abrir o velame, a resistência ao ar fica maior e a velocidade cai para cerca de 20 km/h. Toda essa emoção da queda livre e da flutuação não é privilégio de quem pratica o paraquedismo como esporte. Esta é também uma especialidade dos profissionais militares de carreira. Os paraquedistas do Exército, da Marinha e da Aeronáutica são oficiais que passam por quatro anos de formação para depois receber treinamento nessa especialização, que será empregada em situações de combate e resgate.

(Adaptado de: ALVARENGA, Beatriz; MÁXIMO, Antônio. Física. São Paulo: Scipione. 2004. p. 33. Imagem disponível em: www.fotosearch.com.br. Acesso em: 04 jul. 2010).

Formulário de Física

acelerado em relação aos aviões.

d)

2 m v d v t F m a E C 2 1 2 d
2
m
v
d
v
t
F
m
a
E
C
2
1
2
d
v
t
a
t
P
m
g
0
2
1
2
v
v
a
t
T
F
d sen
θ
E
kx
0
PE
2
2
2
v
v
2
a
d
E
m
g
h
0
PG
Δ
v
1m / s
3,6km / h
a
Δ
t
04.
(IFSC/2011) Se a velocidade com que desce o
paraquedista após abrir o paraquedas, de 20 km/h,
fosse expressa em m/s, teríamos
a) 1,15 m/s.

um avião está acelerado em relação ao outro.

03.

segundo a trajetória da figura abaixo.

(IFCE/2011) Uma partícula se move de A para B

Sabendo-se que cada divisão da trajetória corresponde a 1 m, o deslocamento resultante da partícula foi de

a)

b)

c) 7 m.

d) 5 m.

e) 4 m.

43 m.

10 m.

TEXTO PARA A PRÓXIMA QUESTÃO:

Paraquedista

m. 43 m. 10 m. TEXTO PARA A PRÓXIMA QUESTÃO: Paraquedista b) 4,32 m/s. c) 3,24

b) 4,32 m/s.

c) 3,24 m/s.

d)

e)

4,89 m/s.

5,55 m/s.

05. (UERJ/2011) No interior de um avião que se

desloca horizontalmente em relação ao solo, com velocidade constante de módulo 1000 km/h, um passageiro deixa cair um copo. Observe a ilustração abaixo, na qual estão indicados quatro pontos no piso do corredor do avião e a posição desse passageiro. O copo, ao cair, atinge o piso do avião próximo ao ponto indicado pela seguinte letra:

e a posição desse passageiro. O copo, ao cair, atinge o piso do avião próximo ao

a) P

b) Q

c) R

d) S

06. (UNIRIO/2008) Numa viagem interestadual, um

motorista de ônibus registrou os seguintes tempos:

Da parada A à parada B 1,53h Da parada B à parada C 2,7h

Da parada C à parada D 0,856h Da parada D à parada E 2,00h Quanto tempo levou para dirigir da parada A à parada E?

a) 7h

b) 7,1h

c) 7,07h

d) 7,08h

e)

7,075h

07. (UFGD/2010) Um espetáculo de um determinado

cantor

23h43min30s. Qual é a duração desse evento?

a) 5h57min50s

b) 6h3min10s

c) 6h2min10s

d) 6h

às

inicia-se

às

17h45min40s

e

termina

Encontramos um exemplo simples nas estradas, onde um automóvel pode percorrer alguns quilômetros com velocidade escalar constante. Chamamos atenção para uma propriedade importante e muito simples:

No movimento uniforme, a velocidade escalar média é igual à velocidade escalar instantânea, pois esta é constante. A equação do movimento uniforme é:

S = S 0 + V t

onde:

S: espaço final S 0 : espaço inicial t: instante final No movimento uniforme a equação horária é uma função do 1 o grau.

Exercícios

01. (UFPR/2012) Num teste de esforço físico, o movimento de um indivíduo caminhando em uma esteira foi registrado por um computador. A partir dos dados coletados, foi gerado o gráfico da distância percorrida, em metros, em função do tempo, em minutos, mostrado abaixo:

e) 5h45min4s Aula 02 - Velocidade Média E Movimento Uniforme Vamos supor que o percurso
e) 5h45min4s
Aula
02
-
Velocidade Média
E
Movimento
Uniforme
Vamos supor que o percurso AB seja de 200
km e que o intervalo de tempo para percorrê-lo tenha
sido de 2 h. Suponhamos, também, que durante a
viagem tenha havido trechos de alta e de baixa
velocidade. A velocidade escalar média se calcula
assim:
Vm = d / Δt
Vm = 200km/2h pode corresponder a Vm=100
km/h. Desta forma, se esse móvel tivesse percorrido
cada um dos trechos de 100 km em 1 h, teria feito todo
o percurso de 200 km nas mesmas 2h.
De acordo com esse gráfico, considere as seguintes
afirmativas:
1. A velocidade média nos primeiros 4 minutos foi de 6
km/h.
2. Durante o teste, a esteira permaneceu parada durante

Suponhamos que um carro percorra o mesmo trecho AB anterior, de 200 Km, com uma velocidade escalar constante de 100 Km/h. Ao final de 2 h, terá percorrido todo o trecho AB. Podemos então concluir o seguinte:

A velocidade escalar média corresponde a uma velocidade a ser mantida constante pelo móvel, durante todo o trajeto AB, para que ele o percorra no mesmo intervalo de tempo Δt.

Movimento uniforme

Quando uma partícula percorre um trecho da trajetória com velocidade escalar constante, dizemos que seu movimento, nesse trecho, foi uniforme.

2 minutos.

3. Durante o teste, a distância total percorrida foi de

1200 m.

Assinale a alternativa correta.

a) Somente as afirmativas 1 e 3 são verdadeiras.

b) Somente as afirmativas 2 e 3 são verdadeiras.

c) Somente as afirmativas 1 e 2 são verdadeiras.

d) Somente a afirmativa 3 é verdadeira.

e) As afirmativas 1, 2 e 3 são verdadeiras.

02. (CPS/2012) Em uma determinada cidade, a malha metroviária foi concebida de modo que a distância entre duas estações consecutivas seja de 2,4 km. Em toda a sua extensão, a malha tem 16 estações, e o

tempo necessário para ir-se da primeira à última estação é de 30 minutos.

ir-se da primeira à última estação é de 30 minutos. Nessa malha metroviária, a velocidade média

Nessa malha metroviária, a velocidade média de um

trem que se movimenta da primeira até a última estação

é, em km/h, de

a) 72.

b) 68.

c) 64.

d) 60.

e) 56.

03. (IFSP/2012)

dois veículos, A e B, mantêm velocidades constantes

Em um trecho retilíneo de estrada,

VA 14 m/s e VB 54 km/h .
VA
14 m/s
e VB
54 km/h .

Sobre os movimentos desses veículos, pode-se afirmar que

João sai da cidade A às 7h e passa pelo ponto 1 às 9h. Se mantiver a velocidade constante em todo o trajeto, a que horas chegará a B?

a) 13 h

b) 14 h

c) 16 h

d) 18 h

e) 20 h

TEXTO PARA A PRÓXIMA QUESTÃO:

O Quadro que segue mostra a idade(t) e a altura(h) de

uma árvore.

t (anos)

m (metros)

0

0

10

2

30

10,9

50

20,3

70

26,3

90

30,5

05. (FEEVALE/2012) Sobre a velocidade de

crescimento da árvore, é correto afirmar que:

a) inicialmente é grande e em seguida vai diminuindo

gradualmente. b) inicialmente é grande, diminui e em seguida aumenta novamente.

c) começa baixa, aumenta e em seguida diminui.

d) começa baixa, diminui mais ainda e no final é

a)

ambos apresentam a mesma velocidade escalar.

grande.

b)

mantidas essas velocidades, A não conseguirá

e)

é pequena no começo, diminui para quase zero e no

ultrapassar B.

final aumenta.

c) A está mais rápido do que B.

d) a cada segundo que passa, A fica dois metros mais

distante de B.

e) depois de 40 s A terá ultrapassado B.

04. (FEEVALE/2012) Na região Amazônica, os rios

são muito utilizados para transporte. Considere que João se encontra na cidade A e pretende se deslocar até

a cidade B de canoa. Conforme indica a figura, João

deve passar pelos pontos intermediários 1, 2 e 3. Considere as distâncias (D) mostradas no
deve passar pelos pontos intermediários 1, 2 e 3.
Considere as distâncias (D) mostradas no quadro que
segue.
Trechos
D (km)
A até 1
2
1 até 2
4
2 até 3
4
3 até B
3

06. (IFSP/2011) Um trem se locomove de uma estação

a outra durante 5 minutos e, após chegar a ela, o

maquinista abre as portas e espera 30 segundos para que todas as pessoas possam entrar e sair. A partir daí, fecha as portas e movimenta o trem para a próxima estação. Considerando que o trem realize um percurso total de 28 km desenvolvendo uma velocidade média de 60 km/h, pode-se estimar que o número de paradas (estações), contando desde a primeira até a última estação é de

Observação: Despreze o intervalo de tempo durante a abertura e o fechamento das portas.

a) 4.

b) 5.

c) 6.

d) 8.

e) 10.

07. (MACKENZIE/2010) Uma partícula descreve um

movimento uniforme cuja função horária é

s = - 2 + 5 t , para s em metros e t em segundo. Nesse caso, podemos afirmar que a velocidade escalar da partícula é:

a) -2m/s e o movimento é retrógrado.

b) -2m/s e o movimento é progressivo.

c) 5m/s e o movimento é progressivo.

d) 5m/s e o movimento é retrogrado.

e) -2,5m/s e o movimento é retrógrado.

08. (VUNESP/2011) …O Sol dista da Terra oito minutos-luz. Isso significa que, quando olhamos o Sol, não o vemos “diretamente”. Nós o vemos como era oito minutos antes, no instante em que a luz que chega aos nossos olhos partiu de sua superfície. Enquanto o observamos, ele poderia até mesmo não existir mais: poderia, por exemplo, ter explodido. Se isso acontecesse (e esperemos que não), nós apenas o saberíamos oito minutos depois… (Ugo Amaldi, Imagens da Física)

A luz atravessa o vácuo com velocidade constante de módulo 3,0 . 10 5 km/s, o que lhe confere uma grande distância percorrida a cada segundo de seu movimento,

coerente com as distâncias astronômicas. Sabendo isso, pode-se concluir que a distância que separa nosso planeta do Sol, em metros, possui uma ordem de grandeza igual a

a) 10

b) 10

c) 1 10

d)10 11

e)10 12

8

9

09. (UFGD/2012) De duas cidades A e B, separadas

por 300 km, partem dois carros no mesmo instante e na mesma direção, porém em sentidos opostos, conforme

a figura a seguir. Os dois carros estão em movimento

retilíneo uniforme. O carro da cidade A parte com velocidade inicial de 20 m/s; o carro da cidade B, 30 m/s. A distância da cidade A, quando os dois carros se cruzam, é?

distância da cidade A, quando os dois carros se cruzam, é? a) 100 km 120 km

a) 100 km

120 km

150 km

180 km

e) 200 km

d)

c)

b)

Aula 03 - Movimento Uniformemente Variado

Quando um movimento apresenta variação da sua velocidade, ao longo do tempo, o movimento é um movimento variado - apresenta aceleração. Os movimentos acelerados apresentam um aumento da velocidade e os retardados uma diminuição da velocidade. A aceleração é uma grandeza que indica como

velocidade de um corpo varia ao longo do tempo. A aceleração média, , é igual a:

a

ao longo do tempo. A aceleração média, , é igual a: a em que é a
ao longo do tempo. A aceleração média, , é igual a: a em que é a
ao longo do tempo. A aceleração média, , é igual a: a em que é a

em que é a variação da velocidade em um intervalo de tempo Δt. No processo de decolagem, um avião pode realizar, com boa aproximação, um movimento uniformemente variado (acelerado). Conhecendo-se a

velocidade v que o avião precisa atingir para decolar e sua aceleração escalar, seremos capazes de calcular o comprimento necessário da pista (Δs) e o intervalo de tempo de duração da decolagem (t).

(Δs) e o intervalo de tempo de duração da decolagem (t). Durante a frenagem, um automóvel

Durante a frenagem, um automóvel pode realizar um movimento uniformemente variado (retardado). Conhecendo-se sua velocidade inicial V 0 e sua aceleração de retardamento, seremos capazes de calcular o comprimento necessário de percurso (Δs) e o intervalo de tempo de duração da frenagem (t).

(Δs) e o intervalo de tempo de duração da frenagem (t). Função Horária do espaço S

Função Horária do espaço

S = S 0 + V 0

t + α/2 t 2

Onde:

S = espaço final atingido S o = espaço inicial

V o = velocidade inicial do movimento α = aceleração do movimento

t = tempo do movimento

Neste tipo de movimento, temos a variação da velocidade. A cada momento o corpo desenvolve certo valor de velocidade. Podemos calcular a velocidade final atingida por um móvel, depois de transcorrido certo intervalo de tempo, da seguinte forma:

Onde:

certo intervalo de tempo, da seguinte forma: Onde: V = velocidade final atingida V o =

V

= velocidade final atingida

V

o = velocidade inicial do movimento

a

= aceleração do movimento

t

= tempo do movimento

E ainda pela equação de Torricelli

do movimento a = aceleração do movimento t = tempo do movimento E ainda pela equação

Onde:

V

f = velocidade final atingida

V

o = velocidade inicial do movimento

a

= aceleração do movimento

ΔS = deslocamento do móvel

Exercícios

01. (UESPI/2012) Uma propaganda de um automóvel informa que, numa reta, ele vai de zero a 100 km/h em 10 segundos. Qual deve ser a sua aceleração, supondo que ela seja constante?

a) 36000 km/h 2

b) 64000 km/h 2

c) 100000 km/h 2

d) 146000 km/h 2

e) 164000 km/h 2

02. (UEL/2011) No circuito automobilístico de Spa Francorchamps, na Bélgica, um carro de Fórmula 1 sai

da curva Raidillion e, depois de uma longa reta, chega

à curva Les Combes.

A telemetria da velocidade versus tempo do carro foi
A telemetria da velocidade versus tempo do carro foi

registrada e é apresentada no gráfico a seguir.

carro foi registrada e é apresentada no gráfico a seguir. Qual das alternativas a seguir contém
Qual das alternativas a seguir contém o gráfico que melhor representa a aceleração do carro
Qual das alternativas a seguir contém o gráfico que
melhor representa a aceleração do carro de F-1 em
função deste mesmo intervalo de tempo?
a)

b)

c)

d)

em função deste mesmo intervalo de tempo? a) b) c) d) f) 03. (IFSP/2011) Numa determinada
em função deste mesmo intervalo de tempo? a) b) c) d) f) 03. (IFSP/2011) Numa determinada
em função deste mesmo intervalo de tempo? a) b) c) d) f) 03. (IFSP/2011) Numa determinada

f)

em função deste mesmo intervalo de tempo? a) b) c) d) f) 03. (IFSP/2011) Numa determinada
em função deste mesmo intervalo de tempo? a) b) c) d) f) 03. (IFSP/2011) Numa determinada

03. (IFSP/2011) Numa determinada avenida onde a velocidade máxima permitida é de 60 km/h, um motorista dirigindo a 54 km/h vê que o semáforo, distante a 63 metros, fica amarelo e decide não parar. Sabendo-se que o sinal amarelo permanece aceso durante 3 segundos aproximadamente, esse motorista, se não quiser passar no sinal vermelho, deverá imprimir ao veículo uma aceleração mínima de m/s 2 .

multado, pois

O resultado é que esse motorista a velocidade máxima.

