Você está na página 1de 8

1.

ª Estação: Jesus é condenado à morte

Do Evangelho segundo S. João


Era a preparação da Páscoa e quase a hora Sexta. Pilatos disse
aos judeus: «Eis aqui o vosso Rei!» Mas eles gritaram: «À
morte, à morte. Crucifica-o!» Pilatos retorquiu: «Hei-de
crucificar o vosso Rei?» Os príncipes dos sacerdotes
responderam: «Não temos outro rei senão a César!» Então
entregou-lho para ser crucificado.

O jovem adolescente é condenado à morte ainda antes de


nascer. Nos países do sul, as crianças já nasceram com uma
dívida, que terão de pagar aos países industrializados.

Oração:
Dá-nos Senhor a força de aceitar cargas pesadas sem nos
deixarmos esmagar; de não nos deixarmos escravizar pelo
ódio, de não nos deixarmos levar pelo desejo de vingança
nem pela violência. Jesus, que eu não seja juiz dos outros.

2.º Estação: Jesus carrega com a Cruz.

Do Evangelho segundo S. João.


Levaram consigo Jesus. E, carregando a Cruz às costas, saiu
para o chamado lugar do Crânio, que em hebraico se diz
Gólgota, onde o crucificaram.

O jovem adolescente sofre a carga da violência e abandono.

Oração:
Jesus, a tua cruz é árvore a qual se fazem todas as cruzes da
história, as cruzes grandes e pequenas que carregamos cada
dia. Elas já vêm do teu Calvário e é por isso que te pedimos
que nos ajudes a caminhar contigo, certos de que contigo
também já obtivemos a vitória.

3.ª Estação: Jesus cai pela primeira vez sob o peso da


Cruz.

Do livro do Profeta Isaías.

Ele tomou sobre Si as nossas doenças, carregou as nossas


culpas. Nós o reputávamos como um leproso, ferido por Deus
e humilhado. Mas foi ferido por causa dos nossos crimes,
esmagado por causa das nossas iniquidades. O castigo que
nos salva caiu sobre Ele, fomos curados pelas suas chagas.
Todos nós andámos desgarrados como ovelhas perdidas, cada
um seguindo o seu caminho. Mas o senhor carregou sobre si
todos os nossos crimes.

O jovem adolescente questiona-nos sobre as injustiças e


perigos da sociedade em que vive.

Oração:
Jesus, a Tua queda diante de todos, perante o riso da multidão
e o silêncio dos cobardes e tão humilde que desconcerta o
meu orgulho. Dá-me a graça de me levantar sempre que caio;
Dá-me a força de levantar os que caiem ao meu lado.

4.ª Estação: Jesus encontra sua Mãe.

Do Evangelho segundo S, Lucas.


Simeão disse a Maria: «Este menino está aqui para queda e
ressurgimento de muitos em Israel, e para ser sinal de
contradição. Uma espada trespassará a tua alma. Assim hão-
de revelar-se os pensamentos de muitos corações.

O jovem adolescente descobre aquela que será a sua


verdadeiras mãe: a rua, o grupo, o «gang».

Oração:
Jesus, a tua Mãe procurou-te e encontrou-te: tu continuas o
teu caminho na certeza, porém, de que não estás só. Que em
cada impasse da nossa vida encontremos o carinho dum
amigo e a presença terna, carinhosa e reconfortante duma
mãe.

5.ªEstação: Simão de Cirene ajuda Jesus a levar a Cruz.

Do Evangelho segundo S. Mateus.


À saída, encontraram um homem, de Cirene, chamado Simão,
e obrigaram-no a levar a Cruz de Jesus

O jovem adolescente recebe ajuda para carregar a sua


Cruz.

Oração
Jesus, descansaste para tomar novo alento e caminhar mais
decidido até à meta. Quando a cruz pesa, manda-nos um
amigo que nos saiba compreender e consolar. Dá-nos um
coração sensível, puro e bom, que saiba fazer-se cireneu e
bom samaritano de todos que estão ao nosso lado.

