Você está na página 1de 4

Artigo Técnico 15

Avaliação da Atual Metodologia de Cálculo da


Energia Assegurada de Usinas Hidrelétricas
Sérgio Valdir Bajay - Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP) **
Ivone Maria de Oliveira - Ministério de Minas e Energia (MME)
Paulo César Magalhães Domingues - Comitê Coordenador de Planejamento da Expansão dos Sistemas Elétricos
Admir Martins Conti - Comitê Coordenador de Planejamento da Expansão dos Sistemas Elétricos
Gilma dos Passos Rocha - Agência Nacional de Energia Elétrica
Martha Sugai - Agência Nacional de Águas
Joaquim Guedes Corrêa Gondim Filho - Agência Nacional de Águas
Luiz Augusto Lattari Barretto - Operador Nacional do Sistema Elétrico
Manoel Vieira Júnior - Operador Nacional do Sistema Elétrico

Resumo Minas e Energia (MME), Comitê Coordenador e se apresenta algumas das atribuições dos Comitês
Neste trabalho se descreve a atual metodologia e do Planejamento da Expansão dos Sistemas de Bacia e da Agência Nacional de Águas (ANA).
os critérios de cálculo da energia e da potência Elétricos (CCPE), Agência Nacional de Energia Apresenta-se, também, o atual estágio de
assegurada das usinas hidrelétricas para o período Elétrica (ANEEL), Agência Nacional de Águas desenvolvimento da outorga do direito de uso de
após 2002. O crescente uso múltiplo dos recursos (ANA) e Operador Nacional do Sistema Elétrico recursos hídricos para aproveitamentos
hídricos no País tende a afetar cada vez mais a (ONS), sob a coordenação de Sérgio Valdir Bajay1, hidrelétricos no Brasil.
energia assegurada dos aproveitamentos na época Diretor do Departamento Nacional de O artigo se encerra com melhorias propostas pelo
hidrelétricos. Esta questão é discutida no trabalho, Política Energética, da SEN/MME. O relatório Grupo de Trabalho na metodologia de cálculo da
que apresenta algumas das atribuições dos Comitês do Grupo de Trabalho foi finalizado em janeiro energia e potência assegurada de usinas
de Bacia e da Agência Nacional de Águas (ANA), de 2002 (Bajay et alii, 2002). A partir de um hidrelétricas, melhorias estas divididas entre
além do atual estágio de desenvolvimento da cronograma preliminar apresentado pela ANEEL, aquelas passíveis de implantação a curto prazo e
outorga do direito de uso de recursos hídricos para o Grupo de Trabalho elaborou um cronograma aquelas que precisam ser melhor avaliadas, durante
aproveitamentos hidrelétricos no Brasil. O completo, incluindo audiências públicas, para a o processo de revisão metodológica.
trabalho se encerra com propostas de melhorias revisão da metodologia atualmente empregada no 2. Cálculo das Energias e Potências
na atual metodologia de cálculo da energia e cálculo da energia e potência asseguradas das usinas Asseguradas para o Período Após 2002
potência assegurada de usinas hidrelétricas. hidrelétricas no País, descrevendo cada atividade A Lei no 9.648/98 e o Decreto no 2.655/98, que
Abstract do cronograma e apontando o tempo estimado a regulamenta, determinaram que os montantes
The current methodology and criteria used to para que ela fosse realizada a contento. Com este de energia e demanda de potência dos Contratos
calculate the assured energy and assured power of cronograma efetuar-se-ia até dezembro de 2002 Iniciais fossem calculados pelo Grupo Coordenador
hydroelectric power stations for the period after a revisão metodológica, restando para o primeiro para Operação Interligada (GCOI), obedecendo a
2002 are described in this paper. The growing semestre de 2003 o recálculo das energias critérios estabelecidos pela ANEEL, que
multiple uses of the water resources in the country asseguradas e a publicação da Resolução da posteriormente os homologaria. Para o cálculo
will affect more and more the assured energy of ANEEL. A Câmara de Gestão da Crise de Energia dos montantes dos Contratos Iniciais foi
the hydro power plants. This issue is discussed in Elétrica (GCE) não acatou a proposta deste necessário o estabelecimento das energias
the paper, which presents some of the attributions cronograma e um novo grupo de trabalho foi asseguradas das usinas, que, para o período de 1998
of the River Basin Committees and of the Water formado no âmbito da GCE para tentar a 2002 foram calculadas pelo GCOI. Para os
National Agency (ANA), and how the rights for desenvolver uma nova metodologia de cálculo, certificados de energia, o cálculo foi feito em
the use of water resources are granted today for que não teve sucesso (Carvalho, 2002). A atual conjunto pelo GCOI/Grupo Coordenador do
hydro power undertakings. The paper is closed administração federal, que assumiu em janeiro de Planejamento dos Sistemas Elétricos (GCPS),
with some proposals of improvements in the 2003, decidiu adiar esta revisão para 2004. O sujeitos à homologação pela ANEEL.