Assinale a alternativa que preenche as lacunas, correta e respectivamente.

a) 1,4 não será não ultrapassará.

b) 4,0 não será não ultrapassará.

c) 10 não será não ultrapassará.

d) 4,0 será ultrapassará.

e) 10 será ultrapassará.

04.

(UFRJ/2011) Um avião vai decolar em uma pista

retilínea. Ele inicia seu movimento na cabeceira da pista com velocidade nula e corre por ela com aceleração média de 2,0 m/s 2 até o instante em que levanta voo, com uma velocidade de 80 m/s, antes de terminar a pista.

d)

e)

a)

Calcule quanto tempo o avião permanece na pista

a) Calcule quanto tempo o avião permanece na pista desde o início do movimento até o
a) Calcule quanto tempo o avião permanece na pista desde o início do movimento até o

desde o início do movimento até o instante em que levanta voo.

TEXTO PARA A PRÓXIMA QUESTÃO:

Adote os conceitos da Mecânica Newtoniana e as seguintes convenções:

O

valor da aceleração da gravidade: g = 10 m/s 2 .

O

valor π = 3.

A

resistência do ar pode ser desconsiderada.

b) Determine o menor comprimento possível dessa pista.

06. (UFPB/2011) Um ciclista observa que, após pedalar por uma hora, sua velocidade média foi de 20 km/h.

Considerando que, após pedalar por mais uma hora, a sua velocidade média em todo o percurso foi de 22 km/h, é correto afirmar que uma representação possível do movimento do ciclista no último trecho está no

gráfico:

movimento do ciclista no último trecho está no gráfico: 05. (UFSM/2011) Um carro se desloca com
movimento do ciclista no último trecho está no gráfico: 05. (UFSM/2011) Um carro se desloca com
movimento do ciclista no último trecho está no gráfico: 05. (UFSM/2011) Um carro se desloca com
movimento do ciclista no último trecho está no gráfico: 05. (UFSM/2011) Um carro se desloca com
movimento do ciclista no último trecho está no gráfico: 05. (UFSM/2011) Um carro se desloca com
movimento do ciclista no último trecho está no gráfico: 05. (UFSM/2011) Um carro se desloca com
movimento do ciclista no último trecho está no gráfico: 05. (UFSM/2011) Um carro se desloca com
movimento do ciclista no último trecho está no gráfico: 05. (UFSM/2011) Um carro se desloca com
movimento do ciclista no último trecho está no gráfico: 05. (UFSM/2011) Um carro se desloca com
movimento do ciclista no último trecho está no gráfico: 05. (UFSM/2011) Um carro se desloca com

05. (UFSM/2011) Um carro se desloca com velocidade

constante num referencial fixo no solo. O motorista percebe que o sinal está vermelho e faz o carro parar. O tempo de reação do motorista é de frações de segundo.

Tempo de reação é o tempo decorrido entre o instante em que o motorista vê o sinal vermelho e o instante em que ele aplica os freios. Está associado ao tempo que o cérebro leva para processar as informações e ao tempo que levam os impulsos nervosos para percorrer as células nervosas que conectam o cérebro aos membros do corpo. Considere que o carro adquire uma aceleração negativa constante até parar. O gráfico que pode representar o módulo da velocidade do carro (v) em função do tempo (t), desde o instante em que o motorista percebe que o sinal está vermelho até o instante em que o carro atinge o repouso, é

a)

que o motorista percebe que o sinal está vermelho até o instante em que o carro

b)

a)

que o motorista percebe que o sinal está vermelho até o instante em que o carro
que o motorista percebe que o sinal está vermelho até o instante em que o carro

c)

que o motorista percebe que o sinal está vermelho até o instante em que o carro

b)

c)

d)

e)

d) e) 07. (UERJ/2010) "Observo uma pedra que cai de uma certa altura a partir do
d) e) 07. (UERJ/2010) "Observo uma pedra que cai de uma certa altura a partir do

07. (UERJ/2010) "Observo uma pedra que cai de uma

certa altura a partir do repouso e que adquire, pouco a pouco, novos acréscimos de velocidade ( ) Concebemos no espírito que um movimento é uniforme e, do mesmo modo, continuamente acelerado, quando, em tempos iguais quaisquer, adquire aumentos iguais

de

O grau de velocidade adquirido na

segunda parte de tempo será o dobro do grau de velocidade adquirido na primeira parte." (GALILEI, Galileu. "Duas Novas Ciências". São Paulo: Nova Stella Editorial e Ched Editorial, s.d.)

velocidade (

)

A grandeza

linearmente com o tempo são, respectivamente:

a) aceleração e velocidade

b) velocidade e aceleração

c) força e aceleração

d) aceleração e força

física

que

é

constante

e

a

que

varia

Aula 04 - Vetores

Na Física, são chamadas grandezas escalares aquelas que somente a informação de sua intensidade (seu valor) é suficiente para fornecermos uma informação. Por exemplo: quando falamos que a duração de uma aula é 45 minutos, temos a total compreensão do que queremos conhecer. A massa, temperatura, área, volume, potência, energia, corrente elétrica, tensão elétrica são também exemplos de grandezas escalares. Chamamos de grandezas vetoriais aquelas que além do valor da sua intensidade, devem ser informadas a direção e o sentido em que atuam. Por exemplo, quando dizemos que o carro move-se com velocidade de 20 m/s, temos noção de como ocorre o passar do espaço no tempo, mas não conhecemos a direção e o sentido que o movimento acontece.

Na Física, definimos 7 grandezas vetoriais:

- Deslocamento

- Impulso

- Velocidade

- Aceleração

- Quantidade de movimento

- Campo

- Força

Operação com vetores

Quando se tem dois vetores e deseja-se obter o vetor resultante da interação entre eles, aplica-se a Lei dos cossenos para efetuar o cálculo.

eles, aplica-se a Lei dos cossenos para efetuar o cálculo. (Vetor resultante) 2 = (V 1

(Vetor resultante) 2 = (V 1 ) 2 + (V 2 ) 2 2.(V 1 ).(V 2 ).cosα

Onde:

V

1 = vetor 1

V

2 = vetor 2

cosα = cosseno do ângulo formado entre os vetores

Lembre-se que este “vetor” indicado na relação matemática acima, refere-se à qualquer uma das sete grandezas vetoriais

Utilizando-se da Lei dos cossenos, calcule o valor da

força resultante num corpo, quando nele atuarem duas forças de valores 3 N e 4 N, ao serem adicionadas, sob

o ângulo de:

a) O°

b) 90°

c) 180°

Exercícios

01. (UEL/2004) Considere as seguintes grandezas

físicas

VELOCIDADE e TRABALHO.

Dentre elas, têm

mecânicas: TEMPO, MASSA, FORÇA,

caráter vetorial apenas

a) força e velocidade.

b) massa e força.

c) tempo e massa.

d) velocidade e trabalho.

e) tempo e trabalho.

02. (UNITAU-SP/2005) Uma grandeza vetorial fica

perfeitamente definida quando dela se conhecem:

a) valor numérico, desvio e unidade.

b)Valor numérico,desvio , unidade e direção.

c) Valor numérico, desvio, unidade e sentido.

d)Valor numérico, unidade, direção e sentido.

e) Desvio, direção, sentido e unidade.

03. (UDESC/2011) Considere as seguintes proposições sobre grandezas físicas escalares e vetoriais. I. A caracterização completa de uma grandeza escalar requer tão somente um número seguido de uma unidade de medida. Exemplos dessas grandezas são o peso e a massa.

II. O módulo, a direção e o sentido de uma grandeza caracterizam-na como vetor. III.Exemplos de grandezas vetoriais são a aceleração, o empuxo e a velocidade. IV.A única grandeza física que é escalar e vetorial ao mesmo tempo é a temperatura.

Assinale a alternativa correta.

a) Somente as afirmativas II e IV são verdadeiras.

b) Somente as afirmativas I e II são verdadeiras.

c) Somente as afirmativas I e III são verdadeiras.

d) Somente as afirmativas II e III são verdadeiras.

e) Somente as afirmativas III e IV são verdadeiras.

04. (OBJETIVO/2011) Duas forças concorrentes de módulos 8,0N e 6,0N admitem como resultante uma

força de módulo R. Das hipóteses que se seguem, a única impossível é

a) R < 14,0N

b) R > 2,0N

c) R > 14,0N

d) R = 14,0N

e) 2,0N ≤ R ≤ 14,0N

05. (PUC-RIO/2007) Os ponteiros de hora e minuto de

um relógio suíço têm, respectivamente, 1 cm e 2 cm. Supondo que cada ponteiro do relógio é um vetor que sai do centro do relógio e aponta na direção dos números na extremidade do relógio, determine o vetor resultante da soma dos dois vetores correspondentes aos ponteiros de hora e minuto quando o relógio marca 6 horas.

a) O vetor tem módulo 1 cm e aponta na direção do

número 12 do relógio.

b) O vetor tem módulo 2 cm e aponta na direção do

número 12 do relógio.

c) O vetor tem módulo 1 cm e aponta na direção do

número 6 do relógio.

d) O vetor tem módulo 2 cm e aponta na direção do

número 6 do relógio.

e) O vetor tem módulo 1,5 cm e aponta na direção do

número 6 do relógio.

06. (ITA/2007)

aponta na direção do número 6 do relógio. 06. (ITA/2007) A figura mostra uma pista de

A figura mostra uma pista de corrida A B C D E F, com seus trechos retilíneos e circulares percorridos por um atleta desde o ponto A, de onde parte do repouso, até a chegada em F, onde para. Os trechos BC, CD e DE são percorridos com a mesma velocidade de módulo constante.

Considere as seguintes afirmações:

I. O movimento do atleta é acelerado nos trechos AB, BC, DE e EF. II. O sentido da aceleração vetorial média do movimento do atleta é o mesmo nos trechos AB e EF. III. O sentido da aceleração vetorial média do movimento do atleta é para sudeste no trecho BC, e, para sudoeste, no DE. Então, está(ão) correta(s)

a) apenas a I.

b) apenas a I e ll.

c) apenas a I e III.

d) apenas a ll e III.

e) todas.

07. (UFPB/2007) Considere os vetores A, B e F, nos diagramas numerados de I a IV.

os vetores A, B e F, nos diagramas numerados de I a IV. Os diagramas que,

Os diagramas que, corretamente, representam a relação vetorial F = A - B são apenas:

a) I e III

b) II e IV

c) II e III

d) III e IV

e) I e IV

Aula 05 - Leis De Newton

A dinâmica é a parte da Mecânica que estuda os movimentos e as causas que os produzem ou os modificam.

Aristóteles, Galileu e Newton

Aristóteles (384-322 a.C.) elaborou uma teoria para explicar os movimentos dos corpos, que permaneceu até a idade Média e apenas no Renascimento começou a ser reavaliada. Um dos aspectos dessa teoria referia-se ao fato de que um corpo somente estaria em movimento se fosse continuamente impedido por uma força. Realizando experiências, Galileu Galilei (1564-1642) constatou que a tendência natural dos corpos, livre da ação de forças, é permanecer em repouso ou em movimento retilíneo uniforme. Sendo assim, pode haver movimento mesmo na ausência de forças.

 

Inércia é a tendência dos corpos em conservar

Princípio

da

ação-e-reação

(Terceira

Lei

de

sua

velocidade vetorial. Tudo que possui matéria tem inércia. A inércia

Newton)

é uma característica própria da matéria. E ainda: Para

que as tendências inerciais de um corpo sejam vencidas, é necessária a intervenção de força externa.

Princípio da Inércia (1ª Lei de Newton)

Vamos agora formalizá-lo por meio de dois enunciados equivalentes:

1º Enunciado: Se a força resultante sobre uma

partícula é nula, ela permanece em repouso ou em movimento retilíneo e uniforme, por inércia. 2º Enunciado: Um corpo livre de uma força externa resultante é incapaz de variar sua própria velocidade vetorial.

Princípio Fundamental da Dinâmica (Segunda Lei de Newton)

A 2ª lei de Newton diz que a Força é sempre

diretamente proporcional ao produto da aceleração de

um corpo pela sua massa, ou seja:

produto da aceleração de um corpo pela sua massa, ou seja: ou em módulo: F=ma Onde:

ou em módulo: F=ma

Onde:

F é a resultante de todas as forças que agem sobre o

corpo (em N);

m é a massa do corpo a qual as forças atuam (em kg); a é a aceleração adquirida (em m/s²).

Um Newton é a intensidade da força que, aplicada em uma partícula de massa igual a 1 quilograma, produz na sua direção e no seu sentido uma aceleração de módulo 1 metro por segundo, por exemplo.

Chamamos de força Peso a atração que a Terra exerce sobre um corpo de massa ‘m’. Assim:

Onde

a Terra exerc e sobre um corpo de massa ‘m’. Assim: Onde P = força peso

P

= força peso (Newton)

m

= massa do corpo (Kg)

g

= valor da aceleração da gravidade (m/s 2 ).

O

Peso de um corpo é a força com que a Terra

o

atrai, podendo ser váriável, quando a gravidade

variar, ou seja, quando não estamos nas proximidades

da Terra.

A massa de um corpo, por sua vez, é constante, ou seja,

não varia. Existe uma unidade muito utilizada pela indústria, principalmente quando tratamos de força peso, que é o kilograma-força, que por definição é:

1kgf é o peso de um corpo de massa 1kg submetido a aceleração da gravidade de 9,8m/s².

Quando uma pessoa empurra um caixa com uma força F, podemos dizer que esta é uma força de ação. Mas conforme a 3ª lei de Newton, sempre que

isso ocorre, há outra força com módulo e direção iguais, e sentido oposto a força de ação, que é chamada força de reação. Este é o princípio da ação e reação, cujo enunciado é: "As forças atuam sempre em pares, para toda força de ação, existe uma força de reação." Desta forma, toda vez que um corpo A exerce uma força F A num corpo B, este também exerce em A uma força F B tal que as forças:

a) têm a mesma intensidade |F A | = |F B | = F;

b) têm a mesma direção;

c) têm sentidos opostos;

d) tem a mesma natureza, sendo ambas de campo ou

ambas de contato.

Exercícios

01. (UFTM/2012) Em um dia de calmaria, um barco reboca um paraquedista preso a um paraglider. O barco e o paraquedista deslocam-se com velocidade vetorial e alturas constantes.

deslocam-se com velocidade vetorial e alturas constantes. Nessas condições, a) o peso do paraquedista é a

Nessas condições,

a) o peso do paraquedista é a força resultante sobre ele.

b) a resultante das forças sobre o paraquedista é nula.

c) a força resultante exercida no barco é maior que a

resultante no paraquedista.

d) a força peso do paraquedista depende da força exercida pelo barco sobre ele.

e) o módulo da tensão na corda que une o paraquedista

ao paraglider será menor que o peso do paraquedista.

