Você está na página 1de 66

PLANEJAMENTO

AGREGADO
1

Disciplina: Administração da produção e operações II


Profa. Dra. Helen Gonçalves
1. O PAPEL DO PLANEJAMENTO
AGREGADO
O Planejamento Agregado é parte integrante do
processo de planejamento empresarial.

O plano estratégico empresarial estabelece


objetivos da empresa a lucratividade, taxa de
crescimento e retorno de investimento.

Este plano é o ponto de partida para o


Planejamento de Vendas e Operações (S&OP) –
conhecido como planejamento agregado 2
PLANEJAMENTO AGREGADO OU DE
PRODUÇÃO

O que é?
É o processo de planejar e controlar os vários
aspectos da produção com o objetivo de atingir as
necessidades dos clientes da empresa
(FERNANDES E FILHO, 2010).

É o processo de balanceamento da produção com a


demanda, projetada para horizontes de tempo em
geral de 6 a 12 meses (MOREIRA, 2009).

3
PLANEJAMENTO AGREGADO OU DE
PRODUÇÃO

Qual o objetivo?
O que se procura é combinar os recursos
produtivos, de maneira a, simultaneamente,
atender a demanda e conseguir o custo mínimo.

Ou seja, visa planejar a produção no médio prazo,


com a finalidade de “casar” a taxa de produção e
taxa de demanda.

4
PLANEJAMENTO AGREGADO OU DE
PRODUÇÃO

O plano agregado contém:


Os detalhes da taxa de produção agregada e o
tamanho da força de trabalho:

o que permite que se determine o volume de estoque a


ser mantido; a quantidade autorizada de horas extras e
reduzidas; qualquer subcontratação, contratação ou
demissão de empregados; o não atendimento de pedidos
de clientes.

O plano agregado costuma ser atualizado e


5
revisado mensalmente.
PLANEJAMENTO AGREGADO OU DE
PRODUÇÃO
O plano agregado é desenvolvido com base em um
produto composto, que representa o mix esperado de
produtos.

Produtos Produtos
individuais agregados
em família

6
PLANEJAMENTO AGREGADO OU DE
PRODUÇÃO

Famílias de produtos similares – ex. A família de produtos


LÁCTEOS Viçosa é composta pela linha de Refrigerados e de
Doces de Leite

Itens finais que fazem parte dessas famílias:


Ex. linha de Refrigerados – Leites, Requeijão, Manteiga, Iogurtes

Isto é feito para reduzir o número de cálculos para desenvolver o


Plano agregado, pois diminui o nível de detalhamento.

7
PLANEJAMENTO AGREGADO OU DE
PRODUÇÃO
O maior detalhamento será feito em níveis inferiores de
planejamento.
Planejamento Estratégico
da Produção
Plano de Produção

Avaliação de Desempenho
Acompanhamento e Controle da Produção
Departamento
de Marketing
Previsão de Vendas
Planejamento-mestre
Pedidos em Carteira da Produção
Plano-mestre de Produção

Programação da Produção
•Administração dos Estoques
•Seqüenciamento
•Emissão e Liberação de Ordens
Ordens Ordens Ordens
Departamento de de de
de Compras Compras Fabricação Montagem
Pedido de Compras

Fornecedores Estoques Fabricação e Montagem 8

Clientes
PLANEJAMENTO AGREGADO OU DE
PRODUÇÃO

Sendo assim, no planejamento agregado


diferentes produtos são agregados em família e
usam a mesma unidade de medida no processo de
agregação – tempo, volume de produção ou
dinheiro.

A experiência mostra que o número de famílias


adequado para facilidade de gerenciamento é de 5
a 15 (FERNANDES E FILHO, 2010).

