Você está na página 1de 9

~rão nea , com

através da escolha de ~ como uma solução da equação de onda escalar não ho


_
"",'
l1Joge,-
Os campos E e B são deriváveis das funções potenciais: àA
o<p
V . A + (/1 --
ar B =V x A, E = - V rp - ar- .
como termo-fonte. Acabamos de ver como encontrar tal solução. Uma escolha de poten. 6. Os potenciais satisfarão as equações de onda não homogêneas
ciais que satisfazem a condição de Lorentz é chamada de sistema de Lorentz. Outras esco~
lhas de sistemas (isto é, outras escolhas de 'V' A) são úteis em outras circunstâncias. 02rp I
o
V2rp - (fl ai1 = - -; p,
Com o desenvolvimento dos potenciais retardados, o trabalho básico sobre a radia.
ção estú completu. Resta aplicar esta matéria à solução de problemas práticos. Este é oA~
objetivo dos próximos cinco capítulos. _ " aA 2
2
V A - (/1 7ir2 = - /1 J,
16·7 RESUMO -, a condição de Lorentz
Este capítulo contém os fundamentos de toda a teoria eletromagnética clássica. As.
; se aep
equações de Maxwell são as equações diferenciais que determinam Guntamente COm as V . A = - (/1 -aI
condições de contorno para uma situação particular) os campos produzidos pelas fontes
de carga e de corrente: . ~ imposta. Estes potenciais detel minarão a geração deondas e~etro~lagn~ti:as por dlstri-
'b~ções de carga prescritas e de correntes. Soluções partIculares no vacuo sao
V· B= 0, V· D=p,
aR =0 1 ,- p(r', 1') d '
E+"
ar ' V x H -
àO
a-'- = J. rp( r, t) = 4'~Z;. Tr-= ~;T v,

Os campos E e B são operacíonalmente definidos peja força de Lorentz . /10 f J(r', t') d '
F = q(E + v x B),
A(r, t) = 4rr .~=--iT v,

e os campos D e H estão relacionados a eles através das equações constitutivas do meio,


D = D(E), H = H(B).
As equações de Maxwell têm as seguintes conseqüências importantes: t' = t-
1.1' .-,rj
1. A carga elétrica é conservada, de acordo com a equação da continuidade
c h2 w;-.O~:tu'v ~
é o tempo retardado. Daí se chamarem potenciais reta1~~dffs.
+ ~p =0.
mCÃ.{ Wuu..X
I~~ ~ ~'
V •J
ae dJ.. JV\J'/'''' r- .
I 'i1
' ~~39BLEMAS O/J JLq, lacas em forma de discos circulares, tem a região entre
: ,,' """'J. Um capacltor de placas paralelas, com p rmitividade € O dielétnco é imperfeito, possuindo uma
V •S + ou
.- '. duas placas preenclllda por um dlelctnco de pe
d d d
Condutividade g. A capacl a e o capa I
. ,
c'tor é C O capacltor e carrega
'.
do até uma diferença de poten-
função do tempo. (b) Encontre a cor-
De eia! Á e Isolado. (a) Encontre a carga sobre o capacito r como , . ., .
rente:e deslocamento no dielétrico. (c) Encontre o campo magneiJco no dleletllco.
onde a densidade de energia do campo é (em um meio linear)
~, ,. , .. - entre a densidade da corrente de deslocamen-
-~ O Q de um meIO dleletnco e defInIdo como a raz.ao _ d d monocroma' tica este reduz-se a
u = 1(E . O + B . H) to e a densidade da corrente de con d uçao. - N uma" propaoaçao e on af . f _ l', 106 . 109 Rz.
e o fluxo de energia por unidade de área é o vetor de Poynting .
we
Q'= D/ t
g. e ermu
lC Q para o qUarlZO e para o enxofre, nas seguintes rcquencIas. -, ,
A

t 'deal S1I-
• •

. .~ . . d or uma dIstânCIa d, formam um capacl ar 1 .


S=ExH. ' Duas placas cnculares, de lalO a, separa as p D'f llne (Isto é despreze o efeito do
' Ponha que o dielétrico é um Isolante perfeito com ~amPdo um odo por um~ corrente 1 constarlte.
3. A propagação da onda eletromagnética pode Ocorrer com a velocidade c = I/..;~ campo nas extremidades das placas). O capacitor es;a sen ~dcarre~~ dielétrico (b) Encontre o módu-
no vácuo, igual à velocidade da luz. H to P sobre a superflcle CIl 1Il rIca . d
(a) Encontre o campo num pon . S P (c) Integre S n 'sobre a superfície cilíndflc~ o
o

10, a direção e o sentido do vetor de p~yntIng, em. . _ o tempo da energia eletrostatica


4. As condições de contorno sobre os campos são determinadas fluma interface entre dielétrico e demonstre que o resultado e Igual a taxa de vanaçao, com ,
meios diferentes. As componentes tangenciais de E e H são contínuas e as mais importan-
tes. ;az.enada. te cstacio-
. . 'd ção reta A conduz uma corren .
16· Um fio metálico reto, de condutlVJdade g e area a s~ ,p t;; na superfície do fio. Integre a
nária I. Determine o módulo, a direção e o sentido do vetor e oyn ,n
. d u'nica função vetoria! Z (vetor de Hertz.), onde Z satisfaz. a equação
a partlf e uma
componente normal do vetor de Poynting sobre a superfície do fio para um segmento de comprime " 1 ('2Z P
L e compare seu resultado com o calor de jou!e produzido neste segmento. nll) , VZ
2
- "2 - 2
C cr (o
16-5 Suponha que existe, numa certa região, um campo eletrostático e um campo magnetostático. D '.
monstre que embora o vetor de Poynting possa ser não nulo, a integral de superfície de S • n 'se an e -
la
I 1 az.
sobre uma superfície fechada arbitrária no interior da região. U E = \~x , x Z - (o p, B = ~2 V x -'[}'r .
16-6 É dada a equação de onda unidimensiona! ~L...
<' 13
. a! -o J-O €=€
E dado um meIo no qu P - , -, o'
porém onde a magnetizaçãoM(x,y,z,r)éuma
~ . • .
a2 E a2 E L.".. 16- d D t e que as equaço-es de Max\\'ell são obtidas, corretamente, a partu de uma umca
:';;-'função da a. emons r .' _ '
iT;i = (}1 at'i" K: f nção vetoria! Y, onde Y satlsfaz a equaçao
.. ·v. u I
onde E é o módulo do vetor campo elétrico. Suponha que E tem urna direçãO constante, ou seja, a di- ,~. V2y __
- ~i-r [2
reção y. Introdul,indo a mudança de variáveis,
ç = t + .j~z, ('y
B = V x V x Y, E = - V x ir
1'/= z, t-h ~ as equações de MaxweIl para um meio isotrópico, homogêneo, não condutor, li·
demonstre que a equação de onda assume uma forma que é facilmente integrada. Integre a equação pa- 16-14 Demons t re qu
ra obter vre de cargas, podem ser satisfeitas, tomando-se
1. E =' parte real de V x V x (Fa),

onde I': e E, são funções arbitrárias. ("


