Você está na página 1de 42

06/02/2017

PORTARIAINTERMINISTERIALNº424,DE30DEDEZEMBRODE2016

PORTARIAINTERMINISTERIALNº424,DE30 DEDEZEMBRODE2016 Imprimir

Imprimir

Publicado:Terça,03deJaneirode2017,15h08|ÚltimaatualizaçãoemQuarta,11deJaneirode2017,

11h34|Acessos:10574

11h34|Acessos:10574

EstabelecenormasparaexecuçãodoestabelecidonoDecretonº6.170,de25dejulhode2007,quedispõe

sobreasnormasrelativasàstransferênciasderecursosdaUniãomedianteconvêniosecontratosderepasse,

revogaaPortariaInterministerialnº507/MP/MF/CGU,de24denovembrode2011edáoutrasprovidências.

PORTARIAINTERMINISTERIALNº424,DE30DEDEZEMBRODE2016

Estabelece normas para execução do

estabelecidonoDecretonº6.170,de25de

julhode2007,quedispõesobreasnormas

relativas às transferências de recursos da Uniãomedianteconvêniosecontratosde repasse, revoga a Portaria Interministerial

nº507/MP/MF/CGU,de24denovembro

de2011edáoutrasprovidências.

OsMINISTROSDEESTADODOPLANEJAMENTO,DESENVOLVIMENTOEGESTÃO,Interino,DA FAZENDAeDATRANSPARÊNCIA,FISCALIZAÇÃOECONTROLADORIA­GERALDAUNIÃO,no

usodaatribuiçãoquelhesconfereoincisoIIdoparágrafoúnicodoart.87daConstituição,etendoemvista

odispostonoart.18doDecretonº6.170,de25dejulhode2007,resolvem:

TÍTULOI

DASDISPOSIÇÕESGERAIS

Art.1ºEstaPortariaregulaosinstrumentosderepassecelebradospelosórgãoseentidadesdaAdministração

PúblicaFederalcomórgãosouentidadespúblicasouentidadesprivadassemfinslucrativosparaaexecução de programas, projetos e atividades de interesse recíproco, que envolvam a transferência de recursos financeirosoriundosdoOrçamentoFiscaledaSeguridadeSocialdaUnião.

§1ºParaosefeitosdestaPortaria,considera­se:

I­acompanhamento:atividadedemonitoramentodaexecuçãofísicadasmetas,etapasefasesdoobjeto

pactuadonosinstrumentos,aserrealizadapeloconcedenteoupelamandatária;

II­beneficiáriosfinais:populaçãodiretamentefavorecidapelosinvestimentos;

III­bensremanescentes:equipamentosemateriaispermanentesadquiridoscomrecursosdosinstrumentos

necessáriosàconsecuçãodoobjeto,masquenãoseincorporamaeste;

IV­concedente:órgãoouentidadedaAdministraçãoPúblicaFederal,diretaouindireta,responsávelpela transferência dos recursos, verificação da conformidade financeira, acompanhamento da execução e avaliaçãodocumprimentodoobjetodoinstrumento;

V­conformidadefinanceira:aferiçãodaexecuçãofinanceiradoobjetopactuadoemrelaçãoaoprevistono

planodetrabalhoenoprojetobásico,realizadapeloconcedenteoupelamandatáriadeformacontínua,

06/02/2017

PORTARIAINTERMINISTERIALNº424,DE30DEDEZEMBRODE2016

durantetodaavigênciadoinstrumento,comregistrodeeventuaisimpropriedadesouirregularidadesno

SistemadeGestãodeConvênioseContratosdeRepasse­SICONV;

VI­contratoderepasse:instrumentoadministrativo,deinteresserecíproco,pormeiodoqualatransferência

dosrecursosfinanceirosseprocessaporintermédiodeinstituiçãoouagentefinanceiropúblicofederal,que

atuacomomandatáriodaUnião;

VII­contratoadministrativodeexecuçãooufornecimento­CTEF:instrumentojurídicoquedisciplinaa

execuçãodeobra,fornecimentodebemouserviço,reguladopelaLeinº8.666,de21dejunhode1993,e

demaisnormaspertinentesàmatéria,tendocomocontratanteoórgãoquefiguracomoconvenente;

VIII­contratodeprestaçãodeserviços­CPS:instrumentojurídicoqueregulaaprestaçãodeserviços

realizadospelamandatáriaafavordoconcedente,quedeveconterasatribuiçõesdelegadas,aslimitaçõesdo

mandatoeaformaderemuneraçãopelosserviços;

IX­consórciopúblico:pessoajurídicaformadaexclusivamenteporentesdaFederação,naformadaLeinº

11.107,de6deabrilde2005;

X ­ convenente: órgão ou entidade da Administração Pública direta ou indireta, de qualquer esfera de governo,consórciopúblicoouentidadeprivadasemfinslucrativos,comaqualaAdministraçãoPública Federalpactuaaexecuçãodeprogramas,projetoseatividadesdeinteresserecíprocopormeiodeconvênios oucontratosderepasse;

XI­convênio:instrumentoquedisciplinaatransferênciaderecursosfinanceirosdeórgãosouentidadesda Administração Pública Federal, direta ou indireta, para órgãos ou entidades da Administração Pública Estadual,DistritalouMunicipal,diretaouindireta,consórciospúblicos,ouainda,entidadesprivadassem finslucrativos,visandoàexecuçãodeprojetoouatividadedeinteresserecíproco,emregimedemútua cooperação;

XII­convêniodereceita:ajusteemqueórgãoseentidadesfederaisfiguramcomoconvenentes,recebendo recursosparaexecutarprogramasestaduaisoumunicipais,ouosórgãosdaadministraçãodireta,programasa

cargodaentidadedaadministraçãoindireta,sobregimedemútuacooperação,naformado§3ºdoart.1ºdo

Decretonº6.170,de2007;

XIII ­ estudo de concepção e de alternativas de projeto: peças técnicas utilizadas para descrever as alternativasestudadasejustificarasoluçãodeengenhariaadotada,tomandoporbaseaspectostécnicos, econômicos,sociaiseambientais;

XIV­etapaoufase:divisãoexistentenaexecuçãodeumameta;

XV­fiscalização:atividadequedeveserrealizadademodosistemáticopeloconvenenteeseusprepostos,

comafinalidadedeverificarocumprimentodasdisposiçõescontratuais,técnicaseadministrativasemtodos

osseusaspectos;

XVI­interveniente:órgãoouentidadedaAdministraçãoPúblicadiretaouindiretadequalqueresferade governo, ou entidade privada que participa do instrumento para manifestar consentimento ou assumir obrigaçõesemnomepróprio;

XVII­instrumentos:convêniosecontratosderepasse;

XVIII­mandatárias:instituiçõesfinanceirasoficiaisfederais,quecelebrameoperacionalizam,emnomeda

União,osinstrumentosreguladosporestaPortaria;

XIX­meta:parcelaquantificáveldoobjetodescritanoplanodetrabalho;

XX­objeto:produtodoinstrumento,observadosoprogramadetrabalhoeassuasfinalidades;

XXI­ordembancáriadetransferênciasvoluntárias­OBTV:minutadaordembancáriadepagamentode

despesadosinstrumentos,encaminhadavirtualmentepeloSICONVaoSistemaIntegradodeAdministração

06/02/2017

PORTARIAINTERMINISTERIALNº424,DE30DEDEZEMBRODE2016

FinanceiradoGovernoFederal­SIAFI,medianteautorizaçãodoGestorFinanceiroedoOrdenadorde

Despesadoconvenente,ambospreviamentecadastradosnoSICONV,paraposteriorenvio,pelopróprio

SIAFI,àinstituiçãobancáriaqueefetuaráocré­ditonacontacorrentedobeneficiáriofinaldadespesa;

XXII ­ órgãos de controle: instituições vinculadas aos Poderes Executivo e Legislativo da União, dos

Estados,doDistritoFederaledosMunicípios,quepossuemdesignaçãoconstitucionalparaorientar,auditar,

fiscalizareacompanharaexecuçãodosprojetoseatividadesdegovernonosaspectosdelegalidade,eficácia,

economicidadeeeficiência;

XXIII­padronizaçãodoobjeto:estabelecimentodemodelosoucritériosaseremseguidosnosinstrumentos

que visem ao atingimento de objetivo similar, definidos pelo concedente, especialmente quanto às

característicasdoobjetoeaoseucusto;

XXIV­planodetrabalho:peçaprocessualintegrantedosinstrumentos,queevidenciaodetalhamentodo

objeto,dajustificativa,doscronogramasfísicoefinanceiro,doplanodeaplicaçãodasdespesas,bemcomo

dasinformaçõesdacontacorrenteespecífica,dospartícipesedosseusrepresentantes.

XXV ­ prestação de contas financeira: procedimento de acompanhamento sistemático da conformidade

financeira,considerandooinícioeofimdavigênciadosinstrumentos;

XXVI­prestaçãodecontastécnica:procedimentodeanálisedoselementosquecomprovam,sobosaspectos

técnicos,aexecuçãointegraldoobjetoeoalcancedosresultadosprevistosnosinstrumentos;

XXVII­projetobásico:conjuntodeelementosnecessáriosesuficientes,comníveldeprecisãoadequado,

paracaracterizaraobraouserviço,oucomplexodeobrasouserviços,elaboradoscombasenasindicações

dosestudostécnicospreliminares,queasseguremaviabilidadetécnicaeoadequadotratamentodoimpacto

ambientaldoempreendimento,equepossibiliteaavaliaçãodocustodaobraouserviçodeengenhariaea

definiçãodosmétodosedoprazodeexecução;

XXVIII­proponente:órgãoouentidadepúblicaouentidadeprivadasemfinslucrativosquemanifeste,por

meiodepropostaouplanodetrabalho,interesseemcelebrarinstrumentoreguladoporestaPortaria;

XXIX­propostadetrabalho:peçaprocessualinicialutilizadaparamanifestaçãoformaldosórgãosou

entidadespúblicasouprivadassemfinslucrativos,interessadasemcelebrarosinstrumentosregulamentados

porestaPortaria,cujoconteúdocontemplaadescriçãodoobjeto;ajustificativa;aindicaçãodopúblicoalvo;

aestimativadosrecursosdoconcedenteecontrapartidaeasinformaçõesrelativasàcapacidadetécnicae

gerencialdoproponente.

XXX­reprogramação:procedimentoquevisaoaceite,peloconcedenteoumandatária,depequenosajustes

ouadequaçõesnoinstrumentopactuado,vedadaadescaracterizaçãototalouparcialdoobjetodocontrato.

XXXI ­ síntese do projeto aprovado ­ SPA: formulário padronizado contendo os elementos básicos

necessáriosparadescreverequantificarosprincipaiscomponentesdoprojetodeengenhariaaceitopela

mandatária,quandooobjetodoinstrumentoincluirobraseserviçosdeengenharia;

XXXII­termoaditivo:instrumentoquetenhaporobjetivoamodificaçãodoinstrumentojácelebrado,

vedadaaalteraçãodoobjetoaprovado;

XXXIII­termodeparceria:instrumentojurídicoprevistonaLeinº9.790,de23demarçode1999,para

transferência de recursos para entidade privada sem fins lucrativos que possua a qualificação como

OrganizaçãodaSociedadeCivildeInteressePúblico­OSCIP;

XXXIV­termodereferência:documentoapresentadoquandooobjetodoinstrumentoenvolveraquisiçãode

bensouprestaçãodeserviços,quedeveráconterelementoscapazesdepropiciaraavaliaçãodocustopela

Administração,diantedeorçamentodetalhado,considerandoospreçospraticadosnomercadodaregião

ondeseráexecutadooobjeto,adefiniçãodosmétodoseoprazodeexecuçãodoobjeto;e

XXXV­unidadeexecutora:órgãoouentidadedaAdministraçãoPública,dasesferasEstadual,Distritalou

Municipal,sobreoqualpoderecairaresponsabilidadepelaexecuçãodosobjetosdefinidosnosinstrumentos

06/02/2017

PORTARIAINTERMINISTERIALNº424,DE30DEDEZEMBRODE2016

de que trata esta Portaria, a critério do convenente, desde que aprovado previamente pelo concedente, devendoserconsideradocomopartícipenoinstrumento.

§2ºAdescentralizaçãodaexecuçãopormeiodosinstrumentosdispostosnestaPortaria,somentepoderáser

efetivadaparaentidadespúblicasouprivadassemfinslucrativosparaexecuçãodeobjetosrelacionadoscom

suasatividadesequedisponhamdecondiçõestécnicaseoperacionaisparaexecutá­lo.

§3ºOscritériosparaavaliaçãodascondiçõestécnicaseoperacionaisparaexecução,previstosno§2ºdeste

artigo,serãoobjetoderegulamentaçãopormeiodeinstruçãonormativadoMinistériodoPlanejamento,

DesenvolvimentoeGestão.

§4ºCasoamandatárianãodetenhacapacidadetécnicanecessáriaaoregularacompanhamentodaaplicação

dosrecursostransferidos,figurará,nocontratoderepasse,naqualidadedeinterveniente,outrainstituição

públicaouprivadaaquemcaberáomencionadoacompanhamento.

§ 5º Excepcionalmente as obras e serviços de engenharia iniciadas antes da publicação desta Portaria, poderão,parasuaconclusão,seroperacionalizadaspormeiodeconvênios.

§6ºOsórgãosouentidadesdaAdministraçãoPúblicadequalqueresferadegovernoquerecebamas

transferênciasdequetrataocaputdeverãoincluí­lasemseusorçamentos.

§7ºAUniãonãoestáobrigadaacelebrarosinstrumentosdispostosnestaPortaria.

§8ºNahipótesedeoinstrumentoviraserfirmadoporentidadeouórgãodeEstado,doDistritoFederalou

deMunicípio,oentefederadoaoqualestejavinculadoousubordinadodeveráparticiparcomointerveniente

noinstrumentoasercelebrado,salvoseorepresentantelegaldaentidadeoudoórgãotivercompetência,

conformeasnormaslocais,paraassinaroinstrumento.

§9ºOsinstrumentosreferentesaprojetosfinanciadoscomrecursosdeorigemexternadeverãocontemplar,

noquecouber,alémdodispostonestaPortaria,osdireitoseobrigaçõesconstantesdosrespectivosacordos

deempréstimosoucontribuiçõesfinanceirasnãoreembolsáveiscelebradospelaRepúblicaFederativado

Brasilcomorganismosinternacionais,agênciasgovernamentaisestrangeiras,organizaçõesmultilateraisde

créditoouorganizaçõessupranacionais.

Art.2ºNãoseaplicamasexigênciasdestaPortaria:

I­aosinstrumentos:

a)celebradosanteriormenteàdatadasuapublicação,devendoserobservadas,nestecaso,asprescrições

normativasvigentesàépocadasuacelebração,podendo,todavia,selhesaplicarodispostonestaPortaria

naquiloquebeneficiaraconsecuçãodoobjetodoinstrumento;

b)quetenhamporobjetoadelegaçãodecompetênciaouaautorizaçãoaórgãosouentidadesdeoutras

esferasdegovernoparaaexecuçãodeatribuiçõesdeterminadasemlei,regulamentoouregimentointerno,

comgeraçãodereceitacompartilhada;e

c)homologadospeloCongressoNacionalouautorizadospeloSenadoFederalnaquiloemqueasdisposições

dostratados,acordoseconvençõesinternacionais,específicas,conflitaremcomestaPortaria,quandoos

recursosenvolvidosforemintegralmenteoriundosdefonteexternadefinanciamento;

II­aoutroscasosemqueleiespecíficadisciplinedeformadiversaatransferênciaderecursosparaexecução

deprogramasemparceriadoGovernoFederalcomgovernosestaduais,municipaisedoDistritoFederalou

entidadesprivadassemfinslucrativos.

III­àstransferênciasparaexecuçãodeaçõesnoâmbitodoProgramadeAceleraçãodoCrescimento­PAC,

regulamentadaspelaLeinº11.578,de26denovembrode2007,excetoodispostonoCapítuloIdoTítuloI,

destaPortaria,noquecouber;e

IV­aostermosdeexecuçãodescentralizada.

06/02/2017

PORTARIAINTERMINISTERIALNº424,DE30DEDEZEMBRODE2016

Art. 3º Para efeito desta Portaria ficam estabelecidos os seguintes níveis para fins de celebração, acompanhamentodaexecuçãoeprestaçãodecontas:

I­NívelI,paraexecuçãodeobraseserviçosdeengenhariacomvaloresderepasseiguaisousuperioresaR$

250.000,00(duzentosecinquentamilreais)einferioresaR$750.000,00(setecentosecinquentamilreais);

II­NívelII,paraexecuçãodeobraseserviçosdeengenhariacomvaloresderepasseiguaisousuperioresa

R$750.000,00(setecentosecinquentamilreais)einferioresaR$5.000.000,00(cincomilhõesdereais);

III­NívelIII,paraexecuçãodeobraseserviçosdeengenhariacomvaloresderepasseiguaisousuperioresa

R$5.000.000,00(cincomilhõesdereais);

IV­NívelIV,paraexecuçãodecusteioouaquisiçãodeequipamentoscomvaloresderepasseiguaisou

superioresaR$100.000,00(cemmilreais)einferioresaR$750.000,00(setecentose

cinquentamilreais);e

V­NívelV,paraexecuçãodecusteioouaquisiçãodeequipamentoscomvaloresderepasseiguaisou

superioresaR$750.000,00(setecentosecinquentamilreais).

Parágrafoúnico.CaberáaoMinistériodoPlanejamento,DesenvolvimentoeGestão­MP,pormeioda

ComissãoGestoradoSICONV,reavaliarquadrienalmenteosvaloresdosníveisdefinidosnocaputdeste

artigoe,seentendernecessário,proporalteraçõesdoslimitesestabelecidosnestaPortaria.

Art.4ºOsatoseosprocedimentosrelativosàformalização,execução,acompanhamento,prestaçãodecontas

einformaçõesacercadetomadadecontasespecialdosinstrumentosetermosdeparceriaserãorealizadosno

SICONV,abertoàconsultapública,pormeiodoPortaldosConvênios.

§1ºOsatosque,porsuanatureza,nãopossamserrealizadosnoSICONV,serãoneleregistrados.

§2ºParaacelebraçãodosinstrumentosedemaisajusteslistadosnocaputdesteartigo,osórgãoseentidades

aqueserefereoart.1ºdestaPortariadevemestarcadastradosnoSICONV.

§3ºOconvenentedeverámanterosdocumentosrelacionadosaoinstrumentopeloprazode10(dez)anos,

contadosdadataemquefoiapresentadaaprestaçãodecontasoudodecursodoprazoparaaapresentaçãoda

prestaçãodecontas.

§4ºAmovimentaçãofinanceiranacontacorrenteespecíficadoinstrumento,deveráocorrerpormeioda

funcionalidade do SICONV denominada Ordem Bancária de Transferências Voluntárias ­ OBTV, em

observaçãoaodispostonoparágrafoúnicodoart.3ºdoDecretonº7.641,de12dedezembrode2011.

Art. 5º Os órgãos e entidades da Administração Pública Federal que pretenderem executar programas, projetoseatividadesqueenvolvamtransferênciasderecursosfinanceirosoriundosdoOrçamentoFiscaleda SeguridadeSocialdaUniãodeverãocadastraranualmentenoSICONVosprogramasaseremexecutadosde formadescentralizadae,quandocouber,critériosparaaseleçãodoconvenente.

§1ºOsprogramasdequetrataocaputserãodivulgadosematé60(sessenta)diasapósasançãodaLei

OrçamentáriaAnualedeverãoconteradescrição,asexigências,ospadrões,procedimentos,critériosde elegibilidade e de prioridade, estatísticas e outros elementos que possam auxiliar a avaliação das necessidadeslocais.

§2ºOscritériosdeelegibilidadeedeprioridadedeverãoserestabelecidosdeformaobjetiva,combasenas

diretrizeseobjetivosdosrespectivosprogramas,visandoatingirmelhoresresultadosnaexecuçãodoobjeto, considerando, entre outros aspectos, a aferição da qualificação técnica e da capacidade operacional do convenente.

§3ºOconcedentedeveráadotarprocedimentosclaros,objetivos,simplificadosepadronizadosqueorientem

osinteressados,demodoafacilitaroseuacessodiretoaosórgãosdaAdministraçãoPúblicaFederal.

