Você está na página 1de 2

“Depressão e Graça” – 1ª parte

Texto Base: Salmo 42

Introdução:
“Benefícios duradouros nasceram daqueles dias angustiantes.Um caráter rijo e raízes fortes
crescem profundamente quando há escassez de água e ventos violentos.” (Jaime Kemp)

Segundo as estatísticas, mas de 400 milhões de pessoas no mundo sofrem de


depressão (hoje este número deve ser maior.Dados de 1999), o que inclui muitos crentes.
Apesar desse número assustador, poucos sabem como agir quando algum parente ou
conhecido atravessa uma crise depressiva. Segundo a OMS (organização mundial de saúde),
nos próximos onze anos, a depressão deverá tornar-se o segundo principal problema na área
médica. São gastos mais de sete bilhões de dólares com antidepressivos. É o momento de a
Igreja do SENHOR erguer-se e utilizar a inigualável medicina contida na Palavra de DEUS. O
mal do século tem cura, e está disponível a todos.
Neste breve estudo, pretendemos uma análise científica e Bíblica sobre este mal que
afeta mais de 10% a 25% das pessoas que procuram os clínicos gerais: a depressão. Iremos
faze-lo em forma de tópicos, definindo o que é depressão, quais são as causas e o grande
desafio por trás da depressão. Que o SENHOR nos auxilie.

1. O que é depressão?
Podemos definir depressão como “uma tristeza profunda, melancolia involuntária, que
coloca o indivíduo em prostração emocional, paralisando a iniciativa para todo ripo de
atividade, para tomada de decisões, com a perda de perspectivas para o amanhã (Sl 42.)”.
Uma pessoa depressiva entra em uma hibernação emocional, onde nada lhe interessa e o
poder de decisões fica reduzido. A definição para depressão é complexo, e muitas vezes não é
generalizado. Por certo, o que podemos saber é que a depressão é uma doença
psicossomática, ou seja, “processos orgânicos patológicos de origem psicológica, causados
por estresse, ansiedade, depressão etc. Esses fatores determinam uma ativação inadequada
do sistema neurovegetativo e das glândulas endócrinas.”

2. Quais são as causas da depressão?


Diferente de uma gripe, uma inflamação, a depressão não possui sintomas generalizados.
Cada pessoa reage de uma maneira, e tem determinados sintomas. Podemos citar alguns:

A)Problemas relacionados com a glândula tireóide: A tireóide é uma glândula localiza na


região anterior do pescoço. Ela atua no corpo produzindo os hormônios Tiroxina e
Triidotironina e os lançando no sangue (glândula endócrina). Está intimamente relacionada
com o metabolismo do corpo, de maneira mais simples, pode-se dizer que os hormônios
tireóideos dizem ao corpo quão rápido trabalhar e como usar a energia. Seu excesso no corpo
resulta em uma doença chamada hipertireodismo, que traz perca de peço, nervosismo
excessivo. Sua escassez resulta em hipotireodismo. Pessoas com hipoglicemia, alergia e uso
prolongado de medicamentos também são mais susceptíveis a depressão.

B)Choques Emocionais (perda de familiares, perda de emprego, rompimento de


relacionamento, experiências amargas na infância);

C)Alteração nos níveis de serotonina: A serotonina (5HT) é um neutotransmissor, ou seja, um


