Você está na página 1de 40

1

Amplificadores Operacionais e Circuitos

Introdução
O amplificador operacional conhecido abreviadamente por
Amp-Op é um circuito multi-estágio com entrada diferencial, que produz
elevado ganho de tensão, tem alta impedância de entrada e baixa
impedância de saída. A figura a seguir mostra o circuito elétrico de um
amplificador operacional integrado.

Os Amp-Op são empregados atualmente em diversas aplicações,


mas no início de seu desenvolvimento eram empregados basicamente nas
áreas de computação e instrumentação analógicas. Eram construídos com
componentes discretos (válvulas e depois transistores e resistores) que
elevava o seu custo.
Em meados dos anos 60, foi produzido o primeiro circuito
intergrado que passou a ser conhecido por uA 709. Este circuito integrado
era feito de um número relativamente alto de transistores e resistores
todos em uma mesma pastilha de silício. Embora suas características

Eletrônica I 1
2

fossem inferiores (comparadas com os padrões atuais) e seu custo muito


alto, seu surgimento sinalizou uma nova era no projeto de circuitos
eletrônicos. Os engenheiros iniciaram o uso dos Amp-op's em larga
escala o que causou uma queda acentuada em seu preço. Em poucos anos
estavam disponíveis no mercado amplificadores operacionais integrados
de alta performance e custo reduzido.

Características ideais e simbologia

Vo = Av.(VB − VA)
A expressão acima é a equação fundamental do amplificador
Operacional, onde os termos têm o seguinte significado:

Vo – é a tensão de saída
Av – é o ganho do amplificador sem realimentação
VB – é a tensão na entrada não inversora
VA – é a tensão na entrada inversora
O Amp-Op ideal tem as seguintes características:

a) Resistência de entrada infinita


b) Resistência de saída nula
c) Ganho de tensão infinito
d) Resposta em freqüência infinita
e) Insensibilidade à temperatura(drift nulo)

Amplificador operacional real


Na prática os Amp-Op’s são circuitos integrados que, como
qualquer sistema físico tem suas limitações. Um dos Amp-Op’s mais

Eletrônica I 2
3

difundidos até hoje é o 741, que recebe inúmeras codificações de acordo


com seu fabricante, como por exemplo: uA741, LM741 entre outras.
O Amp-Op 741 é mostrado na figura a seguir:

A descrição dos pinos é a seguinte:


1 e 5 - São destinados ao balanceamento do amp-op (ajuste da tensão de
off-set)
2- Entrada inversora
3- Entrada não-inversora
4- Alimentação negativa (-3V a -18V)
7- Alimentação positiva (+3V a +18V)
6- Saída
8- Não possui nenhuma conexão

Resistência de entrada

Uma das características importantes do amplificador


operacional é elevada resistência de entrada ( rent ).

Para amplificadores com transistores bipolares de junção,


como o 741, esta resistência é de 1 M Ω .

Eletrônica I 3
4

Amplificadores Operacionais com transistores de efeito de


campo-FET na entrada, têm resistências de entrada ainda mais elevadas.
Estes amplificadores são usados em instrumentação, onde a
resistência elevada é muito importante para não influenciar no circuito
que esta sendo medido. Outra característica importante do Amp-Op é a
resistência de saída( rsaída ) que para o 741 é da ordem de 75 Ω .

Operando com tensões relativamente baixas e tendo uma


resistência de saída de baixo valor, o Amp-Op pode não fornecer em sua
saída corrente elevada, mas suficiente para ser empregado em um
número enorme de aplicações acionando diretamente diversos
dispositivos.

Ganho de tensão em malha aberta Av

O Amp-Op real apresenta um ganho de tensão em malha aberta de


valor elevado, que diminui, porém com o aumento da freqüência.

O ganho de tensão em malha aberta do 741 é de 100.000.

Eletrônica I 4
5

Ganho de modo comum

Na prática, a tensão de saída de um amplificador operacional


depende do nível médio, ou de modo comum, do sinal aplicado nas
entradas. Esta dependência, designada Ganho de Modo Comum, indica
basicamente que a tensão na saída é uma função não apenas da diferença
de potencial entre os terminais positivo e negativo da entrada, mas
também do nível médio comum a ambos.