02. (UFM/2012) Em Tirinhas, é muito comum encontrarmos situações que envolvem conceitos de Física e que, inclusive, têm sua parte cômica relacionada, de alguma forma, com a Física.

Considere a tirinha envolvendo a “Turma da Mônica”, mostrada a seguir.

Supondo que o sistema se encontra em equilíbrio, é correto afirmar que, de acordo com

Supondo que o sistema se encontra em equilíbrio, é correto afirmar que, de acordo com a Lei da Ação e Reação (3ª Lei de Newton),

a) a força que a Mônica exerce sobre a corda e a força

que os meninos exercem sobre a corda formam um par ação-reação.

b) a força que a Mônica exerce sobre o chão e a força

que a corda faz sobre a Mônica formam um par ação- reação.

c) a força que a Mônica exerce sobre a corda e a força

que a corda faz sobre a Mônica formam um par ação- reação.

d) a força que a Mônica exerce sobre a corda e a força

que os meninos exercem sobre o chão formam um par ação-reação.

03. (UFSM/2012) Um halterofilista segura, por um curto intervalo de tempo, um haltere em equilíbrio, conforme indica a figura. As forças indicadas não estão necessariamente representadas em escala. Assim,

F1 representa a força do atleta sobre o haltere;

F2 F representa o peso do haltere; representa o peso do haltere;

atleta sobre o haltere; F 2 representa o peso do haltere; F 3 representa a força
atleta sobre o haltere; F 2 representa o peso do haltere; F 3 representa a força

F3 representa a força do solo sobre o atleta e o haltere;

F 3 representa a força do solo sobre o atleta e o haltere; F 4 representa

F4 representa o peso do atleta.

o atleta e o haltere; F 4 representa o peso do atleta. São forças de mesmo

São forças de mesmo módulo:

a) b) F1 F1

c) e) d) F3 F2 F1 e e e (F3 F4. F3.

F 1 F 1 c) e) d) F 3 F 2 F 1 e e e

e e F3. F4.

d) F 3 F 2 F 1 e e e (F 3 F 4 . F
d) F 3 F 2 F 1 e e e (F 3 F 4 . F
F4 ).
F4 ).
F 3 F 2 F 1 e e e (F 3 F 4 . F 3

04. (IFSC/2012) A força de reação normal é uma força

que surge quando existe contato entre o corpo e uma superfície, sendo definida como uma força de reação da superfície sobre a compressão que o corpo exerce sobre

esta superfície. Abaixo temos quatro situações, com os respectivos diagramas de forças. Analise a representação da Força de Reação Normal (N) em cada uma das situações.

Força de Reação Normal (N) em cada uma das situações. Assinale a alternativa CORRETA . a)
Força de Reação Normal (N) em cada uma das situações. Assinale a alternativa CORRETA . a)
Força de Reação Normal (N) em cada uma das situações. Assinale a alternativa CORRETA . a)
Força de Reação Normal (N) em cada uma das situações. Assinale a alternativa CORRETA . a)
Força de Reação Normal (N) em cada uma das situações. Assinale a alternativa CORRETA . a)

Assinale a alternativa CORRETA.

a)

A

força

de

reação

normal

está

corretamente

representada em I, II e IV.

 

b)

A

força

de

reação

normal

está

corretamente

representada em I, II e III.

 

c)

A

força

de

reação

normal

está

corretamente

representada em I, III e IV.

 

d)

A força de reação

normal

está

corretamente

representada em II, III e IV.

 

e)

A

força

de

reação

normal

está

corretamente

representada em todas as situações.

05. (UFPA/2011) Belém tem sofrido com a carga de

tráfego em suas vias de trânsito. Os motoristas de ônibus fazem frequentemente verdadeiros malabarismos, que impõem desconforto aos usuários devido às forças inerciais. Se fixarmos um pêndulo no teto do ônibus, podemos observar a presença de tais forças. Sem levar em conta os efeitos do ar em todas as situações hipotéticas, ilustradas abaixo, considere que o pêndulo está em repouso com relação ao ônibus e que o ônibus move-se horizontalmente.

ao ônibus e que o ônibus move-se horizontalmente. Sendo v a velocidade do ônibus e a

Sendo v a velocidade do ônibus e a sua aceleração, a posição do pêndulo está ilustrada corretamente

a) na situação (I).

b) nas situações (II) e (V).

c) nas situações (II) e (IV).

d) nas situações (III) e (V).

e) nas situações (III) e (IV).

06. (UFTM/2011) Após a cobrança de uma falta, num

jogo de futebol, a bola chutada acerta violentamente o

rosto de um zagueiro. A foto mostra o instante em que

a bola encontra-se muito deformada devido às forças trocadas entre ela e o rosto do jogador.

devido às forças trocadas entre ela e o rosto do jogador. A respeito dessa situação são

A respeito dessa situação são feitas as seguintes

afirmações:

I. A força aplicada pela bola no rosto e a força aplicada

pelo rosto na bola têm direções iguais, sentidos opostos

e intensidades iguais, porém, não se anulam.

II. A força aplicada pelo rosto na bola é mais intensa

do que a aplicada pela bola no rosto, uma vez que a

bola está mais deformada do que o rosto.

III. A força aplicada pelo rosto na bola atua durante

mais tempo do que a aplicada pela bola no rosto, o que explica a inversão do sentido do movimento da bola.

IV. A força de reação aplicada pela bola no rosto é a

força aplicada pela cabeça no pescoço do jogador, que

surge como consequência do impacto.

É correto o contido apenas em

a) I.

b) I e III.

c) I e IV.

d) II e IV.

e) II, III e IV.

07. (ENEM/2009)

III. c) I e IV. d) II e IV. e) II, III e IV. 07. (ENEM/2009)

O ônibus espacial Atlantis foi lançado ao espaço com cinco astronautas a bordo e uma câmera nova, que iria

substituir uma outra danificada por um curto-circuito

no telescópio Hubble. Depois de entrarem em órbita a

560km de altura, os astronautas se aproximaram do Hubble. Dois astronautas saíram da Atlantis e se dirigiram ao telescópio. Ao abrir a porta de acesso, um deles exclamou: “Esse telescópio tem a massa grande,

mas o peso é pequeno.” Considerando o texto e as leis de Kepler, pode-se afirmar que a frase dita pelo astronauta

a) se justifica porque o tamanho do telescópio

determina a sua massa, enquanto seu pequeno peso decorre da falta de ação da aceleração da gravidade.

b) se justifica ao verificar que a inércia do telescópio é

grande comparada à dele próprio, e que o peso do

telescópio é pequeno porque a atração gravitacional criada por sua massa era pequena.

c) não se justifica, porque a avaliação da massa e do

peso de objeto em órbita tem por base as leis de Kepler, que não se aplicam a satélites artificiais.

d) não se justifica, porque a força-peso é a força

exercida pela gravidade terrestre, neste caso, sobre o telescópio e é a responsável por manter o próprio telescópio em órbita.

e) não se justifica, pois a ação da força-peso implica a

ação de uma força de reação contrária, que não existe

naquele ambiente. A massa do telescópio poderia ser avaliada simplesmente pelo seu volume.

08. (UFLAVRAS/2009) Um livro de peso igual a 4 N está apoiado, em repouso, na palma de sua mão. Complete as sentenças abaixo.

I. Uma força para baixo de 4 N é exercida sobre o livro pela

II. Uma força para cima de

exercida sobre o(a)

é

pela mão.

III. A força para cima (item II) é reação à força para

baixo (item I)?

a) Mão, 14 N, Terra, Sim.

b) Terra, 4 N, Livro, Sim.

c) Terra, 4 N, Terra, Não.

d) Terra, 8 N, Terra, Sim.

e) Terra, 4 N, Livro, Não

Aula 06 - Aplicação Das Leis De Newton E Interação Entre Blocos

ALGUNS TIPOS DE FORÇAS Peso (P): é a força aplicada pelo planeta sobre os corpos localizados na sua superfície ou próximos a ela.

Normal: aplicado em um corpo por uma superfície, quando apoiado sobre ela. É perpendicular (90°) com a superfície, sobre a qual o corpo se apoia.

Atrito: surge quando corpos estão deslizando ou tentando deslizar sobre qualquer superfície. Geralmente dificultam o movimento dos corpos.

Tração: atuam em cabos, cordas e fios.

Elástica: aplicada em molas quando comprimidas ou

elongadas.

Contato: surge da interação entre corpos em contato.

Magnética: aplicada por imãs, em objetos metálicos, ou

em outros imãs.

Elétrica: surge da interação entre cargas elétricas.

Algumas forças como Atrito, Magnética e Elétrica serão discutidas em aulas específicas ao longo deste curso. Entretanto, as forças Peso, Normal e Elástica serão rapidamente definidas nesta aula.

Força Peso

Quando falamos em movimento vertical, introduzimos

um conceito de aceleração da gravidade, que sempre

atua no sentido a aproximar os corpos em relação à superfície. Relacionando com a 2ª Lei de Newton, se um corpo de massa m, sofre a aceleração da gravidade, quando aplicada a ele o princípio fundamental da dinâmica poderemos dizer que:

A esta

força,

fundamental da dinâmica poderemos dizer que: A esta força, chamamos Força Peso, e podemos expressá-la como:

chamamos Força

Peso, e

podemos

expressá-la como:

 
 

ou em módulo:

 
 

O Peso de um corpo é a força com que a Terra o atrai,

podendo ser variável, quando a gravidade variar, ou seja, quando não estamos nas proximidades da Terra.

A massa de um corpo, por sua vez, é constante, ou seja,

não varia.

Existe uma unidade muito utilizada pela indústria, principalmente quando tratamos de força peso, que é o kilograma-força, que por definição é: 1kgf é o peso de um corpo de massa 1kg submetido a aceleração da gravidade de 9,8m/s². A sua relação com o newton é:

da gravidade de 9,8m/s². A sua relação com o newton é: Força Normal Além da Força

Força Normal

Além da Força Peso, existe outra que normalmente atua na direção vertical, chamada Força Normal. Esta é exercida pela superfície sobre o corpo, podendo ser interpretada como a sua resistência em sofrer deformação devido ao peso do corpo. Esta força sempre atua no sentido perpendicular à superfície, diferentemente da Força Peso que atua sempre no sentido vertical. Analisando um corpo que se encontra sob uma superfície plana verificamos a atuação das duas forças.

superfície plana verificamos a atuação das duas forças. Para que este corpo esteja em equilíbrio na

Para que este corpo esteja em equilíbrio na direção vertical, ou seja, não se movimente ou não altere sua velocidade, é necessário que os módulos das forças Normal e Peso sejam iguais, assim, atuando em sentidos opostos elas se anularão (mas vale reforçar que força Peso e Normal NÃO formam par de ação e reação).

Força Elástica

Imagine uma mola presa em uma das extremidades a um suporte, e em estado de repouso (sem ação de nenhuma força). Quando aplicamos uma força F na outra extremidade, a mola tende a deformar (esticar ou comprimir, dependendo do sentido da força aplicada). Ao estudar as deformações de molas e as forças aplicadas, Robert Hooke (1635-1703), verificou que a deformação da mola aumenta proporcionalmente à força. Daí estabeleceu-se a seguinte lei, chamada Lei de Hooke:

Daí estabeleceu-se a seguinte lei, chamada Lei de Hooke: Onde: F: intensidade da força aplicada (N);

Onde:

F: intensidade da força aplicada (N); k: constante elástica da mola (N/m); x: deformação da mola (m).

A constante elástica da mola depende principalmente da natureza do material de fabricação da mola e de suas dimensões. Sua unidade mais usual é o N/m (newton por metro) mas também encontramos N/cm; kgf/m, etc.

Exercícios

01. (UNESP/2011) As moléculas de água (H 2 O) são

atraídas umas pelas outras em associação por pontes de hidrogênio. Essa característica da água é responsável pela existência da tensão superficial, que permite que sobre a superfície da água se forme uma fina camada, cuja pressão interna é capaz de sustentar certa intensidade de força por unidade de área e, por exemplo, sustentar um pequeno inseto em repouso. Sobre a superfície tranquila de um lago, um inseto era sustentado pela tensão superficial.

Após o despejo de certa quantia de detergente no lago, a tensão superficial se alterou e o pobre inseto afundou, pois, com esse despejo,

a) a tensão superficial diminuiu e a força exercida pela

água sobre o inseto diminuiu.

b) a tensão superficial aumentou e a força exercida pela

água sobre o inseto aumentou.

c) a tensão superficial diminuiu e a força exercida pela

água sobre o inseto aumentou.

d) a tensão superficial diminuiu e a força exercida pela

água sobre o inseto permaneceu constante.

e) a tensão superficial aumentou e a força exercida pela

água sobre o inseto permaneceu constante.

02. (IFSC/2011) Um bloco, apoiado sobre uma superfície horizontal, está submetido a duas forças,

F1 4 N e F2 2 N , como mostra a figura.
F1
4 N e F2
2 N , como mostra a figura.

É correto afirmar que:

a) a resultante das forças é igual a 6 N.

b) o bloco não está em equilíbrio.

c) a resultante das forças que atuam sobre o bloco é

nula.

d) a resultante das forças é diferente de zero e

perpendicular à superfície.

e) se o bloco estiver em repouso continuará em

repouso.

03. (UNB/2011) A palavra “átomo” foi cunhada pelos gregos, mas, nas primeiras décadas do século XIX, não havia evidência experimental de que a matéria fosse composta de átomos. ( ) Em 1827, o naturalista inglês Robert Brown observou que grãos de pólen boiando em um copo de água se movimentavam constantemente, em um zigue-zague caótico, sem que nenhuma força os empurrasse. Brown chegou a achar que o pólen estivesse vivo, mas recuou em seguida: o efeito era o mesmo com pó de granito. Ali estava um mistério para ser resolvido. Alguns cientistas, no entanto, especularam que o movimento browniano fosse causado pelo choque aleatório entre as moléculas que compunham o sistema. Anos depois, Albert Einstein cogitou que, embora os átomos fossem pequenos demais para serem observados, seria possível estimar o seu tamanho calculando-se seu impacto cumulativo em objetos “grandes” — como um grão de

pólen. Se a teoria atômica estivesse certa, então deveria ser possível, analisando-se o movimento das partículas “grandes” (chamado movimento browniano), calcular as dimensões físicas dos átomos. Einstein assumiu que

o movimento aleatório das partículas em suspensão era

causado pela colisão de trilhões e trilhões de moléculas de água e computou o peso e o tamanho dos átomos, dando a primeira prova experimental de existência deles. Einstein foi além: calculou que um grama de hidrogênio continha 3,03 × 10 23 átomos, valor surpreendentemente próximo do real. Sua fórmula foi confirmada em 1908 pelo francês Jean Perrin. Abria-se ali o mundo do muito pequeno.