1
B = parte real de (Jl ar V x (Fa),
16-7 É dada a onda eletromagnética
E = iEo cos w(h z - t) + jEo sen w(.j(.p z - r),

onde Eo é uma constante. Encontre o campo magnético B correspondente e o vetor de Poynting.


"16-8 Partindo de uma expressão para a força por unidade de volume sobre uma região do espaço livre E = parte real de - aía V x (Fa),
que contém cargas e correntes:

e usando as equações de Maxwell e a identidade vetoria! da Eq. (14-24), demonstre que

Fv = -{o aia (E x B) + {oE V . E - 2" {o V (E2)


1
+ {o(E' V)E

1
+~BV·B--·-V 1 (2)'
B +~ 1 ( B·VB)
~o 2}10 }10
(A quantidade €o E XB é chamada, às vezes, de densidade de momentum do campo eletromagnético.)'

16-9 f dada uma onda plana caracterizada por um Ex, By propagando-se no sentido positivo de z,
_ •
E = .Eo sm
.
'x (z -
21!
cr).

Demonstre que é possível tomar o potencial escalar


que satisfaça a condição de Lorentz.
«J = ° e encontre um potencial vetoria! A possível,

16-10 Demonstre que no espaço livre com p = O, J = 0, as equações de Maxwell são obtidas correta-
mente a partir de uma só função vetoria! A que satisfaz .
V . A = O, 2
I 2A
V A - .- __ = O.
a o

c2 8t2
O sistema no qual V • A'= °
é chamado de sisrema de Cal/10mb.
16-11 Demonstre que um sistema conveniente pode ser encolhido cm um m"io condutor linear de for-
ma que A e «J satisfaçam, cada um, a equação de onda amortecida, Eq. (16-29). Suponha que p == O,
16·12 f: dado um meio no qual p = 0, J = 0, J.l = IJo ' mas onde a polarização P é uma função dada 'da
posição e do tempo: P = P(x, y, Z, t). Demonstre que as equações de Maxwell são obtidas, corretarnen-
/
riai magnético é suspensa por um fio comprido no campo não-unifor- SEÇÃO 32.10 Corrente de Deslocamento
me (d = 2 cm) entre os pólos de um potente eletroímã. O pólo P1 é
pontiagudo e o pólo P2 é arredondado como indicado. Qualquer defle- 29E. Prove que a co;re?te de deslocamento em um.c~acitor de placas
xão do fio da direção vertical pode ser vista pelo público par meio de p~alelas de capacltanCla C pode ser escnta como ld - C(dV/dl), onde
um sistema de projeção óptica (não mostrado). (a) Primeiramente, uma Ve a dIferença de potencIal entre as placas. .
amostra de bismuto (altamente diamagnético) é usada. Quando o ~f' A que taxa a diferença de potencial entre as placas de um capaCitor
eletroímã é ligado, observa-se que a amostra sofre uma ligeira deflexão de placas paralelas com uma capacitância de 2,0 j.LF tem que ser varia-
(cerca de 1 mm) emdireção a um dos pólos. Quais a direção e o sentido da para produzir uma corrente de deslocamento de 1,5 A?
desta deflexão? (b) Em seguida, uma amostra de alumínio (paramagné- . _'. .
tico, condutor) é usada. Quando o eletroímã é ligado, observa-se que a E. Para a sItuaçao do Problema ResolvIdo 3,2.3,-mostre que a dens~
amostra sofre uma forte deflexão (cerca de 1 cm) em direção a um pólo (jade de corrente da corrente de deslocamento e Jd - eo(dE/dl) para r -
por cerca de um segundo e depois é defletida moderadamente (algUns R,.
milímetros) em direção ao outro pólo. Explique e indique os sentidos ~. Um capacitar de placas paralelas com placas circulares de raio igual
destas deflexões. (Dica: A amostra de alumínio é um condutor, para a aO,IO m está sendo descarregado. Um laço circular de raioigual aO,20 m
qual a lei de Lenz· se aplica.) (c) O que aconteceria se uma amostra é concêntrico com o capacitor e está à meia distância entre as placas. A
ferromagnética fosse utilizada? corrente de deslocamento através do laço é de 2,0 A. A que taxa o cam-
• Xp~létrico entre as placas está variando?
~~P. Quando um capacitor de placas paralela~ com placas circulares
de 20 cm de diâmetro está sendo carregado, a densidade de corrente da
corrente de deslocamento na região entre as placas é uniforme e tem
uma: intensidade de 20 A/m2. (a) Calcule a intensidade B do campo
magnético a uma distância rc= 50 mm do eixo de simetria desta região.
(b) Calcule dE/dI nesta região .
•~. A intensidade do campo elétrico entre as duas placas circulares
paralelas ná Fig. 32.26 é E = (4,0 X 105) - (6,0 X 104t), com E em
volts por metro e I em segundos. Em I = O, o campo está dirigido para
cima como mostrado. A área da placa é igllal a 4,0 X 10-2 m2• Para I 2:
O, (a) qual a intensidade e o sentido da corrente de deslocamento entre
as placas e (b) o sentido do campo magnético induzido, horário ou anti-
horário, ao redor das placas?

25P. O momento dedipolo magnético da Terra é igual a 8,0 X 1022 JfT.


