Você está na página 1de 22

ORGANIZAÇÃO DO SUPREMO TRIBUNAL FEDERAL

DÂNGELO MENDES GEORGE CASTRO JAMES FERREIRA LUIZ CARLOS MARCIO CRISTIANO

ORGANIZAÇÃO DO SUPREMO TRIBUNAL FEDERAL DÂNGELO MENDES GEORGE CASTRO JAMES FERREIRA LUIZ CARLOS MARCIO CRISTIANO

AGENDA

• INTRODUÇÃO

ORGANOGRAMA DO STF

• ÓRGÃOS DOS STF

• COMISSÕES

• SEDE ADMINISTRATIVA

• REQUISITOS PARA A INDICAÇÃO

• PROCESSO DE NOMEAÇÃO

INTRODUÇÃO

O STF tem sua organização administrada pela Constituição Federal de 1988 (CF/88), que nos fornece o arcabouço legal que define, por exemplo, a quantidade Ministros e os requisitos constitucionais para indicação a Ministro da Suprema Corte.

•

“PEC da Bengala”

EC 88/2015

Alexandre de Moraes (São Paulo, 13 de dezembro de 1968)

•

Tem 48 anos

 
•

Pode passar 27 anos como Ministro do STF

INTRODUÇÃO

Há ainda o Regimento Interno do Supremo Tribunal Federal de 1980 (RISTF/1980) e suas Emendas Regimentais, o qual estabelece a composição interna dos Ministros e seus auxiliares, bem como define os Órgãos do Supremo, os Gabinetes, Secretarias e Assessorias.

• Emenda Regimental 22 (Juiz Auxiliar do Supremo Tribunal Federal)

• Emenda Regimental nº 25/2008 (instituI sistema de rodízio redefinindo os critérios para presidente dirige a Turma)

ORGANOGRAMA DO STF

ORGANOGRAMA DO STF

ÓRGÃOS DO STF

“Art. 3º São órgãos do Tribunal o Plenário, as Turmas e o Presidente.

CF/1988: art. 96, I, a e b.” (RISTF/1980)

Art. 96. b) organizar suas secretarias e serviços auxiliares e os dos juízos que lhes forem vinculados, velando pelo exercício da atividade correicional respectiva;” (CF/88)

ÓRGÃOS DO STF - PLENÁRIO

ÓRGÃOS DO STF - PLENÁRIO

ÓRGÃOS DO STF - TURMAS

• PRIMEIRA TURMA Ministro Marco Aurélio - Presidente Ministro Luiz Fux Ministra Rosa Weber Ministro Luís Roberto Barroso Ministro Alexandre de Moraes

• SEGUNDA TURMA Ministro Edson Fachin - Presidente (votação simbólica em 30/05/2017) Ministro Gilmar Mendes Ministro Celso de Mello Ministro Ricardo Lewandowski Ministro Dias Toffoli

ÓRGÃOS DO STF - PRESIDENTE

O Presidente e o Vice-Presidente do Tribunal são eleitos, por voto secreto, pelo Plenário do STF, dentre um dos onze Ministros, para mandato de dois anos, sendo vedada a reeleição.

O art. 12, § 2º do RISTF prevê que esta eleição se dê com quorum qualificado

de 8 Ministros.

Por previsão regimental o Presidente do STF não participa das Turmas.

O Ministro eleito Vice-Presidente do STF permanece em sua Turma.

COMISSÕES

COMISSÕES PERMANENTES

COMISSÕES TEMPORÁRIAS

COMISSÕES PERMANENTES

COMISSÃO DE REGIMENTO Ministro Luiz Fux - Presidente Ministro Alexandre de Moraes Ministro Edson Fachin Ministra Rosa Weber - Suplente

COMISSÃO DE DOCUMENTAÇÃO Ministro Celso de Mello - Presidente Ministra Rosa Weber Ministro Roberto Barroso

COMISSÃO DE JURISPRUDÊNCIA Ministro Gilmar Mendes - Presidente Ministra Cármen Lúcia Ministro Dias Toffoli

COMISSÃO DE COORDENAÇÃO Ministro Dias Toffoli - Presidente Ministro Alexandre de Moraes Ministro Edson Fachin

SEDE ADMINISTRATIVA

SEDE ADMINISTRATIVA
SEDE ADMINISTRATIVA

SEDE ADMINISTRATIVA - HISTÓRICO

Tribunal da Relação (1609: Salvador e Rio de Janeiro)

Casa da Suplicação (1808: Rio de Janeiro)

Supremo Tribunal de Justiça (1824)

Supremo Tribunal Federal (1890)

REQUISITOS PARA A INDICAÇÃO

A Constituição Federal, em seu art. 12, § 3º, inc. IV, determina que o cargo de Ministro do STF

é privativo de brasileiro nato.