[Internet: <www.moderna.com.br/>. Especial Einstein: 100 anos de relatividade (com adaptações).]

Tendo o texto como referência inicial e considerando os múltiplos aspectos que ele suscita, julgue os itens a seguir.

a) Se for analisada, isoladamente, a observação de que

“grãos de pólen boiando em um copo de água se movimentavam constantemente, em um zigue-zague caótico, sem que nenhuma força os empurrasse” contraria a segunda lei de Newton.

b) No trecho “e computou o peso e o tamanho dos

átomos”, o autor deveria referir-se à massa do átomo e não, ao seu peso, uma vez que a força peso, reação à força de contato normal, não é uma grandeza física da matéria.

04. (ESPCEX AMAN/2011) Três blocos A, B e C de

massas 4 kg, 6 kg e 8 kg, respectivamente, são dispostos, conforme representado no desenho abaixo, em um local onde a aceleração da gravidade g vale

10m / s

2

.

um local onde a aceleração da gravidade g vale 10m / s 2 . Desprezando todas
um local onde a aceleração da gravidade g vale 10m / s 2 . Desprezando todas
um local onde a aceleração da gravidade g vale 10m / s 2 . Desprezando todas
um local onde a aceleração da gravidade g vale 10m / s 2 . Desprezando todas
um local onde a aceleração da gravidade g vale 10m / s 2 . Desprezando todas

Desprezando todas as forças de atrito e considerando ideais as polias e os fios, a intensidade da força

ideais as polias e os fios, a intensidade da força horizontal F que deve ser aplicada

horizontal F que deve ser aplicada ao bloco A, para que o bloco C suba verticalmente com uma aceleração

constante de

a) 100 N

b) 112 N

c) 124 N

d) 140 N

e) 176 N

2m / s

2

, é de:

05. (UFGD/2011) Suponha que você more no último

dos 15 andares de um edifício e que deseja levar para o seu apartamento um corpo de peso igual a 20 N. Ao entrar no elevador, coloca o objeto sobre uma balança que se encontra no interior do elevador. Se o elevador subir com uma aceleração constante de 3 m/s e se a gravidade local for de 10 m/s 2 , qual será a leitura do peso (em Newton) do objeto na balança durante o trajeto de subida?

a) 80 N.

b) 60 N.

c) 30 N.

d) 26 N.

e) 36 N.

06. (UFRS) Uma pessoa, parada à margem de um lago

congelado cuja superfície é perfeitamente horizontal, observa um objeto em forma de disco que, em certo

trecho, desliza com movimento retilíneo uniforme, tendo uma de suas faces planas em contato com o gelo. Do ponto de vista desse observador, considerado inercial, qual das alternativas indica o melhor diagrama para representar as forças exercidas sobre o disco nesse trecho? (Supõe-se a ausência total de forças dissipativas, como atrito com a pista ou com o ar.)

forças dissipativas, como atrito com a pista ou com o ar.) 07. (FATEC) Três blocos, A,

07. (FATEC) Três blocos, A, B e C, deslizam sobre

uma superfície horizontal cujo atrito com estes corpos é desprezível, puxados por uma força F de intensidade 6,0N. A aceleração do sistema é de 0,60m/s 2 , e as massas de A e B são respectivamente 2,0kg e 5,0kg. A massa do corpo C vale, em kg,

2,0kg e 5,0kg. A massa do corpo C vale, em kg, a) 1,0 b) 3,0. c)

a) 1,0

b) 3,0.

c) 5,0

d) 6,0

e) 10

08. (PUC-SP) A mola da figura tem constante elástica

20N/m e encontra-se deformada de 20cm sob a ação do corpo A cujo peso é 5N. Nessa situação, a balança, graduada em newtons, marca

5N. Nessa situação, a balança, graduada em newtons, marca a) 1 N b) 2 N c)

a) 1 N

b) 2 N

c) 3 N

d) 4 N

e) 5 N

09. (UFPR/2011) No último campeonato mundial de

futebol, ocorrido na África do Sul, a bola utilizada nas partidas, apelidada de Jabulani, foi alvo de críticas por

parte de jogadores e comentaristas. Mas como a bola era a mesma em todos os jogos, seus efeitos positivos e negativos afetaram todas as seleções. Com relação ao movimento de bolas de futebol em jogos, considere as seguintes afirmativas:

1. Durante seu movimento no ar, após um chute para o

alto, uma bola está sob a ação de três forças: a força peso, a força aplicada pelo ar e a força de impulso devido ao chute. 2. Em estádios localizados a grandes altitudes em

relação ao nível do mar, a atmosfera é mais rarefeita, e uma bola, ao ser chutada, percorrerá uma distância maior em comparação a um mesmo chute no nível do mar.

3. Em dias chuvosos, ao atingir o gramado encharcado,

a bola, sem movimento de rotação, tem sua velocidade aumentada.

4. Uma bola de futebol, ao ser chutada obliquamente

em relação ao solo, executa um movimento aproximadamente parabólico, porém, caso nessa região haja vácuo, ela descreverá um movimento retilíneo.

Assinale a alternativa correta.

a) Somente a afirmativa 1 é verdadeira.

b) Somente a afirmativa 2 é verdadeira.

c) Somente as afirmativas 2 e 3 são verdadeiras.

d) Somente as afirmativas 3 e 4 são verdadeiras.

e) Somente as afirmativas 1, 3 e 4 são verdadeiras.

Aula 07 - Plano Inclinado

A existência da chamada força de atrito está condicionada à existência de contato entre duas superfícies sobrepostas, como por exemplo uma caixa movendo sobre um piso rugoso, ou um pneu movendo-se sobre o asfalto. É a forca de atrito que fará o automóvel se movimentar sem derrapar pela pista, uma vez que é definida como uma força de oposição à tendência do escorregamento, gerada devido

a irregularidades entre as duas superfícies que estão em contato. Observe a figura abaixo:

superfícies que estão em contato. Observe a figura abaixo: Ela mostra o corpo sob ação das

Ela mostra o corpo sob ação das forcas motriz

e atrito (com mesma direção e sentidos opostos), bem

como a força-peso e a força Normal. A força de atrito, dependendo da força de compressão que o objeto faz com a superfície de apoio, é tanto maior quanto mais pressionada estiver à superfície pelo corpo. A força de atrito estático é aquela de devemos aplicar sobre um corpo, para tirá-lo do estado de repouso. Assim, para mover o corpo, devemos aplicar uma força que se iguale à força de atrito. Por esse

motivo, a força de atrito estático tem a sua intensidade variável.

É dado pela relação:

F estático = μ estático .N,

onde:

F estático = força de atrito estático máximo, ocorrido sobre o corpo.

μ estátic = coeficiente de atrito estático da superficie

N = força normal aplicada pela superficie sobre o

corpo.

Existe também a força de atrito cinético, que é o atrito ocorrido quando o corpo está em movimento. A partir

do momento que é aplicada a força de destaque, o atrito

deixará de ter característica “estática” e passara a ser “dinâmica”. Este tipo de atrito tem valor constante e inferior ao valor do atrito estático.

É dado pela relação:

F cinético

= μ cinético .N,

onde:

F cinético

corpo

μ cinético = coeficiente de atrito cinético da superfície.

N = força normal aplicada pela superfície sobre o

ocorrido sobre o

=

força de atrito cinético

corpo.

Exercícios

Considere as leis de Newton e as informações a seguir.

Uma pessoa empurra uma caixa sobre o piso de uma sala. As forças aplicadas sobre a caixa na direção do movimento são:

Fp : força paralela ao solo exercida pela pessoa;

Fa : força de atrito exercida pelo piso.

A caixa se desloca na mesma direção e sentido de Fp .

A força que a caixa exerce sobre a pessoa é FC .

01. (UERJ/2012) Se o deslocamento da caixa ocorre

com velocidade constante, as magnitudes das forças

citadas apresentam a seguinte relação:

a)

b)

c)

d)

Fp Fp FC FC Fa Fa
Fp Fp
FC FC
Fa Fa
Fp Fp FC FC Fa Fa
Fp Fp
FC FC
Fa Fa

02.

com aceleração constante, na mesma direção e sentido de Fp , as magnitudes das forças citadas apresentam a

seguinte relação:

a)
b) c) d) FFFp FFFp FFFp Fp Fc c c c Fa a a a

(UERJ/2012) Se o deslocamento da caixa ocorre

a a a (UERJ/2012) Se o deslocamento da caixa ocorre TEXTO PARA A PRÓXIMA QUESTÃO: Adote
a a a (UERJ/2012) Se o deslocamento da caixa ocorre TEXTO PARA A PRÓXIMA QUESTÃO: Adote
a a a (UERJ/2012) Se o deslocamento da caixa ocorre TEXTO PARA A PRÓXIMA QUESTÃO: Adote
a a a (UERJ/2012) Se o deslocamento da caixa ocorre TEXTO PARA A PRÓXIMA QUESTÃO: Adote

TEXTO PARA A PRÓXIMA QUESTÃO:

Adote os conceitos da Mecânica Newtoniana e as seguintes convenções:

a) O valor da aceleração da gravidade:

b) A resistência do ar pode ser desconsiderada.

g

10 m/s 2 ;
10 m/s
2
;

03. (UFPB/2012) Na cidade de Sousa, no sertão

paraibano, é comum agricultores subirem, sem ajuda de equipamentos, em coqueiros. Para descer, um determinado agricultor exerce forças com suas mãos e pés sobre o coqueiro, de modo a descer com velocidade constante. (Ver figura esquemática abaixo.)

com velocidade constante. (Ver figura esquemática abaixo.) Considerando que cada membro, pés e mãos desse agricultor,
com velocidade constante. (Ver figura esquemática abaixo.) Considerando que cada membro, pés e mãos desse agricultor,
com velocidade constante. (Ver figura esquemática abaixo.) Considerando que cada membro, pés e mãos desse agricultor,
com velocidade constante. (Ver figura esquemática abaixo.) Considerando que cada membro, pés e mãos desse agricultor,

Considerando que cada membro, pés e mãos desse agricultor, exerce uma força F perpendicular ao tronco do coqueiro, e que o coeficiente de atrito entre os membros e o tronco do coqueiro é , julgue os itens a seguir:

( ) A força normal exercida pelo tronco em cada

membro do agricultor tem módulo igual a F.

( ) O atrito é estático, pois a aceleração é nula.

( ) A força de atrito é paralela ao tronco e orientada para cima.

(

( )

A velocidade escalar do agricultor, imediatamente

antes de chegar ao solo, diminuirá, se o coeficiente de atrito diminuir.

ao solo, diminuirá, se o coeficiente de atrito diminuir. ) O peso do agricultor é P
ao solo, diminuirá, se o coeficiente de atrito diminuir. ) O peso do agricultor é P

) O peso do agricultor é P 4 F .

04. (UTFPR/2011) No estudo do atrito, podemos

observar que ele oferece vantagens e desvantagens. Assinale a única alternativa que descreve uma situação de desvantagem.

a) Possibilita a locomoção de carros e pessoas devido à

aderência dos pneus e pés ao solo.

b) Necessidade de maior quantidade de energia para

movimentar maquinários, o que é consequência da

necessidade de menor força para qualquer movimento.

c) Possibilita que veículos sofram o processo de

frenagem.

d) Responsável direto pelo funcionamento de máquinas

acionadas através de correias.

e) Permite o desgaste de grafite para a escrita em

superfícies de papel.

05. (UFGD/2009) Uma caixa de 50 g desliza sobre

uma superfície horizontal com velocidade igual a 36 km/h. Depois de percorrer 0,005 km sobre essa superfície, ela encontra uma rampa inclinada de 30 em

relação à superfície horizontal. Determine a altura da caixa, em relação ao solo, quando ela atingir o repouso e assinale a alternativa correta.

a) 37 km/h.

b) 50 km/h.

c) 60 km/h.

d) 32 km/h.

e) 25 km/h.

06. (PUCPR) A figura representa um corpo de massa

10 kg apoiado em uma superfície horizontal. O coeficiente de atrito entre as superfícies em contato é 0,4. Em determinado instante, é aplicado ao corpo uma força horizontal de 10 N

instante, é aplicado ao corpo uma força horizontal de 10 N Considere g = 10 m/s

Considere g = 10 m/s 2 e marque a alternativa correta:

a) A força de atrito atuante sobre o corpo é 40 N.

b) A velocidade do corpo decorridos 5 s é 10 m/s.

c) A aceleração do corpo é 5 m/s 2 .

d) A aceleração do corpo é 2 m/s 2 e sua velocidade

decorridos 2 s é 5 m/s.

e) O corpo não se movimenta e a força de atrito é 10 N.

07. (UFGD/2011) Em muitas curvas de rodovias no

Brasil, ainda podem ser encontradas antigas muretas de

metal ou guard rails (Figura A). Porém, nos últimos anos, essa proteção vem sendo substituída por modelos de concreto cuja seção transversal é maior na base (Figura B).

cuja seção transversal é maior na base (Figura B). Figura A (Disponível em: <www.galaxyfences.com>.

Figura A (Disponível em: <www.galaxyfences.com>. Acesso em: 15 out. 2010)

em: <www.galaxyfences.com>. Acesso em: 15 out. 2010) Figura B (Dsiponível em:

Figura B (Dsiponível em: <http://autoshow.uol.com.br/>. Acesso em:

17 out. 2010)

Considerando um impacto lateral, assinale a alternativa

que apresenta a explicação física correta que justifica a importância dessa mudança.

a) Quando do impacto, o atrito provocado pelo contato

da borracha dos pneus com a base de concreto diminui, em relação à proteção de metal, mais rapidamente a velocidade do veículo.

b) A mureta de metal absorve boa parte da energia

cinética do veículo, impedindo a diminuição de sua velocidade.

c) Quando do impacto, o atrito provocado pelo contato

das portas do veículo com a estrutura metálica da proteção aumenta rapidamente a temperatura interna dele.

d) A energia potencial gravitacional gerada no momento da colisão é mais bem absorvida pelo concreto.

e) A colisão elástica do veículo com a proteção de

concreto dissipa para o ambiente mais da metade da energia mecânica total, facilitando a diminuição da

velocidade.

08. (UFGD/2010) O jamaicano Usain Bolt venceu os 200 m nas Olimpíadas de Pequim-2008, com a marca de 19s30. Aproximadamente, a velocidade média desse atleta foi de 18. Uma caixa de 50 g desliza sobre uma superfície horizontal com velocidade igual a 36 km/h.

Depois de percorrer 0,005 km sobre essa superfície, ela encontra uma rampa inclinada de 30 em relação à superfície horizontal. Determine a altura da caixa, em relação ao solo, quando ela atingir o repouso e assinale a alternativa correta.

a) 37 km/h.

b) 50 km/h.

c) 60 km/h.

d) 32 km/h.

e) 25 km/h.

Aula 08 - Trabalho E Potência Mecânica

Na Física, uma força aplicada em um corpo realiza um trabalho quando produz um deslocamento no corpo. Desta forma, é dado pela relação:

τ = F.d.cosθ

onde:

τ= trabalho (Unidade de Medida: Joule)

F = força aplicada no processo (unidade de medida:

Newton)

d= deslocamento realizado pelo corpo (unidade de medida: metro) θ = ângulo formado entre a direção do deslocamento do corpo e a força aplicada.