(a) Se a origem deste magnetismo fosse uma esfera de ferro magnetiza-
da no centro da Terra, qual seria o seu raio? (b) Que fração do volume
da Terra ocuparia uma esfera como esta? Suponha um alinhamento
completo dos dipolos. A massa, específica no núcleo mais interno da
Terra é de 14 g/cm3 O momento de dipolo magnético de um átomo de
ferro é igual a 2,1 x,IO-23 JfT. (Obs.: Pensa~se, de fato, que o núcleo
mais interno da Terra esteja tanto na forma líquida quanto na sólida e
seja parcialmente de ferro, mas a hipótese de um ímã permanente ser a 35P. Um campo elétrico uniforme despenca para zero a partir de uma
fonte do magnetismo da Terra já foi descartada por várias considera- intensidade de 6,0 X 105 N/C em um intervalo de tempo de 15 j.Ls, da
ções. Uma delas é que a temperatura está certamente acima do ponto de maneira mostrada na Fig. 32.27. Calcule a intensidade da corrente de
Curie.) deslocamento, que atravessa uma área de 1,6 m2 perpendicular ao cam-
po, durante cada um dos intervalos de tempo a, b e c mostrados no grá-
fico. (Ignore o comportamento nos extremos dos intervalos.)

26E. O Problema Resolvido 32.3 descreve o processo de carregamento


de um capacitor de placas paralelas com placas circulares de raio igual
a 5:5,0 mm. Em quais dois raios r do eixo central do capacitor a intensi-
dade do campo magnético induzido é igual a 50% do seu valor máxi-
~ __ a _~ EU:-T r- H - ~-. -, -~. c~,=,_- :_-~

mo? '§: 6
o
.g 4 _._.

ir-~-~;i-~;'! i :
27E. O campo magnético induzido a 6,0 mm do eixo central de um
capacitar de placas paralelas circulares e entre as placas é de 2,0 X
10-7 T. As placas têm raio igual a 3,0 mm. A que taxa dE/dI está vari-
ando o campo elétrico entre as placas?
28P. Suponha que um capacitor de placas paralelas possui placas cir- u O 2 4 6 8 10 12
Tempo (fJS)
culares com raio ~ = 30 mm e uma separação entre as placas de 5,0 mm.
Suponha também que uma diferença de potencial senoidal com um valor Fig. 32.27 Problema 35,
máximo de 150 V e uma freqüência de 60 Hz seja aplicada entre as pla-
cas; ou sej a, ~~
j"'{"' Um capacitar de placas paralelas com placas circulares está sen-
do carregado. Considere um laço circular centrado no eixo central en-
tre as placas. O raio do laço é igual ~ 0,20 m; o raio das placas é de O,10m
(a) Determine Bmáx(R), o valor máximo do campo magnético induzido e a corrente de deslocamento que atravessa o laço é de 2,0 A. Qual a
que ocorre em r = R. (b) Faça o gráfico de Bm"x(r) para O < r < 10 cm. taxa com que o can1po elétrico entre as placas está variando?
~ Um capacitor de placas paralelas tem placas quadradas de 1,0 m O,SOmr
de lado, como mostrado na Fig. 32.28. Uma corrente c!.e2,0 A carrega o
capacgor, produzindo um campo elétrico uniforme E entre as placas,
com E perpendicular às placas. (a) Qual a corrente de deslocamento id
11,Om
que atravessa a região entre as placas? (b) Quanto vale dEldt nesta re-
gião? (c) Qual a corrente de deslocamento que atravessa a trajetória tra- ~
cejada quadrada entre as placas? (d) Qual o vàlor de
desta trajetória tracejada quadrada?
f B' ds ao redor

fi~' Um capacitor com placas circulares paralelas de raio R está des-


carregando por meio de uma corrente de 12 A. Considere um laço de induzido máximo possui intensidade igual a 12,0 mT. (b) A que distân-
raio RI3 que está centrado sobre o eixo central entre as placas. (a) Qual cia radial do eixo central da placa a intensidade do campo magnético
a corrente de deslocamento envolvida pelo laço? O campo magnético induzido é igual a 3,00 mT?
-s. r: ~. o rícx!o de o:i.:Jia, -O" (0) Qu a r:-e .::é::- de 0- i a- 34,0 V
~-o? Q 'anto empo depois da energia magnérica atingir um "alor
I -}

::láUmo ela voltará a ter um valar máximo'


5P. A freqüência de oscilação de um certo circuito LC é igual a 200
lliz. :-\0 instante t = O, a placa A do capacitor possui carga positiva
áxima. Em que instantes t > O (a) a placa terá novamente carga posi-
··va máxima, (b) a outra placa do capacitar terá carga positiva máxima
~~

I H'H ;j:
(c) o indutor terá campo magnético máximo?