Admitindo-se que a tensão diferencial é nula, mas que os


níveis comuns nos terminais não são , a tensão na saída do circuito não é
nula. Esta variação da tensão na saída deve-se ao fato de o amplificador
na realidade se caracterizar por uma relação do tipo
Vo = Ad.Vd + Ac.Vc
onde ( Ac e Vc ) representam, o ganho de modo comum e a tensão de modo
1
comum na entrada, onde Vc = (Vi1 + Vi 2 ) e ( Ad e Vd ), o ganho diferencial e
2
a tensão diferencial entre os terminais positivo e negativo, onde
Vd = A.(Vi 2 − Vi1 ) . Naturalmente, é sempre desejável que o Amp-Op se
caracterize por uma elevada diferença entre os valores do ganho
diferencial Ad e de modo comum Ac , isto é, se caracterize por uma razão
Ad
tão elevado quanto possível. Na prática, caracteriza-se um Amp-Op
Ac
Ad
através da razão , em vez de referir o ganho de modo comum.
Ac
Ad
CMRR =
Ac
A razão é denominada Razão de Rejeição de Modo Comum (Common
Mode Rejection Ratio).
Hoje em dia comercializam-se Amp-Op’s cujo CMRR pode
variar entre os 75 e os 140 dB.

Eletrônica I 5
6

Tensão de Off Set

Define-se tensão de off set de um Amp-Op como a diferença


de potencial necessária entre os terminais de entrada para anular a
tensão de saída. Pelo fato de os Amp-Op's serem dispositivos com os
diversos estágios internos diretamente acoplados, com alto ganho em
corrente contínua, apresentam problemas decorrentes da polarização.
Um problema é a tensão de offset. Para entender esse
problema considere o seguinte experimento teórico: se os dois terminais
do Amp-op forem ligados juntos e conectados ao terra, será observado
que existe uma tensão contínua finita na saída.

Realmente, se o Amp-Op tem um alto ganho CC, a saída


poderá, devido ao fato dos transistores não serem exatamente iguais, estar
em um dos dois níveis de saturação, positivo ou negativo. Para solucionar
este problema do Amp-Op retornando ao seu valor ideal de 0v deve se
conectar uma fonte CC de polaridade inversa e valor apropriado entre
seus terminais de ajuste de ajuste de off set. Essa fonte externa compensa
a tensão de entrada de offset do Amp-Op.

Tensão de saturação
O funcionamento linear de um amplificador operacional é
garantido apenas numa faixa limitada de tensões de saída, definida
durante sua utilização, através das tensões de alimentação utilizadas ou
durante a fase de projeto do circuito. A relação entre as tensões na saída e

Eletrônica I 6
7

nas entradas de um Amp-Op é linear apenas na faixa compreendida entre


as tensões de saturação limitada pelas tensões de alimentação, +Vcc e
-Vcc. A faixa de valores permitida, é uma função da arquitetura do
amplificador e das tensões de alimentação, sendo em geral da ordem de
80 a 90% da faixa definida pelas tensões de alimentação.

Slew rate
Define-se slew rate como a taxa máxima de variação da tensão
na saída de um Amp-Op por num intervalo de tempo. O slew rate (SR) é
uma característica associada à topologia do amplificador e às correntes
utilizadas internamente na polarização.
Uma das conseqüências da taxa de slew rate é a imposição de
um limite à freqüência máxima dos sinais na saída sem distorção. O slew
rate é especificado em V / µs , volt por micro-segundo.

∂Vo
SR =
∂t

Eletrônica I 7
8

Modos de Operação do Amplificador Operacional

O amplificador operacional pode ser utilizado basicamente de


três modos distintos.

Sem Realimentação

Os circuitos comparadores são circuitos utilizados para


comparar tensões com uma referência fixada. Comparadores podem ser
obtidos com o amplificador operacional sem realimentação, isto é, em
malha aberta.

Com Realimentação Positiva

Circuitos comparadores e osciladores são aplicações com


amplificadores operacionais operando com realimentação positiva.

Eletrônica I 8
9

Com Realimentação Negativa

Muitos circuitos amplificadores podem ser obtidos utilizando-


se este modo de operação do amplificador operacional com realimentação
negativa.
- amplificador inversor
- amplificador não inversor
- amplificador diferenciador
- amplificador integrador
- amplificador somador inversor
- filtros ativos
- etc..

A Realimentação Negativa

O processo de realimentação negativa permite o controle do


ganho do circuito realimentado. Veja um sistema genérico, trabalhando
em malha fechada com realimentação negativa.