current methodology for calculating the assured relatório do Grupo de Trabalho apresenta, Conforme o § 4o do Art. 21 do Decreto no 2.655,
energy and power of hydro power stations. inicialmente, como foi feito o cálculo das energias de 02 de julho de 1998, o valor da energia
1. Introdução asseguradas para efeito dos Contratos Iniciais. assegurada alocado a cada usina hidrelétrica deve
Considerando que o valor da energia assegurada Como este cálculo é diferente do atual, ele não é ser revisto a cada cinco anos, ou na ocorrência de
alocada a cada usina hidrelétrica do Sistema abordado aqui. fatos relevantes. O § 4o do mesmo artigo
Interligado Brasileiro deveria ser revisto no ano A próxima seção deste artigo descreve a determina que os cálculos dessas energias sejam
de 2003, de acordo com o disposto no § 4o do art. metodologia e os critérios de cálculo da energia e elaborados em conjunto pelo CCPE e ONS
21 do decreto no 2.655, de 2 de julho de 1998, a da potência assegurada das usinas hidrelétricas para (sucessores do GCPS e GCOI) e homologados pela
Câmara de Gestão da Crise de Energia Elétrica o período após 2002. As premissas adotadas nos ANEEL. A primeira revisão ordinária deveria
decidiu, através da Resolução no 75, de 20 de cálculos estão descritas no relatório do Grupo de ocorrer em 2003, mas, conforme comentado, foi
novembro de 2001, criar um Grupo de Trabalho Trabalho. adiada para 2004.
com a finalidade de avaliar a atual metodologia de O crescente uso múltiplo dos recursos hídricos no 2.1 Metodologia e Critérios de Cálculo da
cálculo de energia assegurada das usinas País tende a afetar cada vez mais a energia Energia Assegurada
hidrelétricas. Compuseram o Grupo de Trabalho assegurada dos aproveitamentos hidrelétricos. Esta A energia assegurada definida para os
representantes da Secretaria de Energia (SEN) e questão é discutida na seção seguinte deste artigo, aproveitamentos hidrelétricos para o período
da Secretaria Executiva (SE) do Ministério de onde se expõe o que é um plano de recursos hídricos após o ano 2002, e que se encontra em vigor
16 Artigo Técnico
(conforme descrito no Submódulo 7.8 dos é feito proporcionalmente à energia firme de cada da mesma simulação que determinou o valor da
Procedimentos de Rede, do ONS, com algumas usina. Utiliza-se o modelo MSUI (Modelo de energia firme da usina, ou seja, a simulação com o
pequenas modificações), corresponde a 100% de simulação a Usinas Individualizadas), da MSUI, com o histórico de vazões.