Desta forme, se:

deslocamento do corpo e a força aplicada. Desta forme, se: Se o deslocamento é paralelo à

Se o deslocamento é paralelo à força aplicada, então temos que θ = 0°, ou seja, como cosseno 0° = 1, temos que a relação matemática reduz ao simples produto de força e deslocamento. No entanto, quando a força não é paralela ao deslocamento, devemos decompor o vetor em suas componentes paralelas e perpendiculares:

o vetor em suas componentes paralelas e perpendiculares: Considerando = F.seno θ e = F.cos θ.

Considerando = F.seno θ e = F.cos θ. Quando a força aplicada for variável, o cálculo do trabalho dá-se pelo cálculo da área sob a curva é uma técnica válida para forças que não variam também.

uma técnica válida para forças que não variam também. E ainda. Para 0≤θ<90º, temos cosθ>0 e

E ainda.

Para 0≤θ<90º, temos cosθ>0 e , por isso, τ >0. Nesse caso, o trabalho é denominado motor; Para 90º <θ ≤ 180º, temos cosθ < 0 e, por isso, τ < 0. Nesse caso, o trabalho é denominado resistente. Em se tratando de força Peso para movimentos horizontais temos que o trabalho tem valor nulo. Porém, para movimentos verticais, no cálculo do trabalho da força Peso, devemos considerar a trajetória como a altura entre o corpo e o ponto de origem, e a força a ser empregada, a força-peso. Então:

origem, e a força a ser empregada, a força-peso. Então: POTÊNCIA MECÂNICA fundamental considerar a rapidez

POTÊNCIA MECÂNICA

fundamental

considerar a rapidez da realização de determinado

Em

situações

práticas

é

trabalho. Uma máquina será tanto mais eficiente quanto menor o tempo de realização do trabalho de sua força motora. A eficiência de uma máquina é medida pelo trabalho de sua força em relação ao tempo de realização, definindo a potência. Num intervalo de tempo Δt, se o trabalho é τ,

a potência média Pot m será:

se o trabalho é τ , a potência média Pot m será: Onde P = Potência

Onde

P = Potência (unidade de medida: Watt)

τ = trabalho (unidade de medida: Joule) Δt = intervalo de tempo (unidade de medida: segundo)

Relações importantes:

1 cavalo vapor (CV) corresponde a 735 Watts.

Exercícios

01. (UPE/2011) Um corpo de massa m desliza sobre o

plano horizontal, sem atrito ao longo do eixo AB, sob

ação das forças F1 e F2 de acordo com a figura a

seguir. A força F1 é constante, tem módulo igual a 10

N e forma com a vertical um ângulo θ

30º .
30º .
igual a 10 N e forma com a vertical um ângulo θ 30º . A força

A força F2 varia de acordo com o gráfico a seguir:

. A força F 2 varia de acordo com o gráfico a seguir: Dados sem 30º

Dados sem 30º = cos = 60º = 1/2

O trabalho realizado pelas forças para que o corpo sofra um deslocamento de 0 a 4m, em joules, vale

a) 20

b) 47

c) 27

d) 50

e) 40

02. (IFSP/2011) Um atleta de 80 kg massa, durante

uma prova de atletismo, percorre 100 m rasos durante

um intervalo de tempo de 9,0 segundos, cruzando a linha de chegada com uma velocidade escalar de 43,2

km/h. Adotando que 1 cal = 4 joules e desconsiderando os efeitos de resistência do ar, podemos afirmar que a energia gasta, por segundo, pelas forças musculares do atleta, em calorias, é de

a)

b)

c)

d)

e) 720.

160.

240.

360.

640.

03. (UFRGS/2011) O resgate de trabalhadores presos em uma mina subterrânea no norte do Chile foi realizado através de uma cápsula introduzida numa perfuração do solo até o local em que se encontravam os mineiros, a uma profundidade da ordem de 600 m. Um motor com potência total aproximadamente igual a 200,0 kW puxava a cápsula de 250 kg contendo um mineiro de cada vez.

puxava a cápsula de 250 kg contendo um mineiro de cada vez. Considere que para o

Considere que para o resgate de um mineiro de 70 kg de massa a cápsula gastou 10 minutos para completar o percurso e suponha que a aceleração da gravidade local

2 . Não se computando a potência

necessária

as perdas por atrito, a

potência efetivamente fornecida pelo motor para içar a cápsula foi de

a) 686 W.

b) 2.450 W.

c) 3.136 W.

d) 18.816 W.

e) 41.160 W.

é 9,8 m / s

para

compensar

04. (UFGD/2011) Para garantir a segurança dos passageiros, as montadoras promovem testes de impacto em seus veículos. Em geral, faz-se o veículo chocar-se frontalmente contra um obstáculo, como na figura a seguir.

frontalmente contra um obstáculo, como na figura a seguir. (Disponível em <www.corbis.com – royalty-free>

(Disponível em <www.corbis.com royalty-free> . Acesso em: 22 out. 2010)

Considerando

deslocando-se a uma velocidade de 64 km/h, o trabalho

de 1500 kg de massa

um

veículo

realizado no impacto é de

a) -237 W.

b)

c)

d)

e)

-237 J. 237 J. 237 N/m 2 . 237 W.

05. (UFGD/2010) Um objeto de 600 g de massa é

ao solo até a altura de 25,5 m.

Considerando 9,81 m/s 2 a aceleração da gravidade da

Terra, a variação da energia potencial é aproximadamente igual a:

a) 426 J

b) 150 J

c) 280 J

d) 0,708 kJ

suspenso em relação

e) 1,35x10 5 J

.

06. (ENEM/2009) O Sol apresenta uma fonte limpa e inesgotável de energia para o nosso planeta. Essa energia pode ser captada por aquecedores solares, armazenada e convertida posteriormente em trabalho útil. Considere determinada região cuja insolação potência solar incidente na superfície da Terra seja de 800watts/m 2 . Uma usina termossolar utiliza concentradores solares parabólicos que chegam a dezenas de quilômetros de extensão. Nesses coletores solares parabólicos, a luz refletida pela superfície parabólica espelhada é focalizada em um receptor em forma de cano e aquece o óleo contido em seu interior 400°C. O calor desse óleo é transferido para a água, vaporizando-a em uma caldeira. O vapor em alta pressão movimenta uma turbina acoplada a um gerador de energia elétrica. Considerando que a distância entre a borda inferior e a borda superior da superfície refletora tenha 6m de largura e que focalizada no receptor os 800watts/m 2 de radiação provenientes do Sol, e que o calor específico da água é 1cal / g °C -1 = 4.200J / kg -1 °C -1 , então o comprimento linear do refletor parabólico necessário para elevar a temperatura de 1m 3 (equivalente a 1t) de água de 20°C para 100°C, em uma hora, estará entre

de água de 20°C para 100°C, em uma hora, estará entre a) 15m e 21m. b)

a) 15m e 21m.

b) 22m e 30m.

c) 105m e 125m.

d) 680m e 710m.

e) 6.700m e 7.150.

07. (ENEM/1998) A eficiência de uma usina, do tipo da representada na figura, é da ordem de 0,9, ou seja,

90% da energia da água no início do processo se transforma em energia elétrica.

no início do processo se transforma em energia elétrica. A usina Ji-Paraná, do Estado de Rondônia,

A

usina

Ji-Paraná,

do

Estado de Rondônia, tem

potência

instalada

de

512

milhões

de

watts, e a

barragem tem altura de aproximadamente 120m. A

vazão do Rio Ji-Paraná, em litros de água por segundo, deve ser da ordem de:

a) 50

b) 500

c) 5.000

d) 50.000

e) 500.000

08. (UFGD/2009) Sobre o movimento dos corpos,

assinale a alternativa correta. a) Um corpo só possui movimento se existir uma força resultante atuando sobre o mesmo.

b) Um corpo em queda livre irá cair com velocidade

constante.

c) Um corpo em movimento unidirecional não terá o

seu deslocamento afetado por uma força que atue perpendicularmente à direção do movimento.

d) Um corpo em movimento circular apresentará o

vetor aceleração sempre na direção tangencial a sua trajetória.

e) Um corpo em repouso possuirá energia cinética

maior que quando em movimento.

Aula 09 - Conservação De Energia Mecânica

A energia desempenha um papel essencial em

todos os setores da vida, sendo a grandeza mais importante da Física.

O Sol, a água, o vento, o petróleo, o carvão e o

átomo são fontes que suprem o consumo atual de energia no mundo, mas, à medida que a população do planeta cresce e os itens de conforto à disposição da espécie humana se multiplicam, aumenta também a demanda por energia, exigindo novas alternativas e técnicas de obtenção. Ao que tudo indica, o átomo será a principal fonte de energia do futuro. Por isso, ele vem sendo objeto de estudos nos principais centros de pesquisa,

que também se preocupam em investigar o aproveitamento de suas propriedades de modo seguro e eficaz.

A energia é uma grandeza única, mas

dependendo de como se manifesta, recebe diferentes denominações:

* energia térmica;

* energia luminosa;

* energia elétrica;

* energia química;

* energia mecânica;

* energia atômica, dentre outras.

Um dos preceitos mais amplos e fundamentais da Física é o Princípio da Conservação da Energia, segundo o qual se pode afirmar que:

A energia total do Universo é constante, podendo haver apenas transformações de uma modalidade em outras.

Unidade de Energia

Conforme dissemos, Trabalho e potências, as unidades de energia são as mesmas de trabalho. unid(energia)=unid(trabalho)=joule (J) Entretanto, há outras unidades de energia que, embora não pertençam a nenhum sistema oficial, foram consagradas pelo uso. Temos, por exemplo:

Caloria (cal): utilizada nos fenômenos térmicos

1cal = 4,19J

Quilowatt-hora (KWH): utilizada em geração e distribuição de energia elétrica.

1KWH = 3,6 * 10 6 J

Energia Mecânica

É o nome dado a todas as formas de energia relacionadas com o movimento de corpos ou com a capacidade de colocá-los em movimento ou deformá- los.

Classes de energia mecânica

Energia Potencial Gravitacional - é uma forma de energia associada à posição, em relação a um referencial. Geralmente esse referencial é o chão. Ocorre para corpos que estão a uma determinada altura do referecial adotado. É dada pela relação:

E pg = m.g.h

Onde:

E = energia potencial (unidade de medida: Joule)

m= massa (unidade de medida: kg)

g = aceleração da gravidade ( unidade de medida: m/s 2 )

h

medida: metros)

ao

=

altura

em

relação

referencial

(unidade

de

Energia

potencial

elástica

ou

de

deformação

Energia potencial elástica é uma forma de energia mecânica armazenada numa mola deformada ou num elástico esticado.

É uma forma de energia em potencial, a qual pode ser

transformada em energia de movimento. Considere uma mola comprida para determinar a expressão da energia elástica.

Para esse processo de compressão da mola, temos que foi aplicada uma força F, que

Para esse processo de compressão da mola, temos que

foi aplicada uma força F, que a fez alongar (variar seu

tamanho natural) numa distância igual a “x” Desta forma, a mola será comprimida ou distendida, se

aplicada nela uma força conhecida como força elástica, conhecida como Lei de Hooke, de valor

F = - k.x

Onde:

F = força elástica aplicada (unidade de medida:

Newton)

K = constante elástica da mola (unidade de medida:

Newton / metro)

x = elongação sofrida na mola (unidade de medida:

metro)

E ao sofrer uma deformação a mola associa uma

energia potencial conhecida como elástica, que é dada

por:

E elástica = K.x 2

Onde:

E elástica = energia elástica (unidade de medida: Joule)

K = constante elástica da mola (unidade de medida:

Newton / metro)

x = elongação sofrida na mola (unidade de medida:

metro)

O que é constante elástica da mola?

A Constante Elástica da mola traduz a rigidez da mola,

ou seja, representa uma medida de sua dureza. Quanto

maior for a Constante Elástica da mola, maior será sua

dureza.

Energia Cinética Relacionada ao corpo quando este está em movimento,

ou seja, desenvolvendo certo valor de velocidade. É dada pela relação matemática :

E

c

1
1

2

2

mv

Conservação da energia mecânica Pode-se dizer que ocorreu conservação da energia mecânica em um sistema, quando nele somente atuar forças conservativas (sistema conservativo), ou seja, os valores da energia total é o mesmo em qualquer momento, mas alternando-se nas suas formas cinética e potencial (gravitacional ou elástica).

Exercícios

01. (UESPI/2012) Uma pessoa de peso 500 N desce de

elevador do décimo andar de um edifício até o térreo. Se o décimo andar encontra-se 30 metros acima do

andar térreo, pode-se afirmar que a energia potencial gravitacional dessa pessoa

a) diminuiu em 530 J.

b) diminuiu em 1500 J.

c) permaneceu constante.

d) aumentou em 1500 J.

e) aumentou em 530 J.

02. (UNESP/2012) Uma pessoa, com 80 kg de massa,

gasta para realizar determinada atividade física a mesma quantidade de energia que gastaria se subisse diversos degraus de uma escada, equivalente a uma distância de 450 m na vertical, com velocidade

a

constante, num local onde

seguir mostra a quantidade de energia, em joules, contida em porções de massas iguais de alguns alimentos.

g

10 m/s 2
10 m/s
2

.

A tabela

Alimento

Energia por porção (kJ)

espaguete

360

pizza de mussarela

960

chocolate

2160

batata frita

1000

castanha de caju

2400

Considerando que o rendimento mecânico do corpo humano seja da ordem de 25%, ou seja, que um quarto da energia química ingerida na forma de alimentos seja utilizada para realizar um trabalho mecânico externo por meio da contração e expansão de músculos, para

repor exatamente a quantidade de energia gasta por essa pessoa em sua atividade física, ela deverá ingerir 4 porções de

a) castanha de caju.

b) batata frita.

c) chocolate.

d) pizza de mussarela.

e) espaguete.

03. (UEM/2012) Sobre a energia mecânica e a conservação de energia, assinale o que for correto. 01) Denomina-se energia cinética a energia que um corpo possui, por este estar em movimento. 02) Pode-se denominar de energia potencial

gravitacional a energia que um corpo possui por se

situar a uma certa altura acima da superfície terrestre. 04) A energia mecânica total de um corpo é conservada, mesmo com a ocorrência de atrito. 08) A energia total do universo é sempre constante, podendo ser transformada de uma forma para outra; entretanto, não pode ser criada e nem destruída. 16) Quando um corpo possui energia cinética, ele é capaz de realizar trabalho.

