Você está na página 1de 8

ANÁLISE AMBIENTAL E ECONÔMICA DOS SEDIMENTOS E A ÁGUA DO

COMPLEXO DE ITABIRA
Isabelle Tanne Couto e Silva 1, Arthur dos Santos Barbosa² & Hersília de Andrade e Santos ³

Resumo – A fluidodinâmica computacional (CFD) é um método de estudo de escoamentos,


que atinge soluções aproximadas de equações diferenciais que o descrevem (Gonçalves, 2007) com
extrema precisão e também permite a visualização do escoamento, facilitando o conhecimento
pleno das características do movimento do fluido (Neto et al., 2008). O presente trabalho apresenta
a aplicação da fluidodinâmica computacional na barragem de rejeitos do Diogo, no Rio Piracicaba
(MG), que recebe rejeitos em forma de lama provindo do complexo minerador de Água Limpa. A
malha realizada a partir da batimetria do local foi computada utilizando um pacote CFD gratuito
(OpenFOAM) e um pago (FLUENT) para gerar comparações. Aplicando-se o modelo RANS para
a resolução das equações diferenciais e o modelo de turbulência k- Ԑ, encontrou-se valores de
velocidade do reservatório estudado, analisada em uma variação entre 0 e 0,0015 m/s. Enquanto a
malha do FLUENT apresentou grande turbulência pela falta de um fluxo principal, a do
OpenFOAM mostrou um direcionamento constante da entrada até a saída de água. Tais diferenças
podem ser explicadas por certos aspectos diferentes entre as condições de contorno.

Palavras-Chave – Barragem de Rejeitos, OpenFOAM, FLUENT

ENVIRONMENTAL AND ECONOMIC ANALYSIS OF SEDIMENTS AND


WATER OF ITABIRA COMPLEX
Abstract – Computational fluid dynamics (CFD) is a flow study method that achieves
approximate solutions of differential equations that describe it (Gonçalves, 2007) with extreme
precision and also allows the visualization of the flow, facilitating knowledge of the characteristics
of the movement of the fluid (Neto et al ., 2008). This paper presents the application of
computational fluid dynamics in the tailing dam of Diogo in Piracicaba River(MG), which receives
waste in the form of mud coming from the mining complex of Água Limpa. The mesh made from
the local bathymetry was computed using a free CFD package (OpenFOAM) and a paid one
(FLUENT) to engender comparisons. Applying the RANS model for the resolution of differential
equations and the k- Ԑ turbulence model, met the impact of sedimentation, caused by tailings on the
speed of the studied reservoir, analyzed in a range from 0 to 0.0015 m / s . While the FLUENT
mesh of showed great turbulence for the lack of a main stream, the OpenFOAM mesh showed a
constant direction from the inlet to the outlet. Such differences can be explained by some different
aspects of the boundary conditions.

Keywords – Tailing Dam, OpenFOAM, FLUENT

1
Graduanda em Engenharia de Produção Civil do Centro de Educação Tecnológica de Minas Gerais (CEFET-MG). E-mail: dcardos3@gmail.com

XXI Simpósio Brasileiro de Recursos Hídricos 1


INTRODUÇÃO

O Brasil é um dos maiores produtores e exportadores de minérios e detém um dos maiores


patrimônios minerais (Martini, 2014). Em geral, numa mineração, para se alcançar seu produto
final, são gerados dois tipos de resíduos não aproveitados economicamente: o estéril e o rejeito. O
rejeito é obtido a partir do processo de beneficiamento do minério e pode ter três classificações
segundo sua granulometria: jigue, rejeito espiral e lama.

O gerenciamento dos sedimentos gerados pela mineração é um processo que envolve a


construção de barragens de rejeitos, de forma a evitar impactos ambientais à jusante dos principais
cursos d'água da região (ANA, 2005). Como a água é o principal meio de transporte destes
sedimentos até o local definitivo ou provisório de estocagem, a gestão da água, consumida e
liberada durante a mineração, está diretamente relacionada à questão dos sedimentos.