9
PLANEJAMENTO AGREGADO OU DE
PRODUÇÃO

245 produtos classificados em três famílias por


similaridade de processos:
Família I, com o agrupamento de 116 produtos;
Família II, com o agrupamento de 56 produtos, e;
Família III, com o agrupamento de 73 produtos;

10
PLANEJAMENTO AGREGADO OU DE
PRODUÇÃO

Basicamente, o planejamento agregado envolve:

Plano de Demanda
produção prevista
para cada
família de
produtos Custos
envolvidos
sejam
minimizados

11
PLANEJAMENTO AGREGADO OU DE
PRODUÇÃO

Os principais custos envolvidos são:

Custos básicos de produção;


Custo de manter estoque;
Custo da falta;
Custos de contração;
Custos de demissão;
Custo de horas extras;
Custo de subcontratação.
12
PLANEJAMENTO AGREGADO OU DE
PRODUÇÃO

O planejamento agregado inclui decisões do tipo:

Volume a ser produzido por unidade de tempo


(mês);
Níveis de estoque necessários em cada período;
Numero de pessoas necessárias em cada período;
Numero de pedidos pendentes;
Necessidade de horas extras;
Utilização de banco de horas;
Necessidade de subcontratações;
13
Etc.
PLANEJAMENTO AGREGADO OU DE
PRODUÇÃO

Existem dois conjuntos de métodos para


realizar o planejamento agregado:

Métodos de planilha: são métodos simples,


baseados em tentativa e erro, que fornecem uma
solução heurística (isto é, rápida e geralmente não
ótima) para o problema;

Métodos avançados: que buscam gerar uma


solução ótima para o problema utilizando a
pesquisa operacional (programação linear, inteira 14
mista, etc).
PLANEJAMENTO AGREGADO OU DE
PRODUÇÃO

Etapas do Planejamento agregado:

1) Previsão da demanda;

2) Escolha do conjunto possível de alternativa para


influenciar a demanda ou os níveis de produção;

3) Determinar, a cada período, quais alternativas


serão usadas.

15
2. TIPOS DE PLANOS AGREGADOS
São classificados pelo tipo de recursos
utilizados:

Nivelado;
Acompanhamento;
Híbrido.

16
2. TIPOS DE PLANOS AGREGADOS
A) Plano Agregado Nivelado
Mantém uma força de trabalho constante e produz
a mesma quantidade de produtos em cada período.

Vantagem: a estabilidade da força de trabalho.


Desvantagem: crescimento do estoque e/ou um
possível mal atendimento ao cliente.

Este plano é utilizado frequentemente com


produtos estocáveis como aparelhos de som,
utensílios de cozinha. 17
2. TIPOS DE PLANOS AGREGADOS
A) Plano Agregado Nivelado

Ex. calculo no numero de empregados

Uma empresa tem no momento 10 empregados, cada


qual produzindo 5 unidades completas por dia, para
um total de 50 unidades a cada dia de trabalho (250
unid/semana). Calcule o numero de empregados
necessários no plano agregado nivelado se a empresa
tiver uma demanda semanal media de 500 unidades.
18
2. TIPOS DE PLANOS AGREGADOS
A) Plano Agregado Nivelado
Resposta:

Se a demanda semanal media é de 500 unidades e os


empregados trabalham 5 dias por semana,
precisamos produzir 100 unidades por dia.

Como cada empregado produz 5 unidades por dia, são


necessários 20 empregados (100 unid. por
dia/5unidades por empreg.) para dar conta da
demanda de 500 unidades. 19
2. TIPOS DE PLANOS AGREGADOS
A) Plano Agregado Nivelado
Calculo da demanda mensal
A empresa fez a seguinte previsão de demanda:

Jan Fev Mar Abr Maio Jun


E.I. 6.000
Previsão 12.000 9.000 12.000 15.000 18.000 24.000

Calcule a demanda mensal media liquida e o


número de empregados.

