Você está na página 1de 119

Aula Matéria

Introdução ao Gerenciamento de Projetos


10/07/13 Ciclo de Vida e Organização do Gerenciamento do Projeto
Gerenciamento de Escopo do Projeto
Gerenciamento de Tempo do Projeto
12/07/13 Gerenciamento de Custo do Projeto
Gerenciamento de Qualidade
17/07/13 Gerenciamento de Recursos Humanos do Projeto
Gerenciamento das Comunicações
19/07/13 Gerenciamento de Riscos do Projeto
Gerenciamento de Aquisições do Projeto
24/07/13 Gerenciamento de Integração do Projeto
 Formação Sistemas de Informação – UNIPLAN
 MBA em Gestão de Projetos – UCB

 PMP – Project Management Institute - PMP

 ITIL – IT Service Management Foundation – ITIL

 Extension in Business and Management for International


Professionals – The Paul Merage School of Business -
Universidade da California – Irvine

 Professor: STM, PMDF, JK, Estácio de Sá, Intelit e ENAP


 Conceito e Estrutura do Gerenciamento de Projetos
 Do Escopo
 Do Tempo
 De Custos
 Da Qualidade
 De RH
 Da Comunicação
 De Riscos
 Das Aquisições
 Da Integração
 Havia gestão nesses projetos?
 Três eras do Gerenciamento de Projetos
 Tradicional (1960 a 1985): dominado pelos setores de defesa,
aeroespacial e de construção, com equipes exclusivas e
privilegiando os custos
 Renascença (1985 a 1993): a metodologia passa a ser aplicada a
pequenos projetos, gerenciados por equipes multidisciplinares
sem dedicação exclusiva, enfatizando decisões coletivas; passam a
ser usados microcomputadores com software específico para o
gerenciamento de projetos
 Moderno (1993 em diante): organizações passam a reconhecer
que os aspectos quantitativos e comportamentais mudaram tanto
que tornam necessário diferenciar a metodologia atual da antiga.
 O que é um projeto?
 Esforço temporário empreendido para criar um produto,
serviço ou resultado exclusivo (PMI, 2004)

 Empreendimento único, com início e fim determinados, que


utiliza recursos e é conduzido por pessoas, visando atingir
objetivos pré definidos (Dinsmore e Cavalieri, 2004)
 Diferença entre Projeto e Operação:
 O que é o gerenciamento de projetos?

 Aplicação de conhecimentos, habilidades, ferramentas


e técnicas às atividades do projeto, a fim de atender a
seus requisitos.
 Outros conceitos:
 Programa: grupo de projetos gerenciados de maneira
coordenada para obtenção de benefícios que não seriam
alcançados se gerenciados individualmente

 Portifólio: conjunto de programas e projetos agrupados para


facilitar o gerenciamento eficaz desse trabalho a fim de
atender aos objetivos de negócio

 Subprojetos: ou componentes, aqueles que fazem parte de


um projeto maior, que foi subdividido para facilitar seu
gerenciamento
 Ciclo de vida do projeto
 Conjunto das diversas fases do projeto
 Variam a cada projeto

 Ex. projeto de construção: viabilidade, planejamento,


desenho, construção, entrega
 Ciclo de vida do projeto
 Ciclo de vida do gerenciamento do projeto:
 Na prática, os processos podem sobrepor-se e
interagir de formas diversas