A disposição de rejeitos em barragens permite a sedimentação dos mesmos, devido ao seu


peso. Tal sedimentação de rejeitos está diretamente relacionada com a vida útil dos reservatórios
criados pelas barragens. À medida que estes são assoreados, perdem a capacidade de gerar um
efluente de água “limpo”. Antes da análise da influência do sedimento no reservatório é feita a
análise do escoamento de água, desconsiderando os sedimentos presentes, utilizando a
Fluidodinâmica Computacional.

Fluidodinâmica computacional (CFD) são representações de um fenômeno ou problema de


estudo, cuja solução exige a execução de um método que utiliza recursos computacionais (Duarte,
2014). A utilização do CFD como método de estudo de escoamentos atinge soluções aproximadas
de equações diferenciais que descrevem o escoamento (Gonçalves, 2007) com extrema precisão e
permite a visualização do escoamento, facilitando o conhecimento pleno das características do
movimento do fluido (Neto et al., 2008).

Desta forma, o presente projeto tem como objetivo principal utilizar a fluidodinâmica
computacional para propor soluções ambientalmente sustentáveis quanto ao uso da água e quanto à
disposição, estocagem e reutilização dos sedimentos gerados pela mineração de ferro. O estudo
também irá fazer uma comparação quanto a utilização de um pacote CFD gratuito (OpenFOAM) e
um pago (FLUENT).

REVISÃO BILBIOGRÁFICA

Modelo RANS

Para realizar a simulação numérica, é empregado o modelo RANS. Utilizando as equações de


Reynolds (média de Reynolds) nas de Navier-Stokes, são demonstrados os efeitos da turbulência
sobre o escoamento. A partir disso então, são obtidas equações para valores médios do escoamento.

As equações diferenciais de Navier-Stokes descrevem o escoamento dos fluidos (compostas


por derivadas parciais que determinam a velocidade e a pressão no escoamento).

Seguindo o modelo, aplica-se a decomposição de Reynolds às equações de Navier Stokes para


conseguir o que se deseja. Sendo assim, ficam estabelecidas as equações abaixo (Fig. 3):

XXI Simpósio Brasileiro de Recursos Hídricos 2


Fig. 3: Equações de Reynolds (RANS)
Fonte: REZENDE, 2009

Modelo κ - Ԑ

O modelo de turbulência utilizado para a simulação do reservatório foi o κ - Ԑ, a partir do qual


faz-se uma análise do modo como a energia cinética turbulenta (κ) é afetada. Utiliza-se uma
equação (Eq 1) para a viscosidade turbulenta (µ), com esta sendo diretamente proporcional à
velocidade da turbulência (ϑ) e à escala de comprimento onde ela é aplicada (l). Estes dois
parâmetros são definidos a partir da energia cinética e da taxa de dissipação dela (Ԑ), de acordo com
as equações 2 e 3 (CASTELLI, 2012).

µ = 𝐶𝜌𝜗𝑙 (Eq. 1)

𝜗 = 𝜅1/2 (Eq. 2)

𝜅1/2
𝑙= (Eq. 3)
Ԑ

Rigid-lid

Rigid-lid, tampa rígida em sua tradução livre, é uma simplificação no estudo de estratificação
de densidade. Ou seja, é quando os deslocamentos do líquido da superfície são insignificantes
perante aos deslocamentos da interface. É como se as ondulações da superfície líquida fosse
considerada como uma reta (Tradução livre, Duchêne, 2014). Desse modo, a interface que separa a
água do ar é uma linha, não uma região, para que isso seja definido em CDF, é preciso indicar nas
condições de contorno.

MATERIAIS E MÉTODOS

Local de estudo
O local de estudo do presente trabalho é o Complexo da Mina de Água Limpa, que é
considerada uma mina de grande porte. Este complexo minerador se encontra entre os municípiois
de Rio Piracicaba (Fig. 1) e Santa Bárbara e "possui uma área equivalente a 4.329ha, que contempla
as cavas, pilhas, barragens e a usina de tratamento do minério, além das unidades de apoio como
oficinas, posto de combustível, pátio de resíduos, almoxarifado, restaurante, escritório, estradas e
viveiros" (Martini, 2014).