As variáveis desse sistema têm o seguinte significado:


Vi - é o sinal de entrada
Vo - é o sinal de saída
Vd - é o sinal diferencial
Vf - é o sinal realimentado
Avo - é o ganho em malha aberta(ganho do Amplificador Operacional)
B - é o fator de realimentação negativa

Eletrônica I 9
10

Análise do sistema
O sinal diferencial de entrada é igual a diferença dos sinais
de entrada e realimentado.
Vd = Vi − Vf 1
O sinal diferencial também pode ser escrito como:
Vo
Vd = 2
Avo
O sinal realimentado igual ao sinal de saída multiplicado
pelo fator de ganho.
Vf = B.Vo 3
Substituindo a equação 2 na equação 1, temos:
Vo
= Vi − Vf 4
Avo
Substituindo a equação 3 na equação 4, temos:
Vo
= Vi − B.Vo 5
Avo
Arranjando os termos da equação 5, temos:
Vo Avo
=
Vi 1 + B. Avo
Vo
Chamando a razão Avf = , então:
Vi

Avo
Avf =
1 + B. Avo

Como o ganho em malha aberta do amplificador é elevado e


idealmente infinito, então fazendo Avo → ∞
Concluímos que no sistema realimentado, o ganho depende
do fator de realimentação, e portanto, podemos escrever:

1
Avf =
B

A figura a seguir mostra a curva de resposta em freqüência


de um circuito quando utilizamos realimentação negativa. Como vimos,
podemos estipular um ganho para o circuito e conseqüentemente a
largura de faixa de operação.

Eletrônica I 10
11

Curto Circuito Virtual e Terra Virtual


O conceito de curto circuito virtual e terra virtual é muito
importante na análise de circuitos com amplificadores operacionais.
Veja a seguir como é provado, para um circuito inversor.

No circuito como a resistência de entrada tem valor infinito,


então podemos escrever:
I1 = If

Eletrônica I 11
12

Análise das malhas do circuito:

Vi − VA VA − Avo.Vd
=
R1 Rf + Ro

Desenvolvendo e simplificando as expressões, temos:

R1.VA + Avo.VA − (Vi − VA).( Rf + Ro)


VB =
Avo

Considerando o ganho em malha aberta Avo → ∞ ,então:

Avo → ∞ VB = VA

Como no circuito VB = 0 → Vd = 0 , o que significa VA = 0 .


O ponto A é denominado terra virtual do circuito, pois o
potencial é igual ao potencial do ponto B. Quando o ponto B está num
potencial diferente de zero, também há reflexão desse potencial no ponto
B, pois entre os pontos A e B, há um curto-circuito virtual, embora a
resistência de entrada seja de valor infinito.

Aplicações básicas com Amplificadores Operacionais


Considere o circuito a seguir:

O amplificador apresenta resistência de entrada infinita,


então I1 = If .

Eletrônica I 12
13

então,

Vi − VA VA − Vo
=
R1 Rf

Como o Amp-Op apresenta ganho infinito, temos:

VB = 0 → VA = VB

Logo, a expressão(1) pode ser escrita como:

Vo Rf
=−
Vi R1
Observações:
a) O nó A da figura é denominado ponto de terra virtual, pois para
valores elevados de Avo(ganho de tensão em malha aberta), seu
potencial é praticamente zero.
b) O ganho em malha fechada do circuito é dado pela relação:
Rf
Avf = −
R1
c) O sinal negativo da expressão indica a defasagem de 180° com
relação a entrada.
d) O amplificador analisado recebe a denominação de amplificador
inversor.

Amplificador não inversor


Considere o circuito mostrado a seguir:

Eletrônica I 13
14

O amplificador apresenta resistência de entrada infinita,


logo a corrente I passará de R1 para R2, de onde podemos obter a
relação:
0 − Vi Vi − Vo
=
R1 Rf
Desenvolvendo a expressão , obtém-se:

Vo Rf
= 1+
Vi R1

Vo
Chamando, Avf =
Vi

Rf
Então: Avf = 1 +
R1
Conclusões:
Rf
O ganho em malha fechada do circuito é Avf = 1 +
R1
a. Como podemos verificar, não existe defasagem entre os sinais de
entrada e saída.
b. Se considerarmos na expressão R2 = 0 e R1 em aberto, teremos:
Avf = 1
Nestas condições o amplificador é representado pelo circuito
mostrado a seguir:

O circuito mostrado é conhecido por BUFFER isolador,


seguidor de tensão, amplificador de ganho unitário etc....