sua energia garantida, obtida conforme os Eletrobrás, que representa as centrais Para a determinação da potência assegurada de
critérios resumidos a seguir: individualizadas, considerando as vazões do uma usina deve-se considerar a sua potência
a) Determinação da oferta global de energia, feita período crítico (período crítico é aquele em que disponível (PD) quando a usina estiver
através de uma simulação hidrotérmica com 4 os reservatórios, partindo cheios e sem completamente motorizada abatida de seu
subsistemas interligados, empregando o modelo reenchimentos totais intermediários, são consumo próprio (CP) e de sua parcela da reserva
NEWAVE. Este modelo determina, para cada deplecionados ao máximo) do sistema brasileiro, de potência (RP), contemplando, inclusive, a
estágio do período de planejamento, tanto os de 1949 a 1956, para o cálculo das energias firmes parcela associada a saídas intempestivas de
valores de geração associados aos subsistemas (“energia firme” é a energia média gerada no unidades geradoras através do índice TEIF,
equivalentes e às usinas termelétricas quanto os período crítico do sistema interligado brasileiro, conforme indicado nas expressões (2) e (3):
intercâmbios entre os subsistemas eletricamente que compreende o período de junho de 1949 a
1 ( TEIF PG PD - × = (2)
conectados. A formulação do problema se dá novembro de 1956) das usinas.
através de uma função objetivo que minimiza as g) Na fase de motorização de uma usina, a energia RP CP PD PA - - = (3)
funções custo imediato (custo da geração térmica assegurada de uma unidade geradora (EAmot), em Considera-se o CP como sendo 1 % da potência
no estágio t ) e custo futuro (associado ao valor MWmédios, é calculada, de uma forma instalada da usina. A RP comporta a reserva
esperado do custo de geração termelétrica e aproximada, através da fórmula (1): primária (R1), reserva secundária (R2) e a
racionamento ao final do estágio t, até o final do reserva destinada a cobrir a indisponibilidade
período em estudo) sujeitas às restrições operativas EAmot = PImot x (1- TEIF) x (1- IP) (1) forçada da usina(R3), ou seja:
relacionadas ao balanço hídrico, limites de
armazenamento e turbinagem, limites na geração onde: RP =R1 + R2 + R3 (4)
térmica e atendimento à demanda. PImot: potência instalada na unidade geradora;
sendo que:
b) Esta simulação é feita com uma configuração TEIF: taxa equivalente de indisponibilidade
estática em um horizonte de 5 anos, com períodos forçada; R1 = 0,01 RPG (5)
de estabilização inicial (10 anos) e final (5 anos). IP: indisponibilidade programada. RPG = CP + PA (6)
A configuração estática contempla as usinas Para se ter a energia assegurada com um certo
R2 = 0,0025 RPG + 0,015 .CP (7)
existentes e planejadas com concessão ou número de unidades geradoras igual ou menor que
autorização já outorgadas na época de realização o correspondente à motorização final da usina R3 = PG x TEIF (8)
dos cálculos. A partir de 12/07/2001, a ANEEL, basta se multiplicar o resultado da aplicação da onde:
através do Fax n o 52/2001-DR/ANEEL, equação (1) pelo número de unidades geradoras já RPG: Responsabilidade Própria de Geração.
determina, salvo casos de orientação em instaladas. Se houver grupos de unidades geradoras Substituindo as expressões (5), (7) e (8) na equação
contrário, a consideração, também, dos diferentes entre si basta se aplicar este (4), resulta:
empreendimentos já licitados e com proposta procedimento para cada um dos grupos e se RP = 0,035 RPG + 0,015 CP + PG x TEIF (9)
vencedora, mesmo que os contratos de concessão adicionar os resultados. Como a equação (1) Substituindo, agora, (6) em (9), obtém-se:
ainda não tenham sido assinados. propicia um cálculo aproximado, que superestima RP = 0,035 (CP + PA) + 0,015 CP + PG x TEIF
c) Adota-se um risco prefixado de 5 % (média dos a energia assegurada correspondente a (10)
5 anos) na simulação, empregando 2000 séries motorizações parciais em usinas hidrelétricas com Finalmente, substituindo (2) e (10) em (3), tem-
sintéticas de afluências. um elevado número de unidades geradoras, este se:
d) No processo de ajuste para se obter a média de valor precisa ser limitado pela energia assegurada
5% para o risco prefixado durante os cinco anos final da usina, com sua motorização completa.
