Você está na página 1de 13

B O L E T IM S E M E S T R A L

P R O J E C TO P O D E R ( E s ) C O L H E R

EDITORIAL

Chegaram finalmente as férias do Verão e com ele a tão ansiada primeira edição do Boletim do Projecto
“Poder (Es)Colher”. Uma iniciativa do Clube de Jornalismo, actividade desenvolvida no âmbito do
Centro de Inclusão Digital (CID) do Projecto “Poder (Es)Colher”, e do qual fazem parte crianças e
jovens residentes no Bairro de Povos. São da sua autoria as notícias aqui editadas, todas elas acerca de
actividades e iniciativas desenvolvidas desde o reinício do Projecto “Poder (Es)Colher” em Dezembro de
2006, após a aprovação da candidatura ao Programa Escolhas (3ª Edição).

Sedeado no Centro Comunitário de Povos, o Projecto “Poder (Es)Colher” existe desde Novembro de 2004,
constituindo-se como um recurso comunitário principalmente ao nível da ocupação estruturante dos tempos
livres das crianças e jovens do Bairro de Povos. Toda a intervenção é desenvolvida em estreita articulação
com as instituições locais, com particular destaque para as que integram o consórcio: Câmara Municipal
de Vila Franca de Xira, Junta de Freguesia de Vila Franca de Xira, Comissão de Protecção de Crianças e
Jovens em Perigo e Agrupamento de Escolas Dr. Vasco Moniz.

No Projecto “Poder (Es)Colher” são desenvolvidas actividades diversificadas, criadas e planificadas no


sentido de responder às necessidades identificadas, nomeadamente actividades dirigidas às crianças,
jovens e respectivas famílias, que procuram promover o desenvolvimento das competências escolares,
pessoais, sociais e familiares/parentais.

O Boletim que agora apresentamos pretende constituir-se como um meio de divulgação dessas actividades e
de acontecimentos relevantes que ocorram no Bairro de Povos. Como tal, comprometemo-nos a “dar voz” a
quem connosco deseje colaborar. Ficamos ansiosamente a aguardar todos os contributos, e que os mesmos
ajudem a tornar o Bairro de Povos mais agradável para quem aqui (con)vive.

Rita Mesquita dos Santos

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS
DR. VASCO MONIZ
VISITA AO MUSEU DA MARIONETA
N o passado dia 19 de
Dezembro de 2006, jovens dos
Marionetas, a quem acertasse
entregava uma peça de puzzle
do Mapa-Mundo. Esse puzzle
voltarmos para casa.Todos os
meninos e meninas que
participaram na visita
2º e 3º Ciclos dos Centros tinha que ser montado no fim gostaram muito!
Comunitários de Povos da visita.Depois de
(Projecto “Poder (Es)Colher” – conhecermos as histórias Ruben Santos e Jéssica Silva (5º Ano)
Programa Escolhas), Arcena e divertidas das marionetas Clube de Jornalismo
Vialonga realizaram uma visita chegámos ao ponto de
ao Museu da Marioneta.No partida. Mas antes de sairmos
Museu existiam muitos tipos do Museu para almoçar,
de Marionetas: Chinesas, tivemos tempo para brincar
Japonesas, Inglesas, com a D.Ana Catarina e o Tio
Birmanesas, Vietnamitas entre Malam, no pátio do Museu
outras. Duas das Marionetas antes do autocarro chegar
Inglesas chamavam-se Puncht para nos levar para um sítio
e Judy. Uma senhora fez-nos fresco e confortável para
uma visita guiada e ao longo encheremos a barriguinha de
da mesma ia fazendo paparoca.As 14:00 fomos
perguntas sobre as directos para o autocarro para

