Você está na página 1de 2

A ESPIRITUALIDADE NA FAMÍLIA

Ninguém pode ignorar que a esteira rolante da vida tem sido desfavorável para a família!
Quantas pragas investem contra o lar e sua estrutura! E as raízes não têm sido poupadas pelo veneno tóxico
de uma cultura sem Deus e, portanto, destituída dos reais valores que devem nutrir e motivar o perfeito
funcionamento da complexa e sofisticada mecânica da vida em família.
A família é uma instituição divina. A apesar deste contexto, a família jamais acabará. A família é o oásis do
mundo desajustado. O relacionamento saudável no ambiente familiar reabastece as nossas baterias
desgastadas no dia-a-dia, na luta pela sobrevivência.
Parafraseando Martin Buber, reafirmo que, "O homem completo só existe no contexto familiar". Salta aos
olhos, a importância da família. Sabemos que há, infelizmente, muitos homens e mulheres que não estão
dando à família a devida importância. A família deve ter prioridade: observamos como as pessoas cuidam
mais da casa, do carro, da loja, do seu próprio lazer, do que da família.
Quantas famílias cujos negócios vão bem, e elas mesmas vão mal. Quantas casas muito bem arrumadas,
onde moram famílias que estão se desintegrando. Quantos executivos que dirigem bem suas empresas, mas
que não conseguem, ou não acertam dirigir bem o seu lar.
A família desempenha um papel muito importante na vida de todos nós. Muito grande é a influência da
família na nossa formação. Em grande parte nós somos aquilo que é nossa família.
A família somente atingirá os seus propósitos na medida em que mantiver um relacionamento com o seu
Criador. É preciso conhecimento para se estabelecer essa relação. Uma relação de amor e entrega que
envolve basicamente o coração. A reconquista deste primeiro amor é o objeto da espiritualidade na família.
Deus se revela na família de forma pessoal e nos convida a ter um relacionamento com Ele da mesma forma
como se relaciona conosco: amando.
A família, para ser feliz e cumprir a sua missão aqui no mundo precisa estar firmada no Senhor (Sl 127.1).
Muito mais do que de bens materiais ou conforto material a família necessita de um relacionamento real
com Deus.
No Salmo 11.3, a Bíblia diz claramente: "Ora, destruídos os fundamentos que poderá fazer o justo?". Sem
cultivarmos os valores espirituais, fica difícil enfrentarmos os vários problemas que atingem a família.
CULTIVANDO A ESPIRITUALIDADE NA FAMÍLIA
É preciso resgatar aquele tempo quando os pais, principalmente a mãe, reservava tempo para ensinar a
Palavra de Deus aos filhos. Hoje, com o corre-corre da vida, essa prática vai se tornando cada vez mais
difícil. Entretanto, cremos que com um pouco de boa vontade e dedicação, podemos paulatinamente resgatar
essa dinâmica tão saudável para a família.
O importante é que os pais procurem descobrir a maneira e o momento mais adequados para os filhos
aprenderem a ter um relacionamento íntimo com Deus. Assim, como os filhos têm horário para natação,
futebol, ginástica e outras atividades físico-esportivas, devem tê-lo para desenvolver um verdadeiro encontro
com Deus.
Ter um relacionamento pessoal com Deus é se relacionar com alguém que sabe tudo a nosso respeito. Esse
relacionamento começa quando colocamos em prática o maior mandamento - amar a Deus.

mas aquele que é extremamente fiel. As virtudes na família desenvolvem-se como resultado da comunhão com Deus. em seu livro "O Caminho do Coração". 6. 22.5. Ensinar os filhos. as coisas que interessam a Deus nos alegram. Ef.19 e Pv. provedor. É bom lembrar que a disciplina deve ser aplicada sem ódio. Os pais devem amar os filhos e cuidar bem deles. • 4. . fidelidade. pai. 1. mesmo antes de terem nascido. A compreensão do papel de cada membro da família. A Bíblia ensina que os filhos são herança do Senhor. A Palavra de Deus é muito clara. • 3. a ser uma família feliz. Ensinar principalmente a Palavra de Deus. 6.6.3.13. Salmo 127. Ele tem interesse especial em nós. A oração e o estudo da Palavra é o caminho para a busca de intimidade com Deus. pertencer à família de Deus. • Prontidão para servir. (Sl 5. Quando amamos a Deus. Jó 1. coragem para renunciar.20). O filho deve alegrar seus pais. 18. cuidadoso. I Sm. 6. Temos verdadeiramente amor uns pelos outros (I Jo. ajudando todos os seus membros a serem pessoas ajustadas. Disciplinar os filhos. Ele é indispensável. o mundo haverá de ver as marcas da ação de Deus em nossas famílias. zeloso.11). 23. Orar pelos filhos.Gen. Os pais necessitam obter uma compreensão muito clara dos seus privilégios e dos seus deveres. (I Cor. Só o amor de Deus pode produzir em nós amor pelos outros".9-10 e 4. onde se cultiva a verdadeira espiritualidade.37). cultivar a espiritualidade em família significa: • Ter compromisso. 2. é empolgar-se com as lides do reino.8. esposa. acima de tudo. E essa rebeldia começa no lar. 5. reconhecendo que esses encargos foram delegados por Deus. temos: Alegria com Ele.27. Onde se depende d´Ele. 10. Consideremos também o cuidado de Jó com seus filhos. Se cultivarmos a verdadeira espiritualidade. É disposição para perdoar. mas incapaz de amar". Filhos: • 1.3). Ef. mas perdemos o amor. Deve visar o bem do filho. amar a Deus (Dt. Pv. Uma família que cumpra a sua missão. experiência. . Todos os pais estão vendo assim os seus filhos? Estão agradecendo a Deus por eles? Promover a espiritualidade na família envolve alguns princípios para pais e filhos. Em Pv. Obedecer aos pais. E diz mais: "Muitas vezes a nossa espiritualidade é assim. • 2. Numa família onde se cultiva um relacionamento com Deus. portanto. enfim. Precisamos firmar o compromisso de ajudar nossa família.5 e Mt. temos o conhecimento. • 2. é criar ambiente saudável para amar a Deus e obedecê-Lo. como esposo. 6. Vivemos dias em que o espírito de rebeldia impera. amor. Ef. 22. Ser do Senhor. Ricardo Barbosa de Souza.Devemos.Quando amamos a Deus. 8. diz que "o pior marido não é o infiel.4. Pais: • 1.1. mãe e filhos. todos estão sujeitos ao Seu comando. Honrar pai e mãe.2-3. I Tm. O Pr.1 encontramos uma referência ao filho que honra e ao que desonra seus pais.

Interesses relacionados