()
da simulação com a configuração estática, 2.2 Metodologia e Critérios de Cálculo da 035 , 1
mantém-se uma proporção fixa entre as ofertas Potência Assegurada 05 , 1 1 CP TEIF x PG PA
dos subsistemas Sul e Sudeste, assim como nas A potência assegurada (PA) das usinas --
ofertas dos subsistemas Norte e Nordeste. Há uma hidrelétricas para o período posterior ao ano 2002 = (11)
variação livre, no entanto, da oferta conjunta é definida com base em sua potência garantida
Sul/Sudeste e da oferta conjunta Norte/Nordeste. (PG), que, por seu turno, é calculada de acordo Para o cálculo da potência assegurada na fase de
e) O cálculo das energias garantidas (geração com os critérios resumidos a seguir: motorização utiliza-se a equação (11),
hidrelétrica mais geração termelétrica) dos a) As potências garantidas do sistema são obtidas substituindo-se PG pela potência instalada na fase
subsistemas é baseado na ponderação da energia através da simulação a usinas individualizadas, com de motorização. Este procedimento é feito até
fornecida pelo custo marginal de operação para o modelo MSUI, do atendimento ao bloco que o valor de mais uma unidade de motorização
cada série sintética de afluências (mesmo critério hidráulico associado à oferta de energia, calculado iguale-se a PA. A partir daí, a potência assegurada
do Plano de Operação para 1998). A oferta com o modelo NEWAVE, empregando-se, na na fase de motorização é a própria potência
hidráulica total em cada subsistema é obtida simulação com o MSUI, séries históricas de vazões assegurada da usina.
multiplicando-se a energia garantida total por um afluentes. 3. O Uso Múltiplo dos Recursos Hídricos e a
“fator hidráulico”. No Submódulo 7.8 dos b) O Submódulo 7.8 dos Procedimentos de Rede, Energia Assegurada dos Aproveitamentos
Procedimentos de Rede, do ONS, define-se este do ONS, define que a potência garantida do sistema Hidrelétricos
fator hidráulico para cada subsistema em relação para cada mês do ano é o valor de potência 3.1 Planos de Recursos Hídricos, Comitês
à energia garantida total do próprio subsistema. correspondente a 85% de probabilidade na curva de Bacias e a ANA
Os técnicos do CCPE e do ONS que realizam estes de permanência mensal. Rateia-se, então, a Com o aumento populacional e das atividades
cálculos verificaram, no entanto, que se obtém potência garantida do sistema proporcionalmente econômicas, muitas delas de elevado impacto
melhores resultados calculando-se o fator à potência média gerada por cada usina durante o poluente, a sociedade está cada vez mais
hidráulico com base na energia garantida total período crítico. Atualmente a potência garantida valorizando os recursos hídricos disponíveis e o
dos quatro subsistemas simulados e este tem sido de uma usina hidrelétrica é calculada como o valor emprego otimizado e integrado de suas múltiplas
o procedimento empregado mais recentemente. correspondente a 95% de permanência de todos utilizações possíveis – abastecimento humano e
f) O rateio da oferta hidráulica global pelas usinas os valores mensais de potência, obtidos a partir de animais, irrigação, insumo industrial,
Artigo Técnico 17
navegação, controle de cheias, geração Distrito Federal, a declaração de reserva de • tempo de residência;
hidrelétrica, pesca, lazer, etc. o abastecimento disponibilidade hídrica deve ser obtida em • evaporações;
humano deve ter a mais alta prioridade entre os articulação com a respectiva entidade gestora de • volume de espera;
usos competitivos da água. recursos hídricos. • regra de operação; e
A Lei n° 9.433, de 08/01/1997, define a bacia Essa declaração de reserva de disponibilidade • restrições de operação.
hidrográfica como uma unidade de planejamento. hídrica será transformada, pelo respectivo poder A outorga do direito de uso de aproveitamentos já
Ela cria também um novo agente colegiado, o outorgante, automaticamente em outorga de em operação deve contemplar as mesmas
Comitê de Bacia, encarregado de formular um direito de uso, à instituição ou empresa que receber informações.