Execução
Nível de atividade

Planejamento

Encerramento
Iniciação Controle

Tempo
 Partes interessadas no projeto (stakeholders)
 Estrutura Organizacional
 Significa como uma empresa é organizada para desenvolver
suas funções
 Funcional
 Matricial
 Projetizada
 Organização funcional clássica
 Hierarquia, onde cada funcionário possui um superior bem
definido
 Os funcionários são agrupados por especialidade
 Organização por projeto
 Estruturada conforme os projetos que desenvolve
 Membros da equipe agrupados (juntos)
 Gerentes de projeto possuem grande independência e autoridade
 Organização matricial
 combinação das características da funcional e projetizada
 Abrange os processos requeridos para certificação que a
equipe do projeto realizará todo e somente o trabalho
necessário para que o projeto seja bem sucedido.
 No contexto do projeto o termo escopo
pode se referir a :
 Escopo do produto: características e
funções que descrevem um produto,
serviço ou resultado
 Escopo do projeto: o trabalho que
precisa ser realizado para entregar um
produto, serviço ou resultado, com as
características e funções especificadas
 5.1 Coletar Requisitos
 Uma vez identificado quem são os stakeholders, deve se
levantar quais são suas necessidades e expectativas.

 Requisito: É uma condição ou capacitação de um produto ou


serviço que precisa atender ou ter para satisfazer um contrato,
padrão, especificação ou outro documento formalmente
estabelecido.
 Técnicas de Coleta
 Workshops
 Brainstorming
 Mapa Mental
 Delphi
 Questionários
 Protótipos
 Pesquisas
 Técnicas de Observação
 5.2 Definição do Escopo
 Este é o processo necessário para desenvolver uma declaração
detalhada do escopo do projeto como base para futuras
decisões do projeto.
 5.3 Criar EAP
 Processo de subdivisão dos resultados principais
(deliverables) do projeto em componentes menores e mais
gerenciáveis

 É necessário que a descrição do escopo seja transformada em


produtos, entregas ou resultados concretos do trabalho
realizado, a partir dos quais pode-se acompanhar e controlar
o escopo
 5.3 Criar EAP
 Estrutura Analítica do Projeto – EAP

 A EAP ou WBS (Work Breakdown Structure) é um


agrupamento orientado a produtos de elementos do projeto
que organiza e define o escopo total do trabalho

 Essa ferramenta esclarece que todo o trabalho do projeto


deve estar representado de alguma forma na WBS. Caso não
esteja, não é trabalho a ser realizado pelo projeto.
 5.3 Criar EAP
 WBS - Por que utilizar essa ferramenta?

 Auxilia na definição dos recursos necessários


 Auxilia os stakeholders a desenvolverem uma visão clara
do produto final
 Fornece base para o cronograma
 Fornece uma representação gráfica do escopo do projeto
 Fornece um meio para integrar e avaliar desempenho de
prazo e custo
 5.3 Criar EAP
 5.4 Verificação do Escopo
 Processo de obtenção da aprovação formal
do escopo do projeto pelos stakeholders

 Deve ocorrer ao final de cada entrega do


projeto, com o objetivo de revisar os
resultados principais, garantindo que o
trabalho que deveria ser realizado foi
realmente realizado
 5.5 Controle do Escopo
 Envolve processos, procedimentos e padrões que são usados
para gerenciar as alterações do escopo
 O processo de gerenciamento das alterações consiste em
um conjunto de procedimentos para documentação, relato,
análise, custeamento, aprovação e implementação das
alterações no projeto
 Manipula grandes volumes de informação. Assim, é
necessário manter a rastreabilidade de quais mudanças
foram propostas e quais foram implementadas.
 5.5 Controle do Escopo
 Gerenciamento das alterações em 3
estágios:
 Identificação da situação
 Análise do impacto das alterações
 Realizadas correções alterações

 Ferramentas de suporte:
 Formulários de solicitação de alteração
 Porque os projetos falham?
 Porque os projetos falham?
Aula Matéria
Introdução ao Gerenciamento de Projetos
10/07/13 Ciclo de Vida e Organização do Gerenciamento do Projeto
Gerenciamento de Escopo do Projeto
Gerenciamento de Tempo do Projeto
12/07/13 Gerenciamento de Custo do Projeto
Gerenciamento de Qualidade
17/07/13 Gerenciamento de Recursos Humanos do Projeto
Gerenciamento das Comunicações
19/07/13 Gerenciamento de Riscos do Projeto
Gerenciamento de Aquisições do Projeto
24/07/13 Gerenciamento de Integração do Projeto
Gerenciamento de Tempo
Gerenciamento de Tempo