20
2. TIPOS DE PLANOS AGREGADOS
A) Plano Agregado Nivelado
Resposta

A empresa precisa de um total de 90.000 unid.


durante os 6 meses. Como dispõe de 6.000 unid.
em estoque, a demanda liquida é de 84.000. A
empresa tem assim, uma demanda media
mensal de 14.000 unid. por mês. Sabendo do
volume de produção necessário a cada mês, a
empresa pode planejar o tamanho da força de
trabalho.
21
2. TIPOS DE PLANOS AGREGADOS
A) Plano Agregado Nivelado
Resposta
Se cada empregado puder fazer 25 unid. por dia
normal de trabalho e se a empresa operar 20 dias
por mês, cada empregado fabricará 500 unid. por
mês.

Para calcular o numero de empregados


necessários, divide-se o numero de unid.
necessárias por mês por pela produção mensal por
empregado (14.000 /500) = 28 empregados. 22
2. TIPOS DE PLANOS AGREGADOS
B) Plano Agregado de Acompanhamento
Produz exatamente o necessário para satisfazer a
demanda durante cada período. A taxa de
produção se modifica em resposta às flutuações da
demanda.

Vantagem: ele minimiza os custos de


manutenção de bens acabados.
Desvantagem: as constantes mudanças nas
necessidades de capacidade e de equipamento
suficientes para atender os picos da demanda. 23
2. TIPOS DE PLANOS AGREGADOS
B) Plano Agregado de Acompanhamento
Ex. ajustar a capacidade contratando e demitindo

A demanda de janeiro da empresa é de 12.000


unid., mas, como tem 6.000 unid. em estoque, a
demanda liquida é de 6.000 unid. Cada empregado
produz 500 unid. por mês, de modo que a empresa
precisa de 12 empregados (6.000 unid/500 unid
por empregado mês) em janeiro.
A demanda de fevereiro é de 9.000 unid., sendo
assim precisa de 18 empregados (9.000/500), ... 24
2. TIPOS DE PLANOS AGREGADOS
B) Plano Agregado de Acompanhamento

... em março são necessários 24 empregados, 30


empregados em abril, 36 em maio, e 48 em junho.

Com o plano de acompanhamento, a empresa


necessita de espaço e de equipamentos para 48
pessoas.

25
2. TIPOS DE PLANOS AGREGADOS
C) Plano Agregado Hibrido
Geralmente utiliza uma combinação de opções. A
empresa pode manter uma força de trabalho
estável complementada por um estoque reforçado
e, se necessário, usar hora extra para atender a
demanda.

Devido ao número de opções que podem ser


combinadas, é preciso avaliar a situação atual da
empresa e limitar as opções a escolher.
26
3. OPÇÕES DE PLANEJAMENTO
AGREGADO
As empresas podem escolher entre dois
grupos de opções:

Opções baseadas na demanda;


Inclui duas opções reativas e uma proativa.

Opções baseadas na capacidade.


Modifica a capacidade da produção para
atender a demanda. 27
3. OPÇÕES DE PLANEJAMENTO
AGREGADO
Opções baseadas na demanda:

Opções reativas – as operações utilizam


estoques e pedidos pendentes para
atingir às flutuações da demanda.

Opção proativa – o marketing tenta


alterar os padrões da demanda e
minimizar flutuações da desta.
28
OPÇÕES REATIVAS

Estoques de bens acabados


A empresa produz no nível médio da
demanda durante o ano inteiro, invés de
modificar a capacidade de um período para
o outro.

A produção segundo a demanda media


possibilita que a empresa invista menos em
capacidade.
29
OPÇÕES REATIVAS

Pedidos pendentes (não atendidos)


Ocorrem quando a empresa não tem
produção suficiente e/ou estoques para
cobrir a demanda atual, se comprometendo
a entregar o produto ao cliente em uma
data posterior.

Assim, os clientes podem esperar ou fazer


negócios com outra empresa.
30
OPÇÃO PROATIVA

Transferência de demanda
Neste caso a empresa procura modificar os
padrões de compras dos consumidores pela
oferta de incentivos.