plano de recursos hídricos para a respectiva bacia. da ANEEL a concessão ou autorização de uso de Grande parte das informações que constam da
A Agência Nacional de Águas – ANA foi criada potencial de energia hidráulica. relação acima tem relação direta com a energia
pela Lei n° 9.984, de 18/07/2000. Segundo o Art. Por força do Art. 23 do Decreto n° 3.692, de 19 assegurada das usinas; pode-se ressaltar, dentre
4o desta lei, a atuação da Agência obedecerá aos de dezembro de 2000, a ANA e a ANEEL estavam elas, as séries de vazões naturais, os volumes
fundamentos, objetivos, diretrizes e instrumentos elaborando, no biênio 2001/02 uma Resolução reservados para outros usos, as cotas máximas e
da Política Nacional de Recursos Hídricos e será Conjunta, estabelecendo, em caráter temporário mínimas do reservatório e as vazões
desenvolvida em articulação com órgãos e e em regime de transição, os procedimentos a remanescentes.
entidades públicas e privadas integrantes do serem adotados para emissão das declarações de 4. Melhorias Propostas pelo Grupo de
Sistema Nacional de Gerenciamento de Recursos reserva de disponibilidade hídrica e para a outorga Trabalho na Metodologia de Cálculo da
Hídricos. de direito de uso. Energia e Potência Assegurada de Usinas
Entre as atribuições da ANA está a de definir e Essas regras de caráter temporário e em regime Hidrelétricas
fiscalizar as condições de operação de de transição, pela Lei n° 9.984, deveriam vigorar 4.1 Melhorias Passíveis de Implantação a
reservatórios por agentes públicos e privados, pelo prazo não inferior a doze nem superior a Curto Prazo
visando a garantir o uso múltiplo dos recursos vinte e quatro meses, regulando a emissão Propõe-se, a seguir, algumas medidas que
hídricos, conforme estabelecido nos planos de temporária, pela ANEEL, das declarações de melhoram a atual metodologia de cálculo de
recursos hídricos das respectivas bacias reserva de disponibilidade hídrica. energia e potência assegurada e podem ser
hidrográficas. Para esta finalidade, a Lei n° 9.984, A Resolução Conjunta ANEEL/ANA acabou não implementadas a curto prazo:
de 18/07/2000, estabelece que a definição das saindo, por conta da Procuradoria da ANEEL ter • Definição, pela ANEEL, consubstanciada em
condições de operação de reservatórios de sido de opinião que este assunto é de alçada legal uma Resolução da Agência, de um processo de
aproveitamentos hidrelétricos será efetuada em só da ANA, no caso dos rios de domínio da União, aferição de variações de parâmetros
articulação com o Operador Nacional do Sistema e dos Estados e do Distrito Federal, nos rios de seu hidroenergéticos das usinas, devido, por exemplo,
Elétrico – ONS. domínio. Apesar disto, as declarações de reserva a melhorias na eficiência das novas máquinas,
A utilização de um reservatório de usina de disponibilidade hídrica tem sido emitidas sem permitindo que, caso sejam comprovados estes
hidrelétrica para fins múltiplos pode afetar a grandes problemas por estas entidades, com a ganhos, haja uma rápida revisão da energia
operação do mesmo e, consequentemente, sua exceção de alguns Estados. assegurada das usinas envolvidas. Já há, hoje, um
energia e potência asseguradas, através da As questões mais relevantes que têm sido colocadas significativo número de máquinas antigas no
imposição de restrições aos níveis de água máximo pelos técnicos da ANEEL, ANA e entidades parque gerador hidrelétrico brasileiro, de
e mínimo, afetando, com isso, a potência capaz gestoras de recursos hídricos nos Estado e no relativamente baixo rendimento e elevada taxa
de ser gerada, o rendimento das unidades geradoras distrito Federal são: em que fase dos estudos deve de manutenção, que poderiam ser recapacitadas
e o volume útil do reservatório disponível para o ser obtida essa reserva de disponibilidade hídrica e ou repotenciadas, com substanciais ganhos de
armazenamento de água a ser turbinada nos quais são os dados relevantes. performance e capacidade de geração e que exigem
momentos mais apropriados, e restrições quanto Há um consenso de que a obtenção da declaração investimentos modestos e possuem um prazo curto
à vazão vertida máxima, ou vazão defluente deve ser nas fases inicias dos estudos do de instalação; diversos proprietários destas
mínima. aproveitamento, com a atualização dos dados a unidades estão dispostos a realizar estes
A retirada de água para outros usos pode diminuir, medida que os estudos forem evoluindo, fazendo- investimentos, desde que os ganhos efetivos destas
também, a vazão afluente aos reservatórios se as análises necessárias. Relaciona-se abaixo os unidades possam ser traduzidos com uma certa
hidrelétricos reduzindo a energia assegurada pelos principais dados que devem constar do processo rapidez em incrementos na energia assegurada das
mesmos. A necessidade de manutenção de uma de solicitação: usinas a que pertencem.