06/02/2017

PORTARIAINTERMINISTERIALNº424,DE30DEDEZEMBRODE2016

§4ºAdisponibilizaçãodosprogramasparacelebraçãodeinstrumentosoutermosdeparceria,ocorreráde

acordocomaoportunidadeeconveniênciadoórgãoconcedente.

CAPÍTULOI

DAS DEFINIÇÕES DE COMPETÊNCIAS E RESPONSABILIDADES NO ÂMBITO DAS TRANSFERÊNCIASDAUNIÃO

Art.6ºSãocompetênciaseresponsabilidadesdoconcedente:

I­gerirosprojetoseatividades,mediante:

a)monitoramentoeacompanhamentodaconformidadefísicaefinanceiraduranteaexecução,alémda

avaliaçãodaexecuçãofísicaedosresultados;

b) análise de enquadramento e seleção das propostas apresentadas pelos órgãos ou entidades da AdministraçãoPública,diretaouindireta,dequalqueresferadegoverno,consórciopúblicoouorganização dasociedadecivil,comvistasàcelebraçãodosinstrumentos;e.

c)transferênciadosrecursosfinanceirosparaoconvenente.

II­operacionalizaraexecuçãodosprojetoseatividades,mediante:

a)divulgaçãodeatosnormativoseorientaçõesaosconvenentes;

b)análiseeaceitaçãodadocumentaçãotécnica,institucionalejurídicadaspropostasselecionadas,inclusive

aaceitaçãodoprojetobásico;

c)celebraçãodosinstrumentosedemaisajustesdecorrentesdaspropostasselecionadas;

d)verificaçãoderealizaçãodoprocedimentolicitatóriopeloconvenente,atendo­seàdocumentaçãonoque tange:àcontemporaneidadedocertame,aospreçosdolicitantevencedoresuacompatibilidadecomos preçosdereferência,aorespectivoenquadramentodoobjetoajustadocomoefetivamentelicitadoeao fornecimentopeloconvenentededeclaraçãoexpressafirmadaporrepresentantelegaldoórgãoouentidade convenente, ou registro no SICONV que a substitua, atestando o atendimento às disposições legais aplicáveis;

e)comunicaçãoàscâmarasmunicipaiseassembleiaslegislativasdaassinaturadotermoedaliberaçãode

recursosfinanceiros,noprazode2(dois)diasúteis,contadodadatadaliberação,

emconformidadecomaLeinº9.452,de20demarçode1997;

f)acompanhamento,avaliaçãoeaferiçãodaexecuçãodoobjetopactuado,assimcomoverificaçãodaregular

aplicaçãodasparcelasderecursos,condicionandosualiberaçãoaocumprimentodemetaspreviamente

estabelecidas;

g)análiseemanifestaçãoacercadaexecuçãofísicaefinanceiradoobjetopactuado;e

h)notificaçãodoconvenente,quandonãoapresentadaaprestaçãodecontasdosrecursosaplicadosou

constatadaamáaplicaçãodosrecursospúblicostransferidos,einstaurando,seforocaso,acompetente

TomadadeContasEspecial.

§1ºQuandooobjetodoinstrumentosereferiraexecuçãodeobraseserviçosdeengenharia,aUniãopoderá

delegar as atribuições contidas nas alíneas constantes do inciso II do caput deste artigo às instituições financeirasoficiaisfederaismediantecelebraçãodecontratodeprestaçãodeserviços­CPSespecífico, competindotambémàmandatáriaescolhida:

I­assegurarafielobservânciadeseusatosnormativosinternoseaosexpedidospeloconcedente;

06/02/2017

PORTARIAINTERMINISTERIALNº424,DE30DEDEZEMBRODE2016

II ­ manter o concedente informado sobre o andamento dos contratos de repasse e encaminhar as

informaçõesnecessáriasaoprocessodeacompanhamentoeavaliaçãodaexecuçãoedosresultadosdas

ações;e

III ­ permitir o livre acesso do concedente e dos órgãos de controle federais aos dados e documentos

gerenciadosemdecorrênciadocontratodeprestaçãodeserviços­CPStratadonesteparágrafo.

§2ºOacompanhamentodaexecuçãodosinstrumentospeloconcedenteouinstituiçãomandatáriaconsistirá

naaferiçãodaexecuçãodoobjetoedassuasmetas,etapasefases,conformepactuadonoPlanodeTrabalho

integrante dos instrumentos, por meio da verificação da compatibilidade entre estes e os efetivamente executados.

§3ºFicamvedadasasreformulaçõesdosprojetosbásicosdasobraseserviçosdeengenhariaaprovadospelo

concedenteoupelamandatária.

§4ºFicamvedadasasreprogramações,decorrentesdeajustesouadequações,nosprojetosbásicosdos

instrumentosenquadradosnoincisoIdoart.3ºdestaPortaria,aprovadospelamandatária.

§5ºAmandatáriadeveráverificaraexistênciadeAnotaçãodeResponsabilidadeTécnica­ARTquandose

tratardeobraseserviçosdeengenharia.

§6ºOconcedenteouamandatáriadeverãorealizarnoSICONVosatoseosprocedimentosrelativosà

formalização,execução,acompanhamento,prestaçãodecontaseinformaçõesacercadetomadadecontas

especialdosinstrumentos,quandocouber,ficandoresponsávelpelaveracidadedasinformaçõesregistradas.

§7ºAotomarconhecimentodequalquerirregularidadeouilegalidade,oconcedenteoumandatária,dela

daráciênciaaosórgãosdecontrolee,havendofundadasuspeitadecrimeoudeimprobidadeadministrativa,

cientificaráosMinistériosPúblicosFederaleEstadualeaAdvocacia­GeraldaUnião.

Art.7ºSãocompetênciaseresponsabilidadesdosproponentesouconvenentes:

I­encaminharaoconcedenteouàmandatáriasuaspropostasouplanosdetrabalhos,naformaeprazos

estabelecidos;

II­definirporetapaoufaseaformadeexecução,diretaouindireta,doobjetoajustado;

III­elaborarosprojetostécnicosrelacionadosaoobjetopactuado,reunirtodadocumentaçãojurídicae

institucionalnecessáriaàcelebraçãodoinstrumento,deacordocomosnormativosdoprograma,bemcomo

apresentardocumentosdetitularidadedominialdaáreadeintervenção,licençaseaprovaçõesdeprojetos

emitidospeloórgãoambientalcompetente,órgãoouentidadedaesferamunicipal,estadual,distritalou

federaleconcessionáriasdeserviçospúblicos,conformeocaso,enostermosdalegislaçãoaplicável;

IV ­ executar e fiscalizar os trabalhos necessários à consecução do objeto pactuado no instrumento,

observandoprazosecustos,designandoprofissionalhabilitadonolocaldaintervençãocomarespectiva

AnotaçãodeResponsabilidadeTécnica­ART;

V­assegurar,nasuaintegralidade,aqualidadetécnicadosprojetosedaexecuçãodosprodutoseserviços

estabelecidosnosinstrumentos,emconformidadecomasnormasbrasileiraseosnormativosdosprogramas,

açõeseatividades,determinandoacorreçãodevíciosquepossamcomprometerafruiçãodobenefíciopela

populaçãobeneficiária,quandodetectadospeloconcedente,mandatáriaoupelosórgãosdecontrole;

VI ­ selecionar as áreas de intervenção e os beneficiários finais em conformidade com as diretrizes

estabelecidaspeloconcedenteoumandatária,podendoestabeleceroutrasquebusquemrefletirsituaçõesde

vulnerabilidade econômica e social, informando ao concedente ou a mandatária sempre que houver

alterações;

VII­realizar,sobsuainteiraresponsabilidade,semprequeoptarpelaexecuçãoindiretadeobraseserviços,

o processo licitatório nos termos da Lei nº 8.666, de 1993, e demais normas pertinentes à matéria,

assegurandoacorreçãodosprocedimentoslegais,asuficiênciadoprojetobásico,daplanilhaorçamentária

06/02/2017

PORTARIAINTERMINISTERIALNº424,DE30DEDEZEMBRODE2016

discriminativadopercentualdeEncargosSociaisedeBonificaçãoeDespesasIndiretas­BDIutilizados,

cadaqualcomorespectivodetalhamentodesuacomposição,poritemdeorçamentoouconjuntodeles,além

dadisponibilizaçãodacontrapartida,quandoforocaso;

VIII­apresentardeclaraçãoexpressafirmadaporrepresentantelegaldoórgãoouentidadeconvenente,ou registro no SICONV que a substitua, atestando o atendimento às disposições legais aplicáveis ao

procedimentolicitatório,observadoodispostonoart.49destaPortaria;

IX­exercer,naqualidadedecontratante,afiscalizaçãosobreocontratoadministrativodeexecuçãoou

fornecimento­CTEF;

X ­ estimular a participação dos beneficiários finais na elaboração e implementação do objeto do instrumento,bemcomonamanutençãodopatrimôniogeradoporestesinvestimentos;

XI­nocasodosEstados,doDistritoFederaledosMunicípios,notificarospartidospolíticos,ossindicatos detrabalhadoreseasentidadesempresariaiscomsedenoente,quandoocorreraliberaçãoderecursos

financeiros,comoformadeincrementarocontrolesocial,conformeconsagradopelaLeinº9.452,de1997,

facultadaanotificaçãopormeioeletrônico;

XII ­ operar, manter e conservar adequadamente o patrimônio público gerado pelos investimentos

decorrentesdoinstrumento;

XIII­prestarcontasdosrecursostransferidospeloconcedenteoumandatáriadestinadosàconsecuçãodo

objetodoinstrumento;

XIV­forneceraoconcedenteouàmandatária,aqualquertempo,informaçõessobreasaçõesdesenvolvidas

paraviabilizaroacompanhamentoeavaliaçãodoprocesso;

XV­prevernoeditaldelicitaçãoenoCTEFquearesponsabilidadepelaqualidadedasobras,materiaise serviçosexecutadosoufornecidosédaempresacontratadaparaestafinalidade,inclusiveapromoçãode readequações,sempre que detectadasimpropriedadesque possam comprometera consecuçãodoobjeto ajustado;

XVI­realizarnoSICONVosatoseosprocedimentosrelativosàformalização,execução,acompanhamento,

prestaçãodecontaseinformaçõesacercadetomadadecontasespecialdosinstrumentos,quandocouber;

XVII­instaurarprocessoadministrativoapuratório,inclusiveprocessoadministrativodisciplinar,quando

constatadoodesviooumalversaçãoderecursospúblicos,irregularidadenaexecuçãodocontratoougestão

financeiradoinstrumento,comunicandotalfatoaoconcedenteoumandatária;

XVIII­registrarnoSICONVoextratodoeditaldelicitação,opreçoestimadopelaAdministraçãoPública

paraaexecuçãodoserviçoeapropostadepreçototalofertadaporcadalicitantecomasuarespectiva

inscriçãonoCadastroNacionaldePessoasJurídicas­CNPJ,otermodehomologaçãoeadjudicação,o

extratodoCTEFeseusrespectivosaditivos,aAnotaçãodeResponsabilidadeTécnica­ARTdosprojetos,

dosexecutoresedafiscalizaçãodeobras,eosboletinsdemedições;

XIX­manterumcanaldecomunicaçãoefetivo,aoqualsedaráamplapublicidade,paraorecebimentopela União de manifestações dos cidadãos relacionadas ao convênio, possibilitando o registro de sugestões, elogios,solicitações,reclamaçõesedenúncias;e

XX­quandooobjetodoinstrumentosereferiràexecuçãodeobrasdeengenharia,incluirnasplacase

adesivosindicativosdasobrasinformaçãosobrecanalparaoregistrodedenúncias,reclamaçõeseelogios,

conformeprevistono'ManualdeUsodaMarcadoGovernoFederal­Obras'daSecretariadeComunicação

SocialdaPresidênciadaRepública.

§1ºOdescumprimentodequaisquerdasobrigaçõesdispostasnocaput,semprejuízodeeventuaissanções

que poderão ser aplicadas, imporá ao convenente a prestação de esclarecimentos ao concedente ou à

mandatária.

06/02/2017

PORTARIAINTERMINISTERIALNº424,DE30DEDEZEMBRODE2016

§2ºPrestadososesclarecimentosdequetratao§1º,oconcedenteouamandatária,aceitando­os,fará

constar nos autos do processo a justificativa prestada e dará ciência ao Ministério da Transparência, FiscalizaçãoeControladoria­GeraldaUnião.

§3ºAotomarconhecimentodequalquerirregularidadeouilegalidade,oconvenente,deladaráciênciaaos

órgãosdecontrolee,havendofundadasuspeitadecrimeoudeimprobidadeadministrativa,cientificaráos

MinistériosPúblicoFederaleEstadualeaAdvocaciaGeraldaUnião.

§4ºAfiscalizaçãopeloconvenenteconsistenaatividadeadministrativarealizadademodosistemático,

previstanaLeinº8.666,de1993,comafinalidadedeverificarocumprimentodasdisposiçõescontratuais,

técnicaseadministrativasemtodososseusaspectos.

§5ºQuandooobjetodoinstrumentoenvolveraexecuçãodeobraseserviçosdeengenharia,afiscalização

peloconvenentedeverá:

I­manterprofissionalouequipedefiscalizaçãoconstituídadeprofissionaishabilitadosecomexperiência

necessáriaaoacompanhamentoecontroledasobraseserviços;

II­apresentaraoconcedenteouàmandatáriadeclaraçãodecapacidadetécnica,indicandooservidorou

servidoresqueacompanharãoaobraouserviçodeengenharia,bemcomoaAnotaçãodeResponsabilidade

Técnica­ARTdaprestaçãodeserviçosdefiscalizaçãoaseremrealizados;e

III ­ verificar se os materiais aplicados e os serviços realizados atendem os requisitos de qualidade estabelecidospelasespecificaçõestécnicasdosprojetosdeengenhariaaprovados;

§6ºOservidorindicadopeloconvenente,responsávelpeloacompanhamentoefiscalizaçãodaobra,deverá

assinarecarregarnoSICONVorelatóriodefiscalizaçãoreferenteacadamedição.

§7ºQuandooobjetodoinstrumentoenvolveraexecuçãodeobraseserviçosdeengenharia,ficavedadoo

aproveitamentodelicitaçãoque:

I­utilizeprojetodeengenhariadiferentedaquelepreviamenteaprovadoearealizaçãodelicitaçãoem

desacordocomoestabelecidonoprojetobásicooutermodereferênciaaprovado,sobpenaderescisãodo

instrumentopactuado;e

II­tenhasidopublicadaemdataanterioraoaceitedoprojetobásicodeengenhariapelamandatária.

CAPÍTULOII

DOCHAMAMENTOPÚBLICO

Art.8ºParaacelebraçãodosinstrumentosreguladosporestaPortaria,oórgãoouentidadedaAdministração

PúblicaFederal,comvistaaselecionarprojetoseórgãos,entidadespúblicasouentidadesprivadassemfins

lucrativosquetornemmaiseficazaexecuçãodoobjeto,poderárealizarchamamentopúbliconoSICONV,

quedeveráconter,nomínimo:

I­adescriçãodosprogramasaseremexecutadosdeformadescentralizada;e

II ­ os critérios objetivos para a seleção do convenente, com base nas diretrizes e nos objetivos dos

respectivosprogramas.

§ 1º Deverá ser dada publicidade ao chamamento público, pelo prazo mínimo de 15 (quinze) dias,

especialmente por intermédio da divulgação na primeira página do sítio oficial do órgão ou entidade concedente,bemcomonoPortaldosConvênios.

§2ºÉobrigatóriaarealizaçãopréviadechamamentopúblicoparaacelebraçãodeconvêniooucontratode

repasse com entidades privadas sem fins lucrativos, salvo para transferências do Ministério da Saúde destinadasaserviçosdesaúdeintegrantesdoSistemaÚnicodeSaúde­SUS.

CAPÍTULOIII

06/02/2017

PORTARIAINTERMINISTERIALNº424,DE30DEDEZEMBRODE2016

DASVEDAÇÕES

Art.9ºÉvedadaacelebraçãode:

I­convêniosparaaexecuçãodeobraseserviçosdeengenharia,excetonosseguintescasos:

a)instrumentoscelebradosporórgãosdaadministraçãoindiretaquepossuamestruturadescentralizadanas

unidadesdafederaçãoparaacompanhamentodaexecuçãodasobraseserviçosdeengenharia;e

b)instrumentoscujoobjetosejavinculadoàfunçãoorçamentáriadefesanacional,observadoodispostono

art.8ºdoDecretonº6.170,de25dejulhode2007.

II ­ convênios para a execução de atividades cujo objeto esteja relacionado ao pagamento de custeio continuadodoproponente;

III­convênioscomentidadesprivadas,excetocomentidadesfilantrópicasesemfinslucrativosnostermos

do§1ºdoart.199daConstituiçãoFederal;

IV­instrumentosparaaexecuçãodeobraseserviçosdeengenhariacomvalorderepasseinferioraR$

250.000,00(duzentosecinquentamilreais);

V­instrumentosparaaexecuçãodedespesasdecusteioouparaaquisiçãodeequipamentoscomvalorde

repasseinferioraR$100.000,00(cemmilreais);

VI­qualquerinstrumentoreguladoporestaPortaria:

a)entreórgãoseentidadesdaAdministraçãoPúblicafederal,casosemquedeverãoserfirmadostermosde

execuçãodescentralizada;

b)comórgãoouentidade,dedireitopúblicoouprivado,queestejainadimplentenassuasobrigaçõesem outros instrumentos celebrados com órgãos ou entidades da Administração Pública Federal, exceto aos instrumentos decorrentes de emendas parlamentares individuais nos termos do § 13 do art. 166 da ConstituiçãoFederal,ouirregularemqualquerdasexigênciasdestaPortaria;

c)compessoasfísicasoupessoasjurídicasdedireitoprivadocomfinslucrativos,aindaquesejamestas

últimasintegrantesdaadministraçãoindireta,nocasodasentidadesqueexploramatividadeeconômica;

d)visandoàrealizaçãodeserviçosouexecuçãodeobrasaseremcusteadas,aindaqueapenasparcialmente,

comrecursosexternos,semapréviacontrataçãodaoperaçãodecréditoexterno;

e) com entidades públicas ou privadas sem fins lucrativos cujo objeto social não se relacione às característicasdoprogramaouquenãodisponhamdecondiçõestécnicasparaexecutaroobjetoproposto;e

f)comentidadesprivadassemfinslucrativos,cujocorpodedirigentescontenhapessoasquetiveram,nos últimoscincoanos,atosjulgadosirregularespordecisãodefinitivadoTribunaldeContasdaUnião,em

decorrênciadassituaçõesprevistasnoart.16,incisoIII,daLeinº8.443,de16dejulhode1992;

VII­qualquermodalidadereguladaporestaPortariacomentidadesprivadassemfinslucrativosquetenham,

emsuasrelaçõesanteriorescomaUnião,incorridoempelomenosumadasseguintescondutas:

a)omissãonodeverdeprestarcontas;

b)descumprimentoinjustificadonaexecuçãodoobjetodosinstrumentosoutermosdeparceriapactuados;

c)desviodefinalidadenaaplicaçãodosrecursostransferidos;

d)ocorrênciadedanoaoErário;ou

e)práticadeoutrosatosilícitosnaexecuçãodosinstrumentosoutermosdeparceriapactuados;e

06/02/2017

PORTARIAINTERMINISTERIALNº424,DE30DEDEZEMBRODE2016

VIII­instrumentoscomestabelecimentoscadastradoscomofilialnoCNPJ.

§1ºParafinsdealcancedoslimitesestabelecidosnosincisosIVeVdocaput,épermitidooestabelecimento

deconsórcioentreosórgãoseentidadesdaAdministraçãoPúblicadiretaeindiretadosEstados,Distrito

FederaleMunicípios.

§ 2º O órgão e a entidade concedente procederão, segundo normas próprias e sob sua exclusiva

responsabilidade,àsinclusõesnoCadastroInformativodeCréditosnãoQuitadosdoSetorPúblicoFederal­ CADIN,depessoasfísicasoujurídicasqueseenquadremnahipóteseprevistanaalínea"b"doincisoVIdo

caput,observando­seasnormasvigentesarespeitodessecadastro,emespecialaLein°10.522,de19de

julhode2002.

§ 3º Os valores relativos à tarifa de serviços da mandatária, correspondentes aos serviços para

operacionalizaçãodaexecuçãodosprojetoseatividadesestabelecidosnoincisoIIdocaputdoart.6ºdesta

Portaria, para fins de cálculo e apropriações contábeis dos valores transferidos, compõem o valor da transferênciadaUniãoaquesereferemosincisosIVeVdocaputdesteartigo.