“Art. 101. O Supremo Tribunal Federal compõe-se de onze Ministros, escolhidos dentre cidadãos com mais de trinta e cinco e menos de sessenta e cinco anos de idade, de notável saber jurídico e reputação ilibada.”

Assim sendo, o candidato a Ministro deverá possuir, cumulativamente, os seguintes requisitos:

requisito de nacionalidade: ser brasileiro nato.

requisito administrativo: ser indicado pelo Presidente da República e obter aprovação

da maioria absoluta do Senado, após sabatina.

requisito civil: ter mais de 35 e menos de 65 anos de idade.

requisito político: estar em pleno gozo dos direitos políticos.

requisito jurídico: possuir notável saber jurídico

requisito moral: possuir reputação ilibada.

PROCESSO DE NOMEAÇÃO

1. O Presidente da República faz a indicação de um cidadão que cumpra os requisitos constitucionais.

Fundamentação:

CF/88, Art. 84. “Compete privativamente ao Presidente da República:

XIV - nomear, após aprovação pelo Senado Federal, os Ministros do Supremo Tribunal Federal [ ]”

PROCESSO DE NOMEAÇÃO

2. O Senado Federal faz a arguição pública (sabatina) do indicado, por meio da Comissão de Constituição e Justiça, que terá o número de 27(vinte e sete senadores). Caso a indicação seja aprovada (pela maioria simples dos membros em votação secreta, 14 votos no mínimo), o parecer da CCJ será encaminhado ao plenário do Senado, onde haverá a votação (também secreta) na qual o indicado deverá receber o voto da maioria absoluta (41 votos no mínimo) dos membros daquela casa legislativa. 3. Caso o Senado aprove a escolha, o Presidente fará a nomeação do novo Ministro.

Fundamentação CF/88, Art. 101. Parágrafo único. Os Ministros do Supremo Tribunal Federal serão nomeados pelo Presidente da República, depois de aprovada a escolha pela maioria absoluta do Senado Federal.

PROCESSO DE NOMEAÇÃO - SABATINA NA CCJ

PROCESSO DE NOMEAÇÃO - SABATINA NA CCJ
PROCESSO DE NOMEAÇÃO - SABATINA NA CCJ

PROCESSO DE NOMEAÇÃO - SABATINA NA CCJ

A sabatina consiste em questionar o ministro acerca da opinião jurídica e política dele sobre os mais variados assuntos, como a descriminalização das drogas e do aborto, direito a greve etc.

 

CRÍTICA AO ATUAL PROCESSO E PROJETOS DE MUDANÇA

 

1. Um ministro com boa articulação política no governo assuma o cargo.

 

1. PEC 473/2001, de autoria de Antonio Carlos Pannunzio

(PSDB/SP), pretende alterar o parágrafo único do artigo 101 da Constituição. Com isso, “os Ministros do Supremo Tribunal Federal serão escolhidos, alternativamente, pelo Presidente da República e pelo Congresso Nacional, nesse último caso, pela maioria absoluta de seus membros”.

Quórum

SENADO (81)

CÂMARA (513)

Maioria simples

A maioria, presente a maioria absoluta dos deputados/senadores

 

Maioria absoluta

41

257

PROJETOS DE MUDANÇA

PEC 117/2015, de autoria de Flexa Ribeiro (PSDB-PA), propõe

que quando houver cargos vagos, o ministro mais antigo do STJ é quem assume a cadeira – até que aconteça a nomeação do titular da vaga no STF. (Diminuir empates)

2.

3. PEC 17/2011, de Rubens Bueno (PPS-PR) que propõe que a

nomeação do ministro permanece sob decisão da Presidência da República. No entanto, as indicações teriam que levar em conta: três ministros seriam indicados pelo STJ; dois pela OAB ; dois pela Procuradoria Geral da República; um ministro indicado pela Câmara dos Deputados; um indicado pelo Senado Federal – estes dois últimos, aliás, não podendo selecionar membros de sua própria legislatura; e ainda dois ministros pelo Presidente da República.

FLUXOGRAMA

FLUXOGRAMA

REFERÊNCIAS

em:

http://www.stf.jus.br/portal/cms/verTexto.asp?servico=sobreStfCon hecaStfHistorico. Acesso em 26 de mar. de 2017.

[2] Constituição (1988). Constituição da República Federativa do Brasil. Brasília, DF: Senado Federal: Centro Gráfico, 1988. 292 p. BRASIL.

[3] BRASIL. Supremo Tribunal Federal (STF). Regimento Interno:

[atualizado até julho de 2016] – consolidado e atualizado até maio de 2002 por Eugênia Vitória Ribas. Brasília: STF, 2016.

[4] VALENTE, Fernanda. Como funciona a nomeação de ministros para o STF e porque isso é tão criticado. (2017). Disponível em:

[1]

STF.

Disponível