14P. São fornecidos um indutor de 10 mH e dois capacitores, um-de


6E. Um objeto de 0,50 kg oscila em MHS (movimento harmônico sim- 5,0 fLF e outro de 2,0 fLF. Liste as freqüênciàs de oscilação que podem
ples) ligado a uma mola que, quando esticada de 2,0 mm da sua posi- ser geradas ligando-se estes elementos de várias maneiras.
ção de equilíbrio, exerce uma força restauradora de 8,0 N. (a) Qual a
15P. Um capacitor variável com uma faixa de 10 a 365 pF é usado com
freqüência angular da oscilação? (b) Qual o período de oscilação? (c)
uma bobina para formar um Circuito LC de freqüência variável para sin-
Qiül1a capacitância de um circuito LC com o mesmo período se for
tonizar o sinal de entrada para um rádio. (a) Que razão entre as freqüên-
escolhida uma indutância L de 5,0 H?
cias máxima e mínima pode ser obtida com um capacitar corno este?
7P. A energia em um circuito LC 0~ci1atório contendo um indutor de (b) Para que este circuito obtenha freqüências na faixa de 0,54 MHz até
1,25 H é igual a 5,70 fLJ. A carga máxima no capacitar é de 175 fLC. 1,60 MHz, a razão calculada em (a) é grande demais. Acrescentando
Determine (a) a massa, (b) a constante de mola, (c) o deslocamento um capacitor em paralelo com o capacitor variável, esta faixa de fre·
r máximo e (d) a velocidade máxima para um sistema mecânico com o qüência pode ser ajustada. Qual deveria ser a capacitância deste novo
t mesmo período. . capacitar, e que indutância deveria ser usada para se obter a faixa de
f. freqüências desejada?
~ SEÇÃO33.4 Oscilações Le, Quantitativamente ~. Em um circuito LC oscilatório, 75% da energia total estão arma-
~.;~ ~sciladores LC faram usados e~.circuito~ligados a alto-f~lan- zenado~ no campo m:gné:ico do indutor .em um determinado instante.
:~ para cnaJ; alguns dos sons da muslca eletromca. Que mdutancla (a) Em .ermos ?da caroa maxlma no capacltor, ~ual a carga no capacltor
~ tem que ser usada com um capacitor de 6,7 fLF para produzir urna nesse l~stante .. (b) Em termos d~ corren;e maXlma no mdutor, qual a
r freqüência de 10 kHz, que é próxima do meio da faixa audível de \:COr:~k que passa por ele nesse mstante.
~ freqüências? . '- ~. Em um circuito LC osci1atório, L = 25,0 mH e C = 7,80 fLF. No
" .' 9E E "t LC '1 t> . L-50 mH C - 4 O F '. inst~te t = O, a corrente é de 9,20 mA, a carga no capacitor é de 3,80 fLC .
. m um Clrcm o OSCIa ono com - e - , fL ,a /' > d d () Q al . 1 . '?
. >. . . >' Q > eo capacltor esta sen o carrega o. a. u a energia tota no crrcmto.
t corrente e lfUclalmente maXlma. uanto tempo se passara antes que o (b) Q 1 ' . . ? ( ) Q al ,. ? (d)
, . . 1 dI"? ua a carga maxlma no capacltor. c u a corrente maXlma.
:J I capacitar esteja comp etamente carrega o pe a pnmelra vez. S . f d d Q ( +,J.,) 1 ' A
-' e a carga no capacitar ar a a por q. = COSwt 'f' , qua sera o an-
, DE. em ircuito de malha simples é fOfl1)adopor indutores (L" Lz, ... ), guio de fase 4>?(e) Suponha os mesmos dados, só que agora considere
apacirore (C Cl, ...) e resistOl;es (R" Rl, ...) ligados em série como que o capacitor esteja descarregando em t = O. Quanto. vale então 4>?
mostrado. por. "exemplo, na Fig. 33.22a. Mostre que independentemen- 18P U . d > l' d t" d 't'
..A . . . .. m m uror esta loa o aos ermlllalS e um capacI or cUJa
te da sequencla destes elementos de Clrcmto na malha, o comportamen- . A .~. " . _ .
d .. o' dA' d" t LC' 1 t d F' capacltancla pode ser alterada girando-se um botao. Queremos fazer com
t~ este crrculto e I entlCO ao o crrcm o Slmp es mos ra o na 19. que a freqüência de oscilação deste circuito LC varie linearmente com
~."
• 3J.22b.
C 31 (DIca: ConSidere a regra ~ das malhas e veja o Problema 43 no A 1o d e ro t açao
o angu - uO
" b o t-ao,1O
. d o d e 2 X 105 a t'e 4 X 105 H z ao se grrar .

U~I
~ ap. .) o botão de 180°. Se L = 1,0 mH, faça um gráfico da capacitância C
;. necessária em função do ângulo de rotação do botão ..
, . ~'~AA_Q ~.EmumcircuitoLCoscilat6rio,L=3,00mHeC=2,70fLF.No
[ r v v II vv - v v v-~ • instante t = Oa carga no capacitor é nula e a corrente é de 2,00 A. (a)
; LI C1 L2 RI C2 R2 L C .R Qual a éârgaÍnáxima que aparecer1ri'(réapacitor? (b) Em termos do
r pe.íodo T de oscilação, quan~ranscorrerá após t "" O até que se
,. alcance a taxa máxim'Lde armazenamento de energia no capacitor? (c) o
" (a) (b) Qual é esta taxa máxima com que se transfere energia para o capacitar?
f Fig. 33.22 Exercício 10. 20P. Um circuito em série contendo urna indutância Lje um.a
~' capacitância C1 oscila a uma freqüência angu-Iar úJ. Um segund"o circui"-
~••••••
/~ . to em série, contendo uma indutância L2 e urna capacitância Ci, oscila
~l'f.'
Um circuito LC oscilatório formado por um capacitar de 1,0 nF na mesma freqüência angular. Em termos de w, qual a freqüência anguo
l e uma bobina de 3,0 mH tem uma tensão máxima de 3,0 V. (a) Qual a lar de oscilação de um circuito em série contendo todos estes quatro
[ carga máxima no capacitor? (b) Qual a corrente máxima que perco~e elementos? Despreze as resistências. (Dica: Use ~rmulas para a
;., o CirCUito?(c) Qual a energia máXima armazenada no campo magnetl-. capacitância equivalente e a indutância equivalentê; veja a Seção 26.4
~.' co da bobina? e o Problema 43 no Capo 31.)
~ ~. Em um circuito LC oscilatório no qual C = 4,00 fLF, a diferenç~~. Em um circuito LC oscilatório com C = 64,0 fLF, a corrente em
~ de potencial máxima entre os terminais do capacitar durante as oscila- ?u'n~o do tempo é dada por i = (1,60) sen(2500t + 0,680), onde testá
:J( ções é de 1,50 V e a corrente máxima que atravessa o indutor é igual a em segundos, i em amperes e a constante de fase emradianos. (a) Quanto
50,0 mA. (a) Qual a indutância L? (b) Qual a freqüência das oscila- tempo depois de t = O a corrente atingirá o seu valor máximo? (b) Qual
ções? (c) Quanto tempo é necessário para que a carga no capacitar cres- a indutância L e (c) qual a energia total?
ça de zero até o seu valor máximo? A . . A . . . . A'. .
22P. Tres mdutores ldentlcos L e dOIScapacItares ldenncos C são liga-
,. 13P. No circuito mostrado na Fig. 33.23, a chave é mantida na posi- dos em um circuito de duas malhas, como mostrado na Figo 3'3.24. (a)
ção a durante um tempo longo. Ela é então virada para a posição b. (a) Suponha que as correntes sejam as mostradas na Fig. 33.24a, Qual a
Calcule a freqüência da corrente oscilatória resultante. (b) Qual a am- corrente no indutor do meio? Escreva as equações das rrüilhas e mostre
plitude das oscilações da corrente? . que elas são satisfeitas se a corrente estiver oscilando com urna freqüên-
cia angular w = lJjiC. (b) Suponha agora que as correntes sejam as creva uma expressão para a carga q no capacitar em fun,ão cio :,,=-
po t e em termos da amplitude da corrente e da freq"ênc'3 u.g~~.::
mostradas na Fig. 33.24b. Qual a corrente no indutor do meio? Escreva
as equações das'malhas e mostre que elas são satisfeitas se a corrente w' das oscilações.
estiver oscilando com uma freqüência angular w = lJ)3LC. Como o 29P*. Em um circuito RLC em série oscilatório, mostre que a fra).o
circuito pode oscilar em duas freqüências diferentes, não podemos de- da energia perdida por ciclo de oscilação, b,UlU, é dada com uma boa
terminar um circuito LC de malha simples equivalente que o substitua. aproximação por 27iR/wL. A grandeza wL/R é freqüentememe cha-
mada de Q do circuito (de qualidade). Um circuito com um alto
possui baixa resistência e uma pequena fração de perda de energia
º
(=27i/Q) por ciclo.

