Você está na página 1de 2

UNIP – Universidade Paulista – Campus de São José dos Campos

Comunicação Empresarial – Aula nº 3

TEXTO NARRATIVO

Texto não literário Texto literário


• Linguagem denotativa
• Linguagem conotativa
• Tendência para a objetividade
• Tendência para a subjetividade
• Predomínio da função
• Predomínio da função poética
informativa
• Significante assume valor
• Significante como mero
expressivo
suporte do significado
• Desvio relativamente à norma
• Respeito pela norma
linguística
linguística
• Finalidade estética
• Finalidade utilitária

• Relação de verossimilhança
• Relação de correspondência
com o real
com o real

I – Estrutura da Narrativa

Uma narrativa literária pode aparecer em forma de conto, novela ou romance.


Para que haja narrativa é necessário que haja também um contador de história e uma
história.

1. O contador de história é o narrador.


2. A história apresenta:

a) Uma sequência de fatos ( enredo)


b) Personagens ( que vivenciam os fatos)
c) O lugar onde os fatos ocorrem ( espaço ou cenário)
d) O tempo em que os fatos ocorrem.

Enredo - Uma sequência de fatos corresponde ao enredo da estória. Veja um exemplo de


narrativa escrito em terceira pessoa:

Ex.: "Um homem caminha a noite por uma estrada escura, seus olhos estão atentos ao
menor movimento, seus ouvidos ao menor ruído, ele está a muitos quilômetros de sua casa
e só conseguirá chegar até ela caminhando. A qualquer momento ele poderá ser assaltado.
Na rua não há mais ninguém. Caminha sozinho, tendo por testemunha a luz da Lua e das
estrelas.
Ele tem que chegar em sua casa, lá o esperam seus filhos e sua esposa. Todos já devem
estar preocupados com sua demora.
Súbito, ele escuta barulho de passos, seu coração descompassa. Começa a caminhar mais
rápido. O barulho dos passos aumenta. São passadas rápidas que parecem quase correr ... "

Nesse pequeno enredo, temos todos os ingredientes citados acima:


Sequência de fatos: ( Uma personagem que precisa chegar em sua casa )
Personagem: ( Um homem solitário e outro responsável pelo barulho dos passos )
Cenário: (Uma estrada escura sem movimento, que leva à casa do homem)
Narrador: ( que conta a estória )

II – Foco da Narrativa

Toda estória é narrada em primeira ou em terceira pessoa. O Foco da narrativa é


determinado pelo contador da estória, ou seja, o narrador.
Quando o narrador faz parte integrante da estória, quando ele é uma personagem da mesma,
a narrativa está sendo feita em primeira pessoa.
Ex.: "Eu estou caminhando a noite por uma estrada escura, meus olhos estão atentos ao
menor movimento, meus ouvidos ao menor ruído, eu estou a muitos quilômetros de minha
casa e só conseguirei chegar até lá caminhando..."

Esse pequeno trecho, foi reescrito do exemplo anterior em primeira pessoa. Nessa estória,
o narrador é o personagem caminhando solitário pela rua escura, portanto a narrativa aqui
está focada em primeira pessoa.

Primeira pessoa - Quando o narrador faz parte da estória, ele é uma das personagens.
Terceira pessoa - Quando o narrador não participa, ele somente conta a estória.

III - Discurso da Narrativa: Direto e Indireto

O narrador , para relatar a fala das personagens , pode servir-se de dois recursos :

a) Discurso direto - o narrador reproduz textualmente as palavras da


personagem - Exemplo O pai chamou Pedrinho e perguntou : - Quem
quebrou o vidro , meu filho ?
b) Discurso Indireto - o narrador transmite com suas próprias palavras a fala
da personagem : Exemplo - Quando o pai chegou , perguntou à mulher
quem quebrara o vidro . . .

A diferença básica entre discurso direto e indireto é a mudança de emissor . No discurso


direto , o emissor é a personagem ; no discurso indireto , o emissor é o narrador . A opção
por uma dessas formas depende da intencionalidade do narrador e com a expressividade
que pretende obter .