Você está na página 1de 16

2

Manual para uso dos programas de Preditores QBRN

Este manual tem por objetivo servir de suporte para operação dos programas de Predição QBRN. Os programas e este manual estão disponíveis no endereço eletrônico abaixo:

1. Preditor Químico e Biológico

Antes de iniciar o programa o operador deve ter algumas informações do incidente:

- Localização do incidente em graus decimais;

- Se o lançamento/incidente foi com emprego de Gerador/Spray;

- Raio da área de liberação em Km;

- Direção para onde o vento vai em graus;

- Velocidade do vento em Km/h;

- Distância da Área de Perigo em Km.

Passo 1: Para iniciar o programa coloque-o em uma pasta e o execute com 2 cliques.

o programa coloque-o em uma pasta e o execute com 2 cliques. Passo 2: digite a

Passo 2: digite a latitude Inicial do Incidente e tecle ENTER. Utilize o caractere ponto (.) como separador de decimais; e Utilize o caractere menos (-) para Latitudes “Sul” ou Longitudes “Oeste”. (Ex: 16,1540 S deve ser escrito como -16.154)

“Oeste”. (Ex: 16,1540 S deve ser escrito como -16.154) Passo 3: entre com a Longitude Inicial

Passo 3: entre com a Longitude Inicial do Incidente e tecle ENTER.

(Ex: 16,1540 S deve ser escrito como -16.154) Passo 3: entre com a Longitude Inicial do

3

Passo 4: Informe se o lançamento foi realizado por Gerador de Aerossol ou Tanque de Spray (1-Sim ou 0-Não) e tecle ENTER.

Aerossol ou Tanque de Spray (1-Sim ou 0-Não) e tecle ENTER. Caso selecionado “1” – digite

Caso selecionado “1” digite os valores Latitude e Longitude finais, conforme Passo 2 e 3, tecle ENTER e siga para o Passo 5; e Caso selecionado “0Siga para Passo 5.

Passo 5: Digite o Raio da Área de lançamento/liberação, em quilômetros e tecle ENTER.

de lançamento/liberação, em quilômetros e tecle ENTER. Passo 6: Digite a Direção para onde o vento

Passo 6: Digite a Direção para onde o vento vai em Graus e tecle ENTER.

a Direção para onde o vento vai em Graus e tecle ENTER. Passo 7: Digite a

Passo 7: Digite a velocidade do vento em Km/h e tecle ENTER.

a Direção para onde o vento vai em Graus e tecle ENTER. Passo 7: Digite a

4

Passo 8: Digite a Distância da Área de Perigo (DHD) e tecle ENTER.

Digite a Distância da Área de Perigo (DHD) e tecle ENTER. Passo 9: O programa irá

Passo 9: O programa irá calcular e gerar o preditor.

Passo 10: Tecle qualquer tecla para sair.

irá calcular e gerar o preditor. Passo 10: Tecle qualquer tecla para sair. Passo 11: Tecle

Passo 11: Tecle qualquer tecla para sair.

5

OBSERVAÇÕES:

1. Na pasta onde se encontra o programa são gerados arquivos com a extensão (kml), que podem ser abertos no Google Earth ou em programas do Sistema de Informação Geográfica (Geographic Information System - GIS);

Geográfica (Geographic Information System - GIS); Área de Lançamento Linha Azul - Área de Perigo 2.
Geográfica (Geographic Information System - GIS); Área de Lançamento Linha Azul - Área de Perigo 2.

Área de Lançamento

Linha Azul - Área de Perigo

2. O Arquivo “Coord.txt” apresenta os dados inseridos e as coordenadas calculadas do preditor.

- Área de Perigo 2. O Arquivo “Coord.txt” apresenta os dados inseridos e as coordenadas calculadas

6

2. Preditor Radiológico

Antes de iniciar o programa o operador deve ter algumas informações do incidente:

- Localização do incidente em graus decimais;

- Tipo de Incidente Radiológico e detalhes;

- Direção para onde o vento vai em graus; e

- Velocidade do vento em Km/h.