Propaganda;
Promoções e preços diferenciados;
Desenvolvimento de produtos complementares

31
3. OPÇÕES DE PLANEJAMENTO
AGREGADO
Opções baseadas na capacidade:

Horas extras – pode ser uma opção


dispendiosa e pouco produtiva;

Jornadas reduzidas – aumentam o custo da


mão de obra por unidade;

32
3. OPÇÕES DE PLANEJAMENTO
AGREGADO
Opções baseadas na capacidade:

Subcontratação – tem a vantagem de uma


produção adicional sem investimento em
recursos produtivos, porém, o custo é
substancial.

Contratações e demissões – podem


representar altos custos para a empresa.
33
HORIZONTE DE TEMPO PARA ESTAS
OPÇÕES

Opções Horizonte de tempo

Horas extras Opção de curto prazo

Opção de curto prazo


Jornadas reduzidas
Opção de médio a
Subcontratação longo prazo

Contratações e Opção de longo prazo


demissões
34
COMPARAÇÃO ENTRE OS DOIS TIPOS
OPÇÕES
Planos Agregados Planos de
Nivelados Acompanhamento

Baseada na Baseada na
demanda capacidade

Modificam a
Estabilizam a capacidade;
capacidade; A empresa deve
São arriscados quando escolher a opção que
usados por longo satisfaça o espaço de
tempo. tempo necessário.
35

Planos Agregados Híbridos


4. AVALIAÇÃO DA SITUAÇÃO
Quando se considera as diferentes opções,
é importante avaliar a presente situação
da empresa em termos de:

Ponto de partida – é o percentual da


capacidade normal em que a empresa
está no momento. Oferece a empresa a
perspectiva das melhores opções.

36
4. AVALIAÇÃO DA SITUAÇÃO

Magnitude da mudança – é o vulto de


modificações necessárias.

Duração da mudanças – é a extensão do


tempo em que se espera precisar do diferente
nível de capacidade.

Essas avaliações permitem que a empresa


reduza o número de opções viáveis para o plano 37
agregado.
5. DESENVOLVIMENTO DA PLANO

Etapa 1 – escolha o plano: nivelado,


acompanhamento ou hibrido;

Etapa 2 – determinar a taxa de produção


agregada:

Se for utilizado o plano nivelado, a taxa de produção é


estabelecida como igual a demanda média;

Se for utilizado o plano de acompanhamento, calcula-se


a capacidade de produção que será necessária em cada
período. 38
5. DESENVOLVIMENTO DA PLANO

Etapa 3 – calcule o tamanho da força de


trabalho:

Plano nivelado: quantos trabalhadores são necessários


para atender a demanda média do período;

Plano acompanhamento: alterar a capacidade, através


de contratações e demissões;

Plano hibrido: calcule quanto de cada opção será


necessário em cada período.
39
5. DESENVOLVIMENTO DA PLANO

Etapa 4 – teste o plano agregado da


seguinte maneira:

Utilizando a taxa de produção e o tamanho da força de


trabalho inicial, calcule os níveis de seu estoque,
qualquer falta de estoque que ocorrer, contratações e
demissões esperadas e quando serão necessárias horas
extras.

Calcule os custos totais do plano

40
5. DESENVOLVIMENTO DA PLANO

Etapa 5 – avalie o desempenho do plano


em função do custo, atendimento ao
cliente, dos recursos humanos e das
operações.

As comparações são menos claras quando os planos


produzem diferentes quantidades e deixam diferentes
estoques finais.

Pode-se então, fazer uma comparação de custos por


unidade. 41
6. PLANOS PARA PRODUTOS TANGÍVEIS
Dados para os Planos A, B, C e D

Plano A: agregado nivelado com utilização de


estoques e pedidos pendentes.