XXI Simpósio Brasileiro de Recursos Hídricos 3


A barragem do Diogo (Fig. 2) foi o local específico onde se baseou a construção da malha.
Esta recebe o rejeito em forma de lama vindo da usina de beneficiamento do complexo da mina de
Água Limpa através de dutos.

Fig. 1: Localização do município de Rio Fig. 2: Vista da Barragem do Diogo


Piracicaba no estado de Minas Gerais
Fonte: wikipedia.com Fonte: Martini, 2014

Malha
A malha numérica caracteriza-se como uma representação da modelagem do domínio em
vértices, nos quais serão calculadas as variáveis de interesse (DUARTE, 2014). Para a elaboração
da geometria, foi adotado o software Gridgen®, da Pontwise. A partir da batimetria fornecida pela
Vale S.A., foi criada a topografia no software Tecplot 360 , que por sua vez foi importada para o
Gridgen.

No presente estudo, foi utilizada uma malha não ortogonal estruturada (Fig. 4), ou seja, uma
malha que não é completamente linear em seu contorno e possui a geometria interna bem definida
(sendo assim, sua fronteira é uma aproximação da fronteira real). Apesar de não se adequarem
muito bem a contornos irregulares, a malha estruturada faz-se suficiente para este estudo.

Após ser definido o método numérico a ser utilizado, no caso o método dos volumes finitos, as
equações são solucionadas em cada elemento da malha. Quando se trata do Método dos Elementos
finitos (MEF) e do Método de Volumes Finitos (MVF), as equações de Navier-Stokes e de
Reynolds são definidas em um domínio, que por sua vez é dividido em subdomínios mais simples,
os elementos da malha (BATISTA, 2005).

XXI Simpósio Brasileiro de Recursos Hídricos 4


Fig. 4: Malha em estudo no software Tecplot
Fonte: Tecplot 360 ®, 2009

Condições de contorno

As condições iniciais de simulação são condições de contorno que auxiliam o software CFD a
iniciar a solução das equações a partir de um valor considerado como correto ou adequado ao
problema. São os termos de transporte presentes nas equações de conservação, de modo que, cada
domínio, sólido e fluido, devem ter suas equações que regem a física associada.

As condições de contorno utilizadas foram definidas no software de geração da malha,


Gridgen, assumindo apenas um fluído, a água:

 Entrada: Adotou-se a condição de contorno do tipo “Inlet” e a vazão igual a 3,4 ∗


10−4 m3 /s

 Paredes (fundo e entorno): Definiu-se faces imóveis e impermeáveis utilizando a


condição de contorno de tipo “Wall”.

 Topo: Pressão atmosférica. Utilizou-se a condição de contorno do tipo “Top” que


posteriormente define o rigid-lid.

 Saída: Adotou-se a condição de contorno do tipo “Outlet”, permeável.

Para o OpenFOAM, adotou-se o calculo iterativo com critério de resíduo com valor de 0,001.
NÃO SEI SE TEM ISSO NA NOSSA SIMULAÇÃO Como a simulação se deu por regime
transiente (algoritmo PISO - Pressure Implicit with Splitting of Operators), adotou-se número de
Courant 0,4 e passo de tempo de 0,1 segundos para garantir convergência da solução. Enquanto que
para a simulação no FLUENT utilizou-se o regime estacionário (algoritmo SIMPLE - Semi-Implicit
Method for Pressure-Linked Equations), com número de Courant xx e passo de tempo 1 segundo
para convergir.

XXI Simpósio Brasileiro de Recursos Hídricos 5


Para a aplicação de condições de contorno no OpenFOAM, consideramos que um limite é
geralmente dividido em um conjunto de patches, em que cada um pode incluir uma ou mais áreas
fechadas da superfície limite que não necessariamente precisam ser conectadas fisicamente
(Tradução livre, CFD Direct, 2011-2015). Assim, foram definidos os patches a partir das condições
de contorno da malha descritos acima.