t i(t)
SEÇÃO 33.8 Três Circuitos Simples
30E. Um capacitor de 1,50 p.F está ligado como mostrado na Fig.
33.9a a um gerador de CA com ~m = 30,0 V. Qual a amplitude da
corrente alternada resultante se a freqüência da fem for (a) 1,00 kHz
e (b) 8,00 kHz?
31 E. Um indutor de 50,0 mH está ligado como na Fig. 33.lOa a um
gerador de CA com ~m = 30;0 V. Qual a amplitude da corrente alterna-
da resultante se a freqüência da fem for (~) 1,00 kHz e (b) 8,00 kHz?

"'llrTC i
L t i(t)
32E. Um resistor de 50 ü está ligado como na Fig. 33.8a a um gerador
de CA com ~m = 30,0 V. Qual a amplitude da corrente alternada resul-
tante se a freqüência da fem for (a) 1,00 k:Hz e (b) 8,00 kHz?
33E. (a) A que freqüência um indutor de 6,0 mH e um capacitar de 10
p.F teriam a mesma reatância? (b) Qual seria a reatância? (c) Mostre
(b)
que esta freqüência seria a freqüência natural de mil circuito oscilatório
com os mesmos L e C.
34P. Um gerador de CA tem uma fem~ = ~m sen wi, com ~m = 25,0
23P*. Na Fig. 33.25, o capacitor 1 com C1 = 900 p.F está inicialmente Ve wd = 377 rad/s. Ele está ligado a um illçlutor de 12,7 H. (a) Qual o
carregado a 100 V e o capacitor 2 com C2 = 100 {LF está descarregado. O valor máximo da corrente? (b) Qual a fem dogerador quando a corren-
indutor possui uma indutãncia de 10,0 H. Descreva em detalhes como se te é máxima? (c) Qual a corrente quando a fem do gerador é de -12,5
pode carregar o capacitor 2 a 300 V manipulando-se as chaves 51 e 52' V e está aumentando em módulo? .
35P. Um gerador de CA tem uma fem ~ = ~m sen(wi - 7i/4), onde
~m = 30,0 V e Wd = 350 rad/s. A corrente produzida em um circuito
ligado a este gerador é i(t) = I sen(wi - 37i/4), onde 1= 620 mA. (a)
Em que instante t após t = O a fem do gerador alcança pela primeira
vez um máximo? (b) Em que instante t após t = O a corrente alcança
pél,! primeira vez um máximo? (c) O circuito contém um único elemento
além do gerador. Este elemento é um capacitor, um indutor ou uma re- .
sistência? Justifique a sua resposta. (d) Qual o valor da capacitância, da
indutância ou da resistência, conforme for o caso?
36P. O gerador de CA do Problema 34 está ligado a um capacitar de
24E. Considere um circuito LC amortecido. (a) Mostre que o termo de 4,15 p.F. (a) Qual o valor máximo da corrente? (b) Qual a fem dogera-
amortecimento e-Rd2L (que envolve L mas não C) pode ser reescrito de dor quando a corrente é máxima? (c) Qual a corrente quando a fem do
uma forma mais simétrica (envolvendo L e C) como e-"õRe[CiLitIT• Nes- gerador é igual a -12,5 V e está_~\lglet!!an~ em módulo? .
ta expressão, T é o período de oscilação (desprezando resistências). (b)
. ~'
Usando (a), mostre que a unidade SI para oJ L/C é o ohm. (c) Usando
(a), mostre que a condição para que a perda percehtual de energia por 37E. (a) Determine Z, q; e I para a situação do Problema Resolvido 33.7
ciclo seja pequena é R ~ .~ L/C. '. @ com o capacitor removido do circuito e todos os demaisparâmetros
permanecendo inalterados. (b) Desenhe em escala um diagrama fasoriaÍ
~. Que resistência R deveria estar ligada em série com uma indutãncia como o da Fig. 33.11d para esta nova situação.,
L = 220 mH e uma capacitância 'C = 12;0 p.F para que a carga máxima
no capacitor decaia~9,0% do seu valor inicial em 50,0 ciclos? (Su- 38E. (a) Deterrrline Z, cf; e I para a situação do Problema Resolvido 33~
ponha que w' = w.) h}:~r;~ t com o indutor removido do circuito e todos os demais parâmetros per:
manecendo inalterados. (b) Desenhe em escala um diagrama fasorial
~. Um circuito de m~;ha ~imples é formado por um resistor de 7,20 como o da Fig. 33.11d para esta nova situação.
D, um indutor de 12,0 H e um capacitor de 3,20 p.F. Inicialmente o
39E. (a) Determine Z, q; e I para a situação do Problema Resolvido 33.7,
capacitor tem uma carga de 6,20 p.C e a corrente é lll;l1a.Calcule a carga
t com C = 70,0 p.F, com os demais parâmetros permanecendo inaltera-
~apacitor após N ciclos completos para N = 5, 10 e 100.
dos. (b) Desenhe um diagrama fasorial como o da Fig. 33.11d para esta/
/.~. Em um circuito RLC em série osci:latório, determine o tempo neces- nová situação e compare os dois diagramas atentamente.
sário para que a energia máxima presente no capacitor durante uma oscila-
40P. Na Fig. 33.26,. um gerador com freqüência de oscilação ajustá-
----,
ção caia para a metade do seu valor inieial. Suponha q = Q em t = O.
28P .. No instante t = O não há nenhuma carga no capacitor de um
vel está ligado a uma resistência variável R, a um capacitor com C =
5,50 p.F e a um indutor com indutância L. A amplitude da corrente,.
circuito RLC em série, mas há uma corrente I através do indutor. (a) produzida no circuito pelo gerador está na metade do seu nível máxF .
Determine a constante de fase q; na Eq. 33.25 para o circuito. (b) Es- mo quando a freqüência do gerador é igual a 1,30 ou a 1,50 kHz. (ar'
os períodos aparentes de revolução de uma das luas de JÚpiter. O
período verdadeiro de revolução é de 42,5 horas. (a) Levando-se
em conta a velocidade finita da luz, que alteração se' pode esperar
no valor aparente deste período, quando a Terra se deslocar em sua
órbita do ponto x para o ponto y, vistos na Fig. 38-18? (b) Que
onde/(Io: ± wt) denota uma função arbitrária, também satisfazem
observações seriám necessárias para permitircnos calcular a velo-
àquelas equações de onda.
cidade escalar da luz') Desprezar o movimento de Júpiter em sua
órbita. A Fig.· 38-18 não está desenhada em escala.
-
Seção 38-5 Transporte de Energia e o Vetor de Poynting
.
8E.,Qual é o comprimento de onda da onda eletromagnéticaemi-
'j
, :'Mostre,determinando a direção e o sentido do vet,o; d~
Poyu-
Ihg S, que as direções e os sentidos dos campos elétrico e·magné-
tico em todos pontos das Figs. 38-4 até 38~8 são consistentes, em
'tina pelo sistema oscilador-antena da Fig. 38-3 se L= 0,253 j.LHe
C = 25,0 pF?
qualquer tempo, com a direção e o sentido de
propagação assumi-
dos em cada figura.
. '
. '