42
Dados para os planos
Dados relativos a custos
Custos por hora da mão de obra em horário normal R$ 12,50
Custo por hora da mão de obra em horas extras R$ 18,75
Custo por unidade da subcontratação (só mão de obra) R$ 125,00
Custo dos pedidos pendentes por unidade R$ 25,00
Custo da manutenção de estoques por unidade R$ 10,00
Custo da contratação por empregado R$ 800,00
Custo da demissão por empregado R$ 500,00
Dados relativos a Capacidade
Força de trabalho inicial 90 empregados
Estoque inicial 0 unidade
Produção padrão por unidade (horas) 8 h. de mão de obra/unidade
Tempo normal disponível por período (horas) 160 h. por período/empregado
Horas extras disponíveis por período (horas) 40 h. por período/empregado
43
Dados para os planos
Dados relativos a demanda
Período 1 1920 unidades
Período 2 2160 unidades
Período 3 1440 unidades
Período 4 1200 unidades
Período 5 2040 unidades
Período 6 2400 unidades
Período 7 1740 unidades
Período 8 1500 unidades

Demanda total = 14.400 unidades

44
6. PLANOS PARA PRODUTOS TANGÍVEIS

Etapa 1: escolha do tipo de plano – nivelado

Etapa 2: calcular taxa de demanda agregada – 14.400


unid./8 períodos = 1800 unid. por período.

Etapa 3: calcular numero de trabalhadores- como cada


empregado trabalha 160 h/período e cada unidade
consome 8h de mão de obra para ser produzida, cada
empregado pode produzir 20 unid. por período.
45
6. PLANOS PARA PRODUTOS TANGÍVEIS

Etapa 3: deve-se produzir 1800 unid. de modo que,


1800 unid. divididas por 20 unid. por empregado
significam que há uma necessidade de um força de
trabalho de 90 pessoas.

N° de empregados = taxa de produção / produção individual de cada


empregado no período

Como a empresa já possui esta quantidade de


trabalhadores, não precisa contratar ou despedir
ninguém.
46
Etapa 4: testar e calcular os custos do plano
Período 1 2 3 4 5 6 7 8 Total
Demanda 1920 2160 1440 1200 2040 2400 1740 1500 14400
(unid.)
Demanda 1920 4080 5520 6720 8760 11160 12900 14400
acumulada
Produção 1800 1800 1800 1800 1800 1800 1800 1800 14400
do período
Produção 1800 3600 5400 7200 9000 10800 12600 14400
acumulada
Estoque 480 240 720
final
Pedidos 120 480 120 360 300 1380
pendentes

Estoque ou ped.pend. = demanda acumulada – produção acumulada

Se a Demanda >produção = Pedido pendente 47

Se a Demanda < produção = estoque final


6. PLANOS PARA PRODUTOS TANGÍVEIS
Etapa 5: avaliar o plano em termos de custos,
atendimento ao cliente, operações e recursos
humanos.

Durante a vigência do plano 1380 unidades são


pedidos pendentes, ou seja, 9,6% da demanda não foi
atendida imediatamente com o estoque;

Quanto às operações, o plano é viável, nenhum


empregado é contratado nem demitido, não há uso
de horas extras ou redução, e a saída é constante ao
longo de todo o plano. 48
6. PLANOS PARA PRODUTOS TANGÍVEIS
Etapa 5: calculo do custo total do plano
Custo da mão de obra de R$ 1.440.000
tempo normal (R$ 12,50
por h x 160 h por período
x 8 períodos x 90
empregados)
Custos de manutenção de R$ 7.200
estoque (720 unid. X R$ 10
por unidade)
Custos relativos a pedidos R$ 34.500
pendentes (1.380 unid. X
R$ 25por unid.)
Custos totais R$ 1.481.700

Custo unitário da plano = R$ 1.481.700/14.400 unid. = R$102,90 49


6. PLANOS PARA PRODUTOS TANGÍVEIS
Plano B: agregado nivelado com utilização de
estoques, porém sem pedidos pendentes (A
demanda deve ser satisfeita em cada período durante o plano).

