Você está na página 1de 1

BRUNO, Cristina. Museologia e Museus: princpios, problemas e mtodos.

Cadernos de
Sociomuseologia, V. 10. Lisboa, Portugal: ULHT, 1997.

15

Compreende-se, hoje, que a Museologia tem um espao prprio de experimentao, anlise e


sistematizao de seu objeto de estudo. Articula-se em funo dos processos de musealizao
das referncias patrimoniais que tm sido preservadas e tem potencialidade de transform-las
em heranas culturais. Por sua vez, estes processos esto voltados, especialmente, para a
relao entre o Homem (pblico/sociedade) e o Objeto (coleo/patrimnio) em um Cenrio
(museu/territrio).

A partir do exposto, possvel afirmar que a preocupao desta disciplina est centrada em
dois grandes fenmenos. Por um lado, a necessidade de compreender o comportamento
individual e/ou coletivo do Homem frente ao seu patrimnio e, por outro, a potencialidade de
desenvolver mecanismos que possibilitem que, a partir desta relao, o patrimnio seja
transformado em herana e esta, por sua vez, contribua para a necessria construo das
identidades (individual e/ou coletiva).

Considerando que o patrimnio o conjunto dos bens identificados pelo Homem a partir das
suas relaes com o Meio Ambiente e com os outros Homens e a prpria interpretao que ele
faz dessas relaes, constata-se, em um primeiro momento, que o universo museolgico
infinito. Em seguida, cabe separar o alvo de interesse especfico da Museologia e compreender
que outros ramos do conhecimento j se interessam pelos outros aspectos.

16

Neste sentido, salienta-se que esta disciplina trabalha a partir de dois pontos. Em um
segmento, desenvolve processos para o tratamento e preservao da herana patrimonial e,
em outro, tem a responsabilidade de comunicar essa herana em uma perspectiva scio-
educativa. Portanto, o fenmeno de interesse da Museologia est centrado na relao da
sociedade presente com seu patrimnio musealizado.