Você está na página 1de 8
FÍSICA Trabalho em Grupo 1 Discentes: Docente: Turma: M11 Hermenegildo Soares Thandi Cassamo Pr. Dr.

FÍSICA

Trabalho em Grupo 1

Discentes:

Docente:

FÍSICA Trabalho em Grupo 1 Discentes: Docente: Turma: M11 Hermenegildo Soares Thandi Cassamo Pr. Dr. Adriano
FÍSICA Trabalho em Grupo 1 Discentes: Docente: Turma: M11 Hermenegildo Soares Thandi Cassamo Pr. Dr. Adriano
Turma: M11
Turma: M11

Hermenegildo Soares Thandi Cassamo

Pr. Dr. Adriano Sacate

Maputo, Agosto de 2011

Grupo 1 Discentes: Docente: Turma: M11 Hermenegildo Soares Thandi Cassamo Pr. Dr. Adriano Sacate Maputo, Agosto

0

0

Circuíto RC

1.

Objectivos

Verificar o comportamento do circuito RC em carga e descarga;

Determinar a constante de tempo do circuito RC assim como o valor das capacitâncias

desconhecidas;

Comprovar a dependência da constante de tempo com os valores de resistência e capacitância.

2.

Introdução

Segundo Jaime Villate (1999) os circuitos RC são circuitos onde existe uma dinâmica de combinação

entre um resistor de resistência R e um capacitor de capacitância C. Estes são fundamentais em circuitos

electrónicos, devido ao facto da combinação do resistor e o capacitor fixarem uma constante de tempo

e com isto é possível se determinar a rapidez com que o circuito electrónico decorre = R.C . Para

alem disso o estudo do comportamento de um capacitor que sofre carga ou descarga é importante pois

o mesmo comportamento pode ser encontrado em inúmeras outras áreas das ciências exactas e

engenharias, por exemplo no transporte de calor em regime transitório, etc.

3. Resumo Teórico

Capacitor

Segundo Halliday, Resnick e Walker (2001) um capacitor apresenta duas placas condutoras separadas

por um isolante e tem como propriedade o armazenamento de energia eléctrica. A capacitância

corresponde a capacidade que o capacitor possui de armazenar a carga eléctrica e é medida em farads

(F), esta depende directamente da área de uma das placas e é inversamente proporcional a distancia

que as separa.

de uma das placas e é inversamente proporcional a distancia que as separa. Elaborado por: CASSAMO
de uma das placas e é inversamente proporcional a distancia que as separa. Elaborado por: CASSAMO

Circuíto RC

A estas duas placas denominam-se armaduras, estas são responsáveis por criarem um campo onde

as cargas que nelas se acumulam concentram-se dentro do capacitor, de modo que corpos exteriores

não

exerçam

influencia

sobre

a

capacitância

capacitores de alta simetria:

do

capacitor.

Esta

condição

C =

C =

0

.

r . A

d

— Capacitor plano (duas laminas paralelas entre si);

2

.

0

.

r

. l

ln   b

 

a

— Capacitor cilíndrico (dois cilindros coaxiais);

C

C

=

4

.

0

.

r

b

a

4

=

.

0

.R

— Capacitor esférico (duas esferas concêntricas);

— Capacitor esfera isolada.

(Extraidas do D.Halliday, R.Resnick e J.Walker)

Quando

C

eq

=

C

1

dois

+

C

2

capacitores

sao

conectados

em

paralelo,

a

capacitancia

 

1

1

1

, e se forem conectados em série ter-se-à:

 

=

+

C

eq

C

1

C

2

.

Carga e Descarga de um capacitor

cumpre

os

equivalente

chamados

da-se

por:

Segundo D.Halliday, R.Resnick e Walker (2001) tanto a carga como a descarga do capacitor são

realizadas através de circuitos eléctricos que determinam as correntes e consequentemente, as

velocidades de carga ou descarga.