§4ºTarifasadicionais,bemcomoacréscimosdeatualizaçãomonetáriaouencargosrelativosatarifas,aque

amandatáriavenhaafazerjusporforçadascondiçõespactuadasnoscontratosdeprestaçãodeserviços

firmadoscomaAdministraçãoFederal,deverãoconstardecategoriadeprogramaçãoespecíficaoucorrerà

contadasdotaçõesdestinadasàsTransferênciasfinanceirasparaórgãoseentidadespúblicaseprivadassem

finslucrativas.

§ 5º Para fins do disposto na alínea "c" do inciso VI do caput, compreende­se como entidades da

administração indireta que desenvolvem atividade econômica em sentido estrito aquelas que executam atividadesemregimedeconcorrênciaouquetenhamcomoobjetivodistribuirlucrosaosseusacionistas.

§6ºNocasodo§4º,caberáàentidadeproponentedemonstrarquenãopossuifinalidadelucrativanos

termosacimaexpostos.

§7ºOsórgãoseentidadesdaAdministraçãoPúblicaFederal,deverãoencerrarematé24(vinteequatro)

meses, os convênios vigentes cujo objeto esteja relacionado ao pagamento de custeio continuado do proponente.

CAPÍTULOIV

DAPLURIANUALIDADE

Art.10.NosinstrumentosreguladosporestaPortaria,cujaduraçãoultrapasseumexercíciofinanceiro,

indicar­se­áocréditoerespectivoempenhoparaatenderàdespesanoexercícioemcurso,bemcomocada

parceladadespesarelativaàparteaserexecutadaemexercíciofuturo,medianteapostilamento.

Parágrafoúnico.Aprevisãodeexecuçãodecréditosorçamentáriosemexercíciofuturos,aqueserefereo

caputacarretaráaresponsabilidadedoconcedenteincluiremsuaspropostasorçamentáriasdosexercícios

seguintesadotaçãonecessáriaàexecuçãodoinstrumento.

CAPÍTULOV

DOCONSÓRCIOPÚBLICO

Art. 11. Os órgãos e entidades da Administração Pública Federal darão preferência às transferências voluntáriasparaEstados,DistritoFederaleMunicípioscujasaçõessejamdesenvolvidasporintermédiode

consórciospúblicos,constituídossegundoodispostonaLeinº11.107,de2005.

Art.12.AcelebraçãodoinstrumentocomconsórciopúblicoparaatransferênciaderecursosdaUniãoestá

condicionadaaoatendimento,pelosentesfederativosconsorciados,dasexigênciaslegaisaplicáveis,sendo

vedadasuacelebraçãocasoexistaalgumairregularidadeporpartedequalquerdosentesconsorciados.

06/02/2017

PORTARIAINTERMINISTERIALNº424,DE30DEDEZEMBRODE2016

Art.13.OsEstados,oDistritoFederaleosMunicípiospoderãoexecutaroobjetodoinstrumentocelebrado

comaUniãopormeiodeconsórciopúblicoaqueestejamassociados.

Parágrafoúnico.Paraefeitododispostonocaput,oinstrumentopoderáindicaroconsórciopúblicocomo

responsávelpelaexecução,semprejuízodasresponsabilidadesdosconvenentes.

TÍTULOII

DOCADASTRAMENTO,DAPROPOSTADETRABALHO,DACONTRAPARTIDA,DOPLANO

DETRABALHOEDOPROJETOBÁSICOETERMODEREFERÊNCIA

CAPÍTULOI

DOCADASTRAMENTO

Art. 14. Os órgãos ou entidades públicas ou privadas sem fins lucrativos que pretendam celebrar os instrumentosregulamentadosporestaPortariaoutermosdeparceriacomaAdministraçãoPúblicaFederal deverãorealizarcadastramentoprévionoSICONV.

§1ºOcadastramentoprévionoSICONVpoderáserrealizadoemqualquerterminaldeacessoàinternete

permitiráoacessoaoSistemaeaoperacionalizaçãodetodasasetapasefasesdosinstrumentosregulados

porestaPortaria.

§2ºOcadastramentoconterá,nomínimo,asseguintesinformações:

I­razãosocial,númerodeinscriçãonoCadastroNacionaldePessoasJurídicas­CNPJ,endereço,telefonee

endereçoeletrônico;e

II­relaçãonominaldosdirigentes,comendereço,telefone,endereçoeletrônico,númeroeórgãoexpedidor

dacarteiradeidentidadeeCadastrodePessoasFísicas­CPF.

§3ºOsórgãosouentidadespúblicasouprivadassemfinslucrativossãoresponsáveispelasinformações

inseridasnocadastramentoedeverãoatualizá­lassemprequehouvermodificaçãoousolicitaçãodopróprio

Sistema.

§4ºOcadastronoSICONVdosórgãosouentidadespúblicasouprivadassemfinslucrativosquenão

atualizaremouconfirmaremasinformações,naformado§3ºdesteartigo,ficarácomstatusdependentee

impossibilitaráacelebraçãodenovosinstrumentosatéaregularizaçãodocadastro

CAPÍTULOII

DAPROPOSTADETRABALHO

Art.15.Paraapresentarpropostadetrabalho,ointeressadodeveráestarcadastradonoSICONV.

Art.16.Oproponentecadastradomanifestaráseuinteresseemcelebrarosinstrumentosreguladosporesta

PortariamedianteapresentaçãodepropostadetrabalhonoSICONV,emconformidadecomoprogramae

comasdiretrizesdisponíveisnoSistema,queconterá,nomínimo:

I­descriçãodoobjetoaserexecutado;

II­justificativacontendoacaracterizaçãodosinteressesrecíprocos,arelaçãoentreapropostaapresentadae

osobjetivosediretrizesdoprogramafederal,eaindicaçãodopúblicoalvo,doproblemaaserresolvidoe

dosresultadosesperados;

III ­ estimativa dos recursos financeiros, discriminando o repasse a ser realizado pelo concedente ou mandatáriaeacontrapartidaprevistaparaoproponente,especificandoovalordecadaparcelaedomontante detodososrecursos,naformaestabelecidaemlei;

IV­previsãodeprazoparaaexecução;e

06/02/2017

PORTARIAINTERMINISTERIALNº424,DE30DEDEZEMBRODE2016

V­informaçõesrelativasàcapacidadetécnicaegerencialdoproponenteparaexecuçãodoobjeto.

Parágrafoúnico.Adescriçãodoobjetodeveráserrealizadadeformaconcisa,sepossívelpadronizada,e

deveráestaremconformidadecomosobjetivosediretrizesdoprogramaqueirárecepcionarapropostade

trabalho.

Art.17.Oconcedenteanalisaráapropostadetrabalhoe:

I­nocasodaaceitação:

a) realizará o pré­empenho, que será vinculado à proposta e só poderá ser alterado por intermédio do SICONV;e

b)solicitaráaoproponenteainclusãodoplanodetrabalhonoSICONV.

II­nocasoderecusa:

a)registraráoindeferimentonoSICONV;e

b)comunicaráaoproponenteoindeferimentodaproposta.

CAPÍTULOIII

DACONTRAPARTIDA

Art.18.Acontrapartidaserácalculadasobreovalortotaldoobjetoe,sefinanceira,deveráserdepositadana

contabancáriaespecíficadoinstrumentoemconformidadecomosprazosestabelecidosnocronogramade

desembolso.

§1ºAcontrapartida,aseraportadapeloconvenente,serácalculadaobservadosospercentuaiseascondições

estabelecidasnaleifederalanualdediretrizesorçamentáriasvigentesàépocadoinstrumento.

§2ºAcomprovaçãopeloproponentedequeacontrapartidapropostaestádevidamenteassegurada,deverá

ocorrerpreviamenteàcelebraçãodoinstrumento.

§3ºAprevisãodecontrapartidaaseraportadapelosórgãospúblicos,exclusivamentefinanceira,deveráser

comprovadapormeiodeprevisãoorçamentária.

§4ºNacelebraçãodeinstrumentoscomentidadesprivadassemfinslucrativos,oórgãoconcedentedeverá

observarasregrasdecontrapartidadispostasnaleifederalanualdediretrizesorçamentárias.

§ 5º Os aportes de contrapartida deverão obedecer ao pactuado no plano de trabalho, podendo haver antecipaçãodeparcelas,inteirasouparte,acritériodoconvenente.

CAPÍTULOIV

DOPLANODETRABALHO

Art.19.Oplanodetrabalho,queseráavaliadopeloconcedente,conterá,nomínimo:

I­justificativaparaacelebraçãodoinstrumento;

II­descriçãocompletadoobjetoaserexecutado;

III­descriçãodasmetasaserematingidas;

IV­definiçãodasetapasoufasesdaexecução;

V­compatibilidadedecustoscomoobjetoaserexecutado;

06/02/2017

PORTARIAINTERMINISTERIALNº424,DE30DEDEZEMBRODE2016

VI­cronogramadeexecuçãodoobjetoecronogramadedesembolso;e

VII­planodeaplicaçãodosrecursosaseremdesembolsadospeloconcedenteedacontrapartidafinanceira

doproponente,seforocaso.

Art.20.Oplanodetrabalhoseráanalisadoquantoàsuaviabilidadeeadequaçãoaosobjetivosdoprograma

e,nocasodasentidadesprivadassemfinslucrativos,seráavaliadasuaqualificaçãotécnicaecapacidade operacional para gestão do instrumento, de acordo com critérios estabelecidos pelo órgão ou entidade repassadorderecursos.

§1ºSerácomunicadaaoproponentequalquerirregularidadeouimprecisãoconstatadasnoplanodetrabalho,

quedeverásersanadanoprazoestabelecidopeloconcedente.

§ 2º A ausência da manifestação do proponente no prazo estipulado implicará na desistência no prosseguimentodoprocesso.

§3ºOsajustesrealizadosduranteaexecuçãodoobjetointegrarãooplanodetrabalho,desdequesubmetidos

eaprovadospreviamentepelaautoridadecompetente.

CAPITULOV

DOPROJETOBÁSICOEDOTERMODEREFERÊNCIA

Art.21.Nosinstrumentos,oprojetobásicoacompanhadodeAnotaçãodeResponsabilidadeTécnica­ART,

ouotermodereferência,deverãoserapresentadosantesdacelebração,sendofacultadoaoconcedente

exigilosdepois,desdequeantesdaliberaçãodaprimeiraparceladosrecursos.

§1ºOprojetobásicoouotermodereferênciapoderáserdispensadonocasodepadronizaçãodoobjeto,a

critériodaautoridadecompetentedoconcedente,emdespachofundamentado.

§2ºOprojetobásicoouotermodereferênciadeveráserapresentadonoprazofixadonoinstrumento,

prorrogávelumaúnicavezporigualperíodo,acontardadatadacelebração,conformeacomplexidadedo

objeto.

§3ºOprazodequetratao§2ºnãopoderáultrapassar18(dezoito)meses,incluídaaprorrogação,sehouver.

§4ºOprojetobásicoouotermodereferênciaseráapreciadopeloconcedenteoupelamandatáriae,se

aprovado,integraráoplanodetrabalho.

§5ºNoscasosemquehouverdivergênciasdevaloresentreoplanodetrabalhoaprovadoeoprojetobásico

outermodereferênciaaprovado,ospartícipesdeverãoprovidenciarasalteraçõesdoplanodetrabalhoedo

instrumento.

§6ºConstatadosvíciossanáveisnoprojetobásicoounotermodereferência,estesserãocomunicadosao

convenente,quedisporádeprazoparasaná­los.

§7ºCasooprojetobásicoouotermodereferêncianãosejaentreguenoprazoestabelecidono§2ºoureceba

parecercontrárioàsuaaprovação,proceder­se­áàextinçãodapropostaouinstrumento,casoestejátenha

sidoassinado.

§8ºAsdespesasreferentesaocustoparaelaboraçãodoprojetobásicooutermodereferênciapoderãoser

custeadascomrecursosoriundosdoinstrumentopactuado,desdequeodesembolsodoconcedentevoltado

paraaelaboraçãodoprojetobásicooutermodereferêncianãosejasuperiora5%(cincoporcento)dovalor

totaldoinstrumento.

§9ºQuandohouver,noplanodetrabalho,aprevisãodetransferênciaderecursosparaaelaboraçãode

projetobásicooutermodereferência,aliberaçãodomontantecorrespondenteaocustodoserviçosedará

apósacelebraçãodoinstrumentoeoaceitedorespectivoprocessolicitatório,conformecronogramade

liberaçãopactuadoentreaspartes.

06/02/2017

PORTARIAINTERMINISTERIALNº424,DE30DEDEZEMBRODE2016

§10Noscasosemqueoconcedentedesembolsarrecursosparaaelaboraçãodoprojetobásicooutermode

referência,arejeiçãopeloconcedentedestaspeças,ensejaaimediatadevoluçãodosrecursosaoscofresda

União,sobpenadeinstauraçãodetomadadecontasespecial.

§11Nocasodeobrasouserviçosdeengenharia,aanálisefinaldecustosacargodamandatáriaserá

realizadadepoisdaentregadoorçamentodereferência,observadoodispostonosarts.16a18doDecretonº

7.983,de8deabrilde2013,edevisitadecampopreliminar.

§12Previamenteàaceitaçãodoprojetobásicopelamandatária,paraaexecuçãodeobraseserviçosde

engenhariaenquadradosnoincisoIIIdoart.3ºdestaPortaria,oproponentedeveráapresentarestudode

alternativasdeconcepçãodeprojeto,cujaanálisepelamandatáriaécondicionanteparaaaprovaçãodo

projetobásico.

§13Oconcedenteouamandatáriadeveráexigirqueoproponenteapresenteplanodesustentabilidadedo

empreendimento a ser realizado ou do equipamento a ser adquirido, exceto nos casos em que ficar comprovadaadesnecessidadedeapresentaçãodoreferidoplano.

§14OMinistériodoPlanejamento,DesenvolvimentoeGestãodeverá,pormeiodeinstruçãonormativa,

estabelecerregrasediretrizesdeacessibilidadeaseremobservadosnasobraseserviçosdeengenharia

custeadoscomrecursosdosinstrumentosreguladosporestaPortaria.

TÍTULOIII

DACELEBRAÇÃO

CAPÍTULOI

DASCONDIÇÕESPARAACELEBRAÇÃO

Art.22.Sãocondiçõesparaacelebraçãodeinstrumentos,aseremcumpridaspeloconvenente,conforme

previstonaLeiComplementarnº101,de4demaiode2000,naLeideDiretrizesOrçamentáriasenas

demaisnormasaplicáveis:

I­exercíciodaplenacompetênciatributária,relativoàobservânciadosrequisitosconstantesdoart.11da

Lei Complementar nº 101, de 2000, com validade até 30 de abril do exercício subsequente, para os Municípios, e até 31 de maio do exercício subsequente, para os Estados e para o Distrito Federal, e comprovadapelainserção,pormeiodecertificaçãodigital,dedeclaraçãodoChefedoPoderExecutivo,no SistemadeInformaçõesContábeiseFiscaisdoSetorPúblicoBrasileiro­Siconfi,ousistemaqueviera substituí­lo,atestandoqueinstituiu,previuearrecadouosimpostosdecompetênciaconstitucionaldoenteda Federação;

II ­ regularidade previdenciária, constituída pela observância dos critérios e das regras gerais para a organizaçãoeofuncionamentodosregimesprópriosdeprevidênciasocialdosservidorespúblicos,através

daemissãodoCertificadodeRegularidadePrevidenciária­CRP,ematendimentoaodispostonoart.7ºda

Leinº9.717,de27denovembrode1998,enoDecretonº3.788,de11deabrilde2001,sendoválidano

prazoecondiçõesdarespectivacertidão;

III­regularidadequantoaTributosFederais,aContribuiçõesPrevidenciáriaseàDívidaAtivadaUnião, conformedadosdaCertidãoNegativadeDébitosrelativosaCréditosTributáriosFederaiseàDívidaAtiva

daUniãodequetrataaPortariaPGFN/RFBnº1.751,de2deoutubrode2014,fornecidapelossistemasda

SecretariadaReceitaFederaldoBrasil­RFBedaProcuradoria­GeraldaFazendaNacional­PGFN,em

atendimentoaodispostonaalínea"a"doincisoIVdo§1ºdoart.25daLeiComplementarnº101,de2000,

noincisoIVdoart.27,noart.29enoart.116,todosdaLeinº8.666,de1993,eno§3ºdoart.195da

ConstituiçãoFederal,sendoválidaainformaçãonoprazoecondiçõesdarespectivacertidão;

IV­regularidadeperanteoPoderPúblicoFederal,conformeconsultaaoCadastroInformativodosCréditos nãoQuitadosdoSetorPúblicoFederal­CADIN,cujaverificaçãodaexistênciadedébitosperanteosórgãose

entidadesdoPoderPúblicoFederalatendeodispostonoart.6ºdaLeinº10.522,de2002,sendosua

comprovaçãoverificadapormeiodainformaçãodocadastromantidonoSistemadeInformaçõesdoBanco

06/02/2017

PORTARIAINTERMINISTERIALNº424,DE30DEDEZEMBRODE2016

CentraldoBrasil­SISBACEN,doBancoCentraldoBrasil­BACEN,edeacordocomosprocedimentosda

referidaLei;

V­regularidadequantoaContribuiçõesparaoFundodeGarantiadoTempodeServiço­FGTS,conforme dadosdoCertificadodeRegularidadedoFundodeGarantiadoTempodeServiço­CRF/FGTS,fornecido peloSistemadeControledaCaixaEconômicaFederal­CAIXA,cujacomprovaçãoderegularidade,quanto

aodepósitodasparcelasdevidasaoFundo,atendeaodispostonosarts.29,incisoIV,e116daLeinº8.666,

de1993,eart.25,incisoIVdaLeiComplementarnº101,de2000,sendoválidanoprazoecondiçõesdo

respectivocertificado;

VI­regularidadequantoàPrestaçãodeContasdeRecursosFederaisrecebidosanteriormente,mediante

consulta:

a)aoSubsistemaTransferênciasdoSistemadeAdministraçãoFinanceiradoGovernoFederal­SIAFI,da SecretariadoTesouroNacional­STN,paraosinstrumentosfirmadossobaégidedaInstruçãoNormativa

STNnº1,de15dejaneirode1997;

b)aoSICONV,paraaquelesfirmadossobaégidedaPortariaInterministerialMP/MF/MCTnº127,de2008,

daPortariaInterministerialnº507/MP/MF/CGU,de24denovembrode2011,esobaégidedestaPortaria;

VII­regularidadeemrelaçãoàAdimplênciaFinanceiraemEmpréstimoseFinanciamentosconcedidospela

União,eadministradospelaSecretariadoTesouroNacional­STN,ematendimentoaodispostonoart.25,§

1º, inciso IV, alínea "a", da Lei Complementar nº 101, de 2000, comprovada mediante informação de adimplênciaprestadapelaSTN;

VIII­aplicaçãomínimaderecursosnaáreadaEducação,ematendimentoaodispostonoart.212,da

ConstituiçãoFederal,enoart.25,§1º,incisoIV,alínea"b",daLeiComplementarnº101,de2000,equese

constituinaaplicaçãoanual,namanutençãoedesenvolvimentodoensino,dopercentualmínimodevintee cincoporcentodareceitaresultantedeimpostos,compreendidaaprovenientedetransferências,cujosdados doexercícioencerradodevemserfornecidospeloEnteFederativoaoFundoNacionaldeDesenvolvimento daEducação­FNDE,paraprocessamentopeloSistemadeInformaçõessobreOrçamentosPúblicosem Educação­SIOPE,comprovadopormeiodoseuextrato,comvalidadeatéaapresentaçãodosdadosdeum novo exercício, limitado à data de 30 de janeiro do exercício subsequente, ou, na impossibilidade de verificaçãopormeiodessesistema,apresentaçãodecertidãoemitidapeloTribunaldeContascompetente,

consoantedispostonoart.23doDecretonº6.253,de13denovembrode2007;

IX­aplicaçãomínimaderecursosnaáreadaSaúde,ematendimentoaodispostonoart.198,§2º,da

ConstituiçãoFederal,nosarts.6ºe7ºdaLeiComplementarnº141,de13dejaneiroe2012,enoart.25,§

1º,incisoIV,alínea"b",daLeiComplementarnº101,de2000,equeseconstituinaaplicaçãoanual,em

açõeseserviçospúblicosdesaúde,dospercentuaismínimosdareceitaresultantedeimpostos,compreendida a proveniente de transferências, cujos dados do exercício encerrado devem ser fornecidos pelo Ente FederativoaoMinistériodaSaúde­MS,paraprocessamentopeloSistemadeInformaçõessobreOrçamentos PúblicosemSaúde­SIOPS,comprovadopormeiodoseuextrato,ou,naimpossibilidadedeverificaçãopor meiodessesistema,apresentaçãodecertidãoemitidapeloTribunaldeContascompetente;

X­publicaçãodetodososRelatóriosdeGestãoFiscal­RGF,doexercícioemcursoeanterior,decadaum

dosPodereseórgãoselencadosnoart.20daLeiComplementarnº101,de2000,inclusiveasDefensorias

Públicas,noprazodeatétrintadiasapósoencerramentodecadaquadrimestre,ematendimentoaodisposto

nosarts.54e55,ousemestre,paraosentesquecumpramosrequisitosefaçamaopçãoprevistanoart.63,

incisoII,alínea"b",daLeiComplementarnº101,de2000,comvalidadeatéadata­limitedapublicação

relativaaoperíodosubsequente,verificadapelaapresentação,aogestordeórgãoouentidadeconcedente,

dosrelatóriospublicados,oupelahomologaçãodorelatórionoSistemadeInformaçõesContábeiseFiscais

doSetorPúblicoBrasileiro­Siconfi,ousistemaquevierasubstituí­lo,ouinserção,nomesmosistema,pelo

doChefedoPoderExecutivo,deatestadodapublicaçãodoRGF,inclusiveemmeioseletrônicosdeacesso

público,detodososórgãosepoderesdorespectivoentedaFederação.