 Tem por finalidade assegurar que o projeto será implantado no


prazo previsto. Para tanto, devem ser utilizados padrões e
critérios que irão ajudar na previsão e no acompanhamento do
prazo de implantação de cada atividade prevista.
Gerenciamento de Tempo
 Principais processos da gerência do tempo:

 6.1. Definição das atividades


 6.2. Seqüenciamento das atividades
 6.3. Estimativa de recurso das atividades
 6.4. Estimativa de duração das atividades
 6.5. Elaboração do cronograma
 6.6. Controle do cronograma
Gerenciamento de Tempo
 6.1. Definição das atividades
 identificação das atividades específicas para atingir os
resultados esperados
Gerenciamento de Tempo
 6.2. Seqüenciamento das atividades:
 Processo necessário para identificar e documentar as
dependências entre as atividades do cronograma.
Gerenciamento de Tempo

 Métodos de Construção de Redes


 MDP (Método do Diagrama de Precedência):
 Utiliza nós para representar as atividades e as conecta
por setas que representam as dependências
 nós (atividades)

 setas (dependências)
Gerenciamento de Tempo
 Possibilita 4 relações de dependência:
Gerenciamento de Tempo
 Possibilita 4 relações de dependência:
Gerenciamento de Tempo
 6.3. Estimativa de recurso das atividades:
 estimativa de recursos das
atividades do cronograma
envolve determinar os
recursos(pessoas, equipamentos
e material) e as quantidades e
quando cada recursos estará
disponível.
Gerenciamento de Tempo
 6.4. Estimativa de duração das atividades:
 estimativa do número de períodos necessários para a
conclusão das atividades do cronograma.
 esse processo leva em consideração as informações sobre o
escopo do trabalho, tipos de recursos, disponibilidades entre
outros.
Gerenciamento de Tempo
 6.5. Elaboração do cronograma:
 determinação das datas de inicio e fim planejadas de cada
atividade do projeto. Este é o processo necessário para
analisar os recursos necessários, restrições do
cronograma, durações e seqüências de atividades para
criar o cronograma do projeto.
Gerenciamento de Tempo
 Modelo de cronograma:
 Diagrama de rede de projeto com Datas cronogramadas
Gerenciamento de Tempo
 6.6. Controle do cronograma:
 Esse é o processo necessário para
controlar as alterações no cronograma
do projeto.
Gerenciamento de Custos
Gerenciamento de Custos
 Assegurar que o projeto será concluído dentro do orçamento
aprovado.
 7.1. Estimativa dos custos
 7.2. Orçamento dos custos
 7.3. Controle dos custos
Gerenciamento de Custos
 7.1. Estimativa dos custos:
 Envolve desenvolver uma aproximação
dos custos dos recursos necessários
para completar as atividades do
cronograma do projeto.
 Diferença entre custo estimado e preço
 O preço é uma decisão de negócio:
quanto a organização cobrará pelo
produto ou serviço.
Gerenciamento de Custos
 7.2. Orçamento dos custos :
 A “Orçamentação” ocorre após a Estimativa de custos e a
preparação da EAP ou WBS, onde serão alocados os valores
nos diversos níveis da estrutura
 O orçamento deve ser realista, adaptado às condições locais,
buscando-se minimizar os riscos, levando-se em consideração
a interface com os stakeholders
 Método mais comumente utilizado:
 Cálculos Hipotéticos Utilizando Técnicas Estatísticas

CHUTE
Gerenciamento de Custos
 7.2. Orçamento dos custos :
 Tipos de Estimativas de Custos
Gerenciamento de Custos
 7.2. Orçamento dos custos :
Gerenciamento de Custos
 7.3. Controle dos custos :
 O controle dos custos inclui:

 Monitorar o desempenho do custo para detectar e entender os


motivos das variações do plano, tanto positivas quanto
negativas
 Assegurar que todas as mudanças apropriadas estão
registradas corretamente na baseline do custo
 Informar as partes envolvidas afetadas sobre as mudanças
autorizadas
 Manter os custos esperados dentro de limites aceitáveis
Aula Matéria
Introdução ao Gerenciamento de Projetos
10/07/13 Ciclo de Vida e Organização do Gerenciamento do Projeto
Gerenciamento de Escopo do Projeto
Gerenciamento de Tempo do Projeto
12/07/13 Gerenciamento de Custo do Projeto
Gerenciamento de Qualidade
17/07/13 Gerenciamento de Recursos Humanos do Projeto
Gerenciamento das Comunicações
19/07/13 Gerenciamento de Riscos do Projeto
Gerenciamento de Aquisições do Projeto
24/07/13 Gerenciamento de Integração do Projeto
Gerenciamento da Qualidade
Gerenciamento da Qualidade

 A qualidade constitui um processo contínuo de


melhorias, onde as lições aprendidas são utilizadas
para otimizar produtos e serviços no sentido de:
 Manter os clientes atuais
 Recuperar os clientes perdidos
 Ganhar novos clientes
Gerenciamento da Qualidade

 Principais processos de gerência da qualidade do


projeto:
 8.1.Planejamento da qualidade
 8.2. Garantia da qualidade
 8.3. Controle de qualidade
Gerenciamento da Qualidade

 8.1.Planejamento da qualidade:
 identificação dos padrões de qualidade relevantes para
o projeto e determinação de como atender a esses
padrões

Ciclo PDCA
Gerenciamento da Qualidade

 8.2. Garantia da qualidade:


 Avaliação regular do desempenho geral
do projeto para alcançar os padrões de
qualidade
 São todas as atividades sistemáticas,
planejadas dentro do sistema de
qualidade, de maneira a gerar
confiança de que o projeto irá satisfazer
a todos os padrões relevantes da
qualidade
Gerenciamento da Qualidade

 8.3. Controle de qualidade:


 Monitoração dos resultados específicos do projeto a fim de
determinar se esses resultados estão de acordo com os
padrões de qualidade e identificação de maneiras para
eliminar as causas de um desempenho insatisfatório
 Abrange um conjunto de métodos e
atividades adotados com o objetivo de
melhoria e manutenção da qualidade
 Deve ser realizado durante todo o
projeto
Gerenciamento de RH
Gerenciamento de RH

 O gerenciamento de RH do projeto tem como objetivo


principal possibilitar a utilização mais efetiva das pessoas
envolvidas no projeto.
Gerenciamento de RH
 9.1. Planejamento de RH:
 identificação, documentação e atribuição de funções,
responsabilidades e relações hierárquicas do projeto e cria o
plano de gerenciamento de RH.

 O plano de gerenciamento de RH:


 Contratação da equipe do projeto
 Treinamento
 Premiações
 Funções e Cargos
Gerenciamento de RH
 9.1. Planejamento de RH:
 Organogramas e descrições de cargos
Gerenciamento de RH
 9.1. Planejamento de RH:
 Matriz RACI
Gerenciamento de RH
 9.2. Contratar ou mobilizar a equipe do projeto:
 conseguir que os recursos humanos
necessários sejam designados e
estejam trabalhando no projeto. A
equipe do projeto pode ter ou não
controle sobre os membros do projetos
Gerenciamento de RH
 9.3. Desenvolvimento da equipe:
 Procura melhorar competências e a interação de
membros da equipe para aprimorar o desempenho do
projeto, incluindo:

 Aprimorar habilidades de membros da equipe para


aumentar sua capacidade de terminar atividades do
projeto

 Aprimorar sentimentos de confiança e coesão entre


os membros da equipe para aumentar a
produtividade através de um trabalho em equipe de
melhor qualidade
Gerenciamento de RH
 9.4. Gerenciar a equipe do projeto
 Envolve o acompanhamento do
desempenho de membros da
equipe, o fornecimento de
feedback, resolução de problemas,
coordenação de mudanças para
melhorar o desempenho do projeto
Gerenciamento de RH
 Teorias Motivacionais:
 Teoria X e Y: McGregor
 Hierarquia das Necessidades: Maslow
 Fatores Motivacionais: Herzberg
Aula Matéria
Introdução ao Gerenciamento de Projetos
10/07/13 Ciclo de Vida e Organização do Gerenciamento do Projeto
Gerenciamento de Escopo do Projeto
Gerenciamento de Tempo do Projeto
12/07/13 Gerenciamento de Custo do Projeto
Gerenciamento de Qualidade
17/07/13 Gerenciamento de Recursos Humanos do Projeto
Gerenciamento das Comunicações
19/07/13 Gerenciamento de Riscos do Projeto
Gerenciamento de Aquisições do Projeto
24/07/13 Gerenciamento de Integração do Projeto
Gerenciamento das
Comunicações
Gerenciamento das
Comunicações
 Inclui um conjunto de processos exigidos para assegurar a
geração, coleta, distribuição, armazenamento
apropriado e o controle básico das informações do
projeto.
Gerenciamento das
Comunicações
 10.1. Identificar partes interessadas:
 Listar todas as pessoas e organizações impactadas pelo
projeto e documentar informações relevantes acerca de
seus interesses.
 As partes interessadas são utilizadas para mapear o
escopo do projeto e os requisitos do produto
 Envolver as partes interessadas no inicio do projeto
aumenta a probabilidade de aceitação das entregas do
projeto.
Gerenciamento das
Comunicações
 10.2. Planejamento das comunicações:
 identificação das informações e comunicações
necessárias, quem as requer, quando serão necessárias
e como serão fornecidas
 Deve ainda:
 Determinar os requerimentos de informação dos
stakeholders
 Definir a tecnologia ou método para transmitir a
informação
 Desenvolver um plano de gestão das comunicações que
reflita as necessidades de comunicação
Gerenciamento das
Comunicações
 10.3. Distribuição das informações:
 Fazer com que as informações necessárias estejam
disponíveis para os interessados no momento correto

 Deve ainda:
 Implementar um sistema de distribuição/recuperação de
informações
 Responder às solicitações esperadas e inesperadas de
informação
 Manter registros de projetos
 Distribuir as informações para os stakeholders no momento
oportuno e garantir que haja comunicação de forma clara
entre os stakeholders
Gerenciamento das
Comunicações
 10.4. Relatório de desempenho:
 coleta e divulgação de informações sobre o desempenho
 Deve ainda:
 Determinar medidas de desempenho e o formato/nível de
detalhe adequado para apresentação dos resultados
 Conduzir as revisões de desempenho
 Gerar e distribuir relatórios de acompanhamento de
projeto
 Implementar, caso necessário, solicitações de mudança
baseadas nos relatórios de desempenho
Gerenciamento das
Comunicações
 10.4. Relatório de desempenho:
 Modelo de Relatório de desempenho
Gerenciamento das
Comunicações
 10.5. Gerenciamento dos stakeholders
 Se refere a gerenciar as comunicações para satisfazer as
necessidades dos stakeholders no projeto e resolver
problemas com eles relacionados
 Em geral, o gerente de projetos é o responsável pelo
gerenciamento dos stakeholders.
 O gerenciamento ativo dos stakeholders:
 aumenta a probabilidade de o projeto não se desviar do
curso por causa de problemas não resolvidos
relacionados aos stakeholders
 aumenta a capacidade das pessoas operarem em
sinergia
 limita as interrupções durante o projeto
Gerenciamento das
Comunicações
 Plano de Comunicação
Gerenciamento de Riscos
Gerenciamento de Riscos

 Risco: qualquer evento ou condição em potencial que, em se


concretizando, pode afetar negativamente ou positivamente
um objetivo do projeto
 Os objetivos do gerenciamento de riscos do projeto são
aumentar a probabilidade e o impacto dos eventos positivos
e diminuir a probabilidade e o impacto dos eventos adversos
ao projeto
Gerenciamento de Riscos