Sabendo que com o circuito aberto a ddp entre as placas do capacitor é V c =0, fechando-se o circuito

as cargas positivas irão fluir do polo positivo da fonte de energia para uma das placas, enquanto as

cargas negativas fluirão do polo negativo para a outra placa. Com ambas placas carregadas, a ddp entre

polo negativo para a outra placa. Com ambas placas carregadas, a ddp entre Elaborado por: CASSAMO
polo negativo para a outra placa. Com ambas placas carregadas, a ddp entre Elaborado por: CASSAMO

elas aumenta para

V c =

q

C

Circuíto RC

, assim tanto a carga 1 como a ddp aumentam com o tempo. Este denomina-

se carga do capacitor (sem resistor) e só termina quando a ddp entre as placas for igual a f.e.m da fonte,

ou seja Q é o valor máximo da carga do capacitor.

Segundo Alonso e Finn (1996) ao se criar um curto-circuito nos terminais de um capacitor carregado

o mesmo ira descarregar instantaneamente assim que irá diminuir com o tempo pois as cargas

acumuladas nas placas do capacitor flúem novamente pelo circuito formando uma corrente eléctrica

que passa pelo resistor. Para se controlar o tempo de descarga conecta-se o capacitor a um resistor em

paralelo com o mesmo. A passagem desta corrente pelo resistor ocorre com conversão de calor (efeito

joule) de modo que toda a energia acumulada no capacitor seja dissipada pelo resistor.

Resistor

O papel da resistência é fundamentalmente controlar o tempo de carga e de descarga do capacitor,

pois se não houvesse resistência o capacitor iria se carregar instantaneamente. Ou seja é graças a

resistência que o capacitor leva algum tempo para atingir a carga máxima Q, do mesmo modo que não

se descarrega imediatamente mas sim aos poucos. Esta constitui a principal utilidade do circuito RC, o

que faz com que seja usado em electrónica.

4. Material e Métodos

Para a aula laboratorial o material necessário foi: fonte de corrente directa (C.D), voltímetro de C.D,

cronómetro, dois resistores, interruptor simples e duplos, dois capacitores fixos e cabos de conexão.

Primeiramente montou-se um circuito, de seguida anotaram-se os valores da resistência e da

capacitancia do resistor e capacitor respectivamente. Descarregou-se o capacitor para de seguida

comutar-se o interruptor à posição de carga e foi-se tomando nota dos valores da tensão à cada 10

posição de carga e foi-se tomando nota dos valores da tensão à cada 10 Elaborado por:
posição de carga e foi-se tomando nota dos valores da tensão à cada 10 Elaborado por:

Circuíto RC

segundo os quais apresentam-se nas tabelas que a seguir se apresentam, assim como fez-se na posição

de descarga.

5. Resultados e sua discussão

Anotaram-se os seguintes dados:

U

=

5V ,

R

=

68k

R

=

56k

C

1

,

2

,

1 68.10^3.1000.10^ ( 6)

=

R.C

=

1

2 56.10^3.3,3.10^ ( 6)

=

R.C

=

=

=

1000 F,

=

68s

0,19s

C

2

=

3,3 F

.

Os resultados obtidos nos exercícios 5 e 6 apresentam-se a seguir:

Tabela 1. Tensões obtidas na resistência 1

Tabela 1. Tensões obtidas na resistencia 1

 

Carga

Descarga

Tempo (s)

0.6

3.4

10

1

3

20

1.4

2.4

30

1.75

2

40

2

1.8

50

2.2

1.5

60

2.45

1.3

70

2.75

1

80

2.85

0.9

90

3

0.8

100

3.2

0.6

110

3.4

0.5

120

3.8

0.4

130

x

2.3

1.5

 

×

0.8

0.8

Er

0.3

0.5

x 2.3 1.5   ∆ × 0.8 0.8 Er 0.3 0.5 Elaborado por: CASSAMO & SOARES
x 2.3 1.5   ∆ × 0.8 0.8 Er 0.3 0.5 Elaborado por: CASSAMO & SOARES