XI­inexistênciadevedaçãoaorecebimentodetransferênciavoluntáriapordescumprimentodosseguintes

limites,ematendimentoaodispostonoart.23,§3º,eart.25,incisoIV,alínea"c",daLeiComplementarnº

101,de2000,decadaumdosPodereseórgãoselencadosnoart.20damesmaLeiComplementar,verificada

06/02/2017

PORTARIAINTERMINISTERIALNº424,DE30DEDEZEMBRODE2016

pelaanálisedoRelatóriodeGestãoFiscal­RGFelaboradoconformeasorientaçõesprevistasnoManualde

DemonstrativosFiscaisdaSecretariadoTesouroNacional,enviadopormeiodoSistemadeInformações

ContábeiseFiscaisdoSetorPúblicoBrasileiro­Siconfi,ousistemaquevierasubstituí­lo,oumediante

declaraçãodoChefedoPoderExecutivo,juntamentecomocomprovantederemessadadeclaraçãoparao

respectivoTribunaldeContaspormeioderecibodoprotocolo,avisoderecebimentooucartaregistrada,a

serentregueaogestordoórgãoouentidadeconcedente,comvalidadeatéadatadepublicaçãodoRGF

subsequente,atestandoqueosPodereseórgãosnãoultrapassaramoslimites:

a)dadespesatotalcompessoalconstantedoanexodoRGFquetratadaDespesacomPessoal;

b)dasdívidasconsolidadaemobiliáriaconstantedoanexodoRGFquetratadaDívidaConsolidadaLíquida;

c)dasoperaçõesdecrédito,inclusiveporantecipaçãodereceita,constantedoanexodoRGFquetratadas

OperaçõesdeCrédito;e

d)dainscriçãoemRestosaPagar,aplicávelparaoúltimoanodomandato,constantedoanexodoRGFque

trataDisponibilidadedeCaixaedosRestosaPagar.

XII­encaminhamentodasContasAnuais,paraaconsolidaçãodascontasdosentesdaFederação,relativas

aos5últimosexercícios,ematendimentoaodispostonoart.51daLeiComplementarnº101,de2000,por

meiodedeclaraçãohomologadanoSistemadeInformaçõesContábeiseFiscaisdoSetorPúblicoBrasileiro­

Siconfi,oquedeveráocorreratéasdatas­limitede30deabrildoexercíciosubsequente,paraosMunicípios,

ede31demaiodoexercíciosubsequente,paraEstadosouDistritoFederalenaformadefinidapelasnormas

geraisrelacionadasàconsolidação,nacionaleporesferadegoverno,editadaspelaSecretariadoTesouro

Nacional;

XIII­publicaçãodetodososRelatóriosResumidosdaExecuçãoOrçamentária­RREO,doexercícioem cursoeanterior,noprazodeatétrintadiasapósoencerramentodecadabimestre,ematendimentoao disposto nos arts. 52 e 53 da Lei Complementar nº 101, de 2000, com validade até a data­limite da publicaçãorelativaaoperíodosubsequente,verificadapelaapresentação,aogestordeórgãoouentidade concedente,dorelatóriopublicado,oupelahomologaçãodorelatórionoSistemadeInformaçõesContábeis eFiscaisdoSetorPúblicoBrasileiro­Siconfi,ousistemaquevierasubstituí­lo,oudeatestado,inseridono mesmosistema,doChefedoPoderExecutivo,pormeiodecertificaçãodigital,atestandoapublicaçãodo RREO,inclusiveemmeioseletrônicosdeacessopúblico.

XIV­comprovaçãodequeasDespesasdeCaráterContinuadoDerivadasdoConjuntodasParceriasPúblico­

Privadasjácontratadasnoanoanteriorlimitam­sea5%(cincoporcento)dareceitacorrentelíquidado

exercícioeseasdespesasanuaisdoscontratosvigentesnos10(dez)anossubsequenteslimitam­sea5%

(cincoporcento)dareceitacorrentelíquidaprojetadaparaosrespectivosexercícios,conformedispostono

art.28,daLeinº11.079,de30dedezembrode2004;comprovadopormeiodeanálisedoanexoXVIIdo

Relatório Resumido de Execução Orçamentária ­RREO do 6º bimestre, de acordo com as orientações previstasnoManualdeDemonstrativosFiscaisdaSecretariadoTesouroNacional,enviadopormeiodo SistemadeInformaçõesContábeiseFiscaisdoSetorPúblicoBrasileiro­Siconfi,ousistemaqueviera

substituí­lo,oupormeiodedeclaraçãoderegularidadequantoaoslimitesestabelecidosnaLeinº11.079,de

2004,dochefedoexecutivooudosecretáriodefinançasjuntamentecomaremessadadeclaraçãoparao

TribunaldeContascompetentepormeioderecibodoprotocolo,avisoderecebimentooucartaregistrada

comvalidadeaté30dejaneirodoanosubsequente;

XV­comprovaçãodaregularidadequantoaoPagamentodePrecatóriosJudiciais,comprovadopormeiode certificadoemitidopeloCadastrodeInadimplentesdoConselhoNacionaldeJustiça­CEDIN,disponívelna Internet,oupormeiodecertidãodoscompetentesTribunaldeJustiça,TribunalRegionaldoTrabalhoe Tribunal Regional Federal, ou, ainda, por meio declaração de regularidade quanto ao pagamento de precatóriosjudiciaisdochefedoexecutivooudosecretáriodefinançasjuntamentecomaremessada declaração para os citados tribunais por meio de recibo do protocolo, aviso de recebimento ou carta

registrada,devendoapontarseoenteéaderenteaoregimedequetrataoart.97,§10,incisoIV,alínea"b",

doAtodasDisposiçõesConstitucionaisTransitórias,qualaperiodicidadedepagamentoeadatadopróximo

vencimento;

06/02/2017

PORTARIAINTERMINISTERIALNº424,DE30DEDEZEMBRODE2016

XVI­comprovaçãodedivulgaçãodaexecuçãoorçamentáriaefinanceirapormeioeletrônicodeacessoao públicoedeinformaçõespormenorizadasrelativasàreceitaeàdespesaematendimentoaodispostonoart.

73­CdaLeiComplementarnº101,de2000,comprovadopormeiodedeclaraçãodecumprimento,com

validadenomêsdaassinatura,juntamentecomaremessadadeclaraçãoparaorespectivoTribunaldeContas

pormeioderecibodoprotocolo,avisoderecebimentooucartaregistrada;

XVII­inexistênciadesituaçãodevedaçãoaorecebimentodetransferênciasvoluntáriasnostermosdoart.

33,combinadocomoincisoIdo§3ºdoart.23,ambosdaLeiComplementarnº101,de2000,comprovado

por meio de declaração, com validade no mês da assinatura, de que não realizou operação de crédito

enquadradano§1ºdoart.33daLeiComplementarnº101,de2000,juntamentecomocomprovantede

remessadadeclaraçãoparaorespectivoTribunaldeContaspormeioderecibodoprotocolo,avisode

recebimentooucartaregistrada;e

XVIII­fornecimentodarelaçãodasempresaspúblicasedassociedadesdeeconomiamistaaoRegistro

PúblicodeEmpresasMercantiseAtividadesAfinsdequetrataoDecretonº1.800,de30dejaneirode1996,

consoanteoprescritonoart.92daLeinº13.303,de30dejunhode2016,comprovadopormeiode

declaração,comvalidadenomêsdaassinatura,juntamentecomocomprovantederemessadadeclaração para o respectivo Tribunal de Contas por meio de recibo do protocolo, aviso de recebimento ou carta registrada.

§ 1º A verificação dos requisitos para o recebimento de transferências voluntárias deverá ser feita no momentodaassinaturadorespectivoinstrumento,bemcomonaassinaturadoscorrespondentesaditamentos devalor,nãosendonecessárianasliberaçõesfinanceirasderecurso,quedevemobedeceraocronogramade desembolsoprevistonoinstrumento.

§2ºAdemonstraçãodocumprimentodasexigências,porpartedosEstados,DistritoFederaleMunicípios,

respectivasAdministraçõesIndiretaseentidadesprivadassemfinslucrativos,deveráserfeitapormeiode

apresentaçãopeloproponente,aoconcedente,decomprovaçãodesuaregularidadeedaunidadeexecutora,

quandohouver.

§3ºAcritériodoproponente,poderáserutilizado,parafinsdo§1º,extratoemitidopeloServiçoAuxiliarde

InformaçõesparaTransferênciasVoluntárias­CAUC,disponibilizadopelaSecretariadoTesouroNacional,

ousistemaquevenhaasubstituí­lo,apenascomrelaçãoaosrequisitosqueestiveremespelhadosnoreferido

extrato.

§ 4º A relação dos requisitos citados neste artigo, que estiverem espelhados no referido extrato, está disponívelnosítioeletrônicodaSecretariadoTesouroNacional.

§ 5º As informações espelhadas no referido extrato são de responsabilidade dos órgãos e entidades competentes,cabendoàSecretariadoTesouroNacionalapenasaconsolidaçãoedisponibilizaçãodestasno

sistemacitadono§3ºdesteartigo.

§6ºOproponentedeverácomprovarosdemaisrequisitosnãocontempladosnoextratoemitidoporsistema

deconsultaderequisitosdisponibilizadopelaSecretariadoTesouroNacional.

§7ºAverificaçãodoatendimentodasexigênciascontidasnesteartigo,dar­se­ápelaconsulta:

I ­ ao número de inscrição constante do Cadastro Nacional de Pessoa Jurídica ­ CNPJ, mantido pelo Ministério da Fazenda ­MF, do Ente Federativo (interveniente) e do órgão da Administração direta (convenente),parainstrumentoscomaAdministraçãodireta;ou

II­exclusivamente,aonúmerodeinscriçãonoCadastroNacionaldePessoaJurídica­CNPJdaentidadeda

Administraçãoindiretabeneficiáriadatransferênciavoluntária.

§8ºAplicam­seàunidadeexecutoraasexigênciascontidasnesteartigo,relativasaoproponente,quandoeste

forórgãoouentidadedaAdministraçãoPública.

§9ºOregistronoCadastroNacionaldePessoaJurídica­CNPJdoEnteFederativo(interveniente)seráo

númerodeinscriçãoprincipalnoCNPJ.

06/02/2017

PORTARIAINTERMINISTERIALNº424,DE30DEDEZEMBRODE2016

§10.AcomprovaçãodecumprimentodasobrigaçõesdescritasnosincisosI,VIII,IX,X,XII,XIIIeXIVdo

caput,aindaquepraticadasforadoprazoestipuladoemleiparaseuexercício,nãoimpediráacelebraçãode

instrumentoparatransferênciavoluntáriaoudeaditamentodevalordesuasparcelasderecursos,apartirda

dataemquesederareferidacomprovação.

§11.Aosinstrumentoscelebrados:

I­comaAdministraçãoindireta,aplicam­sesomenteasexigênciasprevistasnosincisosIII,IV,V,VIeVII

docaput;e

II­comentidadesprivadassemfinslucrativos,aplicam­sesomenteasexigênciasprevistasnosincisosIII,

IV,VeVIdocaput.

§ 12. Para fins da aplicação das sanções de suspensão de transferências voluntárias constantes da Lei

Complementarnº101,de2000,excetuam­seaquelasrelativasaaçõesdeeducação,saúdeeassistência

social.

§ 13. Fica suspensa a restrição para transferência de recursos federais a Estados, Distrito Federal e Municípios destinados à execução de ações sociais e ações em faixa de fronteira, em decorrência de inadimplementosobjetoderegistronoCADINenoSistemaIntegradodeAdministraçãoFinanceirado GovernoFederal­SIAFI.

§14.Écondiçãoparaacelebraçãodeinstrumentos,aexistênciadedotaçãoorçamentáriaespecíficano

orçamentodoconcedente,aqualdeveráserevidenciadanoinstrumento,indicando­searespectivanotade

empenho.

§15.Eventuaisindíciosdeirregularidadeemrelaçãoàcontrataçãodeoperaçõesdecréditoscominstituições

financeiras, consoante citado no art. 33, combinado com o inciso I do § 3º do art. 23, ambos da Lei

Complementarnº101,de2000,deverãoserremetidosaoBancoCentraldoBrasileaorespectivoTribunal

deContas.

§16.AdicionalmenteàexigênciadadeclaraçãodequetrataoincisoXVIdocaput,apresentadapelo

proponente,oconcedentedeverárealizarconsultaàfuncionalidadeespecíficanoSICONVparaverificara

inexistênciadeimpedimentodecorrentedodescumprimentododispostonoart.73­CdaLeiComplementar

nº101,de2000.

§17.Afuncionalidadedequetratao§16conteráinformaçãoacercadodescumprimentododispostonoart.

73­CdaLeiComplementarnº101,de2000,pelosentesdafederação,prestadamediantecomunicaçãopelos

TribunaisdeContasdeEstadoseMunicípiosoupelosMinistériosPúblicosFederalouEstaduais,aqual

poderáserrealizadadiretamentenoSICONV.

§18.OimpedimentoeventualmenteinformadopelosTribunaisdeContas,nostermosdos§§16e17deste

artigo,prevaleceráemrelaçãoàdeclaraçãodecumprimentodequetrataoincisoXVIdocaput.

§19.Osproponenteseasunidadesexecutorascitadasno§8desteartigo,devemestarregistradosno

SICONV pelo número de inscrição no Cadastro Nacional da Pessoa Jurídica ­ CNPJ na condição de

estabelecimento­matriz,segundodefinidonaInstruçãoNormativanº1.183,de19deagostode2011,da

SecretariadaReceitaFederaldoBrasil.

§20.ApublicaçãodosRelatóriosmencionadanosincisosXeXIIIdocaput,noexercícioemqueesta

Portariaentreemvigor,somenteserãoaplicáveisparaosrelatóriosdoexercícioemcurso.

§21.AdicionalmenteaosrequisitosconstantesnoincisoIIdo§11desteartigonecessáriosàcelebraçãode

instrumentoscomentidadesprivadassemfinslucrativos,observadoodispostonoincisoIIIdoart.9ºdesta

Portaria,aentidadeproponentedeveráapresentar:

I­declaraçãodorepresentantelegaldaentidadeprivadasemfinslucrativosdequenãopossuiimpedimento

noCadastrodeEntidadesPrivadasSemFinsLucrativosImpedidas­Cepim,noSICONV,noSIAFI,eno

CADIN;e

06/02/2017

PORTARIAINTERMINISTERIALNº424,DE30DEDEZEMBRODE2016

II ­ certidão negativa referente ao Cadastro Nacional de Condenações Civis por Ato de Improbidade

AdministrativaeInelegibilidade,supervisionadopeloConselhoNacionaldeJustiça.

Art.23.Semprejuízododispostonoart.22destaPortaria,sãocondiçõesparaacelebraçãodeinstrumentos:

I­cadastrodoconvenenteatualizadonoSICONVnomomentodacelebração,nostermosdoart.14desta

Portaria;

II­PlanodeTrabalhoaprovado;

III­licençaambientalprévia,quandooinstrumentoenvolverobras,instalaçõesouserviçosqueexijam

estudosambientais,naformadisciplinadapeloConselhoNacionaldoMeioAmbiente­CONAMA;e

IV­comprovaçãodoexercícioplenodospoderesinerentesàpropriedadedoimóvel,mediantecertidão

emitidapelocartórioderegistrodeimóveiscompetente,quandooinstrumentotiverporobjetoaexecuçãode

obrasoubenfeitoriasnoimóvel.

§ 1º Poderá ser aceita, para autorização de início do objeto ajustado, declaração do Chefe do Poder

Executivo,sobaspenasdoart.299doCódigoPenal,dequeoconvenenteédetentordapossedaáreaobjeto

da intervenção, quando se tratar de área pública, devendo a regularização formal da propriedade ser comprovadaatéofinaldaexecuçãodoobjetodoinstrumento.

§2ºAlternativamenteàcertidãoprevistanoincisoIVdocaput,admite­se,porinteressepúblicoousocial,

condicionadasàgarantiasubjacentedeusopeloprazomínimode20(vinte)anos,oseguinte:

I­comprovaçãodeocupaçãoregulardeimóvel:

a)emáreadesapropriadaporEstado,porMunicípio,peloDistritoFederaloupelaUnião,comsentença

transitadaemjulgadonoprocessodedesapropriação;

b)emáreadevoluta;

c)recebidoemdoação:

1.daUnião,doEstado,doMunicípiooudoDistritoFederal,jáaprovadaemlei,conformeocaso,e,se

necessária,inclusivequandooprocessoderegistrodetitularidadedoimóvelaindaseencontraremtrâmite;e

2.depessoafísicaoujurídica,inclusivequandooprocessoderegistrodetitularidadedoimóvelaindase

encontraremtrâmite,nestecaso,compromessaformaldedoaçãoirretratáveleirrevogável;

d)que,emboraaindanãohajasidodevidamenteconsignadonocartórioderegistrodeimóveiscompetente,

pertenceaEstadoqueseinstalouemdecorrênciadatransformaçãodeTerritórioFederal,oumesmoa

qualquerdeseusMunicípios,porforçademandamentoconstitucionaloulegal;

e)pertencenteaoutroentepúblicoquenãooproponente,desdequeaintervençãoestejaautorizadapelo

proprietário,pormeiodeatodochefedopoderexecutivooutitulardoórgãodetentordedelegaçãopara

tanto;

f)que,independentementedasuadominialidade,estejainseridoemZonaEspecialdeInteresseSocial­

ZEIS,instituídanaformaprevistanaLeinº10.257,de10dejulhode2001,devendo,nestecaso,serem

apresentadososseguintesdocumentos:

1.cópiadapublicação,emperiódicodaImprensaOficial,daleiestadual,municipaloudistritalfederal

instituidoradaZEIS;

2. demonstração de que o imóvel beneficiário do investimento encontra­se na ZEIS instituída pela lei

referidanoitem1destaalínea;e

3.declaraçãofirmadapeloChefedoPoderExecutivodoentefederativoaqueoconvenentesejavinculado

dequeoshabitantesdaZEISserãobeneficiáriosdeaçõesvisandoàregularizaçãofundiáriadaáreahabitada

06/02/2017

PORTARIAINTERMINISTERIALNº424,DE30DEDEZEMBRODE2016

parasalvaguardarseudireitoàmoradia;

g) objeto de sentença favorável aos ocupantes, transitada em julgado, proferida em ação judicial de

usucapiãoouconcessãodeusoespecialparafinsdemoradia,nostermosdoart.183daConstituiçãoFederal,

daLeinº10.257,de2001,edaMedidaProvisórianº2.220,de4desetembrode2001;e

h) tombado pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional ­ IPHAN, desde que haja

aquiescênciadoInstituto;

II­contratooucompromissoirretratáveleirrevogáveldeconstituiçãodedireitorealsobreoimóvel,na

formadecessãodeuso,concessãodedireitorealdeuso,concessãodeusoespecialparafinsdemoradia,

aforamentooudireitodesuperfície,atendidososseguintesrequisitos:

a)oproprietárioquefirmaraconstituiçãododireitorealnãopoderáexercerqualquertipodegerênciaou

ingerênciasobreaáreadoimóvel,tampoucoobstaroulimitarolivreacessoàpopulaçãobeneficiada;

b)estandoaáreadoimóvelcedidolocalizadointegralmentedentrodepropriedadeparticular,avalidadeda

constituiçãododireitorealficarácondicionadaàefetivaepreliminarconstituiçãodarespectivaservidãode

passagematéolocaldoobjetodoinstrumento,nãopodendohaverqualquertipoderestriçãoouobstruçãode

acessoàpopulaçãobeneficiada;e

c) fica o convenente responsável pela observância do cumprimento do objeto ajustado pelo respectivo

períododamencionadacessãoouequivalente,sobpenadeaplicaçãodepenalidadesconformelegislação

vigente;

III­comprovaçãodeocupaçãodaáreaobjetodoinstrumento:

a)porcomunidaderemanescentedequilombos,certificadasnostermosdo§4ºdoart.3ºdoDecretonº

4.887,de20denovembrode2003,peloseguintedocumento:

1.atoadministrativoquereconheçaoslimitesdaáreaocupadapelacomunidaderemanescentedequilombo,

expedidopeloórgãodoenteFederativoresponsávelpelasuatitulação;ou

2.declaraçãodeórgão,dequaisquerdosentesfederativos,responsávelpeloordenamentoterritorialou

regularizaçãofundiária,dequeaáreaobjetodoinstrumentoéocupadaporcomunidaderemanescentede

quilombo,casonãotenhasidoexpedidooatodequetrataoitem1destaalínea;e

b)porcomunidadeindígena,mediantedocumentoexpedidopelaFundaçãoNacionaldoÍndio­FUNAI.

