Você está na página 1de 24

EQUAÇÕES

DIFERENCIAIS

EQUAÇÕES DIFERENCIAIS

PROF. LUCIO LEONARDO

AULA 1 – APRESENTAÇÃO; PLANO DE ENSINO; REVISÃO

AULA 1 - Plano de ensino

EMENTA

Nesta disciplina são abordados os conceitos e as técnicas de modelagem de problemas de engenharia por Equações Diferenciais, a análise e solução dessas por práticas que envolvam métodos clássicos, analíticos ou numéricos, incluindo a utilização de programas computacionais.

AULA 1 - Plano de ensino OBJETIVOS DE APRENDIZAGEM

Aprimorar o raciocínio matemático, lógico e abstrato. Classificar as equações diferenciais. Justificar as soluções de equações diferenciais. Elaborar a modelagem matemática de um fenômeno. Utilizar as técnicas de resolução de equações diferenciais. Aplicar as equações diferenciais na resolução de problemas diversos . Interpretar as soluções de fenômenos regidos por equações diferenciais ordinárias

de problemas diversos . Interpretar as soluções de fenômenos regidos por equações diferenciais ordinárias
de problemas diversos . Interpretar as soluções de fenômenos regidos por equações diferenciais ordinárias
de problemas diversos . Interpretar as soluções de fenômenos regidos por equações diferenciais ordinárias
de problemas diversos . Interpretar as soluções de fenômenos regidos por equações diferenciais ordinárias
de problemas diversos . Interpretar as soluções de fenômenos regidos por equações diferenciais ordinárias
de problemas diversos . Interpretar as soluções de fenômenos regidos por equações diferenciais ordinárias

AULA 1 - Plano de ensino

CONTEÚDO PROGRAMÁTICO

Unidade 1 - Introdução às Equações Diferenciais

Unidade 2 - Modelagem Matemática

Unidade 3 - Equações Diferenciais de Primeira Ordem Equações Diferenciais Ordinárias de Variáveis Separáveis

Unidade 4 - Equações Diferenciais Exatas

Unidade 5 - Equações Diferenciais Lineares de Primeira Ordem Fator Integrante - Equação de Bernoulli

Unidade 6 - Aproximações Numéricas - Método de Euler

Unidade 7 - Equações Diferenciais Homogêneas Lineares de 2ª Ordem com coeficientes constantes

AULA 1 - Plano de ensino

METODOLOGIA DE ENSINO

A disciplina segue o plano de aulas e é caracterizada por aulas presenciais que fazem uso de diferentes metodologias de ensino:

- Aula expositiva e dialogada,

- Discussão de temas e tópicos de interesse para a formação

profissional - Geração de ideias (brainstorming) para buscar a solução de um

problema - Estudo de casos relacionados com áreas de formação profissional

específica - Listas de exercícios individuais

- Simulações computacionais interativas.

- Trabalho em grupo

CRITÉRIO DE AVALIAÇÃO

N 1 : Será composta por 3 avaliações:

Avaliação Somativa

MF = N1 x 0,4 + N2 x 0,6

MF 5,0 para aprovação

N1 – 3 instrumentos de avaliação: Teste de progresso (nota não descartável), Avaliação Modelo ENADE e Listas de exercícios aplicadas de forma individual e em grupo. A nota da N1 é composta pela média do Teste de progresso e a maior nota entre os outros dois instrumentos.

N2 – Avaliação oficial Modelo ENADE.

CRITÉRIO DE AVALIAÇÃO

AVALIAÇÃO DO APRENDIZADO

N 2 - Prova presencial: 0,0 a 10,0 = 60% da N F (nota final) Questões objetivas e questões dissertativas, com distribuição, respectivamente, de 60% e 40% do total das questões.

Critério de aprovação

AVALIAÇÃO DO APRENDIZADO

N F = 0,4 N 1 + 0,6 N 2

São considerados aprovados os alunos que obtiverem nota final - N F

(Nota Final) igual ou superior a 5,0 (cinco) e frequência mínima de

75%

Obs. Notas registradas em décimos:

5,0

.4,5 .4,6 .4,7

4,8 .4,9

.5,1 .5,2 .5,3 .

AULA 1 - Plano de ensino

BIBLIOGRAFIA BÁSICA

1.BRONSON, Richard.

Equações Diferenciais. Porto Alegre: Bookman,

2008.

UNIDADE: Centro QUANTIDADE: 26 NÚMERO DE CHAMADA: 515.3 B887e

Equações Diferenciais . Porto Alegre: Bookman, 2008. UNIDADE: Centro QUANTIDADE: 26 NÚMERO DE CHAMADA: 515.3 B887e

AULA 1 - Plano de ensino

BIBLIOGRAFIA BÁSICA

2.BOYCE, William E.; DiPRIMA, Richard C. Equações Diferenciais Elementares e Problemas de Valores de Contorno, 9ª edição. LTC,

2010. UNIDADE: Centro

de Contorno , 9ª edição . LTC, 2 0 1 0 . UNIDADE: Centro QUANTIDADE: 26

QUANTIDADE: 26 NÚMERO DE CHAMADA: 515.3 B784e

AULA 1 - Plano de ensino

BIBLIOGRAFIA BÁSICA

3.ZILL, Dennis G

Equações

Diferenciais com Aplicações em Modelagem. São Paulo:

Pioneira Thomson Learning,

2003.