'\ . Qual o valor da indutância que ligada a um,capacitor de 17pF.


~ 'constitui um oscilador capaz de gerar ondas eletromagnéticas de 16E. Um Iaser de neqdímio-vidro operando normalmente pode
produzir 100 TW de potência em pulsos de 1,0 ns para um compri-
550 nm (ou seja, dentro da faixa visível)? Comente sua resposta.
mento de onda de 0,26 fLm. Que quantidade' de energia está conti-
da num único pulso? '
~' A Fig. 38-19 mostra um osciladorLC ligado por uma linha de
1r{fnsmissão a uma antena do tipo dipolo magnético. Compare com
~:. O nosso vizinho :estelar mais próximo, a:-Centauro, encontra- .
a Fig. 38-3 que mostra um dispositivo semelhailte mas com uma
se ~Ílma distância de 4,3 anos-h,Iz. Foi sugerido que programas de
antena do tipo dipoIo elétrico. (a) Qual é a base para os nomes
TV do nosso planeta alcançaram' esta estrela, podendo ter sido vistos
desses dois tipos de anténa? (b) Desenhe figuras correspondentes
~ pelos lüpotéticos habitantes d~ um hipotético planeta em órbita des-
às Figs. 38-4 e 38-5 para descrever a onda eletromagnética que
, sa estrela. Supor que uma esração de TV na Terra tenha uma potên-
passa pelo observador no ponto P da Fig. 38-19.
cia de 1,0 MW. Qual é a intensidade de seu sinal em a-Centauro?

18E. Uma onda eletromagnética está se propagando nO sentido


Ondaprogres~'a\
~ \' \
negativo do eixo y. Numa certa posição e num determinado instan-
te, o campo elétrico está orientado no sentido positivo do eixo z'e
tem um módulo de 100 V/mo Quais são.o módulo, a direção e o

[k) ~)).P .~.


sentido do campo magnético naquela posição e naquele instante?

O raio médio da Terra é de 6,37 X 106m e a distllRcia média


7j; )
d~~~~~~o

magnético . F 7// /
I Terr~-Sol é de 1,50 X 108 lem. Que fração da radiação emitida pelo
Sol é interceptada pelo disco da Terra?

20E. A radiaçã.o emitida por um laser não é exatamente um feixe


paralelo; sem dúvida, o feixe se espalha sob a forma de umcone
coril seção transversal circull\I. O ângulo (J do cone (veja a Fig. 38-
20) é cham.ado de ângulo completo da div.ergência do feixe. Um
Seção 38-4 A Onda Eletromagnética Progressiva - Estudo laser a argônio, irradiando em 514,5 nm,é apontado para a Lua
Quantitativo . durante Uma experiência de alcance. Se o ângti}~completo da di-
vergência do feixe é de 0,880 j.Lrad,que área da superfíCie da Lua
i~.. Numa onda eletromagnética pla~a, a amplitude do campo é iluminada pelo laser?
léT~co vale 3,20 X 10-4 V/m. Deterrmnar a ampl1tude do campo
magnético.

12E. Os compôrientes do campo elétrico associado comuma certa


onda eletromagnética pianasão dados por: E, = 0, Ey = O e E, =
2,0 COS [TI X 1015 (t ~xJc)], onde c = 3,0 X 108 m/s e todas as
grandezas estão em unidades SI. A onda está se propagando no
sentido positivo do eixo x. Escrever as expressões dos componen-
tes do campo magnético da onqa.
", • ~. A intensidade da radiação solar direta não absorvida pela at-
,>oq..J.. Partindo
das Eqs. 38-15 e 38-21, mostre que E (x, t) ri B (x, t),
~fera num dia especial de verão é de 100 W/m2. A que distância
você teria que ficar de um aquecedor elétrico de 1,0 kW para sentir
'~omponentes elétrico e magnético de uma onda eletro!Dagnéti-
a mesma intensidade? Suponha que o aquecedor irradie uniforme-
ca plana progressiva, devem satisfazer as "equações de onda".
mente em todas as direções. '