Circuíto RC

V vs t 4 3.5 3 2.5 2 V vs t 1.5 1 0.5 0
V vs t
4
3.5
3
2.5
2
V vs t
1.5
1
0.5
0
0
5
10
15
tempo em segundos
Tensão em volts

Gráfico 1. Tensão em função do tempo no processo de carga

V vs t 4 3.5 3 2.5 2 V vs t 1.5 1 0.5 0
V vs t
4
3.5
3
2.5
2
V vs t
1.5
1
0.5
0
0
50
100
150
tempo em segundos
Tensão em volts

Gráfico 2. Tensão em função do tempo no processo de descarga.

em volts Gráfico 2 . Tensão em função do tempo no processo de descarga. Elaborado por:
em volts Gráfico 2 . Tensão em função do tempo no processo de descarga. Elaborado por:

Circuíto RC

Os resultados do exercício 7 alíneas a, b e c:

Tabela 2. Tensões obtidas na resistência 2 e nas associações dos capacitores

 

Resistência 2

2 Capacitores em paralelo

2 Capacitores em série

Tempo (s)

0.6

0.6

 

10

1.2

1.2

 

20

1.6

1.6

 

30

2

2

 

40

2.4

2.4

 

50

2.6

2.6

 

60

2.8

2.9

 

70

3.2

3.2

 

80

3.6

3.3

 

90

3.7

3.4

 

100

3.8

3.6

 

110

3.9

3.8

 

120

4

3.9

 

130

4.1

4

 

140

 

4.1

 

150

4.2

 

160

4.3

 

170

4.4

 

180

x

2.8

3.1

 

×

0.7

0.9

Er

0.25

0.3

Ep

25%

30%

V vs t V vs t 5 4 3 2 1 0 0 50 100
V vs t
V vs t
5
4
3
2
1
0
0
50
100
150
tempo em segundos
Tensão 2

Gráfico 3. Processo de carga da resistência 2

em segundos Tensão 2 Gráfico 3 . Processo de carga da resistência 2 Elaborado por: CASSAMO
em segundos Tensão 2 Gráfico 3 . Processo de carga da resistência 2 Elaborado por: CASSAMO

Circuíto RC

V vs t

5 4 3 2 1 0 0 50 100 150 200 Tensão em volts
5
4
3
2
1
0
0
50
100
150
200
Tensão em volts

tempo em segundos

V vs t
V vs t

Gráfico 4. Processo de carga dos capacitores em paralelo.

6. Conclusões

Concluiu-se que quando um capacitor está totalmente carregado ele funciona como um fio e quando

esta descarregado não há a passagem de corrente nele, uma vez que a diferença de potencial do

capacitor é igual à diferença de potencial da fonte. Vale a pena ressaltar que com o capacitor totalmente

carregado, a passagem de corrente não ocorre quando a fonte está ligada. Entretanto, ao desligar-se a

fonte, a corrente no capacitor passa a ser máxima, uma vez que este começa a ser descarregado.

Notou-se que a corrente que passa pelo circuito é máxima no exacto instante em que o capacitor

começa

a

ser

carregado

7. Bibliografia

ou

descarregado,

tomando

como

prova

a

observação

experimental.

1. Halliday, D.; Resnick, R. e Walker, J. “Fundamentos de Física”, volume 3, Electromagnetismo, 4ª Ed., LTC Editora.

2. Villate, Jaime E. “Electromagnetismo”, McGraw-Hill, Lisboa, 1999.

3. Alonso e Finn “Física”, Addison-Wesley, 1999, Espanha.

1999. 3. Alonso e Finn “ Física ”, Addison-Wesley, 1999, Espanha. Elaborado por: CASSAMO & SOARES
1999. 3. Alonso e Finn “ Física ”, Addison-Wesley, 1999, Espanha. Elaborado por: CASSAMO & SOARES