Pontifícia Universidade Católica do Paraná PUCPR ENGENHARIA CIVIL MATERIAIS DE CONSTRUÇÃO III

CONTROLE ESTATÍSTICO DO CONCRETO (NBR 12.655/96)
1. OBJETIVO PRINCIPAL

Determinar o fck (resistência característica do concreto à compressão) de um concreto produzido “in situ” ou fornecido por uma central dosadora, de forma a verificar a segurança da estrutura. A homogeneidade do concreto é influenciada pela variabilidade dos agregados, cimento e aditivos usados, pois cada um contribuirá para a variação na resistência do concreto. A temperatura do concreto fresco interfere na quantidade de água necessária à absorção da consistência adequada e,conseqüentemente, contribui para a variação de resistência 2. ENSAIOS DE RESISTÊNCIA

Os corpos-de-prova indicam mais a resistência potencial do que a real de uma estrutura. Para serem significativas, as conclusões sobre resistência do concreto devem se basear numa amostragem de ensaios, da qual se possam estimar com razoável precisão as características do concreto. Ensaios insuficientes resultarão em conclusões não muito confiáveis 3. CONTROLE DA RESISTÊNCIA DO CONCRETO

Os procedimentos estatísticos constituem ferramentas importantes de valor considerável na avaliação dos resultados dos ensaios de resistência. FCK - Resistência característica do concreto à compressão: É o valor de referência que adota o projetista como base de cálculo. Está associada a um nível de confiança de 95%. Chama-se também resistência característica especificada ou de projeto. FCK ef.- Resistência característica real ou efetiva do concreto à compressão: Correspondente ao concreto de uma região homogênea da estrutura, é o valor que tem uma probabilidade de 0,95 de ser igualado à resistência de um corpo-de-prova cilíndrico tomado aleatoriamente dentro da região. Essa resistência característica real é um valor impossível de ser conhecido, pois seria necessário ensaiar todo o concreto da região considerada. FCK.est - Resistência característica estimada do concreto à compressão: Correspondente ao concreto de um lote que supõe homogêneo. É o valor obtido ao ensaiar alguns corpos-de-prova cilíndricos e aplicar aos resultados obtidos uma fórmula matemática – o estimador. Resulta uma estimativa, feita a partir de uma amostragem, e não uma certeza absoluta do valor da resistência característica real do concreto do lote em exame. LOTE É uma certa quantidade (volume) de concreto que se analisa de uma só vez. Deve ser homogêneo e corresponder a uma única população, ou seja, mesmos traço (cimento, agregados, equipamentos, relação água/cimento, etc.) mesma usina. Obs.: Todo lote de concreto deve estar identificado na estrutura por vigas, lajes, pilares, andares, blocos ou qualquer outra região ou parte definida da estrutura.

Profª Engª Civil Rosangela Zamberlan

em % Edifícios. a uma betonada. etc. Deve corresponder a uma unidade uniforme de concreto. moldados de acordo com a NBR 5738. ensaiados de acordo com a NBR 5739. moldados no mesmo ato. Em geral é composto de dois corpos-de-prova para ruptura em uma mesma idade. de acordo com a NBR NM-33. etc 100 m³ Grandes volumes Forma de identificar um lote Por volume 500 m³ Uma semana - Por superfície em planta 500 m² Por tempo de Duas semanas concretagem Por andar quando for o Um caso Profª Engª Civil Rosangela Zamberlan . ou seja. Define-se como resistência do exemplar a maior dos dois resultados de resistência à compressão dos corpos-de-prova. pavimentos. Cada exemplar é constituído por dois corpos-de-prova. Termo ou Notação fcm Sc Vc Significado Resistência média do concreto à compressão obtida a j dias de idade em MPa Desvio-padrão do processo de produção e ensaio do concreto obtido de uma ou mais amostras. AMOSTRA = CORPO-DE-PROVA Conjunto de exemplares que se admite como representativos de um lote. AMOSTRAGEM As amostras deverão ser coletadas aleatoriamente. para cada idade de rompimento. a um caminhão-betoneira. Resistência do exemplar – é a maior dos dois resultados de resistência à compressão dos corpos de prova. pontes.Pontifícia Universidade Católica do Paraná PUCPR ENGENHARIA CIVIL MATERIAIS DE CONSTRUÇÃO III EXEMPLAR É uma parte individualizada do lote que se toma para compor uma amostra representativa do mesmo. a j dias de idade. a j dias de idade em MPa Coeficiente de variação do processo de produção e ensaio do concreto obtido de uma ou mais amostras. muros. Cada exemplar é constituído de dois corpos de prova (CP).