Eletrônica I 14
15

Amplificador somador inversor


O circuito mostrado a seguir é denominado somador
inversor:

No ponto A do circuito, pela lei de Kirchhoff temos:

If = I1 + I 2 + I 3

Podemos escrever a equação anterior de outra forma: como


VA = 0 , aplicando o princípio do terra virtual

V1 V 2 V 3
Então: If = + +
R1 R 2 R3

− Vo
Como If =
Rf

Portanto,
 V1 V 2 V 3 
Vo = − Rf . + + 
 R1 R 2 R3 

Eletrônica I 15
16

Outros circuitos

Amplificador diferencial ou subtrator

No ponto A do circuito, pela lei de Kirchhoff temos:

I1 = I f

Podemos escrever a equação anterior de outra forma:

Vi1 − VA VA − Vo
=
R1 R2

Como VA = VB , pelo princípio do curto circuito virtual e


Vi2
VB = .R2 , substituindo na equação anterior e simplificando, temos:
R1 + R2

R2
Vo = (Vi1 − Vi 2)
R1

Eletrônica I 16
17

Amplificador diferenciador

No ponto A do circuito, pela lei de Kirchhoff temos:

IC = I f

Podemos escrever a equação anterior de outra forma:

∂ (Vi − VA ) VA − Vo
C. =
∂t Rf

Como VA = 0 , aplicando o princípio do terra virtual,

∂Vi Vo
Então: C. =−
∂t Rf

∂Vi
Portanto, Vo = − R f .C
∂t

Eletrônica I 17
18

Amplificador integrador

No ponto A do circuito, pela lei de Kirchhoff temos:

I1 = I C
Podemos escrever a equação anterior de outra forma:

Vi − VA ∂ (VA − Vo)
= −C
R1 ∂t
Como VA = 0 , aplicando o princípio do terra virtual

Vi ∂Vo
Então: =−
R1 ∂t
Como

1
R1.C ∫
Portanto, Vo = − Vi.dt

Eletrônica I 18
19

Amplificador diferenciador na prática


O ganho de um amplificador é calculado genericamente por
Zf
Av = − , onde:
Z
Zf - impedância de realimentação
Z - impedância da entrada

Para o amplificador diferenciador inversor a impedância de


entrada é a do capacitor. O módulo dessa impedância é a reatância
capacitiva Xc ,onde:
1
XC =
2.π . f .C
Em altas freqüências X C → 0 e portanto, o ganho do
amplificador Av → ∞ . Para evitar a saturação do amplificador, é
colocado um resistor R1 em série com o capacitor, de modo a limitar o
Zf
ganho de tensão em Av = − , comportando- se dessa forma como um
R1
amplificador inversor.

Eletrônica I 19
20

A expressão para determinação do ganho do circuito


diferenciador prático é mostrado a seguir:

− Rf
Avf =
1
R1 +
j.2.π . f .C

Amplificador integrador na prática


Para o amplificador integrador inversor a impedância de
realimentação é a impedância do capacitor. O módulo dessa impedância
é a reatância capacitiva Xc ,onde:
1
XC =
2.π . f .C
Em baixas freqüências X C → ∞ e portanto, o ganho do
amplificador Av → ∞ . Para evitar a saturação do amplificador, é
colocado um resistor R1 em paralelo com o capacitor, de modo a limitar
Rf
o ganho de tensão em Av = − , comportando- se dessa forma como um
R1
amplificador inversor.

A expressão para determinação do ganho do circuito


diferenciador prático é mostrada a seguir:

Rf R1
Avf = −
1 + j.2.π . f .Rf .C

Eletrônica I 20
21

Schimitt trigger(comparador regenerativo)


O Schimitt trigger é uma aplicação com Amp-Op
realimentado positivamente. Neste caso temos um circuito comparador,
onde a tensão de referência muda de polaridade conforme a tensão de
saída.

A tensão de referência é a tensão sobre o resistor R2 e


calculada pela seguinte expressão:
Vo
VR 2 = .R2
R1 + R2

A tensão Vo pode assumir valores de saturação negativa e


positiva.

Comparadores Simples
Um comparador é um circuito utilizado para comparar
dois níveis de tensão, sendo um deles fixado como uma referência.

Comparador positivo
Quando a tensão de entrada ultrapassar ligeiramente o
valor da tensão de referência, a saída do circuito ficará saturada
positivamente.