04. (IFSC/2012) O bate-estacas é um dispositivo muito

utilizado na fase inicial de uma construção. Ele é responsável pela colocação das estacas, na maioria das vezes de concreto, que fazem parte da fundação de um

prédio, por exemplo. O funcionamento dele é relativamente simples: um motor suspende, através de um cabo de aço, um enorme peso (martelo), que é abandonado de uma altura, por exemplo, de 10 m, e que acaba atingindo a estaca de concreto que se encontra logo abaixo. O processo de suspensão e abandono do peso sobre a estaca continua até a estaca estar na posição desejada.

a estaca continua até a estaca estar na posição desejada. É CORRETO afirmar que o funcionamento
a estaca continua até a estaca estar na posição desejada. É CORRETO afirmar que o funcionamento
a estaca continua até a estaca estar na posição desejada. É CORRETO afirmar que o funcionamento
a estaca continua até a estaca estar na posição desejada. É CORRETO afirmar que o funcionamento
a estaca continua até a estaca estar na posição desejada. É CORRETO afirmar que o funcionamento
a estaca continua até a estaca estar na posição desejada. É CORRETO afirmar que o funcionamento
a estaca continua até a estaca estar na posição desejada. É CORRETO afirmar que o funcionamento
a estaca continua até a estaca estar na posição desejada. É CORRETO afirmar que o funcionamento
a estaca continua até a estaca estar na posição desejada. É CORRETO afirmar que o funcionamento
a estaca continua até a estaca estar na posição desejada. É CORRETO afirmar que o funcionamento

É CORRETO afirmar que o funcionamento do bate- estacas é baseado no princípio de:

a) transformação da energia mecânica do martelo em

energia térmica da estaca.

b) conservação da quantidade de movimento do

martelo.

c) transformação da energia potencial gravitacional em

trabalho para empurrar a estaca.

d) colisões do tipo elástico entre o martelo e a estaca.

e) transformação da energia elétrica do motor em energia potencial elástica do martelo.

05. (UCS/2012) O ato de escrever palavras numa folha

de papel, usando o grafite de um lápis, e o ato de apagar essas palavras, usando uma borracha, fisicamente envolvem a ideia de trabalho e força de

atrito e, consequentemente, de energia na forma de calor. Com base apenas na relação entre o grafite e o papel, e entre a borracha e o papel, pode-se afirmar que

a) escrever absorve calor do ambiente e apagar entrega

calor ao ambiente.

b) tanto escrever quanto apagar são processos

energeticamente reversíveis.

c) escrever e apagar entregam calor ao ambiente.

d) escrever e apagar absorvem calor do ambiente.

e) o trabalho realizado para escrever envolve força de

atrito cinético zero.

06. (ENEM/2005) Observe a situação descrita na tirinha a seguir

Observe a situação descrita na tirinha a seguir Assim que o menino lança a flecha, há
Observe a situação descrita na tirinha a seguir Assim que o menino lança a flecha, há

Assim que o menino lança a flecha, há transformação

de um tipo de energia em outra. A transformação, nesse caso, é de energia

a) potencial elástica em energia gravitacional.

b) gravitacional em energia potencial.

c) potencial elástica em energia cinética

d) cinética em energia potencial elástica.

e) gravitacional em energia cinética.

07. (ENEM/2010) Deseja-se instalar uma estação de

geração de energia elétrica em um município localizado no interior de um pequeno vale cercado de altas montanhas de difícil acesso. A cidade é cruzada por um rio, que é fonte de água para consumo, irrigação das lavouras de subsistência e pesca. Na

região, que possui pequena extensão territorial, a incidência solar é alta o ano todo. A estação em questão irá abastecer apenas o município apresentado. Qual forma de obtenção de energia, entre as apresentadas, é a mais indicada para ser implantada nesse município de modo a causar o menor impacto

ambiental?

a) Termelétrica, pois é possível utilizar a água do rio no

sistema de refrigeração.

b) Eólica, pois a geografia do local é própria para a

captação desse tipo de energia.

c) Nuclear, pois o modo de resfriamento de seus

sistemas não afetaria a população.

d) Fotovoltaica, pois é possível aproveitar a energia

solar que chega à superfície do local.

e) Hidrelétrica, pois o rio que corta o município é

suficiente para abastecer a usina construída.

08. (UFSM-RS) As usinas hidroelétricas, que utilizam

a água acumulada em represas para fazer funcionar

suas turbinas, são responsáveis pela perturbação no ciclo natural das cheias e secas dos rios, pela inundação de áreas de terra cada vez maiores, pela retenção de nutrientes que, se não fosse esse uso, estariam distribuídos mais ou menos uniformemente, ao longo dos rios.

A queima de carvão mineral para a geração do vapor

d'água que move as turbinas das usinas termoelétricas lança, na atmosfera, além de dióxido de carbono, grandes quantidades de enxofre e óxidos nitrogenados,

gases que formam a chuva ácida. As usinas nucleares causam impacto ambiental mesmo na ausência de acidentes, porque retiram a água do mar ou dos rios

para resfriar os núcleos de seus geradores, devolvendo-

a a uma temperatura bem mais alta. Esse aquecimento afeta os organismos aquáticos, pois o aumento da temperatura deixa a água pobre em oxigênio pela diminuição da solubilidade.

A figura a seguir, representa uma barragem com a

canalização que leva a água à turbina

uma barragem com a canalização que leva a água à turbina Se não existe perda de

Se não existe perda de energia no escoamento e se o

módulo da velocidade da água em P é v, a energia disponível para girar a turbina, para uma quantidade de

água de massa m, é:

a) (1/2) mv 2 + mgh

b) mgh

c) (1/2) mv 2 - mgh

d) (1/2) mv 2

e) (1/2) mv 2 + mg(20m + h)

09. (ENEM/2010) O crescimento da produção de energia elétrica ao longo do tempo tem influenciado decisivamente o progresso da humanidade, mas também tem criado uma séria preocupação: o prejuízo ao meio ambiente. Nos próximos anos, uma nova tecnologia de geração de energia elétrica deverá ganhar espaço: as células a combustível hidrogênio/oxigênio.

espaço: as células a combustível hidrogênio/oxigênio. (VILLULLAS, H. M; TICIANELLI, E. A; GONZÁLEZ, E. R.

(VILLULLAS, H. M; TICIANELLI, E. A; GONZÁLEZ, E. R. Química Na Nova Escola. Nº- 15, maio 2002).

Com base no texto e na figura, a produção de energia elétrica por meio da célula a combustível hidrogênio/oxigênio diferencia-se dos processos convencionais porque

a) transforma energia química em energia elétrica, sem

causar danos ao meio ambiente, porque o principal

subproduto formado é a água.

b) converte a energia química contida nas moléculas

dos componentes em energia térmica, sem que ocorra a produção de gases poluentes nocivos ao meio ambiente.

c) transforma energia química em energia elétrica,

porém emite gases poluentes da mesma forma que a produção de energia a partir dos combustíveis fósseis. d) converte energia elétrica proveniente dos combustíveis fósseis em energia química, retendo os gases poluentes produzidos no processo sem alterar a qualidade do meio ambiente. e) converte a energia potencial acumulada nas moléculas de água contidas no sistema em energia

química, sem que ocorra a produção de gases poluentes nocivos ao meio ambiente.

10. (UFMG) Rita está esquiando numa montanha dos Andes. A energia cinética dela em função do tempo, durante parte do trajeto, está representada neste gráfico

durante parte do trajeto, está representada neste gráfico gráfico, correspondem a dois instantes diferentes do

gráfico,

correspondem a dois instantes diferentes do movimento

Os

pontos

Q

e

R,

indicados

nesse

de Rita. Despreze todas as formas de atrito. Com base

nessas informações, é CORRETO afirmar que Rita

atinge

a) velocidade máxima em Q e altura mínima em R.

b) velocidade máxima em R e altura máxima em Q.

c) velocidade máxima em Q e altura máxima em R.

d) velocidade máxima em R e altura mínima em Q

Aula 10 - Impulso E Quantidade De Movimento De Uma Partícula

Impulso é uma grandeza física vetorial que relaciona o valor da força aplicada num corpo e o tempo de atuação desta força sobre ele. Desta forma, é dado por:

I = F.t

Onde

I = valor do impulso (unidade de medida: N.s) F = força (unidade de medida: N)

t = tempo (unidade de medida: segundos)

Quantidade de movimento é uma grandeza física vetorial que descreve a relação entre a massa de um corpo e a sua velocidade de deslocamento. Desta forma, é dada por:

Q = m.v

Onde

Q = quantidade de movimento (unidade de medida:

kg.m/s) m = massa do corpo (unidade de medida: kg)

v = velocidade do corpo (unidade de medida: m/s)

Teorema do impulso

O valor do impulso das resultantes de forças que agem sobre um corpo, num determinado intervalo de

tempo, é igual à variacao da quantidade de movimento

do corpo neste mesmo intervalo de tempo”

Desta forma:

I = Q final Q inicial

Onde:

I = impulso (unidade de medida N.s ou kg.m/s)

Q

final = quantidade de movimento final

Q

inicial = quantidade de movimento inicial

Exercícios

01. (UERJ/2012) Observe a tabela abaixo, que

apresenta as massas de alguns corpos em movimento uniforme.

Corpos

Massa

Velocidade

(kg)

(km/h)

leopardo

120

60

automóvel

1100

70

caminhão

3600

20

Admita que um cofre de massa igual a 300 kg cai, a partir do repouso e em queda livre de uma altura de 5 m. Considere Q1 , Q2 , Q3 e Q4 , respectivamente, as quantidades de movimento do leopardo, do automóvel, do caminhão e do cofre ao atingir o solo. As magnitudes dessas grandezas obedecem relação indicada em:

a)

b)

c)

d)

Q1 Q1 Q4 Q4 Q4 Q4 Q1 Q1 Q2 Q3 Q2 Q3 Q3 Q2 Q3
Q1 Q1 Q4 Q4
Q4 Q4 Q1 Q1
Q2 Q3 Q2 Q3
Q3 Q2 Q3 Q2

(UFTM/2012) Em algumas circunstâncias nos

deparamos com situações de perigo e, para esses momentos, são necessários equipamentos de segurança

a fim de evitar maiores danos. Assinale a alternativa que justifica corretamente o uso de determinados dispositivos de segurança.

a) O cinto de segurança e o air-bag, utilizados nos

automóveis, servem para amortecer o impacto do motorista em uma colisão e, consequentemente, reduzir

a variação do módulo da quantidade de movimento do motorista na colisão.

b) Um automóvel, ao fazer uma curva com velocidade

de módulo constante, varia o módulo da quantidade de movimento do motorista, uma vez que a resultante das forças nele aplicadas é nula devido ao uso do cinto de segurança.

c) Em uma atividade circense, o trapezista ao cair do

trapézio é amortecido por uma rede de proteção,

responsável pela anulação da quantidade de movimento devido ao impulso que ela lhe aplica, o que não ocorreria se ele caísse diretamente no solo.

d) O impulso exercido por uma rede de proteção sobre

o trapezista é igual àquele exercido pelo solo, caso não haja a rede; porém, o tempo de interação entre o

trapezista e a rede é maior, o que faz com que diminua

a força média exercida sobre o trapezista pela rede, em relação ao solo.

e) Ao cair sobre a rede de proteção o trapezista recebe

da rede uma força maior do que aquela recebida se caísse no solo, oferecendo a ele maior segurança e diminuindo o risco de acidente.

02.

03. (FUVEST/2012) Maria e Luísa, ambas de massa M, patinam no gelo. Luísa vai ao encontro de Maria com velocidade de módulo V. Maria, parada na pista, segura uma bola de massa m e, num certo instante, joga

a

bola para Luísa. A bola tem velocidade de módulo ,

joga a bola para Luísa. A bola tem velocidade de módulo , na mesma direção de

na mesma direção de V . Depois que Luísa agarra a bola, as velocidades de Maria e Luísa, em relação ao solo, são, respectivamente,

a)

b)

c)

em relação ao solo, são, respectivamente, a) b) c) 0 m ; ; / M V
0 m ; ; / M V V MV / 2 / m ;
0 m ;
;
/ M V
V MV / 2 / m
;

e) (M m V / / M 2-m ; (m

d)

m ; ; / M V V MV / 2 / m ; e) (M m

-MV) / (M -MV m) / 2) / (M

)/ M ; (m m)
)/ M ; (m
m)
V / / M 2-m ; (m d) -MV) / (M -MV m) / 2) /
V / / M 2-m ; (m d) -MV) / (M -MV m) / 2) /
V / / M 2-m ; (m d) -MV) / (M -MV m) / 2) /
V / / M 2-m ; (m d) -MV) / (M -MV m) / 2) /
V / / M 2-m ; (m d) -MV) / (M -MV m) / 2) /
V / / M 2-m ; (m d) -MV) / (M -MV m) / 2) /

04. (UEM/2012) Durante o treino classificatório para

o Grande Prêmio da Hungria de Fórmula 1, em 2009, o

piloto brasileiro Felipe Massa foi atingido na cabeça por uma mola que se soltou do carro que estava logo à

sua frente. A colisão com a mola causou fratura craniana, uma vez que a mola ficou ali alojada, e um corte de 8 cm no supercílio esquerdo do piloto. O piloto brasileiro ficou inconsciente e seu carro colidiu com a proteção de pneus. A mola que atingiu o piloto era de aço, media 12 cm de diâmetro e tinha, aproximadamente, 800 g. Considerando que a velocidade do carro de Felipe era de 270 km/h, no instante em que ele foi atingido pela mola, e desprezando a velocidade da mola e a resistência do ar, assinale o que for correto.

01) A quantidade de movimento (momento linear)

transferida do piloto para a mola foi de, aproximadamente, 75 kg.m.s -1 .

02) Pode-se dizer que esse tipo de colisão é uma

colisão perfeitamente inelástica.

04) Tomando-se o referencial do piloto Felipe Massa,

pode-se dizer que a velocidade da mola era de 270 km/h.

08) Considerando que o intervalo de tempo do impacto

(a duração do impacto) foi de 0,5 s, a aceleração média da mola foi de 150 m/s 2 .

16) Considerando que, após o final da colisão, a

velocidade da mola em relação ao piloto é nula, e

tomando o referencial do piloto Felipe Massa, pode-se afirmar que a função horária da posição da mola, após

o final da colisão, foi de segundo grau.

05. (UEPG/2011) Considerando o teorema da impulsão, assinale o que for correto. 01) No gráfico da variação da quantidade de movimento contra o tempo (ΔQ x t), o coeficiente

angular da reta apresentada corresponde ao valor da massa do corpo sobre o qual a força F é aplicada.

02) Para um instante t = 0, a quantidade de movimento

de um corpo é nula.

04) Se a resultante de um sistema de força que atua

sobre um corpo em movimento for nula, a velocidade

do corpo poderá ser alterada se houver variação da massa do corpo.

08) O impulso é uma grandeza vetorial e a sua direção

e sentido são os mesmos que os da força.

16) O impulso causado por uma força resultante sobre um corpo é igual à variação de sua quantidade de movimento.

06. (FGV/2010) Uma ema pesa aproximadamente 360

N e consegue desenvolver uma velocidade de 60 km/h,

o que lhe confere uma quantidade de movimento linear, em kg.m/s, de Dado: aceleração da gravidade = 10 m/s 2

a) 36.

b) 360.

c) 600.

d) 2 160.

e) 3 600.