Etapa 2: calcular a taxa de produção agregada -

neste caso, não utiliza-se o índice da demanda media


para calcular a força de trabalho. Uma nova linha,
“demanda acumulada/número de períodos”, é inserida.
Calculamos esse valor para cada período, e aquele
período com taxa de produção necessária mais elevado
determina a taxa de produção agregada que será 50
utilizada no plano.
Período 1 2 3 4 5 6 7 8 Total
Demanda 1920 2160 1440 1200 2040 2400 1740 1500 14400
(unid.)
Demanda 1920 4080 5520 6720 8760 11160 12900 14400
acumulad
a
Dem. 1920 2040 1840 1680 1752 1860 1843 1800
Acum./n.
periodos
Produção 2040 2040 2040 2040 2040 2040 2040 2040 16320
do período

Produção 2040 4080 6120 8160 10200 12240 14280 16320


acumulad
a
Estoque 120 0 600 1440 1440 1080 1380 1920 7980
final

E.F.= demanda acumulada – produção acumulada 51


6. PLANOS PARA PRODUTOS TANGÍVEIS

Etapa 3: calcular quantos empregados serão


necessários para se produzir as 2040 unidades por
período:

Como cada empregado pode produzir 20 unidades por


período durante as horas normais de trabalho,
precisa-se de 102 empregados para este plano
(2040/20). Deve-se contratar 12 empregados, pois já
existem 90 na empresa.

52
6. PLANOS PARA PRODUTOS TANGÍVEIS
Etapa 4: testar e calcular os custos deste
plano.
Custo de contratação R$ 9.600
(12empregados x R$ 800)

Custos da mão de obra em R$ 1.632.000


horário normal (R$ 12,50
por hora x 160 h por
período x 8 períodos x 102
empregados)
Custos de manutenção de R$ 79.800
estoque (7.980 unid. X R$
10 por unid.)
Custos totais R$ 1.721.400
53
Custo unitário da plano = R$ 1.721.400/16.320 unid. = R$105,48
6. PLANOS PARA PRODUTOS TANGÍVEIS
Etapa 5: avaliar o plano.

Era de se esperar que os custos do plano B fossem maior


em função mesmo do maior nível de estoque final. A
questão é: o que se está ganhando com este custo
extra – aumento de 2,5% ?

Melhor atendimento ao cliente – 100%

Aumentou-se a força de trabalho, a produção está


nivelada e não necessitou-se de horas extras ou
ociosidade.
54
6. PLANOS PARA PRODUTOS TANGÍVEIS
Plano C: agregado de Acompanhamento, onde
se utilizam Contratações e Demissões.

Etapa 2: calcular a taxa de produção agregada -


No período 1 é preciso fabricar 1920 unid. Como a
empresa produz exatamente o necessário para atender a
demanda de cada período, a taxa de produção é igualada
a taxa de demanda.

Etapa 3: calcular a força de trabalho – esse numero é


calculado dividindo-se o numero de unidades
necessárias pelo numero de unidades que cada
empregado produz no período. 55
6. PLANOS PARA PRODUTOS TANGÍVEIS
Etapa 4: testar e calcular os custos deste plano.

Período 1 2 3 4 5 6 7 8 Total
Demanda 1920 2160 1440 1200 2040 2400 1740 1500 14400
(unid.)
Emprega- 96 108 72 60 102 120 87 75 720
dos (1920/20)
necessários

Número de 6 12 42 18 78
contrataçõ
es

Número de 36 12 33 12 93
demissões

56
6. PLANOS PARA PRODUTOS TANGÍVEIS
Etapa 4: testar e calcular os custos deste plano.

Custo de contratação (78 R$ 62.400


empregados x R$ 800)

Custos de demissões (93 R$ 46.500


empregados x R$ 500 cada)

Custos da mão de obra em R$ 1.440.000


horário normal (R$ 12,50 x
160 h por período x 720
empregados)
Custos totais R$ 1.548.900

Custo unitário da plano = R$ 1.548.900/14.400 unid. = R$107,56 57


6. PLANOS PARA PRODUTOS TANGÍVEIS
Etapa 5: avaliar o plano.

Do ponto de vista do atendimento ao cliente, o Plano C é


ótimo pois não deixa pedidos sem atendimento. Já do
ponto de vista das operações não é um plano fácil de ser
implementado, pois precisa de espaço para maquinas e
equipamentos para ate 120 indivíduos no período 6,
enquanto se tem 60 empregados no período 4.