VISITA À ACADEMIA
DO SPORTING
O Projecto
Poder (Es)Colher
ciclo.
A visita foi guiada
por uma senhora
jovens que vêm de
outras partes do
país.
do Centro muito simpática e Apesar do frio que
Comunitário de teve como se fazia sentir
Povos, em objectivos nesse dia, ainda
parceria com o incentivar para o tivemos um
Sporting Clube de desporto, dar a tempinho para um
Portugal, realizou conhecer às pequeno jogo no
no dia 26 de crianças o dia -a- fim da visita, no
Janeiro 2007, uma dia e as condições campo sintético.
visita à Academia em que vivem e Foi muito
de Formação do treinam os jovens divertido!
Sporting, em jogadores do
Alcochete. Nesta clube. Ficámos Clube de Jornalismo
actividade ainda a saber que Wilson Borges (4ºano)
participaram 24 na Academia
crianças do 1º apenas vivem os

Page
3º Curso de Tutoria

N o dia 2 de Fevereiro de
2007, o Grupo de Tutores do
sobre o agressor e a vítima,
assim como
formações, sobre o auto-
pequenas
Na manhã do último dia,
tomámos o pequeno-almoço,
abrimos a caixa dos segredos
Centro Comunitário de Povos, conhecimento e a auto-estima. (elogios) e fizemos a avaliação
deslocou-se à Quinta da De seguida foram-nos do curso.
Subserra, em Alhandra, para distribuídas frases para E assim foi como correu o 3º
frequentar o 3º Curso de pensar, onde escolhemos por Curso de Formação em Tutoria.
Formação em Tutoria. exemplo: “Eu sou boa pessoa”
Após a chegada ao local, as e “Eu mereço ser tratada com Lara Rodrigues e Terência Bula (6º
monitoras, D.Ana Catarina e a amabilidade e respeito.”
D.Ana Rita entregaram cartões Ao fim do dia, fizemos uma
com os Fantásticos e os actividade que se chamava
Desafios de cada um de nós, criação de um novo mundo em
de seguida fizemos o jogo do que falámos sobre o
amigo secreto, onde tínhamos voluntariado. Para acabar a
um amigo e não podíamos noite em beleza fizemos uma
contar a ninguém de quem se karaoke “Party” com as
tratava. Existia uma caixa dos músicas dos D`zrt, Floribella,
elogios onde colocávamos as Carlos Paião, Black Eyed Peas
cartas para o nosso amigo entre muitos outros e depois
secreto. de tudo isto ainda fizemos a
No dia seguinte fizemos vários terapia dos abraços e fomos
jogos de quebra-gelo e teatros todos dormir.

PODER (ES)COLHER NO
"BRINCAR A BRINCAR"

N o dia 3 de Fevereiro de
2007, um grupo de
palavras noutras línguas.
Houve espaço para muitas
brincadeiras e para a
Clube de Jornalismo

crianças do 1º ciclo realização de um concurso


participou nas gravações de composição de
do programa da RTP palavras, no qual, a Luana,
“Brincar a Brincar”. uma das nossas alunas
ganhou um prémio.
Os alunos saíram de Povos
às 8:00 da manhã, para se Foi um dia muito especial
dirigem aos estúdios. O que contou também com a
tema do programa era “ A alegria das famílias dos
Importância da Língua”. As participantes que seguiram
crianças tiveram atentamente o programa
oportunidade pela televisão, em suas
de aprender algumas casas.
Intercâmbio do “Grupo de Tutores"

N o dia 7 de Fevereiro,
vieram ao Centro Comunitário
ver um vídeo da nossa autoria
com as actividades
decorreram nos 1º, 2º e 3º
que Márcia Santos (6º Ano)
Clube de Jornalismo
de Povos vários jovens de cursos de tutoria.
diferentes escolas do Montijo, Quando acabámos, os jovens
ver como trabalhamos no do Montijo apresentaram-se e
nosso Grupo de Tutores. nós fizemos uma dança.
Houve uma apresentação onde No final, houve um pequeno
as nossas formadoras lanche onde pudemos
explicaram o que fazemos no confraternizar e conhecer
grupo. De seguida, melhor os jovens do Montijo.
apresentámo-nos e tivemos a Foi muito giro!!!