Eletrônica I 21
22

Comparador negativo
Quando a tensão de entrada ultrapassar ligeiramente o
valor da tensão de referência, a saída do circuito ficará saturada
negativamente.

Eletrônica I 22
23

Amplificador de Instrumentação

É denominado Amplificador de instrumentação ao conjunto


formado por vários Amplificadores Operacionais e que constitui um
circuito com características especiais, como:
- Impedância de entrada muito elevada
- Impedância de saída muito baixa
- CMRR elevado
- Tensão de offset muito baixa
- Ganho de tensão em malha aberta superior aos amplificadores
comuns

Analisando o circuito e utilizando o princípio do curto circuito


virtual, escrevemos

Vo1 − V 1 V 2 − V 1
+ =0
R2 R
Onde,
V 1.R + V 1.R 2 − V 2.R 2
Vo1 =
R

Eletrônica I 23
24

e
V 2.R 2 + V 2.R − V 1.R 2
Vo 2 =
R
O estágio de saída é um amplificador subtrator, cuja saída é
dada por:
Vo3 = (Vo2 − Vo1)
Substituindo as equações anteriores e simplificando, temos:

 2.R 2 
Vo3 = 1 + .(V 2 − V 1)
 R 

A equação mostra que o ganho pode ser controlado por R.

Eletrônica I 24
25

Amplificador Operacional
Objetivos

Identificação do circuito integrado 741 – amplificador operacional


Identificação da placa de experiências nº5

descrição dos pinos

1 e 5 - São destinados ao balanceamento do amp-op ( ajuste da tensão de off-set )


2- Entrada inversora
3- Entrada não- inversora
4- Alimentação negativa ( -3V a -18V )
7- Alimentação positiva ( 3V a 18V )
6- Saída
8- Não possui nenhuma conexão

circuito elétrico do amplificador operacional 741

Eletrônica I 25
26

Ajuste da tensão de off set do Amplificador Operacional

Objetivos

Determinar o valor da tensão de off set de entrada do Amp-Op


741;
Fazer o balanceamento do circuito.

1- Ligue a fonte de alimentação CC +15V em P11, -15V em P9 e GND


em P8.
2- Ligue um jumper entre P1 e P2.
3- Conecte um resistor de 10k Ω em J1.
4- Conecte um jumper em J2.
5- Conecte um resistor de 100k Ω em J8.
6- Conecte um jumper em J5.
7- Meça Vo(off set), utilizando um multímetro digital ligado entre P7 e
P8.
8- Conecte um jumper em J6.
9- Varie o potenciômetro até zerar Vo(off set).

Material Necessário

Placa experimental nº5


Multilab
Resistor de 10k Ω
Resistor de 100k Ω
2 jumpers
multímetro digital
6 cabos

Eletrônica I 26
27

Amplificador Inversor com Amplificador Operacional

Objetivos

Comprovar os efeitos da realimentação negativa no controle de


ganho de tensão no amplificador inversor;
Comprovar a validade das equações que definem o ganho de
tensão do amplificador inversor.

10- Ligue a fonte de alimentação CC +15V em P11, -15V em P9 e GND


em P8.
11- Ligue o gerador de áudio em P1(+) e P2(-).
12- Conecte um resistor de 1k Ω em J1.
13- Conecte um jumper em J2.
14- Conecte um resistor de 10k Ω em J8.
15- Conecte um jumper em J5.
16- Ligue a ponta CH1 do osciloscópio em P1.
17- Ligue a ponta CH2 do osciloscópio em P7.
18- Ligue o GND do osciloscópio em P4.
19- Injete um sinal senoidal a entrada, com freqüência de
aproximadamente 1kHz e amplitude igual a 1Volt pico a pico.
20- Observe, meça e anote o valor e a forma de onda da tensão de saída
e calcule o ganho de tensão do circuito Av=Vo/Vi.
21- Compare com o ganho teórico:
Rf
Av = − onde Rf=10k Ω e R=1k Ω
R

Eletrônica I 27
28

22- Verifique na prática o que significa o sinal negativo da relação que


permite determinar o ganho de tensão.
23- Substitua Rf emJ8 por um resistor de 22k Ω e repita os itens 19 a
21.