Passo 1: Para iniciar o programa coloque-o em uma pasta e execute com 2 cliques.

o programa coloque-o em uma pasta e execute com 2 cliques. Passo 2: digite a latitude

Passo 2: digite a latitude Inicial do Incidente e tecle ENTER. Utilize o caractere ponto (.) como separador de decimais; e Utilize o caractere menos (-) para Latitudes “Sul” ou Longitudes “Oeste”. (Ex: 16,1540 S deve ser escrito como -16.154)

“Oeste”. (Ex: 16,1540 S deve ser escrito como -16.154) Passo 3: entre com a Longitude Inicial

Passo 3: entre com a Longitude Inicial do Incidente e tecle ENTER.

entre com a Longitude Inicial do Incidente e tecle ENTER. Passo 4: entre com letra referente

Passo 4: entre com letra referente ao Tipo de Incidente e tecle ENTER.

com letra referente ao Tipo de Incidente e tecle ENTER. Obs: Há necessidade de sabe se

Obs: Há necessidade de sabe se a Fonte está exposta ou não, o incidente ocorreu com um dispositivo de exposição radiológica ou não, ou o tamanho da Instalação Nuclear. Os passos 5 e 6 dependem da resposta dada neste passo.

7

Passo 5: Digite a Direção para onde o vento vai em Graus e tecle ENTER. (só ocorre em alguns casos)

vai em Graus e tecle ENTER. (só ocorre em alguns casos) Passo 6: Digite a velocidade

Passo 6: Digite a velocidade do vento em Km/h e tecle ENTER. (só ocorre em alguns casos)

vento em Km/h e tecle ENTER. (só ocorre em alguns casos) Passo 7: O programa irá

Passo 7: O programa irá calcular e gerar o preditor.

Passo 8: Tecle qualquer tecla para sair.

ocorre em alguns casos) Passo 7: O programa irá calcular e gerar o preditor. Passo 8:

8

OBSERVAÇÕES:

1. Na pasta onde se encontra o programa são gerados arquivos com a extensão (kml), que podem ser abertos no Google Earth ou em programas do Sistema de Informação Geográfica (Geographic Information System - GIS);

Geográfica (Geographic Information System - GIS); R3 R2 R1 2. O Arquivo “Coord.txt” presenta os dados
Geográfica (Geographic Information System - GIS); R3 R2 R1 2. O Arquivo “Coord.txt” presenta os dados

R3

R2

R1

2. O Arquivo “Coord.txt” presenta os dados inseridos e as coordenadas calculadas do preditor.

System - GIS); R3 R2 R1 2. O Arquivo “Coord.txt” presenta os dados inseridos e as

9

3.

Preditor Nuclear

Antes de iniciar o programa o operador deve ter algumas informações do incidente:

- Localização do incidente em graus decimais;

- Dados de Radiossondagens (rsonda.txt); e

- Dados de Msg QBRN 1 Nuc .

3.1.

Obtendo dados de Radiossondagens

Existe para cada região do País, uma Região de Informação de Voo (FIR - Flight Information Region).

Para se realizar a vetorização há necessidade de obter dados de radiossondagens, que podem ser obtidos nos seguintes endereços eletrônicos:

a. https://ruc.noaa.gov/raobs; Selecione em III Select Stations/Data por Country tecle Continue Data Request;

III Select Stations/Data por Country tecle Continue Data Request ; Selecione o país e tecle Continue

Selecione o país e tecle Continue Data Request;

III Select Stations/Data por Country tecle Continue Data Request ; Selecione o país e tecle Continue

10

Localize o ICAO (SBBV, SBBR

)

do aeródromo responsável pela radiossondagem;

SBBR ) do aeródromo responsável pela radiossondagem; Obs: selecione os dados a partir da linha que

Obs: selecione os dados a partir da linha que inicia com o número 9 (nove).

b. http://weather.uwyo.edu/upperair/sounding.html Selecione em Region> South américa e selecione o aeródromo responsável

Selecione em Region > South américa e selecione o aeródromo responsável

11

Selecione os dados a partir da 1ª linha completa

11 Selecione os dados a partir da 1ª linha completa c. http://bancodedados.cptec.inpe.br Selecione upperair >

Selecione upperair> selecione uma das estações no país que realizam radiossondagens e

copie os dados.

no país que realizam radiossondagens e copie os dados. d.