Ida ao Centro
Cultural
de Belém
Nós os meninos e meninas do 1º ciclo do
ATL do Centro Comunitário de Povos,
fomos ao Centro Cultural de Belém, em
Lisboa, no dia 22 de Fevereiro de 2007,
com os nossos queridos monitores que se
chamam D.Ana Rita e Abrão. Fomos ver
uma exposição de casas pequenas e até
vimos Fátima em ponto pequeno, a
Exposição chamava-se “Cada Edifício Sua
Função” do arquitecto Gonçalo Byrne.
Depois de vermos a exposição fizemos um
jogo de peças em cubos onde tínhamos de
construir uma escola, igreja,apartamentos
e outras construções para formar uma
cidade.

Edite Correia (4ºano) Clube de Jornalismo


INAUGURAÇÃO DO CURSO "A MULHER E O
QUOTIDIANO"

N o âmbito do Projecto “Poder (Es)Colher” do


Programa Escolhas, implementado no Bairro
•A noção de Planeamento Familiar, a
contracepção.
•As doenças sexualmente transmissíveis.
Municipal de Povos, em Vila Franca de Xira, •Da educação escolar à formação cívica. O
está a decorrer, o curso “A Mulher e o mercado de trabalho e as relações laborais.
Quotidiano”. •O conceito da comunidade: os seus sistemas
Este curso destina-se às mulheres que e subsistemas, a dinâmica de grupos e a
residem no bairro. Teve início no dia 6 de gestão de conflitos.
Março de 2007 e tem previsto o seu final para •O conceito de mediador comunitário: perfil
17 de Julho de 2007. pessoal e competências profissionais. A
Os temas abordados ao longo do curso importância do diagnostico social para a
procuram abranger as necessidades e intervenção comunitária.
preocupações das mulheres da nossa •A importância do associativismo na dinâmica
comunidade e são os seguintes: comunitária.
•A colectivização dos trabalhos.
•A família. Relações pessoais e familiares.
•As referências pessoais e valores sociais nas As temáticas do curso parecem bem
relações conjugais. interessantes,verdade?
•A importância da organização familiar na
gestão doméstica e alguns métodos e Patrícia Amaro (7º Ano) e Márcia Santos(6º Ano)
estratégias para rentabilização dos recursos Clube de Jornalismo
disponíveis.
•O direito à habitação, à saúde e à protecção
social, também se vai falar sobre o casamento
e o divórcio.
•Os filhos e a violência doméstica.
•A gravidez e comportamentos de risco, da
preparação para o parto ao nascimento do
bebé.
•Os cuidados a ter com o bebé e o plano
nacional de vacinação.
•As principais doenças da infância: sinais de
alerta, nutrição e higiene.
•Da adolescência à juventude: processos de
maturação física e psicológica.
•A importância dos grupos, da família e da
comunidade nos processos de autonomia
dependência dos jovens. Os afectos, as
paixões e os comportamentos de risco.
A VISITA À BIBLIOTECA
DO PARQUE
MARECHAL CARMONA
No dia 13 de Março, terminámos fomos ainda
num lindo dia de sol os tirar fotografias para
meninos do 1º ciclo do mais tarde recordar,
Centro Comunitário de este dia fantástico no
Povos fizeram uma visita Parque.
à Biblioteca
Infantil/Juvenil do Parque Meninos do 1º ciclo
Marechal Carmona em Clube de Jornalismo
Cascais. Foi uma visita
muito divertida porque
fizemos muitas coisas
giras. Para além de
passear e brincar,
visitámos a Biblioteca
Marechal Carmona que
fica dentro do Parque,
onde ouvimos a história
de um Pavão Branco que
queria alegrar o Parque
onde vivia, para isso ele
pintava-se todos dias de
cores diferentes para
animar os outros
animais e também para
conquistar as Pavoas.
Mas o que ele mais
gostava era quando o
parque onde vivia
recebia visitas das
crianças de todas as
cidades, porque assim
podia ouvir as histórias
bonitas que eram
contadas às crianças na
biblioteca do Parque.
Depois de ouvir a
história, ainda tivemos
tempo para desenhar e
pintar o Pavão. Quando
"Caça ao Tesouro”
em Monserrate
N o dia 3 de Abril de 2007, foi realizada uma
visita ao Parque de Monserrate na qual
participaram alguns meninos do 1º, 2º e 3º
ciclos.
Por volta das 8h30m veio o autocarro da
Câmara Municipal de Vila Franca de Xira
buscar-nos para irmos para o Parque de
Monserrate, chegámos por volta das 11h30m.
Quando lá chegámos fomos directamente ao
portão do parque, a monitora Ana Rita Pires
foi à bilheteira comprar os bilhetes para
fazermos as actividades planeadas.
No princípio fomos desenvolver uma
actividade pela qual estivemos acompanhados
pela monitora Ana Catarina Freitas e também
por uma monitora do Parque, dividimo-nos em
dois grupos e cada grupo fez uma actividade
diferente. Numa das actividades estivemos a
ver animais em decomposição
e outros objectos ao microscópio, dividimos
minerais, vegetais e partes de animais,
aprendemos também a contar os anos que as
árvores têm.
Logo de seguida fomos almoçar a um relvado
existente na parte de fora do Parque, onde
brincámos uns com os outros. Depois
"partilhámos irmamente" o nosso almoço.
Em seguida fomos para um relvado esplêndido
onde estivemos a rebolar bués.
Por volta das 14h30m fomos fazer a “Caça ao
Tesouro”. Ficámos a conhecer uma planta
chamada Teixo e a saber que esta já esteve em
vias de extinção. Esta árvore é muito
venenosa mas agora é utilizada para curar os
doentes que têm cancro. Numa parte da
“Caça” quanto estávamos a ler as pistas que
vinham no livrinho que a monitora nos deu,
passámos por um sítio onde encontrámos três
árvores “gigantes” como a Búnia-Búnia, a
Estrelícia Gigante e por último o Taxodium do
México.
Gostámos muito, muito deste dia!
REPORTAGEM SIC