Material Necessário

Placa experimental nº5


Multilab
Resistor de 1k Ω
Resistor de 10k Ω
Resistor de 22k Ω
2 jumpers
Osciloscópio digital de 2 canais
2 pontas de prova
6 cabos

Eletrônica I 28
29

Amplificador Não Inversor com Amplificador Operacional

Objetivos

Comprovar os efeitos da realimentação negativa no controle de


ganho de tensão no amplificador não inversor;
Comprovar a validade das equações que definem o ganho de
tensão do amplificador não inversor;
Verificar a ação do amplificador não inversor como Buffer.

24- Ligue a fonte de alimentação CC +15V em P11, -15V em P9 e GND


em P8.
25- Ligue o gerador de áudio em P5(+) e P6(-).
26- Conecte um jumper entre P1 e P2.
27- Conecte um resistor de 1k Ω em J1.
28- Conecte um jumper em J2.
29- Conecte um resistor de 10k Ω em J8.
30- Conecte um jumper em J4.
31- Ligue a ponta CH1 do osciloscópio em P5.
32- Ligue a ponta CH2 do osciloscópio em P7.
33- Ligue o GND do osciloscópio em P4.
34- Injete um sinal senoidal a entrada, com freqüência de
aproximadamente 1kHz e amplitude igual a 1Volt pico a pico.
35- Observe, meça e anote o valor e a forma de onda da tensão de saída
e calcule o ganho de tensão do circuito Av=Vo/Vi.
36- Compare com o ganho teórico:

Eletrônica I 29
30

Rf
Av = 1 + onde Rf=10k Ω e R=1k Ω
R

37- Verifique que não há defasagem entre o sinal de entrada e saída.


38- Substitua Rf em J8 por um resistor de 22k Ω e repita os itens 34 a
36.
39- Modifique o circuito retirando o resistor R=22k Ω de J8 e substitua-
o por um jumper. O amplificador nessa configuração opera como
um Buffer(elevador de corrente).
40- Retire o resistor R1=1k Ω de J1.

41- Injete um sinal senoidal a entrada, com freqüência de


aproximadamente 1kHz e amplitude igual a 5Volt pico a pico.
42- Observe, meça e anote o valor e a forma de onda da tensão de saída
e calcule o ganho de tensão do circuito Av=Vo/Vi.
43- Calcule o ganho de tensão do circuito e compare com o valor
teórico:
Av = 1

Material Necessário

Placa experimental nº5


Multilab
Resistor de 1k Ω
Resistor de 10k Ω
Resistor de 22k Ω
3 jumpers
Osciloscópio digital de 2 canais
2 pontas de prova
6 cabos

Eletrônica I 30
31

Amplificador Somador Inversor com Amplificador Operacional

Objetivos

Comprovar os efeitos da realimentação negativa no controle de


ganho de tensão no amplificador somador inversor;
Comprovar a validade das equações que definem o ganho de
tensão do amplificador somador inversor.

44- Ligue a fonte de alimentação CC +15V em P11, -15V em P9 e GND


em P8.
45- Ligue o gerador de áudio em P1(+) e P2(-).
46- Ligue a fonte de tensão CC variável ajustada em 1V aos pontos
P3(+) e P4(-).
47- Conecte um resistor de 4k7 em J1.
48- Conecte um jumper em J2.
49- Conecte um jumper em J3
50- Conecte um resistor de 10k Ω em J8.
51- Conecte um jumper em J5.
52- Ligue a ponta CH1 do osciloscópio em P1.
53- Ligue a ponta CH2 do osciloscópio em P7.
54- Ligue o GND do osciloscópio em P4. O modo de acoplamento
deverá ser CC.

Eletrônica I 31
32

55- Injete um sinal senoidal a entrada, com freqüência de


aproximadamente 1kHz e amplitude igual a 1Volt pico a pico.
56- Observe, meça e anote o valor e a forma de onda da tensão de saída.
Varie a tensão da fonte de tensão CC para 2V e observe, meça e
anote o valor e a forma de onda da tensão de saída .
57- Substitua a fonte de tensão contínua por um gerador de
áudio,ligando aos pontos P3(+) e p4(-).
58- Injete um sinal senoidal a entrada, com freqüência de
aproximadamente 100Hz e amplitude igual a 5Volt pico a pico.
59- Observe, meça e anote o valor e a forma de onda da tensão de saída.
Altere as formas de onda da tensão de entrada e varie a freqüência
dos geradores. Componha soma de funções através do circuito. A
expressão teórica para a tensão de saída é:

 Vi1 Vi 2 
Vo = − Rf . + 
 R1 R 2 

Material Necessário

Placa experimental nº5


Multilab
2 resistores de 4,7k Ω
Resistor de 10k Ω
3 jumpers
Osciloscópio digital de 2 canais
2 pontas de prova
8 cabos

Eletrônica I 32
33

Amplificador Subtrator com Amplificador Operacional

Objetivos

Comprovar os efeitos da realimentação negativa no controle de


ganho de tensão no amplificador subtrator;
Comprovar a validade das equações que definem o ganho de
tensão do amplificador subtrator.

