Você está na página 1de 22

Resistência dos Materiais

Aplicados a Engenharia Civil

Flexão
Objetivo da Aula

• Saber o que é flexão


• Conhecer Diagrama de corpo livre
• Determinar Força Cortante
• Determinar Momento Fletor
• Diagrama de força cisalhante
• Diagrama do momento fletor

Base teórica da aula para estudo:


Livro – Resistência dos Materiais (HIBBELER) Cap. 6 Pág. 181
Elementos Constituintes das Estruturas

Viga (barra) - Corpos materiais estruturais em que o


comprimento longitudinal (x) é muito maior que as
dimensões da seção transversal (b, d) e suportam
cargas perpendiculares a seu eixo longitudinal.

Viga reta - possuem o eixo longitudinal reto.


Viga prismática - possuem a mesma seção
transversal ao longo de seu comprimento.
Elementos Constituintes das Estruturas

Classificadas de acordo com o modo como são apoiadas

Simplesmente apoiada

Em balanço

Apoiada com uma


extremidade em balanço
TIPOS DE ESFORÇOS

TRAÇÃO – solicitação que tende


a alongar a peça no sentido da reta
de ação da força aplicada.

COMPRESSÃO – solicitação que


tende a encurtar a peça no sentido
da reta da força aplicada.

CISALHAMENTO – solicitação que


tende a deslocar paralelamente,
em sentido oposto, duas seções
de uma peça (força cortante).
TIPOS DE ESFORÇOS

FLEXÃO – solicitação que tende


a modificar o eixo geométrico
de uma peça.
Ex.: uma barra inicialmente reta
que passa a ser uma curva.
Uma viga ao se flexionar, as
suas fibras situadas acima
da LINHA NEUTRA sofrem
uma compressão, enquanto
que as fibras inferiores,
sofrem uma tração. As
fibras da camada neutra se
mantêm inalteradas.
TIPOS DE ESFORÇOS

Carga uniformemente distribuída - cargas cujas características


vetoriais de intensidade e sentido não variam ao longo do
comprimento da barra em que são aplicadas.

Carga uniformemente variável - carga tem sua


intensidade variando de forma linear ao longo do
comprimento da barra em que são aplicadas.
TIPOS DE ESFORÇOS

Carga concentrada. São as cargas cuja característica vetorial


é única, sendo representada por intensidade, sentido e
ponto de aplicação. Elas são simplificações do carregamento
real, cujo objetivo é simplificar o cálculo estrutural.

Representação de carga
dinamicamente equivalente
à carga retangular.
TIPOS DE ESFORÇOS

Todos os corpos rígidos, ao serem submetidos a forças


externas: ativas (cargas) e reativas (reações de apoio),
apresentam mudança da forma geométrica (deformações).

Tensão é o estado que a matéria assume


decorrente de uma deformação.

Forças internas são os esforços originados das


tensões desenvolvidas pelos materiais que
constituem os corpos rígidos.
São responsáveis por manterem unidos os vários
pontos materiais que constituem um corpo rígido.
Diagrama de corpo livre

É o esquema onde fazemos a analise do corpo


isoladamente, isto é, livre de vínculo físicos.
Representando os vetores de todas as forças e
momentos que atuam sobre o corpo a ser estudado.
Exercício

A estrutura apresentada na figura é uma barra com


dois apoios, sendo no ponto A o apoio articulado
móvel e no ponto B o apoio articulado fixo. Ela está
sujeita à ação de uma força concentrada na posição C.
Calcular as reações e os esforços solicitantes.
Exercício

RA RB

෍𝐹 = 0 ෍ Mo = 0 MF = −60 ∙ 4
MF = −240 kN ∙ m
𝑅𝐴 + 𝑅𝐵 − 60 = 0 Pólo em A
R A + 24 − 60 = 0 MRB = R B ∙ 10
MRA = 0 kN
R A = 36 kN R B ∙ 10 − 240 = 0
R B = 24 kN
ESFORÇOS INTERNOS SOLICITANTES

M N

36 kN RA V Diagrama de corpo livre

Força cortante 60 kN
Trecho 0 < X < 4,00 m C
V = 36 kN - força cortante constante 36 kN 24 kN

Trecho 4,00 m < X < 10,00 m


V = -24 kN - força cortante constante
ESFORÇOS INTERNOS SOLICITANTES

R A = 36 kN R B = 24 kN

RA RB

Momento Fletor
0 < X < 4,00 m 4,00 m < X < 10,00 m Para X = 10 m
M = RA.x Para X = 4 m M = RA.x – 60 (x – 4) M = 36.10 – 60 (10 – 4)
Para X = 0 m M = 36.4 Para X = 4 m
M = 0 kN.m M = 144 kN.m M = 0 kN.m
M = 36.4 – 60 (4 – 4)
M = 144 kN.m
Diagrama de Forças cortante
e Momentos fletores

M = 0 kN.m
V=36 kN M = 144 kN.m
V=-24 kN RA RB M = 0 kN.m

V (kN)
36

x
-24
M (kN.m)
x

144
Exercício

A estrutura apresentada é uma barra com dois apoios,


sendo no ponto A o apoio articulado móvel e no ponto
B o apoio articulado fixo. Ela está sujeita à ação de uma
carga uniformemente distribuída em todo vão. Para
esse carregamento, os esforços internos solicitantes são
a força cortante e o momento fletor.
Diagrama de corpo livre

200 kN

N
5,00 m
RA RB
Carga dinamicamente equivalente
20.10 = 200 kN à carga distribuída original
෍F = 0 ෍ Mo = 0 −200 ∙ 5 + R B ∙ 10 = 0
R A + R B − 200 = 0 Pólo em A −1000 + R B ∙ 10 = 0
R A + 100 − 200 = 0 R B = 100 kN
MRA = 0 kN
R A = 100 kN
ESFORÇOS INTERNOS SOLICITANTES

200 kN

N
5,00 m
100 kN RA RB 100 kN

Força cortante
Trecho 0 < X < 10,00 m
V = RA - qx Para X = 0 m Para X = 10 m
V = 100 - 20x V = 100 – 20.0 V = 100 – 20.10
V = 100 kN V = -100 kN
ESFORÇOS INTERNOS SOLICITANTES

200 kN

N
5,00 m
100 kN RA RB 100 kN

Momento Fletor Para X = 0 m Para X = 10 m


0 < X < 10,00 m M = 100.0 – 10.02 M = 100.10 – 10.102
M = RA.x – qx . x/2 M = 0 kN.m M = 0 kN.m
M = RA.x – qx2/2 Momento fletor máximo quando V = 0
M = 100.x – 10x2 V = 100 - 20x Mmax = 100.5 – 10.52
0 = 100 - 20x Mmax = 500 – 250
x=5m Mmax = 250 kN.m
Diagrama de Forças cortante
e Momentos fletores
200 kN

N
5,00 m
100 kN RA RB 100 kN

V (kN)
100

x
−100
5,00 m
M (kN.m)
x

parábola
250
Revisão / Fechamento da Aula

• Flexão
• Diagrama de corpo livre
• Força cortante
• Momento fletor
• Diagrama de força cisalhante
• Diagrama do momento fletor
Encerramento

Conteúdo elaborado por:

Prof. Mauro Noriaki Takeda