07. (UFF/2009) Para construir barracos em uma região

onde predominam matacões (pedras gigantes), os invasores do Jardim Paraná, loteamento clandestino na

serra da Cantareira, pagam a pedreiros para explodirem

as pedras com dinamite. Algumas dessas pedras ficam

instáveis. Suponha que uma pedra de 10 toneladas, inicialmente em repouso, deslize, sem rolar, de uma

altura de 72 metros e que, nesse processo, aproximadamente 90% da variação de sua energia potencial gravitacional seja dissipada por atrito. (www.conservation.org) Considerando a aceleração da gravidade igual a 10 m/s 2 , a quantidade de movimento final da pedra em kg m/s é, aproximadamente, igual a:

a) 1,4 x 10 2

b) 1,2 x 10 5 .

c) 7,2 x 10 5

d) 3,6 x 10 6

e) 6,5 x 10 6

08. (UFLAVRAS) Um caminhão de 3t (3000kg) de

massa e uma bicicleta de 10kg de massa movem-se com velocidade de 20km/h (≈5,6m/s). Das afirmações abaixo, qual é a VERDADEIRA?

a) A quantidade de movimento é uma grandeza escalar

e, portanto, não depende nem da direção nem do sentido da velocidade.

b) Como o caminhão e a bicicleta têm a mesma

velocidade, a quantidade de movimento também é a

mesma.

c) A quantidade de movimento do caminhão tem valor

16,8kg.m/s e sempre o mesmo sentido de sua velocidade.

d) Os vetores quantidade de movimento do caminhão e

da bicicleta serão iguais caso eles tenham velocidades com mesma direção e mesmo sentido.

e) O valor da quantidade de movimento de cada um

deles é diferente porque suas massas são diferentes.

09. (UNAERP) Um caminhão, um carro pequeno e

uma moto percorrem uma trajetória retilínea. Os três tem a mesma velocidade constante, suponha o atrito desprezível. Em um certo instante, inicia-se uma descida bem íngreme. Todos os veículos resolvem

economizar combustível e descem na banguela. Podemos afirmar que:

a) a quantidade de movimento dos três permanece igual

até o término da descida, pois eles não têm aceleração.

b) a aceleração do caminhão é maior, por isso sua

quantidade de movimento é maior.

c) o carro e a moto têm velocidade menor, mas têm a

mesma quantidade de movimento.

d) a velocidade inicial dos três é a mesma, mas as

quantidades de movimento são diferentes

e) a aceleração, em ordem decrescente, é: moto, carro

caminhão.

Aula 11 - Momento De Uma Força Em Relação A Um Ponto

Chama-se momento de uma força F aplicada num ponto P, em relação a um ponto O, ao produto da intensidade F da força pela distância d do ponto O à linha de ação da força.

M 0 = ± FD

d do ponto O à linha de ação da força. M 0 = ± FD Por

Por convenção, o momento pode ser positivo ou negativo. Adota-se o sinal (+) se a força F tende a girar horário e (-) no sentido anti-horário, ou vice versa, uma vez que trata-se de apenas uma convenção . O ponto O é denominado polo, e a distância d, braço. A unidade de momento no Sistema Internacional de Unidades (SI) é Newton x metro (N.m) A condição para um ponto material estar em equilíbrio em relação a um referencial é que a resultante das forças que nele atuam seja nula. A gangorra também é um sistema que permite investigar a eficiência de uma força em produzir rotação:

a eficiência de uma força em produzir rotação: Verifica-se que, se o peso do garoto A

Verifica-se que, se o peso do garoto A é o dobro do peso do garoto B, é necessário que a distância de B até o eixo E seja o dobro da distância de A até esse mesmo eixo para que ambos fiquem em equilíbrio.

Exercícios

01. (PUCPR) Duas esferas rígidas 1 e 2, de mesmo diâmetro, estão em equilíbrio dentro de uma caixa, como mostra a figura a seguir. Considerando nulo o atrito entre todas as superfícies, assinale o diagrama que representa corretamente as forças de contato que agem sobre a esfera 2 nos pontos A, B e C.

de contato que agem sobre a esfera 2 nos pontos A, B e C. 02. (UFMG/2005)

02. (UFMG/2005) Gabriel está na ponta de um trampolim, que está fixo em duas estacas - 1 e 2 -, como representado nesta figura:

em duas estacas - 1 e 2 -, como representado nesta figura: Sejam F 1 e

Sejam F 1 e F 2 ‚ as forças que as estacas 1 e 2 fazem, respectivamente, no trampolim. Com base nessas informações, é CORRETO afirmar que essas forças estão na direção vertical e

a) têm sentido contrário, F 1 para cima e F 2 ‚ para baixo.

b) ambas têm o sentido para baixo.

c) têm sentido contrário, F 1 para baixo e F 2 para cima.

d) ambas têm o sentido para cima.

03. (UERJ) Para demonstrar as condições de equilíbrio de um corpo extenso, foi montado o experimento na figura 1, em que uma régua, graduada de A a M, permanece em equilíbrio horizontal, apoiada no pino de uma haste vertical. Um corpo de massa 60g é colocado no ponto A e um corpo de massa 40g é colocado no ponto I, conforme ilustrado na figura 2.

40g é colocado no ponto I, conforme ilustrado na figura 2. Para que a régua permaneça
40g é colocado no ponto I, conforme ilustrado na figura 2. Para que a régua permaneça

Para que a régua permaneça em equilíbrio horizontal, a massa, em gramas, do corpo que deve ser colocado no ponto K, é de:

a) 90

b) 70

c) 40

d) 20

04. (UFMG) Para carregar quatro baldes idênticos, Nivaldo pendura-os em uma barra, como mostrado na figura adiante. Essa barra é homogênea e possui suportes para os baldes, igualmente espaçados entre si, representados, na figura pelos pontos escuros. Para manter uma barra em equilíbrio, na horizontal, Nivaldo a apóia, pelo ponto médio, no ombro. Nivaldo, então, removeu um dos baldes e rearranja os demais de forma a manter a barra em equilíbrio, na horizontal, ainda apoiada pelo seu ponto médio. Assinale a alternativa que apresenta um arranjo POSSÍVEL para manter os baldes em equilíbrio nessa nova situação.

para manter os baldes em equilíbrio nessa nova situação. 05. (UFRJ) Na figura a seguir suponha

05. (UFRJ) Na figura a seguir suponha que o menino esteja empurrando a porta com uma força F 1 = 5N, atuando a uma distância d 1 = 2 metros das dobradiças (eixo de rotação) e que o homem exerça uma força F 2 =80N a uma distância de 10cm do eixo de rotação.

Nestas condições, pode-se afirmar que a) a porta estaria girando no sentido de ser fechada.

Nestas condições, pode-se afirmar que

a) a porta estaria girando no sentido de ser fechada.

b) a porta estaria girando no sentido de ser aberta.

c) a porta não gira em nenhum sentido.

d) o valor do momento aplicado à porta pelo homem é

maior que o valor do momento aplicado pelo menino.

e) a porta estaria girando no sentido de ser fechada pois

a massa do homem é maior que a massa do menino.

06. (UERJ/2012) Uma balança romana consiste em

uma haste horizontal sustentada por um gancho em um ponto de articulação fixo. A partir desse ponto, um pequeno corpo P pode ser deslocado na direção de uma das extremidades, a fim de equilibrar um corpo colocado em um prato pendurado na extremidade oposta. Observe a ilustração:

pendurado na extremidade oposta. Observe a ilustração: Quando P equilibra um corpo de massa igual a

Quando P equilibra um corpo de massa igual a 5 kg, a

distância d de P até o ponto de articulação é igual a 15 cm. Para equilibrar um outro corpo de massa igual a 8 kg, a distância, em centímetros, de P até o ponto de articulação deve ser igual a:

a) 28

b) 25

c) 24

d) 20

07. (FUVEST/2012) Um móbile pendurado no teto

tem três elefantezinhos presos um ao outro por fios, como mostra a figura. As massas dos elefantes de cima, do meio e de baixo são, respectivamente, 20g, 30g e 70g. Os valores de tensão, em newtons, nos fios superior, médio e inferior são, respectivamente, iguais

a

Note e adote: Desconsidere as massas dos fios.

Aceleração da gravidade

g

10 m/s 2 .
10 m/s
2
.
as massas dos fios. Aceleração da gravidade g 10 m/s 2 . a) 1,2; 1,0; 0,7.

a) 1,2; 1,0; 0,7.

b) 1,2; 0,5; 0,2.

c) 0,7; 0,3; 0,2.

d) 0,2; 0,5; 1,2.

e) 0,2; 0,3; 0,7.

TEXTO PARA A PRÓXIMA QUESTÃO:

Adote os conceitos da Mecânica Newtoniana e as seguintes convenções:

a) O valor da aceleração da gravidade:

b) A resistência do ar pode ser desconsiderada.

g

10 m/s 2 ;
10 m/s
2
;

08. (UFPB/2012) Um navio cargueiro está sendo carregado de minério no porto de Cabedelo. O carregamento é, hipoteticamente, feito por um guindaste, manobrado por um operador que suspende, de cada vez, dois containers acoplados às extremidades de uma barra de ferro de três metros de comprimento, conforme esquema a seguir:

de três metros de comprimento, conforme esquema a seguir: Na última etapa do carregamento, o container

Na última etapa do carregamento, o container 1 é completamente preenchido de minério, totalizando uma

massa de 4 toneladas, enquanto o container 2 é

preenchido pela metade, totalizando uma massa de 2 toneladas. Para que os containers sejam suspensos em equilíbrio, o operador deve prender o gancho do guindaste exatamente no centro de massa do sistema, formado pelos dois containers e pela barra de ferro.

Nesse sentido, desprezando a massa da barra de ferro, conclui-se que a distância entre o gancho (preso na barra pelo operador) e o container 1 deve ser de:

a) 0,5 m

b) 1,0 m

c) 1,5 m

d) 2,0 m

e) 2,5 m

09. (FGV-RJ/2011) Três adolescentes, José, Ana e

Lúcia, pesando, respectivamente, 420 N, 400 N e 440

N, estão sentados sobre uma gangorra. A gangorra é de

material homogêneo, e seu ponto central O está apoiado em um suporte. De um lado da gangorra estão

José e Ana, distantes do ponto O, respectivamente, 1,0

m e 1,7 m, equilibrando a gangorra na horizontal com Lúcia do outro lado. Nestas condições, desprezando

efeitos devidos às dimensões dos jovens, a distância de Lúcia ao ponto O é igual a

a) 3,0 m

b) 1,0 m

c) 2,7 m

d) 2,5 m

e) 1,7 m

Aula 12 - Massa Específica Ou Densidade Absoluta (Μ) E Pressão Exercida Por Um Corpo E Pressão De Líquidos

Fixadas a temperatura e a pressão, uma substância pura tem a propriedade fundamental de apresentar massa diretamente proporcional ao respectivo volume. Em pressão e temperatura constantes, uma substância pura tem massa específica (μ) constante e calculada pela divisão da massa considerada (m) pelo volume correspondente (v):

μ = m / V

A unidade de medida no Sistema Internacional é kg/m 3 ,

embora muito se utiliza em exercícios a unidade g/cm 3 ,

necessitando na maioria dos casos proceder à conversão de unidades.

Pressão de um corpo

A pressão é a grandeza física que relaciona a força a

que um objeto está sujeito dividida pela área da superfície sobre a qual a força age. Definimos a força aqui como sendo uma força agindo perpendicularmente

à superfície.

P

F

uma força agindo perpendicularmente à superfície. P F A Onde: P = pressão (unidade de medida

A

Onde:

P = pressão (unidade de medida N/m 2 ou Pascal)

F= força (unidade de medida: Newton)

A = área da superfície (unidade de medida: m 2 ).

Pressão Atmosférica

Acima de cada ponto da superfície terrestre, podemos considerar que há uma coluna de ar exercendo pressão a chamada pressão atmosférica. Quem evidenciou esse fato pela primeira vez foi o cientista italiano Torricelli. Nas unidades práticas de pressão, a pressão atmosférica ao nível do mar vale:

P atm =76cmHg = 760mmHg

No sistema Internacional de Unidades (SI), temos: P atm =1,013. 10 5 N/m 2 A pressão atmosférica depende da altitude do local. Por exemplo, a pressão atmosférica na cidade do Rio de Janeiro é maior que pressão atmosférica em Belo Horizonte. Esse fato pode ser explicado com base no teorema de Stevin: sobre o Rio de Janeiro, ao nível do mar, a coluna de ar é maior que sobre Belo Horizonte, situada numa maior altitude (836 metros)

Pressão em um líquido - Teorema de Stevin

Este teorema diz que a pressão absoluta em um ponto de um líquido homogêneo, incompressível, de densidade “d”, localizado a uma profundidade “h” é igual à pressão atmosférica local, exercida na superfície do líquido, adicionada da pressão do próprio líquido (d.g.h), não dependendo da forma do recipiente. Desta forma:

P total = P atmosférica + d.g.h

Onde:

P total = pressão total observada no ponto analisado (unidade de medida: N/m 2 ). P atmosférica = pressão atmosférica na superfície do líquido (unidade de medida: N/m 2 ). d. = densidade do líquido (unidade de medida: kg/m 3 ). g= aceleração da gravidade local (m/s 2 ) h = profundidade do ponto estudado (metro)

Exercícios

01. (FUVEST) O comandante de um jumbo decide

elevar

11000m. Com relação a anterior, nesta 2ª altitude:

de 9000m para

a

altitude de vôo

do

avião

a) a distância do vôo será menor.

b) o empuxo que o ar exerce sobre o avião será maior.

c) a densidade do ar será menor.

d) a temperatura externa será maior.

e) a pressão atmosférica será maior.

02. (FAAP/2006) A massa de um bloco de granito é

6,5t e a densidade do granito é 2.600kg/m 3 . Qual o volume do bloco?

a) 0,0025 m 3

b) 0,025 m 3

c) 0,25 m 3

d) 2,50 m 3

e) 25,00 m 3

03. (MACKENZIE) Assinale a alternativa correta. a) Dois corpos de mesma densidade têm necessariamente a mesma massa.

mesma densidade têm

necessariamente o mesmo volume.

c) Dois corpos de mesma densidade têm

necessariamente a mesma massa e o mesmo volume.

d) Dois corpos de mesma densidade possuem a mesma

massa quando possuem também o mesmo volume.

e) As alternativas (c) e (d) são ambas corretas.

b) Dois

corpos

de

04. (CESGRANRIO) Abandona-se um lápis L sobre a

superfície de um líquido, de duas formas distintas:

a superfície de um líquido, de duas formas distintas: A opção que melhor explica as situações

A opção que melhor explica as situações (I) e (II) é:

a) A massa do lápis em (I) é maior que em (II);

b) A força que o lápis exerce sobre o líquido é maior

que em (I) que em (II);

c) A pressão do lápis sobre o líquido em (I) é menor

que em (II);

d) A pressão do lápis sobre o líquido em (I) é maior

que em (II);

e) A densidade do lápis na vertical é maior que na

horizontal.