§ 3º Nas hipóteses previstas na alínea "a" do inciso I do § 2º deste artigo, quando o processo de desapropriaçãonãoestiverconcluído,épermitidaacomprovaçãodoexercícioplenodospoderesinerentesà propriedadedoimóvelviaTermodeImissãoProvisóriadePosseoualvarádojuízodavaraondeoprocesso estivertramitando,admitindo­se,ainda,casoessesdocumentosnãohajamsidoemitidos,aapresentação, peloproponentedoinstrumento,decópiadapublicação,naImprensaOficial,dodecretodedesapropriaçãoe do Registro Geral de Imóveis ­ RGI do imóvel, acompanhado do acordo extrajudicial firmado com o expropriado.

§4ºNahipóteseprevistanaalínea"c",doincisoI,do§2ºdesteartigo,éimperativaaapresentaçãoda

promessaformaldedoação(termodedoação),irretratáveleirrevogável,casooprocessoderegistroda

doaçãoaindanãohajasidoconcluído.

§5ºQuandooinstrumentotiverporobjetoobrashabitacionaisoudeurbanizaçãodeinteressepúblicoou

social,deveráconstarnoinstrumentodeautorizaçãoou,seforocaso,nocontratooucompromisso,deque

tratamaalínea"f",doincisoIeoincisoII,ambosdo§2ºdesteartigo,aobrigaçãodeserealizara

regularização fundiária em favor das famílias moradoras ou a cessão do imóvel ao proponente do instrumentoafimdequeestepossapromovê­la.

§ 6º A critério do concedente, os documentos previstos nos incisos III e IV do caput poderão ser

encaminhadosjuntamentecomoprojetobásico,apósacelebração,aplicando­se§3ºdoart.21destaPortaria

06/02/2017

PORTARIAINTERMINISTERIALNº424,DE30DEDEZEMBRODE2016

emrelaçãoaosprazos.

Art.24.Poderáserrealizadaacelebraçãodeinstrumentoscomprevisãodecondiçãoasercumpridapelo

convenente,excetoaquelasdispostasnoart.22destaPortaria,eenquantoacondiçãonãoseverificarnão

teráefeitoacelebraçãopactuada.

§1º.Oprazofixadonoinstrumentoparaocumprimentodacondição,desdequefeitasasadequaçõesno

planodetrabalhoeapresentadasasjustificativas,poderáserprorrogado,nostermosdeatoregulamentarda autoridademáximadoconcedente,porumaúnicavez,deigualperíodo,nãoultrapassandodezoitomeses, incluída a prorrogação, se houver, devendo ser o instrumento extinto no caso do não cumprimento da condição;

§2º.ParaosinstrumentoscelebradospeloMinistériodaSaúde,oprazoprevistono§1ºpoderáserdeaté

vinteequatromeses.

Art.25.Atitularidadedosbensremanescentesédoconvenente,salvoexpressadisposiçãoemcontráriono

instrumentocelebrado.

CAPÍTULOII

DAFORMALIZAÇÃODOINSTRUMENTO

Art.26.OpreâmbulodoinstrumentoconteráanumeraçãosequencialnoSICONV,aqualificaçãocompleta

dospartícipeseafinalidade.

Parágrafoúnico.Constarátambémnopreâmbuloaqualificaçãocompletadointervenienteedamandatária,

quandohouver.

Art.27.SãocláusulasnecessáriasnosinstrumentosreguladosporestaPortariaasqueestabeleçam:

I­oobjetoeseuselementoscaracterísticos,emconsonânciacomoplanodetrabalho,queintegraráotermo

celebradoindependentementedetranscrição;

II­asobrigaçõesdecadaumdospartícipes;

III­acontrapartida,observadososditamesprevistosnoart.18,destaPortaria;

IV­asobrigaçõesdointerveniente,quandohouver,sendovedadaaexecuçãodeatividadesprevistasno

planodetrabalho;

V­avigência,fixadadeacordocomoprazoprevistoparaaconsecuçãodoobjetoeemfunçãodasmetas

estabelecidas;

VI­aobrigaçãodoconcedenteprorrogar"deofício"avigênciadoinstrumentoantesdoseutérmino,quando

dercausaaatrasonaliberaçãodosrecursos,limitadaaprorrogaçãoaoexatoperíododoatrasoverificado;

VII ­ a prerrogativa do órgão ou entidade transferidor dos recursos financeiros assumir ou transferir a responsabilidadepelaexecuçãodoobjeto,nocasodeparalisaçãooudaocorrênciadefatorelevante,de modoaevitarsuadescontinuidade;

VIII­aclassificaçãoorçamentáriadadespesa,mencionando­seonúmeroedatadanotadeempenhoe

declaraçãodeque,emtermosaditivosouapostilas,indicar­se­ãooscréditoseempenhosparasuacobertura,

decadaparceladadespesaasertransferidaemexercíciofuturo;

IX­ocronogramadedesembolsoconformeoplanodetrabalho,incluindoosrecursosdacontrapartida

pactuada,quandohouver;

X­aobrigatoriedadedeoconvenenteincluirregularmentenoSICONVasinformaçõeseosdocumentos

exigidosporestaPortaria,mantendo­oatualizado;

06/02/2017

PORTARIAINTERMINISTERIALNº424,DE30DEDEZEMBRODE2016

XI­aobrigatoriedadederestituiçãoderecursos,noscasosprevistosnestaPortaria;

XII­nocasodeórgãoouentidadepública,ainformaçãodequeosrecursosparaatenderàsdespesasem

exercíciosfuturos,nocasodeinvestimento,estãoconsignadosnoplanoplurianualouemprévialeiqueos

autorize;

XIII­aobrigaçãodoconvenentedemanteremovimentarosrecursosnacontabancáriaespecíficado instrumento em instituição financeira oficial, federal ou estadual, e, no caso de contratos de repasse, exclusivamenteeminstituiçãofinanceirafederal;

XIV­aindicaçãodaobrigatoriedadedecontabilizaçãoeguardadosbensremanescentespeloconvenenteea manifestação de compromisso de utilização dos bens para assegurar a continuidade de programa governamental,devendoestarclarasasregrasediretrizesdeutilização;

XV­aformapelaqualaexecuçãofísicadoobjetoseráacompanhadapeloconcedenteoumandatária, inclusivecomaindicaçãodosrecursoshumanosetecnológicosqueserãoempregadosnaatividadeou,sefor

ocaso,aindicaçãodaparticipaçãodeórgãosouentidadesprevistosno§3°doart.55destaPortaria,

devendosersuficienteparagarantiroplenoacompanhamentoeaverificaçãodaexecuçãofísicadoobjeto

pactuado;

XVI­olivreacessodosservidoresdoórgãoouentidadepúblicaconcedente,damandatáriaeosdocontrole

internodoPoderExecutivoFederal,bemcomodoTribunaldeContasdaUniãoaosprocessos,documentos,

informaçõesreferentesaosinstrumentosdetransferênciasregulamentadosporestaPortaria,bemcomoaos

locaisdeexecuçãodoobjeto,inclusive,noscasosemqueainstituiçãofinanceiraoficialnãocontroladapela

Uniãofaçaagestãodacontabancáriaespecíficadotermo;

XVII­afaculdadedospartícipesrescindiremoinstrumento,aqualquertempo;

XVIII­aprevisãodeextinçãoobrigatóriadoinstrumentoemcasodeoprojetobásicooutermodereferência

nãoteremsidoaprovadosouapresentadosnoprazoestabelecido,quandoforocaso;

XIX­aindicaçãodoforoparadirimirasdúvidasdecorrentesdaexecuçãodosinstrumentos;

XX­aobrigaçãodeoconvenenteinserircláusulanoscontratoscelebradosparaexecuçãodoinstrumento quepermitamolivreacessodosservidoresdoórgãoouentidadepúblicaconcedente,bemcomodosórgãos

decontrole,aosdocumentoseregistroscontábeisdasempresascontratadas,naformadosarts.45e49a51

destaPortaria;

XXI­asujeiçãodoinstrumentoesuaexecuçãoàsnormasdoDecretonº6.170,de25dejulhode2007,bem

comodoDecretonº93.872,de23dedezembrode1986,eaestaPortaria;

XXII­aprevisãode,naocorrênciadecancelamentoderestosapagar,queoquantitativopossaserreduzido

atéaetapaquenãoprejudiqueafuncionalidadedoobjetopactuado;

XXIII­aformadeliberaçãodosrecursosoudesbloqueio,quandosetratardecontratoderepasse;

XXIV­aobrigaçãodeprestarcontasdosrecursosrecebidosnoSICONV;

XXV­obloqueioderecursosnacontacorrentevinculada,quandosetratardecontratoderepasse;

XXVI ­ a responsabilidade solidária dos entes consorciados, nos instrumentos que envolvam consórcio público;

XXVII­oprazoparadevoluçãodossaldosremanescenteseaapresentaçãodaprestaçãodecontas;

XXVIII­asobrigaçõesdaunidadeexecutora,quandohouver;

XXIX­aautorizaçãodoconvenenteparaqueoconcedenteoumandatáriasolicitemjuntoàinstituição financeira albergante da conta corrente específica, a transferência dos recursos financeiros por ele

06/02/2017

PORTARIAINTERMINISTERIALNº424,DE30DEDEZEMBRODE2016

repassados, bem como os seus rendimentos, para a conta única da União, caso os recursos não sejam

utilizadosnoobjetodatransferênciapeloprazode180(centoeoitenta)dias;

XXX­aformaeametodologiadecomprovaçãodocumprimentodoobjeto;

XXXI ­ a obrigação do concedente de dispor de condições e de estrutura para o acompanhamento e verificaçãodaexecuçãodoobjetoeocumprimentodosprazosrelativosàprestaçãodecontas;

XXXII­vedaçãoaoestabelecimento,porpartedoconvenente,deinstrumentoscomentidadesimpedidasde

receberrecursosfederais;

XXXIII­aautorizaçãodoconvenenteparaqueoconcedentesolicite,àinstituiçãofinanceiraalberganteda contacorrentebancáriadatransferência,oresgatedossaldosremanescentes,noscasosemquenãohouvera

devoluçãodosrecursosnoprazoprevistonoart.60destaPortaria;

XXXIV­aobrigatoriedadedoconcedenteedoconvenentededivulgaremsítioeletrônicoinstitucionalas

informaçõesreferentesavaloresdevolvidos,bemcomoacausadadevolução,noscasosdenãoexecução

totaldoobjetopactuado,extinçãoourescisãodoinstrumento;

XXXV­aobrigaçãodoconcedenteemnotificaroconvenentepreviamenteainscriçãocomoinadimplente

noSICONV,quandodetectadasimpropriedadesouirregularidadesnoacompanhamentodaexecuçãodo

objetodoinstrumento,devendoserincluídanoavisoarespectivaSecretariadaFazendaousecretariasimilar,

eoPoderLegislativodoórgãoresponsávelpeloinstrumento.

XXXVI­aciênciasobreanãosujeiçãoaosigilobancário,quantoaUniãoerespectivosórgãosdecontrole, porsetratarderecursopúblico;eXXXVII­descriçãodosparâmetrosobjetivosqueservirãodereferência

paraaavaliaçãodocumprimentodoobjeto,nosinstrumentosenquadradosnosníveisIeIV.§1ºTodasas

informações relativas à celebração, execução, acompanhamento, fiscalização e de prestação de contas, inclusive aquelas referentes à movimentação financeira dos instrumentos, serão públicas, exceto nas hipóteseslegaisdesigilofiscalebancárioenassituaçõesclassificadascomodeacessorestrito,consoanteo ordenamentojurídico.

§2ºParaarealizaçãodetransferênciasaEstados,DistritoFederaleMunicípios,osórgãoseentidadesda

AdministraçãoPúblicaFederalsomentepoderãocelebrarinstrumentoscontendocláusulaqueobrigueo

convenenteaocumprimentodasnormasdoDecretonº7.983,de2013,naslicitaçõesquerealizarparaa

contrataçãodeobrasouserviçosdeengenhariacomosrecursostransferidos.

Art.28.AexecuçãodosobjetosdefinidosnosinstrumentosdequetrataestaPortaria,nocasodoconvenente

serórgãopúblico,poderárecairsobreunidadeexecutoraespecífica,desdeque:

I­hajaprevisãonoplanodetrabalhoaprovado;

II­existacláusulanessesentidonoinstrumentocelebrado;eIII­aunidadeexecutorapertençaouesteja

vinculadaaoentedafederaçãodoconvenente.

§1ºNocasodescritonocaput,oconvenentecontinuaráresponsávelpelaexecuçãodoinstrumento,sendo

queaunidadeexecutoraresponderásolidariamentenarelaçãoestabelecida.

§ 2º Quando constatado o desvio ou malversação de recursos públicos, irregularidade na execução do contratoougestãofinanceiradoinstrumento,responderãosolidariamenteostitularesdoconvenenteeda unidadeexecutora,namedidadeseusatos,competênciaseatribuições.

§3ºAresponsabilizaçãoprevistanos§§1ºe2ºdeveráconstarnoinstrumentocelebrado,comocláusula

necessária.

§4ºAunidadeexecutoradeveráatenderatodososdispositivosdestaPortariaquesejamaplicáveisao

convenente,inclusiveosrequisitosdecadastramentoecondiçõesdecelebração.

06/02/2017

PORTARIAINTERMINISTERIALNº424,DE30DEDEZEMBRODE2016

§5ºOsempenhoseacontabancáriadoinstrumentodeverãoserrealizadosouregistradosemnomedo

convenente.

§6ºOsatoseprocedimentosrelativosàexecuçãoserãorealizadosnoSICONVpeloconvenenteouunidade

executora,nocasoprevistonocaput,conformedefiniçãonoplanodetrabalho.

§7ºOsconvenentesserãoresponsáveispeloacompanhamento,fiscalizaçãoeprestaçãodecontasquandoo

objetodoinstrumentorecairsobreunidadeexecutoraespecífica.

Art.29.Oconcedenteouamandatáriadeverãocancelarospré­empenhoseempenhosdaspropostasquenão

tiveramosinstrumentoscelebradosatéofinaldoexercíciofinanceiro.

Parágrafoúnico.Apósocancelamentodosdocumentosorçamentáriosindicadosnocaput,aspropostas

deverãoserrejeitadasnoSICONV,devendoconstarjustificativaexpressaacercadosmotivosdarejeição.

CAPÍTULOIII

DAANÁLISEEASSINATURADOTERMO

Art.30.Acelebraçãodoinstrumentoseráprecedidadeanáliseemanifestaçãoconclusivapelossetores

técnicoejurídicodoórgãooudaentidadeconcedente,segundosuasrespectivascompetências,quantoao

atendimentodasexigênciasformais,legaiseconstantesdestaPortaria.

Parágrafoúnico.Aanálisedossetoresindicadosnocaputficarárestritaaosaspectostécnicoselegais

necessáriosàcelebraçãodoinstrumentoeaoscritériosobjetivosdefinidosnosinstrumentos,nãocabendo

responsabilizaçãodostécnicospelaincidênciadeimpropriedades,inconformidadeseilegalidadespraticadas

pelosconvenentesduranteaexecuçãodoobjetodoinstrumento.

Art.31.Assinarão,obrigatoriamente,oinstrumentoospartícipeseointerveniente,sehouver.

§1ºOsinstrumentoscomentidadesprivadassemfinslucrativosdeverãoserassinadospeloMinistrode

EstadooupelodirigentemáximodaentidadedaAdministraçãoPúblicaFederalconcedente.

§2ºOMinistrodeEstadoeodirigentemáximodaentidadedaAdministraçãoPúblicaFederalnãopoderão

delegaracompetênciaprevistano§1ºdesteartigo.

§3ºAsautoridadesdequetratao§1ºdesteartigosãoresponsáveispor:

I­decidirsobreaaprovaçãodaprestaçãodecontas;e

II­autorizarasuspensãooucancelamentodosregistrosdeinadimplêncianossistemasdaAdministração

PúblicaFederal.

§4ºAcompetênciaprevistano§3ºpoderáserdelegadaàsautoridadesdiretamentesubordinadasàquelasa

queserefereo§1º,vedadaasubdelegação.

CAPÍTULOIV

DAPUBLICIDADE

Art.32.AeficáciadosinstrumentosficacondicionadaàpublicaçãodorespectivoextratonoDiárioOficial

daUnião,queseráprovidenciadapeloconcedente,noprazodeaté20(vinte)diasacontardesuaassinatura.

Art. 33. Aos atos de celebração, alteração, liberação de recursos, acompanhamento e fiscalização da execuçãoeaprestaçãodecontasdosinstrumentosserádadapublicidadeemsítioeletrônicoespecífico denominadoPortaldosConvênios.

Art.34.Oconcedentenotificará,facultadaacomunicaçãopormeioeletrônico,noprazodeaté10(dez)dias,

acelebraçãodoinstrumentoàAssembleiaLegislativaouàCâmaraLegislativaouàCâmaraMunicipaldo

convenente,conformeocaso.

06/02/2017

PORTARIAINTERMINISTERIALNº424,DE30DEDEZEMBRODE2016

Paragrafoúnico.Nocasodeliberaçãoderecursos,oprazoparanotificação,facultadaacomunicaçãopor

meioeletrônico,seráde2(dois)diasúteis.

Art.35.Osconvenentesdeverãodarciênciadacelebraçãodoinstrumentoaoconselholocalouinstânciade

controlesocialdaáreavinculadaaoprogramadegovernoqueoriginouatransferência,quandohouver.

Parágrafo único. As entidades privadas sem fins lucrativos deverão notificar, se houver, o conselho municipal,distrital,estadualoufederalresponsávelpelarespectivapolíticapúblicaondeseráexecutadaa ação.

CAPÍTULOV

DAALTERAÇÃO

Art.36.Oinstrumentopoderáseralteradomedianteproposta,devidamenteformalizadaejustificada,aser

apresentadaaoconcedenteouamandatáriaem,nomínimo,30(trinta)diasantesdotérminodesuavigência

ounoprazoneleestipulado,vedadaaalteraçãodoobjetoaprovado.

§ 1º A análise da solicitação de alteração deverá ser realizada pelo concedente ou pela mandatária observadososregramentoslegaiseatempestividade,deformaquenãohajaprejuízoaexecuçãodoobjeto pactuado.