6.ª Estação: Uma mulher limpa o rosto de Jesus.

Do livro dos salmos.


O meu coração espera por ti, os meus olhos procuram-te. É a
tua face que eu procuro, Senhor. Não desvieis de mim o teu
rosto, nem afastes com ira o teu servo. Tu és o meu amparo:
não me rejeiteis nem me abandones, ó Deus, meu salvador!

A solidariedade de algumas pessoas reconhece o rosto de


Cristo em todas as crianças que vivem abandonadas,
exploradas e oprimidas

Oração:
Senhor Jesus, obrigado por nos teres feito ver o teu rosto no
meio do sofrimento: Faz-nos descobrir o teu rosto em cada
homem que tem o rosto desfigurado pela dor, pela angústia,
pela doença, pela tortura ou por acidentes de trabalho.
7.ª Estação: Jesus cai pela segunda vez.

Do livro das lamentações.


Eu sou o homem que conheceu a miséria, sob a vara da sua
ira. Conduziu-me e fez-me caminhar nas trevas e não na luz.
Dirige contra mim a sua mão todos os dias, sem cessar.
Bloqueou-me o caminho com pedras, fez-me seguir por
estradas erradas.

Com a adolescência, a criança vê aumentar também o seu


compromisso de transformar os mecanismos de uma
sociedade que a marginaliza e que a mata.

Oração:
Senhor Jesus, nós te pedimos por todos os que caem e não
tem força nem coragem para se levantar; Por todos os que
sofrem com as quedas dos outros. Dá-nos força e coragem
para nos levantarmos sempre e continuarmos a nossa
caminhada com alegria e esperança.

8.ªEstação: Jesus consola as mulheres que choram por


Ele.

Do Evangelho segundo S. Lucas.


Seguiam Jesus uma grande multidão e umas mulheres que
batiam no peito e se lamentavam por Ele. Jesus voltou-se
para elas e disse-lhes: «Filhas de Jerusalém, não choreis por
Mim, chorai antes por vós mesmas e pelos vossos filhos; pois
dias virão em que se dirá: “felizes as estéreis, os ventres que
não geraram e os peitos que não amamentam”. Hão-de então
dizer aos montes: “Caí sobre nós!” e ás colinas: “ cobri-nos”.
Porque, se tratam assim a árvore verde, o que não acontecerá
à seca?»

Nos países em guerras, três em cada dez adolescentes


morrem antes de atingir os cincos anos. Mas a criança não
quer ser considerada unicamente como vítimas.
Oração:
Senhor Jesus, rezamos-te pelos que choram sem esperança
pelos que fazem chorar, por nós mesmos, sempre prontos a
chorar por ti, mas estão tímidos e cautelosos quando se trata
de anunciar o Teu Reino.

9.ª Estação: Jesus cai pela terceira vez.

Do Evangelho segundo S. Mateus.


Vinde a Mim, todos os que estais cansados e oprimidos, que
Eu vos aliviarei. Tomai sobre vós o meu jugo e aprendei de
Mim, que sou manso e humilde de coração e encontrareis
descanso para o vosso espírito. Pois o meu jugo é suave e a
minha carga é leve.

O jovem adolescente atingiu uma idade em que procura


integra-se no mundo dos adultos. Mas estes continuam a
olhar para ela com desconfiança.

Oração:
Senhor Jesus, queremos pedir-te por todas as pessoas
esmagadas, abatidas e humilhadas. Queremos pedir-te por
todos os que caem em pecado. A eles e a nós concede a graça
do arrependimento e da ressurreição.

10.ªEstação: Jesus é despojado das suas vestes.

Do Evangelho segundo S. João

Os soldados, depois de terem crucificado Jesus, pegaram na


sua roupa e fizeram quatro partes, uma para cada soldado,
excepto a túnica. A túnica, toda tecida de uma só peça de alto
a baixo, não tinha costuras. Então, os soldados disseram uns
aos outros: «Não a rasguemos; tiremo-la à sortes, para ver a
quem tocará». Assim se cumpriu a Escritura, que diz:
«Repartiram entre eles as minhas vestes e sobre a minha
túnica lançaram sortes».
Aos jovens adolescentes tira-se-lhe a esperança e o desejo
de viver.