 Probabilidade: a chance de um risco ocorrer


 Impacto: o efeito do risco sobre o objetivo do projeto, caso o
evento ou condição venha a manifestar-se
Gerenciamento de Riscos
 11.1. Planejamento do gerenciamento de riscos:
 Decisão sobre como abordar e planejar as atividades de
gerenciamento de riscos do projeto e inclui:

 Metodologia: define as abordagens, ferramentas e fontes de dados que


podem ser usadas para o gerenciamento de riscos
 Funções e responsabilidades: designa pessoas e esclarece funções do
gerenciamento de riscos
 Orçamentação: recursos e custos necessários para gerenciar os riscos
 Tempos: freqüência do processo de gerenciamento de riscos
 Categorias de risco: estrutura para sistematizar riscos (Estrutura
Analítica de Riscos - EAR)
 Definições de probabilidade e impacto de riscos (Matriz de
Probabilidade e Impacto)
Gerenciamento de Riscos
 Exemplo de Estrutura Analítica de Riscos - EAR
Gerenciamento de Riscos
 Exemplo de definição de escalas de Impacto
Gerenciamento de Riscos
 11.2. Identificação dos riscos:
 Identificar riscos que podem afetar
o projeto e a documentar suas
características.
 A identificação de riscos é um
processo iterativo porque novos
riscos podem ser conhecidos no
andamento do projeto.
 Técnicas de Coleta de Informações:
 Brainstorming
 Delphi
 Entrevistas
 Causa-Raiz
 Matriz SWOT
Gerenciamento de Riscos
 11.3. Análise qualitativa de riscos:
 Análise qualitativa para se priorizar os efeitos dos riscos
sobre os objetivos do projeto
 Maneira rápida e econômica de estabelecer prioridades
para o planejamento de respostas a riscos e estabelecer
a base para a análise quantitativa de riscos
Gerenciamento de Riscos
 Matriz de probabilidade e impacto
Gerenciamento de Riscos
 11.4. Análise quantitativa de riscos:
 É realizada nos riscos que foram priorizados pelo
processo análise qualitativa de riscos, atribuindo uma
classificação numérica a tais riscos.
Gerenciamento de Riscos
 11.5. Planejamento de respostas aos riscos:
 Desenvolver procedimentos para
destacar as oportunidades e reduzir
ameaças aos objetivos do projeto
 Aborda os riscos de acordo com a sua
prioridade, inserindo recursos e
atividades no orçamento, cronograma e
plano de gerenciamento do projeto
Gerenciamento de Riscos
 Estratégias de respostas aos riscos:
Gerenciamento de Riscos
 11.6. Monitoramento e controle de riscos:
 Processo de identificação, análise e planejamento dos riscos
recém-surgidos. Inclui:
 Acompanhamento dos riscos identificados e dos que
estão na lista de observação,
 Reanálise dos riscos existentes,
 Monitoramento das condições de acionamento de
planos de contingência,
 Monitoramento dos riscos residuais
 Revisão da execução das respostas a riscos enquanto
avalia sua eficácia
Aula Matéria
Introdução ao Gerenciamento de Projetos
10/07/13 Ciclo de Vida e Organização do Gerenciamento do Projeto
Gerenciamento de Escopo do Projeto
Gerenciamento de Tempo do Projeto
12/07/13 Gerenciamento de Custo do Projeto
Gerenciamento de Qualidade
17/07/13 Gerenciamento de Recursos Humanos do Projeto
Gerenciamento das Comunicações
19/07/13 Gerenciamento de Riscos do Projeto
Gerenciamento de Aquisições do Projeto
24/07/13 Gerenciamento de Integração do Projeto
Gerenciamento das Aquisições
Gerenciamento das Aquisições

 Engloba os processos para comprar ou adquirir produtos,


serviços ou resultados necessários de fora da equipe do projeto
para realizar o trabalho
 Inclui ainda processos de gerenciamento de contratos e de
controle de mudanças necessários para administrar os contratos
ou pedidos de compra
Gerenciamento das Aquisições