N o dia 12 de Abril de 2007,


os senhores jornalistas da SIC
que estava na sala. Depois do
2º ciclo, foi a vez do 1º ciclo
brilhar nesses 15 minutos de
Centro Comunitário de Povos,
e quando acabaram as
entrevistas “deram de fuga”.
fizeram uma reportagem sobre fama.
o CID (Centro de Inclusão Filmaram o Centro Clube de Jornalismo
Digital) e o Clube de Comunitário, as pessoas que o Daniel Oliveira ( 9ºAno)
Jornalismo do Projecto Poder frequentam, entrevistaram
(Es)Colher do Centro também o nosso querido
Comunitário de Povos, onde monitor Abrão.
nos entrevistaram e filmaram! Observaram a exposição do
Sim, aparecemos na televisão!! “Grupo de Tutores”, onde
Quando chegaram, estava a estavam expostas as fotos das
decorrer o nosso Clube de actividades realizadas nos
Jornalismo, os jornalistas cursos de Tutores, actividades
aproveitaram e perguntaram- essas desenvolvidas no Centro
nos coisas sobre o que Comunitário de Povos, Sub-
fazíamos no Centro e se Serra e Lourinhã.
gostávamos do que fazíamos! Depois os jornalistas estiveram
Entrevistaram toda a gente a conversar connosco fora do

CO N TACTO

Projecto “Poder (Es)colher”