Oração:
Jesus, sem vestes sem formalidades, sem estruturas, assim
como és, no futuro me atrais, abraçando a cruz, pobre em
tudo, menos em amor universal. Amar-te assim na tua dádiva
total e ver sem sombras a tua imagem no corpo de cada
homem e de cada mulher, é a graça que neste momento te
peço.

11.ªEstação: Jesus é pregado na cruz.

Do Evangelho segundo S. Lucas.


Chegados ao Calvário, ali o crucificaram e com Ele outros
dois, um de cada lado e Jesus no meio. Jesus dizia: “ Pai,
perdoa-lhes porque não sabem o que fazem»

O jovem adolescente é pregado na Cruz da marginalização


e do abandono.

Oração:
Senhor Jesus, as tuas feridas continuam abertas ao longo da
nossa história para, através delas, recebermos a luz gloriosa
que nos vem de Deus pelo teu rosto transfigurado. Que os
teus braços abertos nos levem ao abraço com os irmãos e que
o teu corpo levantado na cruz nos leve à comunhão com o
Pai.

12.ª Estação: Jesus morre na Cruz.

Do Evangelho segundo S. João.


Depois, sabendo que tudo estava consumado, exclama e para
que se cumprisse a escritura, Jesus disse: “Tenho sede”.
Estava ali um vaso cheio de vinagre. Embeberam uma
esponja no vinagre, fixando-a a um hissopo, e levaram-lha à
boca. Quando Jesus tomou o vinagre, exclamou: «Tudo está
consumado!» E, inclinando a cabeça, expirou.
Os jovens, como Jesus, fazem ouvir o seu grito de desespero
e, abandonadas, morrem.

Oração:
Senhor Jesus, na Tua morte raia já a aurora duma nova
humanidade. Do teu peito trespassado, sai a tua família capaz
de abrigar todos os homem. Contigo faremos triunfar o amor
nos imensos oceanos do ódio que nos leva à morte. Que o
Espírito Santo que nos deixaste nos leve a construir no nosso
ambiente espaço de fraternidade, de amor e de paz que levem
à vida.

13.ª Estação: Jesus nos braços de sua Mãe.

Do Evangelho segundo S. Mateus.


Ao cair da tarde, veio um homem rico de Arimateia, chamado
José, que também se tornara discípulos de Jesus. Foi ter com
Pilatos e pediu-lhe o corpo de Jesus. Pilatos ordenou que lho
entregassem.

O corpo de milhares de crianças e adolescentes regressam à


rua – sua mãe, à margem de uma sociedade que cria
pobreza e solidão.

Oração:
Senhor Jesus, com a tua morte, abriste o caminho da salvação
a todos nós. É da cruz da salvação que nasce toda a força para
suportar as cruzes humanas. Purifica a nossa fé e a nossa
esperança afim de que compreendamos qual o nosso
empenho cristão neste mundo que nos foi confiado para o
construirmos à imagem do teu reino de justiça, de paz, de
amor e de fraternidade.

14.ª Estação: Jesus é sepultado

Do Evangelho segundo S. Mateus.


José de Arimateia tomou o corpo, envolveu-o num lençol
limpo, e depositou-o num túmulo novo, que tinha mandado
talhar na rocha. Depois, rolou uma grande pedra para a porta
do sepulcro e retirou-se.
Os jovens adolescentes são sepultadas pelos preconceitos e
pelas discriminações dos países se das classes sociais.

Oração:
Senhor Jesus, disseste que o grão de trigo precisa de morrer
para dar fruto; Envia-nos o teu Espírito Santo para que
renasça cada dia para uma vida nova mais conforme à
mensagem do Teu Evangelho que anunciaste com dedicação
total até aceitar a morte.