Você está na página 1de 3

2.500 MORTOS AO MAR.

DDP EXPLICA A CRISE MIGRATÓRIA NO CONTINENTE
EUROPEU

Na manhã desse domingo, 06/09/2015, agências internacionais
veicularam o falecimento de 34 pessoas no mar Egeu oriental, dentre eles
onze crianças e quatro bebês, número que se soma aos mais de 2.700
mortos e desparecidos em razão do fluxo migratório. A embarcação já
estava próxima ao litoral da Turquia, seu destino. Segundo a Organização
Internacional para as Migrações, somente neste ano, mais de 430 mil
migrantes e refugiados arriscaram perder suas vidas na tentativa de cruzar
o mar Mediterrâneo. Do que essas pessoas fogem?

SIRIOS

Os sírios são a maioria dos imigrantes e fogem da guerra civil que
está em curso há quatro anos em seu país. A infraestrutura da Síria se
desfez, os conflitos trouxeram uma crise humanitária regional que matou
mais de duzentas mil pessoas, o fluxo migratório se intensificou. Segundo a
ONU, mais de 7 milhões de sírios deixaram suas residências. Desses, 4
milhões de refugiados, a maior população de imigrantes no mundo atual.
Principal destino dos sírios, a Turquia, desde o início da Primavera
Árabe, recebeu mais de 1,8 milhões deles. A Primavera Árabe foi aquele
movimento iniciado em 2011, em que manifestantes saíram às ruas em
vários pontos do país para exigir a abertura democrática e protestar contra
a corrupção. Houve prisões em massa e repressão. Diante do desrespeito
aos direitos humanos, soldados começaram a desertar e, junto com a
população, se armaram para enfrentar as forças leais ao presidente Bashar
Al Assad, o chamado Exército Livre Sírio.
A guerrilha tornou-se mais complexa, uma vez que voltaram-se contra
o governo milicianos estrangeiros em grupos jihadistas (mulçumanos que
objetivam reordenar o governo e a sociedade, inclusive por meio da
violência, de acordo com a lei islâmica, chamada de sharia). Ainda
intensificou suas atuações no território sírio a Al Qaeda (organização
fundamentalista islâmica internacional, com células independentes), através
da Frente Al Nusra, e o Estado Islâmico, que afirma autoridade religiosa
sobre todos os mulçumanos no mundo e aspira tomar o controle
principalmente das regiões islâmicas.
Desde a Segunda Guerra Mundial não se via uma crise migratória e
uma mortandade em razão de guerra nesse nível. O conflito na Síria é
justificado pelos governantes como armada contra o terrorismo apoiado
pela América do Norte, que, em tese, forneceriam armamento para os

que engloba países como Grécia. AFEGÃGOS E ERITREUS Eritreia é considerada pela Organização das Nações Unidas a “Coreia do Norte da África”. que utilizam principalmente a rota estabelecida nos Balcãs. duraria 18 meses. de 1999. o governo nigeriano se vê hoje com atuação em seu território do grupo radical Boko Haram. levando caos e violência. ou seja. Os Repórteres sem Fronteiras coloca esse país em última posição. e Turquia. Cenas de xenofobismo que nos fazem questionar quais são os valores que ainda resistem em nossa . Confrontos entre insurgentes e as forças de seguranças fizeram com que mais de um milhão de nigerianos fugissem para outros país. O Afeganistão esteve no topo de países com maior evasão de nacionais até a guerra que se instalou na Síria. o que faz com que a maioria dos refugiados sejam os jovens. prisões arbitrárias. É governada pelo ditador Isaias Afworki desde sua independência em relação à Etiópia. atravessando o deserto do Saara até a Etiópia. Já os afegãos enfrentam diferentes conflitos desde a década de 70. NIGERIANOS Com sua jovem democracia. que fogem dessa espécie de trabalho escravo regulado. que declarou lealdade ao Estado Islâmico. uma parcela de 5% dos migrantes que tentaram se evadir pelo Mediterrâneo. tortura e as mais péssimas condições econômicas e humanitárias são encontradas por lá. a região sudeste da Europa. mas é prorrogado indefinidamente. o jornalismo é extremamente proibido. Além disso. em direção à Europa. apenas quatro religiões são permitidas. Estimativas da ONU apontam que são aproximadamente mil fugas por mês. entre outros 178 do mundo. em tese. O DDP fez um estudo dos principais povos em fuga. capitaneada pelos Estados Unidos após a queda das Torres Gêmeas em 11 de setembro de 2001.rebeldes e assumidamente os ajudam com apoio não letal e ajuda humanitária. fome. Bulgária. Ao longo das últimas semanas temos visto uma série de falhas da comunidade internacional em garantir os direitos mais básicos dessas pessoas. o grupo Taleban intensifica sua insurgência no Afeganistão. no quesito liberdade de imprensa. contribuindo para que 12% do total de imigrantes que atravessaram o Mediterrâneo em direção à Europa tivesse nacionalidade Afegã. o principal conflito em áreas afegãs se dá devido à intervenção militar. Hoje. O serviço militar obrigatório nesse país.

sociedade. #MileUmaVozes #NovaMente #DDP Caso tenha críticas ou sugestões. entre em contato conosco! . Esperamos que o trabalho aqui apresentado possa servir de auxílio para a interpretação do processo migratório.