Este não é o melhor meio de obter-se os dados de radiossondagens por depender de

interpretação e anotação dos dados.

12

Para cada camada selecione o modelo ETA/CPTEC, a rodada, a validade, nível e a área

FIR.

Em camadas selecione Vento em Altitude e Altitude Geopotencial, agora interprete as hastes, setas, rebarbas e bandeirolas e as altitudes.

as hastes, setas, rebarbas e bandeirolas e as altitudes. Após anotar os dados, selecione um outro

Após anotar os dados, selecione um outro nível e colete os dados, realize este procedimento até o ultimo nível.

e. O usuário ainda pode confeccionar sua própria radiossondagem, criando um arquivo

rsonda.txt, com os seguintes parâmetros, conforme abaixo:

1) os dados devem sem inseridos com valores inteiros, dados de altitude em metros, da direção de onde o vento vem em graus, da velocidade do vento em Knots ou m/s e os dados devem estar separados por espaços;

2)

a 1ª linha deve conter dados ao nível do solo; e

3)

as demais linhas de 2000 em 2000m, até 30000m.

Exemplo: rdsonda.txt

deve conter dados ao nível do solo; e 3) as demais linhas de 2000 em 2000m,

13

Passo 1: Obter os dados conforme procedimentos acima descritos salvando-os em um arquivo rdsonda.txt. Para iniciar o programa coloque-o em uma pasta e execute com 2 cliques.

o programa coloque-o em uma pasta e execute com 2 cliques. Passo 2: ao iniciar o

Passo 2: ao iniciar o programa tecle 2x ENTER

2 cliques. Passo 2: ao iniciar o programa tecle 2x ENTER Passo 3 : verifique no

Passo 3: verifique no arquivo rdsonda.txt as colunas (1-10) onde se encontram os dados de altitude, direção, velocidade do vento e a unidade de medida da velocidade do vento e tecle ENTER.

e a unidade de medida da velocidade do vento e tecle ENTER. Passo 4: O programa

Passo 4: O programa irá solicitar os dados da Msg QBRN 2 Nuc e tecle ENTER. Utilize o caractere ponto (.) como separador de decimais; e Utilize o caractere menos (-) para Latitudes “Sul” ou Longitudes “Oeste”. (Ex: 16,1540 S deve ser escrito como -16.154)

o caractere menos (- ) para Latitudes “Sul” ou Longitudes “Oeste”. (Ex: 16,1540 S deve ser

14

Passo 7: O programa irá calcular e gerar o preditor, solicitando a cada passo tecle qualquer tecla para continuar.

Passo 8: Tecle qualquer tecla para sair.

para continuar. Passo 8: Tecle qualquer tecla para sair. Obs: Quando o preditor for composto por

Obs: Quando o preditor for composto por 2 círculos verifique a velocidade do vento efetivo, ser for menor que 8 km/h, serão formados por círculos.

15

OBSERVAÇÕES:

1. Na pasta onde se encontra o programa são gerados arquivos com a extensão (kml), que podem ser abertos no Google Earth ou em programas do Sistema de Informação Geográfica (Geographic Information System - GIS);

Geográfica (Geographic Information System - GIS); Raio da Nuvem - Limites laterais - ZI 2. O

Raio da Nuvem

-

Limites laterais

-

ZI

2. O Arquivo “Coord.txt” presenta os dados inseridos e as coordenadas calculadas do preditor.

- Limites laterais - ZI 2. O Arquivo “Coord.txt” presenta os dados inseridos e as coordenadas

16

CRÍTICAS, BUG’s e SUGESTÕES envie uma mensagem para

Desenvolvido por ST Oliveira Cia DQBRN - 2017