1 Controle estatístico do concreto por amostragem parcial A.f1. fm = valores da resistência e ordem crescente n=número de exemplares m > n/2 .00 6 0. a água de amassamento é medida em volume mediante dispositivo dosador e os agregados medidos em volume.96 4 0. adotando-se para ψ6 os valores da tabela abaixo.89 0.aplicável às classes C10 até C25: O cimento é medido em massa.Pontifícia Universidade Católica do Paraná PUCPR ENGENHARIA CIVIL MATERIAIS DE CONSTRUÇÃO III 4. conforme disposto na NBR 7223..84 12 0..94 0. a água de amassamento é medida em massa ou volume com dispositivos dosador e corrigida em função da umidade dos agregados.89 ≥16 1. O volume de agregado miúdo é corrigido através da curva de inchamento estabelecida especificamente para o material utilizado.Despreza-se o valor mais alto de “n” se este for impar.fm-1 ..fm m-1 f1 + f2 . De acordo com a NBR 12655/96.. .99 0.95 0. a água de amassamento é medida em volume e a sua quantidade é corrigida em função da estimativa da umidade dos agregados e da determinação da consistência do concreto.91 A B ou C Nota: os valores de n entre 2 e 5 são empregados para os casos excepcionais.80 10 0.aplicável às classes C10 até C20: o cimento é medido em massa. = 2 x f1+f2+f3.00 1. Não se tomará valor menor que fckest = ψ 6f1 Observação: não se deve adotar fckestimado valor inferior a ψ6.02 1. Condição B: . definem-se as condições de preparo: Condição A (aplicável às classes C10 até C80): O cimento e os agregados são medidos em massa. Profª Engª Civil Rosangela Zamberlan . Condição C (aplicável apenas aos concretos de classe C10 e C15): O cimento é medido em massa. os agregados são medidos em volume.86 0. admitindo-se interpolação linear..75 8 0.2 Controle do concreto por amostragem total 4.97 0.92 0..3 Controle do concreto em casos excepcionais 4.02 7 0. A umidade do agregado miúdo é determinada pelo menos três vezes durante o serviço do mesmo turno de concretagem. a água de amassamento é medida em volume mediante dispositivo dosador e os agregados medidos em massa combinada com volume.93 Número de exemplares (n) 3 0.98 5 0. em função da condição de preparo do concreto e do número de exemplares da amostra. ou outro método normalizado.87 14 1.82 0. TIPOS DE CONTROLE DA RESISTÊNCIA 4. Número de exemplares: para lotes 6 ≤ n < 20 Fckest.91 0. Valores de ψ 6 Condição de preparo A B ou C 2 0.1 Controle estatístico do concreto por amostragem parcial 4.

Nestes casos.f1 Onde: f1 . denominados excepcionais. Fckestimado = f1 Onde: f1 é o menor valor das resistências dos exemplares Lotes com número de exemplares (n) > 20.05 n Lotes com número de exemplares (n) ≤ 20.é tabelado em função da condição de preparo do concreto e do número de exemplares da amostra .Pontifícia Universidade Católica do Paraná PUCPR ENGENHARIA CIVIL MATERIAIS DE CONSTRUÇÃO III B.é o menor valor das resistências dos exemplares ψ 6 . Casos excepcionais A estrutura poderá ser dividida em lotes com no máximo 10m3 e amostrá-los com número de exemplares entre 2 e 5. fm =valores da resistência e ordem crescente n = número de exemplares m > n/2 fcm=resistência média dos exemplares do lote Sd= desvio padrão do lote para n-1 resultados n Σ (fcm – fci)2 i=1 n-1 Controle do concreto por amostragem total Sd= 2.Quando cada lote tem o máximo de 10 m3 de concreto 2<n<5 fckest = δΨf1 Profª Engª Civil Rosangela Zamberlan . Número de exemplares . Exemplares em todas amassadas Casos especiais a critério do responsável técnico da obra Cálculo para n ≤ 20 fckest = f1 Cálculo para n > 20 fckest = f1 sendo i = 0. Fckestimado = fi * 3.65 Sd Sendo: f1 + f2 .para lotes n ≥ 20 fckest = fcm – 1. o valor de fckestimado é dado por: fckestimado = ψ 6...