RESULTADOS

Os resultados da simulação foram vistos através da ferramenta TECPLOT 360 em sua versão
2009. A magnitude da velocidade no reservatório, considerando-o como um todo, variou entre 0
𝑣 0.0082 𝑚/𝑠 quando o FLUENT foi utilizado (Fig. 5) e 0 𝑣 0.0033 𝑚/𝑠 usando-se o
OpenFOAM (Fig. 6). Pode-se perceber que a velocidade é alta em alguns pontos da margem apenas
para a malha rodada pelo FLUENT. No entanto, é possível observar que ela obedece a uma
homogeneidade ao longo do reservatório com alguns pontos de velocidades levemente maiores. Em
ambos os softwares adotados, a velocidade atinge seu máximo valor nas proximidades da saída de
água.

Analisando apenas a velocidade de saída, tanto a malha calculada pelo FLUENT quanto pelo
OpenFOAM, observou-se velocidades em torno de 𝑣 = 0,0015 𝑚/𝑠 (Fig. 5 e Fig.6 Detalhe 1),
sendo que a velocidade gradativamente aumenta ao se aproximar na zona de saída d'água. Quanto à
velocidade de entrada, observa-se que não há mudança brusca na velocidade (Fig. 5 e Fig.6 Detalhe
2).

Fig. 5: Valores de velocidade para a malha Fig. 6: Valores de velocidade para a malha
no rodada no FLUENT rodada no OpenFOAM
Fonte: Tecplot 360 ®, 2009 Fonte: Tecplot 360 ®, 2009

Realizando uma análise vetorial, pode-se notar que houve uma grande diferença entre a malha
computada pelo FLUENT (Fig. 7) e pelo OpenFOAM (Fig. 8).

A malha do FLUENT mostrou alta turbulência, devido principalmente a falta de um fluxo


principal, já que se trata de um reservatório de rejeitos. Entretanto, pode perceber um
direcionamento crescente dos vetores ao alcançarem o local de escoamento.

XXI Simpósio Brasileiro de Recursos Hídricos 6


Já a malha do OpenFOAM apresentou um direcionamento homogêneo e constante desde a
entrada de água até a saída, onde os vetores se encontram. Com essas características pode-se inferir
a baixa turbulência que ocorre no local, diferindo daquilo apresentado pelo FLUENT (Fig. 7
Detalhe 1).

As desigualdades apresentadas entre a mesma malha não-estruturada rodada pelo FLUENT e


pelo OpenFOAM podem ser explicadas pelos diferentes aspectos definidos nas condições de
contorno.

Fig. 7: Vetores de velocidade para a malha Fig. 8: Vetores de velocidade para a malha
no rodada no FLUENT rodada no OpenFOAM
Fonte: Tecplot 360 ®, 2009 Fonte: Tecplot 360 ®, 2009

CONCLUSÃO

REFERÊNCIAS

DUARTE, B.A. (2014). Simulação numérica tridimensional de escoamentos livres: uma análise do
trecho à jusante da usina hidrelétrica de Três Marias. Dissertação de Mestrado, CEFET-MG Belo
Horizonte-MG.

ANA, Agência Nacional de Águas. (2005). Plano de Recursos Hídricos da Bacia Hidrógráfica do
Rio Doce: Diagnóstico. Brasília-DF.

NETO, H. J.; ALENCAR, H. S.; BERNARDES, M. E. C.; DA SILVA, F. G. B. (2008).


Modelagem e simulacao do comportamento de uma válvula de fluxo hidráulica com o uso de
ferramenta de hidroinformatica. Revista Tecnológica, v. 29, n. 2, pp.224-232.

GONÇALVES, N. D. F. (2007). Método dos volumes finitos em malhas não-estruturadas.


Dissertação (Mestrado em Engenharia Matemática). Faculdade de Ciências da Universidade do
Porto, Porto.

XXI Simpósio Brasileiro de Recursos Hídricos 7


MARTINI, R. J. (2014). Aplicação do Gound Penetrating Radar em estudos para disposição de
rejeitos de minério de ferro. Dissertação de Mestrado, CEFET-MG Belo Horizonte-MG.

BATISTA, Vicente H. F. (2005). Geração de malhas não-estruturadas tetraédricas utilizando um


método de avanço de fronteira. Universidade Federal do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro - RJ.

XXI Simpósio Brasileiro de Recursos Hídricos 8