vazão remanescente no trecho de desvio, durante • localização geográfica; • Na definição da metodologia e dos critérios para
a fase de operação da usina, também provoca • níveis de água: máximos e mínimo normal, e o cálculo da energia assegurada pelo GCPS e GCOI,
uma redução na vazão turbinada. máximo maximorum; acordou-se que os limites de transmissão entre os
3.2 A Outorga do Direito de Uso de Recursos • série de vazões utilizadas nos estudos; subsistemas Sul-Sudeste e Norte-Nordeste não
Hídricos para Aproveitamentos • usos atuais e futuros, em termos de vazão, teriam restrições. Os limites entre o Norte e o
Hidrelétricos reservados para outros usos de Sudeste seriam os reais (considerando-se as linhas
A Lei n° 9.433, de 08 de janeiro de 1997, estabelece recursos hídricos consuntivos à montante do de transmissão Norte Sul I e II). Entretanto, os
que os aproveitamentos dos potenciais aproveitamento, que deverão ser valores atualmente utilizados estão limitando os
hidrelétricos estão sujeitos à outorga do direito de deduzidos das vazões naturais no local; fluxos entre os sistemas Sul-Sudeste e Norte-
uso de recursos hídricos. • vazão remanescente; Nordeste, uma vez que eles foram definidos
No caso de aproveitamentos novos, pela Lei n° • curva cota x volume com a especificação do baseados no final do horizonte do Plano de
9.984, a Agência Nacional de Energia Elétrica – volume útil e volume total do Expansão 1998/2007 (ano de 2007). Simulações
ANEEL, para licitar ou autorizar o uso de reservatório; efetuadas pelo CCPE registraram em 2002 uma
potencial de energia hidráulica em corpos de água • curva cota x área do reservatório com a diferença de 0,34% no cálculo da energia
de domínio da União, deverá promover junto à especificação da área para o nível assegurada do bloco de todas as usinas hidrelétricas.
Agência Nacional de Águas – ANA, a prévia máximo normal; Na medida em que novos empreendimentos vão
obtenção de declaração de reserva de • curva vazão defluente x cota de jusante; sendo incorporados, estas restrições tendem a se
disponibilidade hídrica. • potência efetiva; agravar, assim como este erro no cálculo da
No caso de aproveitamentos localizados em • rendimento do conjunto turbina/gerador; energia assegurada. Para manter a coerência com
corpos de água de domínio dos Estados ou do • perdas hidráulicas na usina; o objetivo acordado em 1998, de não se ter
18 Artigo Técnico
restrições de transmissão entre os subsistemas Sul- físico-econômico, como atualmente. Por uma questão de coerência e na busca de uma
Sudeste e Norte-Nordeste para efeito de cálculo • A modelagem atualmente empregada (interação solução de continuidade, este procedimento deve
de energia assegurada, os valores de capacidade de entre os modelos NEWAVE e MSUI) precisa ser ser mantido após a revisão metodológica.
transmissão projetados para 2007 no Plano de revista, tanto em termos do uso de cada um destes • Atualmente, o consumo próprio das usinas
Expansão 1998/2007 devem ser atualizados. modelos como a forma em que eles interagem. hidrelétricas, assumido como sendo 1 % da
• Em vista da Resolução da GCE envolvendo a Procedimentos específicos devem ser definidos potência instalada da usina, é considerado apenas
adoção de uma função de custo de déficit, em para o recálculo de energias asseguradas como na disponibilidade de ponta e não na de energia.