5 29.8 24.6 22.6 23.7 27.3 21.4 – 25.9 25.2 Profª Engª Civil Rosangela Zamberlan .2 9 20.Pontifícia Universidade Católica do Paraná PUCPR ENGENHARIA CIVIL MATERIAIS DE CONSTRUÇÃO III 1º Exercício:  Tensão característica de projeto aos 28 dias fckestimado ≥ 20 MPa  Amostragem do lote de concretagem: 09 exemplares.4 5 22.4 20.9 23.1 7 24.5 24.96 x 21.9 25.1 22.3 23.0. = 2 x 21.2 29.0 21.1 6 22.9 – 22.0 22.02 MPa 2º Exercício:  Tensão característica de projeto aos 28 dias fckestimado ≥ 20 MPa  Amostragem do lote de concretagem: 20 exemplares.9 23.  Condição A de preparo do concreto.9 – 23.3 Fck est.6 23.1 – 23.9 24.3 21.2+22.8 25.8 20.4 22.0 23.3 – 24.5 22.2 21.8 21.7 20.0 2 25.1 25.9 > 20Mpa 4 Fckest = ψ6f1 .2 22.0 21.1 – 25.  Condição A de preparo do concreto.9+23 – 23.1 22.0 25.4 23.6 25.8 26.3 23.1 = 21.4 24. EXEMPLAR CORPO DE PROVA 64 dias 1 23.2 22.9 25.9 20.  Controle estatístico do concreto por amostragem parcial.9+22.9 21.4 b 21.1 26.0 – 23.9 22.8 21.7 22.9 3 21. EXEMPLAR CORPO DE PROVA 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12 13 14 15 16 17 18 19 20 a 23.9 = 21.4 21.2 – 22.2 4 23.3 22.1 8 23.

3 25.Pontifícia Universidade Católica do Paraná PUCPR ENGENHARIA CIVIL MATERIAIS DE CONSTRUÇÃO III EXEMPLO Resistência do concreto de projeto: Fck = 20 MPa Condição de preparo do concreto: B Resultado do rompimento dos corpos de prova: resistência à compressão de 12 Exemplares A B 22.4.0 MPa 6-1 5.5 21.2 f3 22.6) – 24.6 29.8 2. ψ 6 – Tabela de Condição de preparo do concreto – para 12 exemplares e condição B = 0.4 20.6 29.6 21.8 25.1 26.8 26. OBSERVAÇÃO: Caso os valores forem inferiores: 1.2 29.8 23.8 23.8 23. 4.8 24.9 22.6 f5 24.2 = 20.9 22.2 20.8 25.4 f2 22. 2.6+23.6 25.2 fmédio 25. Eliminar o menor valor de cada exemplar: entre o exemplar 22.aceitação automática deste lote da estrutura.9 20.8 25.1 25.9 20.9 f1 21.4+22.8 23. Encontrar o valor médio = fm 4.6 22.6 25. Não se deve adotar valor menor que: fckest = ψ 6f1 6.7 24. Como no exemplo acima.8 Resolução: 1.6 26.6 e 21. elimina-se o 21. Colocar em ordem crescente dos valores restantes: 20. 3.6 26.2 26. Fck= 0.5 21.4 20.1 25. Calcular a resistência estimativa através da fórmula Fck = 2 x (20. os valores de fck estimativo foram maiores.2 29. f1 é o primeiro valor dos valores restantes.4 21.2 26.9+21.4 27. 5.9 = 20.2+22.8 25. Deverão ser maiores ou igual ao de projeto.6 21.6 22.98.5 Mpa Para a estrutura ser aceita os valores de Fck est.7 21.7 24.7 21.8 27.4 27. Deve-se revisar o projeto Realizar ensaios específicos do concreto Aprovar a estrutura com restrições Reforçar a estrutura Demolir a estrutura Profª Engª Civil Rosangela Zamberlan .6 f4 23.4 21.8 24.3 25.2 29.98 x 20. A B 22.4.8 25.6 3.2 20.

Sign up to vote on this title
UsefulNot useful