Você está na página 1de 4

Curso de Graduação em Antropologia

Universidade Federal de Santa Catarina

PRÁTICAS DE ESCRITA EM ANTROPOLOGIA – ANT 7210

PROFESSOR: Theophilos Rifiotis (Departamento de Antropologia)

ESTAGIÁRIO DOCENTE: Marcello Malgarin (Mestrando/PPGAS)

SEMESTRE: 2014.1 – HORÁRIO: 5ª.f - 14:20h (4h)

EMENTA:

Produção textual em antropologia; gêneros do discurso, gêneros literários; planejamento,


elaboração e formas estilísticas de textos relevantes para o desempenho das atividades
acadêmicas, tais como: projetos de pesquisa, resumos, resenhas, ensaios e artigos
dissertativos e argumentativos. Regras de formatação, citações e referências bibliográficas.

TÓPICO ESPECIAL: Escrita etnográfica. Observação, notas de campo e texto etnográfico. A


escrita como processo analítico e os problemas da textualização. Codificação, codificação
focalizada, seleção de temas e integração de segmentos temáticos. Escrita de estilo integrador
e estilo do caso. A etnografia como argumentação.

AVALIAÇÃO:

ATIVIDADE PESO

Realização de dois Seminários e Relatórios de Leitura em grupo: descrição


da estrutura argumentativa do texto e a relação teoria-empiria:
1) Análise de um texto indicado 5

2) Análise de texto escolhido com orientação do professor

Exercício escrito individual em sala de aula sobre os textos indicados 4

Participação nas aulas expositivas, seminários e atividades de monitoria


1
Curso de Graduação em Antropologia
Universidade Federal de Santa Catarina

CRONOGRAMAGERAL: ATIVIDADE / CONTEÚDO

N. CONTEÚDO ATIVIDADE

1 Apresentação do Programa Formação dos grupos de trabalho

2 Escrita em antropologia: questões gerais, Leitura e análise do texto


estrutura argumentativa e etnografia
3 Mapa de ideias Leitura: SERAFIN (cap. 1, 2 e 3)
Estudo de texto: GEERTZ (cap. 9)
4 Mapa de ideias Leitura: SCHOPENHAUER
Estudo de texto RIFIOTIS 2007
5 Linguagem e discurso: Noção de texto: ECO 1986 (cap. 3)
cooperação textual
Seminários de análise de textos Apresentação/Entrega relatório
(indicados) VELHO (cap. 1e 2)
6 Seminários de análise de textos Apresentação/Entrega relatório
(indicados) AUGÉ / KANT DE LIMA (cap. 1,2 e 3)

7 Antropologia e etnografia CLIFFORD (cap. Sobre a autoridade


etnográfica)
8 Etnografia como argumentação EMERSON et al. (cap. 1, 3, 6 e 7)

9 Etnografia como argumentação EMERSON et al. (cap. 1, 3, 6 e 7)

10 Etnografia Exercício escrito em sala de aula

11 Formas canônicas: projeto, resumo, Pesquisa livre


resenha, fichamento

12 Seminários de análise de textos Apresentação e entrega do relatório.


(escolhidos)
13 Seminários de análise de textos Apresentação e entrega do relatório.
(escolhidos)
14 Revisão Geral Questões gerais sobre praticas de
escrita antropológica
15 Avaliação da disciplina Debates
Curso de Graduação em Antropologia
Universidade Federal de Santa Catarina
Curso de Graduação em Antropologia
Universidade Federal de Santa Catarina

BIBLIOGRAFIA DE BASE:
Geral:
BECKER, S.H. Écrire les sciences sociales. Paris: Economica, 2004.
ECO, U. Como se Faz uma Tese em Ciências Humanas. Rio de Janeiro: Editora Perspectiva, 2010.
ECO, U. Lector in fabula. A Cooperação interpretativa nos textos narrativos. São Paulo: Editora
Perspectiva, 1986.
FOUCAULT, M. “O que é um autor?”. IN: ----. Ditos e Escritos: Estética – literatura e pintura,
música e cinema (vol. III). Rio de Janeiro: Forense Universitária, 2001.
GEERTZ, C. Ainterpretação das Culturas. Rio de Janeiro: LTC, 1989.
KOCH, I. V., TRAVAGLIA, L.C. A coerência textual. São Paulo: Contexto, 1993.
OLIVEIRA, R.C. O trabalho do antropólogo. Brasília: Tempo Brasileiro, 2000.
SAHLINS, M. Esperando a Foucault. Fractal, 5(16):11-30, jan.-mar. 2000
(www.fractal.com.mx./F16sahli.html, acessado em 27/02/2013).
SCHOPENHAUER, A. A arte de escrever. Porto Alegre: L&PM, 2006.
SERAFIN, M.T. Como escrever textos. São Paulo: Globo, 2001.
UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARANÁ, SISTEMA DE BIBLIOTECAS. Normas para apresentação de
documentos científicos. Curitiba: Editora da UFPR, 2000, v.1-10.

Escrita etnográfica:
CLIFFORD, J. A experiência etnográfica: antropologia e literatura no século XX. Rio de Janeiro:
Ed. UFRJ, 1998.
EMERSON, R. M; FRETZ, R.I.; SHAW, L.L.WritingEthnographicFieldnotes. Chicago: London,
University of Chicago Press, 1995.
MAUSS, M. Manual de etnografia. Lisboa: Publicações Dom Quixote, 1993.
OLIVEIRA, R.C. O trabalho do antropólogo. Brasília: Tempo Brasileiro 2000.
PULMAN, B. Por uma história da noção de campo. Cadernos de Campo. USP. (16), 2007.
VELHO, G. Projeto e metamorfose. Antropologia das Sociedades Complexas. Rio de Janeiro:
Jorge Zahar Ed., 1999.

Apoio para as atividades práticas:


AUGÉ, M. Não-lugares. Introdução à uma antropologia da supermodernidade. Campinas:
Papirus, 1994.
LIMA, R.K. A antropologiadaacademia: quando os índios somos nós. Petrópolis: Vozes, 1985.
RIFIOTIS, T. O idoso e a sociedade moderna: desafios da gerontologia. Revista Pro-Posições, v.
18, (52) - jan./abr. 2007.
VELHO, G. Projeto e metamorfose. Antropologia das Sociedades Complexas. Rio de Janeiro:
Jorge Zahar Ed., 1999.