Você está na página 1de 1

Boletim Técnico - 01

Combustão do bagaço de cana


...................................................................................................................................

Análise dos gases da combustão para ajuste do excesso de ar

A queima do bagaço de cana , requer uma determinada quantidade de ar Economize bagaço verificando periodicamente
para garantir combustão completa. A falta de ar é caracterizada geralmente a combustão em suas caldeiras.
por fumaça preta e aparecimento do CO (mon. de carbono) produto da
combustão incompleta. O excesso de ar deve ser ajustado para uma
O ábaco da combustão, mostra o excesso de ar, a curva do oxigênio e o
queima econômica e de baixas emissões, excesso de ar em demasia
teor de CO2 para o bagaço de cana. CO2 estequiométrico é de 19,8%, isto
acaba levando uma maior quantidade de calor sensível pela chaminé,
esfriando a chama e aumentando o consumo de combustível na caldeira. é, quando o ar for o teoricamente necessário, o CO2 será máximo.
O CO deve ser medido para se montar a curva.
Quanto maior o volume de ar introduzido na fornalha, maiores volumes de
fumos (gases exaustos) e perdas de calor se dão pela chaminé.
O volume de ar deve ser ajustado ao mínimo possível, para aumentar o
rendimento da queima.

Para se obter o máximo de eficiência na queima, deve se medir os


produtos da combustão como o teor de CO2 (dióx. carbono), O2
(oxigênio), CO (mon. carbono), temperatura dos gases na chaminé,
pressões de ar primário, pressões de ar secundário e a tiragem dos gases,
entre outros parâmetros.

O ajuste grosso da queima é feito visualmente pelo operador, controlando


a alimentação sobre as grelhas, não deixando aparecer fumaça densa na
chaminé e ajustando o ar para uma chama “boa” e sem arraste de
fuligem. Mas o ajuste preciso da relação ar/bagaço só é conseguido pela
medição do excesso de ar e das variáveis de temperatura e pressão no
fluxo de ar/gases.

As regras são simples, veja o gráfico:

 Quando o teor de O2 (oxigênio) aumenta, mais ar é introduzido


 O CO2 ( diox. carbono) é inversamente proporcional ao teor de O 2
 Bagaço não queimado gera muito CO e fuligem (material particulado)
 Fumaça densa e escura aparece quando falta ar/excesso bagaço
 Fumaça branca é obtida com diluição de ar na mistura
 CO alto significa perda de calor e queima incompleta
 CO aparece quando se reduz muito o excesso de ar

Exemplo: Excesso de ar de 50% representa


7% de O2 e corresponde à 13% de CO2 .

Parâmetros ideais* para o CO2, O2 e CO

%CO2 %O2 CO ppm %Exc. Ar


Bagaço de cana 13 a 16% 4 a 7% < 1.000 25 a 40%
(*) Valores que podem variar

Caldeiras sem controle de combustão ou com queima deficiente podem operar


com mais de 100% de excesso de ar , CO2 de 10% aprox. e CO acima de
10.000 ppm. Ajustes devem ser realizados para reduzir o excesso de ar e as
emissões de CO, que significam baixo rendimento e alto consumo. A cada
10% na redução do excesso de ar e na redução dos níveis de CO , pode-se
conseguir uma economia de até 1% no consumo de bagaço.
Os gases da combustão pode nos informar:

 se a queima está sendo completa


 se o calor desprendido na fornalha está sendo bem aproveitado Fonte: Curso “Combustão do bagaço de cana”
 se o nível de poluição é alto Wagner Branco
 se o volume de ar para a queima é ideal

Por este motivo, medir os gases da combustão é muito mais seguro para Mais informações:
se ajustar a queima na fornalha.
tecnico@zetecambiental.com.br
tel 11 3195-7818