~. Most~e que, numa onda eletromagnética plana progressiva a'


intensidade média, isto é; a taxa média de energia transportada por
unidade de área, é dada por
a2B
--
a2B
= c2_-
at 2 àx2
- 'E;" cB;,
S =-_.=-.
2f.LOc 2JLo ,
14P.~a1Mostre que as Eqs. 38-1 e 38~2 satisfazem as equações de
onda apresentadas no Problema 13. (b) Mostre que quaIsquer ex- ~ ~' Qual é a intensidade média de uma onda eletromagnética
pressões da forma ' plana progressiva, se Bm, o valor máximo do seu componente mag-
''«',-
nético, vale 1,0 X 10-"T (= 1,0 gauss)? (Sugesrão: veja o Exercí- cia do feixe igual a 0,l7 rnrad (veja o Exercício 20). (a) Qual é a
cio 22.) intensidade do feixe a 40 m do laser? (b) Qual é a potência de uma
fonte puntiforme que fornece a mesma intensidade para a mesma
24E. Numa onda plana de rádio o valor máximo do componente distância?
campo elétrico é de 5,00 Vim. Calcular (a) o valor máximo do
componente do ca,mpo magnético e (b) a intensidade média da 32P. Um avião VOando a uma distância de 10 km de um
onda. (Sugestão: veja o Exercício 22.) radiotransmissor recebe um sinal de intensidade igual a 10 fJ- WI
m2• Calcule (a) a amplitude do campo elétrico no avião devido a
~ Você c~inha 150 m em direção a uma lâmpada de rua e nota este sinal; (b) a amplitude do campo magnético no 'avião e (c) a
~ a intensidade passa a ser meia vez maior do que a intensidade potência total do transmissor, supondo que ele irradie Uniforme-
na sua posição iniciaL A que distância da lâmpada você se encon- mente em todas as direções.
trava inicialmente? (Suponha que a lâmpada irradie uniformemente

I~
em todas as direções.) Durante um teste, um sistema de vigilância com radar da
I OTAN, operando a 12 GHz com potência de 180 kW, tenta detec-
26P. Demonstrar que, em qualquer ponto de uJÚa onda eletromag- tar, a·uma distância de 90 lan, um avião "inimigo" que se aproxi-
nética tal como aquela da Fig. 38-6, os valores médios no tempo ma. Suponha que o feixe de radar é emitido uniformemente atra-
da densidade de energia armazenada no campo elétrico e da densi- vés de m hemisfério. (.a) Qual é a intensidade do feixe no local do
dade de energia armazenada no campo magnético são iguais. avião? O avião reflete as ondas de radar como se a área de sua
-çao trans·versal fosse somente de 0,22 m2. (b) Qual é a potência
27P. A luz solar atinge a alta atmosfera terrestre com uma intensi- ' do feixe refletido pelo avião? Suponha que o feixe é refletido uni-
dade de 1,40 kW/m2 Determinar Em eEm para a luz solar, supondo formemente através de um hemisfério. Retomando ao local do ra-
que ela seja uma onda plana. dar, quais são (c) a intensidade, (d) o valor máximo do campo elé-
trico~ e (e) o valor eficaz do campo magnético, do feixe refletido
28P. O valor máximo do campo elétrico a uma distância de 10 m pelo radar?
de uma fonte luminosa puntiforme é 2,0 Vim. Quais são (a) o valor
máximo do campo magnético e (b) a intensidade média da luz'
Seção 38-6 Pressão de Radiação ,
naquele ponto? (c) Qual é a potência da fonte?
~. Um feixe de luz de intensidade igual a 10 ~m2~ncide
~. Um cubo tem suas arestas (comprimento a) paralelas aos ei-
ortogonalmente sobre um cartão negro de área A = 2,0 cm2, que
icos x, y e z de um sistemade coordenadas retangulares. Um campo
absorve toda a radiação. Que pressão é exerci da sobre o cartão
elétrico uniforme E é paralelo ao eixo y e um campo magnético
uniformé'-B é paralelo ao eixo x. Calcular (a) a taxa na qual, de pela radiação?
acordo com o conceito do vetar de Poynting, a energia poderia
. ~. Lasers de alta potência são usados para comprimir plasmas
atravessar cada face do cubo e (b) a taxa líquida na qual a energia
/ gasosos por pressão de radiação. A refletividade do plasma é igual
armazenada no cubo poderia variar.
, à unidade se a densidade de elétroosf;;;'T,astante alta. Um laser
gerando pulsos de radiação com um pico de potência igual a 1,5 X
30P. Frank D. Drake, um pesquisador ativo no programa SETI
103 MW é focalizado sobre 1,0 mm2 de um plasma com densidade
(SearclLf2r Extra-Terrestrial Intelligence), afirma que o grande
elevada. Determine a pressão exercida sobre o plasma.
radiotelescópio em Arecibo, Porto Rico, "pode detectar um sinal -----
estabelecido por toda a superfície da Terra com uma potência de
36E. A intensidade média da radiação solar que incide orto-
somente um picowatt". Veja a Fig. 38-21. (a) Que potência é real-
mente recebida pela antena Arecibo para tal sinal? O diâmetro da gonalmente sobre uma superfície que se encontra 10go acima da
antena é de 304,8 m. (b) Qual seria a potência de uma fonte locali- atmosfera superi?r ~a Terra é de 1,4 k~/m2. (a) Que pressão é
zada no centro de nossa galáxia capaz de fornecer tal sinal? O centro exerClda pel~ radlaçao sobre esta su~erficie, supos~ um abso.r:e-
da galáxia se encontra a uma distância de 2,2 X 1 ()4 anos-luz. Supo- dor ~erfelto. (b) Compare ess~pre~sao c~m a pressao atmosfenca
üha que a fonte irradie uniformemente'em todas as direções. ao mvel do mar, que e de 1,0 10 N/m . ,

31P. Um laser de hélio-~eon, irradiando em 632,8 nm, possui um~'" :~) A~nten~idade da radi~ção solar que atinge a a~mosfera supe-
potência de saída de 3,0 mW e um ânaulo completo de diveraên- nor da lerra e de 1,4 kW/m . (~) Supondo que a Terra se comporte
, b b como um diSCOchato perpendicular aos ralOS solares e que toda a
energia incidente seja absorvida, calcule a força sobre a Terra de- ,
vida à pressão de radiação. (b) Compare essa força com a força
devida à atração gravitacional do SoL

38E. Qual é a pressão de radiação a 1,5 m de distância de uma


lâmpada elétrica de 500 W? Suponha que a superfície sobre a qual
a pressão é exercida'esteja voltada para a lâmpada e que seja um
absorvedor perfeito; suponha também que a lâmpada irradie uni-
formemente em todas as direções.

