Você está na página 1de 12

Fechamento de arquivos para Gráfica

Independentemente do resultado obtido, é importante que você saiba que cada gráfica possui
um método de trabalho e é muito útil você contatá-la caso queira obter mais informações sobre
fechamento de arquivos. Este arquivo mostra os principais métodos de fechamento de arquivos
de maneira a minimizar eventuais problemas.

O ideal é que antes de fechar o arquivo, você pergunte ao responsável da Gráfica qual o
método convencional utilizado por eles e como você deve proceder para o envio do arquivo pois
com certeza desta maneira você terá poucos problemas.

Alguns métodos utilizados

TIF: Algumas pessoas exportam o trabalho feito no Corel em formato TIF, que é um
procedimento comum para impressão em jornais e publicações impressas. Para exportar desta
forma é mais fácil do que se imagina:

Clique em Arquivo e depois em Exportar (ou simplesmente aperte Ctrl+E):


Será exibida uma tela parecida com a da imagem acima. Coloque o nome e selecione o tipo de
arquivo, que no nosso caso é TIF. Clique em Exportar e pronto!

EPS: Gera-se um arquivo EPS (Encapsulated Post Script) e envia-se para a gráfica. Com o EPS
é possível definir um cabeçalho da imagem, um nome de usuário, aplicação de gerenciamento
de cores à imagem e uma série de outros fatores. Para gerar um EPS é muito simples e basta
proceder da seguinte forma:

Clique em Arquivo/Exportar (ou Ctrl+E):

Logo em seguida, basta escolher o tipo de arquivo (EPS), colocar o nome e exportar:
PDF: Gerando um PDF você preserva imagens, fontes, gráficos e a formatação de arquivos. No
CorelDraw você pode utilizar estilos de PDF prontos ou criar um novo estilo. Para exportar como
PDF para enviar posteriormente para a gráfica, proceda da seguinte forma:

Clique em Arquivo e depois em Publicar PDF, conforme indica a figura:

Agora, você deve configurar o PDF: em Estilo PDF você deve definir como PDF para pré-
impressão:
Agora, clique na aba Avançadas e configure a saída dos objetos como CMYK:

Preparar para Bureau de serviços: esta forma é bastante simples, mas não se sabe até
onde ela é confiável (pois depende de cada bureau)! O CorelDraw tratará de reunir as fontes
utilizadas e o CDR e caso você queira ele gerará um PDF:

Clique em Arquivo e depois clique em Preparar para bureau de serviços...


O Corel nos mostrará o Assistente. Na primeira tela clique em Avançar:

O Corel selecionará todas as fontes que estamos utilizando no arquivo e nos dará a opção de
copiar estas fontes, conforme a figura:
Selecione a opção Copiar fontes e clique em Avançar:

Agora, caso queira, selecione a opção para Gerar arquivo PDF e clique em Avançar:
Defina o local em que os arquivos serão salvos e clique em Avançar:

O Corel mostrará os arquivos que foram criados! Clique em Concluir e pronto! :) ...

CDR: método bastante usual e recomendado para a maioria dos casos: se a gráfica for de
confiança, este é o método que eu recomendo pois caso haja algum erro o própria pessoal da
gráfica tratará de resolvê-lo. Para gerar um CDR é muito simples: inicia-se com a conversão de
todas as fontes em curva (para evitar problemas com fontes, embora exista uma opção de
incorporar a fonte ao arquivo CDR fazendo com que o bureau não tenha problema de fontes
não-existentes no arquivo enviado) e depois exportar o arquivo:

Converta os textos em curva conforme indica a figura:

Agora, só nos resta salvar o arquivo e enviar para a gráfica! Clique em Arquivo/Salvar
como... Na tela que aparece, indique o caminho do arquivo e seu nome e clique em Salvar:

Caso queira, você pode enviar este CDR para a gráfica diretamente por e-mail. Basta
clicar em Arquivo/Enviar...

Observações importantes:

1. Como você estará enviando um arquivo para impressão, deve-se trabalhar sempre
com o esquema de cores CMYK.

2. Não copie e cole elementos de um programa para outro (Photoshop para Corel por
exemplo) pois este elemento não sairá no fotolito ou terá problemas na criação do
mesmo.
3. Utilize sempre formatos de arquivos que possuem informação para separação de
cores na hora de montar seus arquivos para impressão: os arquivos que possuem estas
informações para separação de cores são TIF, EPS e JPG.