quatro patamares, para o Programa Mensal de resultado de variações dos parâmetros Na revisão, recomenda-se o desconto do consumo
Operação, elaborado pelo ONS, e como esta hidroenergéticos das usinas. próprio real ou estimado de cada usina, tanto na
função é a mesma empregada pelo CCPE nas • Na revisão metodológica deve-se definir um disponibilidade de ponta como na de energia.
simulações do Plano Decenal de Expansão, seria critério de realocação da energia assegurada • De acordo com a metodologia atual, em que não
coerente de se esperar que esta função passasse a eventualmente perdida em algum empreendimento se simula a adição de cada unidade geradora até a
ser utilizada também em novos cálculos de energia por questões ambientais ou de uso múltiplo da motorização final da usina, empregando-se a regra
assegurada, que é uma responsabilidade conjunta água. heurística representada pela equação 1, pode
do CCPE e do ONS. Recomenda-se um urgente • Não são considerados nos critérios vigentes ocorrer uma sobrevalorização da energia
estudo conjunto do CCPE e ONS a respeito do perdas na transmissão entre os subsistemas, assegurada na fase de motorização para usinas
impacto da adoção da curva em quatro patamares afetando-se, desta forma, os fluxos entre estes com um número elevado de unidades geradoras e
sobre o cálculo de energias asseguradas. subsistemas e, conseqüentemente, a geração das sem uma grande regularização.
• O modelo MSUI, da ELETROBRÁS, empregado usinas. Simulações efetuadas pelo CCPE em 2002 • A atual metodologia refere-se explicitamente à
nos cálculos de energia e potência assegurada, mostram que, considerando-se um nível de 5% de modelagem de uma configuração com 4
precisa ser atualizado Esta atualização é rápida e perdas na transmissão, tem-se uma redução de subsistemas. Isto deve ser flexibilizado na revisão,
fácil de ser implementada a curto prazo. 1,66% na energia assegurada de todo o bloco de permitindo-se a modelagem de qualquer número
• O ONS deve alterar a definição do “fator usinas hidrelétricas. Esta redução aumenta para de subsistemas que venha a ser definido no futuro.
hidráulico”, no Submódulo 7.8 dos Procedimentos 3,02% se o nível de perdas considerado for de • Atualmente as retiradas de água para irrigação
de Rede, ainda não homologado pela ANEEL, 10%. Por outro lado, estas perdas tem que ser não são consideradas no sistema equivalente
adotando a definição efetivamente empregada descontadas das energias asseguradas para que não (modelo NEWAVE), mas são levadas em conta
pelos técnicos do CCPE e ONS, conforme haja uma dupla contagem quando as gerações são na simulação individualizada com o modelo MSUI,
comentado na seção anterior deste trabalho. “transportadas” para o “centro de gravidade” dos nas usinas do subsistema Nordeste. Na revisão
• O CCPE e o ONS devem elaborar um glossário, subsistemas, para fechamento dos balanços metodológica deve-se procurar um tratamento
homologado pela ANEEL, definindo os energéticos oferta/demanda. É importante que, isonômico, avaliando-se este parâmetro para
parâmetros básicos das usinas de potência elétrica. após a revisão, se comece a utilizar estas perdas todas as usinas do sistema interligado brasileiro e
• As superintendências envolvidas na fiscalização nas simulações com o modelo NEWAVE, se ele sua possível utilização nos dois modelos.