60- Ligue a fonte de alimentação CC +15V em P11, -15V em P9 e GND


em P8.
61- Ligue a fonte de tensão CC variável ajustada em 2V aos pontos
P5(+) e P6(-).
62- Ligue a fonte de tensão fixa de 5V aos pontos P1(+) e P2(-).
63- Conecte um resistor de 4k7 em J1.
64- Conecte um jumper em J2
65- Conecte um resistor de 10k Ω em J5
66- Conecte um resistor de 4k7 em J4.
67- Ligue a ponta CH1 do osciloscópio em P1.
68- Ligue a ponta CH2 do osciloscópio em P7.
69- Ligue o GND do osciloscópio em P4. O modo de acoplamento
deverá ser CC.
70- Observe, meça e anote o valor e a forma de onda da tensão de saída.

Eletrônica I 33
34

71- Mude o valor da tensão de entrada da fonte de tensão CC variável


para 5V. Observe, meça e anote o valor e a forma de onda da tensão
de saída e verifique se a tensão de saída corresponde a diferença
dos sinais de entrada
R2
Vo = (V 2 − V 1)
R1
Material Necessário
Placa experimental nº5
Multilab
2 resistores de 4,7k Ω
2 resistores de 10k Ω
3 jumpers
Osciloscópio digital de 2 canais
2 pontas de prova
8 cabos

Eletrônica I 34
35

Amplificador Diferenciador Inversor com Amplificador Operacional

Objetivos

Comprovar os efeitos da realimentação negativa no controle


de ganho de tensão no amplificador diferenciador inversor;
Comprovar a validade das equações que definem o ganho de
tensão do amplificador diferenciador inversor.

72- Ligue a fonte de alimentação CC +15V em P11, -15V em P9 e GND


em P8.
73- Ligue o gerador de áudio em P1(+) e P2(-).
74- Conecte um resistor de 10k Ω em J1.
75- Conecte um capacitor de 10ηF em J2.
76- Conecte um resistor de 100k Ω em J8.
77- Conecte um jumper em J5.
78- Ligue a ponta CH1 do osciloscópio em P1.
79- Ligue a ponta CH2 do osciloscópio em P7.
80- Ligue o GND do osciloscópio em P4.
81- Injete um sinal senoidal a entrada, com freqüência de
aproximadamente 100Hz e amplitude igual a 1Volt pico a pico.
82- Observe, meça e anote o valor e a forma de onda da tensão de saída
e calcule o ganho de tensão do circuito Av=Vo/Vi.
83- Compare com o ganho teórico:

Eletrônica I 35
36

− Rf Rf R1
Avf = Avf =
1
R1 + 2

j 2πfC  1 
1+ 
 2πfR1C 
 
84- Verifique na prática o que significa o sinal negativo da relação que
permite determinar o ganho de tensão.
85- Injete um sinal senoidal a entrada, com freqüência de
aproximadamente 1kHz e amplitude igual a 1Volt pico a pico.
86- Observe, meça e anote o valor e a forma de onda da tensão de saída
e calcule o ganho de tensão do circuito Av=Vo/Vi.
87- Compare com o ganho teórico:
88- Injete um sinal senoidal a entrada, com freqüência de
aproximadamente 10kHz e amplitude igual a 1Volt pico a pico.
89- Observe, meça e anote o valor e a forma de onda da tensão de saída
e calcule o ganho de tensão do circuito Av=Vo/Vi.
90- Compare com o ganho teórico:
91- Injete um sinal triangular a entrada, com freqüência de
aproximadamente 100Hz e amplitude igual a 1Volt pico a pico.
92- Observe, meça e anote o valor e a forma de onda da tensão de saída
e justifique a saída observada.
93- Injete um sinal triangular a entrada, com freqüência de
aproximadamente 1kHz e amplitude igual a 1Volt pico a pico.
94- Observe, meça e anote o valor e a forma de onda da tensão de saída
e justifique a saída observada.
95- Injete um sinal triangular a entrada, com freqüência de
aproximadamente 10kHz e amplitude igual a 1Volt pico a pico
96- Observe, meça e anote o valor e a forma de onda da tensão de saída,
justificando a saída observada.

