Você está na página 1de 4
A FORMAÇÃO DO REINO DE PORTUGAL O reconhecimento do Reino Nesta época, o Papa, chefe supremo

A FORMAÇÃO DO REINO DE PORTUGAL

O reconhecimento do Reino

Nesta época, o Papa, chefe supremo da Igreja Católica, tinha muitos poderes. Todos os reis e imperadores cristãos lhe deviam total obediência e fidelidade. Quando se formava um novo reino cristão era necessário que o Papa reconhecesse a sua independência e confirmasse o título de rei ao seu primeiro monarca. Com o objectivo de provar que era um bom rei cristão, D. Afonso Henriques mandou construir e restaurar sés e igrejas, e deu algumas propriedades e regalias aos mosteiros. Apesar de todos os serviços prestados à Igreja, só em 1179 é que o papa Alexandre III reconheceu D. Afonso Henriques como rei de Portugal.

DOC. 2 – A bula de 1179

Ao nosso muito amado filho em Jesus Cristo, Afonso, rei dos Portugueses, e seus descendentes para perpétua memória. Confirmamos Portugal com inteira honra e dignidade de Reino, e todos os lugares que ganhardes aos Mouros.

Bula “Manifestis Probatum” – 1179 (enviada pelo papa Alexandre III a D. Afonso Henriques)

A FORMAÇÃO DO REINO DE PORTUGAL O reconhecimento do Reino Nesta época, o Papa, chefe supremo

ACTIVIDADES

Fig. 9 – Coroação de D. Afonso Henriques – Mosteiro de Alcobaça

  • NOÇÕES ESSENCIAIS

  • 1. Observa a figura 1 (página 65). O que é que encontras, no equipamento do guerreiro, que prova tra- tar-se de um cruzado?

  • 2. Indica uma das obrigações impostas por D. Afonso VI ao conde D. Henrique.

  • 3. Qual era o grau de parentesco entre D. Afonso Henriques e D. Afonso VII?

  • 4. Qual dos exércitos em confronto venceu a batalha de S. Mamede?

  • 5. O que pretendia D. Afonso Henriques ao lutar contra D. Afonso VII?

  • 6. Em que ano é que Portugal se tornou um reino independente?

  • 7. Indica uma atitude tomada por D. Afonso Henriques para provar ao Papa que era um bom rei cristão.

  • 8. Transcreve para o teu caderno a frase da bula de 1179 que mostra que o Papa reconheceu o Reino de Portugal.

  • TRABALHA COM

A FORMAÇÃO DO REINO DE PORTUGAL O reconhecimento do Reino Nesta época, o Papa, chefe supremo

9. Continua a trabalhar o teu Atlas de Aula. • Realiza as tarefas propostas na página 19 do “Caderno das Perguntas”.

  • INVESTIGA

10. Lê a notícia da página 76, ”O castelo dos meus sonhos…”, e procura o sítio do castelo onde, segundo a tradição, D. Afonso Henriques teria nascido.

A FORMAÇÃO DO REINO DE PORTUGAL O reconhecimento do Reino Nesta época, o Papa, chefe supremo

Realiza o Jogo Educativo n.º 7 do teu “Caderno das Perguntas”.

A FORMAÇÃO DO REINO DE PORTUGAL O reconhecimento do Reino Nesta época, o Papa, chefe supremo

68

Na conquista de Lisboa, os Portugueses foram auxiliados por uma poderosa armada de cruzados que, vindos do Norte da Europa, se dirigiam à Palestina. Os cruzados eram numerosos, bem treinados e tinham armas próprias para atacar as muralhas. Os guerreiros de D. Afonso Henriques, com a ajuda dos cru- zados, cercaram a cidade por terra e pelo rio. Ao fim de um cerco de quatro meses, os mouros, vencidos pela fome, entre- garam Lisboa aos cristãos.

Conquistada a cidade de Lisboa, os mouros renderam-se, a norte do Tejo, em Óbidos, Alenquer e Sintra, a sul do Tejo, em Almada, Sesimbra e Palmela. A fronteira do território português ficou então fixada na linha do Tejo.

Entre 1147 e 1168, os Portugueses conseguem alargar o ter- ritório mais para sul e ocupar grande parte do Alentejo. Mas por pouco tempo, uma vez que os mouros receberam reforços militares vindos do Norte de África. Em 1185, ano da morte de D. Afonso Henriques, os exércitos muçulmanos já tinham recuperado quase todo o Alentejo (vê figura 15).

Fig. 15 – O território português em 1185

– ano da morte de D. Afonso Henriques

A FORMAÇÃO DO REINO DE PORTUGAL

Na conquista de Lisboa, os Portugueses foram auxiliados por uma poderosa armada de cruzados que, vindos
Na conquista de Lisboa, os Portugueses foram auxiliados por uma poderosa armada de cruzados que, vindos

ACTIVIDADES

  • NOÇÕES ESSENCIAIS

  • 1. Observa o mapa da figura 10 e diz o nome de 5 cidades que, em 1143, pertenciam ao Reino de Portugal.

  • 2. Que tipo de construção faziam os mouros e os cristãos para defenderem as suas terras?

  • 3. Porque é que na época da Reconquista os rios eram considerados boas fronteiras?

  • 4. Acerca das conquistas de Santarém e Lisboa, feitas no reinado de D. Afonso Henriques, indica: a) em que conquista foi utilizada a táctica do cerco; b) em que conquista foi utilizada a táctica do assalto.

  • 5. Indica uma das máquinas de guerra que os cruzados utilizaram para atacar Lisboa.