 12.1. Planejamento aquisições:


 Determinação do que adquirir, quando
e como fazer – Make-Or-Buy
 Identifica quais necessidades do
projeto podem ser melhor atendidas
pela compra ou aquisição de produtos,
serviços ou resultados externos à
organização do projeto
Gerenciamento das Aquisições

 12.2. Realizar Aquisições:


 Documentação dos requisitos de produto,
serviços e resultados; e identificação de
possíveis fornecedores
 Obtenção de cotações, licitações,
ofertas ou propostas de possíveis
fornecedores sobre como será
atendido os requisitos do projeto.
Gerenciamento das Aquisições

 12.2. Realizar Aquisições:


 Escolha entre possíveis fornecedores
 Recebe cotações e propostas e aplica critérios de avaliação
para selecionar um ou mais fornecedores que sejam
qualificados e aceitáveis
 Fatores que podem ser avaliados:
 Preço ou custo
 Seções técnicas (abordagem) e comerciais (preço)
 Cronogramas de entrega e requisitos de qualidade
Gerenciamento das Aquisições

 12.3. Administração de aquisições:


 Administração do relacionamento com o fornecedor
 Garantir que o desempenho do fornecedor atenda aos
requisitos contratuais

 12.4. Encerramento de aquisições:


 Conclusão e liquidação do contrato
 Envolve a confirmação de que todo
trabalho, assim como as entregas,
foram realizadas e aceitas
Gerenciamento de Integração
Gerenciamento de Integração

 Gerenciar a integração é como montar um quebra-cabeça:


cada peça deve ser colocada no seu devido lugar, de maneira
coerente e consistente, a fim de se obter o resultado
esperado.
Gerenciamento de Integração

 Os processos de gerenciamento de integração incluem:


Gerenciamento de Integração

 4.1. Desenvolver o termo de abertura:


 O termo de abertura do projeto é o documento que
autoriza formalmente um projeto ou uma de suas fases
 O termo de abertura do projeto concede ao gerente de
projetos a autoridade para aplicar os recursos
organizacionais nas atividades do projeto.
 O termo de abertura pode ser determinado a partir de um dos
seguintes itens:
 Uma demanda de mercado
 Uma necessidade de negócios
 Uma solicitação de um cliente
 Um avanço tecnológico
Gerenciamento de Integração

 4.2.Desenvolver o plano de gerenciamento do


projeto:
 O processo Desenvolver o plano de gerenciamento do
projeto inclui as ações necessárias para definir, coordenar
e integrar todos os planos auxiliares em um plano de
gerenciamento do projeto. Este processo inclui:
Gerenciamento de Integração

 4.3.Orientar e gerenciar a execução do projeto:


 O processo Orientar e gerenciar a execução do projeto exige
que o gerente de projetos e a equipe do projeto realizem
várias ações para executar o plano de gerenciamento do
projeto a fim de realizar o trabalho definido na declaração
do escopo do projeto.
 Este processo exige a implantação de:
Gerenciamento de Integração

 4.4.Monitorar e controlar o trabalho do projeto:


 O processo Monitorar e controlar o trabalho do projeto é
realizado para monitorar os processos do projeto
associados com a iniciação, planejamento, execução e
encerramento.
 São tomadas ações preventivas ou corretivas para
controlar o desempenho do projeto.
Gerenciamento de Integração

 4.5.Controle integrado de mudanças:


 O processo Controle integrado de mudanças é realizado
desde o início do projeto até o seu término.
 O controle de mudanças é necessário porque raramente a
execução dos projetos segue com exatidão o plano de
gerenciamento do projeto.
Gerenciamento de Integração

 4.6.Encerrar o projeto:
 O processo Encerrar o projeto envolve a realização da parte
de encerramento do projeto do plano de gerenciamento do
projeto.
 Em projetos com várias fases, o processo Encerrar o projeto
encerra a parte do escopo do projeto e as atividades
associadas, aplicáveis a uma determinada fase.