Tem-se que avaliar a viabilidade de tais alterações e


como isso afeta o ânimo dos empregados.
58
6. PLANOS PARA PRODUTOS TANGÍVEIS
Plano D: agregado Hibrido, onde se utilizará a
força de trabalho inicial e horas extras.

Etapa 2: calcular a taxa de produção agregada -


A taxa de produção das horas normais é de 1800 unid.
Este plano aumenta a capacidade quando a demanda
do período excede o produto disponível, através, neste
caso, das horas extras.

Etapa 3: calcular a força de trabalho – para este caso a


força de trabalho é de 90 empregados.

59
6. PLANOS PARA PRODUTOS TANGÍVEIS
Etapa 4: testar e calcular os custos deste plano.
Período 1 2 3 4 5 6 7 8 Total
Demanda 1920 2160 1440 840 2040- 2400- 1740- 1500- 14400
(unid.) 960 720 120 180
1080 1680 1620 1320
Unidades 1800 1800 1800 1800 1800 1800 1800 1800 14400
produzidas
em horas
normais

Unidades 120 360 480


produzidas
em horas
extras

Estoque 0 0 360 960 720 120 180 480 2.820


final

Demanda liquida = demanda – estoque inicial 60

Demanda liquida = 1.200 – 360 = 840 unid.


6. PLANOS PARA PRODUTOS TANGÍVEIS
Etapa 4: testar e calcular os custos deste plano.

Custo da mão de obra em R$ 72.000


horas extras (R$ 18,50 por h
x 8 h por unidade x 480
unid.)
Custos de manutenção dos R$ 28.200
estoques (2.820 unid. X R$
10 por unid.)
Custos da mão de obra em R$ 1.440.000
horário normal (R$ 12,50 x
160 h por período x 90
empregados x 8 periodos)
Custos totais R$ 1.540.200

Custo unitário da plano = R$ 1.540.200/14.400 unid. = R$103,51 61


6. PLANOS PARA PRODUTOS TANGÍVEIS

Etapa 5: avaliar o plano.

O custo por unidade deste plano é apenas R$ 0,61


centavos mais alto que o plano A em que se utilizam
estoques e pedidos pendentes. Mas este plano D
proporciona 100% de atendimento ao cliente.
Em termos de horas extras, são usados em curto prazo,
apenas nos períodos 1 e 2. Além disso, este plano não
deve ser difícil de ser implementado.

62
Plano A = R$ 102,90 por unid.
Plano B = R$ 105,48 por unid.
Plano C = R$ 107,56 por unid.
Plano D = R$ 103,51 por unid.

63
7. CONSIDERAÇÕES SOBRE PA
O planejamento agregado consiste no processo de
emparelhar produção e demanda, ou seja,
satisfazer esta última a médio prazo.

Ele pode ser entendido como o estágio entre o


planejamento da capacidade, de longo prazo, que
fixa a capacidade produtiva da empresa, e o
planejamento da produção, rotineiro, de curto
prazo.

64
7. CONSIDERAÇÕES SOBRE PA
Como processo, o planejamento agregado conduz
a uma aproximação dos recursos necessários em
cada período para atender a demanda.

O planejamento agregado inicia-se com a


Previsão da demanda

65
7. CONSIDERAÇÕES SOBRE PA
A atividade de planejamento agregado nem
sempre é considerada de forma isolada como
nesta análise acadêmica:

Particularidades de cada indústria, tais como


previsibilidade da demanda e alto nível de
repetibilidade dos produtos, fazem com que
muitas vezes ela nem seja executada.

66