  • 6. Explica por que razão os barcos dos cruzados foram importantes durante a conquista de Lisboa.

  • TRABALHA COM

Na conquista de Lisboa, os Portugueses foram auxiliados por uma poderosa armada de cruzados que, vindos

7. Continua a trabalhar o teu Friso Cronológico, que encontras no “Caderno das Perguntas”. • Realiza a tarefa n.º 3.

8. Continua a trabalhar o teu Atlas de Aula. • Realiza as tarefas propostas na página 20 do “Caderno das Perguntas”.

Na conquista de Lisboa, os Portugueses foram auxiliados por uma poderosa armada de cruzados que, vindos

71

A participação da população

A FORMAÇÃO DO REINO DE PORTUGAL

A participação da população A FORMAÇÃO DO REINO DE PORTUGAL Na reconquista da terra aos mouros
Na reconquista da terra aos mouros participou quase toda a população portuguesa que podia pegar em
Na reconquista da terra aos mouros participou quase toda a
população portuguesa que podia pegar em armas.
O rei era geralmente quem comandava os combates mais
importantes. Mas os reis portugueses foram sempre apoiados
por senhores nobres e monges-guerreiros, que muito ajuda-
ram nas guerras pela independência do reino e pelo alarga-
mento do território.
E o mesmo se pode dizer de inúmeros camponeses e arte-
sãos que, mal treinados e quase sempre com armamento de
má qualidade, eram aqueles que corriam maiores perigos
durante as batalhas.
Na guerra contra os Mouros
participaram:
Fig. 19 – Aldeãos a partir para a guerra
o rei
senhores nobres
e
monges guerreiros
homens do povo
combatiam a cavalo e
eram eles que coman-
davam os seus guer-
reiros e recebiam
terras em
paga dos
serviços
prestados
combatiam a
e
eram
a
comandava os
grande maioria
combates mais
dos combaten-
importantes
tes
Fig. 20 – A participação da população na recon-
quista
ACTIVIDADES
  • NOÇÕES ESSENCIAIS

A participação da população A FORMAÇÃO DO REINO DE PORTUGAL Na reconquista da terra aos mouros
  • 1. Em que ano e século acabou o período da reconquista portuguesa?

  • 2. Qual o rei que passou a usar o título de “Rei de Portugal e do Algarve”?

  • 3. Que grupo da população portuguesa corria mais perigos na guerra contra os mouros? Porquê?

  • INVESTIGA

  • 4. Se na tua localidade/região existem castelos, monumentos ou restos de muralhas do período da recon- quista portuguesa, regista o seu nome e localização na barra da História Local do teu Friso Cronológico. O mesmo podes fazer com personagens que se tenham destacado na luta contra os mouros, na tua região.

A participação da população A FORMAÇÃO DO REINO DE PORTUGAL Na reconquista da terra aos mouros

73

A FORMAÇÃO DO REINO DE PORTUGAL O Tratado de Alcanises No período de alargamento do território

A FORMAÇÃO DO REINO DE PORTUGAL

O Tratado de Alcanises

No período de alargamento do território português, que durou mais de 100 anos, as fronteiras eram incertas e depen- diam da sorte das armas. Mesmo depois da conquista do Algarve, os limites do territó- rio português não ficaram totalmente definidos. Havia zonas, a norte e a este, que eram disputadas tanto pelo Reino de Portu- gal como pelo Reino de Leão e Castela. Os conflitos só se resolveram em 1297, com o Tratado de Alcanises, feito entre D. Dinis, rei de Portugal, e D. Fernando, rei de Leão e Castela.

A FORMAÇÃO DO REINO DE PORTUGAL O Tratado de Alcanises No período de alargamento do território

territórios integrados em Portugal pelo

Tratado de Alcanises Fig. 21 – Portugal em 1297

A FORMAÇÃO DO REINO DE PORTUGAL O Tratado de Alcanises No período de alargamento do território

A partir de meados do século XII, Portugal passou a ter a forma aproximada de um rectângulo com a área de 89 000 km 2 , que equivale a 1/5 da área total da Península Ibérica. A linha de fronteira portuguesa mantém-se aproximada- mente a mesma desde o Tratado de Alcanises. Só a ocupação de Olivença pela Espanha, em 1801, deslocou ligeiramente a linha fixada em 1297.

ACTIVIDADES

  • NOÇÕES ESSENCIAIS

1. Por que é que o Tratado de Alcanises foi importante?

A FORMAÇÃO DO REINO DE PORTUGAL O Tratado de Alcanises No período de alargamento do território

Fig. 22 – A Península Ibérica nos finais do século XIII

A FORMAÇÃO DO REINO DE PORTUGAL O Tratado de Alcanises No período de alargamento do território

Muçulmanos

Portugal é um dos países da Europa que tem fronteiras mais antigas.
Portugal é um dos
países da Europa que tem
fronteiras mais antigas.
  • TRABALHA COM

A FORMAÇÃO DO REINO DE PORTUGAL O Tratado de Alcanises No período de alargamento do território
A FORMAÇÃO DO REINO DE PORTUGAL O Tratado de Alcanises No período de alargamento do território

2. Continua a trabalhar o teu Atlas de Aula. • Realiza as tarefas propostas na página 21 do “Caderno das Perguntas”.

Realiza o Guia de Estudo n.° 5 e o Jogo Educativo n.º 8 do teu “Caderno das Perguntas”.

A FORMAÇÃO DO REINO DE PORTUGAL O Tratado de Alcanises No período de alargamento do território

74