condutor de impulsos nervosos de neurônio a neurônio. Ela está intimamente relacionada com
a sensação de bem estar e com o lado afetivo humano. Quadros de depressão geralmente
apresentam um baixo nível de serotonina, que também influência na altereção do sono e dos
hábitos alimentares, levando ao ganho de peso. Pesquisas demonstram que as neurônios das
mulheres são banhados com menores quantidades de serotonina do que os homens, o que
leva a maior incidência de mulheres depressivas em detrimento de homens (2:1).
D)Pecados não confessados, dureza de coração: Em relação ao pecado, dois textos nos
chamam a atenção nas sagradas escrituras: os salmos de número 32 e 51. Vale a pena
lembramos que a Bíblia não usa o termo depressão, mas mostra como DEUS cuidou de seu
pessoas que demonstravam sintomas relacionados a este mal. No Salmo 32, Davi escreve
sobre a alegria de ser receber perdão. Já no v.1, ele resume todo o salmo: “Bem aventurado o
homem cuja iniqüidade é perdoada, cujo pecado e coberto.” Iremos tratar sobre Davi mais a
frente, mas podemos adiantar que ele sabia o que estava escrevendo. Talvez C.S.Lewis
estivesse pensando sobre isso quando escreveu na introdução de seu livro “Cristianismo Puro
e Simples”: “Desde que servi na infantaria, durante a Primeira Guerra Mundial, me
desagradam as pessoas que, cercadas de segurança e conforto, fazem exortações aos
homens na frente de batalha. Do mesmo modo, reluto em falar a respeito de tentações às
quais não estou exposto.” Davi tinha autoridade para falar sobre perdão de pecados, pois ele
havia passado pela dolorosa experiência do pecado e a maravilhosa operação do perdão de
DEUS. Ele sofreu pelo seu pecado e isso refletiu no seu corpo (v.3 e 4). Entretanto, ele sentiu a
alegria do perdão divino quando confessou seu pecado (v.5) e sua comunhão foi restaurada
com DEUS (v.7). Não nos esqueçamos de que DEUS “perdoa todas as tuas enfermidades e
sara todas as tuas enfermidades.” (Sl 103.3).De maneira mais intensa, no Salmo 51, vemos o
retrato de um coração que sofre pelo pecado cometido e que clama por perdão da parte de
DEUS. Davi havia sido confrontado pelo profeta Nata, e ele não podia mais fugir de seu
pecado (v.3). Ele demonstra como seu corpo e sua alma sofreram (v.8 e 12). Mas, Davi
encontrou em DEUS a purificação (v.7) e demonstrou, de experiência própria, que DEUS não
rejeita corações arrependidos (v.17).

Ao descrever a depressão, o psiquiatra norte americano Peter Whybrow sugere uma


torturante ilustração: “Para se ter idéia do que é uma depressão severa, tente entender o
desconforto de várias noites sem dormir misturado à dor causada pela perda de um ente
querido. Depois imagine a sensação de que esse torpor nunca mais irá acabar. Isso é uma
crise depressiva.”. Os médicos relacionam nove sintomas para identificar a depressão:
1)Dificuldade para se concentrar; 2)auto estima reduzida; 3)Sentimento de culpa; 4)falta de
perspectiva do futuro; 5)idéia recorrente de suicídio e morte; 6)perturbação do sono;
7)alteração de apetite; 8)perda de interesse e 9) sensação de cansaço. Para os especialistas, a
depressão se classifica dependendo do números de sintomas apresentados: Depressão
menos, 2 a 4 sintomas por semana incluindo o estado deprimido por duas ou mais semanas;
Distimia, 3 a 4 sintomas incluindo o estado depressivo por, no mínimo, dois anos;
Depressão maior, 5 ou mais sintomas por duas semanas ou mais, incluindo o estado
depressivo. Ainda há os tipo de depressão, que se dividem em unipolar e bipolar. A pessoa
que sofre de depressão unipolar fica desanimada o tempo todo. Já a que sofre de depressão
bipolar, flutua entre períodos de depressão profunda e euforia. Quando está eufórica, quer
salvar o mundo, elabora planos mirabolantes, gasta grandes somas de dinheiro e tem
tendência de falar rapidamente.

Devemos lembrar que por mais grave que seja uma depressão, sempre existirá graça
divina para fortalecer o crente. Sabemos que todas as doenças e transtornos psicológicos
existem por conseqüência do pecado, mas “onde abundou o pecado, superabundou a graça.”
(Rm 5.20). Devemos buscar ajuda na medicina secular, pois como vimos, a depressão possui
causa orgânicas. Entretanto, só isso não basta. É necessário depender da graça e do cuidado
de DEUS. DEUS cuida com carinho e amor de cada filhos seu, e está junto deles em cada
lagrima derramada, em cada crise que se passa. Ele sempre está ali, junto de nós, nos
mostrando sempre “A minha graça te basta, pois o meu poder se aperfeiçoa na fraqueza.” (2ª
Co 12.9)

Continua...