Centro Comunitário de Povos
Bairro Municipal de Povos (PER), lote 11
2660 Vila Franca de Xira
Telf.: 263 271 81 2 / Tlm.: 962 002 282 / Fax: 263 271 81 2
25 de Abril
No dia 25 de Abril apesar de ser feriado, o Centro
Verão.
Às 14h00 começou o desfile de moda das
Comunitário de Povos abriu as portas para toda a crianças, com roupas feitas com sacos de plástico
gente do Bairro, para comemorar esta data tão e ao som da música de Zeca Afonso. O Grupo de
importante na história do nosso país. Danças Africanas actuou e deu um espectáculo
As comemorações começaram logo pelas 9h30m, tão bonito que teve de actuar duas vezes a
era cedo mas ninguém quis faltar. Tudo começou pedido do público. Foram os meninos e meninas
com a Quermesse do Grupo das Mulheres, do Rancho Folclórico de Alfarrobeira, a maioria
venderam rifas e na sua tasquinha venderam deles do ATL que brilharam em seguida.
comida para arranjar dinheiro para as suas Depois do Rancho houve um bailarico e no fim de
actividades. tudo um jogo de futsal feminino muito disputado
Em seguida realizou-se a corrida da liberdade e os e divertido.
jogos tradicionais organizados pelo Grupo de Como o dia do 25 de Abril, esta festa realizada
Jovens, em que participaram crianças e jovens. O pelo Centro Comunitário foi um acontecimento a
Grupo de Tutores também aproveitou esta festa não esquecer.
para vender bolos de modo a conseguir dinheiro
para um acampamento que pretendem realizar no Jessica Silva (6º Ano)
COLÓNIA DE FÉRIAS DO GRUPO DE
RAPARIGAS NA PRAIA AZUL
N o dia 22 de Junho, o Grupo de Raparigas participou numa colónia de férias de 5 dias, na Praia Azul em
Santa Cruz.
Quando lá chegaram eram aproximadamente 19:40, começaram por descarregar os materiais e como já
estava na hora da paparoca foram jantar ao refeitório, onde conheceram a cozinheira *D. Marisa*, uma
excelente pessoa.
As monitoras Maria e Filipa que trabalham no parque, ajudaram a encontrar um lugar para acampar e a
montar as tendas.
Em seguida, após as monitoras, D.Ana Catarina e D. Sandra definirem as tarefas e darem a conhecer o plano
de actividades da colónia, as raparigas foram "abanar o capacete" para a “discoteca” do Parque.
No dia seguinte, logo pela manhã após o pequeno-almoço, as raparigas foram à praia aprender a fazer
surf, e apanhar conchas até à hora de almoço.
Depois do almoço o atelier de expressão plástica esperava as raparigas. Fizeram-se trabalhos para vender
na festa da família que o Centro Comunitário ia realizar no dia 30 de Junho.
No dia 24 o Grupo de Raparigas fez o Jogo de Auto-Conhecimento que consistia em procurar dentro delas
as respondas às perguntas que eram feitas pelas monitoras. Foi muito divertido, porque assim ficaram a
conhecer-se melhor umas às outras.
No final da colónia apresentámos os trabalhos que realizámos em grupos e fomos avaliadas por isso.
No último dia, logo cedo, depois do pequeno-almoço, a manhã foi dedicada à praia. Em seguida, foi altura
de arrumar as coisas e hora de partir, despediram-se dos monitores e da *D. Marisa* excelentes pessoas, até
um dia.

Lara Rodrigues (6ºAno) e Terência Bula(6º Ano)