§2ºQuandoasolicitaçãodealteraçãodocontratoderepasseresultaremacréscimodovalorpactuado,a

aprovaçãodependerá,também,daanuênciadoórgãoresponsávelpelaconcepçãodapolíticapúblicaem

execução.

Art.37.Aprorrogação"deofício"davigênciadoinstrumento,estabelecidanoincisoVIdoart.27desta

Portaria,prescindedepréviaanálisedaáreajurídicadoconcedenteoudamandatária.

TÍTULOIV

DAEXECUÇÃO

CAPÍTULOI

DASDISPOSIÇÕESGERAIS

Art.38.Oinstrumentodeveráserexecutadoemestritaobservânciaàscláusulasavençadaseàsnormas

pertinentes,inclusiveestaPortaria,sendovedado:

I­realizardespesasatítulodetaxadeadministração,degerênciaousimilar;

II­pagar,aqualquertítulo,servidorouempregadopúblico,integrantedequadrodepessoaldoórgãoou entidade pública da Administração direta ou indireta, salvo nas hipóteses previstas em leis federais específicasenaLeideDiretrizesOrçamentárias;

III ­ utilizar, ainda que em caráter emergencial, os recursos para finalidade diversa da estabelecida no instrumento;

IV­realizardespesaemdataanterioràvigênciadoinstrumento;

V­efetuarpagamentoemdataposterioràvigênciadoinstrumento,salvoseofatogeradordadespesatenha

ocorridoduranteavigênciadoinstrumentopactuado;

VI­realizardespesascomtaxasbancárias,multas,jurosoucorreçãomonetária,inclusivereferentesa

pagamentosourecolhimentosforadosprazos,exceto,noqueserefereàsmultaseaosjuros,sedecorrentes

deatrasonatransferênciaderecursospeloconcedenteoumandatária,edesdequeosprazosparapagamento

eospercentuaissejamosmesmosaplicadosnomercado;

06/02/2017

PORTARIAINTERMINISTERIALNº424,DE30DEDEZEMBRODE2016

VII­transferirrecursosparaclubes,associaçõesdeservidoresouquaisquerentidadescongêneres,exceto

paracrecheseescolasparaoatendimentopré­escolar;

VIII­realizardespesascompublicidade,salvoadecarátereducativo,informativooudeorientaçãosocial,da

qualnãoconstemnomes,símbolosouimagensquecaracterizempromoçãopessoaledesdequeprevistasno

planodetrabalho;e

IX­pagamento,aqualquertítulo,aempresasprivadasquetenhamemseuquadrosocietárioservidorpúblico

daativa,ouempregadodeempresapública,oudesociedadedeeconomiamista,doórgãocelebrante,por

serviçosprestados,inclusiveconsultoria,assistênciatécnicaouassemelhados.

§1ºNoâmbitodeinstrumentosfirmadoscomentidadesprivadassemfinslucrativospoderãoserrealizadas

despesasadministrativas,comrecursostransferidospelaUnião,atéolimitefixadopeloórgãopúblico,desde

que:

I­estejamprevistasnoplanodetrabalho;

II­nãoultrapassem15%(quinze)porcentodovalordoobjeto;e

III­sejamnecessáriaseproporcionaisaocumprimentodoobjetodoinstrumento.

§2ºConsideram­sedespesasadministrativasasdespesascominternet,transporte,aluguel,telefone,luz,água

eoutrassimilares.

§3ºNasdespesasadministrativasrelacionadasatransporte,nãopoderáhaverprevisãodepagamentode

diáriasepassagensaagentepúblicodaativaporintermédiodeconvêniosouinstrumentoscongêneres

firmadoscomentidadesdedireitoprivadooucomórgãosouentidadesdedireitopúblico.

§4ºQuandoadespesaforpagacomrecursosdoinstrumentoedeoutrasfontes,oconvenentedeveráinserir

noSiconvamemóriadecálculodorateiodadespesa,sendovedadaaduplicidadeouasobreposiçãode

fontesderecursosnocusteiodeumamesmaparceladadespesa.

Art.39.Nosinstrumentosfirmadoscomentidadesprivadassemfinslucrativos,épermitidaaremuneração

daequipedimensionadanoplanodetrabalho,inclusivedepessoalprópriodaentidade,podendocontemplar despesas com pagamentos de tributos, FGTS, férias e décimo terceiro salário proporcionais, verbas rescisóriasedemaisencargossociais,desdequetaisvalores:

I­correspondamàsatividadesprevistaseaprovadasnoplanodetrabalho;

II­correspondamàqualificaçãotécnicaparaaexecuçãodafunçãoaserdesempenhada;

III­sejamcompatíveiscomovalordemercadodaregiãoondeatuaaentidadeprivadasemfinslucrativos;

IV­observem,emseuvalorbrutoeindividual,70%(setenta)porcentodolimiteestabelecidoparaa

remuneraçãodeservidoresdopoderexecutivofederal;e

V­sejamproporcionaisaotempodetrabalhoefetivamentededicadoaoinstrumentooucontratoderepasse.

§1ºAseleçãoecontratação,pelaentidadeprivadasemfinslucrativos,deequipeenvolvidanaexecuçãodo

instrumento ou contrato de repasse observará a realização de processo seletivo prévio, observadas a publicidadeeaimpessoalidade.

§2ºAdespesacomaequipeobservaráoslimitespercentuaismáximosaseremestabelecidosnoeditalde

chamamentopúblico.

§3ºAentidadeprivadasemfinslucrativosdeverádaramplatransparênciaaosvalorespagos,demaneira

individualizada, a título de remuneração de sua equipe de trabalho vinculada à execução do objeto do instrumento.

06/02/2017

PORTARIAINTERMINISTERIALNº424,DE30DEDEZEMBRODE2016

§ 4º Não poderão ser contratadas com recursos do instrumento as pessoas naturais que tenham sido condenadasporcrime:

I­contraaAdministraçãoPúblicaouopatrimôniopúblico;

II­eleitorais,paraosquaisaleicominepenaprivativadeliberdade;ou

III­delavagemouocultaçãodebens,direitosevalores.

§5ºAinadimplênciadaentidadeprivadasemfinslucrativosemrelaçãoaosencargostrabalhistas,fiscaise

comerciaisnãotransfereàAdministraçãoPúblicaaresponsabilidadeporseupagamento,nempoderáonerar

oobjetodoinstrumento.

§ 6º Quando a despesa com a remuneração da equipe for paga proporcionalmente com recursos do instrumento,aentidadeprivadasemfinslucrativosdeveráinserirnoSICONVamemóriadecálculodo rateiodadespesa,vedadaaduplicidadeouasobreposiçãodefontesderecursosnocusteiodeumamesma parceladadespesa.

Art.40.Osconvenentesdeverãodisponibilizar,emseusítiooficialnainternetou,nasuafalta,emsuasede,

emlocaldefácilvisibilidade,consultaaoextratodoinstrumentoououtroinstrumentoutilizado,contendo,

pelomenos,oobjeto,afinalidade,osvaloreseasdatasdeliberaçãoeodetalhamentodaaplicaçãodos

recursos,bemcomoascontrataçõesrealizadasparaaexecuçãodoobjetopactuado.

Parágrafoúnico.Paraefeitododispostonocaput,adisponibilizaçãodoextratonainternetpoderásersuprida

comainserçãodelinknapáginaoficialdoórgãoouentidadeconvenentequepossibiliteacessodiretoao

PortaldeConvênios.

Art.41.Aliberaçãoderecursosdeveráocorrerdaseguinteforma:

I ­ exceto nos casos de instrumento com parcela única, o valor do desembolso a ser realizado pelo

concedenteoupelamandatáriareferenteàprimeiraparcela,nãopoderáexcedera20%(vinteporcento)do

valorglobaldoinstrumento;

II­aliberaçãodaprimeiraparcelaouparcelaúnicaficarácondicionadaao:

a)enviopelamandatáriaehomologaçãopeloconcedentedaSíntesedoProjetoAprovado­SPAquandoo objetodoinstrumentoenvolveraexecuçãodeobraseserviçoseengenhariaenquadradosnosincisosIIeIII

doart.3ºdestaPortaria;e

b)conclusãodaanálisetécnicaeaceitedoprocessolicitatóriopeloconcedenteoumandatária;e

III­aliberaçãodasdemaisparcelas,estácondicionadaaexecuçãodenomínimo70%(setentaporcento)

dasparcelasliberadasanteriormente.

§1ºOcronogramadedesembolsoprevistonoplanodetrabalhodeveráestaremconsonânciacomasmetase

fasesouetapasdeexecuçãodoobjetodoinstrumento.

§ 2º Após a comprovação da homologação do processo licitatório pelo convenente, o cronograma de

desembolso deverá ser ajustado em observação ao grau de execução estabelecido no referido processo

licitatório.

§3ºFicavedadooadiantamentodeparcelasnoscasosdeexecuçãodeobraseserviçosdeengenharia

enquadradosnoincisoIIIdoart.3ºdestaPortaria.

§4ºOsrecursosdosconvêniosserãodepositadosegeridosnacontabancáriaespecíficadoinstrumento,

exclusivamenteeminstituiçõesfinanceirasoficiaisfederaisouestaduais,e,nocasodecontratosderepasse,

exclusivamenteporinstituiçãofinanceirafederal.

§5ºOsrecursosdequetratao§4ºdesteartigo,enquantonãoutilizados,serãoaplicadosconformedisposto

noart.116,§4º,daLeinº8.666,de21dejunhode1993.

06/02/2017

PORTARIAINTERMINISTERIALNº424,DE30DEDEZEMBRODE2016

§ 6° A conta corrente específica será nomeada fazendo­se menção ao instrumento de celebração do instrumentoeestaráregistradacomonúmerodeinscriçãonoCadastroNacionaldaPessoaJurídica­CNPJ doórgãooudaentidadeconvenente.

§7ºOórgãoouentidadeconcedentedeverásolicitarjuntoàinstituiçãofinanceiraalbergantedaconta

corrente específica, a transferência dos recursos financeiros por ele repassados, bem como os seus rendimentos,paraacontaúnicadaUnião,casoosrecursosnãosejamutilizadosnoobjetodatransferência

peloprazode180(centoeoitenta)dias.

§8ºNahipótesedeinexistênciadeexecuçãofinanceiraapós180(centoeoitenta)diasdaliberaçãoda

primeiraparcelaoinstrumentodeveráserrescindido.

§9ºAexecuçãofinanceiramencionadano§8ºserácomprovada:

I­noscasosdeaquisiçãodebens,pelacomprovaçãodarealizaçãodadespesa,verificadapelaquantidade

parcialentregue,atestadaeaferida;e

II­noscasosderealizaçãodeserviçoseobras,pelaverificaçãodarealizaçãoparcialcomamedição

correspondenteatestadaeaferida.

§10NatransferênciaàcontaúnicadaUnião,nostermosdo§7ºdesteartigo,observar­se­áomontante

efetivamentetransferidopelaUniãoenãoutilizadonaexecuçãodoobjeto,acrescidodosrendimentosdesua

aplicaçãofinanceira.

§11Quandodaconclusão,denúncia,rescisãoouextinçãodoinstrumento,osrendimentosdasaplicações

financeirasdeverãoserdevolvidosaoconcedente,observadaaproporcionalidade.

§12Évedadooaproveitamentoderendimentosparaampliaçãoouacréscimodemetasaoplanodetrabalho

pactuado.

§13Asreceitasoriundasdosrendimentosdeaplicaçãonomercadofinanceironãopoderãosercomputadas

comocontrapartidadevidapeloconvenente.

§14Ascontasreferidasno§4ºdesteartigoserãopreferencialmenteisentasdacobrançadetarifasbancárias.

§15Évedadooiníciodeexecuçãodenovosinstrumentosealiberaçãoderecursosparaoconvenenteque

tiverinstrumentosapoiadoscomrecursosdoGovernoFederalsemexecuçãofinanceiraporprazosuperiora

180(centoeoitenta)dias.

§16OsrecursosdosconvêniosdereceitaserãodepositadosegeridosnaContaÚnicadoTesouroNacional,

eenquantonãoempregadosnasuafinalidade,serãoremuneradospelataxaaplicávelaessaconta.

Art.42.Adicionalmenteaodispostonoart.41destaPortaria,paraorecebimentodecadaparcelados

recursos,oconvenentedeverá:

I­comprovaroaportedacontrapartidapactuadaque,sefinanceira,deveráserdepositadanacontabancária

específicadoinstrumentoemconformidadecomosprazosestabelecidosnocronogramadedesembolso;e

II­estaremsituaçãoregularcomaexecuçãodoplanodetrabalho,comexecuçãodenomínimo70%

(setentaporcento)dasparcelasliberadasanteriormente.

Parágrafo único. A exigência prevista no inciso II do caput é aplicável ao recebimento das parcelas subsequentesàprimeira.

CAPÍTULOII

DACONTRATAÇÃOCOMTERCEIROS

Art.43.Oscontratoscelebradosàcontadosrecursosdosinstrumentosdeverãocontercláusulaqueobrigueo

contratadoaconcederlivreacessoaosdocumentoseregistroscontábeisdaempresa,referentesaoobjeto

06/02/2017

PORTARIAINTERMINISTERIALNº424,DE30DEDEZEMBRODE2016

contratado,paraosservidoresdoórgãoouentidadepúblicaconcedenteedosórgãosdecontroleinternoe

externo.

Art.44.Évedada,nahipótesedeaplicaçãoderecursosfederaisaseremrepassadosmedianteinstrumentos

reguladosporestaPortariaoutermosdeparcerias,aparticipaçãoemlicitaçãoouacontrataçãodeempresas

queconstem:

I­nocadastrodeempresasinidôneasdoTribunaldeContasdaUnião,doMinistériodaTransparência,

FiscalizaçãoeControladoria­GeraldaUnião;

II­noSistemadeCadastramentoUnificadodeFornecedores­SICAFcomoimpedidasoususpensas;ou

III­noCadastroNacionaldeCondenaçõesCivisporAtodeImprobidadeAdministrativaeInelegibilidade,

supervisionadopeloConselhoNacionaldeJustiça.

Parágrafoúnico.OconvenentedeveconsultarasituaçãodofornecedorselecionadonoCadastroNacionalde

EmpresasInidôneaseSuspensas­Ceis,pormeiodeacessoaoPortaldaTransparêncianainternet,antesde

solicitaraprestaçãodoserviçoouaentregadobem.

SEÇÃOI

DACONTRATAÇÃOPORENTIDADESPRIVADASSEMFINSLUCRATIVOS

Art.45.Paraaaquisiçãodebensecontrataçãodeserviços,asentidadesprivadassemfinslucrativosdeverão

realizar,nomínimo,cotaçãopréviadepreçosnomercado,observadososprincípiosdaimpessoalidade,

moralidadeeeconomicidade.

§1ºAcotaçãopréviadepreçosnoSICONVserádesnecessáriaquando,emrazãodanaturezadoobjeto,não

houver pluralidade de opções, devendo comprovar apenas os preços que aquele próprio fornecedor já praticoucomoutrosdemandantes,comadevidajustificativaregistradanoSICONV.

§2ºOregistro,noSICONV,doscontratoscelebradospelobeneficiárionaexecuçãodoobjetoécondição

indispensável para sua eficácia e para a liberação das parcelas subsequentes do instrumento, conforme

previstonosarts.4ºe41destaPortaria.

§3ºNoscasosemqueoSICONVnãopermitiroacessooperacionalparaoprocedimentodequetratao

caput,deveráserrealizadacotaçãopréviadepreços,devendoserfeitooregistroposteriornoSistema.

Art.46.Cadaprocessodecomprasecontrataçõesdebens,obraseserviçosdasentidadessemfinslucrativos

deveráserrealizadoouregistradonoSICONV.

Art.47.Aentidadeprivadasemfinslucrativosbeneficiáriaderecursospúblicosdeveráexecutardiretamente

aintegralidadedoobjeto,permitindo­seacontrataçãodeserviçosdeterceirosquandohouverprevisãono

planoouprogramadetrabalhoouemrazãodefatosupervenienteeimprevisível,devidamentejustificado,

aprovadopeloórgãoouentidadeconcedente.

Art.48.Nascontrataçõesdebens,obraseserviçosasentidadesprivadassemfinslucrativospoderãoutilizar­

sedoSistemadeRegistrodePreços­SRPdosentesfederados.

SEÇÃOII

DACONTRATAÇÃOPORÓRGÃOSEENTIDADESDAADMINISTRAÇÃOPÚBLICA

Art. 49. Os órgãos e entidades públicas que receberem recursos da União por meio dos instrumentos

regulamentadosporestaPortariaestãoobrigadosaobservarasdisposiçõescontidasnaLeinº8.666,de

1993,naLeinº10.520,de17dejunhode2002edemaisnormasfederais,estaduaisemunicipaispertinentes

aoassunto,quandodacontrataçãodeterceiros.

§1ºParaaquisiçãodebenseserviçoscomuns,seráobrigatórioousodamodalidadepregão,nostermosda

Leinº10.520,de2002,edoregulamentoprevistonoDecretonº5.450,de31demaiode2005,sendo

06/02/2017

PORTARIAINTERMINISTERIALNº424,DE30DEDEZEMBRODE2016

utilizadapreferencialmenteasuaformaeletrônica.

§2ºAinviabilidadedautilizaçãodopregãonaformaeletrônicadeveráserdevidamentejustificadapela

autoridadecompetentedoconvenente.

§3ºAsataseasinformaçõessobreosparticipanteserespectivaspropostasdaslicitações,bemcomoas

informaçõesreferentesàsdispensaseinexigibilidades,deverãoserregistradasnoSICONV.

§4ºAcomprovaçãodocumprimentodos§§1ºe2ºdoart.16doDecretonº7.983,de2013,serárealizada

mediantedeclaraçãodorepresentantelegaldoórgãoouentidaderesponsávelpelalicitação,quedeveráser

inseridanoSICONVapósahomologaçãodalicitação.

Art.50.Oseditaisdelicitaçãoparaconsecuçãodoobjetoconveniadosomentepoderãoserpublicadosapósa

assinaturadorespectivoinstrumentoeaceitedoprojetotécnicopeloconcedenteoupelamandatária.

Parágrafoúnico.ApublicaçãodoextratodoeditaldelicitaçãodeveráserfeitanoDiárioOficialdaUnião,

ematendimentoaoincisoIdoart.21,daLeinº8.666,de1993,semprejuízoaousodeoutrosveículosde

publicidadeusualmenteutilizadospeloconvenente.

Art.51.NosinstrumentoscelebradospelaUniãocomestados,DistritoFederalemunicípiosdeveráser

observadoodispostonaLeinº13.019,de31dejulhode2014,epelasnormasestaduais,distritaisou

municipais,noscasosemqueaexecuçãodoobjeto,conformeprevistanoplanodetrabalho,envolver

parceriascomorganizaçõesdasociedadecivil.

CAPÍTULOIII

DOSPAGAMENTOS

Art.52.Osrecursosdeverãosermantidosnacontacorrenteespecíficadoinstrumentoesomentepoderãoser

utilizados para pagamento de despesas constantes do plano de trabalho ou para aplicação no mercado financeiro,nashipótesesprevistasemleiounestaPortaria.

§1ºOsrecursosdestinadosàexecuçãodecontratosderepassedeverãoser:

I­solicitadospelamandatáriasomenteapósaaceitaçãodoprocessolicitatório;e

II­liberadosemcontacorrenteespecíficaemantidosbloqueados,somentesendoautorizadoopagamento, na forma ajustada, após verificação da regular execução do objeto pela mandatária, observando­se os seguintesprocedimentos:

a)naexecuçãoporregimedeexecuçãodireta,aliberaçãodosrecursosrelativosàprimeiraparcelaserá

antecipadaaoconvenentenaformadocronogramadedesembolsoaprovado;e

b)aliberaçãodasegundaparcelaeseguintes,nahipótesedoincisoanterior,ficacondicionadaàaprovação

pelomandatárioderelatóriodeexecuçãocomcomprovaçãodaaplicaçãodosrecursosdaúltimaparcela

liberada.

