Você está na página 1de 3

FILOSOFIA

EXERCÍCIO – 1º bimestre
Prof.º: Edney Cavalcante
Aluna (o): Antônio Matheus Lima Bezerra

1º) Estabeleça a diferença entre estado de natureza e estado civil.

Entendo estado de natureza por aquilo que rege o homem na perspectiva natural, ou
seja, um estado em que ele busca satisfazer suas condições básicas, primárias e as mais egoístas,
um estado que estão em vigor as predisposições animais nas quais as condições de
sobrevivência individual sobressaem-se em relação à moral e à ética. O estado civil, a meu ver,
seria aquele estado que propícia ao homem viver em sociedade, o estado no qual encontram-se
os direitos sociais e as normas impostas ao homem, portanto, nesse estado o homem pensaria
mais em razão coletiva que em si própria.

2º) Leia com atenção o texto de Thomas Hobbes e responda a questão.

“(...) durante todo o tempo em que os homens vivem sem um poder comum capaz de os manter a
todos em respeito, eles se encontram naquela condição a que se chama guerra; e uma guerra
que é de todos os homens contra todos os homens. No estado de natureza cada homem é
governado pela sua própria razão (...) e é um preceito desta razão que um homem concorde
quando os outros também o façam, e na medida em que tal considere necessário para a paz e
para a defesa em renunciar a seu direito a todas as coisas (...). A única maneira de instituir um
poder comum entre os homens, capaz de defendê-los das invasões dos estrangeiros e das
injúrias uns dos outros (...) é conferir toda sua força ou poder a um homem ou a uma
assembleia de homens que possa reduzir suas diversas vontades (...) a uma só vontade. Feito
isto, à multidão assim unida numa só pessoa se chama Estado”. (HOBBES, T. Leviatã. Col. Os
Pensadores, São Paulo: Abril Cultural, 1978).

a) Qual seria a condição dos homens no estado de natureza;

Segundo ele, o homem tende, quando em estado de natureza, ser governado pela própria
razão, ou seja, usar seu próprio julgamento de certo e errado em tudo que ele faz. Isso, para ele,
geraria uma condição de guerra na qual todos os homens estariam contra todos.
b) Como se realiza o pacto social instituído, segundo Hobbes?

Na medida em que apareça uma ameaça que os homens precisem se unir para defenderem-
se, eles precisarão conferir o poder a um indivíduo ou a um conjunto de indivíduos para que se
possa reduzir suas diversas vontades a uma só vontade. Segundo Hobbes, só o medo ou o
desejo pela paz faz com que os homens se unam para poder fundar um estado social e uma
autoridade política.

3º) “Para Locke, no estado natural cada um é juiz em causa própria; portanto, os riscos das
paixões e da parcialidade são muito grandes e podem desestabilizar as relações entre os
homens. Por isso, visando à segurança e a tranquilidade necessárias ao gozo da propriedade,
as pessoas consentem em instituir o corpo político. O ponto crucial do pensamento de Locke é
que os direitos naturais dos homens não desaparecem em consequência desse consentimento,
mas subsistem para limitar o poder do soberano.” (ARANHA, M. L. de A.; e MARTINS, M.
H. P. Filosofando: Introdução à Filosofia. São Paulo: Moderna, 1986). Com base no texto
acima, explique como John Locke concebe a passagem do estado de natureza para o estado
civil.

Para ele o estado civil seria necessário no momento em que os homens construíssem sua
justiça baseados apenas em suas subjetividades, e não no bem coletivo. Sendo assim, o estado
civil nasceria como um princípio de justiça igualitária e para dar longevidade às relações
humanas.

4º) “O problema fundamental para o qual o contrato social, segundo Rousseau, oferece uma
solução é “encontrar uma forma de associação que defenda e proteja a pessoa e os bens de
cada associado com toda a força comum, e pela qual cada um, unindo-se a todos, só obedece,
contudo a si mesmo, permanecendo assim tão livre quanto antes.” (ROUSSEAU, Jean-Jacques.
Do Contrato Social. São Paulo: Nova Cultural, 1987. p. 32). (Coleção Os Pensadores). A partir
do texto acima, responda a seguinte questão: quais são os principais objetivos do contrato
social?

Ele estabelece que, em um caso de contrato social, o povo é o soberano, ou seja, ele é
quem defini, baseado numa força comum, as leis que irão defender seus interesses e bens. O
principal objetivo, pelo que pude compreender, é tornar a coletividade senhora dela mesma sem
ser preciso o indivíduo que a compõe abdicar de sua liberdade anterior.

5º) “A ordem social (...) é um direito sagrado que serve de base a todos os outros. Tal direito,
no entanto, não se origina da natureza: funda-se, portanto, em convenções. Trata-se, pois, de
saber que convenções são essas” .(ROUSSEAU, J. J. Do Contrato Social. 4ª ed. São Paulo:
Editora Nova Cultural, 1987). Por que, conforme o texto acima, para Rousseau, a natureza não
ordena a sociedade?

Pois, para Rousseau, na natureza estão as predisposições apenas naturais, como cuidar
da sua sobrevivência. Quando se trata de ordem social, é preciso passar a se relacionar com os
outros indivíduos de forma a criar laços e criar convenções sociais.

6º) Defina o que são direitos humanos.

São direitos básicos dos indivíduos, direitos fundamentais e sem discriminação, de


forma a promover a igualdade, a exemplo o Art. 5º da CF:

“Todos são iguais perante a lei, sem distinção de qualquer natureza, garantindo-se aos
brasileiros e aos estrangeiros residentes no País a inviolabilidade do direito à vida, à liberdade, à
igualdade, à segurança e à propriedade.”