de usinas, na ANEEL e na ANA, devem atualizar continuar a ser utilizado, para se obter uma melhor
os parâmetros básicos de todas as usinas instaladas estimativa dos fluxos entre os subsistemas, mesmo Bibliografia
no País o mais rápido possível. Estes parâmetros que se tenha que subtrair estas perdas das gerações, Bajay, Sérgio Valdir, Ivone Maria de
devem ser empregados nos cálculos de energia e em um segundo momento. Oliveira, Paulo César Magalhães
potência assegurada dos novos empreendimentos. • A crescente participação das usinas termelétricas Domingues, Admir Martins Conti, José
• Recomenda-se que os estudos de consistência no parque gerador do sistema interligado tem Alves de Mello Franco, Gilma dos Passos
das vazões naturais afluentes aos reservatórios e provocado uma alteração dos valores de energia Rocha, Martha Sugai, Joaquim Guedes
a revisão das restrições de operação das UHEs, assegurada das usinas hidrelétricas. Simulações Corrêa Gondim Filho, Hermes Jorge Chipp,
visando incorporar as mudanças decorrentes do efetuadas pelo CCPE em 2002 indicaram que Luiz Augusto Lattari Barreto et Manoel
aproveitamento dos mesmos para usos múltiplos, reduzindo-se em 11.000 MW a potência instalada Vieira Júnior.
se processem o mais rápido possível, de forma a de usinas termelétricas, aproximando a Relatório Técnico, Grupo de Trabalho para
permitir a revisão prevista das energias asseguradas configuração resultante daquela definida pelo Avaliação do Cálculo de Energia
em 2004. A ANA, em conjunto com a ANEEL, CTDO/CCPE no seu Plano Decenal de Geração Assegurada, Câmara de Gestão da Crise de
CCPE e ONS, devem realizar estes estudos e esta 2001-2010, a energia assegurada de todo o bloco Energia (GCE), Brasília, janeiro de 2002,
revisão. de usinas hidrelétricas aumenta 1,79%. A 41 pags.
• O CCPE e o ONS devem atualizar os valores das eliminação de todas as centrais termelétricas do Carvalho, Eliane Bezerra. Nota Técnica
taxas de indisponibilidade forçada e por sistema de referência aumenta a energia assegurada no 021/2002, Superintendência de
manutenção empregados nos cálculos de energia deste bloco em 5,45%. Estes resultados Regulação da Geração, Agência Nacional
e potência assegurada, além de representar estas demonstram a necessidade de se passar a definir de Energia Elétrica, agosto de 2002.
grandezas de uma forma contínua, no caso de criteriosamente, após a revisão metodológica, que CCPE. Plano Decenal de Expansão, 2001
usinas em fase de estudo, e não discreta como unidades termelétricas candidatas ao plano de – 2010. Brasília: Ministério de Minas e
feito atualmente. Para usinas em operação, estes expansão devem ser consideradas nos cálculos de Energia, 2001.
valores devem ser informados pelas suas empresas energia assegurada, em termos de que se tenha GCOI. Metodologia e Critérios para
proprietárias, sujeitos à homologação pela nesta relação usinas que, de fato, serão construídas Elaboração do Plano de Operação para
ANEEL. nas épocas previstas; evita-se, com isto, uma 1998, SCEN/GTMC, Rio de Janeiro,
4.2 Melhorias que Precisam ser Melhor subestimação da energia assegurada das usinas dezembro de 1997.
Avaliadas, Durante o Processo de Revisão hidrelétricas. Por outro lado, deve-se definir GCOI, Plano de Operação para 1998 -
Metodológica critérios de rateio entre as usinas hidrelétricas e Sul/Sudeste - Norte/Nordeste, Relatório
Os seguintes potenciais melhorias no processo de termelétricas que assegurem uma participação mais SCEN-GTPL-SE-S-02/97, Rio de Janeiro,
cálculo da energia e potência assegurada de usinas justa à geração hidráulica. Em cálculos recentes 1997.
hidrelétricas devem ser devidamente avaliadas, de energia assegurada de novas usinas hidrelétricas, GCPS, Plano Decenal de Expansão 1998/
durante o processo de revisão metodológica: a ANEEL definiu que usinas que já foram leiloadas 2007, Grupo Coordenador de
• Precisa-se reavaliar se deseja-se ter a energia mas que ainda não receberam a concessão devem Planejamento do Sistema, Rio de Janeiro,
assegurada como um bem puramente físico ou fazer parte da configuração base para este cálculo. 1998.