Menu de impressão

Devido ao grande número de opções e recursos existentes no 
Corel Draw, o processo segue muitos e detalhados passos.
 Para fechar uma forma segura, siga as instruções a seguir.
Abra o menu de impressão.
2­ Item “Geral”
Print Style:Selecione “Custom”.
Print to file:Quando a impressora Generic PostScript é corretamente instalada, este item ficará 
automaticamente selecionado.
Clique em “Usar PPD”.
3­ Selecionar arq PPDSelecione o arquivo DGABC.PPD

4­ Item 
“Propriedades do 
PPD” Geral: Clique me tamanho do papel e escolha 
“Tamanho da página personalizada PostScript” escolha o tamanho conforme seu trabalho.
Demais itens: Deixe­os como estão.
5­ Clique no botão “Avançadas”Clique em Resolution e em Alterar configuração de 
“Resolution”
escolha 1200dpi

5­ Item “Layout”:Selecione “Como no documento” e não selecione a opção 
“Imprimirpáginas em ladrilho”.
Layout de Imposição: Selecione “Como no documento (página inteira)”

6­ Item 
“Separações”Não selecione nenhuma opção deste item.
Item “Pré­impressão”Não selecione nenhuma opção deste item.

Item “PostScript”Usar Compactação JPEG: não selecione
Manter Vincilos OPI e Alterar a resolução de vinculos DCS: não selecione
Freqüência de tela: 100 LPI.
Fontes: Carregar fontes type I e converter Tre Type em Type I: Selecione ambos.
Marcas de PDF: Somente página.
Máximo pontos por curva: deixe o padrão
Definir nivelamento como: deixe padrão
Aumento automático de nivelamento; Aumento automático 
de etapas de gradiente: selecione
Otimizar preenchimentos gradientes: não selecione

Item “Miscelânea”Aplicar perfill ICC (Perfil Genérico de impressora CMYK):Deixe 
selecionado.
Imprimir vetores:Deixe selecionado.
Imprimir bitmaps:Deixe selecionado.
Imprimir text: Deixe selecionado.
Totalmente Colorido: Deixe selecionado.
Saída de bitmaps coloridos como: Selecione “CMYK”.
Etapas de gradiente: Digite “512”.
Reamostragem do bitmap para menor: Cor: “250”Tons de Cinza: “250”Monocromático: “600”

Item “Verificação”
Normalmente deverá constar a seguinte mensagem na listagem de verificação: “No momento 
não há problemas a relatar”Alguns avisos, contudo, são considerados normais: quando, por 
exemplo o Corel avisa que se está usando Fontes TrueType ou que uma determinada imagem 
está girada.O que se deve tomar cuidado é quando ocorrerem relatos do tipo “a saída não cabe 
na mídia”. Neste caso, o tamanho definido do papel é menor que o tamanho da página do seu 
trabalho e implica em você retornar aos passos anteriores e verificar se os ajustes foram 
estabelecidos corretamente .O Corel Draw também irá informar, nesta tela, os procedimentos a 
serem tomados para solucionar os problemas que ocorrerem.

Após tudo estar correto, clique em “Visualização de Impressão”.
Janela “Visualização de Impressão”
Nesta tela você tem uma visualização da impressão do seu trabalho, de acordo com as 
configurações definidas nas telas anteriores. Esta tela serve para checar se a página cabe na área 
de impressão, se o preto está com sobreposição (overprint), se será fechado em “composite”, 
etc.Após conferir se está tudo correto, clique em “Fechar”.
Tela “Print” onde: arquivo ou filem,Clique em “Imprimir”.
Será aberta a tela de imprimir para arquivo.
Salvar em: Selecione o diretório em que deseja salvar o arquivo.
Nome do arquivo: Determine o nome do arquivo ou o número da página que identifique o 
trabalho, o iretório onde deseja salva­lo.
Salvar como tipo:Escolha “Arquivo PostScript [.PS]”.
Clique em “Save”.

Como Produzir Arquivos PDF/X-1a

CRIAÇÃO DOS ARQUIVOS POSTSCRIPT

Para que possam ser adequadamente convertidos para PDF/X-1a, os arquivos PostScript
necessariamente devem possuir algumas características particulares. As informações abaixo são
genéricas. Eventualmente, alguns valores podem ser modificados conforme instruções específicas do
fornecedor destinatário do arquivo (bureau de serviços, gráfica, editora, etc).