§2ºOsatosreferentesàmovimentaçãoeaousodosrecursosaqueserefereocaputserãorealizadosou

registradosnoSICONV,observando­seosseguintespreceitos:

I­movimentaçãomediantecontacorrenteespecíficaparacadainstrumento;

II­pagamentosrealizadosmediantecréditonacontacorrentedetitularidadedosfornecedoreseprestadores

deserviços,facultadaadispensadesteprocedimentonosseguintescasos,emqueocréditopoderáser

realizadoemcontacorrentedetitularidadedopróprioconvenente,devendoserregistradonoSICONVo

beneficiáriofinaldadespesa:

a)poratodaautoridademáximadoconcedente;

06/02/2017

PORTARIAINTERMINISTERIALNº424,DE30DEDEZEMBRODE2016

b)naexecuçãodoobjetopeloconvenenteporregimedireto;ec)noressarcimentoaoconvenentepor

pagamentosrealizadosàsprópriascustasdecorrentesdeatrasosnaliberaçãoderecursospeloconcedentee

emvaloresalémdacontrapartidapactuada;e

III­transferênciadasinformaçõesrelativasàmovimentaçãodacontacorrenteespecífica,aqueserefereo incisoIdesteparágrafo,aoSIAFIeaoSICONV,emmeiomagnético,aserprovidenciadapelasinstituições

financeirasaqueserefereo§4ºdoart.41destaPortaria.

§3ºAntesdarealizaçãodecadapagamento,oconvenenteincluiránoSICONV,nomínimo,asseguintes

informações:

I­adestinaçãodorecurso;

II­onomeeCNPJouCPFdofornecedor,quandoforocaso;

III­ocontratoaqueserefereopagamentorealizado;e

V­informaçõesdasnotasfiscaisoudocumentoscontábeis.

§ 4º Excepcionalmente, mediante mecanismo que permita a identificação pela instituição financeira depositária,poderáserrealizadonodecorrerdavigênciadoinstrumento,umúnicopagamentoporpessoa

físicaquenãopossuacontabancária,atéolimitedeR$1.200,00(ummileduzentosreais).

§5ºParaobrasdeengenhariacomvalorsuperioràR$10.000.000,00(dezmilhõesdereais)poderáhaver

liberaçãodorepassederecursosparapagamentodemateriaisouequipamentospostosemcanteiro,que

tenhampesosignificativonoorçamentodaobraconformedisciplinadopeloconcedente,desdeque:

I­sejaapresentadopeloconvenenteTermodeFielDepositário;

II­aaquisiçãodemateriaisouequipamentosconstituaetapaespecíficadoplanodetrabalho;

III­aaquisiçãodestestenhasedadoporprocedimentolicitatóriodistintododacontrataçãodeserviçosde

engenhariaou,nocasodeúnicalicitação:

a)hajaprevisãonoatoconvocatório;

b)opercentualdeBDIaplicadosobreosmateriaisouequipamentostenhasidomenorqueopraticadosobre

osserviçosdeengenharia;

c)hajajustificativatécnicaeeconômicaparaessaformadepagamento;

d) o fornecedor apresente garantia, como carta fiança bancária ou instrumento congênere, no valor do pagamentopretendido;e

IV­hajaadequadoarmazenamentoeguardadosrespectivosmateriaiseequipamentospostosemcanteiro.

§6ºNocasodefornecimentodeequipamentosemateriaisespeciaisdefabricaçãoespecífica,bemcomode

equipamentosoumateriaisquetenhampesosignificativonoorçamentodasobras,odesbloqueiodeparcela para pagamento da respectiva despesa far­se­ á na forma do art. 38 do Decreto nº 93.872, de 1986, observadasasseguintescondições:

I ­ esteja caracterizada a necessidade de adiantar recursos ao fornecedor para viabilizar a produção de materialouequipamentoespecial,foradalinhadeproduçãousual,ecomespecificaçãosingulardestinadaa empreendimentoespecífico;

II ­ os equipamentos ou materiais que tenham peso significativo no orçamento das obras estejam posicionadosnoscanteiros;

III­opagamentoantecipadodasparcelastenhasidoprevistonoeditaldelicitaçãoenoCTEFdosmateriais

ouequipamentos;e

06/02/2017

PORTARIAINTERMINISTERIALNº424,DE30DEDEZEMBRODE2016

IV­ofornecedorouoconvenenteapresentemumacartafiançabancáriaouinstrumentocongênerenovalor

doadiantamentopretendido.

§7ºNocasodeinstrumentosfirmadoscomentidadesprivadassemfinslucrativos,cujoobjetosejaa

produçãodeunidadeshabitacionaisamparadasporrecursosdoFundoNacionaldeHabitaçãodeInteresse Social ­FNHIS, executadas por regime de Administração direta, poderá haver liberação do repasse de recursosparapagamentodemateriaisouequipamentospostosemcanteirodesdequesejaapresentadopelo

convenenteTermodeFielDepositário,observadoo§6ºdoart.12daLeinº11.124,de16dejunhode2005.

CAPÍTULOIV

DOACOMPANHAMENTO

Art.53.Aexecuçãoseráacompanhadaefiscalizadadeformaagarantiraregularidadedosatospraticadose

aplenaexecuçãodoobjeto,respondendooconvenentepelosdanoscausadosaterceiros,decorrentesde

culpaoudolonaexecuçãodoinstrumento.

§1ºOsagentesquefizerempartedociclodetransferênciaderecursossãoresponsáveis,paratodosos

efeitos, pelos atos que praticarem no acompanhamento e fiscalização da execução do instrumento, não cabendo a responsabilização do concedente por inconformidades ou irregularidades praticadas pelos convenentes,salvonoscasosemqueasfalhasdecorreremdeomissãoderesponsabilidadeatribuídaao concedente.

§ 2º Os processos, documentos ou informações referentes à execução de instrumento não poderão ser sonegadosaosservidoresdoórgãoouentidadepúblicaconcedenteedosórgãosdecontroleinternodoPoder ExecutivoFederaleexternodaUnião.

§ 3º Aquele que, por ação ou omissão, causar embaraço, constrangimento ou obstáculo à atuação do

concedenteedosórgãosdecontroleinternoeexternodoPoderExecutivoFederal,nodesempenhodesuas

funçõesinstitucionaisrelativasaoacompanhamentoefiscalizaçãodosrecursosfederaistransferidos,ficará

sujeitoàresponsabilizaçãoadministrativa,civilepenal.

Art. 54. O concedente deverá prover as condições necessárias à realização das atividades de acompanhamento do objeto pactuado, conforme o plano de trabalho e a metodologia estabelecida no instrumento,programandovisitasaolocaldaexecução,quandocouber,observadososseguintescritérios:

I ­ na execução de obras e serviços e engenharia com valores de repasse iguais ou superiores a R$

250.000,00(duzentosecinquentamilreais)einferioresaR$750.000,00(setecentosecinquentamilreais),o

acompanhamentoeaconformidadefinanceiraserãorealizadospormeiodaverificaçãodosdocumentos inseridosnoSICONV,bemcomo,pelasvisitasinloco,realizadasconsiderandoosmarcosdeexecuçãode

50%(cinquentaporcento)e100%(cemporcento)docronogramafísico,podendoocorreroutrasvisitas

quandoidentificadaanecessidadepeloórgãoconcedenteoupelamandatária;

II ­ na execução de obras e serviços e engenharia com valores de repasse iguais ou superiores a R$

750.000,00(setecentosecinquentamilreais),einferioresaR$5.000.000,00(cincomilhõesdereais),o

acompanhamentoeaconformidadefinanceiraserãorealizadospormeiodaverificaçãodosdocumentos

inseridosnoSICONV,bemcomo,visitasinlocorealizadasconsiderandoosmarcosdeexecuçãode30%

(trintaporcento),60%(sessentaporcento)e100%(cemporcento)docronogramafísico,podendoocorrer

outrasvisitasquandoidentificadaanecessidadepeloórgãoconcedente;

III ­ na execução de obras e serviços e engenharia com valores de repasse iguais ou superiores a R$

5.000.000,00(cincomilhõesdereais),oacompanhamentoeaconformidadefinanceirasedarápormeioda

verificaçãodosdocumentosinseridosnoSICONV,bemcomocomprevisãodenomínimo5(cinco)visitas

aolocal,considerandoaespecificidadeeoandamentodaexecuçãodoobjetopactuado;

IV­naexecuçãodecusteioeaquisiçãodeequipamentoscomvaloresderepasseiguaisousuperioresaR$ 100.000,00 (cem mil reais) e inferiores a R$ 750.000,00 (setecentos e cinquenta mil reais), o acompanhamento e a conformidade financeira será realizado por meio da verificação dos documentos

06/02/2017

PORTARIAINTERMINISTERIALNº424,DE30DEDEZEMBRODE2016

inseridos no SICONV, podendo haver visitas ao local quando identificada a necessidade pelo órgão concedente;e

V­naexecuçãodecusteioeaquisiçãodeequipamentoscomvaloresderepasseiguaisousuperioresaR$

750.000,00(setecentosecinquentamilreais),oacompanhamentoeaconformidadefinanceiraserárealizado

por meio da verificação dos documentos inseridos no SICONV, bem como pelas visitas ao local, considerandoaespecificidadedoobjetoajustado.

§1ºNocasoderealizaçãodeobraseserviçosdeengenharia,aexecuçãodeveráocorrer,obrigatoriamente,

pormeiodecontratoderepasse,observadasasexceçõesdoincisoIdoart.9ºdestaPortaria.

§2ºParaosinstrumentosenquadradosnosincisosIIIeVdocaput,évedadaaliberaçãodeduasparcelas

consecutivassemqueoacompanhamentotenhasidorealizadopormeiodevisitasinloco.

§ 3º Na execução de obras e serviços de engenharia, a liberação dos recursos fica condicionada à

apresentaçãopeloconvenentedosboletinsdemediçãocomvalorsuperiora10%(dezporcento)dopiso

mínimodosníveisprevistosnosincisosI,IIeIIIdoart.3ºdestaPortaria.

§4ºNosconvênioscujoobjetosejavoltadoexclusivamenteparaaaquisiçãodeequipamentos,aliberação

dosrecursosdeveráocorrer,preferencialmente,emparcelaúnica.

Art.55.Aexecuçãodoinstrumentoseráacompanhadaporumrepresentantedoconcedenteoumandatária,

registradonoSICONV,queanotaráemregistroprópriotodasasocorrênciasrelacionadasàconsecuçãodo

objeto,adotandoasmedidasnecessáriasàregularizaçãodasfalhasobservadas.

§1ºNoprazomáximode10(dez)diascontadodaassinaturadoinstrumento,oconcedenteouamandatária

deverádesignarformalmenteosservidoresouempregadosresponsáveispeloseuacompanhamento.

§2ºOconcedenteoumandatáriadeveráregistrarnoSICONVosatosdeacompanhamentodaexecuçãodo

objetoefiscalizaçãodoinstrumento,conformedispostonoart.4ºdestaPortaria.

§3ºOconcedenteouamandatária,noexercíciodasatividadesdeacompanhamentodosinstrumentos,

poderão:

I­valer­sedoapoiotécnicodeterceirosque,nocasodosempreendimentosenquadradosnoincisoIIIdoart. 3º desta Portaria, deve ser acompanhado por funcionário do quadro permanente da mandatária, que participarádaequipeeassinaráemconjuntoosdocumentostécnicos;

II­delegarcompetênciaoufirmarparceriascomoutrosórgãosouentidadesquesesituempróximosaolocal

deaplicaçãodosrecursos,comtalfinalidade;e

III­reorientaraçõesedecidirquantoàaceitaçãodejustificativassobreimpropriedadesidentificadasna

execuçãodoinstrumento.

Art.56.Noacompanhamentodaexecuçãodoobjetoserãoverificados:

I­acomprovaçãodaboaeregularaplicaçãodosrecursos,naformadalegislaçãoaplicável;

II ­ a compatibilidade entre a execução do objeto, o que foi estabelecido no plano de trabalho, e os

desembolsosepagamentos,conformeoscronogramasapresentados;

III­aregularidadedasinformaçõesregistradaspeloconvenentenoSICONV;e

IV­ocumprimentodasmetasdoplanodetrabalhonascondiçõesestabelecidas.

Parágrafoúnico.Aconformidadefinanceiradeveráseraferidadurantetodaaexecuçãodoobjeto,devendo

sercomplementadapeloacompanhamentoeavaliaçãodocumprimentodaexecuçãofísicadocumprimento

doobjeto,quandodaanálisedaprestaçãodecontasfinal.

06/02/2017

PORTARIAINTERMINISTERIALNº424,DE30DEDEZEMBRODE2016

Art.57.Oconcedenteouamandatáriacomunicaráaoconvenentequaisquerirregularidadesdecorrentesdo

usodosrecursosououtraspendênciasdeordemtécnica,apuradosduranteaexecuçãodoinstrumento,e

suspenderãoaliberaçãodosrecursos,fixandoprazode45(quarentaecinco)diasparasaneamentoou

apresentaçãodeinformaçõeseesclarecimentos,podendoserprorrogadoporigualperíodo.

§1ºRecebidososesclarecimentoseinformaçõessolicitados,oconcedenteoumandatária,noprazode45

(quarenta e cinco) dias, apreciará, decidirá e comunicará quanto à aceitação ou não das justificativas apresentadase,seforocaso,realizaráaapuraçãododanoaoerário.

§2ºCasoasjustificativasnãosejamacatadas,oconcedenteabriráprazode45(quarentaecinco)diasparao

convenenteregularizarapendênciae,havendodanoaoerário,deveráadotarasmedidasnecessáriasao

respectivoressarcimento.

§3ºAutilizaçãodosrecursosemdesconformidadecomopactuadonoinstrumentoensejaráobrigaçãodo

convenentedevolvê­losdevidamenteatualizados,conformeexigidoparaaquitaçãodedébitosparacoma FazendaNacional,combasenavariaçãodaTaxaReferencialdoSistemaEspecialdeLiquidaçãoede Custódia­SELIC,acumuladamensalmente,atéoúltimodiadomêsanterioraodadevoluçãodosrecursos,

acrescidoessemontantede1%(umporcento)nomêsdeefetivaçãodadevoluçãodosrecursosàcontaúnica

doTesouro.

§4ºParafinsdeefetivaçãodadevoluçãodosrecursosàUnião,aparceladeatualizaçãoreferenteàvariação

daSELICserácalculadaproporcionalmenteàquantidadedediascompreendidaentreadatadaliberaçãoda

parcelaparaoconvenenteeadatadeefetivocrédito,nacontaúnicadoTesouro,domontantedevidopelo

convenente.

§5ºApermanênciadairregularidadeapósoprazoestabelecidono§2ºdesteartigo,ensejaráoregistrode

inadimplência no SICONV e, no caso de dano ao erário, a imediata instauração de tomada de contas especial.

§ 6º As comunicações elencadas no caput e nos §§ 1º e 2º deste artigo serão realizadas por meio de correspondênciacomavisoderecebimento­AR,devendoanotificaçãoserregistradanoSICONV,eem ambososcasoscomcópiaparaarespectivaSecretariadaFazendaousecretariasimilar,eparaoPoder Legislativodoórgãoresponsávelpeloinstrumento.

Art.58.OconcedentedeverácomunicarosMinistériosPúblicosFederaleEstadualeàAdvocacia­Geralda

Uniãoquandodetectadosindíciosdecrimeouatodeimprobidadeadministrativa.

CAPÍTULOV

DAPRESTAÇÃODECONTAS

Art.59.OórgãoouentidadequereceberrecursosnaformaestabelecidanestaPortariaestarásujeitoaprestar

contasdasuaboaeregularaplicação,observando­seoseguinte:

I­aprestaçãodecontasinicia­seconcomitantementecomaliberaçãodaprimeiraparceladosrecursos

financeirosquedeveráserregistradapeloconcedentenoSICONV;

II­oregistroeaverificaçãodaconformidadefinanceira,parteintegrantedoprocessodeprestaçãode contas,deverãoserrealizadosdurantetodooperíododeexecuçãodoinstrumento,conformedispostonoart.

56destaPortaria;

III­oprazoparaapresentaçãodaprestaçãodecontasfinalserádeaté60(sessenta)diasapósoencerramento

davigênciaouaconclusãodaexecuçãodoobjeto,oqueocorrerprimeiro;e

IV­oprazomencionadonoincisoIIIconstarádoinstrumento.

§1ºQuandoaprestaçãodecontasnãoforencaminhadanoprazoestabelecidonoinstrumento,oconcedente

estabeleceráoprazomáximode45(quarentaecinco)diasparasuaapresentação.

06/02/2017

PORTARIAINTERMINISTERIALNº424,DE30DEDEZEMBRODE2016

§2ºParaosinstrumentosemquenãotenhahavidoqualquerexecuçãofísica,nemutilizaçãodosrecursos,o

recolhimentoàcontaúnicadoTesourodeveráocorrersemaincidênciadosjurosdemora,semprejuízoda

restituiçãodasreceitasobtidasnasaplicaçõesfinanceirasrealizadas.

§3ºSe,aotérminodoprazoestabelecido,oconvenentenãoapresentaraprestaçãodecontasnemdevolver

osrecursosnostermosdo§2ºdesteartigo,oconcedenteregistraráainadimplêncianoSICONVporomissão

dodeverdeprestarcontasecomunicaráofatoaoórgãodecontabilidadeanalíticaaqueestivervinculado,

parafinsdeinstauraçãodetomadadecontasespecialsobaqueleargumentoeadoçãodeoutrasmedidaspara

reparaçãododanoaoerário,sobpenaderesponsabilizaçãosolidária.

§4ºCabeaorepresentantelegaldaentidadesemfinslucrativos,aoprefeitoeaogovernadorsucessorprestar

contasdosrecursosprovenientesdeinstrumentosfirmadospelosseusantecessores.

§5ºNaimpossibilidadedeatenderaodispostono§4º,deveráserapresentadoaoconcedentejustificativas

quedemonstremoimpedimentodeprestarcontaseasmedidasadotadasparaoresguardodopatrimônio

público.

§ 6º Quando a impossibilidade de prestar contas decorrer de ação ou omissão do antecessor, o novo administradorsolicitaráaoconcedenteainstauraçãodetomadadecontasespecial.

§7ºOsdocumentosquecontenhamasjustificativasemedidasadotadasserãoinseridosnoSICONV.

§8ºNocasodeoconvenenteserórgãoouentidadepública,dequalqueresferadegoverno,aautoridade

competente,aosercomunicadadasmedidasadotadas,suspenderádeimediatooregistrodainadimplência,

desdequeoadministradorsejaoutroquenãoofaltoso,esejaatendidoodispostonos§§5º,6ºe7ºdeste

artigo.

§9ºOsconvenentesdeverãosernotificadospreviamentesobreasirregularidadesapontadas,devendoser

incluídanoavisoarespectivaSecretariadaFazendaousecretariasimilar,eoPoderLegislativodoórgão

responsávelpeloinstrumento.

§10.Anotificaçãoprévia,previstano§9ºdesteartigo,seráfeitapormeiodecorrespondênciacomavisode

recebimento­AR,comcópiaparaarespectivaSecretariadaFazendaousecretariasimilareparaoPoder

Legislativodoórgãoresponsávelpeloinstrumento,devendoanotificaçãoserregistradanoSICONV.

§11.OregistrodainadimplêncianoSICONVsóseráefetivado45(quarentaecinco)diasapósanotificação

prévia.

Art.60.Ossaldosfinanceirosderecursosderepasseremanescentes,inclusiveosprovenientesdasreceitas

obtidasnasaplicaçõesfinanceirasrealizadas,nãoutilizadasnoobjetopactuado,serãodevolvidosàConta

ÚnicadoTesouro,noprazoimprorrogávelde30(trinta)diasdaconclusão,denúncia,rescisãoouextinçãodo

instrumento,sobpenadaimediatainstauraçãodetomadadecontasespecialdoresponsável,providenciada

pelaautoridadecompetentedoórgãoouentidadeconcedente.

§ 1º A devolução prevista no caput será realizada observando­se a proporcionalidade dos recursos transferidos e os da contrapartida previstos na celebração independentemente da época em que foram aportadospelaspartes.

§2ºNoscasosdedescumprimentodoprazoprevistonocaput,oconcedentedeverásolicitarainstituição

financeiraalbergantedacontacorrenteespecíficadatransferência,adevoluçãoimediata,paraacontaúnica

doTesouroNacional,dossaldosremanescentesdacontacorrenteespecíficadoinstrumento.

§3ºNoscasosemqueadevoluçãoderecursossederemfunçãodanãoexecuçãodoobjetopactuadoou

devidoaextinçãoourescisãodoinstrumento,éobrigatóriaadivulgaçãoemsítioeletrônicoinstitucional,

peloconcedenteeconvenente,dasinformaçõesreferentesaosvaloresdevolvidosedosmotivosquederam

causaàreferidadevolução.