\ ~uma onda eletromagnética plana, com comprimento de onda, .. J


\ ae 3,0 m, se propaga nQ Y<lgIQ no sentido positivo do eixo.:>com seu Iti!- '
\ vetor elétrico E, de,amplitude igual a 300 Vim, paralelo ao eixo y. (a) . ~
/ Qual é a freqüência f da onda? (b) Quais são a direção e a amplitude
\ do campo magnético associadó coma onda? (c) Se E = Em sen (la-
\ wt), quaissão os valores deke w? (d) Qual é o.valor médio no tempo
i do fluxo de energia em W/m2 associado com esta onda? (e) Se a
Ionda incidir sobre uma placa perfeitaIylente absorvedora, de área igual '
j a 2,0 m2, com que taxa será transferido momento linear à placa e
I qual será a pressão de radiação exe~cida sobre aplacà?
I
40P. Um laser de hélio-néon, do tipo freqüentemente encontrado 47P. Uma partícula no sistema solar está sob a influência combi-
~ nos laboratórios de física, tem uma potência de 5,00 mW para um nada da atração gravitacional de radiação devida aos raios solares.
comprimento de onda de 633 nm. Seu feixe é focalizado por uma Suponha que a partícula seja uma esfera de massa específica 1,0 X
lente num ponto minúsculo cujo diâmetro efetivo pode ser consi- 103 kg/m3 e que toda luz incidente seja absorvida. (a) Mostrar que,
derado igual a 2,00 comprimentos de onda. Calcule (a) a intensi- se o raio da pm1ícula for menor que um -certo raio crítico r, a partí-
dade do feixe focalizado, (b).a pressão de radiação exerci da sobre cula será soprada para fora do sistema solar. (b) Calcule r.
uma esfera minúscula perfeitamente absorvente cujo diâmetro é
igual ao do pOhto focal, (c) a força exerci da sobre esta esfera e (d)
a aceleração comunicada a ela. Suponha que a massa específica da
esfera seja de 5,00 X 103 kg/m3 48E. As equações do campo magnético de uma onda eletromagné-
tica no vácuo são Bx = B sen (ky + wt), By = B, = O. (a) Quais são
.~ Na Fig. 38-22, um feixe de laser com potência igual a 4,60 W a direção e o sentido de propagação? (b) Escreva as equações do
)~metro de 2,60 mm está apontado para uma face circular (de campo elétrico da onda. (c) Esta onda é polarizada? Se for, em que
/ diâmetro d < 2,60 mm) de um cilindro..]2erfeitamente refletor, que direção?
se encontra "suspenso no ar" por ação da pressão de raCliaçao exer-
cida pelo feixe. A massa específica do cilindro.é~ 1,20 gLf;!!l3. 49E. Um feixe de luz não-polarizada de intensidade 10 mW/m2
Qual é a altura H do cilindro? --- . incide perpendicularmente sobre uma placa polarizadora. (a) De-
--S:;:> termine o valor máximo do campo elétrico do feixe transmitido.
)
(b) Qual é a pressão de radiação exercida sobre a placa polarizadora?

SOE. Um feixe de luz não-polarizada incide sobre duas placas po-


larizadoras superpostas. Qual deverá ser o ângulo entre as dire-
ções de polarização das placas a fim de que a intensidade do feixe
transmitido seja um terço da intensidade do feixe incidente?

51E. Três placas polarizadoras estão superpostas. A primeira e a


terceira estão cruzadas; a direção de polarização da placa do meio
faz 4SOcom as direções de polarização das outras duas. Que fra-
ção da intensidade de um feixe inicialmente não-polarizado é trans-
mitida por este sistema de placas?

52E. Na Fig. 38-23, um feixe de luz não-polarizada incide sobre


três placas polarizadoras cujas direções de polarização fazem ân-
gulos de 8, = 82 = 83 = 50 com a direção do eixo y. Que percen-
0

tagem da intensidade inicial é transmitida pelo sistema?

42P. Uma radiação de intensidade I incide ortogonalmente sobre


um objeto que absorve uma fração f da radiação e reflete o restan-
te. Qual é a pressão de radiação sobre o objeto?

43P. Prove que, no caso de uma onda plana incidindo ortogo-nalmente


sobre uma superfície plana, a pressão de radiação sobre a superfície
é igual à densidade de energia do feixe fora da superfície. Esta rela-
ção é válida qualquer que seja a fração refletida da energia incidente.

44P. Prove que a pressão média exerci da por uma saraivada de


projéteis, em incidência ortoganal, sobre uma superfície plana, é
igual ao dobro da densidade de energia cinética dos projéteis fora
da superfície. Suponha que os projéteis sejam completamente ab-
sorvidos pela superfície. Compare tal comportamento com o da
luz no Problema 43.
/ .
--'::t;, ~ Uma pequena astronave cuja massa, incluindo os tripulantes,
é de 1,5 X 103 kg, desloca-se no espaço'cósmico onde não existe 53P. Na Fig. 38-23, um feixe de luz não-polarizada incide sobre três
nenhum campo gravitacional. Se o astronauta acender um feixe de placas pola.;zadoras cujas direções de polarização fazem ângulos de
8, = 40 82 = 50 e 83 = 40 com a direção do eixo y. Que percen-
0 0 0

laser de 10kW, que velocidade poderá atingir, após um dia, devi- ,

do à quantidade de movimento transportada pelo feixe? tagem da intensidade inicial é transmitida pelo sistema?

46P. Tem sido proposto que uma astronave pode mover-se no sis- 54P. Um feixe de luz não-polarizada incide sobre uma pilha de
tema solar por pressão de radiação, empregando-se uma grande quatro placas polarizadoras, orientadas de modo que o ângulo en-
vela feita de uma chapa metálica. Que tamanho deve ter esta vela tre as direções de polarização de placas adjacentes é de 30 Que0

se o módulo da força de radiação deve ser igual ao da força de fração da intensidade incidente é transmitida pelo sistema?
atração gravitacional do Sol? Suponha que a massa total (astrona-
ve + vela) seja 1.500 kg, que a vela seja perfeitamente refletora e 55P. Um feixe de luz polarizada incide sobre duas placas polariza-
que esteja orientada ortogonalmente aos raios solares. Consulte o doras. A direção de polarização da primeira placa faz um ângulo. 8
Apêndice C para obter os dados necessários. (Com uma vela mai- com a direção de vibração da luz enquanto a direção de polariza-
or a nave se afastaria continuamente do So1.) ção de segunda placa é perpendicular a esta mesma direção de