CARACTERÍSTICAS QUE OS ARQUIVOS POSTSCRIPT DEVEM TER:


• Devem ser do tipo composto (composite).

• Devem ser criados usando a descrição de impressora (PPD) do Acrobat Distiller, versão 4 ou 5, do
tipo genérico (não vinculado à dispositivo).

• Documentos com mais de uma página podem ser salvos em arquivos individuais para cada página,
ou em um único arquivo PostScript, com as múltiplas páginas incluídas na seqüência direta da
numeração. No segundo caso, as páginas em branco (blank pages) devem ser colocadas no
documento de paginação da obra e incluídas no arquivo PostScript.

• Todos os elementos das páginas (inclusive imagens e ilustrações) devem utilizar somente cores
CMYK.

• Versões definitivas, de alta resolução (hires) das imagens devem ser incorporadas integralmente
aos arquivos PS.

• As marcas de corte (crop marks ou trim marks) devem necessariamente ser incorporadas no
arquivo. Em programas que ofereçam opção de personalização das marcas, elas devem estar
posicionadas a, no mínimo, 10 pontos tipográficos (3,5 mm) da borda do documento.

• O formato do papel (paper size ou media size) definido na saída do PostScript deve ser, no
mínimo, uma polegada (2,54 cm) maior que o tamanho de corte do documento nas duas dimensões,
a fim de abrir espaço para as marcas de corte e informações de página. Por exemplo: documentos
com 21 X 28 cm podem ser fechados em papéis 23,54 X 30,54 cm ou maiores. O documento e as
marcas de corte devem estar centralizados no papel (horizontal e verticalmente).

• Elementos gráficos posicionados junto às bordas do documento devem possuir sangria (bleed) de,
no mínimo, 3 mm para além da linha de corte. Nos aplicativos onde a extensão da sangria precisa
ser definida no fechamento do arquivo, a mesma deve ser acertada para no mínimo 3 mm.

• Os documentos devem ser fechados com marcas de corte completas nos quatro cantos, sem o uso
de páginas faceadas (spreads).

• Todas as fontes tipográficas utilizadas no documento – preferencialmente do padrão PostScript


Tipo 1 – devem ser incorporadas no arquivo PostScript. Fontes especiais (True Type, Open Type, etc)
podem ser convertidas para curvas ou incorporadas ao PostScript conforme instruções do
fornecedor.

Observação: os ajustes de encaixe entre as tintas (trapping) definidos nos aplicativos de paginação
são desconsiderados na geração do PDF do tipo composto (composite). No entanto, as informações
de sobreposição de cor (overprint) são preservadas e devem ser especificadas pelo criador do
arquivo.

CARACTERÍSTICAS QUE OS ARQUIVOS POSTSCRIPT NÃO PODEM TER:


• Separação prévia de cores (PostScript pré-separado).

• Descrições de impressora (PPD) de dispositivos específicos (imagesetters, platesetters ou RIPs).

• Elementos com cores RGB, CIE-Lab ou cores indexadas (indexed colors), como as encontradas em
imagens do tipo GIF. Essas imagens devem ser convertidas para CMYK antes do fechamento.

• Cores especiais (spot colors) ou cores Pantone, ainda que na forma de cores adicionais ao CMYK
(quinta cor).

• Imagens do tipo duotone criadas no Photoshop com uso de cores especiais. Duotones elaborados
com uso de cores CMYK são aceitos desde que criados em Photoshop versão 5.5 ou mais recente.

• Imagens pré-separadas, salvas no formato EPS DCS 1 ou DCS 2.

• Imagens de baixa resolução para posterior substituição em sistemas de OPI.

• Perfis de cor (ICC Profiles) incorporados. Tanto as imagens CMYK incluídas no documento quanto o
próprio arquivo PS não devem possuir perfis incorporados (embeded).

• Divisão de páginas em múltiplas folhas de papel. A opção de uso de ladrilhos (tiling) deve ser
desabilitada no fechamento.

• Página posicionadas lado a lado (facing pages) unidas numa única folha (spread), exceto se o
material for destinado à montagem em formato revista ou a ser impresso explicitamente dessa
maneira.

• Marcas de sangria (bleed marks) junto das marcas de corte. Nos aplicativos que oferecem essa
opção no fechamento, as marcas de sangria não devem ser incorporadas.

• Fontes tipográficas padrão PostScript Tipo 3, mesmo que incorporadas ao PS.