Clube de Jornalismo
A FESTA DA FLOR N o dia 16 de Maio pela
manhã, o Grupo de Dança do
Projecto Poder (Es) Colher do
Centro Comunitário de Povos,
do qual eu faço parte, foi à
Festa da Flor, festa
tradicional ribatejana, na
Quinta da Piedade, Póvoa de
Santa Iria.
Durante a festa decorreram
várias actuações:
-A primeira actuação foi de
sete jovens da Cerci Povoa
que cantam músicas
portuguesas;
-Raparigas de Vialonga
dançaram uma música
inglesa, que em português
significa “namorado”.
-O nosso grupo dançou duas
músicas tradicionais que se
chamavam “Erva-cidreira” e
“Regadinho”;
-Quarenta e oito crianças de
três anos cantaram músicas
infantis;
-Um grupo de dezoito
crianças vestidas a rigor
foram dançar uma música da
Nelly Furtado que se chama
“Como uma Força”;
-Por último, um grupo de
jovens raparigas do Centro
Comunitário de Vialonga
dançaram duas músicas
africanas.
Para concluir, posso dizer
que gostámos muito deste
dia, porque nos divertimos
muito e pudemos conviver
com outras crianças do
concelho.
A FESTA DA FAMÍLIA
N o dia 30.06.2007, pelas 09h30
teve inicio a comemoração do Dia
da Família, festa organizada pelo
Centro Comunitário de Povos e pelo
Projecto Poder (Es)Colher.
A festa começou com o Torneio
de Futebol, mas ao longo do dia
decorreram várias actividades: a
Quermesse da Comissão de
Moradores de Povos, a banca do
Grupo de Tutores e a banca do
Grupo de Raparigas.
Na banca dos Tutores, vários
objectos estiveram à venda: blocos
de notas, pulseiras, fios de
missangas, bolos, limonadas,
sumos e molas coloridas.
Na banca do Grupo de Raparigas
estavam a vender: bolos, sabonetes
coloridos e cheirosos.
Ao 12h00 com a fome apertar, a
Comissão de Moradores abriu a
banca onde se vendia
entremeadas, bifanas, cachupa e
sardinhas assadas. Posso dizer que
estava tudo muito saboroso.
A partir das 15h00 começaram
as actuações. Os primeiros a actuar
foram as crianças das danças
africanas, organizadas pela D.
Sónia. Ao mesmo tempo decorriam
as pinturas faciais. Às 18h00 o
cantor e músico Alex Germano deu
um belíssimo concerto durante o
qual toda a gente dançou. Pela
felicidade das pessoas que
estiveram na festa posso dizer que
gostaram muito deste dia da
família, organizado pelo Centro
Comunitário de Povos e pelo
Projecto Poder (Es)Colher.
O RECREIO
Carta de uma mãe Alentejana para um filho que está na Bósnia
Mê querido filho:
Escrevo-te algumas linhas apenas pra saberes que tou viva. Estou-te a escrever devagar, pois sei que nã sabes lêr depressa.
Nã vás reconhecer a nossa casa quando voltares, pois nós mudamo-nos. Temos uma máquina de lavar rôpa, mas nã trabalha
muito bem, a semana passada pus lá catorze camisas, puxei a corrente e nunca mais as vi.
Acerca do tê pai, ele arranjou um bom emprego, tem 1 500 homens debaixo dele, pois agora está cortando a relva do cemitério.
A magana da tua irmã Maria teve bebé esta semana, mas sabes, eu nã consegui saber sé menino ou menina, portanto nã sei
sês tio ó tia.
A tê ti Patricio afogou-se a semana passada num depósito de vinho, lá na adega cuprativa, alguns compadris tentaram salvá-lo
mas sabes, ele lutou bravamente contra eles. O corpo foi cremado mas levou três dias pra apagar o incêndio.
Na quinta-feira fui ao médico e o tê pai foi comigo. O médico pôs-me um pequeno tubo na boca e disse-me pra nã falari durante
dez minutos. Atão nã sabes que o tê pai ofereceu-se logo pra comprar o tubo ao médico.
Esta semana só chuveu duas vezes. Na primeira vez chuveu durante três dias e na segunda durante quatro dias. Na segunda
fêra teve tanto vento que uma das galinhas pôs o mesmo ovo quatro vezes.
Recebemos uma carta do cangalhero que informava que se o último pagamento do enterro da tua avó nã fôr fêto no prazo de
sete dias, devolvem-na.
Olha mê filho cuida-te.
Nã te esqueças de beber muito lête todas as nôtes, antes de interrares os cornos na fronha.

Um Bêjo
Jaquina do Chaparro

SODUKU
DESCUBRA AS DIFERENÇAS