Placa experimental nº5


Multilab
1 resistor de10k Ω
1 resistor de 100k Ω
1 capacitor de 10ηF
1 jumper
Osciloscópio digital de 2 canais
2 pontas de prova
6 cabos

Eletrônica I 36
37

Amplificador Integrador Inversor com Amplificador Operacional

97- Ligue a fonte de alimentação CC +15V em P11, -15V em P9 e GND


em P8.
98- Ligue o gerador de áudio em P1(+) e P2(-).
99- Conecte um resistor de 100k Ω em J1.
100- Conecte um jumper em J2.
101- Conecte um resistor de 1M Ω em J8.
102- Conecte um capacitor de 2,2ηF em J7
103- Conecte um jumper em J5.
104- Ligue a ponta CH1 do osciloscópio em P1.
105- Ligue a ponta CH2 do osciloscópio em P7.
106- Ligue o GND do osciloscópio em P4.
107- Injete um sinal de onda quadrada a entrada, com freqüência de
aproximadamente 100Hz e amplitude igual a 1Volt de pico .
108- Observe, meça e anote o valor e a forma de onda da tensão de saída
e calcule o ganho de tensão do circuito Av=Vo/Vi.
109- Compare com o ganho teórico:

Rf R1 Rf R1
Avf = − Avf =
1 + j 2πfRfC 1+ (2πfRfC )
2

110- Verifique na prática o que significa o sinal negativo da relação que


permite determinar o ganho de tensão.

Eletrônica I 37
38

111- Injete um sinal de onda quadrada a entrada, com freqüência de


aproximadamente 1kHz e amplitude igual a 1Volt de pico .
112- Observe, meça e anote o valor e a forma de onda da tensão de saída
e calcule o ganho de tensão do circuito Av=Vo/Vi.
113- Injete um sinal de onda quadrada a entrada, com freqüência de
aproximadamente 10kHz e amplitude igual a 1Volt de pico .
114- Observe, meça e anote o valor e a forma de onda da tensão de saída
e calcule o ganho de tensão do circuito Av=Vo/Vi.
115- Injete um sinal de onda quadrada a entrada, com freqüência de
aproximadamente 100kHz e amplitude igual a 1Volt de pico .
116- Observe, meça e anote o valor e a forma de onda da tensão de saída
e calcule o ganho de tensão do circuito Av=Vo/Vi.
117- Injete um sinal de onda triangular a entrada, com freqüência de
aproximadamente 1kHz e amplitude igual a 1Volt de pico .
118- Observe, meça e anote o valor e a forma de onda da tensão de saída
e calcule o ganho de tensão do circuito Av=Vo/Vi.

Placa experimental nº5


Multilab
1 resistor de100k Ω
1 resistor de 1M Ω
1 capacitor de 2,2ηF
1 jumper
Osciloscópio digital de 2 canais
2 pontas de prova
6 cabos

Eletrônica I 38
39

SchimittTrigger com Amplificador Operacional

Objetivos

Comprovar os efeitos da realimentação positiva no funcionamento


do comparador regenerativo.

119- Ligue a fonte de alimentação CC +15V em P11, -15V em P9 e GND


em P8.
120- Ligue o gerador de áudio em P1(+) e P2(-).
121- Conecte um jumper em J1.
122- Conecte um jumper em J2.
123- Conecte um resistor de 10k Ω em J9.
124- Conecte um resistor de 1k Ω em J5.
125- Ligue a ponta CH1 do osciloscópio em P1.
126- Ligue a ponta CH2 do osciloscópio em P7.
127- Ligue o GND do osciloscópio em P4.
128- Injete um sinal senoidal a entrada, com freqüência de
aproximadamente 1kHz e amplitude igual a 2Volt pico a pico.
Observe, meça e anote o valor e a forma de onda da tensão de saída.
Verifique o valor de tensão de disparo do Schimitt Trigger para o
semiciclo positivo e negativo.

Material Necessário

Placa experimental nº5


Multilab
1 resistor de10k Ω

Eletrônica I 39
40

1 resistor de 1 k Ω
2 jumper
Osciloscópio digital de 2 canais
2 pontas de prova
6 cabos

Eletrônica I 40