Art.61.Aprestaçãodecontasfinaltemporobjetivoademonstraçãoeaverificaçãoderesultadosedeve

conterelementosquepermitamavaliaraexecuçãodoobjetoeoalcancedasmetasprevistas.

06/02/2017

PORTARIAINTERMINISTERIALNº424,DE30DEDEZEMBRODE2016

Art. 62. A prestação de contas será composta, além dos documentos e informações registradas pelo convenentenoSICONV,peloseguinte:

I­RelatóriodeCumprimentodoObjeto;

II­declaraçãoderealizaçãodosobjetivosaquesepropunhaoinstrumento;

III­comprovantederecolhimentodosaldoderecursos,quandohouver;e

IV ­ termo de compromisso por meio do qual o convenente será obrigado a manter os documentos

relacionadosaoinstrumento,nostermosdo§3ºdoart.4ºdestaPortaria.

§1ºOconcedenteouamandatáriadeveráregistrarnoSI­CONVorecebimentodaprestaçãodecontas.

§2ºAanálisedaprestaçãodecontasparaavaliaçãodocumprimentodoobjeto,seráfeitanoencerramento

do instrumento, cabendo este procedimento ao concedente ou à mandatária com base nas informações

contidasnosdocumentosrelacionadosnosincisosdocaputdesteartigo.

§3ºAconformidadefinanceiradeveráserrealizadaduranteoperíododevigênciadoinstrumento,devendo

constardoparecerfinaldeanálisedaprestaçãodecontassomenteimpropriedadesouirregularidadesnão

sanadasatéafinalizaçãododocumentoconclusivo.

§4ºORelatóriodeCumprimentodoObjetodeveráconterossubsídiosnecessáriosparaaavaliaçãoe

manifestaçãodogestorquantoaefetivaconclusãodoobjetopactuado.

§5ºAanálisedaprestaçãodecontas,alémdoatestedaconclusãodaexecuçãofísicadoobjeto,conteráos

apontamentosrelativosaexecuçãofinanceiranãosanadosduranteoperíododevigênciadoinstrumento.

§ 6º Objetivando a complementação dos elementos necessários à análise da prestação de contas dos instrumentos,poderáserutilizadosubsidiariamentepeloconcedenteoupelamandatária,relatórios,boletins deverificaçãoououtrosdocumentosproduzidospeloMinistérioPúblicooupelaCortedeContas,duranteas atividadesregularesdesuasfunções.

Art.63.Incumbeaoórgãoouentidadeconcedentedecidirsobrearegularidadedaaplicaçãodosrecursos

transferidose,seextinto,aoseusucessor.

Art.64.Aautoridadecompetentedoconcedenteouamandatáriateráoprazodeumano,contadodadatado

recebimento, para analisar a prestação de contas do instrumento, com fundamento no parecer técnico expedidopelasáreascompetentes.

§1ºOprazodeanáliseprevistonocaputpoderáserprorrogadonomáximoporigualperíodo,desdeque

devidamentejustificado.

§2ºAanálisedaprestaçãodecontaspeloconcedenteoupelamandatáriapoderáresultarem:

I­aprovação;

II­aprovaçãocomressalvas,quandoevidenciadaimpropriedadeououtrafaltadenaturezaformaldeque

nãoresultedanoaoerário;ou

III­rejeiçãocomadeterminaçãodaimediatainstauraçãodetomadadecontasespecial.

§3ºNoscasosderejeiçãodaprestaçãodecontasemqueovalordodanoaoeráriosejainferioraR$

5.000,00 (cinco mil reais), o concedente ou a mandatária poderá, mediante justificativa e registro do inadimplementonoCADIN,aprovaraprestaçãodecontascomressalva.

§4ºOatodeaprovaçãodaprestaçãodecontasdeveráserregistradonoSICONV,cabendoaoconcedente

prestardeclaraçãoexpressaacercadocumprimentodoobjetoedequeosrecursostransferidostiveramboae

regularaplicação.

06/02/2017

PORTARIAINTERMINISTERIALNº424,DE30DEDEZEMBRODE2016

§ 5º Caso a prestação de contas não seja aprovada, exauridas todas as providências cabíveis para regularizaçãodapendênciaoureparaçãododano,aautoridadecompetente,sobpenaderesponsabilização solidária,registraráofatonoSICONVeadotaráasprovidênciasnecessáriasàinstauraçãodaTomadade ContasEspecial,composteriorencaminhamentodoprocessoàunidadesetorialdecontabilidadeaque estiverjurisdicionadoparaosdevidosregistrosdesuacompetência.

§6ºFindooprazodequetrataocaput,consideradaeventualprorrogaçãonostermosdo§1º,aausênciade

decisãosobreaaprovaçãodaprestaçãodecontaspeloconcedentepoderáresultarnoregistroderestrição

contábildoórgãoouentidadepúblicareferenteaoexercícioemqueocorreuofato.

CAPITULOVI

DOREGIMESIMPLIFICADO

Art.65.Àcelebração,execução,acompanhamentoeaprestaçãodecontasdosinstrumentosenquadradosnos

incisosIeIVdoart.3ºdestaPortaria,aplicar­se­áoRegimeSimplificado.

Art.66.AaplicaçãodoRegimeSimplificadoimplicanaadoçãodasseguintesmedidas:

I­NívelI:

a)oplanodetrabalhoaprovadodeveráconterparâmetrosobjetivosparacaracterizarocumprimentodo

objeto;

b)ocronogramadedesembolsopoderáestabeleceromontanteda1ªparcelaconsiderandoqueosrecursos

sejamsuficientesparaaexecuçãodos4(quatro)primeirosmeses,limitadoaaté20%(vinteporcento)do

valordoinstrumento;

c)aminutadosinstrumentospoderásersimplificada;

d)évedadaarepactuaçãodemetaseetapas;

e)aapresentaçãodoprocessolicitatóriopeloconvenenteeaceitaçãopeloconcedenteécondiçãoparaa

liberaçãodaprimeiraparceladosrecursos;

f)aautorizaçãodeiníciodeobrasósedaráapósorecebimentodaprimeiraparceladosrecursos;

g)aacompanhamentopeloconcedenteserárealizadopormeiodosdocumentosinseridosnoSICONV,bem

comopelasvisitasinlocorealizadasconsiderandoosmarcosdeexecuçãode50%(cinquentaporcento)e

100% (cem por cento) do cronograma físico, podendo ocorrer outras visitas quando identificada a necessidadepeloórgãoconcedenteoupelamandatária;

h)averificaçãodaexecuçãodoobjetoocorremediantecomprovaçãodacompatibilidadecomoprojetoea

conclusãodafaseouetapaprevistanoplanodetrabalho,semanecessidadedemediçãodeserviçosunitários

executadosquenãocompõemetapaconcluída;

i) a análise da prestação de contas final deverá comprovar os resultados considerando os parâmetros objetivosespecificadosnoplanodetrabalho,apartirdasdefiniçõesconstantesdoprogramadegoverno;

j)asobrasdeconstrução,excetoreformaouobraslineares,deverão,necessariamente,sercontratadaspor

regimedeexecuçãoporpreçoglobal;

k)paraaaprovaçãodaprestaçãodecontas,oconcedentedeveráconsideraroatingimentodosresultados

propostos,alémdeeventuaisapontamentosocorridosduranteaconformidadefinanceiranãosanadosatéo

finaldavigênciadoinstrumento;e

II­NívelIV:

a)oplanodetrabalhoaprovadodeveráconterparâmetrosobjetivosparacaracterizaraentregadoobjeto;

06/02/2017

PORTARIAINTERMINISTERIALNº424,DE30DEDEZEMBRODE2016

b)oconcedentedeveráavaliarapossibilidadedeseestabelecerparcelaúnicaparaliberaçãodosrecursos;

c)aminutadosinstrumentospoderásersimplificada;

d)otermodereferênciadeveráseraprovadopreviamenteàcelebraçãodosinstrumentos;

e)évedadaarepactuaçãodemetaseetapas;

f)aapresentaçãodoprocessolicitatóriopeloconvenenteeaprovaçãopeloconcedenteécondiçãoparaa

liberaçãodosrecursos;

g)oacompanhamentoserárealizadopormeiodosdocumentosinseridosnoSICONV,podendohavervisitas

aolocalquandoidentificadaanecessidadepeloórgãoconcedente;

h)aanálisedaprestaçãodecontasfinaldeverápriorizaraverificaçãodosresultadosatingidos,considerando

osparâmetrosespecificadosnomomentodacelebração;e

Parágrafo único. O Ministério da Transparência, Fiscalização e Controladoria­Geral da União, poderá estabelecercritériosdeamostragemparaanálisedaprestaçãodecontasdosinstrumentoscelebradossobo regimesimplificado.

Art.67.Nocasodeirregularidadesoudedescumprimentopeloconvenentedascondiçõesestabelecidasno

art.66destaPortaria,oconcedenteouamandatáriasuspenderáaliberaçãodasparcelas,atéaregularização

dapendência.

§1ºOconcedenteouàmandatárianotificaráoconvenentecujautilizaçãodosrecursostransferidosfor

consideradairregular,paraqueapresentejustificativanoprazode30(trinta)dias.

§2ºCasonãoaceitasasrazõesapresentadaspeloconvenente,oconcedentefixaráprazode30(trinta)dias

paraadevoluçãodosrecursos,observadoodispostonos§§3ºe4ºdoart.57destaPortaria,enãohavendoa

referidadevolução,providenciaráainstauraçãodaTomadasdeContasEspecial.

CAPÍTULOVII

DADENÚNCIAEDARESCISÃO

Art.68.Oinstrumentopoderáserdenunciadoaqualquertempo,ficandoospartícipesresponsáveissomente

pelasobrigaçõeseauferindoasvantagensdotempoemqueparticiparamvoluntariamentedaavença,não

sendoadmissívelcláusulaobrigatóriadepermanênciaousancionadoradosdenunciantes.

§ 1º Quando da conclusão, denúncia, rescisão ou extinção do instrumento, os saldos financeiros remanescentes,inclusiveosprovenientesdasreceitasobtidasdasaplicaçõesfinanceirasrealizadas,serão devolvidosàcontaúnicadoTesouro,noprazoimprorrogáveldetrintadiasdoevento,sobpenadaimediata instauraçãodetomadadecontasespecialdoresponsável,providenciadapelaautoridadecompetentedoórgão ouentidadetitulardosrecursos.

§2ºEmsendoevidenciadospelosórgãosdecontroleouMinistérioPublicovíciosinsanáveisqueimpliquem

nulidade da licitação realizada, o concedente deverá adotar as medidas administrativas necessárias à recomposiçãodoerárionomontanteatualizadodaparcelajáaplicada,oquepodeincluirareversãoda aprovaçãodaprestaçãodecontaseainstauraçãodeTomadadeContasEspecial,independentementeda comunicaçãodofatoaoTribunaldeContasdaUniãoeaoMinistérioPúblico.

Art.69.Constituemmotivospararescisãodoinstrumento:

I­oinadimplementodequalquerdascláusulaspactuadas;

II­aconstatação,aqualquertempo,defalsidadeouin­correçãodeinformaçãoemqualquerdocumento

apresentado;

III­averificaçãodequalquercircunstânciaqueensejeainstauraçãodetomadadecontasespecial;e

06/02/2017

PORTARIAINTERMINISTERIALNº424,DE30DEDEZEMBRODE2016

IV­aocorrênciadainexecuçãofinanceiramencionadano§8ºdoart.41ecomprovadasegundoinstruídono

§9ºdessemesmoartigo.

Parágrafoúnico.Arescisãodoinstrumento,quandoresultedanoaoerário,ensejaainstauraçãodetomadade contasespecial,excetosehouveradevoluçãodosrecursosdevidamentecorrigidos,semprejuízo,noúltimo caso, da continuidade da apuração, por medidas administrativas próprias, quando identificadas outras irregularidadesdecorrentesdoatopraticado.

CAPÍTULOVIII

DATOMADADECONTASESPECIAL

Art.70.ATomadadeContasEspecialéoprocessoqueobjetivaapurarosfatos,identificarosresponsáveise

quantificarodanocausadoaoErário,visandoaoseuimediatoressarcimento.

§1ºATomadadeContasEspecialsomentedeveráserinstauradadepoisdeesgotadasasprovidências

administrativasacargodoconcedentepelaocorrênciadealgumdosseguintesfatos:

I­aprestaçãodecontasdoinstrumentonãoforapresentadanoprazofixadonoincisoIIIdoart.59,

observadoo§1ºdoreferidoartigodestaPortaria;eII­aprestaçãodecontasdoinstrumentonãofor

aprovadaemdecorrênciade:

a)inexecuçãototalouparcialdoobjetopactuado;

b)desviodefinalidadenaaplicaçãodosrecursostransferidos;

c)impugnaçãodedespesas,serealizadasemdesacordocomasdisposiçõesdotermocelebradooudesta

Portaria;

d)nãoutilização,totalouparcial,dacontrapartidapactuada,nahipótesedenãohaversidorecolhidana

formaprevistano§1ºdoart.60destaPortaria;

e)inobservânciadoprescritono§4ºdoart.41destaPortaria;

f)nãodevoluçãodeeventualsaldoderecursosfederais,apuradonaexecuçãodoobjeto,nostermosdoart.

60destaPortaria;e

g)ausênciadedocumentosexigidosnaprestaçãodecontasquecomprometaojulgamentodocumprimento

doobjetopactuadoedaboaeregularaplicaçãodosrecursos.

§2ºATomadadeContasEspecialseráinstaurada,ainda,pordeterminaçãodosórgãosdecontroleinternoou

doTribunaldeContasdaUnião,nocasodeomissãodaautoridadecompetenteemadotaressamedida.

§3ºAinstauraçãodeTomadadeContasEspecialensejará:

I­ainscriçãodeinadimplênciadorespectivoinstrumentonoSICONV,oqueseráfatorrestritivoanovas transferências de recursos financeiros oriundos do Orçamento Fiscal e da Seguridade Social da União medianteacelebraçãodeinstrumentosreguladosporestaPortaria,nostermosdaalínea"b"doincisoVdo

art.9ºdestaPortaria;e

II ­ o registro daqueles identificados como causadores do dano ao erário na conta "DIVERSOS RESPONSÁVEIS"doSIAFI.

§4ºOsconvenentesdeverãosernotificadospreviamentesobreasirregularidadesapontadas,devendoser

incluídanoavisoarespectivaSecretariadaFazendaousecretariasimilareoPoderLegislativodoórgão

responsávelpeloinstrumento.

§5ºAnotificaçãopréviaseráfeitapormeiodecartaregistradacomdeclaraçãodeconteúdo,comcópiapara

arespectivaSecretariadaFazendaousecretariasimilar,eparaoPoderLegislativodoórgãoresponsávelpelo

instrumento,devendoanotificaçãoserregistradanoSICONV.

06/02/2017

PORTARIAINTERMINISTERIALNº424,DE30DEDEZEMBRODE2016

§6ºOregistrodainadimplêncianoSICONVsópoderáserrealizado45(quarentaecinco)diasapósa

notificaçãoprévia.

Art.71.Nocasodaapresentaçãodaprestaçãodecontasourecolhimentointegraldodébitoimputado,antes

doencaminhamentodaTomadadeContasEspecialaoTribunaldeContasdaUnião,deveráserretiradoo registro da inadimplência no SICONV, procedida a análise da documentação e adotados os seguintes procedimentos:

I­aprovadaaprestaçãodecontasoucomprovadoorecolhimentododébito,oconcedentedeverá:

a)registraraaprovaçãonoSICONV;

b)comunicaraaprovaçãoaoórgãoondeseencontreaTomadadeContasEspecial,visandooarquivamento

doprocesso;

c)registrarabaixadaresponsabilidade;e

d)darconhecimentodofatoaoTribunaldeContasdaUnião,emformadeanexo,quandodaprestaçãode

contasanualdoconcedente;

II­nãoaprovadaaprestaçãodecontas,oconcedentedeverá:

a)comunicarofatoaoórgãoondeseencontreaTomadadeContasEspecialparaqueadoteasprovidências

necessáriasaoprosseguimentodofeito,sobessenovofundamento;e

b)reinscreverainadimplênciadoórgãoouentidadeconvenenteemanterainscriçãoderesponsabilidade.

Art.72.Nocasodaapresentaçãodaprestaçãodecontasourecolhimentointegraldodébitoimputado,apóso

encaminhamentodatomadadecontasespecialaoTribunaldeContasdaUnião,proceder­se­áàretiradado

registrodainadimplência,e:

I­aprovadaaprestaçãodecontasoucomprovadoorecolhimentointegraldodébitoimputado:

a)comunicar­se­áofatoàrespectivaunidadedecontroleinternoquecertificouascontasparaadoçãode

providênciasjuntoaoTribunaldeContasdaUnião;e

b)manter­se­áabaixadainadimplência,bemcomoainscriçãodaresponsabilidadeapurada,quesópoderá

seralteradamediantedeterminaçãodoTribunal;

II­nãosendoaprovadaaprestaçãodecontas:

a)comunicar­se­áofatoàunidadedecontroleinternoquecertificouascontasparaadoçãodeprovidências

juntoaoTribunaldeContasdaUnião;e

b)reinscrever­se­áainadimplênciadoórgãoouentidadeconvenente,observadasasdisposiçõesdos§§4º,5º

e6ºdoart.70destaPortaria,emanter­se­áainscriçãoderesponsabilidade.

TÍTULOV

DASDISPOSIÇÕESFINAIS

Art.73.NacontagemdosprazosestabelecidosnestaPortaria,excluir­se­áodiadoinícioeincluir­se­áodo

vencimento, e considerar­se­ão os dias consecutivos, exceto quando for explicitamente disposto em contrário.

Art.74.Osórgãosresponsáveispelosprogramaseaçõescomprevisãodeexecuçãodescentralizadapormeio

deinstrumentos,deverãobuscarapadronizaçãodosobjetos,comvistasàagilizaçãodeprocedimentose

racionalizaçãonautilizaçãodosrecursos.

06/02/2017

PORTARIAINTERMINISTERIALNº424,DE30DEDEZEMBRODE2016

Art.75.OSICONVdisponibilizaráacesso,comoperfildeconsultaatodasasfuncionalidades,aoTribunal

deContasdaUnião,aoMinistérioPúblicoFederal,aoCongressoNacionaleaoMinistériodaTransparência,

FiscalizaçãoeControladoria­GeraldaUnião.

Art.76.OMinistériodoPlanejamento,DesenvolvimentoeGestãopoderá,pormeiodeinstruçãonormativa,

estabelecerindicadoresdeeficiênciaeeficáciacomvistasasubsidiaraseleçãodosproponentesaptosà

execuçãodaspolíticaspúblicasdaUnião.

Art.77.Todososatosreferentesàcelebração,execução,acompanhamentoefiscalizaçãoeprestaçãode

contasdosinstrumentosdeverãoserrealizadosouregistradosemmóduloespecíficodoSICONV.

Art. 78. Os órgãos e entidades da Administração Pública Federal, repassadores de recursos financeiros

oriundosdoOrçamentoFiscaledaSeguridadeSocialdaUnião,referidosnoart.1ºdestaPortaria,deverão

disponibilizarnoSICONVseusprogramas,projetoseatividades,conformeprevistonoart.5ºdestaPortaria.

Art.79.AsnovasfuncionalidadesdoSICONV,bemcomooutrasalteraçõesdecorrentesdestaPortaria,

deverãoserimplementadasnoSistemadeacordocomocronogramaaserdefinidopeloÓrgãoCentraldo

Sistema.

Art.80.Oscasosomissosserãodirimidosnaformado§4ºdoart.13doDecretonº6.170,de2007.

Art.81.EstaPortariaentraemvigornadatadesuapublicação.

Art.82.FicamrevogadasaPortariaInterministerialMP/MF/CGUnº507,de24denovembrode2011,ea

InstruçãoNormativanº01,de15dejaneirode1997,daSecretariadoTesouroNacional.

DYOGOHENRIQUEDEOLIVEIRA

MinistrodeEstadodoPlanejamento,DesenvolvimentoeGestãoInterino

HENRIQUEDECAMPOSMEIRELLES

MinistrodeEstadodaFazenda

TORQUATOJARDIM

MinistrodeEstadodaTransparência,FiscalizaçãoeControladoria­GeraldaUnião

*EstetextonãosubstituiopublicadonaSeção1,doDOU,em2dejaneirode2017.