  ZILL, Dennis G Equações Diferenciais com Aplicações em Modelagem. São Paulo: Pioneira Thomson Learning, 2003.

AULA 1 - Plano de ensino

BIBLIOGRAFIA COMPLEMENTAR

FIGUEIREDO, Djairo Guedes de; NEVES, Aloísio Freiria. Equações Diferenciais Aplicadas. 3ª ed. Rio de Janeiro: Impa, 2009.

AYRES JUNIOR, Frank. Equações Diferenciais. São Paulo: McGraw-Hill, 1994. IÓRIO JÚNIOR, Rafael José; IÓRIO, Valéria de Magalhães. Equações Diferenciais Parciais: Uma Introdução. São Paulo: Impa, 1988.

A. Çengel, Yunus. Equações Diferenciais. AMGH, 2014. VitalBook file. Minha Biblioteca.

BRANNAN, James R.; BOYCE, William E. Equações Diferenciais uma Introdução a Métodos Modernos e suas Aplicações. LTC, 2008. VitalBook file. Minha Biblioteca.

AULA 1 - REVISÃO

ATIVIDADE EM GRUPOS (3 ou 4 alunos)

1- Formar os grupos; 2- Discutir no grupo as questões apresentadas pelo professor (FICHAS) 3- Elaborar as respostas da FICHA 1; 4- Repetir os itens 2 e 3 para as demais fichas; 5- Apresentação das respostas do grupo ao plenário (da FICHA indicada pelo professor); 6- Discussão em plenário da atividade proposta

FICHA 1

1- O que significa a derivada de uma função?

2- Qual a interpretação gráfica de derivada de uma função num ponto considerado?

3- Qual a relação de derivada e o estudo de máximos e mínimos de uma função?

4- Cite duas aplicações para a engenharia do uso de derivadas

AULA 1 - REVISÃO

Definição: Chamamos de derivada da função y=f(x) no ponto x 0 , ao limite da taxa de variação média quando Δx 0, se tal limite existe.

da função y=f(x) no ponto x 0 , ao limite da taxa de variação média quando

FICHA 2

1- Calcular as derivadas das expressões abaixo, usando as fórmulas de derivação:

a)

b)

c)

d)

e)

f)

y =

2

x

+

4 x

2 f x = ( ) 2 x x 3 3 x y = +
2
f x =
(
)
2
x
x
3 3 x
y =
+
2 2
3
y =
x
5
2

y

x x

=

a

+

b

a

b

a x

y =

+

a x

x

dy

dx

= 2 x + 4

4 f ʹ x = − ( ) 3 x dy 3 ( x =
4
f ʹ x = −
(
)
3
x
dy
3
( x
=
2 +
dx
2
dy =
1
dx
2
3 3
x

dy

5 x

4

 

2 x

dx

=

a

+

b

a

b

dy

2 a

 

dx

=

(

a

+

x

) 2

1 )

1

FICHA 3 -

2- Para cada função f(x), determine a derivada f’(x) no ponto x 0

indicado:

a

)

f x

(

)

b

)

f x

(

)

c

)

f x

(

)

d f x

)

(

e f x

)

(

f f x

)

(

g f x

)

2

= x

para x

4

0 =

)

)

)

=

2

x

+

3

=

3

x

=

2

x

3

x

=

x

2

4

=

5

4

x

+

x

3

6

1

 
 

para x

0

 

x

 

5

x

2

+

3

x

9

 

x

2

+ 5

 

2

x

3

x

+

4

para x

0

para x

0

= 3

= 1

para x

0

0

=

+ 9

=

2

0

x

4

para x

2

x

( ) =

= 2

h f x

)

( ) =

para x

0

= 5

i f x

)

( ) =

para x

0

= 6

para x

0

=

Respostas: a) 8

b)2

c) - 3

d) 1

e) 0

f) 9

g) - 1/4

h) 14/45

0

i) 9

AULA 1 - REVISÃO

Consideremos y=f(x)=x 2 . O coeficiente angular da reta tangente ao gráfico de f no ponto (1,1) é 2

1 - REVISÃO Consideremos y=f(x)=x 2 . O coeficiente angular da reta tangente ao gráfico de

FICHA 4 -

1. O movimento de um objeto ocorre ao longo de uma reta horizontal, de acordo com a função horária:

s = f(t) = t 2 + 2t - 3

sabendo-se que a unidade de comprimento é o metro e de tempo, o segundo, calcule a velocidade no instante t 0 = 2 s.

2. Em um retângulo de área igual a 64 m ² , determine o menor perímetro possível.

3. O lucro de uma empresa pela venda diária de x peças, é dado pela função: L(x) = -x 2 + 14x - 40. Quantas peças devem ser vendidas diariamente para que o lucro seja máximo?

DESAFIO – derive as funções abaixo

f(x) = x 3 cosx

f(x) = senx 2

DISCUSSÃO DA ATIVIDADE

Prós

Contras

Conclusão