05. (UFSC) Um mergulhador atinge uma profundidade

de 60m quando parte no encalço de um peixe que lhe daria a vitória numa competição de caça submarina. Para voltar à superfície e exibir o resultado de sua pescaria, é CORRETO afirmar que ele deveria:

01) subir rapidamente, pois a essa profundidade não são causados quaisquer tipos de danos à sua saúde. 02) subir à mesma velocidade com que desceu, pois o seu organismo reage de forma idêntica na subida e na descida. 04) subir muito lentamente, para evitar a descompressão rápida, o que poderia causar a vaporização de elementos do sangue, gerando uma embolia. 08) subir muito lentamente, evitando descompressão rápida, prevenindo uma pneumonia por entrada de água nos pulmões. 16) subir rapidamente, para evitar o afogamento pela entrada de água nos pulmões. 32) subir muito lentamente, para evitar o surgimento de bolhas na corrente sangüínea, pela redução da temperatura de transição de fase de alguns elementos.

06. (UFSM/2012) Dentro de uma mina de carvão, existe acúmulo de água. Para retirar essa água, uma

bomba de sucção é instalada na boca da mina, ao nível do solo. Assim,

a) quanto maior a profundidade da água, maior deve ser

a potência do motor que aciona a bomba.

b) se a profundidade da água é maior do que 11 m, a

bomba não retira água da mina.

c) se a profundidade da água é grande, duas ou mais

bombas devem ser instaladas em série ao nível do solo.

d) a mesma bomba pode retirar a água em qualquer

profundidade, mas, com profundidades maiores,

diminui a vazão nas tubulações.

e) a bomba de sucção não pode retirar água da mina,

porque só funciona no vácuo.

07. (UFF/2012) Submarinos possuem tanques de lastro, que podem estar cheios de água ou vazios. Quando os tanques estão vazios, o submarino flutua na superfície da água, com parte do seu volume acima da superfície. Quando os tanques estão cheios de água, o submarino flutua em equilíbrio abaixo da superfície.

o submarino flutua em equilíbrio abaixo da superfície. Comparando os valores da pressão (p) no fundo
o submarino flutua em equilíbrio abaixo da superfície. Comparando os valores da pressão (p) no fundo

Comparando os valores da pressão (p) no fundo do submarino e do empuxo (E) sobre o submarino quando os tanques estão cheios (pc,Ec ) com os valores das mesmas grandezas quando os tanques estão vazios (pv,Ev ) é correto afirmar que

a) pc pv,Ec pv,Ec Ev. Ev. b) c) d) e) pc pc pc pc pv,Ec
a) pc
pv,Ec pv,Ec
Ev. Ev.
b)
c) d) e) pc pc pc pc
pv,Ec pv,Ec pv,Ec
Ev. Ev. Ev.

08. (UEG/2011) Em 15 de abril de 1875, na França, o balão Zenith voou a uma altitude de 8.600 m. Dois dos seus tripulantes morreram em decorrência das mudanças funcionais promovidas pela altitude. Sobre esses tipos de mudanças numa pessoa saudável e normal, é correto afirmar:

a) os efeitos apenas serão sentidos em altitudes superiores a 8000 m, quando a frequência respiratória aumenta drasticamente.

b) o que ocasionou a morte dos dois tripulantes foi um

efeito conhecido como hipoxia, ou seja, o alto fornecimento de oxigênio.

c) os efeitos se devem essencialmente à diminuição da

pressão atmosférica, o que é consequência da diminuição da densidade do ar. d) já em baixas altitudes, próximas de 1.000 m, surgem uma série de distúrbios, como dificuldade de respirar,

taquicardia, náusea, vômito e insônia.

09. (CPS/2011) “Os estudos dos efeitos da altitude sobre a performance física começaram a ser realizados depois dos Jogos Olímpicos de 1968. A competição realizada na Cidade do México, a 2 400 metros, registrou nas corridas de média e longa distância o triunfo de atletas de países montanhosos, como Tunísia, Etiópia e Quênia, enquanto australianos e

americanos, os favoritos, mal conseguiam alcançar a linha de chegada.” (http://veja.abril.com.br/idade/exclusivo/perguntas_res postas/altitudes/index.shtml Acesso em: 12.09.2010.)

Os americanos e australianos não tiveram sucesso nas provas pois, nas condições atmosféricas da Cidade do México, não estavam adaptados

a) à diminuição da pressão atmosférica e à consequente

rarefação do ar.

b) ao aumento da pressão atmosférica e à consequente

diminuição do oxigênio.

c) à diminuição da resistência do ar e ao consequente

aumento da pressão atmosférica. d) à diminuição da pressão atmosférica e ao

consequente aumento da oxigenação do sangue.

e) ao aumento da insolação no clima de montanha e ao

consequente aumento de temperatura no verão.

10. (UPE/2011) A aparelhagem mostrada na figura abaixo é utilizada para calcular a densidade do petróleo. Ela é composta de um tubo em forma de U com água e petróleo.

Dados: 1.000kg / m considere 3 a densidade da água igual
Dados:
1.000kg / m
considere
3
a
densidade
da
água
igual

a

Considere h = 4 cm e d = 5 cm. Pode-se afirmar que o

valor da densidade do petróleo, em

a) 400

b) 800

c) 600

d) 1200

e) 300

kg / m

3

, vale

11. (ENEM/2011) Um tipo de vaso sanitário que vem substituindo as válvulas de descarga está esquematizado na figura. Ao acionar a alavanca, toda a água do tanque é escoada e aumenta o nível no vaso, até cobrir o sifão. De acordo com o Teorema de Stevin, quanto maior a profundidade, maior a pressão. Assim, a água desce levando os rejeitos até o sistema de esgoto. A válvula da caixa de descarga se fecha e ocorre o seu enchimento. Em relação às válvulas de descarga, esse tipo de sistema proporciona maior economia de água.

esse tipo de sistema proporciona maior economia de água. A característica de funcionamento que garante essa

A característica de funcionamento que garante essa

economia é devida

a) à altura do sifão de água.

b) ao volume do tanque de água.

c) à altura do nível de água no vaso.

d) ao diâmetro do distribuidor de água.

e) à eficiência da válvula de enchimento do tanque.

Aula 13 - Teorema De Arquimedes (Empuxo) E Princípio De Pascal

Quando uma pessoa está mergulhada nas águas de uma piscina ou no mar, sente-se mais leve, como se o líquido estivesse empurrando seu corpo para cima, aliviando seu peso. Ao que se sabe, foi o sábio grego Arquimedes de Siracusa quem pela primeira vez teve a percepção desse fato. Segundo alguns, ele teria chegado a essa conclusão durante um banho nas termas públicas da cidade em que vivia. Entusiasmado com a descoberta, o cientista teria saído nu pelas ruas, exclamando: “Heureca! Heureca!” (“Descobri!

Descobri!”)

Princípio de Arquimedes

Todo corpo mergulhado em um fluido sofre a

ação de uma força de empuxo vertical, para cima, igual

ao peso do líquido deslocado”.

Desta forma, o empuxo é calculado de acordo com a

seguinte relação matemática:

E = d líquido . g. V imerso

Onde

E = empuxo (unidade de medida: Newton)

d líquido

= densidade do líquido no qual está imerso o

corpo (kg/m 3 )

g

= aceleração da gravidade (m/s 2 )

V

imerso = volume imerso no líquido (m 3 )

Princípio de Pascal

Os acréscimos de pressão sofridos por um ponto de um líquido em equilíbrio são transmitidos integralmente a todos os pontos do líquido e das paredes do recipiente que o contém.

Exercícios

d)

240N.

01. (UFSCAR-SP) Um recipiente contendo água se encontra em equilíbrio sobre uma balança, como indica a figura 1. Uma pessoa põe uma de suas mãos dentro do recipiente, afundando-a inteiramente até o início do punho, como ilustra a figura 2. Com a mão mantida em repouso, e após restabelecido o equilíbrio hidrostático, verifica-se que a medida da balança sofreu um acréscimo de 4,5 N em relação à medida anterior

um acréscimo de 4,5 N em relação à medida anterior Sabendo que a densidade da água

Sabendo que a densidade da água é 1g/cm 3 , calcule o volume da mão em cm 3 .

02. (UEBA-BA) A camada gasosa que envolve a

Terra exerce pressão sobre a superfície terrestre e sobre

todos os corpos nela situados. Segundo Evangelista Torricelli, a pressão atmosférica, ao nível do mar, equivale a 760 mmHg. Com base nessas informações,

se um barômetro indica, para a pressão atmosférica, o valor de 70 cmHg, é possível que esse instrumento esteja situado:

a) em uma estação meteorológica qualquer.

b) No alto de uma montanha.

c) Em um posto salva-vidas à beira-mar.

d) Em um navio ancorado num ponto qualquer.

e) No terraço de um prédio de três andares,

construído numa cidade litorânea.

03. (UFGD/2010) Em alguns postos de gasolina, quando se troca o óleo de um automóvel, usa-se o princípio de Pascal para elevar o automóvel. Considerando a figura a seguir, que representa um elevador hidráulico, qual deve ser a força aplicada (F ) para se elevar um automóvel de 1,2 toneladas?

aplicada (F ) para se elevar um automóvel de 1,2 toneladas? Considere: A e A como

Considere: A e A como sendo circulares com raios respectivamente 5 cm e 50 cm, e g = 10 m/s 2

a) 360 N.

b) 1200 N.

e) 120 N

04. (ENEM/2010) Durante uma obra em um clube, um

grupo de trabalhadores teve de remover uma escultura de ferro maciço colocada no fundo de uma piscina vazia. Cinco trabalhadores amarraram cordas à escultura e tentaram puxá-la para cima, sem sucesso.

Se a piscina for preenchida com água, ficará mais fácil para os trabalhadores removerem a escultura, pois a

a) escultura flutuará. Dessa forma, os homens não

precisarão fazer força para remover a escultura do fundo.

b) escultura ficará com peso menor. Dessa forma, a

intensidade da força necessária para elevar a escultura será menor.

c) água exercerá uma força na escultura proporcional a

sua massa, e para cima. Esta força se somará à força que os trabalhadores fazem para anular a ação da força

peso da escultura.

d) água exercerá uma força na escultura para baixo, e

esta passará a receber uma força ascendente do piso da piscina. Esta força ajudará a anular a ação da força peso na escultura.

e) água exercerá uma força na escultura proporcional

ao seu volume, e para cima. Esta força se somará à força que os trabalhadores fazem, podendo resultar em uma força ascendente maior que o peso da escultura.

05. (UFGD/2009) Atualmente temos muitos esportes

radicais. Um deles, o “Skydiving”, consiste na prática

de pular de um avião com pára-quedas. Um praticante desse esporte, com massa de 75 kg, com braços e pernas abertos, atinge a velocidade máxima de 200 km/h. Com essas informações, qual a força do ar exercida no esportista, quando o mesmo atinge velocidade máxima?

a) 1000 N.

b) 750 N.

c) 850 N.

d) 1200 N.

e) 450 N.

06. (UNESP/2012) A maioria dos peixes ósseos

possui uma estrutura chamada vesícula gasosa ou bexiga natatória, que tem a função de ajudar na flutuação do peixe. Um desses peixes está em repouso na água, com a força peso, aplicada pela Terra, e o empuxo, exercido pela água, equilibrando-se, como mostra a figura 1. Desprezando a força exercida pelo movimento das nadadeiras, considere que, ao aumentar o volume ocupado pelos gases na bexiga natatória, sem que a massa do peixe varie significativamente, o

volume do corpo do peixe também aumente. Assim, o módulo do empuxo supera o da força peso, e o peixe sobe (figura 2).

Na situação descrita, o módulo do empuxo aumenta, porque a) é inversamente proporcional à variação

Na situação descrita, o módulo do empuxo aumenta, porque

a) é inversamente proporcional à variação do volume

do corpo do peixe.

b) a intensidade da força peso, que age sobre o peixe,

diminui significativamente.

c) a densidade da água na região ao redor do peixe

aumenta.

d) depende da densidade do corpo do peixe, que também aumenta.

e) o módulo da força peso da quantidade de água

deslocada pelo corpo do peixe aumenta.

07. (UNESP/2012) Duas esferas, A e B, maciças e de mesmo volume, são totalmente imersas num líquido e mantidas em repouso pelos fios mostrados na figura. Quando os fios são cortados, a esfera A desce até o fundo do recipiente e a esfera B sobe até a superfície, onde passa a flutuar, parcialmente imersa no líquido.

onde passa a flutuar, parcialmente imersa no líquido. Sendo P A e P B os módulos

Sendo P A e P B os módulos das forças Peso de A e B, e E A e E B os módulos das forças Empuxo que o líquido exerce sobre as esferas quando elas estão totalmente imersas, é correto afirmar que

a) P A < P B e E A = E B .

b) P A < P B e E A < E B .

c) P A > P B e E A > E B .

d) P A > P B e E A < E B .

e) P A > P B e E A = E B .

08. (UCS/2012) No desenho animado Up Altas Aventuras, o personagem Carl Fredricksen, um vendedor de balões, tem a ideia de viajar levando consigo a própria casa. Para isso, ele enche uma quantidade grande de balões com um gás e amarra-os à casa, que é erguida no ar. Por um certo tempo, a casa sobe. Mas, de repente, sem que nenhum balão seja solto, a ascensão vertical é interrompida e a casa se desloca, graças ao vento, apenas na horizontal. Por que isso aconteceu?

a) O empuxo do ar sobre os balões foi diminuindo à

medida que diminuía a densidade do ar.

b) A pressão atmosférica sobre o teto da casa foi

aumentando com a altura.

c) A temperatura baixa, que caracteriza a grande

altitude, fez aumentar a pressão interna e o volume dos

balões.

d)

Mesmo com os balões fechados, o número de moles

do

gás dentro deles diminuiu com a altura, reduzindo a

pressão manométrica sobre a casa.

e) Devido à altitude e ao atrito do ar, a temperatura da

casa aumentou e, por isso, diminuíram a pressão e o volume do gás dentro dos balões.

09. (UEG/2011) Em uma colisão automobilística frontal, observou-se que o volante foi deformado provavelmente pelo impacto com o tórax do motorista, além de uma quebra circular no para-brisa evidenciar o local de impacto da cabeça. O acidentado apresentou fratura craniana, deformidade transversal do esterno, contusão cardíaca e ruptura dos alvéolos pulmonares.

A lesão pulmonar ocorreu pela reação instintiva de

espanto do motorista ao puxar e segurar o fôlego, pois

a compressão súbita do tórax produziu a ruptura dos

alvéolos, assim como se estoura um saco de papel inflado. Sobre essa lesão pulmonar, é correto afirmar:

a)

pelo Princípio de Pascal, o aumento da pressão sobre

o

ar contido nos alvéolos foi inversamente proporcional

ao volume ocupado pelo fluido, cuja massa rompeu as paredes inferiores dos alvéolos.

b) pelo Princípio de Pascal, o aumento da pressão

anteroposterior sobre o ar contido nos alvéolos por

ação de pressão externa foi transmitido a todos os

pontos do fluido, inclusive à parede dos alvéolos.